Bolsonaro comete gafe e é vaiado por simpatizantes

Pré-candidato à Presidência, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) se atrapalhou ao discursar para apoiadores em visita ao Triângulo Mineiro na quinta-feira (19). Recepcionado com festa em Uberlândia (MG), o parlamentar agradeceu durante o pronunciamento e disse também ser "paulista desse Estado maravilhoso que é a locomotiva da nossa economia".

A declaração foi seguida de silêncio pelo grupo que acompanhava a agenda. Após ser alertado por membro da assessoria, Bolsonaro remendou: "Meu muito obrigado para Uberlândia, Minas Gerais".

Minutos depois, ao seguir com o discurso, o pré-candidato novamente se referiu ao Estado de São Paulo. "Como integrante do Exército brasileiro, queria saudar aqui a nossa força irmã: a Polícia Militar de São Paulo. Uma salva de palmas para a Polícia Militar de São Paulo", disse.

Algumas pessoas na plateia gritaram "Minas Gerais" para corrigir o pré-candidato e houve nova intervenção da assessoria.

Bolsonaro disse então ter cometido um ato falho. "Desculpem-me. Vou pagar dez flexões. É que vou decolar de Ribeirão Preto depois. Polícia Militar de todo o Brasil e, em especial Minas Gerais, uma salva de palmas", remendou novamente, seguido de risadas do grupo que acompanhava o discurso.

Pesquisa
Em meio a diversos pedidos de desculpas pela confusão ao longo do pronunciamento de quase 30 minutos, o parlamentar comemorou pesquisa que aponta um empate técnico em segundo lugar com Marina Silva nas intenções de voto.

Além disso, o parlamentar também contestou acusações de ser homofóbico e declarou que apenas é contrário à propagação da ideologia de gênero nas escolas. O pré-candidato ainda fez defesa ao combate à corrupção e menção à matéria veiculada na "Veja". "Sou uma ameaça, sim, à ideologia de gênero e a quem quer afundar o Brasil", disse, em alusão à capa da última edição da revista.

Nesta sexta, em Uberaba, reunido com lideranças do setor ruralista, Bolsonaro citou projetos do presidente americano Donald Trump e afirmou que se inspira na legislação dos Estados Unidos para a defesa da propriedade privada.

O parlamentar também se manifestou sobre as regras para a fiscalização contra o trabalho escravo e disse que "com olhos de lince, sempre serão encontrados problemas" nas propriedades.

No fim da visita, grupos pró e contra Bolsonaro trocaram farpas. Cerca de 15 manifestantes contrários a ele vaiaram o deputado na saída do centro de eventos, o que gerou bate-boca com a multidão de apoiadores que estava acompanhando o parlamentar. Houve troca de ofensas, mas não confronto físico. O deputado já havia deixado o local.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook

Juazeiro do Norte teve o melhor saldo no nível de emprego em setembro

O Ceará fechou o mês de setembro com saldo positivo de 2.161 vagas de trabalho com carteira assinada. Em números absolutos, os municípios que mais criaram vagas, em setembro, foram Juazeiro do Norte (338), Granja (331), Maracanaú (233), São Gonçalo do Amarante (189), Sobral (172), Pacajus (112), Morada Nova (107), Quixeramobim ((104), Paraipaba (94) e Maranguape (75). Em termos percentuais, Granja ficou na frente com 14,5% de novas vagas.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (19) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego. Em todo o Brasil, o mês de setembro fechou com crescimento de 34.392 postos de trabalho, aumento de 0,1% em relação ao estoque do mês anterior.

Em 2017, o saldo do estado foi negativo com -4.247 vagas de emprego formal. Ainda assim, algumas cidades se destacaram na geração de postos de trabalho como Missão Velha (538), Limoeiro do Norte (530), Granja (422), Morada Nove (351), Quixeramobim (349), Camocim (321), Paraipaba (186), Amontada (123), Viçosa do Ceará (1140 e Bela Cruz (46). Percentualmente, o município que mais se destacou na criação de vagas este ano foi Missão Velha, com 33,4%.

Desemprego
Na outra ponta, Fortaleza teve a maior redução no estoque de empregos com -291, em setembro, e -6.534 nos nove primeiros meses de 2017. Outros municípios que tiveram saldo negativo no mês de setembro, os destaques são Iguatu (-178), Missão Velha (-120), Russas (-103), Aquiraz (-47), Brejo Santo (-45), Horizonte (-41), Jaguaribe (-22) e Canindé (-21). Em termos percentuais Missão Velha liderou com -5,30%.

Setores
Em todo o país, o Caged mostrou que metade dos oito setores de atividade econômica apresentaram crescimento no nível de emprego. Os aumentos, pela ordem, foram verificados em Indústria de Transformação (+25.684 postos), Comércio (+15.040 empregos), Serviços (+3.743) e Construção Civil (+380 postos).

A alta no estado foi puxada principalmente pelo setor agropecuário, que abriu 767 vagas a mais do que demitiu. Também tiveram alta indústria da transformação (com saldo positivo de 636 vagas) e comércio (523). O setor de serviços teve baixa, com perda de 179 postos de trabalho.

O resultado de setembro foi proporcionado pela diferença entre 1.148.307 admissões e 1.113.915 desligamentos. No acumulado do ano, o saldo positivo chega a 208.874 empregos, com aumento de 0,5% em relação ao estoque de dezembro de 2016.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook

Governo do Ceará forma 1.350 novos policiais militares

O Governo do Ceará formou nesta sexta-feira (20) 1.350 novos policiais militares. A solenidade de formatura dos novos soldados foi realizada no Centro de Eventos, no Bairro Edson Queiroz, em Fortaleza. Dos 1.350 novos policiais militares, 1.282 são homens e 68 mulheres.

Os novos policiais concluíram a primeira turma do Curso de Formação Profissional para a Carreira de Praças da Polícia Militar. Outros 1.400 estão em formação na Academia Estadual de Segurança Pública (AESP) desde junho, com previsão de formatura em dezembro deste ano. Outros 1.400, aprovados no concurso realizado em 2016 para preencher 4.200, já iniciaram o processo de inspeção de saúde.

O governador Camilo Santana informou que a meta do Governo do Ceará é que os 4.200 profissionais sejam integrados à Polícia Militar.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook

13 alimentos que controlam o colesterol alto

A dupla hábitos alimentares saudáveis e prática regular de exercícios físicos é capaz de manter as taxas de colesterol bom (HDL) e ruim (LDL) em perfeito equilíbrio, afastando de perto o risco de infarto e derrame cerebral, além de outras doenças como o Mal de Alzheimer. Quem sofre com o problema sabe bem que a solução para este mal não está nas pílulas. Nem que você siga à risca os horários e as doses dos remédios, sem controlar a alimentação, as taxas de colesterol jamais entram nos eixos. Mas o contrário até pode acontecer: há quem aprenda a montar pratos saudáveis e, desta forma, passe longe da farmácia. A seguir, confira a lista de alimentos, para encampar uma batalha contra o colesterol alto e sair vencedor (sem, é claro, abrir mão de comer bem).

Peixes
Eles são excelente fonte de ácido graxo ômega 3, um tipo de gordura boa, do tipo insaturada, encontrada nos peixes de água fria, como salmão, atum e truta. "A gordura insaturada ajuda na redução dos níveis de triglicerídeos e colesterol total do sangue; reduz o risco de formação de coágulos, além de tornar o sangue mais fluido; sendo, portanto, importante aliada na prevenção das doenças cardiovasculares", explica nutricionista da Unifesp Ana Maria Figueiredo Ramos.

Aveia
Além das fibras insolúveis, a aveia contém uma fibra solúvel chamada betaglucana, que exerce efeitos benéficos ao nosso organismo. Ela retarda o esvaziamento gástrico, promovendo maior saciedade, melhora a circulação, controla a glicemia (açúcar no sangue) e inibe a absorção de gordura (colesterol). "A aveia diminui as concentrações de colesterol total, lipídios totais e triglicerídios de forma significativa e aumenta a fração do bom colesterol (HDL)", explica nutricionista da Unifesp Ana Maria Figueiredo Ramos.

Oleaginosas
Oleaginosas: Nozes e castanhas apresentam grande quantidade de antioxidantes, responsáveis por combater o envelhecimento celular e prevenir doenças coronárias, além de diversos tipos de câncer. A arginina, também presente em quantidades interessantes nas oleaginosas, atua como importante vasodilatador, contribuindo para a redução do risco de desenvolvimento de doenças do coração.

Chocolate amargo
O leite e a manteiga de cacau acrescentam doses de gordura saturada na guloseima que provoca arrepios de desejo, principalmente nas mulheres. Mas o chocolate amargo pode fazer parte da sua dieta, porque é rico em flavonóides (substâncias que diminuem o LDL). Diariamente, inclua 30g do doce como sobremesa. Só não vale compensar: a porção de hoje não fica acumulada para amanhã, ou seu organismo não dá conta de aproveitar os benefícios.

Azeite
É fonte de ácido oléico, que regula as taxas de colesterol e protege contra doenças cardíacas. Faz bem ao aparelho cardiocirculatório e para controlar o diabetes do Tipo 2, reduzindo a taxa glicêmica. É também uma grande fonte de antioxidantes, como a vitamina E.

Alcachofra
Suas fibras são resistentes à ação de enzimas e por isso apresentam muitas vantagens, entre as quais: diminuição dos níveis de colesterol e triglicérides sanguíneos ; redução do risco de obesidade e diabetes, fatores de risco para a saúde do coração. Uma porção de 100 g possui apenas 50 calorias. "Como ela ajuda na quebra de gorduras e no controle do colesterol, é bastante recomendada para prevenir doenças cardíacas", explica a nutricionista nutricionista da Unifesp Ana Maria Figueiredo Ramos.

Laranja
Ela não é boa só para gripes e resfriados. Um estudo realizado pela Universidade de Viçosa, em Minas Gerais, e publicado na revista American Heart Association, concluiu que os flavonoides, substâncias antioxidantes presentes na fruta, diminuem os níveis de LDL (colesterol ruim) no organismo, pois limitam a absorção do colesterol no intestino.

Vinho
A ingestão moderada da bebida (uma a duas doses por dia) promove elevação de aproximadamente 12% nos níveis de HDL, colesterol bom, semelhante à encontrada com a prática de exercícios. "A maioria dos efeitos protetores do vinho tinto são atribuídos aos flavanoides, que possuem propriedades antioxidantes, vasodilatadoras e anti-coagulante plaquetária", diz Ana Maria.

Linhaça
A semente é um dos alimentos mais ricos em ômega 3, por isso, é responsável por prevenir doenças cardiovasculares, e evitar coágulos ao diminuir as taxas de colesterol total e de LDL colesterol (ruim) e aumentar as de HDL colesterol (bom). Os benefícios da linhaça se potencializam quando a semente é moída ou triturada, já que sua casca é resistente à ação do suco gástrico e passa sem sofrer digestão no trato gastrointestinal.

Canela
Pesquisadores da Kansas State University, nos Estados Unidos, constataram que consumir meia colher de sopa por dia desta especiaria tem papel importante no combate ao colesterol ruim (LDL). Os pesquisadores acreditam que tal redução é resultado da ação dos antioxidantes presentes na canela.

Soja
Além de ajudar a controlar problemas hormonais para as mulheres que estão na menopausa, a soja é uma excelente opção para quem quer proteger o coração: "ela ajuda a diminuir o colesterol ruim (LDL), aumenta o colesterol bom (HDL) e fortalece o organismo de infecções", explica nutricionista da Unifesp Ana Maria Figueiredo Ramos.

Açaí
Apesar do alto teor de gordura do açaí, trata-se em grande parte de gorduras monoinsaturadas (60%) e poli-insaturadas (13%). Estas gorduras são benéficas e auxiliam na redução do colesterol ruim (LDL) e melhoram o HDL, contribuindo na prevenção de doenças cardiovasculares, como o infarto. Cada 100g do fruto tem 262 calorias. "O açaí tem gorduras que fazem bem para a saúde e por isso deve ser incluído no cardápio, porém, o ideal é consumi-lo sem adição de complementos muito calóricos, isso ajuda a manter a dieta", sugere Robert Stella. Gorduras: 52%, Fibras: 25%, Proteínas: 10%.

Chá
Principalmente o chá verde, pois os flavonoides, encontrados nesse tipo de chá, funcionam como antioxidantes e ajudam a prevenir a inflamação dos tecidos. Estas substâncias também podem proteger contra a formação de coágulos, que são as principais causas de ataques do coração.

Fonte: Minha Vida

Curta nossa página no Facebook

Ceará é um dos estados mais afetados por clima

Um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) analisou impactos dos desastres naturais, como seca e inundações, no crescimento econômico do Estado. O trabalho do analista de políticas públicas do órgão, Víctor Hugo de Oliveira, tem por objetivo fornecer evidências sobre as principais consequências de longo período de estiagem ou ocorrência de cheias na economia regional.

O Ceará, aponta o estudo, é um dos estados mais afetados por eventos climáticos extremos no País. Como cerca de 87% do território cearense estão dentro do Semiárido nordestino, com precipitação anual abaixo de 800 milímetros, apresenta risco elevado de aridez e de seca de pelo menos 60%. Além desses fatores geográficos, é um dos Estados mais pobres e que exibe alta vulnerabilidade social.

Segundo Victor Hugo, os desastres naturais possuem efeitos devastadores para o desenvolvimento humano e econômico. Entre 1995 e 2014, quase metade do total de perdas por eventos climáticos extremos ocorreram no Nordeste brasileiro.

Os desastres naturais podem causar migrações, tanto em países pobres, quanto em países ricos. "Tais eventos também afetam a renda e os gastos domiciliares, bem como impactam no mercado trabalho local", observa o pesquisador do Ipece. Outro impacto é o de manter populações vulneráveis presas à armadilha da pobreza extrema.

O estudo demonstra que os países ou regiões desenvolvidas tendem a experimentar baixas perdas econômicas causadas pelos desastres naturais. O analista Víctor Hugo explica que os eventos climáticos extremos provocam os mais frequentes desastres naturais no Brasil, cujas mudanças climáticas em curso podem intensificar a ocorrência e efeitos de estiagem e cheias.

Nordeste
O pesquisador afirma que o Nordeste do Brasil é uma das regiões do mundo que poderá experimentar uma intensificação das secas, como mostram as previsões do relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) de 2012.

A seca verificada entre 2010 e 2016 na região demonstrou que o Brasil ainda sofre com a falta de políticas públicas que promovam uma maior resiliência e preparação para estes tipos de desastres. O estudo evidencia que as mudanças climáticas reduziram a produtividade agrícola no Nordeste e apresenta hipóteses que podem resultar em perda de capital humano e financeiro.

O trabalho destaca que, em duas décadas (1992-2012), esses eventos extremos afetaram 4,4 bilhões de pessoas em todo o mundo, levando 1,3 milhões de vidas e gerando uma perda de US$ 2 trilhões.

HONÓRIO BARBOSA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Enem 2017: locais de prova já estão disponíveis no cartão de confirmação

O local de prova em que cada candidato fará o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 já está disponível no cartão de confirmação, no site https://enem.inep.gov.br/participante/. Para acessar a informação, é necessário digitar o número do CPF e a senha cadastrada na inscrição.

Dessa forma, será possível visualizar o endereço onde a prova será aplicada, o horário, a data, a opção de língua estrangeira escolhida e os atendimentos especializados, caso tenham sido solicitados.

Cartão de confirmação
De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), não é obrigatório apresentar o cartão de confirmação no dia do exame. No entanto, o órgão recomenda que todos imprimam e levem o documento para facilitar o acesso às informações e evitar confusões com o endereço e os horários da prova.

Data da prova
Pela primeira vez, o Enem será realizado em dois domingos consecutivos: 5 e 12 de novembro. O primeiro domingo terá linguagens, ciências humanas e redação, com cinco horas e meia de prova; no segundo, matemática e ciências da natureza, com quatro horas e meia de exame.

Horários da prova
Os portões de acesso aos locais de prova serão abertos às 12h e fechados às 13h, de acordo com o horário de Brasília (DF). A aplicação do exame começará às 13h30. No primeiro domingo, irá até 19h. E no segundo, até 18h.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook

Justiça determina a criação de, no mínimo, 150 novos leitos de UTI no CE nos próximos 4 anos

A Justiça Federal determinou que o Ceará precisará implantar, no mínimo, nos próximos quatro anos, 150 novos leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) em seu sistema público de saúde. A decisão foi proferida na última segunda-feira (16) pelo juiz Jorge Luís Girão Barreto, da 2ª Vara Federal, que acatou pedido da Defensoria Pública da União (DPU) em uma Ação Civil Pública (ACP) ajuizada em dezembro de 2014.

Segundo o entendimento do magistrado, os novos leitos são necessários para garantir o direito à saúde e o compromisso que o poder público deve ter com a garantia de direitos fundamentais. Em sua decisão - ainda cabe recurso -, o juiz também estabelece multa diária de R$ 20 mil em caso de descumprimento das obrigações explicitadas por ele.

Conforme Jorge Luís Girão Barreto, os novos leitos devem ser implantados de forma conjunta e solidária pela União, o Estado do Ceará e pelos municípios de Fortaleza e Caucaia, no prazo máximo de quatro anos, contados do ajuizamento da demanda. A cada ano, deverão ser implantados, no mínimo, 35 novas vagas.

"Reafirmo os mesmos fundamentos de direito para reconhecer a necessidade de criação, por parte dos réus, de leitos de UTI no Estado do Ceará, e compeli-los a tanto, como forma de efetivação dos direitos fundamentais constitucionais à saúde, não só minorando o sofrimento de tantos quantos esperam nas filas dos hospitais públicos, mas, principalmente, como medida paliativa e também norteadora das ações dos gestores do dinheiro público, para que invistam naquilo que é o real objeto da expectativa de todos os contribuintes, a saber: saúde, educação e segurança”, afirmou o magistrado, em sua decisão.

Insuficiência de vagas
De acordo com a DPU, a ACP foi proposta a partir da crescente demanda de pessoas que buscavam a Defensoria com necessidade de internação em leitos de UTI, em sua maioria com máxima urgência, mas que eram preteridas em uma longa fila de espera, que se acumulava em razão da insuficiência de vagas disponíveis para esse tipo de tratamento.

Resposta da Sesa-CE
Em nota, a Sesa informou que o Ceará ampliou o número de leitos de UTI nos últimos anos. "Em 2007, havia 626 leitos de UTI. Atualmente, são 979 leitos de UTI no estado. Desse total, são 696 pelo SUS, sendo 449 na capital e 247 leitos de UTI no interior", diz o comunicado.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Por que beber na frente dos filhos é um péssimo hábito

Um em cada dez pais afirma ter ingerido álcool na frente de seus filhos e metade deles já ficou embriagada, de acordo com uma nova pesquisa do Institute of Alcohol Studies, do Reino Unido. Esse comportamento, independentemente da quantidade consumida, pode impactar a saúde mental das crianças, tornando-as mais retraídas e preocupadas.

Dessa forma, mesmo os pais que não possuem dependência alcoólica podem causar problemas aos filhos – menos de  catorze unidades de álcool por semana (140 mililitros ou 112 gramas) – o consumo moderado, equivalente a sete pints de cerveja, por exemplo – é suficiente para desencadear efeitos negativos nos pequenos.

Efeitos negativos
Segundo os especialistas, ao notar os pais alterados pela bebida as crianças ficam preocupadas com o comportamento imprevisível dos adultos e se sentem menos confortáveis do que o habitual, o que pode atrapalhar a rotina e o sono delas.

Além disso, o estudo mostrou que os filhos perdem a confiança e tendem a não considerar os pais como modelos a ser seguidos. Para os cientistas, as novas descobertas surgem como um alerta para os pais que podem estar, inconscientemente, banalizando as consequências físicas e psicológicas do consumo do álcool.

A pesquisa
Esse é o primeiro estudo do gênero a examinar os efeitos que o consumo de bebidas alcoólicas pelos pais pode ter nas crianças. Os pesquisadores utilizaram dados de cerca de 1.000 pais e seus filhos a partir de questionários on-line, grupos de foco e consultas públicas com profissionais da área.

Pais e filhos
Os resultados mostraram que 29% dos pais acreditam que não há problema em beber perto dos filhos, desde que não seja algo recorrente. Por outro lado, 51% afirmaram já ter se embriagado na frente das crianças.

Já pelo ponto de vista das crianças entrevistadas, de 11 e 12 anos, o álcool é como se fosse um “açúcar para adultos“. Cerca de uma em cada cinco crianças disse sentir vergonha dos pais quando eles estão alcoolizados, 15% das crianças disseram ter dormido muito mais cedo ou muito mais tarde que o normal, 12% disseram que os pais prestam menos atenção neles, 11% se sentiam preocupadas e 7% disseram brigar mais com os pais nesses momentos.

“Vivemos em uma cultura que celebra o álcool”, disse Viv Evans, da instituição britânica Alcohol and Families Alliance. “Esperamos que este estudo seja um meio de alertar os pais e a todos sobre a importância de prevenir problemas com o álcool antes que eles surjam.”

Fonte: Veja.com

Curta nossa página no Facebook

CGU: Zé Leite, ex-prefeito de Barbalha, desviou mais de 4,6 milhões do Fundeb

A Controladoria Geral da União (CGU) divulgou, recentemente, seu relatório sobre as Ações de Governo do ex-prefeito de Barbalha, José Leite Gonçalves Cruz, o Zé Leite (PT). O resultado é uma série de denúncias que devem gerar ações de improbidade administrativa, culminando com a devolução de R$ 4,6 milhões aos cofres públicos.

O relatório faz parte do Programa de Fiscalização em Entes Federativos e relaciona as áreas da Educação e da Saúde. A fiscalização, realizada entre os dias 24 e 28 de abril de 2017, constatou falhas na aplicação dos recursos, “especificamente no Programa/Ação de Governo 2080 – Educação Básica/0E36 – Complementação da União ao Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação)”.

A equipe da CGU analisou a aplicação dos recursos nos anos de 2014, 2015 e 2016, sob a gestão administrava de Zé Leite. Entre as falhas apontadas, se destacam a execução de despesas fora das diretrizes do Fundeb, pagamentos indevidos e a constatação de funcionários sem função ou lotação em unidades municipais. Ao todo, foram analisados pouco mais de R$ 62 milhões repassados pelo Fundeb.

Entidades e empresas como o Banco do Brasil, Cagece e Coelce/Enel estão entre os beneficiados. As instituições receberam R$ 227 mil, por serviços sem qualquer ligação com a educação básica do Município. Foram pagos contas de água, energia e tarifas bancárias.

Outro fator que chama a atenção na fiscalização é o pagamento de serviços e servidores para entidades particulares. A Sociedade de Educação e Saúde à Família (SESFA), Sociedade em Benefício à Família (SOBEF), Sociedade de Apoio à Família (SOAFA), além da AABB Comunidade e o Sindicato dos Servidores Públicos de Barbalha (Sindimub), todas de caráter privado, receberam um valor superior a R$ 1 milhão.

As entidades teriam recebido por meio de contratos de professores e outros servidores, apresentações artísticas, atividades sócio culturais, além de serviços técnicos em patologia, para realização de necropsia, entre outros.

Nos três anos, Zé Leite teria autorizou transferências de recursos do Fundeb para a conta da Prefeitura, no valor de R$ 184 mil, e pagou, ainda, R$ 27 mil para mecânico e porteiro do Centro Vocacional Tecnológico (CVTEC), além de outros R$ 67,7 mil para profissionais das mais diversas áreas de atividades. Foram remunerados pelo Fundeb, desenhista arquitetônico, fiscal de obras e outros profissionais da saúde lotados em Nasf (Núcleo de Apoio à Saúde da Família), PSF (Programa de Saúde da Família) e Cremu (Central de Regulação).

Dentro da Secretaria de Educação, foram pagos mais de R$ 998 mil, para zeladores, gestores de núcleo, vigias, coordenadores, supervisores de células, além da própria titular da pasta. O dinheiro do Fundeb foi usado ainda para pagar professores do Projovem (R$ 56 mil) e para escolas do Governo do Estado (R$ 116 mil).

Entre as denúncias, a mais grave aponta que o ex- -prefeito manteve, na folha de pagamentos, dezenas de professores sem lotação ou função em nenhuma escola do Município. O custo da manutenção, nos três, chegou a R$ 2 milhões. Para a CGU, tudo foi facilitado pelas falhas identificadas na atuação do Conselho do Fundeb no Município. Zé Leite é acusado de manter controle político sobre os membros do Conselho na época.

Zé Leite se defende
Com a conclusão da fiscalização, o ex-prefeito de Barbalha foi acionado a apresentar defesa sofre as falhas detectadas. Sobre os pagamentos ao Banco do Brasil, Cacege e Coelce/Enel, o ex-prefeito disse que as tarifas bancárias foram cobradas indevidamente e as contas de água e energia foram pagas em entidades que mantinham salas do ensino infantil, através de convênio com a Prefeitura.

Sobre os professores fantasmas, o ex-prefeito negou a existência de tal fato, garantindo que todos estavam lotados em unidades de ensino. Segundo Zé Leite, tudo foi comprovado em fiscalização do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Ceará (TCM). Segundo a CGU, nenhuma das defesas enviadas pelo ex-prefeito foi anexada à documentação comprobatória.

Fonte: Jornal do Cariri

Curta nossa página no Facebook

Quer mais privacidade ao usar o WhatsApp? Então siga essas dicas

O WhatsApp facilitou a vida de todos nós ao disponibilizar um chat pelo celular que praticamente matou o serviço pago por SMS. Mas essa ferramenta também expôs um pouco a nossa privacidade. Só que você pode recuperar um pouco de sua vida privada graças a alguns recursos dentro do próprio app. 

É possível esconder foto de perfil, quando a pessoa entrou pela última vez, confirmação de leitura, status e recado (antigo status) que você não quer mostrar para desconhecidos - ou até mesmo para seus próprios contatos.

Quer aprender a configurar sua privacidade? Veja as dicas abaixo.

1- Abra o WhatsApp. Nos três pontinhos no canto superior direito, toque em "Configurações"

2- Em "Configurações", toque em "Conta".

3- Clique, agora, em "Privacidade".

4- Abrirá uma tela com todas as configurações de privacidade disponíveis.

5- Para esconder a última vez que você entrou no WhatsApp toque em "Visto por último". Abrirá uma caixinha com as opções "Todos", "Meus contatos" e "Ninguém". Selecione aquela que deseja. Vale lembrar que "Todos" se refere a contatos e desconhecidos, "Meus contatos" às pessoas que você adicionou e "Ninguém" a nenhuma das opções (contatos e desconhecidos).

6- Para configurar quem pode ver sua foto de perfil, toque em "Foto do Perfil". A mesma caixinha de opções será aberta.

7- Para ajustar Recado, aquela frase pessoal que você pode adicionar, toque em "Recado". As mesmas opções - "Todos", "Meus contatos" e "Ninguém" - serão abertas. Escolha a que deseja.

8- Para configurar a privacidade daqueles posts que ficam visíveis durante 24 horas, assim como o Story do Instagram, toque em "Status". Neste caso, as opções serão diferentes, com exceção de "Meus contatos".

9- A opção "Meus contatos exceto..." permite bloquear contatos específicos. Basta selecionar aqueles que deseja. Vale lembrar aqui que o contato é bloqueado apenas para não ver seu Status - ou seja, ele poderá continuar enviando mensagem.

10- Já "Compartilhar somente com..." permite postar para determinados contatos, como um privado. Selecione-os.

11- Caso você queira tirar aquele vistinho azul que aparece quando a mensagem é lida, desabilite a opção "Confirmações de leitura". 

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook

Divulgado resultado preliminar de aprovados em concurso para agente penitenciário

A edição desta quarta-feira (18) do Diário Oficial do Estado do Ceará divulgou o resultado preliminar dos candidatos aprovados no concurso para agente penitenciário. Foram mais 76 mil inscritos disputando um total de mil vagas. Foi divulgado o nome dos concorrentes que atingiram a nota mínima exigida para a prova objetiva.

Conforme prevê o edital, “o candidato para ser aprovado na prova objetiva deverá, além de não ser eliminado por outros critérios estabelecidos neste Edital, acertar no mínimo 50% das questões em cada área de conhecimento do caderno de provas e obter no mínimo 37 pontos da pontuação máxima possível na prova objetiva”.

Ainda em novembro devem ter início as próximas etapas do certame. Após a aprovação no exame objetivo, o candidato passará por outras cinco etapas: inspeção de saúde, avaliação de capacidade física, avaliação psicológica, investigação social e funcional e curso de formação profissional. As datas serão divulgadas em breve.

Salário e jornada de trabalho
O salário dos servidores é de R$ 3.747,29, para jornada de trabalho de 40 horas semanais, ressalvando o regime de plantão, com 12 horas corridas.

As vagas serão distribuídas por oito microrregiões. Para a Região Metropolitana de Fortaleza está reservado o maior número de novos agentes, totalizando 556. As regiões do Cariri e Centro Sul receberão 88 vagas; Litoral Oeste tem 85; Sobral e Ibiapaba têm 84 vagas.

Para o Sertão Central são 74, o Litoral Leste e Jaguaribe contam com 57 vagas; Sertão dos Inhamuns tem 50 vagas, e Baturité, seis vagas. A opção por uma das microrregiões foi feita pelo candidato no ato da inscrição.


Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook

Crato receberá novos investimentos para UTI Neonatal

O Ministério da Saúde autorizou o repasse de R$ 1,39 milhão/ano para reforçar o atendimento às crianças nascidas de parto prematuro ou que apresentam problemas ao nascer, no Hospital e Maternidade São Francisco de Assis – Sociedade Beneficente São Camilo. O recurso é destinado a dez leitos de Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTI NEO). A portaria foi publicada, no último dia 6 e anunciada ontem.

Atualmente, o Crato possui dez leitos de UTI Neonatal e seis leitos de unidade de cuidado intermediário neonatal. A UTI Neonatal é um serviço de internação responsável pelo cuidado integral ao recém-nascido grave ou potencialmente grave, dotado de estruturas adequadas à prestação de assistência especializada, incluindo instalações físicas, equipamentos e recursos humanos.

De acordo com o Secretário de Saúde do Crato, André Barreto esse credenciamento é o resultado de um trabalho conjunto. O Hospital construiu e equipou, a Secretaria de Saúde do Estado apoiou e orientou e a Secretaria de Saúde do Crato investiu recursos para o funcionamento nos primeiros 11 meses. "O prefeito Zé Ailton Brasil articulou pessoalmente junto ao Ministério da Saúde, buscando apoio dos nossos deputados federais para a realização desse feito, consciente da importância desse equipamento para a população de todo o Cariri." destaca.

A nova UTI neonatal do SUS no Crato atenderá às crianças dos 12 municípios da 20ª microrregião de Saúde beneficiando, direta e indiretamente, uma população de cerca de 1,5 milhão de habitantes da macrorregião de Saúde do Cariri.

Assessoria de Comunicação/PMC

Curta nossa página no Facebook

Em nova gafe, Temer diz que médico indígena 'foi até muito aplaudido'

Criticado por ter nomeado um ministério sem pluralidade, o presidente Michel Temer fez nesta terça-feira (17) um discurso em que reverenciou as "várias categorias" da classe médica homenageadas no Palácio do Planalto, mas cometeu um deslize ao dizer que o representante indígena "foi até muito aplaudido, como um integrante do Ministério da Saúde", ao ser anunciado na cerimônia em comemoração ao Dia do Médico.

Em um discurso de pouco mais de cinco minutos, Temer disse que via na condecoração aos 12 profissionais "uma amálgama, uma mistura de médicas, médicos e até médico indígena, que foi até muito aplaudido, assim como a senhora representante do Ministério da Saúde".

O presidente falava de Sildo Gonzaga Tomaz, que pertence à etnia Ticuna e é profissional do programa Mais Médicos. Hoje, após estudar medicina em Cuba, Tomaz atente a famílias indígenas no Amazonas.

Ao lado dele, foram homenageados médicos como Raul Cutait, que chegou a ser cotado para o cargo de ministro da Saúde antes da nomeação de Ricardo Barros, e Vanessa Van Der Linden, uma das primeiras a identificar o aumento de casos de microcefalia no país, entre outros.

Dia da Mulher
Essa não foi a primeira vez que Temer comete um ato falho em público ao falar de determinado segmento social. Durante evento em referência ao Dia Internacional da Mulher, em março deste ano, ele afirmou que tinha "convicção do quanto a mulher faz pela casa e da importância da figura feminina para a formação dos filhos que, segundo ele, é "seguramente" de responsabilidade da mãe.

Disse ainda que a mulher tem grande participação na economia do país porque é "capaz de indicar os desajustes de preços em supermercados" e "identificar flutuações econômicas no orçamento doméstico".

Entre as 28 pastas de seu ministério, apenas duas são ocupadas por mulheres: a AGU (Advocacia-Geral da União) e Direitos Humanos.

Às vésperas da votação da segunda denúncia contra ele na Câmara, desta vez por obstrução de Justiça e formação de organização criminosa, Temer não quis falar sobre o tema, mesmo quando questionado pelos jornalistas após o evento.

Aceno
O evento desta terça ocorreu poucos meses após uma declaração do ministro da Saúde gerar atrito com entidades médicas, como o Conselho Federal de Medicina e AMB (Associação Médica Brasileira).

Na ocasião, Barros defendeu a instalação de biometria e controle de produtividade em todas as unidades de saúde para evitar casos de médicos que não cumprem a carga horária.

"Vamos parar de fingir que pagamos os médicos e os médicos precisam parar de fingir que trabalham, afirmou, referindo-se ao aumento na remuneração dos profissionais.

Durante a cerimônia no Planalto, porém, o ministro fez um aceno à categoria. Além de homenagear os presidentes das duas principais entidades médicas, frisou em discurso a necessidade de "reconhecimento" do trabalho dos profissionais e disse que queria melhorar a estrutura de trabalho no SUS –uma das principais críticas das entidades.

"Tenho certeza de que isso será visto por toda a classe médica brasileira como nosso efetivo reconhecimento de quem quer fazer gestão para dar aos profissionais médicos e demais profissionais da saúde as melhores condições e equipamentos, insumos e instalações para que possam ofertar a melhor qualidade de saúde a todos os brasileiros", afirmou Barros. 

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook

AO VIVO: Senado abre votação sobre Aécio Neves

O Senado vota agora se vai manter o afastamento de Aécio Neves de suas funções ou não, após vários adiamentos e polêmicas.

O presidente da casa, Eunício Oliveira, anunciou que a votação será aberta.

Contexto
Aécio Neves foi citado na denúncia contra o presidente Michel Temer, acusado de pedir e receber, em parte, 2 milhões de reais do empresário Joesley Batista, da J&F, além de atuar para obstruir a investigação da Lava Jato. Ele nega ter cometido crimes.

No final de setembro, a primeira turma do STF decidiu pelo afastamento de Aécio e pelo recolhimento noturno. No entanto, a decisão foi questionada: a dúvida era se o STF teria legitimidade para afastar parlamentares sem flagrante.

A decisão foi a plenário no STF e, dessa vez, com o voto de todos os ministros, prevaleceu o entendimento de que esse tipo de medida deve passar pelo Congresso.

Assim, agora são os senadores que vão decidir se Aécio volta ao trabalho ou não.

Acompanhe a sessão ao vivo:


Fonte: Exame.com

Curta nossa página no Facebook

Doria será 'carta fora do baralho' até dezembro, diz Ciro Gomes

"Os bancos obrigaram o PT a beijar a cruz. Eu não vou beijar. Se não der, vou ficar assistindo de fora." Ciro Gomes, pré-candidato do PDT à Presidência em 2018, assim traçou a diferença de seu pensamento econômico com o dos governos Lula, de quem foi ministro da Integração Nacional (2003 a 2006) e Dilma.

Ele falava, na segunda (16), a estudantes da Faculdade de Economia e Administração da USP sobre seu "antagonismo com o rentismo" e sobre a disposição em trazer os "juros para um padrão menor".

Ex-governador do Ceará e ex-ministro da Fazenda de Itamar Franco, Ciro defendeu, além da diminuição dos juros, "um ciclo de reindustrialização forçada". Sua agenda, diz, "converge iniciativa privada e Estado saneado", oferecendo crédito e renúncia fiscal a setores que considera estratégicos: agronegócio, saúde, defesa e indústria de óleo e gás.

"Temos que introduzir no debate um modelo tributário não com a ilusão de que temos carga tributária grande demais –e até temos, mas ela é gravemente regressiva", afirmou Ciro. Para ele, é necessário discutir a tributação sobre heranças e doações. "Sobre o povo mais pobre, ela [carga tributária] chega a 42% [da renda]. Sobre os ricos, não passa de 12%."

Essas ideias ainda integrarão seu programa de governo, a ser discutido com futuros aliados: "Quando eu for entrar numa aliança, os partidos consultados vão dizer se isso não é oportuno".

Estarão, porém, em um novo livro sobre política econômica que o pré-candidato pretende lançar até 2018. Até lá, tem participado de palestras em universidades e a investidores ou organizações financeiras —de quem, diz, cobra R$ 20 mil, mais passagens e hospedagens, pela presença.

Nesse meio tempo, Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, costura os palanques regionais, com 11 candidaturas majoritárias (a senado ou governo estadual) definidas.

Sem Lula, Ciro tem 10% das intenções de voto para presidente, segundo a última pesquisa Datafolha. É o mesmo patamar de Geraldo Alckmin e João Doria, ambos do PSDB. Com o petista, fica com 4% da preferência –o ex-presidente lidera, com 35%.

*

Folha - Em que pé está a candidatura do sr.? O sr. disse no início do ano que não tinha vontade de ser candidato concorrendo com Lula.
Ciro Gomes - A Folha deformou minha declaração, nunca deixei de dizer isso: eu não gostaria de ser candidato com ele sendo, o que não quer dizer que eu não serei. Se o Lula for candidato, imediatamente se passionaliza o ambiente. Ódios, rancores, violência —e o país não vai ter um minuto para discutir o seu futuro.

Minha candidatura só depende do PDT. Mas haverá sempre o direito do PDT não querendo, eu enfim.

Logo após a publicação da última pesquisa Datafolha, Carlos Lupi, presidente do partido, disse que sua candidatura é 'imexível'.
Pois é, você veja. Forte isso [risos].

Eu não estou com tensão eleitoral nenhuma. Quero explicitamente criar uma corrente de opinião. Tenho dito claramente: não estou aqui para buscar simpatias, a divisão do Brasil entre coxinhas e mortadelas não cabe. Quero discutir enquanto é tempo ideias, pensares diferentes, exames. Portanto, não é a hora da simpatia. É a hora de pensar.

Lupi tem construído candidaturas estaduais, com palanques avançados para o sr.
A outra agenda é essa: estamos organizando nos Estados. E vai surpreender. A opinião publicada vai se surpreender. Do jeito em que as coisas estão, vou sair com a melhor estrutura de todos.

Que estrutura é essa?
É cedo. Temos já candidato pré-lançado no Rio Grande do Sul, é um quadro que saiu do PT e entra chapa pronta lá com dois senadores e tal. Estamos filiando o Odilon, juiz federal do Mato Grosso do Sul que prendeu os bandidos.

Temos o candidato Osmar Dias está na frente das pesquisas do Paraná. E no Rio Grande do Norte, Distrito Federal, Espírito Santo com o PSB.

Seria um apoio nacional ao senhor, o do PSB?
Não sei, vamos ver. Eles têm o tempo deles. Eu quero muito.

Há um comprometimento da ala paulista com Alckmin.
Não, eles estão conversando. É natural desta fase, todos estão conversando com todos. Salvo alguns que tem algumas interdições, como eu, que não converso com o PMDB.

Fala-se em um vice para o senhor?
Não, não. Muito cedo, vou deixar para a última hora.

Como o sr. recebeu o resultado da pesquisa Datafolha? O sr. aparece em patamar semelhante ao de Doria e Alckmin.
Com uma diferença: ambos estão sediados em São Paulo, que é 28% do eleitorado. Ambos estão centralmente postos na mídia e eu sou absolutamente marginalizado. A ombudsman da Folha escreveu sobre isso —o que não me desagrada em nada.

É normal, tá tudo certo. Porque pesquisa, para um homem vivido como eu, é um retrato de um momento. E a vida não é um retrato, é um filme. E, nesse momento, a pesquisa tem que ser lida com nível de conhecimento, nível de preferência espontânea, nível de preferência induzida, nível de rejeição específica.

A dinâmica disso é que dá o potencial. E, mais do que tudo, eleição majoritária tende a ser resolvida de véspera. Ou seja: a tendência, mais ou menos, está definida de véspera e a campanha tenta identificar quem é o intérprete mais fiel identificado com aquela tendência que está posta de véspera.

Se você ler a pesquisa, estão querendo um cara experiente, um cara que tenha ficha limpa. Aí eu tô brincando: esse cara sou eu [risos], frase que é do poeta, do Rei [Roberto Carlos].

Ao falar sobre economia aos estudantes, o sr. citou "meu governo" em alguns momentos. O que o sr. disse na palestra integrará sua plataforma de governo?
Não ainda. Porque o candidato interpreta médias. O que vou fazer: estressar essas médias em direção às minhas ideias. Que nesse momento, o combinado com o Lupi, estou propondo a minha contribuição ao debate. E tem coisas polêmicas.

Por exemplo a discussão sobre tributação de heranças, que o sr. colocou?
Por exemplo. Eu tô dizendo que no Ceará cobramos 8%, e não há razão para não se cobrar. Nos Estados Unidos é 40%. Na Europa, entre 32% e 47%. Evidentemente, quando eu for entrar numa aliança, os partidos consultados vão dizer: isso não é oportuno, isso não convém.

A proposta contrariaria interesses.
Contraria o interesse de 0,03% das pessoas. A questão básica é: a que senhor você quer servir? E eu quero servir às maiorias. Sem discriminar ninguém, mas eu quero governar para os pobres.

O sr. coloca a sua candidatura no campo da esquerda?
Acho que não cabe. A proposta minha é no campo da centro-esquerda. Acho que temos que montar uma concretude explícita que reúna os interesses práticos e futuros de quem produz com quem trabalha.

Por exemplo, a esquerda tem uma crítica azeda ao agronegócio. Eu respeito profundamente o agronegócio. Evidentemente que não aceito as distorções que um ou outro produzem e que, muitas vezes, se generaliza por conjunto. Não é justa essa generalização. Mas eles, sob o ponto de vista de contas, estão pagando a conta do Brasil, há anos.

Em sua palestra, o sr. falou em sentimentos da população: a felicidade com a redução da inflação e com a melhoria econômica e, depois, o ódio quando o brasileiro perdeu poder aquisitivo.
Ele se sente enganado e fica com raiva mesmo, e com razão.

A campanha de 2018 será trabalhada, sobretudo, sobre o ódio?
Acho, sim. Mas pior do que isso acho que essa direita que está orientada tecnicamente por interesses estrangeiros vai tentar substituir o temário de empregos, salários, saúde e educação por temários morais, temas de família, religiosos.

Porque nesse temário que importa eles perdem o debate. E, nesse outro, eles alcançam alguma afinidade popular, porque nosso povo é cristão, é católico, é neopentecostal. E nessa armadilha eles não me levam.

Como vê o financiamento eleitoral para o ano que vem, com a proibição de doações empresarias?
É um problema do Brasil. Você tem a ideia, da nossa moral dominante, de que o poder econômico não se relacionam com o poder político porque o tribunal [Supremo Tribunal Federal, em 2015] disse que não vai acontecer.

É uma vã ideia que só prejudicará os homens de bem e as mulheres decentes que fazem política. Porque o poder econômico é um dado irremovível da realidade. E o poder político é um dado irremovível da realidade e onde se privilegiam interesses concretos.

Esse poder econômico vai sempre se relacionar —a gente faz a opção de mandar isso tudo para o bastidor, para a clandestinidade. E aí é o paraíso dos picaretas. Trocam conta na Suíça por conta em Cingapura. Trocam conta nas Ilhas Caymann por mala de dinheiro em apartamento, como nós acabamos de assistir. E o presidente veta o limite à contribuição individual, de maneira que nós estamos oficializando que o poder no Brasil, hoje, quer que seja uma plutocracia no lugar da democracia.

E os efeitos da reforma política, com a aprovação da cláusula de barreira para o ano que vem?
Vai continuar tudo como está. A cláusula de barreira é mínima —ela vai deixar sem representação de sete a dez partidos e olhe lá. Não farão falta nenhuma ao país. E a grande mudança que poderia ter acontecido eles adiaram, que é a proibição de coligação proporcional.

Eu ainda até imagino que o tribunal pode determinar ainda para esta eleição, porque este é o grande problema: você fazer um mercado de traficância de tempo de TV, eles estão terceirizando o fundo partidário.

Por que disse, na palestra, que Doria é "carta fora do baralho" da eleição presidencial até dezembro?
Porque ele não é do ramo. Torrou o orçamento de São Paulo, queimou as pontes todas. Perdeu o "timing" para fazer acordo por dentro e ser eventualmente candidato a governador. Colidiu com o cara que o inventou.

E passou para a população a ideia de que é um carreirista, que só pensa em si, que não tem nenhum compromisso com nada e com ninguém. E saiu para fazer uma ilusão de ótica, passear por aí, receber título de cidadão não sei por onde, tudo factoide, deixando a grande e grave responsabilidade —que seria a decolagem dele— aqui, descuidada.

Ele não é do ramo. Como eu sempre disse, é um farsante. Em dezembro, se o Datafolha fizer outra pesquisa, está completamente deslegitimado.

Quem serão os nomes em 2018?
Se o PSDB tivesse juízo, não cometeria esses erros que está cometendo, segurando nas alças do caixão de um governo Temer. E jamais deveria ter deixado esse desgaste em cima do Alckmin. Vai correr atrás do leite derramado, com uma ruptura lá na frente da eleição, quando parecer oportunismo. E o Alckmin terá todo esse desgaste para trás.

Aécio está fora de combate, mais um defunto político insepulto dando as cartas no PSDB, que tem quatro ministros no governo.

O programa [de TV] do partido faz delação premiada de presidencialismo de cooptação e quem que coopta o ministro do PSDB [Antonio Imbassahy, ministro-chefe da Secretaria de Governo]. Pelo menos funcionalmente, ele é o encarregado de fazer isso, embora quem faça mesmo é o Temer. São erros por cima de erros.

Espero que Lula seja absolvido, mas entendo que a candidatura dele é um desserviço a ele e ao país. E acredito que ele é capaz de poder fazer isso. De, absolvido, liderando pesquisa, entender, sem qualquer tipo de constrangimento que que ele deveria convocar um grande debate que unificasse as forças progressistas do país. E ele daria o maior exemplo de liderança, de preocupação com o país, e não com mero petismo frustrado com a onda antipetista.

Lula deveria apoiar o sr.?
Não digo necessariamente, senão perco a moral da tese. Evidentemente, não se inventarão candidatos. Mas eu me ponho como um dos possíveis. Não me ponho como "o" candidato. Digo que depende do PDT, só.

Mas numa dinâmica grande dessa: imagina o Lula absolvido, pontuando 40% nas pesquisas, ou 35%, dizendo: "Olha, eu entendo que o bom para o país não é rachar. É abrir conversa para unificar o campo progressista, conversar com quem produz. Todo mundo sabe que eu fui presidente, que fiz o que pude fazer, talvez tenha sido imprudente na escolha que fiz dos aliados e tal".

Na palestra, o sr. disse que 'os bancos obrigaram o PT a beijar a cruz' e que não iria beijá-la. Poderia falar sobre essa frase?
Em 2002, foi escrita a Carta ao Povo Brasileiro, por Luís Gushiken e Antonio Palocci. Depois conversei muito com o Lula sobre isso. Ali houve um beija-cruz, mesmo. E a política econômica do Lula foi criptoconservadora.

Ele escapou porque pegou o elemento cambial que melhorou muito, e fez muito crédito dirigido para interesses específicos. Mas a política econômica do Lula foi rigorosamente a mesma que a do Fernando Henrique: câmbio flutuante, hostil à indústria —tanto que a desindustrialização continuou sob o Lula—, superávit primário, que foram os maiores do mundo. E a dívida só cresceu. E meta de inflação, inclusive reduzida.

Estava numa política importante de melhoria do salário mínimo e, pelas tantas, parou e desregulou pro futuro. Ou seja, tudo o que é estrutural, o Lula beijou a cruz conservadora.

Não adianta, se o esquerdismo é a doença infantil do comunismo. Você não é de esquerda porque fala que é. Você é de esquerda pela prática. E ele teve algumas coisas: o salário mínimo subiu de valor, até o limite em que ele congelou. O crédito subiu, mas ele não institucionalizou nada disso. E a rede de proteção social é política social compensatória. Num país de miséria de massa, de fome de verdade, isso não é trivial, é muito importante. Mas também nada disso foi institucionalizado, e nem é o futuro de uma nação como a nossa. 

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook

Como saber o que seu cão está sentindo e o que você pode fazer a respeito

Grande parte das pessoas já deve ter tido um animal de estimação ao longo da vida e, como em qualquer tipo de relacionamento, aprendemos a lidar com os trejeitos e a personalidade de nossos pets conforme o tempo de convívio com eles se torna maior.

Este texto talvez pareça completamente óbvio para quem já está acostumado a ter um cãozinho em casa, mas, caso você seja um marinheiro de primeira viagem ou talvez nunca tenha entendido um comportamento de seu amigo canino, ele pode ajudar bastante.

Vamos ver quais são algumas das principais sensações que os cachorros têm, de que forma podemos identificá-las e o que podemos fazer quanto a cada uma delas, em uma espécie de estudo da linguagem corporal dos cães.

1. Tédio
Quando seu cão começa a seguir você por toda a parte, não dá atenção para os seus brinquedos ou para atividades que costuma fazer, começa a destruir a mobília quando você não está por perto e fica gemendo ou latindo sem motivo, ele provavelmente está entediado.

A solução é tentar fazer com que ele se interesse por coisas novas, como um brinquedo ou uma brincadeira diferente. Não adianta gritar ou punir o animal quando ele está latindo, por exemplo, pois ele pode associar os latidos a ganhar sua atenção, mesmo que seja com gritos e castigos.

2. Excitação
Seu pet está correndo eletricamente para cima e para baixo, latindo em um tom estridente e balançando a cauda sem parar? Ele deve estar muito animado com alguma coisa ou talvez só esteja louco de vontade de brincar para gastar toda a energia acumulada.

Faça o animal se exercitar um pouco atirando alguma coisa para que ele vá buscar, mas, se quiser que ele saia logo desse estado de euforia, mantenha uma atitude calma e relaxada. Se você agir de um jeito escandaloso quando ele está assim, isso só vai deixá-lo mais animado.

Para manter o seu pet calmo quando receber visitas, tente controlá-lo com uma coleira, e o recompense com petiscos quando ele se acalmar. Com o tempo, ele associará uma coisa com a outra e ficará relaxado mais facilmente.

3. Medo
Orelhas abaixadas ou viradas para trás, ganidos longos e agudos, olhos bem abertos e o inconfundível rabo entre as pernas são sinais de que o seu bicho de estimação pode estar assustado com alguma coisa.

Se for algo que você possa controlar, como algum objeto ou barulho dentro de casa, tente mostrar aquilo para o cão em um ambiente controlado, para ele aprender que não precisa ter medo.

Se for algo como o som de trovões, fogos de artifício ou outra coisa nesse sentido que esteja além do seu controle, fique ao lado do cão em um lugar em que ele se sinta seguro, o acaricie e fale com uma voz tranquila, para que perceba que você está lá para protegê-lo. Isso deve pelo menos aliviar um pouco o pânico que ele possa estar sentindo até o “perigo” passar.

4. Ameaça
Rosnar, mostrar os dentes ferozmente, pupilas contraídas, postura de ataque e cauda em riste para cima são sinais muito claros de que o animal está furioso com alguma coisa. No entanto, isso pode indicar que ele está se sentindo ameaçado, e não que queira machucar alguém.

É importante tentar descobrir o que está fazendo com que o animal se sinta acuado e, se possível, remover aquilo de perto dele. No caso de animais territorialistas, que se irritam quando algo “invade” o seu espaço, a castração pode diminuir esse instinto em muitos casos.

Por mais que o cachorro não goste, algumas vezes é necessário colocar focinheiras neles para evitar que acabem machucando outras pessoas, animais ou a si mesmos. Se a situação persistir, é importante consultar um veterinário e ver o que pode ser feito para tornar o pet mais dócil.

5. Felicidade
Essa é a expressão mais fácil de desvendar em um cachorro: boca aberta e língua pendurada para fora, olhos dilatados e cauda relaxada, balançando suavemente são todos indícios de que seu cão está se sentindo ótimo.

As melhores formas de mantê-lo assim são garantir que haja sempre água e comida fresca, brincar e passear com ele frequentemente e fazer consultas periódicas com um veterinário para garantir que sua saúde esteja em ótimo estado.

Se seu bicho costuma ficar triste quando você sai de casa, tente não evidenciar esse momento. Saia sem se despedir dele e, quando retornar, não faça “uma festa”. Trate-o como se você simplesmente tivesse saído por alguns instantes, e logo ele deve perceber que não há motivos para chorar pela sua ausência.

É lógico que há muito mais coisas que os cães podem expressar além do que listamos aqui, mesmo que eles não sejam capazes de nos dizer exatamente como se sentem. Em muitos casos, é possível que tenham até mais de um comportamento desses simultaneamente, mas somente o tempo que você passa junto dele poderá ensiná-lo a interpretar essas nuances.

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook

Temer atende a pedido de ruralistas e dificulta libertação de escravos

O ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira atendeu a um antigo pedido da bancada ruralista no Congresso Nacional e reduziu o conceito de trabalho escravo através de portaria publicada, nesta segunda (16), no Diário Oficial da União.

Sob a justificativa de regulamentar a concessão de seguro-desemprego aos resgatados do trabalho escravo, benefício que lhes é garantido desde 2003, uma nova interpretação para os elementos que caracterizam a escravidão e que, portanto, norteiam a ação das operações de fiscalização foi publicada.

Hoje, quatro elementos podem definir escravidão contemporânea: trabalho forçado, servidão por dívida, condições degradantes (trabalho que nega a dignidade humana, colocando em risco a saúde e a vida do trabalhador) ou jornada exaustiva (levar ao trabalhador ao completo esgotamento dado à intensidade da exploração, também colocando em risco sua saúde e vida).

A nova portaria estabelece a existência de cerceamento de liberdade como condicionante para a caracterização de ''condições degradantes'' e de ''jornada exaustiva'', ao contrário do que está no artigo 149 do Código Penal. Segundo a lei, qualquer um dos quatro elementos é suficiente para caracterizar esse tipo de exploração.

Dessa forma, as condições de trabalho a que estão submetidas as vítimas, por piores que sejam, passam a ser acessórias para os flagrantes de trabalho análogo ao de escravo pelos auditores fiscais e a concessão de seguro-desemprego aos resgatados. O texto da portaria obriga a todas as fiscalizações a obedecerem a nova interpretação do conceito.

''A portaria 1.129/2017 consiste em mais uma grande iniciativa do governo federal para enfraquecer o combate ao trabalho escravo em nosso país. O Ministério Público do Trabalho não ficará inerte. Diante de mais uma ilegalidade, está reunido junto com outras entidades públicas e privadas, para a adoção das medidas judiciais e extrajudiciais em sua esfera de atuação'', afirma Maurício Britto, procurador do trabalho e vice-coordenador nacional da área responsável pelo repressão à escravidão do Ministério Público do Trabalho.

''Por meio de instrumentos normativo inadequado, o Ministério do Trabalho deseja modificar o conceito de trabalho análogo ao de escravo do artigo 149 do Código Penal, fazendo-se substituir pelo legislador ordinário'', completa.

A nova portaria também reforça a questão do não consentimento do trabalhador para a caracterização de trabalho forçado. Hoje, em consonância com as Nações Unidas, as operações de resgates de pessoas têm considerado o consentimento irrelevante para a caracterização. Dessa forma, mesmo que uma pessoa aceite uma proposta de trabalhar só por comida, o Estado tem a obrigação de considerar tal ato como escravidão contemporânea.

A bancada ruralista e alguns membros de outros setores econômicos com incidência de trabalho escravo, como o da construção civil e vestuário têxtil, têm defendido que é difícil caracterizar ''condições degradantes'' e ''jornada exaustiva'', o que geraria ''insegurança jurídica''. Técnicos do Ministério do Trabalho e procuradores do Ministério Público do Trabalho afirmam que há instruções e enunciados detalhados e conhecidos a respeito disso, além de jurisprudência e decisões do próprio Supremo Tribunal Federal.

A portaria também condiciona a inclusão de nomes à ''lista suja'' do trabalho escravo, cadastro de empregadores flagrados por esse crime que garante transparência ao combate à escravidão, a uma determinação do próprio ministro. Ou seja, a divulgação pode deixar de ter uma caráter técnico e passar a contar com uma decisão política.

As novas regras afirmam que, para serem válidos, os autos de infração relacionados a um flagrante de trabalho escravo depende da presença de um boletim de ocorrência lavrado por uma autoridade policial que tenha participado da fiscalização. Dessa forma, a palavra final sobre a existência de trabalho escravo pode sair das mãos de auditores fiscais, especialistas no tema, e passar para a dos policiais.

''Condições degradantes e jornada exaustiva, mesmo quando não venham acompanhadas de cerceamento de liberdade, contribuem para ampliar as serias distorções e a segmentação do mercado de trabalho nacional, gerando mais pobreza e déficit social, o que comprovadamente estimula a violência, fatores esses  que deveriam ser levados em consideração pela pasta antes de editar norma do gênero'',  afirma Renato Bignami, doutor em Direito do Trabalho e da Seguridade Social pela Universidade Complutense de Madrid e auditor fiscal do trabalho.

''A nova interpretação da portaria vai de encontro com a tendência mundial, criando enorme insegurança jurídica, o que pode contribuir para o aumento do receio do investidor, principalmente o estrangeiro'', conclui.

O Ministério do Trabalho, em nota oficial, afirmou que a portaria ''aprimora e dá segurança jurídica'' à atuação do Estado brasileiro.

Segundo a instituição, ''o combate ao trabalho escravo é uma política pública permanente de Estado e que vem recebendo todo o apoio administrativo desta pasta, com resultados positivos concretos relativamente ao número de resgatados, e na inibição de práticas delituosas dessa natureza, que ofendem os mais básicos princípios da dignidade da pessoa humana''. Também diz que a ''lista suja'' é um ''valioso instrumento de coerção estatal'', afirmando que ela ''deve coexistir com os princípios constitucionais da ampla defesa e do contraditório''.

A portaria ocorre menos de uma semana após a exoneração do coordenador nacional de fiscalização do trabalho escravo do próprio ministério, André Roston. Sua dispensa causou polêmica porque a mudança teria partido da base de apoio do governo no Congresso Nacional em meio às negociações para que não seja admitida a segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República contra Michel Temer. Em depoimento ao Senado Federal, Roston havia informado que as operações de fiscalização de trabalho escravo estavam sem recursos financeiros.

Alerta das Nações Unidas
Há projetos no Congresso Nacional que tentam mudar a definição do que seja trabalho escravo contemporâneo. Pelo menos três tramitam na Câmara dos Deputados e no Senado Federal a fim de reduzir os elementos que caracterizam escravidão e, portanto, a sua punição. Contam com o apoio da bancada ruralista, entre outros setores econômicos, e de nomes próximos a Michel Temer, como o senador Romero Jucá (PMDB-RR), responsável por um deles.

Em abril do ano passado, a Organização das Nações Unidas defendeu oficialmente a manutenção do atual conceito de trabalho escravo no vigente no Brasil. O documento assinado por várias agências da ONU destaca avanços significativos do país, lembrando que ele é referência internacional no combate a esse crime. Mas faz alertas contundentes sobre ameaças ao sistema de combate à escravidão e traz recomendações. ''Nesse cenário de possíveis retrocessos, cabe à ONU lembrar à comunidade brasileira seu lugar de referência no combate ao trabalho escravo para a comunidade internacional.''

''Em 2003, o país atualizou sua legislação criminal, introduzindo um conceito moderno de trabalho escravo, alinhado com as manifestações contemporâneas do problema, que envolve não só a restrição de liberdade e a servidão por dívidas, mas também outras violações da dignidade da pessoa humana'', afirma o documento das Nações Unidas.  ''Esse conceito, tido pela Organização Internacional do Trabalho como uma referência legislativa para o tema, está em consonância com suas Convenções'', conclui.

O texto alerta sobre os projetos que visam a mudar o conceito: ''Situações em que trabalhadores são submetidos a condições degradantes ou jornadas exaustivas, maculando frontalmente sua dignidade, ficariam impunes caso essa alteração legislativa seja aprovada''.

Cita diretamente o projeto de lei 432/2013 que regulamenta a emenda à Constituição número 81/2014, antiga PEC do Trabalho Escravo – que prevê o confisco de propriedades em que escravos forem encontrados e sua destinação a reforma agrária e ao uso habitacional urbano.

Parlamentares ruralistas transformaram o projeto de regulamentação em um ''Cavalo de Tróia'' para a mudança no conceito. O senador Paulo Paim (PT-RS), relator do projeto, propôs incluir uma explicação do que seja ''condições degradantes'' e de ''jornada exaustiva'' utilizadas, hoje, nas operações de fiscalização a fim de dirimir dúvidas, mas seu relatório foi rejeitado pelos ruralistas.

Por: Leonardo Sakamoto

Fonte: Blog do Sakamoto/UOL

Curta nossa página no Facebook

Addthis