Rio 2016: Temer reduz seu discurso na abertura da Olimpíada a 10 segundos e é vaiado

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro foram oficialmente abertos por uma cerimônia de quatro horas e um discurso de menos de dez segundos. Michel Temer, presidente interino do Brasil, cumpriu com sua obrigação e anunciou o início da Olimpíada, mas mas o fez com uma única frase: "Depois desta maravilhosa festa, declaro inaugurados os Jogos Olímpicos de Rio, que se celebram na trigésimo primeira olimpíada da era moderna"- cujo final mal se escutou por causa das vaias. O conservador Temer ostenta a presidência enquanto se decide o futuro político da presidenta eleita, Dilma Rousseff, afastada do poder por um processo de impeachment que ainda terá seu capítulo final neste mês. Enquanto isso, ele e seu Governo arrastam uma aprovação de 14%.

As poucas palavras do presidente interino puseram fim a semanas de grande especulação no Brasil sobre como e quando Temer enfrentaria uma arena como o Maracanã. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, a organização planejava subir o volume da música ou lançar mão de algum efeito sonoro para abafar o som das vaias. À tarde,  o Rio de Janeiro já havia registrado protestos contra o Governo. Chegada a noite, as redes sociais debatiam se Temer se atreveria a falar. Que ele passasse a cerimônia não na primeira fila, mas num assento algo apartado e por trás do presidente do COI, Thomas Bach, dificilmente ao alcance das câmeras, não ajudou a acalmar os rumores. Também não  ajudou que ele resolvesse pular uma parte do roteiro previsto no guia da cerimônia distribuído aos jornalistas para aparecer só ao final de tudo.

A festa não teria como ser cômoda para Temer. Dilma Rousseff declinou o convite - e se manifestou amargamente no Twitter nesta sexta. O mentor dela, o também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, também não foi, assim como outros ex-mandatários. Temer estrelou uma das cerimônias com menos chefes de Estado da história recente: só 45 presidentes ou chefes de Estado dos aíses participantes dos Jogos foram (menos da metade de Londres 2012). Também não foram vários mandatários sul-americanos, aliados históricos do Partido dos Trabalhadores de Dilma Rousseff, por medo a legitimar com sua presença o Governo interino. Se a estratégia de redução de danos diminuiu a duração da vaia, o ecos da rejeição se fizeram sentir em outros campos. Nos bastidores, uma das estrelas da festa, Caetano Veloso, se fez ver nas redes sociais com um cartaz "Fora, Temer".

Fonte: El País

Curta nossa página no Facebook



Alceu, Elba e Geraldo Azevedo confirmam turnê do Grande Encontro em Pernambuco

Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo, que se uniram homenagear os 20 anos de O Grande Encontro, vão trazer o show para o Recife. A apresentação será no dia 2 de dezembro, no Classic Hall, em Olinda. Outras duas datas estão agendadas no Rio de Janeiro, sem a presença de Zé Ramalho, nos dias 17 e 18 de setembro, no Metropolitan.

No palco, os artistas prometem reverenciar o projeto de sucesso que vendeu mais de 2 milhões de cópias. O Grande Encontro foi gravado durante um show acústico no estádio do Canecão, no Rio de Janeiro. No repertório estão canções de sucesso como Táxi lunar, Coração Bobo, Sabiá, Talismã e Pelas ruas que andei.

Entre os fãs, a ideia da homenagem foi bem recebida. Muito internautas solicitaram a apresentação em outras cidades como Recife, Belém do Pará e São Paulo. Os ingressos no Rio de Janeiro custam a partir de R$ 60 (mesa lateral) e podem chegar a R$ 260 (camarote, com direito a meia entrada), estando disponíveis no site da Tickets4Fun. Localizada na Barra de Tijuca, a casa de shows tem capacidade de aproximadamente 3.120 lugares.

Nas redes sociais, os cantores Alceu Valença e Elba Ramalho já deram uma prévia do que será o reencontro. Eles transmitiram uma conversa na qual discutem o repertório e tocam e cantam algumas músicas ao vivo no Facebook.

Fonte: Diário de Pernambuco

Curta nossa página no Facebook



Conheça o protótipo do novo iPhone 7 Plus

Um dos canais de tecnologia mais populares do YouTube, o Unbox Therapy, que conta hoje com mais de 5 milhões de inscritos, divulgou nesta quarta-feira um vídeo com as novidades do próximo celular da Apple. No vídeo, Lewis Hilsenteger mostra em detalhes as principais alterações de hardware e de aparência do iPhone 7 Plus.

No vídeo, Hilsenteger afirma ter recebido o protótipo da empresa chinesa desenvolvedora do aparelho em primeira mão.

O modelo, cujo lançamento está previsto para setembro, quando a companhia americana costuma apresentar seus produtos, deve vir com uma tela 5,5 polegadas maior do que o modelo atual, com uma câmera de lente dupla e sem entrada para fone de ouvido, tudo isso em um aparelho 0,04 milímetros mais fino que o atual, que tem 7,18 milímetros.

Assista ao vídeo com as possíveis novidades do novo aparelho:



Fonte: Veja

Curta nossa página no Facebook



Rio 2016: Jogos não traduz realidade brasileira, marcada pela crise política e desrespeito ao meio ambiente, diz imprensa alemã

A imprensa alemã destaca a empolgação do público e a simplicidade da cerimônia oficial de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que inundou o estádio do Maracanã em cores nesta sexta-feira (05/08).

A festa deu uma trégua ao pessimismo diante das falhas na preparação da Olimpíada e a crise política, mas expôs cinismo: o Brasil retratado no evento fica num plano idealista, em meio a crimes ambientais, o processo de impeachment e a violência.

Der Spiegel: Empolgação – e zombaria
Um evento "colorido, alegre e perfeito", que não mostra a realidade do país que recebe os Jogos. A revista alemã classifica o principal tema do evento de abertura – a sustentabilidade – como "zombaria", citando a poluição das águas do Rio de Janeiro, a inauguração de um campo de golpe numa reserva ambiental na Barra da Tijuca e o sacrifício de uma onça depois do desfile da Tocha Oímpica em Manaus.

O entusiasmo do público era evidente mesmo depois de quatro horas de cerimônia, diz a publicação, mas se converteu em vaias quando o "extremamente impopular e controverso" presidente interino, Michel Temer, anunciou a icônica frase de abertura dos Jogos.

Die Welt: Recepção calorosa, apesar do 7 a 1
A entrada da equipe olímpica brasileira fez o público esquecer a tensão e pessimismo na véspera do início dos Jogos. Teve "dança, canto e confete", mesmo em meio à crise política, e uma recepção calorosa para a equipe olímpica alemã, "apesar do 7 a 1", destaca o jornal. Uma cerimônia colorida, que por sua simplicidade em relação a outras aberturas de Olimpíadas, encantou os espectadores. O desfile da modelo Gisele Bündchen, vestida de prata, foi um dos pontos altos do evento.

Süddeutsche Zeitung: Gisele e o homem ao piano
O orçamento reduzido para a cerimônia de abertura exigiu improviso. "Apesar de todas as restrições, foi uma festa magnífica", escreve o jornal. A melodia suave de Paulinho da Viola ao cantar o hino nacional e milhares de luzes de celular na arquibancada impressionaram o público. Os trajes típicos usados por atletas olímpicos de diferentes países chamaram a atenção. A entrada da Rússia, após o escândalo de doping, foi acompanhada de aplausos e vaias. A noite, marcada por festa e dança, foi coroada pelo desfile de Gisele Bündchen ao som de Garota de Ipanema ao piano.

Frankfurter Allgemeine Zeitung: Olimpíadas começam como um sonho
A abertura repleta de bom humor, música e dança fez o Rio de Janeiro esquecer dos problemas para a preparação dos Jogos. A bossa nova, o samba e as vozes das favelas deram alívio à dor e ao sofrimento. Gisele Bündchen cruzou a maior passarela da sua carreira, diz a publicação.

Fonte: DW

Curta nossa página no Facebook



Proposta de reforma trabalhista de Temer prevê fim de férias e 13º salário

A proposta de reforma trabalhista que está sendo desenhada pelo Palácio do Planalto prevê a flexibilização de direitos assegurados aos trabalhadores no artigo 7º da Constituição Federal - que abrange um conjunto de 34 itens - desde que mediante negociações coletivas. Segundo um interlocutor, a ideia é listar tudo o que pode ser negociado para evitar que os acordos que vierem a ser firmados por sindicatos e empresas após a mudança nas regras possam ser derrubados pelos juízes do trabalho.

Farão parte dessa lista os direitos que a própria Constituição já permite flexibilizar em acordos coletivos como jornada de trabalho (oito horas diárias e 44 semanais), jornada de seis horas para trabalho ininterrupto, banco de horas, redução de salário, participação nos lucros e resultados e aqueles que a Carta Magna trata apenas de forma geral e foram regulamentados na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Estão neste grupo, férias, 13º salário, adicional noturno e de insalubridade, salário mínimo, licença-paternidade, auxílio-creche, descanso semanal remunerado e FGTS.

Já a remuneração da hora extra, de 50% acima da hora normal, por exemplo, não poderá ser reduzida porque o percentual está fixado na Constituição; licença-maternidade de 120 dias e o aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo de no mínimo 30 dias também. Para mexer nesses direitos, é preciso aprovar uma Proposta de Emenda à Constitucional (PEC) - o que seria uma batalha campal no Congresso. Outros direitos como seguro-desemprego e salário-família, citados no artigo 7º, são considerados previdenciários e não trabalhistas e por isso, não poderiam entrar nas negociações.

Na prática, tudo o que estiver na CLT poderá ser alvo de negociação. Há muitos penduricalhos que não aparecem na Constituição e são motivos de reclamações contantes, como por exemplo, o descanso para almoço de uma hora (se o empregado quiser reduzir o tempo e sair mais cedo, a lei não permite). Outros casos que poderiam ser acordados dizem respeito à situações em que o funcionário fica à disposição dos patrão, fora do expediente sem ser acionado e o tempo gasto em deslocamentos quando a empresa busca os trabalhadores - considerados hoje como hora extra.

Sindicatos querem mais poder de negociação
A estratégia do governo é colocar na lei tudo o que pode ser negociado e deixar de fora o que não pode para evitar que a justiça trabalhista amplie a relação com novos direitos, inviabilizando assim qualquer acordo, explicou um técnico. Fortalecer a negociação coletiva é outro argumento do Executivo, diante de inúmeros casos em que o sindicatos e empresas fecham o acerto e depois os juízes do trabalho anulam, determinado o cumprimento da lei ao pé na letra e pagamento de indenizações.

- O projeto vai delimitar os parâmetros e limites da negociação coletiva, dando aos acordos força de lei. O foco é oferecer segurança jurídica na relação capital e trabalho - disse ao GLOBO o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, que está discutindo o tema com as centrais sindicais.

Segundo ele, a questão já está bem encaminhada com consensos importantes: para fechar acordos é preciso aumentar o poder de negociação dos sindicatos, o que exige uma miniirreforma sindical, junto com a flexibilização da CLT. As centrais defendem que a proposta inclua a representação sindical no local de trabalho; o reconhecimento da autoridade do delegado sindical para fazer a mediação de conflitos e a livre sindicalização dos funcionários. Outro pleito é que somente entidades com representatividade (determinado percentual de associados) possam fechar acordos - que terão ser validados por assembleias de trabalhadores.

O secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves (o Juruna), disse que as centrais não vão se colocar contra à reforma, desde que a proposta seja pautada pelo fortalecimento da negociação coletiva. Ele destacou que em outros países não existe uma CLT como no Brasil, apenas uma legislação básica. Mas, isso não impede uma boa relação entre capital e trabalho, explicou, porque os acordos coletivos realmente funcionam.

- Aqui, tanto empresas quanto sindicatos terão que rever suas posições. As empresas vêem os sindicatos como inimigos e os sindicatos, por sua vez, terão que sair da inércia, ser mais atuantes para fechar os acordos - disse Juruna, citando como um bom exemplo a negociação do reajuste salarial dos bancários realizada em âmbito nacional, juntando funcionários de bancos públicos e privados.

Para o secretário-nacional da CUT, Sérgio Nobre, somente há negociação quando as forças são equilibradas. Ele reafirmou que a entidade vai negociar a reforma trabalhista com o governo depois do desfecho do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff. Contrariando a posição da entidade até então, Nobre disse que a CUT "não nasceu para defender governo", mas os trabalhadores brasileiros.

- Se o empresário pode tudo, ele não vai negociar. Para quê? É preciso criar condições para que os acordos aconteçam - disse Nobre, acrescentando: - Se a negociação coletiva existir de fato, o Estado não precisa intervir na relação entre trabalhadores e empresas.

A União Geral dos Trabalhadores (UGT), realiza na próxima semana uma reunião de âmbito nacional sobre o tema e a tendência da entidade é apoiar a reforma trabalhista. As maiores centrais já estão costurando um posicionamento conjunto para ser apresentado ao governo.

- Nós apoiamos, desde que a reforma venha amarrada com a valorização do acordo coletivo para evitar a precarização dos direitos dos trabalhadores - disse o presidente da Central, Ricardo Patah.

Objetivo da CLT é 'tutelar o mais fraco’
Para o professor da Faculdade de Economia Administração e Contabilidade (FEA/USP), José Pastore, o pleito das centrais é legitimo e deveria ser incluído na Constituição para evitar que os acordos realizados sejam anulados pela Justiça. Ele, no entanto, vê polêmica na representação sindical no local de trabalho porque muitas empresas são contrárias. Na visão do consultor da comissão de orçamento da Câmara dos Deputados, Leonardo Rolim, as medidas sugeridas podem ajudar na aprovação na reforma, no sentido de evitar que sindicatos de fachada façam acordos prejudiciais aos trabalhadores.

- Acho que faltou isso na proposta de reforma de flexibilização da CLT enviada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (que foi engavetada no Senado) - disse Rolim, que fazia parte do governo à época.

O tema divide o atual governo. Há quem defenda que a reforma valha apenas para os trabalhadores que ganham salários mais altos (acima de três salários mínimos). Outros, apenas uma modernização da CLT, sem mexer com direitos, como férias e 13° salário, por exemplo. No Planalto, a visão é mais radical na linha de que o acordado possa prevalecer sobre o legislado.

O procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Fleury, disse que, ao contrário do que se fala, a CLT vem sendo atualizada ao longo dos últimos anos, apesar de ter sido criada na década de 40. Segundo ele, assim como ocorre com a maioria dos países, a legislação trabalhista brasileira tem por objetivo "tutelar o mais fraco".

- A negociação sobre o legislativo é algo perigoso. Quando vemos, na imprensa, um movimento para reduzir o horário de almoço para quinze minutos, alegando que é mais do que suficiente... Ora, biologicamente, quando a pessoa acaba de comer, vem o sono. Há a indução ao sono, que é própria do processo digestivo. Imagine se esse trabalhador que acabou de comer vai operar um guindaste. Ele come rápido, volta, sobe numa máquina e opera um guindaste de 40 toneladas - afirmou. - As empresas querem produção. Para produzir, ela tem duas opções, ou contrata mais ou exige mais dos trabalhadores.

Fleury defendeu a reforma do atual sistema sindical. Uma de suas propostas é permitir que os trabalhadores brasileiros possam escolher os sindicatos que melhor os representem.

- É preciso acabar com a reserva de mercado. Por que, por exemplo, o jornalista só pode ter um sindicato? - perguntou.

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook



Jovem é internada com trombose devido ao uso de anticoncepcional

Após sentir fortes dores de cabeça, perder temporariamente o movimento de uma das mãos e pernas e esquecer como realizar ações básicas do cotidiano, a universitária Juliana Bardella, de 22 anos, foi internada em um hospital de São Paulo onde permaneceu por 15 dias – três deles na UTI. O diagnóstico? Trombose venosa cerebral devido ao uso prolongado de pílula anticoncepcional.

Embora o risco do problema devido ao uso de contraceptivos orais, em especial os que contém o hormônio drospirenona, seja conhecido, as pacientes ainda são pouco alertadas. Segundo Juliana, ela tomou o anticoncepcional Yaz, da Bayer, durante cinco anos. Nesse período, ela foi a três ginecologistas diferentes que nunca mencionaram o aumento do risco de trombose devido ao uso do medicamento.

Segundo Eduardo Zlotinik, ginecologista do hospital Albert Einstein, em São Paulo, todo método hormonal tem impacto na coagulação sanguínea, aumentando o risco de trombose. Mas, um estudo britânico publicado no ano passado no periódico científico The BMJ mostrou que as pílulas modernas – surgidas a partir da década de 1990 -, principalmente aquelas que têm composição com drospirenona (como o Yaz), o desogestrel, o gestodeno e a ciproterona, aumentam em até quatro vezes a formação de coágulo sanguíneo grave.

Os hormônios da pílula interferem no sistema circulatório da mulher de diversas formas. O composto aumenta a dilatação dos vasos, a viscosidade do sangue e, consequentemente, a coagulação. Com essas alterações, é possível que sejam formados coágulos nas veias profundas, localizadas no interior dos músculos. Em geral, os coágulos se formam nas pernas, mas podem se alojar nos pulmões, formando um bloqueio potencialmente fatal, ou ainda se mover para o cérebro, provocando um acidente vascular cerebral (AVC).

Médicos e especialistas ressaltam que nem todas as pacientes estão em risco. Mulheres que sofrem de enxaqueca, fumam e têm histórico de trombose na família, possuem um risco 20 vezes maior de ter um acidente vascular cerebral. Ou seja, no caso delas, nada de pílula moderna.

No entanto, mesmo em mulheres sem fatores de risco, como Juliana, a trombose pode acontecer. Segundo a jovem, ela não tem histórico familiar, não fuma, não tinha predisposição para trombose e seus exames de sangue sempre estavam normais. E mesmo assim, teve o problema. Por isso, é preciso estar alerta aos primeiros sintomas.

Dor de cabeça persistente
Segundo um relato de Juliana publicado no Facebook na quarta-feira, tudo começou com uma pequena dor de cabeça, que se agravou por três semanas até ficar insuportável. Em seguida, ela acordou sem conseguir mexer uma perna nem uma das mãos. A jovem, que mora em Botucatu, onde cursa medicina veterinária na Unesp conta que, quando a dor de cabeça atingiu um nível insuportável, ela foi a um hospital da cidade. Entretanto, a médica que a atendeu apenas deu o diagnóstico de enxaqueca e receitou alguns analgésicos.

Dois dias depois, a jovem acordou para ir a aula e notou que sua perna e mão direta não respondiam aos comandos e que ela já não se lembrava como realizar tarefas cotidianas como usar o banheiro, comer e mexer no celular. Com a ajuda das amigas, Juliana conseguiu contatar seus pais – que moram em outra cidade. Eles então levaram imediatamente para um hospital da capital paulista – distante cerca de 230 km de Botucatu. Uma ressonância revelou a trombose venosa cerebral, uma doença que pode deixar sequelas graves em cerca de 15% dos casos e levar à morte 6% a 15% dos pacientes.

Como a jovem não têm predisposição para o problema e seus exames de sangue estavam normais, os médicos concluíram que a trombose ocorreu devido ao uso prolongado do anticoncepcional. Hoje, um mês e meio após a internação, Juliana ainda tem pequenas alterações na visão, terá que tomar anticoagulantes por um tempo e abandonar os anticoncepcionais orais.

A jovem contou também que depois de passar pelo problema, se deparou com diversas outras histórias semelhantes e, embora não seja contra o anticoncepcional, reforça a importância das mulheres que tomam manterem-se informadas sobre os riscos.

Efeito colateral comprovado
Em nota ao G1, o laboratório Bayer, fabricante do Yaz, informou que a empresa segue a decisão da Comissão Europeia, que concluiu que “os benefícios dos contraceptivos hormonais combinados na prevenção da gravidez não planejada continuam a superar os riscos e que a possibilidade de tromboembolismo venoso (TEV), associada ao uso de contraceptivos hormonais combinados, é pequena”.

Embora especialistas destaquem que o índice absoluto de casos de trombose associado ao uso de contraceptivos orais é baixo, a trombose é um efeito colateral comprovado. Por isso, a escolha do método contraceptivo deve ser individualizada e decidida pela paciente em conjunto com um ginecologista.

Os métodos contraceptivos hormonais ainda são os mais utilizados no Brasil e podem ser encontrados em diferentes apresentações: oral, injetável, adesivo e implante – que agem impedindo a ovulação – ou o dispositivo intrauterino (DIU), com ação hormonal local. Estima-se que 25% das brasileiras utilizem anticoncepcionais por via oral, enquanto 30% das mulheres em idade reprodutiva optam pela laqueadura.

Fonte: Veja.com

Curta nossa página no Facebook



77,7% dos municípios do Ceará são atendidos por carro-pipa

Com 143 municípios na relação da Operação Carro-Pipa, empreendida pelo Exército Brasileiro, o Ceará tem 77,7% das zonas rurais das cidades com abastecimento hídrico dependendo da chegada desses veículos. Ao todo, 1.665 caminhões são utilizados para distribuir água potável a 970 mil cearenses das áreas afetadas pela seca. A média de investimento mensal é de R$ 21,5 milhões.

A operação é desenvolvida por meio de cooperação técnica e financeira entre dois ministérios: Integração Nacional e Defesa. A execução do programa - incluindo contratação, seleção, fiscalização e pagamento dos pipeiros - é de responsabilidade do Comando de Operações Terrestres do Exército Brasileiro (Coter). As áreas urbanas são atendidas pelos carros coordenados pela Defesa Civil Estadual. O carro-pipa do Exército atende municípios grandes, como Crato, Sobral, Iguatu e Quixadá, além dos localizados na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), como Caucaia, Cascavel, Chorozinho e Pacajus.

"A relação dos beneficiados sempre varia e depende do Ministério. Ela pode aumentar ou reduzir muito pelos investimentos realizados pelo governo estadual e federal", avalia o coordenador da Operação Carro-Pipa no Ceará, coronel Claudemir Rangel, da 10ª Região Militar.

Nessa semana, o governo federal anunciou repasse da ordem de 789,9 milhões para ações emergenciais. O Ministério da Defesa, por meio do Exército Brasileiro, também receberá aporte financeiro para perfurar e instalar poços profundos em áreas de cristalino e sedimentar.

O objetivo é ampliar e melhorar as ações da Operação Carro-Pipa, operacionalizada pelo Exército, ao reduzir a distância entre a coleta de água e o abastecimento de comunidades afetadas pela seca. "E isso virá nos ajudar a ampliar a perfuração e instalação de poços. Nessa primeira fase, estão em execução 195. Até o fim do ano, serão mais 255, perfazendo um total de 450. A ação cria novo ponto de captação e melhor, com água de boa qualidade. O 1º Grupamento de Engenharia, com sede em João Pessoa (Paraíba) é responsável pelas obras", afirma.

O tempo é um segundo motivo, apontado por ele, para esse trabalho. "Em fonte distante 30Km, por exemplo, o pipeiro conseguia fazer três viagens para as localidades mais próximas e em nascente de 100Km, ele só faz uma viagem. Com isso, temos que contratar mais gente para fazer o percurso, encarecendo a operação", comenta.

A proposta do Comando Militar do Nordeste é substituir alguns pontos de abastecimento ou cisternas, onde a água é transportada por meio de carros-pipas por poços artesianos. A iniciativa possibilitará uma oferta maior de água boa para as populações rurais atingidas pela estiagem e seca há cinco anos.

Quadro
O professor da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e PhD em mudanças atmosféricas, Alexandre Costa, avalia que, numa situação "dramática", como a que se enfrenta hoje, tudo vale para levar água para as comunidades mais afetadas, como a construção de adutoras de engate rápido, perfuração de poços e o carro-pipa. Entretanto, aponta, a qualidade desse recurso é questionável, mesmo com tudo que tem sido feito. "Sei da escavação de poços, mas a água ofertada de locais desconhecidos, pode gerar consequências mais graves, como doenças que podem deixar sequelas para sempre, principalmente em crianças e nos idosos, sem falar no desenvolvimento cognitivo", frisa.

Na sua percepção, o carro-pipa é uma realidade histórica e deve persistir por muito tempo. "Mas é preciso buscar outras fontes confiáveis e garantir que, em momentos como esse, a gente fique buscando soluções paliativas e sem prosseguimento", diz.

A solicitação de atendimento pela Operação Carro-pipa é feita diretamente à Secretaria Nacional de Defesa Civil do Ministério da Integração. A demanda é encaminhada ao Exército, que faz uma avaliação técnica em conjunto com a prefeitura. Constatada a necessidade, o município é incluído na operação e passa a receber água por meio dos carros-pipa contratados pelo governo federal.

No Nordeste, são beneficiadas cerca de 3,9 milhões de pessoas. Para executar a logística, são contratados 6.891 pipeiros que atuam em 79 mil pontos de abastecimento e cisternas coletivas, na proporção de 20 litros de água por pessoa, por dia, apenas para consumo humano.

LÊDA GONÇALVES
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Rio 2016: Temer é vaiado e 'não é lembrado' na abertura dos Jogos Olímpicos

O presidente interino, Michel Temer, foi vaiado por boa parte dos torcedores nas arquibancadas do Maracanã ao declarar abertos os Jogos Olímpicos do Rio. Houve uma tentativa tímida de abafar os gritos e fogos logo em seguida. Ficou claro que Temer tinha razão ao pedir para evitar que seu nome fosse citado na cerimônia.

O momento da vaia foi quando o presidente apareceu pela primeira vez no telão sozinho. Ele ainda pôde declarar os Jogos abertos antes de sofrer os apupos. Isso já vinha se ensaiando desde o início da cerimônia.

Antes disso, o Rio-2016 quebrou o protocolo e não anunciou o nome de Temer juntamente com outras autoridades como o presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), Thomas Bach. A divulgação de seu nome estava previsto no protocolo da cerimônia.

O político seria anunciado como "presidente em exercício" ou interino. Segundo informações da TV Globo, ele pediu para não ter seu nome anunciado.

Antes da festa, houve uma manifestação de protesto ao presidente interino. Um pequeno grupo começou a gritar "Fora Temer" e outro respondeu com uma vaia. Mas era uma parte minoritária do estádio.

Após os desfiles das delegações, o presidente do Comitê Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, fez um discurso sobre o fato histórico que é o Brasil receber os primeiros Jogos da América do Sul. Em determinado momento, ele agradeceu os governos que tornaram possível a Olimpíada.

"Estou orgulhoso da transformação (do Rio). Só pudemos realizar com apoio da população e com apoio dos governos federal, estadual e prefeitura", declarou o cartola. Neste momento, houve uma vaia de determinados setores do estádio. Era para os governantes, mas não ficou claro para quem.


Em nenhum momento, Nuzman ou o presidente do COI, Thomas Bach, citaram o presidente interino Temer. Só mencionaram autoridades brasileiras. O dirigente, ao agradecer o Rio pelos Jogos, ressaltou as dificuldade recentes enfrentadas pelo país.

"Vocês transformaram o Rio em uma metrópole moderna. Nossa admiração por vocês porque conseguiram isso em um momento difícil no Brasil. Nós, honestamente, acreditamos em vocês", discursou Bach. Ele já tinha feito anteriormente em discursos menções à "crise sem precedentes" no Brasil.

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook



Juazeiro do Norte (CE): Cores vivas e muitos santos destacam as casas do Horto

Na residência de Rosalva Conceição Lima, a Dona
Rosinha, são incontáveis os santos e imagens que contrastam
 com as paredes de rosa vivo (Foto: André Costa) 
O íngreme caminho até a chegada à Colina do Horto, neste município, distante 530Km de Fortaleza, reserva um cenário peculiar. A ladeira do Horto, como a rua é conhecida, é ladeada por casas de cores vibrantes e paredes internas revestidas de imagens de santos, fitas, terços e retratos - alguns do século passado - e, claro, esculturas dos mais diversos tamanhos do Padre Cícero, patriarca juazeirense.

O sacerdote é, inclusive, "o grande responsável por encontrarmos tantas casas que mais parecem santuários, sobretudo nas proximidades do Horto ou das igrejas e capelas da cidade, locais amplamente visitados pelos romeiros. As pessoas se inspiram em padre Cícero e transformam suas residências como forma de potencializar a religiosidade e fé", conforme o mestre em História João Paulo Fernandes.

Símbolo
Entre as dezenas de casas da Rua do Horto, algumas possuem maior destaque. Ao lado de uma das estações da Via Sacra, uma residência cor-de-rosa chama atenção de quem passa. As janelas frontais quase sempre abertas e revelam uma sala singular. Na Casa de Rosalva Conceição Lima, conhecida pelo sugestivo apelido de Dona Rosinha, são incontáveis santos e imagens. "Perdi as contas. Minha idade eu até sei, mas o número de santos, imagens, terços e retratos, já não sei. Certamente mais de cem", brinca a lúcida e simpática missionária de 95 anos.

Dona Rosinha do Horto, chegou à Juazeiro aos seis anos de idade. Segundo lembra com riqueza de detalhes, seu pai, João Nicolau da Silva, trouxe a esposa e os três filhos da cidade de Palmeiras dos Índios, em Alagoas, no ano de 1927. "Papai era muito religioso e pediu ao padre Cícero para vir morar em Juazeiro e ele nos atendeu. Viemos a pé. Foi uma longa viagem", ilustra Rosinha, ao acrescentar que passavam os dias rezando e cantando, seguindo as marcas que outros romeiros tinham deixado, indicando o caminho a seguir.

Fortalecimento da fé
Com a chegada à Capital da Fé, como Juazeiro é conhecida, a religião cresceu na vida daquela família alagoana. A senhora de estatura pequenina, com aparência saudável e de uma vitalidade impressionante, incomum para a idade que ela tem, recorda que a primeira imagem foi dada por um padre, durante uma romaria. Passados 86 anos, o presente permanece intacto no centro da sala, ao lado de outras tantas imagens. "Este foi o primeiro", ergue o dedo apontando o Sagrado Coração de Jesus. "Hoje tem uma centena, para onde olhar, vai encontrar um santo. Me sinto bem, como se minha fé fosse renovada a cada dia", acrescenta.

Há 89 anos morando em Juazeiro, dos quais os últimos 66 têm sido na mesma casa, na ladeira do Horto, Rosinha tornou-se um ícone da cultura popular. Sua casa peculiar atrai visitantes de vários Estados e de outros países, conforme recorda. "Já recebi visita de gente famosa, o Pedro Bial, por exemplo, bispos, gente de todo canto do País e até do estrangeiro", conta orgulhosa. Para ela, a casa repleta de santos e imagens foi um dos legados deixado pelo Padim Ciço.

"Ele (Padre Cícero) morreu, mas permanece vivo na memória, assim como Deus. É uma forma que eu e tantas famílias encontraram para manter a fé sempre viva", disse. O pároco da Paróquia Nossa Senhora das Dores - Basílica Santuário, padre Cícero José da Silva, ressalta, porém, que "as imagens não são adoradas, como muitos pensam e dizem, elas são recordações, portanto, transmitem paz e fé".

Tradições
Nesses "santuários residenciais", entre as muitas imagens, nunca faltam a do Padre Cícero e a do Sagrado Coração de Jesus, a quem todos os dias Maria das Dores Bernardino Santos reza um mistério. Dona Dorinha, como a zeladora de 62 anos é conhecida por todos, é uma outra personagem bastante popular no bairro Horto.

Ela conta que a imagem do Sagrado Coração de Jesus possui lugar de destaque nas casas dos católicos e é sempre acompanhada de uma luz. Esta tradição vem da época do Padre Cícero, quando um homem que estava passando necessidade perguntou ao religioso o que poderia fazer para sobreviver e o padre Cícero lhe aconselhou que fabricasse candeeiros. Daí iniciou a festa das Candeias, cuja marca são as inúmeras velas e candeeiros acesos nas procissões.

Daquela época em diante, em todas as casas de Juazeiro com a imagem do Sagrado Coração de Jesus, está acesso um candeeiro alimentado com óleo, que não se deixa apagar, semelhante acontece com a luz do Santíssimo nos templos católicos. Essa é uma das várias tradições que as famílias católicas seguem. "Desde nova eu aprendi isso e hoje repasso para meus quatro filhos. São tradições, que foram ensinadas por Padre Cícero e que nós, devotos, seguimos e passamos de geração em geração", diz.

O pároco da Basílica Santuário lembra que todas essas tradições, que ainda hoje são mantidas vivas devem-se, muito, ao fato de "Juazeiro do Norte ter sido estruturada pelo trabalho pastoral missionário do padre Cícero Romão Batista". Conforme conta, o Padim "sempre ensinou ao povo católico a colocar Deus no centro de tudo, daí surgiram diversas tradições bastante peculiares em nossa região".

Cores
As cores vibrantes e as paredes revestidas de fé, por meio das imagens religiosas, também são, segundo o pároco, "uma tradição secular, nascida do povo a partir dos ensinamentos do padre Cícero Romão". O padre Cícero José lembra uma frase do patriarca juazeirense para justificar as cores alegres nas casas de muitos católicos: "Padre Cícero dizia que 'Quem tem Deus no coroação tem um rosto alegre', portanto, todas as expressões vistas em Juazeiro, não só no bairro do Horto, traduzem essa frase".

"Somos felizes. Minha casa transmite felicidade. Romeiro é um povo alegre", confirma Dona Rosinha, ao ser questionada sobre as cores vibrantes e as flores espalhadas pela casa, trocadas imediatamente quando murcham. A cor, no entanto, não tem a ver com a religião, mas com o amor. "Meu falecido marido gostava, então resolvi manter, mesmo depois de sua morte, como forma de deixá-lo presente", lembra com saudosismo.

Viúva há 19 anos, Rosinha teve cinco filhos, os quais também já faleceram. Entretanto, ela rejeita o título de solitária: "Nunca estou sozinha. Minha casa é sempre repleta de visitantes e vizinhos atenciosos. E mesmo quando eles não estão, eu vivo na presença de Deus, do padre Cícero e das minhas várias imagens que transmitem força e paz".

Opinião do Especialista

Tradições cultivadas ao longo dos anos

João Paulo Fernandes

Mestre em História Social / Esp. Em Sociologia

O cenário que se observa no entorno do que hoje chamamos de Colina do Horto (antes Serra do Catolé), remonta a um contexto anterior, marcado por controvérsias envolvendo, sobretudo, a figura do Padre Cícero Romão Batista. Nesse emaranhado, não é segredo afirmar que a cidade de Juazeiro do Norte está intimamente ligada a um forte misticismo religioso.

A partir do que convencionalmente passou a ser conhecido como o famoso "milagre da hóstia" e os conflitos que envolveram a Igreja, houve um impulso e fortalecimento da fé de milhares de romeiros que se dirigiam de diversos Estados do Nordeste ao pequeno lugarejo, transformando aquele povoado em um palco de diversas manifestações religiosas, motivadas por rituais, narrativas e diversas crenças em torno da figura controvérsia e emblemática do "santo padre".

Nas representações de fé dos romeiros que fizeram do entorno da colina local de morada, mitos, epopeias e analogias bíblicas se confundiam com a própria história do local. Nessa nova configuração espacial, o Padre Cícero era o enviado de Deus à "Terra Santa", e a voz que "clamava no deserto" para endireitar os caminhos dos pecadores, assim, Juazeiro seria a "Nova Jerusalém" e para se chegar ao local santo, era necessário enfrentar a via-crúcis, o suplício do Calvário até chegar ao Monte Sagrado.

Nesse sentido, tais experiências moldaram as relações sociais dos que ali passavam e dos que se fixaram e que, com o passar dos anos, foram adquirindo novos significados, que se ampliam na medida em que experiências culturais vão sendo transmitidas de geração para geração.

Podemos citar a Renovação, que não é exclusiva à região e tampouco uma prática restrita ao catolicismo popular, mas que, no Cariri, foram incentivadas pelo Padre Cícero, com a Consagração das Famílias ao Sagrado Coração de Jesus, que é uma das tantas demonstrações da fé e religiosidade.

Dessa forma, na sala de entrada das residências, conhecida popularmente como a "sala do santo", um altar é montado com as imagens dos Corações de Jesus e de Maria e, uma vez por ano, cada casal convida amigos, parentes e familiares, que participam das leituras e dos cânticos, para renovarem a sua fé.

Tal prática, mesmo ameaçada, se perpetua e mantêm-se marcante em algumas regiões caririenses, promovendo a sociabilidade e fortalecendo as tradições regionais. Os santos, as comidas, as cores fortes, os laços afetivos e religiosos, são marcadas e permeadas por tradições e situações nas quais a fé, a comida, os espaços de sociabilidade e o lazer entrecruzam-se nos lares, são características que estão presentes no dia a dia dessas pessoas, essa panaceia de ritos torna-se sacramental para a cultura do Cariri.

ANDRÉ COSTA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Vox Populi: Lula lidera 1º turno de 2018 em todos os cenários

Pesquisa Vox Populi/CartaCapital divulgada nesta sexta-feira (5) aponta que, se a eleição presidencial de 2018 fosse hoje, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seria o candidato mais votado no primeiro turno nos três cenários pesquisados.

Além de Lula, todas as simulações incluem como candidatos Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT) e Jair Bolsonaro (PSC) – o que muda em cada uma delas é o representante do PSDB. A margem de erro é sempre de dois pontos percentuais, para cima ou para baixo.

No primeiro cenário, Lula aparece com 28% dos votos, seguido por Aécio Neves (PSDB), com 18%. Na sequência estão Marina (15%), Ciro Gomes (6%) e Bolsonaro (7%). Brancos e nulos somam 20%, e outros 7% não sabem ou não responderam.

Na simulação na qual o candidato tucano é Geraldo Alckmin, o resultado não leva o PSDB para o segundo turno. Enquanto Lula tem 29% das intenções de voto e Marina aparece com 18%, Alckmin acumula apenas 11%, o que lhe rende o terceiro lugar, seguido por Bolsonaro (7%) e Ciro Gomes (6%). Brancos e nulos somam 21%, e 8% não sabem ou não responderam.

O cenário com José Serra (PSDB) também não favorece os tucanos, e novamente o líder Lula (29%) enfrentaria Marina (19%) no segundo turno. Serra viria na sequência, com 13% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro (7%) e Ciro Gomes (6%). O índice de brancos e nulos se mantém alto (20%), e 7% não sabem ou não responderam.

Rejeição e simpatia
A pesquisa Vox Populi, que ouviu 1.500 pessoas em 97 municípios do País, também mediu o grau de rejeição e de simpatia aos partidos (PT, PSDB e PMDB).

O levantamento realizado entre os dias 29 de julho e 1º de agosto aponta que, ao mesmo tempo em que o PT é o partido que mais desperta a simpatia do eleitorado (12%, contra 4% do PSDB), é também o mais rejeitado: 27% dos entrevistados afirmam recusar o PT.

De acordo com o levantamento, 75% dos entrevistados afirmaram não ter simpatia por nenhum partido.

Fonte: Carta Capital

Curta nossa página no Facebook



MPCE entra com ação em prol de melhor infraestrutura para o Conselho Tutelar de Barbalha

Zé Leite (PT), prefeito de Barbalha
Em face de diversas dificuldades apontadas pelos conselheiros tutelares do município de Barbalha, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio da 3ª Promotoria de Justiça daquele município, entrou com uma Ação Civil Pública (ACP) com pedido de tutela antecipada para que a Prefeitura ofereça melhor infraestrutura ao Conselho Tutelar da Criança e do Adolescente.

A ação do MPCE teve como base uma inspeção realizada pelo promotor de Justiça Francisco das Chagas da Silva, que verificou a ausência de veículo à disposição para que os conselheiros atendam as denúncias da população, dentre outras demandas. Após a vistoria, a Promotoria expediu recomendação orientando à Prefeitura de Barbalha a disponibilização de um veículo com motorista, no prazo de 30 dias, e de um assistente social e psicólogo para acompanhar os conselheiros no exercício de suas atribuições.

Sobre os profissionais, o município informou que um processo seletivo simplificado para um assistente social e um psicólogo, com carga horária de 20 horas semanais cada, já está em andamento e com previsão de conclusão em 60 dias. A respeito da disponibilização de um meio de transporte, a Prefeitura disse que foi contemplada com uma emenda parlamentar no valor de R$ 60 mil reais para a “aquisição de kits do Conselho Tutelar”, porém não declarou quando atenderá à demanda imediata dos conselheiros.

A intervenção do Ministério Público cearense tem como base resolução do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) que estabelece, no artigo 4º, que o município deverá fornecer recursos para implantação, manutenção e funcionamento dos Conselhos Tutelares, destacando-se “transporte adequado, permanente e exclusivo para o exercício da função, incluindo sua manutenção e segurança da sede e de todo o seu patrimônio”.

“Vale lembrar dos casos de violência doméstica, evasão escolar, abandono, negligência, maus tratos e outras situações de violação ou perigo de violação de direitos de crianças e adolescentes que não estão recebendo adequado atendimento e socorro devidos pelo órgão, simplesmente porque os conselheiros não dispõe de meios de transporte para chegarem até os bairros mais distantes e, principalmente, nas localidades rurais, onde a evasão escolar e o trabalho infantil afloram com mais frequência”, argumentou Francisco das Chagas.

O membro do MPCE requereu ao juiz da Infância e Juventude da Comarca de Barbalha que a Prefeitura custei as despesas dos conselheiros durante o exercício das suas funções, inclusive com diárias e transporte, quando necessário o deslocamento para outro município; um veículo permanente e exclusivo; e um motorista. Na hipótese de descumprimento das obrigações nos prazos estimulados, a Promotoria sugeriu multa diária no valor de dois mil reais e que o recurso seja direcionado ao Fundo Municipal da Criança e do Adolescente de Barbalha.

Assessoria de Imprensa/MPCE

Curta nossa página no Facebook



Juazeiro do Norte (CE): Obras da avenida do Contorno seguem em ritmo acelerado

Nesta quarta-feira (3), o secretário adjunto das Cidades, Quintino Vieira, está no Cariri em visita à obra da avenida do Contorno de Juazeiro do Norte. A intervenção está sendo executada pela Secretaria das Cidades e possui uma extensão total de 8,57 km com um investimento de R$ 48.803.517,29.

A obra foi dividia em duas etapas. A 1ª etapa, está em fase de conclusão e contempla 3,4 km de malha viária em pista dupla, indo do município de Caririaçu até a ponte do Rio Salgadinho. A 2ª etapa corre em ritmo acelerado e tem início na ponte sobre o Rio Salgadinho indo até a interseção com a rua Beatriz Gondim Santana, e segue até a interseção com a Av. Pe. Cícero (CE-292), na saída para a cidade do Crato.

A 2ª etapa do projeto possui uma extensão de 5,17 km. Nesse trecho já estão em execução a implantação de vias e de dois viadutos, com a colocação das placas de contenção para a instalação das laterais dos viadutos e as obras de terraplanagem.

A Secretaria das Cidades ainda está investindo, por meio de parceria com o Banco Mundial, um total de R$130 milhões em toda a região, em projetos que tem como objetivo de estimular a economia, melhorar a infraestrutura urbana e ampliar as capacidades específicas de cada município do Cariri.

Assessoria de Comunicação/Secretaria das Cidades

Curta nossa página no Facebook



Chico Buarque canta 'Apesar de Você' em ocupação de artistas contra Temer

Pouco antes do início desta sexta (5), Chico Buarque, 72, cantou "Apesar de Você" no antigo Canecão, novo endereço não oficial do movimento Ocupa MinC RJ, que promove festa desde a tarde de quinta-feira (4).

Chico estava acompanhado do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) e fez a plateia cantar em uníssono o refrão "Apesar de você amanhã há de ser oooooutro diaaaa...", mandando um recado para o presidente interino Michel Temer.

A canção foi lançada inicialmente como compacto simples em 1970. Por abordar nas entrelinhas a falta de liberdade durante a ditadura militar, foi banida das rádios brasileiras pelo governo Médici. A liberação viria apenas após oito anos.

Depois de Chico Buarque, a cantora Zélia Duncan assumiu o palco. Também passaram por ali representantes de movimentos de mulheres, indígenas, quilombolas, estudantes, professores, profissionais da saúde e outros.

Ocupação
O movimento nasceu em maio, após Michel Temer extinguir o Ministério da Cultura -decisão que reconsiderou, por causa da repercussão negativa. E se firmou como um foco permanente de protestos contra o presidente interino.

Expulso na semana passada, após 73 dias, do Palácio Gustavo Capanema -edifício que é a sede do Ministério da Cultura no Rio e da Funarte-, o grupo formado por cerca de 150 pessoas entrou na madrugada de segunda (1º) na antiga casa de shows de Botafogo (Zona Sul). E diz não ter prazo para sair.
"O desejo da saída de Temer é um ponto de partida, mas o que está acontecendo vai muito além", diz a encenadora Bia Lessa, que se ofereceu para dirigir a festa.

"É uma ideia estética e ética de ocupação de espaços públicos. E conduzida de uma forma que é mais até do que democrática: eles decidem as coisas não por votação, mas por consenso", ressalta ela, que realizou shows de Maria Bethânia no palco do Canecão.

"O 'Fora Temer!'é um pretexto para construirmos novas formas de se fazer cultura e pensar a sociedade. A ocupação é um laboratório de políticas públicas", afirma Dyonne Boy, do movimento Reage, Artista!

Em três dias, o grupo limpou todo o terreno, afastou os bichos (ratos, gambás, escorpiões), consertou fiações, encanamentos. E encomendou um laudo técnico para saber se eles e os visitantes estão seguros ou se algo pode desabar.

"Ninguém está aqui por não ter casa, por falta de opção, e sim por opção. É uma decisão política", diz a antropóloga Marcella Camargo.

Graças a uma rede wi-fi própria, muitos realizam seus trabalhos pessoais ali mesmo. Quem tem emprego com horários regulares aparece antes ou depois do expediente. Todos têm funções determinadas. A alimentação vem de doações.

"Sem documento, sem burocracia, sem hierarquia", diz Dyonne.

O grupo diz ter um canal aberto com a UFRJ. A reitoria, no entanto, soltou uma nota dura criticando a ocupação. Diz, entre outras coisas, que há riscos de segurança e que estranha ser alvo da iniciativa, pois condenou a extinção de "ministérios sociais" e "sempre abriu seus espaços acadêmicos para a realização de debates, seminários, atos sobre os grandes problemas sociais".

Segundo a nota, "ao promover a ocupação, o movimento desconsiderou a forma democrática da livre expressão garantida pela universidade".

Os seguranças contratados pela UFRJ para vigiar o local continuam trabalhando. Durante a Olimpíada, têm o reforço de soldados do Exército e da Força Nacional, que patrulham as redondezas.

É curiosa a cena de militares armados protegendo -involuntariamente- um movimento de oposição ao governo.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Cariri terá I Jornada Acadêmica de Neurocirurgia

O Cariri será sede da I Jornada Acadêmica de Neurocirurgia, que acontece de 24 a 27 de agosto, no auditório da Faculdade de Medicina Estácio, em Juazeiro do Norte. O evento deverá reunir mais de 150 participantes, entre profissionais e estudantes da região.  Com o objetivo de proporcionar e atualizar conhecimentos técnicos e práticos voltados à neurocirurgia e neurologia, a jornada busca abordar de forma didática e em um contexto humanizado, o cuidado integral do paciente, desde o pré-operatório, passando pelo ato cirúrgico em si, até a reabilitação pós-operatória desses pacientes.

As inscrições para o evento estão abertas e podem ser realizadas por meio do contato no Instagram (@lancirfmj) ou no Facebook (Lancir Neuro), no valor de R$ 50,00 para estudantes e profissionais de saúde. O pagamento deverá ser realizado de forma presencial ou por transferência bancária, a ser combinada com os componentes. As vagas são limitadas e os minicursos serão disponibilizados apenas para os primeiros inscritos.

Segundo um dos organizadores do evento, Pablo Ítalo Santos, serão realizadas, além das palestras, mesas redondas acerca dos principais temas neurocirúrgicos-neurológicos, como traumatismo craniano, AVC, aneurismas cerebrais, tumores, entre outros. Também serão ministrados minicursos disponibilizados aos primeiros inscritos, que abordarão aspectos práticos da rotina neurocirúrgica-neurológica. Serão trabalhadas temáticas como a abordagem pré-hospitalar ao paciente neurológico, Neurosemiologia, Fundoscopia e Protocolo de morte encefálica.

Pablo explica que a neurocirurgia é definida como uma especialidade cirúrgica que executa tratamento cirúrgico e não cirúrgico e inclui prevenção, diagnóstico, avaliação, tratamento, cuidados intensivos e reabilitação das desordens ou doenças do sistema nervoso central, periférico e autonômico.

Ele destaca a importância da Jornada, por conta da alta demanda neurocirúrgica-neurológica do Cariri e a gama de cursos ofertados nas áreas de saúde. “É importante que os profissionais formados saibam o melhor e mais atualizado manejo possível para esses pacientes, além de ofertar dentro de sua área de atuação uma saúde de qualidade à população”, explica.

A jornada é uma iniciativa da Liga Acadêmica de Neurocirurgia. Entre os palestrantes, estarão o médico Neurocirurgião membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN), Dr. Tiago Pimentel, Mestre pela Universidade Federal do Pernambucano (UFPE) e Preceptor da Faculdade de Medicina Estácio de Juazeiro do Norte (FMJ); Dr. João Ananias, médico com título de especialista em Neurocirurgia pela AMB-SBN, mestre em Saúde da Criança e do Adolescente pela Universidade Estadual do Ceará/Faculdade de Medicina de Juazeiro do Norte, CE; Professor assistente de Neuroanatomia e Neurocirurgia da Universidade Federal do Ceará, além do Neurologista Henrique B. Alencar, graduado pela Faculdade de Medicina de Juazeiro do Norte (2007), Neurologista graduado pelo serviço de Residência Médica em Neurologia do Hospital da Restauração - Recife/PE, entre outros profissionais.

Curta nossa página no Facebook



Em carta, Dilma dirá que defenderá realização de plebiscito; veja trechos

Dilma Rousseff abre o computador e diz, baixinho: "Gente do céu, esse povo é complicado".

Na tela do laptop, a presidente afastada se depara com a quarta, "ou quinta ou sexta" versão da carta que pretende entregar aos 81 senadores até a quarta-feira da semana que vem (10).

A exclamação da petista sobre as versões do documento tem razão de ser: aliados de diferentes matizes ideológicas e interesses conflitantes continuavam dando muitos pitacos no teor da mensagem.

Durante encontro com a petista no Palácio da Alvorada, na manhã desta quinta-feira (4), a Folha teve acesso a alguns dos trechos da "mensagem às senadoras, aos senadores e ao povo brasileiro".

A defesa do plebiscito é o argumento central do discurso, talvez um dos derradeiros na condição de presidente.

"Darei apoio integral à iniciativa de convocação de um plebiscito, com o objetivo de definir a realização de novas eleições e a reforma política no país", diz a missiva.

Poucas horas depois de ler, diante da reportagem, a parte do documento já fechada, o presidente do PT, Rui Falcão, divulgava seu posicionamento sobre a proposta: ser contra o plano de consulta popular. Foi apenas mais um de tantos desacertos protagonizados entre Dilma e seu partido.

"Que o povo se manifeste, não só através de pesquisas de opinião, mas por meio do voto popular sobre a antecipação das eleições e reforma política", afirmou ela, em entrevista à Folha.

A presidente afastada continuou: "Estão tratando o presidencialismo como se parlamentarismo fosse. O parlamentarismo permite o voto de desconfiança. No presidencialismo, o impeachment, sem crime, é golpe".

Mas há lógica em querer voltar para então sair, como diz Michel Temer, indagou a reportagem.

"A lógica? É ele não ter 54,5 milhões de votos. Eu sou legítima. Ninguém, nem o impeachment, transformará Temer num presidente legítimo. E ele vai carregar essa pecha até o fim", alfineta.

Dilma justificou sua declaração, dada na terça (2) à revista "Fórum", sobre o PT precisar passar por "grande transformação em que se reconheça todos os erros".

A petista disse que a declaração tinha o intuito de defender a legenda ao ser questionada sobre o fim da sigla.

À Folha, porém, repetiu a tese da autocrítica partidária. "É um processo. O PT foi muito demonizado. [Mas] vai ter de fazer, é simples assim, acaba fazendo."

Questionada sobre a acusação de caixa dois na disputa presidencial de 2010, reiterou que as dívidas daquela campanha com o marqueteiro João Santana foram assumidas pelo PT. Nesse momento, Dilma saca uma folha impressa e mostra à reportagem uma nota escrita pelo então tesoureiro José de Filippi isentando-a de responsabilidade no caso.

'Tentáculos'
Enquanto fala, pede mais um café ao garçom do Alvorada. "Um café para as massas oprimidas", brinca.

Apesar dos esforços para voltar, ela não esconde ter tirado um peso das costas. O jeito é o durão de sempre, mas um tanto menos tenso.

Sem ser perguntada, Dilma fala no deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), responsável pela admissibilidade do pedido de impeachment, embora também com menos agressividade do que das vezes anteriores.

A petista parece ter tomado algum distanciamento do próprio caso. Chega até a falar da inteligência de algozes como Cunha, o maior deles, indica ela, e o senador Romero Jucá (RR), ambos do PMDB.

Sobre o primeiro, afirma: "Chego a sentir pena, de certa forma. Como gente. Porque a pessoa que acha que o mal é banal vive num total desalento. Como o cara de [descrito pela escritora alemã] Hannah Arendt, que trabalha na câmara de gás, num campo de concentração, e volta pra casa, uma casa florida, e beija seus filhos".

Mas, ainda assim, golpeia o deputado afastado.

Cunha tem "tentáculos" na Câmara, palpita. Sabe muito sobre a cúpula dos novos condôminos do Planalto. "Teria de tirar muito ele de cena para tirar a influência dele."

E segue, desta vez sem citá-lo diretamente: "Parece aquelas versões dos filmes americanos em que o poderoso chefão controlava tudo de dentro da prisão".

Dilma faz digressões políticas para explicar a crise. Fala da fragmentação partidária e do deslocamento ideológico do "centro democrático" dominado pelo PMDB em 1988 –agrupamento bem mais progressista, diz ela– para o chamado "centrão" de hoje, resultado da multiplicação de partidos.

"O centro político se desloca para direita com Eduardo Cunha", diz.

"Não está valorizando muito o poder do rival?", pergunta a Folha.

"Temer nunca controlou nada, é o Cunha."

Ajuste fiscal
Muito mais tranquila do que nos tempos de Planalto, Dilma é hoje menos defensiva do que nos tempos do exercício do cargo.

"Qual foi nosso erro? Acharmos que era possível fazer um ajuste fiscal rápido. Não dava, pois a crise política se sobrepunha. Eles inventaram a pauta-bomba".

Curioso não mencionar os tempos de Arno Augustin –secretário do Tesouro no primeiro mandato e apontado como executor da chamada contabilidade criativa– como causa da crise fiscal, questiona a reportagem.

"Quero te lembrar de uma coisa: não estou sendo julgada pelo Arno. Meu pedido de impeachment é no Joaquim Levy", disse, em referência ao ministro da Fazenda do início de seu segundo mandato.

E continua. "Quem era o secretário do Tesouro [quando surgiram as acusações que deram base à denúncia das pedaladas]? Tarcísio Godoy. Vivem dizendo que eu tinha uma ligação próxima com Arno. Só tem um problema, tem erro de pessoa."

E Henrique Meirelles, estará na carta aberta ao Senado? Prometerá mantê-lo no cargo para retomar o comando do país, como defendeu o senador Cristovam Buarque?

Dilma sai-se pela tangente. "Não vou fulanizar na carta."

A carta, a propósito, terá cerca quatro páginas, diz ela. Sua equipe diz que o teor do documento sobre o plebiscito será mantido mesmo sem o apoio do PT.

"O grande centro da carta é isso", comentou ela, horas antes de seus companheiros baterem em retirada.

"Nós queremos vencer no Senado e na história. A carta dá um caminho de uma transição, de uma saída para o país."

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Barbalha e Campos Sales registram as menores temperaturas do ano no Cariri

Igreja Matriz de Barbalha
Sai o calor, chegam as noites frias. Muitos caririenses estão animados com as temperaturas amenas registradas nos últimos dias em algumas cidades da região. De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), nos últimos cinco dias, a cidade de Barbalha têm apresentado as temperaturas mais baixas do ano para a região.

De acordo com o meteorologista do órgão, Raul Fritz, a terra dos verdes canaviais registrou 17.6º C, com sensação térmica de 15º C. Foi a marca mais fria do ano, seguida pela cidade de Campos Sales, com 18.7º C e sensação térmica abaixo dos 17º C. A intensidade dos ventos, segundo Fritz, é determinante para as variações da temperatura e sensação térmica.

O especialista explica também que a redução na temperatura é comum para esta época do ano devido ao período de inverno no hemisfério sul, região do planeta onde o Ceará está situado, iniciado em 20 de junho. Contudo, no Sul do Estado, o frio é mais perceptível se comparado a Fortaleza, por exemplo.

“Quanto mais distante do litoral, mas significativas serão as reduções de temperatura”, pontua Fritz, ao destacar a amplitude térmica da região caririense, com quedas acentuadas durante as madrugadas. “Se assemelha às regiões desérticas, quando há uma forte variação: calor durante o dia e baixas temperaturas a noite”. Para os próximos dias, o especialista avalia que a tendência é que os termômetros permanecem marcando baixos índices nos períodos noturnos.

Sem chuva
Fritz ressalta que associar inverno à chuva, no entanto, é equivoco. A Funceme destaca que o período oficial da quadra chuvosa no Ceará faz parte do verão e do outono no hemisfério Sul, isto é, entre os meses de fevereiro e maio. Para o segundo semestre do ano, portanto, a incidência de chuvas deve ser quase nula.

Primavera
O clima agradável, no entanto, não deve durar muito. No final de setembro, quando começa oficialmente a primavera, o calor intenso tende a voltar a ser soberano nos períodos diurnos e noturnos. Em outubro do ano passado, por exemplo, os termômetros chegaram a registrar temperaturas superiores a 38º C em Juazeiro do Norte, com sensação térmica de 40º C.

Mais informações
Funceme
Endereço: Av. Rui Barbosa, 1246 – Aldeota, Fortaleza
Telefone: (85) 3101-1088

ANDRÉ COSTA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Vereador Luis Carlos Saraiva abre mão da candidatura à reeleição

O vereador Luís Carlos Saraiva do Partido Social Liberal (PSL) não concorrerá à reeleição ao legislativo na cidade do Crato. A informação foi confirmada pelo próprio parlamentar em entrevista ao Site Miséria. A decisão foi anunciada nesta terça-feira (2) e conforme o próprio vereador, a conjuntura política o empurrou para a fora da corrida eleitoral.

A questão é que os demais partidos com que o PSL tentava se aliar, PP e PDT, não admitem a candidatura desse pré-candidato por ele aparecer como um dos ocupantes, quase certo, de uma das vagas dentro da coligação. Assim, o candidato teve que abrir mão da candidatura para garantir que os demais membros do PSL pudessem coligar e construir um grupo capaz de eleger um ou mais nomes.

A indefinição sobre como ficaria a composição da base de partidos que apoiavam o prefeito Ronaldo Mattos (PSC), também teria contribuído para que alianças não fossem formadas mais cedo e isso o direcionou para o atual contexto. Agora o PSL deve lançar cinco nomes e entre eles apenas um tem mandato, Luciano Saraiva.

Na última eleição, em 2012, Luiz Carlos concorreu pela primeira vez ao cargo e conseguiu 1.805 votos ficando como o 3º parlamentar eleito no município. Foi presidente da Câmara no biênio 2013-2014 e permaneceu na base aliada do governo Ronaldo. Luíz Carlos disse que agora deve seguir na política de bastidores, apoiando os seus aliados, até a próxima oportunidade.

Adriano Duarte 

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Em comício em Natal, Lula diz: 'Se pensam que vão acabar comigo, estão enganados'

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira (2) que "inventaram" as investigações sobre o sítio em Atibaia e o apartamento triplex no Guarujá.

Em comício em Natal, Lula, que tornou-se réu na Justiça Federal por obstrução de justiça, afirmou foi ao ataque, como relata a Folha de S. Paulo:

"Se pensam que vão acabar comigo, estão enganados", disse o ex-presidente. Lula, no entanto, não fez nenhuma menção ao fato de ter se tornado réu.

A Justiça Federal aceitou no dia 29 de julho a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF-DF) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-senador Delcídio do Amaral e mais cinco acusados pelo crime de obstrução das investigações da Operação Lava Jato.

Com a decisão, Lula e Delcídio passam à condição de réus na ação penal, além do ex-controlador do Banco BTG André Esteves, Diogo Ferreira, ex-chefe de gabinete de Delcídio; o empresário José Carlos Bumlai e o filho dele, Maurício Bumlai, e o advogado Edson Ribeiro.

Todos os envolvidos são acusados de tentar impedir o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró de assinar acordo de delação premiada com a força-tarefa de investigadores da Operação Lava Jato.

Fonte: Brasil Post

Curta nossa página no Facebook



URCA sediará seminário Gestão Pública e Desenvolvimento Sustentável

Nos próximos dias 17 e 18 de agosto, a Universidade Regional do Cariri (URCA) sediará o seminário “Gestão Pública e Desenvolvimento Sustentável-Oportunidades e potencialidades para a região do Cariri”. O evento acontecerá no auditório do Centro de Ciências e Tecnologia (CCT) da URCA, campus Crajubar, em Juazeiro do Norte, com início às 8h. As inscrições são gratuitas e voltadas para o público em geral.

O objetivo do seminário é desenvolver habilidades de liderança e gestão pública que possam ser utilizadas na formulação e implementação de novas ferramentas e procedimentos de gestão focados na solução de questões estratégicas para a região.

Subtemas como potencial turístico, gestão pública, oportunidades, desenvolvimento sustentável e outros serão abordados. Entre os palestrantes estão o Conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Ceará, Diretor Superintendente do SEBRAE/CE, Assessor do Sistema Fecomércio, além de Procuradores Gerais do Ministério Público, prefeitos (Juazeiro do Norte, Crato, Iguatu, Petrolina) e outras personalidades.

O evento é organizado pelo Decora-eventos e ambientações, promovido pelo Instituto Future e realização da URCA/Geopark Araripe, Fundetec e Tribunal de Contas dos Municípios em parceria com a FUNCEPE, Fecomércio, Senac, ITTEG, ADECE e Governo do Estado do Ceará.

Para se inscrever e outras informações, acessar o site www.institutofuture.com.br.

Assessoria de Imprensa/URCA

Curta nossa página no Facebook



ShareThis