Dentre as melhores do país, escolas do Ceará são premiadas na maior feira de ciências do Brasil

A Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Júlio França e as Escolas de Ensino Médio Ronaldo Caminha e Joaquim de Figueiredo Correia, localizadas, respectivamente, em Bela Cruz, Cascavel e Iracema, conquistaram diversas premiações durante a 17ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), promovida pela Universidade de São Paulo (USP), no período de 19 a 21 de março passado. Os trabalhos foram desenvolvidos no ambiente escolar, sob a orientação dos professores das disciplinas envolvidas.

A EEEP Júlio França levou ao evento o projeto Endopiso, que transforma o endocarpo lenhoso do coco em um piso inovador, ecossutentável e de baixo custo. A experiência foi apresentada pelas alunas Cibelle Furtado e Nicolly Menezes, e orientada pelos professores Francigleison Pontes e Fernando Nunes. Além de garantir participação na Intel Isef, considerada a maior feira de ciências do mundo, em maio próximo, em Phoenix, nos Estados Unidos, a escola ganhou ainda dois prêmios: o primeiro lugar na área de Engenharia e o Prêmio Petrobras, que oferece a oportunidade de conhecer o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), no Rio de Janeiro.

Para Girliane Teixeira, gestora da escola, essa grande conquista se justifica pela inserção da pesquisa como princípio pedagógico na proposta curricular e pelo trabalho feito a muitas mãos. “Os impactos dessa prática impulsionam o crescimento dos indicadores de aprendizagem e transformam a escola em referência no trabalho de iniciação científica. Essa será a terceira participação de nossa escola na maior feira de ciências do mundo”, destaca a diretora.

Pesquisa agrícola
A Escola Figueiredo Correia também estará na Intel Isef. A premiação veio por meio da experiência dos alunos José Guilherme Oliveira Matias e Yane Lara Gurgel Pinheiro, da 3ª série do Ensino Médio, que conquistaram o 1º lugar em Ciências Biológicas e a credencial para a feira internacional. Os estudantes apresentaram o Projeto Análise e Desenvolvimento de Interactomas sob Estímulo por Agronegócios: Estudo de Processos Biológicos e Geração de Doenças Neurológicas por Contaminantes Agrícolas.

A iniciativa contou com o apoio da professora orientadora Sebastiana Vicente Bezerra e do universitário Helyson Lucas Bezerra Braz, da Universidade Estadual do Ceará (Uece) – Campus de Limoeiro do Norte, co-orientador do Projeto, que envolvia as problemáticas das comunidades do entorno da Chapada do Apodi (Localizada entre os municípios de Limoeiro do Norte e Quixeré no Ceará). A Escola de Iracema conquistou também o 1° lugar em Bioquímica e Biologia Molecular pela Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular (SBBq) e o prêmio de melhor trabalho do Ceará.

O projeto S.O.S Casa, da EEM Ronaldo Caminha Barbosa, foi premiado como Destaque em Tecnologia e Desenvolvimento Social. A professora Joseline Maria Sousa Nascimento e as alunas Cássia Xavier Batista e Maria Eduarda Oliveira Pessoa receberam certificados, livros sobre a Escola Politécnica e cartões de presentes para serem utilizados para aquisição de livros. O projeto cearense desenvolve tijolos ecológicos e placas de piso a partir de resíduos sólidos encontrados na comunidade, como borracha e vidro. A ideia é proporcionar melhoria na estrutura física das casas de taipa, assim como dar uma destinação correta aos resíduos.

A professora Josilene explica que além disso, a turma desenvolve ciclos educativos sobre profilaxia de doenças comuns neste tipo de habitação, como a Doença de Chagas. Essa ação está entre as vencedoras regionais da 9ª Edição da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente, promovida pela Fundação Oswaldo Cruz, em 2018.

Inovações
Outras três escolas da rede estadual também participaram do evento. A EEM Julia Alenquer Fontenele, de Pindoretama, com os alunos João Vitor Rodrigues Sousa e Ednildo Ferreira dos Santos e o professor Igor Costa Cajaty mostraram o projeto BanCoP, na categoria Matemática. Os alunos Carlos Henrique Praxedes Monteiro e Isaque Lima Almeida e o professor Sandro Costa Mesquita representaram a EEEP Pedro de Queiroz Lima, de Beberibe, com o projeto Auxílio para Deficientes Visuais, na categoria Ciência da Computação.

Da EEEP Francisco das Chagas Vasconcelos, de Santana do Acaraú, a professora Vanessa Serafim e as alunas Iara Kelly da Penha e Mariana Canafístula da Penha apresentaram projeto orientado pelo professor Glauber Oliveira. Para as alunas, o momento foi de rica experiência e aprendizagem, uma oportunidade de incentivar a pesquisa para os demais colegas da escola. “Foi espetacular. Conhecemos um mundo novo e percebemos a importância do conhecimento e onde ele pode nos levar. Voltamos com novas ideologias e com as mentes voltadas para novos horizontes”, relata a aluna Mariana Canafístula.

A partir dos investimentos feitos pela atual gestão, as escolas passaram a contar, por exemplo, com mais laboratórios de Ciências (Física, Química e Biologia), espaço onde os alunos colocam em prática o que aprenderam na sala de aula.

Febrace
A Febrace é um movimento nacional de estímulo ao jovem cientista por meio de uma grande mostra de projetos. É promovida e organizada pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

Assessoria de Comunicação/Governo do Estado do Ceará

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis