'Povo tem que aguardar ajuste e ter compreensão', diz Michel Temer

Articulador político do Palácio do Planalto, o vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) admite que o governo cometeu "equívocos" no primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff, mas pede um ano de "compreensão" à população para que as medidas de correção da política econômica tenham resultado.

"O grande problema é quando você não confessa o equívoco", disse em entrevista à Folha nesta sexta-feira (29), um dia após a aprovação pelo Congresso das medidas provisórias do ajuste fiscal. "Mas eu sou governo e estou reconhecendo os equívocos".

 Entre eles, Temer cita as chamadas pedaladas fiscais, o uso de bancos públicos para pagar despesas do Tesouro e arrumar as contas do governo. "Mais um equívoco, que tem de ser confessado", disse, ressalvando que foram praticadas também pelos antecessores de Dilma.

Prestes a completar dois meses como articulador das relações com o Congresso, Temer diz que passou a dormir cerca de quatro horas por noite para dar conta da função.

O cansaço dos últimos dias, recompensado segundo ele pela aprovação das medidas provisórias do ajuste fiscal, causou uma raridade. Atrasou-se para a entrevista com a Folha, depois de passar a madrugada assistindo a filmes. Um deles de nome sugestivo: "Relatos Selvagens".

Temer, que na semana passada deu um ultimato a setores do governo que estavam "trabalhando contra" o ajuste, relata sua conversa com Dilma sobre o episódio.

"Disse: a sra. vai viajar [para o México], mas eu não quero ser responsabilizado porque sinto um titubeio do governo em relação às medidas do ajuste", acrescentando que a presidente disse confiar nele e o prestigiou, o que, afirma, deu resultado porque o pacote passou no Congresso.

Temer diz ainda que "havia certa razão" nas queixas de que o PT não queria partilhar poder, afirma que se os acertos feitos por ele não forem cumpridos "perde sentido" sua permanência no posto e avisa que o PMDB, do qual é presidente, cansou do papel de "noiva preferida" nas eleições presidenciais e terá candidato próprio em 2018.

A seguir, leia a entrevista que ele concedeu em seu escritório em São Paulo.

Folha - Qual a situação que o sr. encontrou ao assumir a articulação política do governo?
Michel Temer - Assumi essa posição em face do pleito da presidente. Eu senti que não poderia recusar, sob pena de entenderem que eu não queria colaborar. Assumi com muita preocupação, porque havia, sem culpa de ninguém, uma certa desarticulação.

Certa?
É, "certa" é por conta do meu estilo [risos]. E "sem culpa de ninguém" também fica por conta do seu estilo... Assim que eu assumi, comecei a fazer as coisas mais triviais em matérias de articulação política, que é manter contato mais estreito com o Congresso Nacional.

Estavam faltando coisas triviais?
É uma questão de estilo.

Da presidente?
Não. Ela não pode a toda hora estar fazendo contatos com parlamentares líderes. É curioso que, às vezes, sem uma razão específica, por isso que eu falei certa desarticulação, cria-se um clima de distanciamento. O que eu fiz foi reaproximar a base e até a oposição, às vezes, dos assuntos de interesse do governo. Passei a fazer uma distinção frugal entre as coisas de interesse do governo e as coisas de interesse do Estado brasileiro.

Se tivesse que adjetivar a situação da articulação política quando chegou, qual usaria?
[Risos]. Acho que seria o de "uma certa desarticulação", embora tenha havido muito esforço para resolver. Criou-se um clima, digamos assim, de certa competição entre a Câmara e o governo, particularmente na eleição do presidente Câmara, Eduardo Cunha [PMDB-RJ].

Um mal-estar porque o governo se envolveu...
Houve um mal-estar. Isso dificultou a relação com o presidente eleito da Câmara, Eduardo Cunha. Porque supostamente algumas pessoas do governo teriam se envolvido [para derrotá-lo]. Essas coisas todas foram desarticulando a relação.

E a queixa de que o PT não queria partilhar poder...
Acho que havia uma certa razão [na queixa], porque esse depoimento vinha de vários partidos. A mim, [essa preponderância] não me assusta, porque o PT ganhou as eleições com a cabeça de chapa. Mas, no caso do PMDB, que muitas vezes é acusado de fisiológico, também ganhou essa eleição, trabalhou por essa eleição. Quando o PMDB queria maior participação, era nessa convicção de que também havia ganhado a eleição.

Não é fisiologismo, é o modelo de coalizão política?
É preciso mudar os costumes políticos no país. É o tipo da coisa que não agrada a ninguém. Fui presidente da Câmara três vezes e quando eu olhava [de sua mesa para o plenário, em dias de sessão], eu verificava que, de um lado, aqueles que hoje estão na situação praticam os atos daqueles que estavam na oposição no passado e vice versa. Isso é uma inversão dos costumes políticos.

Pode exemplificar?
Fator previdenciário. Os que eram a favor e criaram, hoje são contra. Os que hoje sustentam, eram contra. Não quero nem nominar os partidos.

Existe hoje um certo desencanto do eleitor, que não se sente representado nem pelo Congresso nem pelo governo.
Concordo. Daqui a três anos tem-se a oportunidade democrática de modificar inteiramente. Se o sujeito votou em fulano para deputado e ele não satisfaz, o engano é do eleitor. Claro que essa afirmação vai gerar muitas cartas para a Folha [risos]. Se a gente não tiver coragem de começar a lidar com conceitos você não muda os costumes.

Quem elegeu a presidente Dilma também está insatisfeito.
Há uma decepção, ao meu ver equivocada. O governo vive o influxo das questões internacionais. Nós já estamos passando por crises seguidas desde 2008, e hoje a crise também é vigorosa nos Estados europeus. Todos eles, eu estive recentemente lá, me dizem que estão com desemprego em dois dígitos e aqui, não. E está tomando providências.

Esse chamado ajuste econômico, fiscal, visa a recuperar a economia. Isso não elimina a ideia da decepção com o governo. O povo tem que aguardar essas decisões do ajuste, verificar como a economia e a política se comportam até o fim do ano para depois fazer uma avaliação definitiva.

É um pedido de trégua?
Estou pedindo compreensão.

Mas a frustração é porque se vendeu um país na campanha e depois ele desapareceu.
Desapareceu em face das dificuldades econômicas, não nos seus programas. Os programas sociais continuam. Não houve abalo aí.

Houve. Mudanças no Fies, no Pronatec, Minha Casa, Minha Vida, PAC...
Houve mudança de rumo, não eliminação. Muitas vezes tem que reprogramar a economia. Porque pode haver alguns equívocos, e não se pode negar os equívocos. O grande problema é quando você não confessa o equívoco.

Mas o governo é acusado de não admitir os erros.
Mas eu sou governo e estou reconhecendo os equívocos.

E quais são eles?
No final do governo, começou a haver problemas de natureza econômica. Mas eles só vieram à luz depois que nós tomamos posse. Não significa que houve uma falsidade durante as eleições.

O sr. acha que as pedaladas fiscais foram um equívoco?
As pedaladas fiscais, a primeira notícia que eu tenho, não é justificativa, sempre se verificaram em todos os governos. Em segundo lugar, foi para estabelecer uma certa credibilidade do governo.

Mas tirou...
Mais um equívoco, que tem que ser confessado. Fruto dos costumes políticos do país.

Como é lidar com a distribuição de cargos no segundo escalão entre os partidos aliados?
Não há distribuição de cargos. O que há na democracia é a participação no governo. Quem é que deve participar? Aqueles que apoiam o governo. Às vezes dizem que o PMDB quer cargos. Eu brinco que se um dia o PMDB chegar à Presidência da República, para não sermos acusados de fisiológicos, nós não vamos indicar ninguém. Nem ministro, nem autarquias...

O problema disso é quando um partido se vale de chantagem. O fisiologismo não vem pela simples indicação, mas pela prática de toma-lá-dá-cá. E todos os partidos fazem no Congresso.
Nos dois meses que estou à frente não tem tido isso. E olhe que conseguimos aprovar medidas dificílimas. Aprovamos o ministro Fachin [para o STF], e não houve nenhuma chantagem, entre aspas.

Não podemos tratar a distribuição de cargos como se fosse apenas compra de voto. Estamos distribuindo funções para que todos governem juntos.

O sr. faz autocrítica como governo. E a imagem de fisiológico não nasce do nada. O sr. faz autocrítica sobre o PMDB?
Falo dos acertos, o primeiro foi ter reconstruído a democracia no país. Temos a maioria dos prefeitos, dos vereadores, dos deputados federais, senadores. Por que o PMDB é sempre prestigiado? Pelas teses do passado e pelas teses que vem levantando ao longo do tempo, uma delas é a responsabilidade com a governabilidade.

Você veja que em muitos momentos o PMDB não lançou candidato e teve que fazer uma opção. A opção que fez, ao não ir para a oposição, foi convidado a participar do governo. Mais acertos. As grandes conquistas como a responsabilidade fiscal, as conquistas das reformas constitucionais.

Quando o sr. fala que um dos ativos do PMDB é a responsabilidade com a governabilidade, não é um eufemismo para fisiologismo?
Não é verdade. Num dado momento eu era presidente do partido e fiz todo o esforço para lançar um candidato a presidente da Republica, caso do [Anthony] Garotinho. Nós mobilizamos o país inteiro e isso faz três eleições.

E em 2018, o PMDB deve ter candidato?
Toda tendência é ter candidato. A pregação que se faz hoje é o PMDB ter candidato. O PMDB é um partido de centro. Eu não gosto de rótulos, mas se quiser rotular, é um partido de centro, ou seja, preocupado apenas com os interesses do país e que pode vir a ter candidato porque é uma angústia, quase um ato patriótico do partido.

O PMDB cansou do papel de noiva?
De noiva preferida, né? [risos]

Quer ser noivo agora?
Quer ser noivo. Isso tem que ser construído. Mas o PMDB não se sente sem poder politico.

No Congresso, setores do governo não estavam tão comprometidos com o ajuste, principalmente os ligados ao PT.
Nós sabemos como é. Se não desse certo, essas medidas provisórias e [a indicação para o STF do ministro Luiz] Fachin, as pessoas iam dizer, sabe quem é o responsável? É o PMDB, é o Temer. Eu disse 'Isso eu não vou topar e não aceito'. Tinha pessoas trabalhando contra.

Quem?
Alguns setores titubearam logo na primeira votação. Fui buscar o Rodrigo Maia [do DEM, oposição], que é preocupado com os problemas do país, o ACM Neto, fui buscar oito votos do DEM. Fui buscar mais três ou quatro votos do PV e mais quatro ou cinco do PSB. Fui buscar votos na oposição, que ajudaram a ganhar. Em uma reunião no Palácio do Jaburu, os líderes disseram que se o PT fechasse questão todos os partidos se disporiam a votar. Agora, comecei a ver nesta semana gente do governo dizendo que se caísse a medida provisória 664 não teria importância...

Gente do governo...
Exatamente. Precisei falar com a presidente. Disse a ela: Não quero ser responsabilizado, porque sinto um titubeio do governo em relação às medidas do ajuste. Aí ela disse: 'Tenho certeza que você vai conseguir, vai ganhar´, ela sempre me prestigia. Depois daquilo todo mundo passou a trabalhar junto.

O PT não gostou.
Mas o governo gostou. O pior era o PT gostar e o governo não ter sucesso.

Quando fala que alguns setores trabalharam contra, alguns aliados reclamaram que nomeações não estavam sendo concluídas...
Nós todos do governo temos muita credibilidade. Eles [a base] estão esperando que passem a governar conosco logo logo, o que nunca aconteceu. As nomeações sairão. Eles estão acreditando, acreditando em mim.

Mas reclamam que a Casa Civil represa as nomeações...
Não é verdade que está travando. O ministro [Eliseu] Padilha me ajuda muito nisso. Precisa investigar a ficha dos indicados.

Mas aliados que acertaram indicações com o sr. diziam que o ministro Aloizio Mercante [Casa Civil, do PT] estava travando.
O Mercante e o Ricardo Berzoini [ministro das Comunicações, do PT] têm a memória das nomeações. Eles ajudam muito. Todos nós estamos tentando apressar essas coisas.

Mas o sr. está dando sua palavra de que vai sair. Se a burocracia não funcionar, o senhor perde as condições de ser o articulador.
Vai funcionar. Até porque, se a burocracia não funcionar, quem não funciona sou eu, aí saio eu.

Mas o sr. pensa em sair?
Não. Digo que, se de repente os compromissos que eu assumi [não forem cumpridos], perde sentido minha permanência.

No primeiro mandato, a presidente não dava muita atenção ao sr., apesar de o ex-presidente Lula sempre defender que ela lhe delegasse a articulação política. Agora, com o momento de fragilidade do governo, isso mudou. O que houve?
Talvez você tenha respondido [a fragilidade]. No primeiro mandato, ela me destinava para muitas missões internacionais. Fiz 39 viagens internacionais.

O comentário é que quem não deixava a presidente colocá-lo na articulação política era o Mercadante.
É possível [risos]. É interessante isso. Há gente na classe política que não gosta de ninguém minimamente inteligente por perto. Eu, não, eu trago os melhores para ficar ao meu lado. Mas eu não acredito. O Mercadante tem uma relação comigo de respeito. Não tenho nenhuma queixa a ele. Ele não mostra que quer o meu fracasso, não. Quando ele interfere, é para ajudar. Me ajuda muito quando necessário.

E a desoneração da folha [parte do ajuste fiscal]?
Vai sair, embora essa seja a mais difícil delas. Tenho um caminho traçado, mas não posso revelar, de modo que o relatório saia compatível com as aspirações do governo. Mais para a frente digo para vocês.

E a reforma política?
O Congresso legislou. Deveria haver uma grande reformulação.

O sr. é a favor do fim da reeleição?
Se houvesse seis anos [de mandato] eu seria a favor. Porque a reeleição não deu tão errado assim. Um mandato único de quatro anos seria inviável.

Qual avaliação sobre Eduardo Cunha?
Ele está fazendo uma gestão muito vigorosa. Ele está incentivando bastante a participação do Congresso. Ele e Renan [Calheiros, presidente do Senado]. Por enquanto, convenhamos, não estão prejudicando o governo. Houve um atrito que foi enormemente amenizado nos últimos meses, tanto que foram aprovadas todas as medidas governamentais.

Dizem que ele está fazendo uma gestão muito ditatorial.
Não, acho que é uma questão de estilo.

E o que houve com Renan, que era aliado do governo?
Aí realmente eu não sei. Acho que ele está pautado pelas convicções dele.

Mas ele tentou derrotar Fachin e dizia que o ajuste seria dificilmente votado.
Mas não atrapalhou.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Barbalha (CE): Participantes da tradicional Festa do Pau da Bandeira farão percurso de 8 km

Vinte e três metros de comprimento e aproximadamente três toneladas. O Pau da Bandeira já foi escolhido há mais de 15 dias para ser levado pelos devotos de Santo Antônio, padroeiro de Barbalha, na Região do Cariri. Oito quilômetros serão percorridos pelos participantes da tradicional festa.

O capitão do Pau da Bandeira, Rildo Teles, conta que nesse desafio são enfrentadas dificuldades, como retirar na força humana três toneladas de uma área de difícil acesso. Muitos encaram a caminhada como um momento único e um motivo de orgulho.

Durante o cortejo do mastro de Santo Antônio, diversas pessoas aproveitam o percurso para pedir ao santo a oportunidade de deixar a vida de solteiro, já que o padroeiro é considerado um santo casamenteiro.

A tradicional Festa do Pau da Bandeira é realizada neste domingo (31), na Igreja da Matriz, em Barbalha, a partir das 11 horas.

Fonte: Tribuna do Ceará

Curta nossa página no Facebook



Greve se amplia e atinge 48 das 63 federais

A greve de professores e funcionários técnico-administrativos já afeta 48 das 63 universidades federais do País. Eles protestam contra o corte orçamentário das instituições e pedem reajuste salarial de 27%. Na quinta-feira, a paralisação afetava 38 instituições.

Do total de universidades afetadas, em 15 a greve é de professores e funcionários. Em três, apenas os docentes suspenderam as atividades. Nas outras 30 instituições a paralisação é apenas dos funcionários. A greve dos docentes foi aprovada em 18 universidades e a de funcionários, em 4. Nesta sexta, os sindicatos dessas instituições participaram dos protestos que ocorreram em todo o País contra o ajuste fiscal, que também levou a mudanças nos direitos trabalhistas. Outro foco de queixas é a nova lei que amplia a terceirização. As manifestações ocorreram de forma pacífica.

Na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), o restaurante universitário, que iria fornecer refeições apenas para alunos bolsistas, operou com as “catracas abertas” para todos durante o almoço desta sexta. Alegando questões de segurança, a universidade fechou o restaurante durante a noite, para evitar que novamente fossem servidas refeições gratuitas.

Na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a greve dos funcionários terá início na segunda-feira e deve afetar também os atendimentos no Hospital São Paulo. O sindicato disse que vai manter ao menos 30% do efetivo em atividade.

Alunos
Cerca de 25 estudantes da Unifesp invadiram a diretoria acadêmica do câmpus de Guarulhos no fim da tarde desta sexta-feira, 29. Eles retomam uma greve que já durou 58 dias e estava suspensa há uma semana.

Em nota, os alunos afirmaram que as respostas da reitoria são "insuficientes" às reivindicações. Eles pedem o retorno da chamada Porca Orca, ônibus gratuito que levava os alunos da estação Carrão ao câmpus e que foi cortado no inicio do ano.

A Unifesp não foi encontrada para comentar a invasão.

Fonte: Estadão

Curta nossa página no Facebook



Mombaça (CE): Prefeitura abre concurso com cerca de 500 vagas e salários até R$ 3,5 mil

A prefeitura de Mombaça, no interior do Ceará, abriu inscrições para o concurso público que visa contratação imediata de 165 profissionais e formação de cadastro de reserva de outros 330. As vagas são para cerca de 50 cargos diferentes.

Para se inscrever, o candidato deve acessar o site da empresa organizadora, que é a Cetrede, até o dia 25 de junho de 2015. Será cobrada uma taxa pela participação e os valores variam de R$ 60 a R$ 120 conforme o cargo pretendido. O pagamento deve ser efetuado via boleto bancário.

Os salários variam de R$ 788 a R$ 3,5 mil, pelo desempenho de atividades em jornadas mensais de até 200 horas.

Confira mais detalhes no edital.

Fonte: Tribuna do Ceará

Curta nossa página no Facebook



Professor de Harvard alerta sobre reais interesses dos EUA em crise na Fifa

"Eu estou chocado, você não está?", diz John Shulman ao atender a reportagem do UOL. Ele tem uma opinião diferente sobre o envolvimento dos Estados Unidos no escândalo da FIFA. Professor convidado da Fundação Dom Cabral, especialista em mediação de negociações, cofundador do Centro para a Negociação e a Justiça dos EUA, e formado em direito pela Universidade de Harvard, ele acredita que a intervenção "não teve cunho legal, mas geopolítico".

"Com essa ação, os EUA enviam dois recados. Para o mundo, o de que o nosso sistema legal pode te pegar se você estiver fazendo algo errado. Internamente, mostramos que tomamos a iniciativa de resolver a corrupção dos outros", diz o professor.

E John entende tanto de geopolítica quanto de futebol. Seu currículo de mediador inclui diversos trabalhos ao redor do mundo, incluindo no Oriente Médio, na Índia e em Ruanda. Sobre o "soccer", uma curiosidade: o hoje professor já jogou profissionalmente na Índia, onde, segundo ele, foi o primeiro jogador ocidental por aquelas bandas.

"Os Estados Unidos nunca deram a menor bola para o futebol. De repente, pela primeira vez na história, o The New York Times vem com a primeira página inteira falando do assunto. Aí eu me pergunto: por quê?", questiona John. Para o professor, há vários pontos obscuros no envolvimento americano. "A logística de uma operação internacional deste porte simplesmente não vale a pena. Até porque não há um número de vítimas nos EUA que justifiquem tamanha mobilização", argumenta ele. "Há empresas nos EUA muito mais corruptas do que a FIFA, pode ter certeza", crava o especialista.

"Para mim, trata-se claramente do seguinte: são os EUA mobilizando seu aparato legal interno em prol de questões geopolíticas. No caso, para colocar pressão na Rússia, com quem o país tem tido problemas recentemente, e no Qatar, onde também existem questões geopolíticas".

John cita ainda a chance para os EUA desestruturarem uma organização que, corrupta ou não, tem tentáculos de poder que fogem ao seu alcance. "A ONU está presente em vários países, mas os EUA têm poder sobre ela. Isso não acontece com a FIFA, o que causa uma ruptura da hegemonia americana."

Quer dizer, se você está feliz que alguém finalmente tomou a iniciativa de enquadrar a FIFA, comemore com moderação. "É claro que a FIFA é corrupta. Todo mundo sabe disso. Mas os EUA não estão fazendo isso pelo bem do futebol", completa John.

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook



Barbalha (CE): Jovem é morto ao sair de hospital após receber atendimento por conta de uma briga anterior

Foto: Enviada pelo leitor/Whatsapp
Um homicídio foi registrado por volta das 06h30min deste sábado na Praça Brasília em frente ao Hospital São Vicente de Paulo de Barbalha. O jovem Elivan Jadson Cruz Teixeira, de 28 anos, que residia na Rua P7, número 29 (Bairro Alto da Alegria) naquele município tinha acabado de receber atendimento médico. Ele deu entrada por volta das 4 horas da madrugada com um ferimento na cabeça por conta de uma briga anterior quando foi feita uma sutura e colocada uma faixa de proteção.

O rapaz ainda conversou um pouco e agradeceu aos profissionais de saúde antes de sair do hospital. Logo após atravessar a Avenida Coronel João Coelho, Elivan foi surpreendido pelos inimigos que estavam à espreita e o atocaiaram atingindo-o com cinco tiros de revólver. O rapaz ainda foi socorrido às pressas e de volta ao hospital, mas já tinha falecido. A polícia esteve no local, mas não obteve informações concretas a cerca da autoria e o corpo da vítima foi trazido para ser necropsiado no IML de Juazeiro.

No dia 17 de agosto de 2012 Elivan já tinha sido vítima de tentativa de homicídio quando residia na Rua Santa Isabel (Franciscanos) em Juazeiro. Ele foi lesionado com duas facadas no braço direito e abdômen em frente à sua casa tendo como autor uma pessoa identificada apenas por “Rodrigo” que estava a pé. O mesmo terminou socorrido ao Hospital Regional do Cariri e o crime consta em inquérito policial remetido à justiça de Juazeiro, mas sem indiciamentos.

Demontier Tenório

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Reeleito, Blatter ataca EUA e diz que não teme ser preso

O presidente da Fifa Joseph Blatter, reeleito na última sexta-feira (29) para seu quinto mandato, afirmou que não teme ser detido após a operação que prendeu sete cartolas ligados à entidade, entre eles o ex-presidente da CBF José Maria Marin. Além disso, o dirigente suíço aproveitou para acusar os Estados Unidos de tentar interferir na entidade máxima do futebol por questões políticas.

"Ninguém vai me tirar a ideia de que é apenas uma simples coincidência que a operação dos EUA tenha acontecido dois dias antes da eleição da Fifa. Ninguém tira isso da minha cabeça", afirmou Blatter, em entrevista aos jornalistas na sede da Fifa neste sábado (30).

Momentos antes da entrevista na sede da Fifa, a TV suíça RTS divulgou uma entrevista exclusiva com Blatter. Nela, o dirigente levanta suspeitas sobre os motivos que levaram os EUA a solicitar à polícia da Suíça para uma operação às vésperas do congresso que o reelegeu para o cargo que ocupa desde 1998.

Blatter, que pela primeira vez critica abertamente a ação dos EUA desde a prisão dos dirigentes da FIFA, aproveitou a entrevista na sede da entidade para questionar a presença de três jornalistas norte-americanos no hotel Baur au Lac durante a operação policial que prendeu os cartolas que estavam hospedados no local.

"Há sinais que não podem ser ignorados. Os americanos eram candidatos para a Copa de 2022 e perderam. Os ingleses foram candidatos em 2018 e perderam. Temos respeito ao sistema judicial dos Estados Unidos e à Secretaria  de Justiça. Se eles sofreram um crime financeiro, eles devem prender essas pessoas lá, não em Zurique durante o Congresso da Fifa", disse o cartola.

Fonte: R7

Curta nossa página no Facebook



20 anos de internet brasileira: 10 coisas que não deixam saudade

Já são 20 anos de internet comercial no Brasil, completados neste mês de maio. De lá para cá, muita coisa mudou; algumas destas mudanças deixaram saudades, mas uma boa parte não fizeram falta a ninguém.

Abaixo estão as coisas que foram tarde e não deixam saudades:

- Fragilidade da internet discada
Você reclama da internet brasileira hoje? Você tem razão em fazer isso, mas as coisas já foram muito piores. Além do barulhinho para conectar (que é nostálgico, admitimos), as conexões via internet discada eram extremamente delicadas e poderiam cair a qualquer momento.

- Telefone ocupado
Tudo o que foi dito no item acima se soma ao fato de que a internet discada ocupava o telefone, e tirá-lo do gancho era uma ameaça à integridade da internet.

- Esperar até meia-noite
O advento da internet no Brasil criou uma geração de corujões, acostumados a passar madrugadas acordados online. Isso porque muitos ficavam esperando a meia-noite para finalmente conectar-se pagando apenas um pulso telefônico, em vez de pagar por uma ligação longa e contínua normal. No sábado havia um refresco, com a regra do pulso único valendo a partir das 14h, e no domingo o dia era liberado, para alívio geral da nação.

- CDs de internet
Lembra quando você recebia CDs da AOL e UOL para conseguir entrar na internet? Havia gente que acumulava pilhas enormes com aqueles disquinhos, com o objetivo de se manter sempre online de forma gratuita para sempre, mas não tinha jeito.

- Internet contratada por tempo
Os CDs forneciam acesso limitado por tempo. Ou seja: você contratava, por exemplo, 300 minutos de internet, o que parece impensável e impraticável nos PCs modernos (embora aconteça algo parecido nos planos de internet móvel atualmente, com as franquias limitadíssimas em megabytes).

- Infinitos discadores instalados
Houve um momento na internet em que a febre foram os discadores gratuitos, que prometiam acesso grátis e o usuário só pagava o pulso telefônico. Foi aí que apareceram iG, NetGratuita, iTelefônica, iBest e tantos outros serviços similares. Claro que o usuário comum tinha todos eles instalados, ocupando espaço no HD e no desktop, fazendo o rodízio para o caso de a conexão com um deles falhar. E elas falhavam bastante.

- Buscadores pré-Google
Antes do boom do Google como buscador, várias empresas tentaram a sorte neste mercado, mas falharam por um motivo: o método arcaico de “catalogar” a internet. Antigamente, você precisava cadastrar seu site em serviços como o finado “Cadê?” para que alguém pudesse acha-lo em uma possível busca sobre um assunto relacionado. Não é preciso dizer que este método era bem pouco preciso, e a tecnologia do Google, com seu robô que vasculha as páginas da web automaticamente mudou a forma de pesquisar as coisas na internet.

- E-mail com espaço limitado
Lembra quando você precisava limpar frequentemente a sua caixa de entrada, ou não sobraria espaço para novas mensagens? Era muito comum serviços de e-mail que ofereceriam 2, 3, ou 5 megabytes de espaço para guardar a correspondência eletrônica. Já pensou se você precisasse resgatar uma mensagem importante e ela tivesse se perdido porque você foi obrigado a fazer uma limpa na sua caixa?

- Design dos sites
Nos anos 1990 e início dos anos 2000, não havia webdesign. Na verdade, até havia, mas era tudo muito rudimentar. Hoje, visitar sites da idade da pedra digital que ainda resistem, como o do filme Space Jam, pode ser divertido e engraçado como documentação histórica, mas viver na web inteira daquela forma era um pesadelo de usabilidade.

- Lentidão
É claro, a velocidade de 56 kbps é o que menos deixa saudades de todo este período. Baixar uma música levava horas, vídeos eram impensáveis, streaming era algo fora da realidade e tantas facilidades da internet moderna simplesmente eram incapazes de existir nos anos 1990 e início dos anos 2000. Só o fato de haver uma imagem no meio do texto poderia deixar o site mais pesado do que boa parte das conexões aguentava.

Fonte: Olhar Digital

Curta nossa página no Facebook



Lula diz que nova candidatura depende de reação de Dilma

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse a aliados que só teria condições de ser candidato do PT e concorrer nas eleições de 2018 caso a avaliação da presidente Dilma Rousseff melhore e, então, ele tenha um legado para defender junto ao seus eleitores.

Segundo informações da Folha de S. Paulo, o político está preocupado com a crise política que atinge sua sucessora. A reportagem do jornal entrou em contato com alguns amigos e aliados de Lula. Eles relataram que o ex-presidente citou as eleições presidenciais de 1994, quando Leonel Brizola perdeu para o nanico Enéas Carneiro, terminando em quinto lugar. Esse fato ilustra o medo de Lula do que pode acontecer em 2018. Ainda de acordo com as fontes da Folha, o político diz que não adianta pensar que ganharia votos apenas por ter decidido se candidatar, pois o eleitor olha para o futuro e não para o passado.

Para se candidatar, então, Lula considera que o governo precisa ter uma avaliação, no mínimo, de 'regular'. Caso contrário, o PT deve escolher outro nome como candidato. Lula teria, inclusive, apresentado esses argumentos à Dilma.

No entanto, aliados ponderam que Lula tem se colocado como responsável pelo projeto petista e, como tal, a possibilidade de ver seu legado terminar dessa forma mexe com ele. A esperança do ex-presidente é que, após o lançamento do plano de concessões prometido para 9 de junho, Dilma organize uma agenda positiva e consiga melhorar sua imagem.

Fonte: Notícias ao Minuto

Curta nossa página no Facebook



Barbalha (CE): Festa do Pau da Bandeira deve atrair 400 mil pessoas

Cerca de 250 mil pessoas deverão participar amanhã, neste município, da abertura da Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio, que neste ano, conforme expectativa dos organizadores, deverá ser tombada como Patrimônio Cultural Brasileiro, com registro no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). As comemorações, que acontecem há mais de três séculos, ganharam dimensões nacionais a partir da década de 1970, quando foram introduzidas às trezenas religiosas e aos eventos sociais a participação dos grupos de tradição cultural de Barbalha.

As comemorações se estenderão até o próximo dia 13 de junho e deverão atrair, durante todo o período, cerca de 400 mil visitantes ao Município.

A festa em torno do padroeiro da cidade terá início por volta das 9 horas, quando acontecerá missa solene, na Igreja Matriz de Santo Antônio, seguida de cortejo com a participação de mais de 50 grupos folclóricos e da tradição popular do município, com destino à Praça do Rosário, onde estão previstos pronunciamentos de autoridades do Município e do Estado. A solenidade contará com a presença do governador do Ceará, Camilo Santana, do secretário da Cultura do Estado, Guilherme Sampaio, bem como de prefeitos e de secretários de diversos municípios da região do Cariri.

A partir das 15h30, shows e apresentações culturais passarão a ser oferecidas ao público nos palcos que foram erguidos na Praça do Rosário e no Marco Zero da cidade. Os shows, que possuem previsão de encerramento para a zero hora, contarão com a participação de artistas de renome nacional, como Dorgival Dantas, Chico Pessoa e Cristina Amaral.

O momento mais esperado da abertura da festa, no entanto, é a chegada do tronco que servirá como mastro para a bandeira de Santo Antônio neste ano. O chamado "pau da bandeira" escolhido para a festa foi um angico medindo cerca de 23 metros e com peso estimado em 2.5 toneladas. A madeira foi extraída do Sítio Flores, na zona rural de Barbalha, no último dia 15 de maio. Desde então, descansa na chamada "cama do pau", na localidade de Roncador, de onde será transportada por centenas de carregadores do "pau de Santo Antônio", tradição iniciada em 1928, quando o primeiro pau foi cortado. "Naquela ocasião, o pároco da época teve a ideia de levantar um mastro com a bandeira de Santo Antônio como sinal de que a cidade estava em festa. Hoje, o corte do pau da bandeira é um dos momentos de maior congraçamento da festa do nosso padroeiro", avaliou o secretário de Cultura do Município, Antônio de Luna.

Ele explicou que há grande expectativa de a festa ser tombada pelo Iphan, provavelmente no segundo semestre do ano, tendo em vista o processo para tal finalidade encontrar-se em estado adiantado. "Estamos na fase de conclusão do dossiê que, até o próximo dia 15 de julho, deverá ser entregue ao Conselho Consultivo do Ministério da Cultura, em Brasília. A partir daí, serão seguidos os trâmites legais que, na nossa expectativa, deverão resultar no tombamento da festa como Patrimônio Cultural Brasileiro", explicou o secretário.

O dossiê é composto por cerca de 150 páginas, onde estão inseridas as explicações em torno da importância e dimensão do patrimônio cultural que as comemorações ofertam. Inicialmente, o interesse é de salvaguardar os festejos. Antes de ser destinado ao Conselho Consultivo do Ministério da Cultura (Minc), o documento será enviado para análise junto ao Departamento de Patrimônio Imaterial, sendo, ainda, necessário o encaminhamento para uma consulta pública.

O documento trará, segundo Antônio de Luna, dados importantes quanto à questão da tradição cultural e religiosa expressa no processo de carregamento do pau da bandeira, ritual que, em média, envolve mais de 200 pessoas.

"Na verdade, as comemorações em torno da Festa do Pau de Bandeira de Santo Antônio de Barbalha mesclam o religioso e o profano. O importante, no entanto, é que essas comemorações são a preservação viva da fé, da cultura e da tradição do nosso povo, da nossa gente", garantiu Antônio de Luna.

A programação dos festejos conta, ainda, com a realização do Festival de Quadrilhas do Município, a ser realizado no Parque de Eventos da cidade, no período de 2 a 5 de junho. No local também serão realizadas apresentações de artistas reconhecidos do público nacional, como Marcos Lessa e Léo Magalhães, por exemplo, além de bandas de forró como Solteirões e Bonde do Brasil, dentre outras. As apresentações artísticas estão programadas para a partir do dia 6 de Junho.

Também estão previstos shows infantis, com a Trupe do Risadinha, Peppa Pig e Pantera Cor de Rosa covers, no dia 7, além de quermesses no largo da Matriz, a partir do dia 1º de junho.

Origem da festa religiosa data do ano de 1928
A origem da Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio de Barbalha, que tem solicitação de tombamento em nível federal em processo de análise, remonta a 1928, quando o pároco José Correia de Lima, então vigário do Município, promoveu o cortejo do mastro em cujo topo seria hasteada a bandeira de Santo Antônio. Desde então, o carregamento do mastro e o hasteamento da bandeira, em fins de maio e início de junho, marcam o início das festividades dedicadas ao santo, que se estendem até o dia 13 de junho, tendo adquirido um caráter cultural que a distingue de outras celebrações similares na região do Cariri cearense. Desde o começo dos anos 70, o Município de Barbalha passou a explorar mais o potencial turístico da festa, com os festejos de Santo Antônio atraindo um número crescente de participantes. Para além do carregamento espontâneo do mastro, bandas e cantores populares se apresentam publicamente nas ruas da cidade, entre o dia do cortejo até o dia 13 de junho, além de quadrilhas juninas e outras expressões artísticas.

Mais informações
Secretaria de Cultura do Município de Barbalha
Rua de Matriz, 25
Telefone (88) 3532-1708
Centro - Barbalha - CE

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Concursos públicos pagam salários de até quase R$ 30 mil

Para quem quer seguir carreira pública, veja os concursos públicos com inscrições abertas no Norte e Nordeste.

PB - Universidade Federal de Campina Grande
São três oportunidades para professores universitários nas áreas de Letras e engenharia de alimentos para os campi de Pombal e Sumé.

Salário: até 5.945,98 reais
Inscrições: até 29 de maio pelo site da UFCG

MA - Prefeitura de São Luís
São 8 oportunidades para quem tem nível superior para a Controladoria Geral do Município. As vagas são para auditor de controle interno nas áreas de abrangência geral, tecnologia da informação, engenharia civil e engenharia elétrica.  

Salário: até 9.971,56 reais
Inscrições: até 12 de junho pelo site da FCC

CE - Fundação Universidade Estadual do Ceará (FUNECE)
Serão contratados 99 professores entre professores assistentes e adjuntos. É preciso ter nível superior completo.

Salário: 11.793,95 reais
Inscrições: até 15 de junho pelo site da UECE

PE - Prefeitura de Vicência
São 119 oportunidades para todos os níveis. Há vagas para procurador municipal, médico, enfermeiros, psicólogo, nutricionista, assistente social, biomédico, fiscal ambiental, entre outras.

Salário: 7.700 reais
Inscrições: até 28 de junho pelo site Conpass 

TO - Prefeitura de Taipas
São 66 oportunidades para todos os níveis de escolaridade, inclusive para enfermeiro, assistente social, engenheiro ambiental, engenheiro civil, psicólogo, médico, odontólogo, farmacêutico/bioquímico, fisioterapeuta e professor.

Salário: até 8 mil reais
Inscrições: até 4 de junho pelo site do Icap

AL - Tribunal de Justiça de Alagoas
São 20 vagas para juiz substituto. Para concorrer é preciso ser bacharel em Direito, ter menos de 65 anos, ter exercido atividade jurídica pelo período mínimo de três anos.

Salário: 28.773 reais
Inscrições: até 23 de junho pelo site da Fundação Carlos Chagas

AM - Fundação Universidade do Amazonas
Há 6 vagas para nível superior, inclusive para arqueólogo e museólogo. As oportunidades são para trabalharm em Manaus (AM).

Salário: até 6,5 mil reais
Inscrições: até 2 de junho pelo site da Comvest

AM - Tribunal de Contas do Amazonas
São duas vagas para auditor. Para concorrer é preciso ter experiência profissional nas áreas jurídica, contábil, econômica, financeira ou de administração pública.

Salário: 28.947,54 reais
Inscrições: até 26 de junho pelo site da Fundação Carlos Chagas 

AC - Tribunal Regional Eleitoral do Acre
São três vagas e formação de cadastro de reserva em cargos de nível técnico e superior. Há oportunidades para analista judiciário na área administrativa, para as seguintes especialidades: contabilidade (duas vagas) e engenharia (uma vaga), além da área judiciária (formação de cadastro reserva).

Salário: até 8.804,57 reais
Inscrições: até 26 de junho pelo site da AOCP 

AP - Universidade Federal do Amapá (Unifap)
Há 34 vagas para nível superior.

Salário: até 8.639,50 reais
Inscrições: até 31 de maio pelo site da Unifap

Fonte: Exame

Curta nossa página no Facebook



Centec oferece mais de 1.800 vagas em cursos básicos

As inscrições para os cursos do Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) do Instituto Centec já estão abertas. Ao todo, são 1.818 vagas em cursos de Formação Inicial e Continuada em 38 cidades do interior cearense.

As capacitações variam de 40h a 60h aulas e são das mais diversas áreas, como cursos de informática, hospitalidade e lazer, informação e comunicação, culinária, gestão e administração, e até uma qualificação em técnicas avançadas de tatuagem.

Todos os cursos estão previstos para iniciarem suas atividades em junho e julho deste ano. A relação completa das capacitações, assim como o período e turno das atividades, estão no site da Centec.

Para inscrever-se, basta ser maior de 16 anos e ir até o CVT da sua cidade portando o CPF. As inscrições podem ser feitas na própria unidade até a data de início das aulas ou até o preenchimento das vagas.

No mês de junho, as capacitações estão sendo oferecidas pelos CVTs das seguintes cidades: Acaraú, Amontada, Aracoiaba, Barreira, Beberibe, Boa Viagem, Brejo Santo, Campos Sales, Canindé, Crateús, Fortim, Granja, Groaíras, Horizonte, Icó, Iguatu, Ipaumirim, Ipu, Jucás, Limoeiro do Norte, Maracanaú, Maranguape, Massapê, Mauriti, Missão Velha, Pentecoste, Quixadá, Quixeré, Santa Quitéria, São Benedito, Tabuleiro do Norte, Tauá e Viçosa do Ceará.

Os CVTs do Instituto Centec também realizam ações itinerantes e oferecem cursos de qualificação em outras cidades e comunidades rurais, dentro da região de abrangência, em parceria com prefeituras, associações ou empresas.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Secretaria de Saúde do município promove vacinação contra a gripe neste sábado (30)

A Secretaria de Saúde do Crato por meio da coordenação de Imunização realiza hoje vacinação especial contra a influenza. Estarão abertos para receber a população o  Centro de Especialidades (Grota),  CICA e Fábio Pinheiro no Bairro Seminário além de um posto volante na Praça Siqueira Campos. Todos com atendimento de 8h às 12h.

De acordo com a Coordenadora da Imunização do Crato, Teresa Cristina Brito a secretaria de saúde está disponibilizando a vacina contra a gripe no sábado para quem ainda não tomou possa se fazer presente e preservar sua saúde. “Para aquelas pessoas que por conta do trabalho ou por outro motivo ainda não se vacinaram, aproveitem esse momento” explica.

A campanha tem como público alvo idosos, crianças de 6 meses a 5 anos, mulheres que tiveram filho recentemente, gestantes, trabalhadores da saúde e doentes crônicos que tenham indicação médica.

Assessoria de Imprensa/PMC

Curta nossa página no Facebook


Paim fala em sair do PT:‘Não foi nada do que ouvimos dia e noite durante a campanha’

Após a aprovação, no Senado, das medidas que endurecem a concessão do seguro-desemprego e do abono salarial, o senador Paulo Paim, petista histórico do Rio Grande do Sul, afirmou ao GLOBO que pode deixar o partido. Conhecido politicamente como “defensor dos aposentados”, ele diz que a presidente da República, Dilma Rousseff, faz o contrário do que disse “dia e noite na campanha”. Ontem, após votar contra a orientação do governo, ele já havia dito que poderia tirar uma licença em decorrência da discordância com o Planalto. Paim se diz constrangido com a atuação do governo e qualifica a articulação política com o Congresso como “péssima”.

Como ficou a relação do senhor com o governo Dilma após a votação das medidas do ajuste no Senado?
Há um certo constrangimento. Eu mesmo já havia dito ontem que vou ao Supremo contra a medida do abono salarial. Reafirmei e repito que o governo está indo no rumo errado. É uma situação constrangedora para nós que escrevemos e participamos da constituinte. Ninguém nunca foi contra o abono. E, agora, é nosso governo que atua contra ele. Nosso governo tirar o abono é o fim do mundo.

O senhor já disse que pode tirar licença do mandato. Também pensa em deixar o PT?
Minha situação está ficando muito difícil. Vou esperar para ver como será a votação do fator previdenciário. Já é a terceira vez que o Congresso se posiciona sobre o tema, e eu sempre fui um defensor do fim (do fator previdenciário).

Então há realmente essa possibilidade de o senhor deixar o partido?
Uns falam em licença, outros falam em mudar logo (de partido). É melhor dar tempo ao tempo. Eu fui cobrado por todos os partidos. Muitos falaram comigo sobre o que está acontecendo. Há o pessoal da Rede que conversou comigo. Várias pessoas.

Qual é a avaliação do senhor sobre o atual governo?
Eu digo que há uma decepção minha. Eu fiz campanha para a presidente Dilma Rousseff. Nós, assim como grande parte da população, o que nós vimos logo depois da posse não foi nada do que ouvimos dia e noite durante a campanha.

O senhor concorda com o argumento da oposição segundo o qual houve um “estelionato eleitoral”?
Não vou usar essa fala porque não estou no campo da oposição. Sou governo, mas respeito muito o papel da oposição. No mínimo, nós ficamos muito constrangidos com o que aconteceu com o nosso partido.

Quais partidos já conversaram com o senhor?
Todos.

Todos?
Sim, todos. Alguns, por exemplo: PSOL, Rede, PCdoB, PDT e outros.

Como seria essa licença, caso decidisse ficar no PT?
Eu não consigo ter um discurso quando sou governo e outro quando estou na oposição. Se eu tiver que sair, vou sair. Se for a licença, não participaria mais das reuniões da bancada. Seria uma licença política.

Como o senhor avalia a articulação do governo com o Congresso?
Muito ruim, para não dizer péssima. Por exemplo: esses duas MPs, nem os ministros do governo sabiam dela. Como você baixa sem saber, sem discutir? A terceirização, que é a esculhambação total do trabalhador, não teve articulação. Essas MPs, nós só ficamos sabendo da existência dela pela primeira vez pela imprensa. O momento é muito difícil. Há uma forçação de barra. Ontem, se não fosse o Michel Temer, que falava com cada senador, as MPs tinham caído. Foi uma pressão que eu nunca vi antes.

O que acontecerá a partir de agora com o ajuste?
Se ela vetar (a mudança no fator previdenciário), nós vamos acampar aqui (no Senado) dia e noite para derrubar o veto.

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook






Ceará vai receber verba para a seca, diz Camilo

O governador Camilo Santana, em visita, ontem, à Assembleia Legislativa do Ceará para entregar a mensagem de aumento dos professores da rede estadual, disse que o Governo Federal vai anunciar, nos próximos dias, a liberação de recursos para minimizar problemas ocasionados pela seca no Estado. Segundo o chefe do Poder Executivo, a data do anúncio, que deverá ser feito pelo ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, ainda não foi decidida.

"Os recursos foram garantidos pela presidente (Dilma Rousseff) e pela Casa Civil. O ministro virá aqui anunciar, e espero que isso ocorra nos próximos dias, mas ainda não sei qual será a data", informou Camilo. No domingo passado, ele se reuniu com 13 dos 22 deputados cearenses na Câmara Federal, quando pediu o apoio deles para pressionar o Governo visando mais investimentos para combater os efeitos da seca no Estado.

Na reunião ocorrida no Palácio da Abolição, Santana lembrou que os reservatórios, em 2015, estão com recarga de apenas 0,52% do volume total e pediu aos parlamentares apoio para conseguir repasses de verbas para a Transposição das Águas do Rio São Francisco, compra de máquinas perfuratrizes e conclusão das obras da primeira etapa do Cinturão das Águas.

Na última terça-feira, o ministro Gilberto Occhi afirmou que o Governo Federal deve destinar cerca R$ 150 milhões no abastecimento de água e na implantação de adutoras de engate rápido aos nove estados do Nordeste. O governador disse ainda que os recursos liberados pelo Ministério da Saúde para enfrentar os problemas na área, pouco mais de R$ 25 milhões, não são suficientes para enfrentar a situação atual no Estado. Ele afirmou que está trabalhando, junto com técnicos, em Brasília, para conseguir o resto das verbas.

"Passei o dia todo em Brasília e vou voltar para lá na próxima terça-feira para bater o martelo em torno dos números e a partir daí termos um posicionamento do ministério e da presidente", declarou Camilo.

Ceará Pacífico
O Governo deve instalar, em junho, o programa Ceará Pacífico, que vai trabalhar políticas de integração entre as secretarias para melhoria da Segurança. O modelo foi apresentado por Camilo Santana a representantes do Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa, Defensoria Pública e às polícias do Estado.

A próxima etapa é a formação de um comitê que deve ser montado após a visita do ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, marcada para o próximo mês. "Vamos oficializar o comitê do pacto do Ceará Pacífico e lançar as primeiras ações. O primeiro território será no Vicente Pinzón, integrando urbanismo, escola, saúde. Não tenho dúvidas que esse será o grande caminho, pela experiência em outros países que integraram todas as áreas que têm relação com Segurança Pública", declarou.

Camilo foi questionado sobre a parceria com o prefeito Roberto Cláudio na capital cearense, informando que, isso acontece apenas para ações administrativas e institucionais. "Eleição somente no ano que vem", disse.

O primeiro Batalhão de Divisas no Estado será implantado entre os limites dos estados de Pernambuco e Paraíba até julho. No mesmo mês, Camilo pretende lançar o Rondas de Ações Intensivas e Ostensiva (RAIO) na região do Cariri, assim como a instalação do Ciopaer. Em setembro ou outubro, o governador deve inaugurar o Batalhão de Divisas na região Norte e, a partir de janeiro, em outras localidades divisórias do Ceará.

A partir de hoje, o chefe do Executivo inicia visitas aos municípios do Estado, no Governo Itinerante. As primeiras cidades visitadas serão Crateús e Camocim. Além de participar dos encontros, Camilo vai participar do congresso estadual do PT.

Professores
O projeto que amplia a 13,01% o reajuste de do salário dos professores estaduais neste ano começou a tramitar ontem, na Assembleia, após ser entregue em mãos pelo governador Camilo Santana (PT) para a apreciação dos parlamentares. Segundo o governador, a medida inclui o reajuste de 6,45% concedido no início do ano e iguala o piso do magistério cearense ao piso nacional, beneficiando mais de 48 mil docentes.

Acompanhado pela vice-governadora Izolda Cela (PROS), pelo secretário de Educação, Maurício Holanda, e pelo presidente do sindicato Apeoc, Anízio Melo, que representa os professores estaduais, Camilo apontou as dificuldades que outros estados do País estão tendo para respeitar o piso dos docentes. "Há a decisão (de aumentar a despesa), mas, muitas vezes, não há aumento na receita (para compensar)", apontou.

De acordo com o governador, apesar de o Estado do Ceará também estar passando por dificuldades financeiras, o diálogo aberto com a categoria e as reuniões de negociação possibilitaram a concessão do aumento salarial. "Desde janeiro tenho me sentado com representantes do sindicato Apeoc. Através de muitas discussões, construímos o caminho para atender às reivindicações da categoria", relembrou. Com a mudança, o piso será de R$ 2.840,16.

Camilo destacou ainda ações já executadas pelo seu governo em benefício dos docentes, como a concessão do auxílio alimentação a mais de quatro mil professores temporários da rede pública e a prorrogação do concurso público para o magistério estadual. Outra medida tomada pelo Executivo foi a convocação de 212 concursados para tomar posse do cargo e suprir carências do sistema público de ensino.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Barbalha (CE): Juiz disciplina presença de crianças e adolescentes em eventos festivos

O juiz Renato Esmeraldo Paes, da Vara da Infância e da Juventude de Barbalha, regulamentou a participação de crianças e adolescentes nas festas de Santo Antônio, padroeiro de município, distante 525 quilômetros de Fortaleza. A medida consta na Portaria nº 06/2015, publicada no Diário da Justiça dessa quarta-feira (27/05).

De acordo com documento, proprietários e responsáveis por estabelecimentos de diversão (bares, restaurantes, lanchonetes, bailes e festas em geral) deverão afixar, em local visível e de destaque, cartaz alertando sobre a proibição da venda de bebidas alcoólicas a menores de idade.

Também estabelece que hotéis, motéis, pensões, pousadas e congêneres estão proibidos de hospedar menores de 18 anos, salvo se acompanhados dos pais ou responsáveis ou mediante autorização judicial. Cabe aos estabelecimentos desenvolver mecanismos necessários para a verificação da idade de clientes.

Ainda segundo a portaria, fica expressamente proibido o acesso de menores de 16 anos, desacompanhados dos pais ou responsáveis, em festividades públicas, clubes, discotecas e congêneres. Representantes e responsáveis, assim como as crianças e adolescentes, deverão portar documentos de identificação oficial. Tutores e guardiões deverão ainda exibir os termos de tutela ou guarda.

A medida estabelece também o livre acesso de representantes do Juizado da Infância e da Juventude em estabelecimentos ou eventos no Município de Barbalha com o objetivo de fiscalização.

Fonte: TJ-CE

Curta nossa página no Facebook



Número de fumantes cai 30,7% em nove anos no Brasil

Dados divulgados nesta quinta-feira pelo Ministério da Saúde revelam que 10,8% dos brasileiros com mais de 18 anos são fumantes. Em 2006, quando a pasta começou a acompanhar a prevalência de tabagismo no país, 15,6% da população fumava. Desde então, o número de fumantes registrou queda de 30,7%.

Apesar da redução, a prevalência de tabagismo permanece maior entre os homens: a taxa era de 19% em 2006 e foi para 12,8% em 2014. Entre as mulheres, o índice caiu de 12% para 9% no mesmo período.

Os números fazem parte da pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico). Segundo o levantamento, Porto Alegre foi a capital com maior índice de tabagismo no país, com 16,4%. Já São Luis foi a capital que registrou a menor prevalência de fumantes, com 5,5%.

Um dos principais motivos para a queda do consumo de tabaco no Brasil foi o aumento do preço do cigarro. Entre os fumantes, 62% responderam que já pensaram em parar de fumar devido ao valor do produto.

Além disso, o preço alto também está relacionado à redução do fumo entre os jovens, já que cerca de 80% dos fumantes iniciam o hábito antes dos 18 anos. Segundo o Vigitel, o consumo de cigarro entre pessoas de 18 a 24 anos é de 7,8%. Entre os mais velhos, com idades entre 45 e 54 anos, esse número sobe para 13,2%.

"A política de preços é determinante para coibir o uso e a iniciação ao tabagismo. Outras ações importantes são a proibição da propaganda do cigarro e do fumo em ambientes coletivos, além da oferta crescente de tratamento para quem quer deixar de fumar", afirmou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

Outro estudo, realizado pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), mostrou que houve um aumento no número de brasileiros que consomem cigarros de origem ilícita. Em 2008, 2,4% dos fumantes obtinha cigarro do mercado ilegal. Em 2013 o percentual passou para 3,7%.

"A redução do consumo de cigarro deve ser comemorada, mas o crescimento do consumo de cigarros ilícitos merece atenção. Sendo legal ou ilícito, o cigarro faz mal à saúde e precisa ser combatido", disse Chioro.

O tabagismo é um fator de risco para o desenvolvimento de vários tipos de câncer, doenças pulmonares e cardiovasculares. No Brasil, o tabagismo é responsável por 200 000 mortes por ano. Atualmente, o consumo do tabaco continua sendo a principal causa de mortes evitáveis.

Fonte: Veja

Curta nossa página no Facebook



Febre aftosa: Adagri registra baixa vacinação dentro do prazo

Apesar dos criadores terem até o dia 15 de junho para confirmarem aos órgãos oficiais do Estado o número de animais vacinados, a apenas dois dias do prazo regular de vacinação pouco mais de 40% confirmaram a imunização. Por esse motivo, a Secretária do Desenvolvimento Agrário (SDA) alerta para a necessidade de os produtores rurais agilizarem a proteção dos seus rebanhos. Além de transtorno, deixar a vacinação para última hora pode também acarretar prejuízos financeiros.

No ano passado, o Ceará foi reconhecido internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como zona livre de febre aftosa com vacinação. Na primeira fase da campanha, em maio, o índice foi de 94,56%. Em Novembro, na segunda etapa, foi praticamente o mesmo, 93,79% do rebanho foi imunizado. O governo quer manter, e, se possível, até superar esses percentuais neste ano.

Alerta
Por esse motivo, o coordenador estadual da vacinação contra a febre aftosa, Joaquim Sampaio, da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri), alerta os proprietários de animais que restam apenas dois dias para comprarem a vacina dentro do prazo. Eles devem tomar cuidado porque o mês se encerra no domingo, quando muitos estabelecimentos comerciais não funcionam e os que estiverem abertos podem não ter estoque da vacina.

"Quem não comprar o antídoto contra a doença infecciosa até o dia 31 será obrigado a seguir até uma das unidades da Adagri para conseguir a autorização para adquirir o produto nas lojas especializas e, ao mesmo tempo, receber um Auto de Infração por cada animal não vacinado. A multa é de cinco Ufirs, o equivalente a R$ 16. O mesmo valor será cobrado por cada animal não declarado. O prazo limite para confirmação da vacinação nesta primeira fase é dia 15 de junho", ressaltou.

Imunização
Segundo dados apresentados pelo coordenador, o rebanho bovino atual do Ceará é de 2.579.000. Apenas 1.500 são bubalinos. A maior concentração do gado está no Centro-Sul, com 484.384 cabeças, onde 50,45% já confirmaram a vacinação. A Segunda está no Sertão Central, incluindo o sertão de Canindé, com 406.602 animais e 46,20 % de confirmação da imunização. O Cariri vem em terceiro, com 396.911, onde 50,58% também registraram imunização. A Zona Norte concentra 324.492 bovinos com 45,8% de vacinação registrada. Em último está o Sertão de Crateús, com 311.455 e 50% vacinado.

Em Quixeramobim, onde, também está concentrada a maior bacia leiteira do Estado, o secretário municipal de Agricultura e Recursos Hídricos, Célio de Oliveira, confirma o hábito dos pecuaristas em deixar para comunicarem aos órgãos oficiais acerca da vacinação dos seus rebanhos às vésperas do término do prazo. Entretanto, sua secretaria, juntamente com técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce) está reforçando a campanha e pretende, inclusive, superar os 90% de imunização do ano passado.

Dados da Adagri apontam que atualmente Quixeramobim está com 86.582 bovinos. Desse total, 53,7% já tiveram a vacinação confirmada.

Alimentação e dívidas
Entretanto, para os criadores, como o pecuarista Cirilo Vidal, atualmente a vacinação é o menor dos problemas. Está faltando alimentação para os animais e o governo federal não está mais subsidiando o milho. A saca de 60 Kg está sendo comercializada a média de R$ 37. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vendia a R$ 21. Antes do fim do ano, muitos terão o seu aporte reduzido e ficarão ainda mais endividados. No Nordeste, são praticamente um milhão de endividados.

Muitos estão correndo o risco até de perderem suas propriedades para os bancos oficiais. Conforme Vidal, em 2012 o governo federal havia sancionado uma lei para parcelamento das dívidas, dos empréstimos bancários. O prazo para sancioná-la expira no fim deste ano.

Mas agora eles querem liquidar as dívidas com base no valor retirado dos financiamentos, num prazo de 20 anos. Um grupo de representantes de todo o Nordeste seguirá para Brasília no início de junho. Ele será um dos representantes do Ceará. "Queremos flexibilização e assegurar um acordo justo. Sem rebanho a Adagri não precisará mais se preocupar com a vacinação contra a aftosa", acrescentou Cirilo Vidal.

Mais informações
Adagri
Av. Bezerra de Menezes, 1820 - Fortaleza
(85) 3101-2500

ALEX PIMENTEL
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Barbalha (CE): Aplicativo rastreia Pau da Bandeira na festa de Sto. Antônio

A tradicional festa de Santo Antônio, em Barbalha, no interior do Ceará, conta agora com aplicativo gratuito que acompanha o cortejo do Pau da Bandeira desde o seu corte até o hasteamento. Desenvolvida durante 10 dias por dois cearenses, a ferramenta disponibiliza notícias sobre a festa, além de indicações para hospedagem e alimentação na cidade. A aberrura das festividades ocorre no domingo (31).

O cortejo do Pau da Bandeira é um dos pontos altos da festa de Santo Antônio, conhecido como o ''santo casamenteiro''. Segundo a tradição, no primeiro dia Festa, às 5h, os devotos vão a um sítio no pé da serra do Araripe, a 6 quilômetors da igreja matriz, e carregam o tronco nos ombros para ser erguido em frente à igreja com a bandeira de Santo Antônio. Centenas de homens são necessários para a retirada e transporte do mastro de madeira. Na tradição, a mulher que tocar no pau da bandeira ou beber chá da casca do tronco conseguirá um companheiro em até um ano.

O designer Rui Patrício e o analista de sistemas Charllison Policarpo, desenvolveram juntos o aplicativo “Festa de Santo Antônio Barbalha”, disponível para download gratuito na PlayStore para dispositivos móveis com sistema Android, há quase um mês. Segundo Rui, é o primeiro aplicativo desenvolvido pela dupla que virou empresa. “Charllison trabalhava com isso no Recife, e quando ele veio, montamos uma pequena empresa, a Pixel 3000 mobile. Esse aplicativo durou uns 10 dias de desenvolvimento” conta.

A ideia surgiu, segundo um dos idealizadores, movida pela atual tendência da criação de aplicativos e da vontade de divulgar a festa de forma inovadora. “Hoje as pessoas preferem aplicativos do que sites de cobertura. Quem acompanha quer saber onde o Pau da Bandeira está. É algo a mais pra divulgar a programação da festa” explica Patrício.

Patrício comenta que as solteironas que apostam na crença podem contar agora com a nova ferramenta. "A gente até postou na nossa página, 'nova simpatia para Santo Antônio: baixar aplicativo e acompanhar o Pau da Bandeira através do rastreamento'”, brinca.

Há quase um mês disponível para download, o aplicativo possui mais de 900 adeptos e deve ganhar força nos dias mais próximos à festa que estima um público em torno de 200 mil pessoas. “Os downloads estão dentro da expectativa. Foi bem rápido pra chegar a esse número. Eu acredito que está sendo bem aceito e deve ganhar uma visibilidade maior” afirma Patrício.

Dentre as funcionalidades do app, estão também indicações de “onde ficar”, com hotéis e pousadas, “onde comer”, com restaurantes e lanchonetes, além de notícias relacionadas à festa da cidade e cobertura do evento. “Pretendemos dar continuidade à ideia, tornar parte da tradição” destaca Patrício.

A dupla tem contado ainda com a parceria de um provedor de internet de Barbalha para a liberação de sinal WiFi público para as pessoas conferirem o aplicativo. “Estamos trabalhando dia e noite na tentativa de fazer um streaming com cinco câmeras pela cidade. A Iknet liberou 200 mega cidade inteira wifi gratuito, pras pessoas baixarem o aplicativo” conta Rui Patrício.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook



Addthis