Chuva forte alaga ruas de cidades do Cariri

A chuva da madrugada deste sábado (26) deixou carros ilhados na Avenida Leão Sampaio, que liga os municípios de Juazeiro do Norte e Barbalha, no Sul do Ceará. O Corpo de Bombeiros atendeu três ocorrências de resgate de motoristas naquela região. Ninguém ficou ferido.

Choveu em pelo menos 50 municípios cearenses das 7h de sexta-feira (25) até as 7h deste sábado (26). A maior chuva registrada foi em Nova Russas, com 104 milímetros, seguida de Guaraciaba do Norte (55.0 mm); Ipu (52.0 mm); Ararendá (52.0 mm); Juazeiro Do Norte (51.0 mm); Crato (51.0 mm); Abaiara (45.0 mm); Brejo Santo (43.4 mm).

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook

Polícia Militar e Pefoce terão concursos neste ano, anuncia Camilo

O Ceará deve ter novos concursos públicos para a Polícia Militar e Perícia Forense do Estado (Pefoce) em 2019. O anúncio foi feito pelo governador Camilo Santana na manhã desta sexta-feira (25), em meio à série de ataques criminosos que atinge o estado desde o dia 2 de janeiro.

"Já tinha anunciado no ano passado um novo concurso da Polícia Civil. Este ano deverei anunciar um novo concurso para a Políca Militar e também para a Pefoce", disse Camilo durante entrevista coletiva na entrega de 156 novos veículos para a PM.

Detalhes quanto ao número de vagas para o concurso da PM e da Pefoce não foram revelados pelo governador. Santana também não detalhou o mês que o edital será divulgado.

Polícia Civil
Já o concurso para a Polícia Civil prevê o preenchimento de 1.496 vagas para delegado, escrivão e inspetor. Contudo, a distribução das oportunidades pelos cargos não foi anunciada.

O concurso da PCCE ainda está sem banca organizadora, mas o Governo do Estado prevê que ele ocorra até o final deste ano.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook

26 de janeiro

1654 - Insurreição Pernambucana: terminam as Invasões holandesas no Brasil.
1788 – Dia da Austrália: a First Fleet ("Primeira Frota") chega ao território australiano e inicia-se a colonização britânica, com a instalação de uma colônia penal na área da atual Sydney.
1950 - É proclamada a República da Índia.

Nasceram neste dia…
1917 – Antônio Callado, jornalista e escritor brasileiro, membro da ABL (m. 1997).
1925 – Paul Newman (foto), ator norte-americano (m. 2008).
1963 – José Mourinho, treinador de futebol português.

Morreram neste dia…
1823 - Edward Jenner, médico britânico, inventor da vacina da varíola (n. 1749).
1824 - Théodore Géricault, pintor francês (n. 1791).
1993 - Robert Jacobsen, escultor e pintor dinamarquês (n. 1912).

Fonte: Wikipédia

Camilo Santana anuncia mais 22 escolas em tempo integral na rede estadual

O governador Camilo Santana anunciou nesta quinta-feira (24) que a Rede Estadual de Ensino ganhará mais 22 escolas em tempo integral já a partir deste ano letivo, que começará na próxima semana. Serão 19 escolas regulares de ensino médio e três profissionalizantes. Com isso, o Ceará chega a 252 unidades de ensino nessa modalidade.

“Essa é uma grande atuação que o estado do Ceará tem feito para melhorar a qualidade da educação, proteger nossa juventude e também gerar oportunidades (de emprego). O aluno passa o dia na escola. No primeiro período ele faz a grade curricular normal. No segundo ele realiza cursos profissionalizantes, informática, atividades esportivas, artísticas, entre outras”, citou o governador. Não tenho dúvida de que a educação é o melhor caminho para termos um Ceará cada vez mais desenvolvido, com menos violência e menos desigualdade”, disse Camilo Santana.

Municípios
As 19 novas Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (EEMTIs) estão localizadas nos municípios de Itaitinga, Aquiraz, Trairi, Granja, Ipu, Sobral, Iracema, Quixeramobim, Crateús (2), Senador Pompeu, Farias Brito e Fortaleza (7). Já as três novas Escolas Estaduais de Ensino Profissional (EEEPs) são nas cidades de Ocara, Caririaçu e Forquilha.

Reunião
Acompanhado da vice-governadora Izolda Cela, o governador Camilo Santana esteve reunido com as equipes da Secretaria da Educação para avaliar os projetos em andamento e tratar sobre as novas ações da Pasta para 2019. Atualmente, o Ceará tem 72 escolas em construção em todo o estado, sendo 24 profissionalizantes e 48 de Ensino Médio. A secretaria ainda conta com 22 ginásios poliesportivos e 74 Centros de Educação Infantil (CEIs) sendo construídos em todas as regiões do Ceará.

Novas escolas de tempo integral (ensino médio regular)
  • Itaitinga – EEM Raul Tavares Cavalcante
  • Aquiraz – EEFM Coronel Osvaldo Studart
  • Trairi – EEM Maria Celeste de Azevedo Porto
  • Granja – Colégio Estadual São José
  • Ipu – EEM Delmiro Gouveia
  • Sobral – Colégio Estadual Dom José Tupinambá da Frota
  • Iracema – EEM Deputado Joaquim de Figueiredo Correia
  • Quixeramobim – EEFM Assis Bezerra
  • Crateús – EEFM Lourenço Filho
  • Crateús – EEFM Presidente Eurico Gaspar Dutra
  • Senador Pompeu – Liceu de Senador Pompeu Marcionílio Gomes de Freitas
  • Farias Brito – EEM Gabriel Bezerra de Morais
  • Fortaleza – EEFM Cláudio Martins
  • Fortaleza – EEFM Padre Marcelino Champagnat
  • Fortaleza – EEFM Jonhson
  • Fortaleza – EEFM Estado do Maranhão
  • Fortaleza – EEFM Professor Edmilson Guimarães de Almeida
  • Fortaleza – EEFM Professor José Maria Campos de Oliveira
  • Fortaleza – EEFM Professora Maria Margarida de Castro Almeida
Três novas escolas profissionalizantes
  • Caririaçu – EEEP Paulo Barbosa Leite
  • Ocara – EEEP Maria Môsa da Silva
  • Forquilha – EEEP Gerardo José Dias de Loiola

Assessoria de Comunicação/Governo do Estado do Ceará

Curta nossa página no Facebook

Sem conteúdo, novo discurso de Bolsonaro em Davos teve apenas 3 minutos e decepciona o mundo

Jair Bolsonaro (PSL) discursou novamente em Davos e, mais uma vez, foi breve em seu tempo de fala. Em um jantar com líderes da América Latina, na noite de quarta-feira (23), Bolsonaro falou por três minutos, conforme publicado pelo blog do jornalista Lauro Jardim, do O Globo.

O evento – que tinha como atração uma apresentação do CEO da Microsoft, Satya Nadella, falando sobre “Um futuro centrado em humanos para a América Latina” -, começou com uma hora de atraso devido aos acontecimentos na Venezuela, segundo Lauro Jardim.

Aproveitando o gancho, Bolsonaro se escudou no discurso que domina: falou que a América Latina está ficando livre dos esquerdistas e que o seu governo prega a abertura comercial. Sua nova fala aconteceu no mesmo dia em que o presidente e parte de sua comitiva cancelaram uma coletiva de imprensa, surpreendendo, inclusive, a organização do Fórum Econômico Mundial.

O presidente da Colômbia, Iván Duque, que discursou antes de Bolsonaro, falou em inglês e durante dez minutos a respeito da economia 4.0. O presidente brasileiro sentou-se à mesa com outros mandatários latino americanos. O outra mesa reuniu seu filho Eduardo, o ministro Augusto Heleno e Luciano Huck, segundo apurou Lauro Jardim.

Fonte: Yahoo! Brasil

Curta nossa página no Facebook

24 de janeiro

1939 - Um tremor de terra causa mais de 30 mil mortes e destrói a cidade de Chillán, no Chile.
1972 - O soldado japonês Shoichi Yokoi é encontrado na selva de Guam, onde estava desde o fim da Segunda Guerra Mundial, sem saber que a guerra tinha acabado.
1984 - A Apple lança o computador Macintosh.

Nasceram neste dia…
    76 - Adriano, imperador romano (m. 138).
1878 - João Pessoa, político brasileiro (m. 1930).
1961 - Nastassja Kinski, atriz alemã.

Morreram neste dia…
    41 - Calígula, imperador romano (n. 12).
1965 - Winston Churchill (foto), estadista, militar, escritor e político britânico (n. 1874).
1986 - L. Ron Hubbard, escritor de ficção científica e fundador da cientologia (n. 1911).

Fonte: Wikipédia

Papelão: Quarenta minutos antes, Bolsonaro cancela entrevista em Davos

O presidente Jair Bolsonaro decidiu cancelar uma entrevista coletiva que concederia a jornalistas em Davos, no Fórum Econômico Mundial, 40 minutos antes de ela acontecer.

A equipe do Fórum foi pega de surpresa. Bolsonaro se reuniu com o presidente da Suíça, Ueli Mauer, e com o ex-premiê britânico, Tony Blair, após almoçar com investidores e apresentar os prospectos para o Brasil.

Em seguida, porém, ele tomou o caminho de volta a seu hotel em vez de se dirigir ao centro de imprensa, onde faria um pronunciamento seguido de entrevista coletiva com os ministros Paulo Guedes (Economia) e Sergio Moro (Justiça).

O assessor da Presidência Tiago Pereira Gonçalves disse a repórteres que aguardavam o presidente no hotel que o cancelamento da entrevista coletiva se deu devido à “abordagem antiprofissional da imprensa”. Cerca de uma hora depois, uma outra pessoa da comitiva do presidente afirmou a jornalistas que Bolsonaro tinha cancelado o compromisso para se poupar, pois sua agenda está muito carregada. Os demais encontros do presidente foram mantidos.

Na manhã desta quarta (23), Bolsonaro declarou em entrevista à agência Bloomberg que, se seu filho Flávio Bolsonaro for culpado no caso envolvendo movimentações atípicas em sua conta, ele pagaria por isso. Desde então, os jornalistas brasileiros têm insistido em perguntas sobre o caso ao presidente, que responde apenas com silêncio.

Os jornalistas ficaram no centro de imprensa aguardando uma possível entrevista dos ministros Paulo Guedes, Sergio Moro e Ernesto Araújo, mas eles também não apareceram. O local para a primeira conversa do presidente e dos ministros com a imprensa brasileira já estava preparado.​

Jornalistas estrangeiros —portugueses, mexicanos, suíços, alemães e chineses— ficaram estupefatos com o cancelamento do evento, comunicado oficialmente pela organização do Fórum 17 minutos após o horário em que a entrevista começaria.

A organização não ofereceu motivos para o cancelamento e pediu aos jornalistas que perguntassem à delegação brasileira —a equipe do Fórum levou quase uma hora para entender o que havia acontecido. 

A assessoria de comunicação do presidente tentou organizar uma declaração antes do encontro bilateral com o premiê italiano, Giuseppe Conte, mas o brasileiro se recusou, alegando falta de tempo.

É incomum que um chefe de Estado ou governo não dê nenhuma entrevista coletiva em Davos, evento visto como uma vitrine mundial para investidores.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook

Flávio Bolsonaro lucrou R$ 813 mil com transação relâmpago de imóveis

O senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) construiu seu patrimônio antes de se declarar empresário, de acordo com informações cartoriais, da Justiça Eleitoral e da Junta Comercial do Rio de Janeiro.

O ainda deputado estadual é sócio da Bolsotini Chocolates e Café Ltda, uma franquia da Kopenhagen no Via Parque Shopping, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

De acordo com a Receita Federal, a empresa foi aberta em 7 de janeiro de 2015 e tem mais um sócio.

Essa foi a única atividade empresarial que o senador eleito declarou em toda a sua trajetória política, desde 2002.

Fabrício Queiroz, ex-motorista do deputado estadual, é investigado sob suspeita de ser o pivô de um esquema ilegal de arrecadação de parte dos salários de servidores do gabinete, prática conhecida como rachadinha.

A partir da investigação, o Ministério Público do Rio solicitou ao Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) relatório sobre as contas de Flávio. O levantamento apontou 48 depósitos de R$ 2.000 para o deputado entre junho e julho de 2017.

Em entrevista à TV Record no domingo (20), o filho do presidente Jair Bolsonaro afirmou que tentam de "forma baixa" insinuar que a origem de seu dinheiro tem a ver com ex-assessores de seu gabinete.

"Não tem. Explico mais uma vez. Sou empresário, o que ganho na minha empresa é muito mais do que como deputado. Não vivo só do salário de deputado", afirmou o senador eleito.

Como mostrou a Folha no ano passado, Flávio fez pelo menos 20 transações imobiliárias em 14 anos, entre compras, vendas e permutas.

A maior parte das aquisições ocorreu antes de 2015, segundo dados de cartório. Em alguns casos, o parlamentar fez dívidas e só as quitou depois, quando já tinha a loja.

Segundo a assessoria da Kopenhagen, "o retorno do investimento aplicado ocorre de dois a três anos após o início das atividades". Ou seja, no caso de Flávio, só começaria a ocorrer em 2017 ou 2018.

A Folha apurou com pessoas familiarizadas com esse tipo de franquia que o faturamento bruto (não descontados os impostos e outras despesas) é de cerca de R$ 60 mil ao mês. A Kopenhagen não divulga faturamento de seus franqueados.

A Folha perguntou a Flávio se ele exerce mais algum trabalho além da sociedade na filial de chocolates e o mandato. A assessoria informou que ele não se manifestaria.

Uma reportagem da revista Piauí, de setembro de 2016, relata que o deputado estadual entregou um cartão de sua filial na Barra da Tijuca e chamou a atividade de plano B.

"A gente nunca sabe quanto tempo vai permanecer na política e é importante ter um plano B", afirmou.

Atualmente, o salário de um deputado estadual do Rio é de R$ 25,3 mil brutos.

Na última declaração de bens, de 2018, Flávio disse ter R$ 1,74 milhão —considerando o fato de que ele diz ser dono de apenas 50% dos imóveis, já que é casado em regime de separação de bens.

Ele entrou na vida política em 2002, com apenas um carro Gol 1.0, declarado por R$ 25,5 mil.

Entre 2012 e 2014, Flávio teve uma intensa movimentação imobiliária.

Suas duas últimas grandes aquisições, um apartamento no bairro de Laranjeiras e outro na Barra da Tijuca, no Rio, ocorreram antes de 2015.

Os dois imóveis foram registrados ao custo de R$ 4,2 milhões. Nos dois casos, o filho de Bolsonaro pediu empréstimos, um na Caixa e outro no Itaú, respectivamente.

Segundo a versão de Flávio, a dívida de R$ 1 milhão com a Caixa foi quitada em 2017.

Valor aproximado foi detectado em um segundo relatório do Coaf, divulgado pelo Jornal Nacional, da TV Globo, sobre movimentações atípicas na conta do filho do presidente. Segundo a reportagem, o órgão não identificou a data exata e o beneficiário.

Flávio não explicou a origem do dinheiro pago à Caixa.

Após 2015, documentos de cartório mostram que houve apenas uma permuta feita por Flávio e uma venda. Ele se desfez do imóvel das Laranjeiras, em troca de um na Urca e também de uma sala comercial na Barra, bairros do Rio de Janeiro. O parlamentar ainda recebeu um valor de R$ 600 mil na operação. Em maio 2018, o apartamento da Urca foi vendido, por R$ 1,1 milhão. 

Além de dizer que o retorno de investimento demora entre dois e três anos para ocorrer, a Kopenhagen informou ainda que para aquisição de uma franquia nos moldes da do filho do presidente da República é cobrada uma taxa de R$ 45 mil, além de investimento de R$ 350 mil, mais R$ 100 mil de capital de giro.

A Folha enviou no começo da tarde desta segunda (21) cinco perguntas para a assessoria de Flávio.

Além de questionar se há outra atividade desempenhada pelo parlamentar, a reportagem perguntou o valor do lucro líquido da loja, se ele teve alguma fonte de renda antes de 2015 que auxiliou nas aquisições e a origem do R$ 1 milhão utilizado para quitar o empréstimo com a Caixa.

Ele disse que não iria se manifestar.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook

Perplexos, após discurso pífio de Bolsonaro, executivos de multinacionais cancelam jantar

Após um discurso pífio no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, em sua primeira viagem internacional como presidente do Brasil,  executivos de multinacionais que planejavam investir no Brasil cancelaram jantar com Jair Bolsonaro. Mais cedo, Bolsonaro almoçou num bandejão suíço.

Discurso de seis minutos
O discurso foi curto, sem conteúdo. Apesar dos 45 minutos reservados para a sessão, Bolsonaro falou por 6 minutos e fez uma sabatina de cerca de 7 minutos com o presidente do Fórum, Klaus Schwab. No total, usou cerca de um terço do tempo disponível.

Curta nossa página no Facebook

23 de janeiro

  393 – Teodósio nomeia o filho Honório como co-imperador romano.
1719 – O principado de Liechtenstein é criado dentro do Sacro Império Romano-Germânico
1831 – É adotada a Bandeira da Bélgica.

Nasceram neste dia…
1688 – Ulrica Leonor da Suécia (m. 1741).
1855 – John Browning, inventor de armas norte-americano (m. 1926).
1944 – Rutger Hauer, ator holandês.

Morreram neste dia…
1516 – Fernando II de Aragão (n. 1452).
1989 – Salvador Dalí (foto), pintor espanhol (n. 1904).
2005 – Johnny Carson, humorista e apresentador norte-americano (n. 1925).

Fonte: Wikipédia

Com 235 mil vagas, estão abertas as inscrições do Sisu

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abriu as inscrições nesta terça-feira (22) para os candidatos que desejam disputar vaga em universidades públicas. Ao contrário do que ocorreu em edições anteriores e do que estava informado no próprio site, a página já exibia pela manhã as notas de corte parciais de cada curso. O site também apresentou dificuldades de acesso e os estudantes criticaram as falhas com memes no Twitter. Nas redes sociais, estudantes comentavam a oscilação das notas de corte (veja abaixo).

Procurado pelo G1, o Ministério da Educação (MEC) afirmou que houve "lentidão" devido ao grande número de acessos e que o site estava em "normalização". Sobre a divulgação antecipada das notas de corte, a assessoria do órgão aguardava retorno para esclarecer a dúvida apontada pela equipe de reportagem.

Se mantidas as regras adotadas nos anos anteriores, as notas de corte seriam divulgadas somente uma vez a cada dia a partir das 0h de quarta-feira (23). Elas seriam atualizadas no começo da madrugada de quinta (24) e de sexta (25). Nas edições anteriores, no último dia de inscrição os estudantes se guiaram somente pela nota de corte divulgada na madrugada, sem novas atualizações sobre a movimentação das notas nas últimas 24 horas do processo.

Como funcionam as notas de corte?
Em edições anteriores, o Sisu divulgou, uma vez por dia, depois de 24h de inscrição, uma nota de corte parcial para cada modalidade e curso. Ela é uma referência para ajudar o estudante a se inscrever em uma opção na qual realmente tenha chances de aprovação.

Ela é calculada da seguinte forma: supondo que sejam 30 vagas de ampla concorrência no curso de educação física, na universidade X. No primeiro dia, 60 candidatos se inscrevem para essa opção. Entre eles, vão ser aprovados os que tiverem as 30 maiores notas no Enem. Ou seja: a nota de corte será a 30ª mais alta. Exemplo: 642 pontos.

Se, no dia seguinte, alunos com desempenho melhor se inscreverem, esse patamar vai subir. Por isso, é importante ficar atento e selecionar opções em que haja chance real de aprovação. Se a nota do candidato for de 450, dificilmente ele será selecionado em um curso cuja pontuação mínima seja 642. Vale procurar outra opção.

É bom repetir: a nota de corte é só uma referência. Mesmo após a última ser divulgada, nas primeiras horas da madrugada de sexta-feira, outros participantes podem se inscrever até o fim do dia - o que muda a nota mínima. Consequentemente, só é possível saber se realmente foi aprovado quando os resultados forem publicados na segunda-feira (28).

Quem pode participar do Sisu?
Para participar, é necessário ter feito o Enem 2018 e tirado nota acima de zero na redação. Os resultados individuais do exame foram divulgados na última sexta (18) e podem ser consultados na página do participante. Basta digitar o CPF e a senha cadastrada no sistema.

Para que serve o Sisu?
O Sisu oferece 235.461 vagas em diversas universidades públicas. Deixa de ser necessário fazer um vestibular para cada uma – por esse sistema, o candidato usa a nota do Enem para pleitear uma vaga nas 129 instituições de ensino participantes.

Fonte: G1 

Curta nossa página no Facebook

WhatsApp fora do ar no Brasil? Usuários dizem que app parou de funcionar

O WhatsApp ficou fora do ar para algumas pessoas na tarde desta terça-feira (22). Segundo comentários de usuários no Twitter, o problema começou a acontecer hoje por volta de 16h15. O site DownDetector, que monitora o status de aplicativos e serviços online, mostra que o app parou de funcionar no Brasil e em alguns países da Europa. Ao tentar usar a rede social, o serviço apresentava a notificação "conectando..." e não conseguia enviar ou receber mensagens.

O site Outage Report, que reúne reclamações de usuários do mundo todo, já conta com quase 4 mil relatos sobre o erro de funcionamento do WhatsApp. Aparentemente, o problema atingiu o mensageiro em todas as plataformas disponíveis, seja celulares com Android ou iPhone (iOS), além da versão Web e para PC. Em resposta ao TechTudo, a empresa confirmou que "houve uma instabilidade de cerca de 10 minutos nessa tarde, mas o serviço já voltou ao normal". 

É importante ressaltar que esta é a estreia do aplicativo fora do ar em 2019. A última vez que o mensageiro parou de funcionar foi em novembro de 2018, quando o Facebook e Instagram também apresentaram instabilidades. Na ocasião, o erro ocorria na hora de baixar imagens e o aviso exibido era "Falha no download - Formato do arquivo não é suportado".

Outros bugs também foram recorrentes no ano passado. Em julho, o WhatsApp Beta enfrentou o erro de “Este arquivo não existe em seu dispositivo”, que impediu a reprodução de áudios no aplicativo. Um mês depois, em agosto, houve o bug de “Formato do arquivo não é suportado” ou “Não foi possível baixar a imagem” que não permitia baixar arquivos de mídia no app.

Vale lembrar que o WhatsApp ficou em evidência na última segunda-feira (21), quando a empresa anunciou o novo limite de encaminhamento de mensagens. A partir de agora, os usuários só podem enviar o mesmo conteúdo para cinco contatos de uma vez. Segundo a companhia, a medida "vai ajudar a manter o aplicativo focado em mensagens privadas com contatos próximos". 

Fonte: Techtudo

Curta nossa página no Facebook

Bolsonaro ‘me dá medo’ e Brasil ‘merece melhor’, diz vencedor do Nobel

Robert Shiller, vencedor do prêmio Nobel de
economia (Foto: Mikhail Tereshchenko/Getty Images)
Uma mistura de medo, interesse e certa satisfação.

Foi assim que empresários, economistas e a elite da finança internacional receberam, no Fórum Econômico Mundial, em Davos o discurso do presidente de Jair Bolsonaro – que, em menos de dez minutos, tentou convencer o mundo de que o Brasil “mudou”.

“O Brasil é um grande país. Merece alguém melhor”, disse o americano Robert Shiller, prêmio Nobel de Economia. “Ele me dá medo”, insistiu.

O americano lembrou que também ouviu um discurso moderado por parte de Donald Trump, presidente dos EUA. “Vi Viktor Orban (presidente da Hungria) em um discurso e ele também parecia moderado e razoável”, apontou.

Após tecer vários comentários surpreendentes a respeito de lideranças mais à direita no mundo, incluindo Bolsonaro, ainda rindo disse: “Eu tenho que parar de falar. Não posso falar sobre o Brasil de novo”.

Um banqueiro alemão, que não quis ser identificado, reclamou da falta de informações. “Ele deu manchetes. Mas nós queremos detalhes”, insistiu. “Talvez não haveria como pedir mais dele”, ironizou.

O presidente da Iberdrola, José Ignacio Galán, acredita que o discurso serviu para deixar claro “o que o governo pensa”. “Sinto pelos jornalistas, que não têm muitas manchetes”, disse. “Ele deu uma visão bastante técnica. Também falou de como quer as contas do país estabilizadas e, acima de tudo, que quer transformar o Brasil numa das 50 melhores lugares para se fazer negócios. Isso é fundamental para atrair parceiros”, afirmou.

Ricardo Marino, chairman do Itaú na América Latina, acredita que o discurso serviu para “educar” aqueles que não conhecem o Brasil.

“Obviamente que o investidor quer saber de mais detalhes. Mas para quem não está educado sobre o Brasil, ele vê que novo ciclo chegou”, disse. “Foi genérico, ele leu. Mas passou a mensagem para educar a média daqueles que não sabem o que é o Brasil”, apontou.

Fonte: Exame.com

Curta nossa página no Facebook

SAAEC intensifica fiscalização sobre ligações clandestinas e faz alerta

A Sociedade Anônima de Água e Esgoto do Crato (SAAEC) tem intensificado a fiscalização sobre ligações clandestinas que desviam água do sistema de abastecimento sem passar pelo hidrômetro, inclusive estará em breve operando com equipamento georadar, que identifica irregularidades de forma rápida e sem necessidade de quebra de pisos e paredes.

A empresa visando o bem-estar dos usuários alerta para os riscos e consequências de ligações irregulares, que podem provocar vazamentos e perda de pressão na rede ocasionando falta de água para a população, além de originarem infiltrações que podem comprometer a estrutura dos imóveis, podendo até causar desabamentos.

Equipes de fiscalização estão em campo para detecção de irregularidades e notificação em casos de ligações ilegais confirmadas. Quando confirmada a fraude, o usuário é notificado e pagará multa que pode chegar ao valor de R$ 1.698,90, podendo também responder processo por crime de furto de acordo com o Art. 155 do Código Penal. “Além de comprometer o abastecimento, as fraudes contribuem para o aumento dos índices de desperdício”, explica Cristiano Cardoso, assessor de planejamento e engenharia da SAAEC.

Neste mês de janeiro na cidade do Crato foram detectadas duas ligações irregulares, ocasionando a detenção dos infratores, que tiveram que pagar fiança no valor de R$ 5 mil cada para liberação, além de continuar respondendo processo.

Para evitar constrangimentos o usuário pode procurar o atendimento da SAAEC para regularizar a situação sem mexer no bolso.

Assessoria de Comunicação/SAAEC

Curta nossa página no Facebook

Polícia Militar participa de reunião de planejamento para Romaria das Candeias

Durante a manhã de hoje (22), a Polícia Militar participou de uma reunião promovida pela Secretaria de Turismo e Romaria de Juazeiro do Norte, cujo objetivo foi o planejamento das ações que serão desencadeadas durante a Romaria das Candeias 2019 que acontecerá no período de 29 de janeiro a 02 de fevereiro.

Em relação à segurança pública, o 2º BPM deverá dispor policiamento ostensivo em postos fixos nas imediações de igrejas, praças, museus, mercados, colina do horto e terminal rodoviário. Além disso, haverá policiamento motorizado atuando nas vias públicas onde há intenso fluxo de pessoas.

De acordo com o comandante do 2º BPM, Major Luciano Rodrigues de Oliveira, o planejamento operacional realizado pela Polícia Militar tem por objetivo garantir a tranquilidade tanto da população juazeirense quanto dos romeiros que visitam a terra do Padre Cícero.

Curta nossa página no Facebook

Davos: De 45 minutos a que tinha direito, Bolsonaro fala seis e não diz nada

Bolsonaro usou um terço do tempo disponível em Davos;
sessão estava lotada mas recepção foi fria, sem aplausos
quando ele entrou e poucos no encerramento
(Foto: Arnd Wiegmann/Reuters)
Jair Bolsonaro fez hoje a sua estreia no palco internacional no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça.

A sessão estava lotada, com fila para ingresso, mas a recepção da plateia foi fria, sem aplausos quando ele entrou e poucos no encerramento.

O discurso foi curto, como já havia sido antecipado pelo presidente. Apesar dos 45 minutos reservados para a sessão, Bolsonaro falou por 6 minutos e fez uma sabatina de cerca de 7 minutos com o presidente do Fórum, Klaus Schwab. No total, usou cerca de um terço do tempo disponível.

Na única parte que não estava no discurso antecipado à imprensa, o presidente disse estar emocionado e se dirigiu a plateia afirmando que “o Brasil precisa de vocês e vocês com toda certeza em parte precisam do nosso querido Brasil”.

Ele destacou sua própria vitória eleitoral, com pouco tempo de televisão e recursos, e ter assumido um país em “profunda crise ética, moral e econômica”.

A uma plateia formada em grande parte por investidores, o presidente prometeu “trabalhar pela estabilidade macroeconômica, respeitando os contratos, privatizando e equilibrando as contas públicas”.

Não houve detalhes sobre o programa de privatizações, como havia sido especulado. Quando questionado por Schwab sobre a associação da “marca Brasil” com a corrupção e planos concretos para essa área, o presidente também não deu detalhes.

Ele também não falou sobre a reação do país diante da crise na Venezuela ou sobre a decisão recente de sair do Pacto Global da Migração, dois temas interligados no caso brasileiro e caros ao público internacional.

“Vamos defender a família e os verdadeiros direitos humanos; proteger o direito à vida e à propriedade privada e promover uma educação que prepare nossa juventude para os desafios da quarta revolução industrial, buscando, pelo conhecimento, reduzir a pobreza e a miséria”, destacou Bolsonaro.

Ministros
Bolsonaro havia dito ontem, já em Davos, que seu discurso havia sido “feito e corrigido, por assim dizer, por vários ministros”.

Foram citados todos que o acompanham na comitiva: Paulo Guedes, da Economia, Sérgio Moro, da Justiça e Segurança Pública (“o homem certo para o combate à corrupção e o combate à lavagem de dinheiro”) e Ernesto Araújo, das Relações Exteriores.

“Nossas relações internacionais serão dinamizadas pelo ministro Ernesto Araújo, implementando uma política na qual o viés ideológico deixará de existir”, disse Bolsonaro.

O trecho sobre Araújo foi revelador já que ele é visto justamente como um dos membros mais ideológicos da equipe e um possível obstáculo para os planos liberais de Guedes.

Meio ambiente
O meio ambiente e sua compatibilização com o desenvolvimento foram um dos principais temas da sessão.

“Somos o país que mais preserva o meio ambiente. Nenhum outro país do mundo tem tantas florestas como nós. A agricultura se faz presente em apenas 9% do nosso território e cresce graças a sua tecnologia e à competência do produtor rural. Menos de 20% do nosso solo é dedicado à pecuária. Essas commodities, em grande parte, garantem superávit em nossa balança comercial e alimentam boa parte do mundo”, disse Bolsonaro no discurso.

No entanto, ele não falou das mudanças climáticas, citadas como um dos maiores riscos para o planeta nos relatórios do próprio Fórum.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse recentemente que o presidente aceitou ficar no Acordo de Paris, apesar de ameaças durante a campanha.

Metas econômicas
“Gozamos de credibilidade para fazer as reformas de que precisamos e que o mundo espera de nós”, disse Bolsonaro no discurso sem citar nenhuma especificamente. Depois, questionado por Schwab sobre quais seriam, ele citou as reformas da Previdência e a Tributária.

Jair Bolsonaro também estabeleceu como meta em seu discurso colocar o Brasil entre os 50 melhores países para fazer negócios, uma referência ao ranking Doing Business do Banco Mundial; o país subiu 14 posições no último levantamento, mas está no 109º lugar entre 190 países.

O presidente também prometeu diminuir a carga tributária, promessa vista por grande parte dos economistas como inviável, pelo menos em um primeiro mandato, devido ao tamanho do rombo fiscal.

Uma novidade foi a “defesa ativa da reforma da OMC, com a finalidade de eliminar práticas desleais de comércio e garantir segurança jurídica das trocas comerciais internacionais.”

O presidente concluiu a sua fala repetindo seu lema de campanha (“Deus acima de tudo”) e afirmando que nossas relações trarão infindáveis progressos para todos.”

Fonte: Exame.com

Curta nossa página no Facebook

Milicianos, alvos de operação, foram homenageados por Flávio Bolsonaro em 2003 e 2004

O major Ronald Paulo Alves Pereira, chega preso à
Cidade da Polícia, no Rio (Foto: Márcia Foletto) 
Os dois principais alvos da Operação Intocáveis , o ex-capitão do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega e o major da PM Ronald Paulo Alves Pereira, foram homenageados, em 2003 e 2004, na Assembleia Legislativa do Rio por indicação do deputado estadual Flávio Bolsonaro. O parlamentar sempre teve ligação estreita com policiais militares.

Adriano, que ainda não foi encontrado pela polícia, chegou a receber a medalha Tiradentes, a mais alta honraria do Legislativo fluminense. Ronald, um dos presos na manhã desta terça-feira, ganhou a moção honrosa quando já era investigado como um dos autores de uma chacina de cinco jovens na antiga boate Via Show, em 2003, na Baixada Fluminense. Os dois são suspeitos de integrar o Escritório do Crime, um grupo de extermínio que estaria envolvido no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL).

O ex-capitão Adriano Magalhães da Nóbrega foi alvo de duas honrarias, de louvor e congratulações por serviços prestados à corporação. A primeira, uma moção, ocorreu em outubro de 2003, por comandar um patrulhamento tático-móvel, quando estava no 16º BPM (Olaria). Na época, o militar era primeiro-tenente. O texto da moção de número 2.650/2003 dizia que ele era homenageado "pelos inúmeros serviços prestados à sociedade". Flávio Bolsonaro justificou o ato: "no decorrer de sua carreira, atuou direta e indiretamente em ações promotoras de segurança e tranquilidade para a sociedade, recebendo vários elogios curriculares consignados em seus assentamentos funcionais. Imbuído de espírito comunitário, o que sempre pautou sua vida profissional, atua no cumprimento do seu dever de policial militar no atendimento ao cidadão. É com sentimento de orgulho e satisfação que presto esta homenagem". 

Na segunda, em agosto de 2005, Adriano recebeu a medalha Tiradentes, principal honraria da Assembleia Legislativa, também com elogios à carreira do então militar.

Em março de 2004, foi o major Ronald Paulo Alves Pereira, então capitão, que também recebeu uma homenagem por meio de uma moção honrosa proposta por Flávio Bolsonaro. A moção de número 3.480 foi de louvor e congratulações pelos serviços prestados por Ronald, que na época estava no 22º BPM (Maré).

Ele teria se destacado em uma operação realizada no Conjunto Esperança, no Complexo da Maré, na Zona Norte, no dia 22 de janeiro de 2004, à 0h30m. De acordo com os registros da Assembleia Legislativa, a ação resultou “em confronto armado com marginais da lei, onde três destes vieram a falecer, sendo um deles o meliante Macumba, líder do tráfico no Conjunto Esperança, Complexo da Maré”. Na operação foram apreendidos: dois fuzis M16, uma granada marca FMK de fabricação argentina, dois celulares, um radiotransmissor, além de munição. 

O major recebeu a homenagem menos de um ano depois de estar sendo investigado como um dos autores da chacina de cinco jovens na antiga boate Via Show, em São João de Meriti, em 6 de dezembro de 2003. Quatro policiais já foram condenados pelos quatro homicídios de jovens que foram sequestrados pelos agentes da casa de show. O único agente que ainda responde pelo crime é o oficial, que conseguiu postergar seu julgamento até hoje. O júri de Ronald está marcado para abril. 

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook

Flávio Bolsonaro empregou mãe e mulher de um dos suspeitos pela morte de Marielle Franco

O gabinete do senador eleito e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) empregou até novembro do ano passado a mãe e a mulher do  capitão Adriano Magalhães da Nóbrega , tido pelo Ministério Público do Rio como o homem-forte do Escritório do Crime , organização suspeita do assassinato de Marielle Franco. O policial foi alvo de um mandado de prisão nesta terça-feira e ainda não foi encontrado pela polícia. Ele é acusado há mais de uma década por envolvimento em homicídios. Adriano e outro integrante da quadrilha foram homenageados por Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Adriano é amigo de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro e investigado sob suspeita de recolher parte dos salários de funcionários do político. Teria sido Queiroz - amigo também do presidente Jair Bolsonaro desde os anos 1980 - o responsável pelas indicações dos familiares de Adriano.

A mãe de Adriano, Raimunda Veras Magalhães, e a mulher, Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega, ocuparam cargos no gabinete de Flávio Bolsonaro. Elas tinham o cargo CCDAL-5, com salários de R$ 6.490,35. Segundo o Diário Oficial do Estado, ambas foram exoneradas a pedido no dia 13 de novembro de 2018. O Globo revelou a existência do Escritório do Crime em agosto do ano passado.

Ex-integrante do Bope, Adriano se formou no curso de operações especiais da PM em 2000. Ele foi preso na operação “Dedo de Deus”, de 2011, desencadeada para combater o jogo do bicho no Rio. À época, era capitão da PM.

Raimunda é uma das servidoras do gabinete que fizeram repasses para a conta do ex-assessor Fabrício Queiroz, investigado pelo Ministério Público do Rio. A ex-assessora, de 68 anos, repassou R$ 4,6 mil para a conta do policial militar. Ela ocupou cargos na Assembleia ao menos desde 2 de março de 2015, quando foi nomeada como assessora da liderança do PP - então partido de Flávio Bolsonaro. A mãe de Adriano permaneceu no cargo até 31 de março de 2016, pouco depois do senador eleito deixar o PP e se filiar ao PSC. No dia 29 de junho do mesmo ano, voltou a trabalhar na Alerj, dessa vez no gabinete de Flávio. Já Danielle aparece como servidora da Alerj ao menos desde novembro de 2010.

O relatório do Coaf aponta mais uma possível ligação entre Queiroz e Adriano.  Segundo dados da Receita Federal, Raimunda é sócia de um restaurante localizado na Rua Aristides Lobo, no Rio Comprido. O estabelecimento fica em frente à agência 5663 do Banco Itaú, na qual foi registrada a maior parte dos depósitos em dinheiro vivo feitos na conta de Fabrício Queiroz. Na agência foram realizados 17 depósitos não identificados, em dinheiro vivo, que somam  R$ 91.796 - 42% de todo o valor depositado em espécie nas transações discriminadas pelo Coaf, segundo um cruzamento de dados feito pelo Globo.

Nessa agência foram registradas transações com valores repetidos mensalmente - um indício de lavagem de dinheiro, segundo um integrante do Ministério Público Federal. Em setembro, novembro e dezembro foram feitos depósitos em espécie no valor de R$ 4.246. Já em outros seis meses foram feitas transferências entre R$ 4.200 e R$ 4.600.

Adriano também aparece ligado a outro restaurante na mesma rua. O elo entre os dois estabelecimentos é uma sócia em comum. O Globo esteve no restaurante, registrado em nome de Raimunda, em dezembro. A sócia da ex-servidora da Alerj estava no local, mas Raimunda não estava presente. Segundo funcionários, a outra sócia do restaurante "estava viajando". Um deles, ao ser questionado, negou que uma das donas se chamasse Raimunda.

- É Vera - limitou-se a dizer.

Homenagens na Alerj
Além de empregar as familiares de Adriano, Flávio Bolsonaro por duas vezes homenageou o atual chefe do Escritório do Crime.

Em outubro de 2003, Flávio apresentou uma moção de louvor ao PM. Na homenagem, afirmou que Adriano atuava com "brilhantismo e galhardia". Segundo a homenagem, o ex-PM prestava "serviços à sociedade desempenhando com absoluta presteza e excepcional comportamento nas suas atividades". Ainda elogiou Adriano, àquela altura 1º tenente e comandante da guarnição de Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) do 16º BPM (Olaria): "Imbuído de espírito comunitário, o que sempre pautou sua vida profissional, atua no cumprimento do seu dever de policial militar no atendimento ao cidadão", disse Flávio Bolsonaro.

Em julho de 2005, Flávio concedeu uma nova homenagem ao policial. Desta vez concedeu a ele a Medalha Tiradentes, a mais alta honraria do parlamento fluminense. O então deputado estadual destacou o currículo de Adriano, citando diversos cursos que ele realizou na Polícia Militar, assim como sua participação em uma operação no Morro da Coroa, em 2001, que resultou na prisão de 12 suspeitos e na apreensão de quatro fuzis e outras três armas de fogo, uma granada e grande quantidade de munições.

Também alvo de um mandado de prisão nesta terça-feira, o major Ronald Paulo Alves Pereira, apontado como integrante do Escritório do Crime, também mereceu uma moção de louvor de Flávio Bolsonaro em março de 2004. Na justificativa da homenagem, o deputado estadual citou a participação de Ronald em uma operação no Complexo da Maré, que terminou com um saldo de três mortos, além da apreensão de dois fuzis e uma granada. 

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook

Motorista pode ser multado se usar veículo para arremessar água contra pedestres

O condutor que usar o veículo para arremessar água contra pedestres ou automóveis pode ser multado. A punição é prevista no artigo 171 do Código Brasileiro de Trânsito (CBT). Em 2018, sete multas do tipo foram aplicadas em Fortaleza. Para tanto, a infração precisa ser presenciada por um agente de trânsito. Caso provada a intenção do motorista, a multa pode chegar a R$ 130,16, perda de quatro pontos na carteira e até o pedido de suspensão da habilitação. 

Há duas tipificações para o mesmo ato infracional. A primeira é quando o pedestre é vítima, a segunda quando outro veículo é atingido. Nesses casos, o agente de trânsito precisa levar em consideração quando o condutor, intencionalmente, usa o veículo para arremessar a água, ou se houve tentativa de evitar o ato. Reduzir a velocidade ou desviar do trajeto planejado são alternativas. 

Enquanto o material jogado pode trazer riscos à saúde do pedestre, a visibilidade de outros condutores pode ser prejudicada. Pouco conhecida por habilitados, a Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) autuou sete motoristas pela infração. Cinco foram por arremessar substâncias contra pedestres, as outras duas foram contra veículos.

“A postura do agente é observar o fato, evidenciar se aquele condutor tinha tempo para desviar ou tinha condições de reduzir a velocidade para não arremessar”, resume André Luís Barcelos, assessor técnico da AMC. Segundo ele, a infração ocorre com mais frequência durante a quadra chuvosa. “Se o agente não ver, não tem o que fazer”, pontua ele sobre a necessidade da infração ser testemunhada por um profissional do órgão. Por isso, não há como denunciar. 

Fonte: O Povo

Curta nossa página no Facebook

Governo do Crato divulga calendário de pagamento dos servidores municipais para 2019

Foto: Samuel Pinheiro/Blog Cariri
O Prefeito Zé Ailton Brasil divulgou nesta segunda-feira (21) o Calendário de Pagamento 2019, através de um vídeo institucional. A ação é marca da atual gestão municipal que, desde o primeiro mês de governo, mantém em dia o salário dos seus servidores. “Esse é o nosso compromisso com o servidor público: pagar rigorosamente em dia os seus vencimentos”, afirmou o gestor.

O calendário e o seu cumprimento são frutos, primeiro, da Mesa Municipal de Negociação Permanente (MENP), estabelecida entre a gestão e os sindicatos representativos das categorias, e segundo, pela segurança financeira que hoje dispõe o município, garantindo os pagamentos de salários de todos os servidores no primeiro e segundo dia útil de cada mês.

Vale lembrar, ainda, que o município não demitiu nenhum funcionário temporário, nesse período, para fechar as contas do respectivo exercício financeiro, garantindo o pleno funcionamento de escolas, postos de saúde, e demais equipamentos municipais. E, ainda, tem preservado o atendimento de qualidade à toda comunidade cratense.


Assessoria de Comunicação/PMC

Curta nossa página no Facebook

22 de janeiro

1506 – Papa Júlio II cria a Guarda Suíça para proteger o papado.
1808 – A família real portuguesa chega ao Brasil fugindo de Napoleão Bonaparte
1968 – Lançamento da Apollo 5
2006 – Evo Morales toma posse como o 65º presidente da Bolívia.

Nasceram neste dia…
1561 – Maria Leopoldina da Áustria, imperatriz consorte do Brasil (m. 1826).
1906 – Robert E. Howard, escritor norte-americano (m. 1936).
1973 – Rogério Ceni, futebolista brasileiro.

Morreram neste dia…
1552 – Eduardo Seymour, 1.º Duque de Somerset, militar e político inglês (n. 1500).
1901 – Vitória do Reino Unido (n. 1819).
2008 – Heath Ledger (foto), ator australiano (n. 1979).

Fonte: Wikipédia

Justiça afasta secretária de Educação de Juazeiro do Norte

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio das 13ª e 14ª Promotorias de Justiça que atuam, respectivamente, na defesa da Educação e do Patrimônio Público, conseguiu, na Justiça, o afastamento da secretária de Educação de Juazeiro do Norte, Maria Loureto de Lima, por 120 dias úteis, por suspeitas de uso da máquina pública na campanha eleitoral de Pedro Augusto Geromel, filho do atual Prefeito que foi eleito Deputado Federal. O afastamento, sem prejuízo da remuneração, foi concedido nesta segunda-feira (21/01) pelo juiz Renato Belo Vianna, que responde pela 2ª Vara Cível da Comarca de Juazeiro do Norte. 

De acordo com a decisão judicial, “os fatos são graves e indicam que servidores temporários, subordinados à requerida, foram coagidos a votar ou a participar ativamente da articulação política do candidato beneficiado.” O Inquérito Civil tramita em sigilo e, portanto, informações detalhadas sobre a apuração dos fatos não podem ser divulgadas.

O afastamento foi requerido no âmbito da Ação Cautelar Preparatória de Improbidade Administrativa (Processo n.º 0005108-59.2019.8.06.0112) protocolada no dia 10 de janeiro deste ano pelos promotores de Justiça Flávio Côrte e Silderlândio do Nascimento. O inquérito teve como base a operação “Voto Livre” que cumpriu mandados de busca e apreensão expedidos pelo Juiz da 119ª Zona Eleitoral, Péricles Victor Galvão, após inquérito policial instaurado pela delegada da Polícia Federal Josefa Maria Lourenço, que apura crimes eleitorais.

Assessoria de Imprensa/MPCE

Curta nossa página no Facebook

Em 2003, Lula brilhou no Fórum Econômico Mundial

Se Davos está tomada pela curiosidade e até certa apreensão sobre o que representa o governo de Jair Bolsonaro, que faz sua estreia internacional nesta semana, não é a primeira vez que o Fórum se transforma em um espécie de teste a um presidente brasileiro. Em 2003, depois de uma forte volatilidade nos mercados financeiros diante da eleição, o então recém empossado Luiz Inácio Lula da Silva foi recebido na estação de esqui num clima de desconfiança e curiosidade. 

Naquele momento, os mercados temiam um governo que pudesse se afastar do mundo financeiro. Mas, em seu primeiro discurso, Lula propôs diálogo, garantiu que não atacaria o capitalismo e moderou seu discurso. 

Funcionários de Davos que estiveram naquele evento há 16 anos lembram que os comentários foram de alívio. 

Em sua estreia, Lula disse o que a elite das finanças mundiais queriam ouvir: faria “reformas econômicas, sociais e políticas muito profundas, respeitando contratos e assegurando o equilíbrio econômico”. Ele não deixou de mandar um recado. “Aqui, em Davos, convencionou-se dizer que hoje existe um único Deus: o mercado. Mas a liberdade de mercado pressupõe, antes de tudo, a liberdade e a segurança dos cidadãos”.

Naquele momento, o discurso foi interpretado como um sinal claro de que não haveria expropriações nem um confronto com multinacionais e muito menos um questionamento do sistema financeiro. 

Lula ainda fez um gesto inédito: participou num espaço de poucos dias do Fórum Social de Porto Alegre e de seu contraponto, na Suíça. Aos ativistas do Sul prometeu que levaria sua agenda social aos “donos do capital”. 

Presidentes de grandes bancos como o Citibank elogiaram o discurso em 2003 e o gesto do então presidente. Bono, vocalista da banda U2, chegou a dizer que Lula havia transformado Davos e colocado a agenda social no evento. 

Entre alguns de seus apoiadores, porém, houve uma certa resistência. “Lula está dando um presente para um cadáver, para um cemitério”, disse o escritor Emir Sader, que estava em Porto Alegre naquele ano. Já o ex-presidente de Portugal, Mario Soares, chegou a dizer que o evento suíço não tinha motivo para continuar existindo. “Este Fórum existe há mais de 30 anos e está esgotado”, afirmou.

Em 2010, Lula recebeu o prêmio de estadista do ano, concedido pelo Fórum, mas não compareceu ao evento para recebê-lo. Anos depois, acusaria Davos de não ter feito sua parte para evitar a crise mundial. Hoje, a prisão de Lula e a corrupção em seu governo é um tema que cria saia-justa entre os organizadores do evento na Suíça.

Fonte: Estadão

Curta nossa página no Facebook

Secretaria da Saúde orienta como prevenir acidentes com escorpiões

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) orienta a população sobre os cuidados para evitar acidentes com animais peçonhentos. No período de quadra chuvosa, é comum o aumento desse risco, especialmente com escorpiões. O clima úmido e quente favorece o aparecimento mais frequente desses animais. Com as chuvas, os escorpiões procuram lugar para se abrigarem e acabam entrando nas casas.

Eles podem entrar nas residências através de tubulações para fiação e encanamentos de esgoto. Frestas em paredes, portas e janelas também facilitam a entrada deles nas casas. Os escorpiões procuram alimento à noite. Durante o dia, ficam escondidos em lugares escuros, como calçados, armários, gavetas, panos e toalhas em áreas de serviço e banheiros.

Por isso, é importante olhar bem as roupas e calçados antes de usá-los e andar com os pés protegidos. Nada de colocar as mãos em tocas ou buracos. É fundamental manter a casa e a área ao redor limpas. O lixo e entulhos podem servir de abrigo para escorpiões e aranhas.

Em 2018, o Ceará teve 7.161 acidentes com animais peçonhentos. Desse total, 5.090 foram por picadas de escorpião. Em caso de acidente, é necessário lavar o local da picada com água e sabão e procurar atendimento médico imediatamente. Enquanto chega ao pronto-socorro, a vítima precisa ficar em posição de repouso e com o membro que foi picado para cima.


Atendimento
O atendimento dos casos de acidentes por animais peçonhentos é realizado em unidades hospitalares de referência, localizadas nas cinco macrorregiões de saúde: Instituto Dr. José Frota (IJF), em Fortaleza; Hospital Regional Norte, em Sobral, e Hospital Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte, ambos do Governo do Ceará; Maternidade Maria José, em Quixadá, e Hospital Regional Casa e Saúde de Russas.

Assessoria de Comunicação/Governo do Estado do Ceará

Curta nossa página no Facebook

MP do Rio suspeita de evolução patrimonial de Flávio Bolsonaro

A investigação sobre ocultação de bens e lavagem de dinheiro de Flávio Bolsonaro, que estava em andamento no Ministério Público do Rio de Janeiro até a suspensão determinada por Luiz Fux no STF, vinha se debruçando sobre a evolução patrimonial do deputado estadual. Havia chamado a atenção dos promotores o crescimento dos bens de Flávio, especialmente nos últimos anos.

De acordo com as declarações de renda prestadas por Flávio ao TSE, o patrimônio de Flávio mais que dobrou nos últimos anos, mas vinha crescendo desde que ele entrou para a política.

Um Gol 1.0 16 válvulas, ano 2001, comprado por R$ 25.500, era o único item do patrimônio de Flávio Bolsonaro em 2002, quando ele decidiu seguir os passos do pai, entrar para a política e candidatou-se a deputado estadual na Assembleia do Rio de Janeiro.

Passados 16 anos, ao apresentar sua declaração de bens no ano passado para disputar o Senado pelo Rio, Flávio havia aumentado seu patrimônio para R$ 1,741 milhão, e se tornado dono de um apartamento de frente para a praia da Barra da Tijuca, metade de uma loja de chocolates da Kopenhagen, também na Barra da Tijuca, uma sala comercial no mesmo bairro, um Volvo e R$ 558 mil em aplicações bancárias e investimentos.

O salário de um deputado estadual no Rio, atualmente, é de R$ 25.000 mensais — brutos.

Procurado ontem, Flávio não quis comentar a suspeita do MP do Rio de Janeiro. Ontem, em entrevista à TV Record, Flávio afirmou que os vencimentos de parlamentar são a menor parte de sua renda.

“Sou empresário, o que ganho na minha empresa é muito mais do que como deputado. Não vivo só do salário de deputado”, disse à TV Record.

A Folha de S. Paulo mostrou na edição de hoje que Flávio comprou e vendeu imóveis nesse período.

O crescimento patrimonial de Flávio havia sido notável já no primeiro mandato de deputado estadual.

Em 2006, declarou ter comprado um apartamento em Botafogo, na Zona Sul do Rio Janeiro, e um Peugeot 307. Patrimônio total de R$ 385 mil. Os tempos de Gol 1.0 haviam ficado para trás.

Em 2010, quando se candidatou para o terceiro mandato na Assembleia, quase dobrou o patrimônio: R$ 690 mil. Além do apartamento em Botafogo, tinha agora um Peugeot mais moderno, e participações em seis salas comerciais na Barra da Tijuca.

Quatro anos depois, um novo salto: patrimônio de R$ 714 mil. Sai da relação de bens o apartamento em Botafogo, e surge outro, em Laranjeiras, também na Zona Sul, no valor de R$ 565 mil, e um Honda CR-V. 

Fonte: Época

Curta nossa página no Facebook

Decepção dos grupos pró-Bolsonaro aumenta e perdem fôlego nas redes sociais

O bom desempenho do grupo de apoio a Jair Bolsonaro nas redes sociais, apontado como uma das razões de sua vitória na eleição de 2018, não vem se mantendo após a posse do presidente da República. O caso envolvendo suspeitas sobre Fabrício Queiroz, ex-assessor do seu filho mais velho, o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), colocou os apoiadores do presidente na internet na defensiva. 

A rede pró-Bolsonaro já vinha demonstrando perda de fôlego mesmo antes de o “caso Queiroz” ser revelado. Dentre as dez postagens que citam Flávio Bolsonaro com maior engajamento no Facebook nos últimos três dias, seis são de veículos de comunicação repercutindo reportagens do Jornal Nacional, duas são de sátiras críticas à família Bolsonaro e somente duas são em defesa do senador eleito – uma do próprio Flávio e uma da deputada eleita Joice Hasselmann (PSL-SP), ambas com o vídeo da entrevista do filho do presidente ao Jornal da Record, veiculada na sexta-feira, na qual ele rebate acusações.

O monitoramento realizado pelo Estadão Dados utilizando a ferramenta Crowdtangle mostra que, após o 2.º turno das eleições de 2018, o engajamento das “bolhas de apoiadores”, muito ativas durante período eleitoral, teve queda em todos os espectros ideológicos.

Por ter a maior e mais volumosa rede, Bolsonaro sofreu a maior queda absoluta. Passou de 7,8 milhões de interações em seu auge, na semana anterior ao 1.º turno, para 1,7 milhão hoje, ou seja, tem apenas 22% da força de antes.

Essa queda é um sintoma de desmobilização de sua estratégia de campanha, desprovida de recursos tradicionais, como tempo de TV e máquina partidária. Entretanto, sua rede voltou a se movimentar intensamente durante a posse, em comemoração e com críticas à oposição. Atingiu uma audiência um pouco maior do que a da vitória no 2.º turno, com 5,6 milhões de interações. Mas, com as primeiras notícias sobre o caso Queiroz ainda durante a transição, a rede bolsonarista se colocou em posição defensiva.

O levantamento realizado pelo Estadão Dados só leva em conta páginas anônimas de apoiadores, e não páginas oficiais. O escopo das oscilações são os últimos três meses. Ainda assim, o engajamento do presidente segue a mesma curva de queda das páginas que o orbitam.

Oposição
Com o fim da eleição, a rede petista foi a que sofreu a maior queda relativa, e tem hoje apenas 3% (foi de 2,3 milhões para 80 mil interações) de seu auge durante o período eleitoral, a semana de meados de agosto do ano passado. Esse grupo petista já vinha sendo “desafiado”, ainda durante a eleição, pelo terceiro campo político nas redes sociais: o grupo de páginas de esquerda não alinhadas com o PT ou que apoiaram candidatos derrotados no 1.º turno, como Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede).

Essa terceira rede está suplantando a presença do grupo petista como oposição ao governo Bolsonaro e nas críticas ao caso Queiroz. Atualmente, ela está em ritmo de recuperação pós-eleição, atingindo os mesmos índices da enfraquecida rede de Bolsonaro. Há um empate técnico: 1,69 milhão de interações ante 1,74 milhão dos bolsonaristas, no período após a divulgação de movimentações “atípicas” de Queiroz.

Durante o período eleitoral essa terceira rede não chegava nem perto do grupo pró-Bolsonaro, seja em tamanho, volume ou influência.

Fonte: Estadão

Curta nossa página no Facebook

Revitalização do Parque Natural das Timbaúbas, em Juazeiro do Norte, ganha novo prazo

Faltando menos de um mês para se esgotar o prazo de conclusão, a obra de revitalização do Parque Natural das Timbaúbas, em Juazeiro do Norte, já tem uma nova data para entrega: junho de 2019.

Orçada em R$ 2,8 milhões, com recurso do Governo do Estado do Ceará, a reforma e a urbanização buscam atrair mais visitantes e oferecer espaços de esporte e lazer.

Criado a partir de decreto, em 23 de outubro de 2017, o local se tornou a primeira unidade de conservação do Município, enquadrada como uma Área de Proteção Integral.

Segundo a secretária de Infraestrutura de Juazeiro do Norte, Gizele Menezes, o atraso se deu porque foi detectada a necessidade de realizar uma limpeza na lagoa. Além disso, também será preciso construir um muro de arrimo nos fundos da Unidade de Conservação para que a calçada fique com três metros de altura, como especifica o projeto.

Por garantir os ajustes, foi realizada uma proposta de aditivo, enviada ao Governo do Estado, que ainda não foi aprovada. Paralelo a isso, os técnicos da Pasta detectaram que algumas casas estavam depositando esgotos no local responsável pelo escoamento de águas pluviais.

O setor de fiscalização da Secretaria foi acionado e notificará os moradores para que construam fossas sumidouros e a drenagem seja finalizada. "Com esses imprevistos, detectados durante as obras, mas que já estão sendo resolvidos, houve a necessidade de ampliação do prazo de execução dos serviços", disse a Pasta, em nota.

As obras no Parque, contemplam a instalação de uma guarita, recuperação da praça e do prédio, onde atualmente funciona a Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Públicos, construção de dois playgrounds, criação de duas academias e recuperação e instalação de iluminação no local. Haverá ainda banheiros públicos.

Além disso, será criada uma pista com três extensões: 800m, 1,5 km e 3 km. Ao redor, também será construída uma área de passeio público com a ampliação da calçada, que passará de 1,5m para 3m de largura.

Obras embargadas
Outras três obras que foram iniciadas dentro da área da Unidade de Conservação estão embargadas. A primeira data de 2014 e envolve construção do Centro de Reabilitação e da Oficina Ortopédica, que deveria ser concluída no mesmo ano.

Em 2016, foi a vez do Centro de Iniciação ao Esporte (CIE), que tem previsão de atender a 13 modalidades olímpicas, e uma piscina semiolímpica. No entanto, a Justiça, atendendo a um pedido do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), determinou a imediata paralisação das obras no último dia 6 de setembro.

Segundo o MPCE, as obras representam um "significativo impacto ambiental sobre área de preservação permanente". O juiz Francisco José Mazza Siqueira, da 2ª Vara Cível da Comarca de Juazeiro do Norte, definindo, em sua decisão, que as edificações podem ocasionar uma "grave degradação ao meio ambiente local".

O magistrado também reitera que "há risco evidente de irreversibilidade dos danos, caso as obras prossigam em desacordo com as determinações da legislação ambiental pertinente e resoluções do Conama".

ANTONIO RODRIGUES
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Addthis