Governo federal autoriza aumento no preço de medicamentos

O governo federal autorizou reajuste de até 4,33% no preço dos remédios para 2019, já a partir deste domingo, 31. O aumento está publicado em edição extraordinária do Diário Oficial da União (DOU) de ontem em decisão da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed). "As empresas produtoras de medicamentos poderão ajustar os preços de seus medicamentos em 31 de março de 2019, nos termos desta resolução", diz o ato.

Diferentemente de anos anteriores, o reajuste em 2019 será linear para todos os tipos de medicamentos. Este ano, o aumento ficará um pouco acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). No acumulado de março do ano passado até fevereiro deste ano, esse índice foi de 3,89%.

O Ministério da Saúde explica em nota que o porcentual não é um aumento automático nos preços, mas uma definição de teto permitido de reajuste. Com isso, cada empresa pode optar por aplicar o índice total ou menor. "Será uma correção igualitária para os três grupos de insumos: os de maior concorrência, concorrência moderada e concentrada", diz a pasta. De acordo com o ministério, mais de 12 mil apresentações de medicamentos são comercializadas no Brasil.

Monitoramento
Outra resolução da Cmed, também publicada no Diário Oficial extra, dispõe sobre o monitoramento e liberação de critérios para o estabelecimento ou ajuste de preços dos medicamentos isentos de prescrição médica, medicamentos fitoterápicos, produtos tradicionais fitoterápicos e anestésicos locais injetáveis de uso odontológico. A norma "aplica-se a quaisquer pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado que atuem no mercado de medicamentos, dentre as quais, as empresas produtoras de medicamentos, representantes, distribuidoras de medicamentos e o varejo".

Dentre outros pontos, a resolução classifica em três grupos os medicamentos passíveis de monitoramento e liberação dos critérios de estabelecimento ou ajuste de preços.

Fonte: UOL (Com Estadão Conteúdo)

Curta nossa página no Facebook

Ministro de Bolsonaro ameaça: "Sem reforma da Previdência, servidor vai ficar sem salário"

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta segunda-feira, 25, em encontro com prefeitos em Brasília, que a reforma da Previdência vai evitar a interrupção do pagamento de salários ao funcionalismo público. “Primeira coisa que vai acontecer (sem reforma) é a interrupção do pagamento de salários”, alertou, lembrando que quem está quebrado é o governo, e não o setor privado. “O primeiro atingido é o servidor”, disse.

Guedes afirmou ainda que a reforma da Previdência tem “várias dimensões favoráveis” e evita o “colapso das finanças”. “A reforma da Previdência não está na pauta por acidente”, disse Guedes aos prefeitos. “São 200 milhões de brasileiros que precisam da reforma, mas existem 8 milhões que se beneficiam da fábrica de desigualdades e querem barrar a reforma”, disse.

De acordo com o ministro, o déficit “galopante” da Previdência atinge todos os brasileiros e engole as finanças públicas. Para ele, no entanto, o Brasil está maduro o suficiente para enfrentar a questão. “Estamos reduzindo as desigualdades e vamos abrir a porta para o novo regime previdenciário. Vamos libertar filhos e netos, futuras gerações, dessa armadilha em que caímos”, disse.

Guedes afirmou ainda que a reforma da Previdência não é da equipe econômica ou do atual governo, mas sim do Brasil. “Se não conseguirmos uma reforma com impacto necessário, eu não consigo lançar o novo regime (de capitalização)”, afirmou.

“Se os militares não quiserem contribuir e as mulheres não quiserem se aposentar aos 62 anos, então o rural terá que contribuir”, exemplificou o ministro para reafirmar que qualquer mudança no Congresso precisa ter uma recompensa para garantir uma economia de no mínimo R$ 1 trilhão em uma década.

Agenda positiva
Com a economia em ponto morto, a equipe econômica coordena uma ofensiva para agilizar outras medidas e fazer uma “virada” na direção de uma agenda positiva, além da reforma da Previdência. Depois da “arrumação” da casa nos 100 primeiros dias de governo com a unificação dos três ministérios, a ordem no Ministério da Economia é destravar a agenda e fazer “barulho” com as medidas.

A área econômica quer barrar o processo de queda da confiança no crescimento, que já pode ser observado nas sucessivas reduções das previsões de alta do PIB pelos analistas. Um avanço mais brusco desse movimento pode afetar ainda mais as intenções de investimentos dos empresários e afundar o crescimento deste ano.

Ao mesmo tempo, o time do ministro Paulo Guedes quer reduzir a dependência da agenda econômica à reforma da Previdência, que está afetando o ânimo do mercado com a crise na articulação política.

Entre as medidas que devem ser ressaltadas estão a privatização da Eletrobrás, o acordo da cessão onerosa, destravamento do crédito, negociação com os Estados e medidas voltadas para o setor produtivo, sobretudo da construção civil.

A agenda de medidas de “descomplicação” tributária e da burocracia também deve ganhar mais relevância a partir de agora. Até agora, Guedes tinha concordado com os conselhos de lideranças políticas da Câmara em deixar os anúncios de medidas para depois para não atrapalhar as negociações da reforma da Previdência. Mas diante da virada de humor dos investidores em relação ao crescimento da economia, o ministro foi aconselhado por sua equipe a mudar de ideia.

‘Revogaço’
Nesta segunda, o governo prometeu a 11 associações industriais que formam a Coalizão Indústria um “revogaço” de medidas burocráticas nos próximos dias e o lançamento de um pacote de competitividade para as empresas nas próximas duas semanas – incluindo ações para baratear o custo do gás, como antecipou Guedes em entrevista ao Estado.

“É preciso limpar o terreno para que o empreendedor se sinta seguro e confortável para tocar os seus negócios”, afirmou o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Fernando Valente Pimentel. Os executivos também levaram ao governo o pedido para uma reforma tributária “com mais transparência e justiça”.

Para o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antônio Carlos Megale, o custo de capital de giro hoje é um dos maiores entraves enfrentados pela indústria: “Embora tenhamos hoje uma Selic (taxa básica de juros) controlada no nível mais baixo da história, ainda há um custo excessivo de crédito que tira competitividade dos produtos nacionais.”

O presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, alertou que as exportações brasileiras de produtos manufaturados estão estagnadas desde 2014 devido ao custo Brasil. O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, apontou que há hoje uma demanda reprimida muito grande no setor. A Coalizão Indústria reúne 39% do PIB do setor.

Fonte: Estadão

Curta nossa página no Facebook

15 minutos de exercícios por dia já diminui o risco de morte

Para pessoas com mais de 60 anos, 15 minutos de caminhada em velocidade rápida são suficientes para reduzir em 22% o risco de morte. A conclusão é de um estudo francês.

Que praticar atividade física regularmente faz bem para a saúde, todos sabem, mas colocar em prática a recomendação de realizar 30 minutos de exercícios por dia não é tão simples. Pensando nisso, pesquisadores franceses acompanharam dois grupos para verificar se uma quantidade de exercícios menor que a recomendada também era benéfica. O primeiro era composto por 1.011 pessoas com 65 anos, que foram acompanhadas durante 12 anos. No segundo, 122.417 indivíduos com cerca de 60 anos, acompanhados por aproximadamente 10 anos.

Os resultados mostraram que quanto mais atividade física, menor o risco de morte: pessoas que realizam mais atividade do que a quantidade recomendada reduziam seu nível de morte em 35%, já aqueles que realizavam a quantidade recomendada sofriam uma redução de 28% no risco, em comparação aos sedentários. Mesmo as pessoas que realizavam metade da quantidade recomendada de exercícios físicos– o equivalente a 15 minutos de caminhada moderada a vigorosa por dia – já reduziam seu risco de morte em 22%.

Fonte: Veja.com

Curta nossa página no Facebook

Artigo no Financial Times diz que mercado pode estar despreparado para a incompetência de Bolsonaro

Em um artigo opinativo, o jornal britânico Financial Times salientou que o caminho para as reformas parece tão rochoso como sempre foi para as economias emergentes e que investidores ficaram nervosos com a perda de impulso pós-eleitoral no México e no Brasil. Especificamente sobre o País, o jornalista Jonathan Wheatley observou que os mercados podem não ter se preparado para a extensão da incompetência do presidente eleito, Jair Bolsonaro.

"Investidores em mercados emergentes esperavam um ano de continuidade política em 2019, após uma série de eleições potencialmente transformadoras no ano passado. Mas passado um quarto de ano, as coisas não estão funcionando como planejado. O caminho para as reformas pró-mercado nas grandes economias em desenvolvimento está se mostrando mais difícil do que nunca", pontuou o autor.

Após mencionar com detalhes as votações que ocorrerão em 2019 nesses mercados, o artigo se ateve à safra de eleições do ano passado, que teria fracassado em garantir a certeza sobre o caminho futuro. Além de se aprofundar sobre o México, a publicação também dá espaço para o Brasil, dizendo que, no País, os eventos são ainda mais inquietantes.

"Lá, muitos investidores estão preparados para aturar o que alguns consideram como as atitudes racistas, misóginas e homofóbicas de Jair Bolsonaro, o ex-capitão do Exército de extrema direita que assumiu o cargo em 1º de janeiro, sob a alegação de que seu ministro da economia liberal faria reformas vitais para o sistema de bem-estar", trouxe Wheatley relatando que, em um encontro nesta semana com um banqueiro brasileiro, ele confessou "odiar" Bolsonaro, mas argumentou que o "Brasil precisava de mudanças".

Os mercados, de acordo com o autor, podem não ter sido preparados para a extensão da incompetência de Bolsonaro. Ele citou o episódio, na semana passada, em que o presidente e seu filho Carlos, que não tem nenhum papel formal no governo nacional, ofenderam publicamente o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que é a figura mais importante na condução da reforma previdenciária enviada aos legisladores no mês passado.

Anteriormente, lembrou, os investidores estavam confiantes de que chegaria o momento da reforma: como nunca antes, há consenso entre os políticos brasileiros de que o fracasso em aprová-la derrubará a economia.

Aconteceria, acreditavam os investidores, independentemente da incapacidade de Bolsonaro assumir a liderança. "Mas ele acabou sendo tão incompetente que essa afirmação não é mais verdadeira", disse o banqueiro ao jornalista.

O artigo segue dizendo que os investidores de mercados emergentes estão acostumados a isso, é claro: se não fosse pelo risco, eles não esperariam a recompensa. Mas coloca um ponto de interrogação sobre a história de crescimento a longo prazo para as economias emergentes, especialmente à luz de repetidos rebaixamentos de expectativas este ano.

Fonte: Estadão

Curta nossa página no Facebook

Marco histórico pode ser destruído com construção de rodovia, no Cariri

A construção de uma rodovia entre os municípios de Porteiras e Missão Velha preocupa pesquisadores do Cariri. A obra pode destruir um monumento histórico que marcou o coronelismo no Ceará. A via passará no local em que fora erguida, na década de 30, uma lápide em memória de Antônio Gomes Grangeiro. A história desse fazendeiro começou a ser desenhada no período de Lampião, no sertão cearense.

Destino
"Diga a ele, dona, que num precisa ter medo deu, não. Ele precisa ter cuidado é com 'os bonzinho' que vêm aí atrás", alertou Lampião a Maria Celina Grangeiro, esposa de Antônio Grangeiro, que havia fugido de casa ao perceber a aproximação do cangaceiro e seu bando. Os "bonzinhos", a quem se referia o Rei do Cangaço eram as volantes comandadas pelo tenente José Gonçalves Pereira, que foram ao Cariri "dar cabo" do próprio Antônio Grangeiro, e também do fiscal de tributos Antônio Marrocos de Carvalho e, principalmente, de Francisco Pereira de Lucena, o Chico Chicote. O episódio ficou conhecido como "Fogo nas Guaribas".

Na madrugada do dia 1º de fevereiro de 1927, os militares chegaram ao sítio Salvaterra, no Brejo dos Santos (atual cidade de Brejo Santo) e capturaram Antônio Gomes, seu sobrinho João Grangeiro e dois moradores, Aprígio Timóteo de Barros e Raimundo Madeiro Barros. Com mãos e pés amarrados com cordas, os quatro seguiram até o sítio Guaribas, no atual território do município de Porteiras, onde presenciaram cerca de 31 horas de troca de tiros entre as volantes e os capangas de Chico Chicote, que foi vencido. Ele foi encontrado morto, de joelhos, baleado no maxilar, no braço esquerdo e com tiro fatal no tórax.

Os quatro reféns, incluindo Antônio Grangeiro, que acompanhou o ataque ao casarão de seu compadre, Chico Chicote, foram mortos após o tiroteio. Por volta das 14 horas já do dia 2 de fevereiro, "os homens de Salvaterra" foram assassinados, degolados e incinerados. Depois, enterrados em valas comuns ali mesmo. Anos depois, no local onde estavam os corpos, João Gomes Grangeiro, filho do fazendeiro, ergueu uma lápide em memória do pai.

Os restos mortais ficaram por lá até a década 1980, quando a família os enterrou, em definitivo, no cemitério de Porteiras. Ali, foi erguida uma cruz, que se tornou um marco do "Fogo das Guaribas".

Importância
O administrador e gestor cultural Mano Grangeiro, neto de Antônio Grangeiro, acredita que aquela cruz é um marco para a história do País. "Aquilo tem um valor afetivo e histórico. Não nos pertence, e sim à história do Ceará, do País. Isso não foi um fato isolado. Não foi um acidente. É um fato ligado a diversos outros. Tem forte enraizamento nas questões políticas locais e estaduais da época. Destruir aquilo é destruir parte da história", enfatiza Grangeiro.

O temor de familiares e pesquisadores advém da demarcação da obra. No local, foram cravadas estacas que sinalizam onde deverá passar a pista. "Aquele mausoléu tem importância de caráter nacional, porque representa o modos operandi do coronelismo no sertão nordestino, especificamente no Cariri", acredita o pesquisador Bruno Yacub.

Os descendentes da família se mobilizaram para evitar que isso acontecesse. O próprio Mano conversou com a Prefeitura de Porteiras para ter acesso ao estudo topográfico. Até agora, sem sucesso.

A equipe do Diário do Nordeste entrou em contato com o Departamento Estadual de Rodovias (DER), que informou que aquele trecho da rodovia ainda encontra-se em fase de elaboração de projeto. "Toda e qualquer situação sobre esta rodovia encontra-se em análise e o DER evitará que qualquer traçado prejudique o mausoléu", garantiu em nota.

Assim como a residência onde morava Antônio Grangeiro, que se encontra preservada no Sítio Salvaterra, em Brejo Santo, o marco do antigo mausoléu é motivo de visita de inúmeros pesquisadores que passam pelo Cariri. "Têm o maior respeito por aquele lugar", ressalta Bruno.

Já o casarão de Chico Chicote, que protagonizou o episódio, foi demolido na última década. "O 'Fogo nas Guaribas' é um grande exemplo da prática do coronelismo no Cariri cearense", completa o pesquisador. Na época que Antônio Grangeiro foi assassinado pela Polícia, sua esposa, dona Celina, estava grávida de cinco meses de Raimunda Grangeiro Neves, hoje com 92 anos, única filha viva do casal. Sua mãe morreu cinco dias após seu parto. Ela conta que a família ficou desamparada com a morte do fazendeiro e acabou se dispersando. As irmãs mais velhas casaram no ano seguinte à tragédia. "A família foi destruída", lembra.

ANTONIO RODRIGUES
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Governo Bolsonaro detém a marca de maior desemprego da história do Brasil: 13,1 milhões de pessoas desocupadas

O desemprego no país foi de 12,4%, em média, no trimestre encerrado em fevereiro, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O índice subiu em relação ao trimestre anterior (11,6%) pela segunda vez seguida. Na comparação com o mesmo período do ano passado (12,6%), o resultado foi considerado estável.

Segundo o IBGE, o número de desempregados no Brasil foi de 13,1 milhões de pessoas. Isso representa alta de 7,3% em relação ao trimestre anterior. Na comparação com o mesmo período de 2018, houve estabilidade. A última vez que esse número ficou na casa dos 13 milhões foi no trimestre encerrados em maio de 2018.

Os dados foram divulgados hoje pelo IBGE e fazem parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua. A pesquisa não usa só os trimestres tradicionais, mas períodos móveis (como fevereiro, março e abril; março, abril e maio etc.).

O instituto afirmou que o mercado de trabalho foi afetado pela forte dispensa de funcionários temporários, comum nessa época do ano.

Recorde de força de trabalho subutilizada
O IBGE destacou que subiu para 27,9 milhões a soma de desempregados, pessoas que têm emprego, mas gostariam de trabalhar mais horas e trabalhadores que estão desocupados, mas não conseguem procurar emprego por motivos diversos (porque cuida de um parente doente, por exemplo).

O número é o maior desde o início da série histórica do IBGE, iniciada em 2012, e representa uma taxa de subutilização da força de trabalho de 24,6%.

4,9 milhões desistiram de procurar emprego
Também foi o maior desde 2012 o número de pessoas desalentadas, que desistiram de procurar emprego. No total, 4,9 milhões de trabalhadores se encontravam nessa situação no trimestre encerrado em fevereiro, o que equivale a 4,4% da força de trabalho.

Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, são 275 mil desalentados a mais (alta de 6%).

11,1 milhões sem carteira assinada
O número de empregados sem carteira assinada (11,1 milhões) caiu 4,8% na comparação com o trimestre anterior (menos 561 mil pessoas) e subiu 3,4% (mais 367 mil pessoas) em relação ao mesmo trimestre de 2018.

Já o total de empregados no setor privado com carteira assinada foi de 33 milhões, o que representa estabilidades nas duas comparações.

Trabalhadores por conta própria
A categoria dos trabalhadores por conta própria (23,8 milhões) ficou estável na comparação com o trimestre anterior e cresceu 2,8% em relação ao mesmo trimestre do ano passado (mais 644 mil pessoas).

Desemprego em 2018
O desemprego deu uma trégua no Brasil e fechou 2018 em queda, algo que não acontecia havia três anos. No ano passado, a taxa média de desocupação foi de 12,3%, queda de 0,4 ponto percentual em relação à de 2017 (12,7%).

Metodologia da pesquisa
A Pnad Contínua é realizada em 211.344 casas em cerca de 3.500 municípios. O IBGE considera desempregado quem não tem trabalho e procurou algum nos 30 dias anteriores à semana em que os dados foram coletados.

Existem outros números sobre desemprego, apresentados pelo Ministério da Economia, com base no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Os dados são mais restritos porque consideram apenas os empregos com carteira assinada.

Fonte: UOL (Com Reuters)

Curta nossa página no Facebook

30 de março

1867 - Os Estados Unidos, representados pelo Secretário de Estado William Henry Seward, concluem a compra do Alasca à Rússia.
1922 - Gago Coutinho e Sacadura Cabral realizam a primeira travessia aérea do Atlântico Sul.
2006 - A bordo da Soyuz TMA-8, em uma missão para a Estação Espacial Internacional, Marcos Pontes torna-se o primeiro brasileiro a ir para o espaço.

Nasceram neste dia…
1746 - Francisco de Goya, pintor espanhol (m. 1828).
1844 - Paul Verlaine, poeta francês (m. 1896).
1853 - Vincent van Gogh (foto), pintor neerlandês (m. 1890).

Morreram neste dia…
1810 - Luigi Lanzi, historiador da arte, filólogo e arqueólogo italiano (n. 1732).
1925 - Rudolf Steiner, filósofo e pedagogo austríaco (n. 1861).
2008 - Dith Pran, fotojornalista e tradutor cambojano (n. 1942).

Fonte: Wikipédia

'Bloomberg': Depois de apenas 86 dias, Bolsonaro já estar em apuros

Três meses passados do mandato do presidente Jair Bolsonaro, eleitores, investidores e alguns de seus partidários estão começando a duvidar se ele pode cumprir as promessas de impulsionar a economia e reprimir o crime. Às vezes, seu governo até parece que pode perder o controle.

O ex-capitão do Exército, de 64 anos, despencou nas pesquisas de opinião e antagonizou os principais aliados, ao mesmo tempo em que seu gabinete é atormentado por intrigas e lutas internas. Enquanto isso, seu apoio a uma reforma da previdência parece mais incerto do que nunca, aumentando o risco de novos aumentos da dívida e de rebaixamentos do rating de crédito soberano.

“O governo não tem base de apoio para aprovar reformas”, disse Thomas Traumann, consultor de comunicações do Rio de Janeiro, que assessorou o ex-presidentes e ministros. “No ritmo atual, não haverá reformas, a menos que o governo mude radicalmente sua atitude em relação ao Congresso.”

A assessoria de imprensa de Bolsonaro não respondeu aos pedidos de comentários sobre essa matéria. Em um sinal de otimismo, o real caiu mais de 3% este mês, enquanto a bolsa de valores Ibovespa caiu 4,7% em relação às altas recentes. Segundo pesquisa com 122 investidores institucionais publicada pela XP Investimentos no início deste mês, as ações podem cair cerca de 20% se a reforma previdenciária parar. Uma pesquisa de opinião divulgada na semana passada mostrou uma queda de 16% em apoio ao estilo de governo de Bolsonaro.

Depois de anos de recessão, escândalos de corrupção e tumultos políticos, a mera ideia de reformas econômicas e o governo vacilante desencadeiam o pânico entre os líderes empresariais. “Se não aprovarmos o projeto de lei da previdência, não haverá investimento, o Brasil irá à falência e o desemprego voltará”, disse Luciano Hang, dono da rede de lojas de departamentos Havan. “As pessoas não serão enganadas por políticos.”

Grande parte do desgosto dos investidores que acreditam no ministro da Economia de Bolsonaro, o defensor do mercado, Paulo Guedes, muitos dos problemas do governo não têm como origem a oposição, mas suas próprias fileiras. Os membros do gabinete disputam abertamente pelo poder; ideólogos de extrema-direita entram em conflito com os moderados e o próprio presidente age como se ainda estivesse em campanha, mobilizando sua base de apoio e irritando a oposição com tuítes e vídeos provocativos.

Uma fonte de atrito são os filhos de Bolsonaro, que sugerem políticas, nomeiam funcionários e publicamente confrontam membros do gabinete, apesar de não terem nenhum papel oficial no governo. Carlos, que é o segundo de quatro filhos e dirigiu a campanha de mídia social de seu pai, colocou vários “confidentes” dentro da assessoria de imprensa do presidente para ficar de olho na cobertura dos meios de comunicação.

Sua presença levou o secretário de imprensa a renunciar este mês, segundo alto funcionário com conhecimento direto de sua decisão. Foi também um tuíte crítico de Carlos que aborreceu o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o que o levou a dizer à TV Globo no final da semana passada que o presidente “precisa gastar mais tempo com a reforma previdenciária e menos com o Twitter”. Como as coisas estão, o projeto não seria aprovado, disse Maia.

Alguns dos defensores de Bolsonaro dizem que é uma nova maneira de fazer política, mas os críticos argumentam que é falta de liderança, e que os políticos de qualquer filiação ainda precisam negociar para que as coisas sejam feitas. “O que Bolsonaro precisa fazer é descer do palanque, ele precisa mostrar quem está no comando, em casa e no governo”, disse Simone Tebet, presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado.

Com certeza, alguns investidores estão dando um desconto à turbulência dos primeiros meses do governo e continuam otimistas com o que o presidente pode oferecer. A maioria acredita que uma lei para a previdência ainda será aprovada, embora mais tarde e mais diluída do que se esperava anteriormente.

“Estávamos antecipando a volatilidade no processo de negociação”, disse Shamaila Khan, diretor de dívida de mercados emergentes da AllianceBernstein. “O processo de reforma será apoiado pela opinião pública e pelos ainda elevados índices de aprovação de Bolsonaro”.

Para a base de apoio do presidente, o a situação contra ele é em grande parte uma invenção dos meios de comunicação. A imprensa é um alvo regular da ira de Bolsonaro. “Nosso presidente está sofrendo por causa da mídia, mas eu ainda confio nele”, disse Sibelli Marcolina, advogada do Paraná.

Desde que Carlos Bolsonaro e seu ministro da Justiça, Sergio Moro, se confrontaram publicamente na semana passada com Maia, autoridades do governo tentaram acalmar as tensões e tranquilizar os investidores. Moro disse que o impasse foi superado e que o vice-presidente Hamilton Mourão tem pedido mais diálogo entre os membros do gabinete.

“Os pontos fundamentais são clareza em nossos objetivos, determinação para alcançá-los e paciência para o melhor diálogo”, disse o general da reserva à Bloomberg News em mensagem de texto. No entanto, não é a primeira vez que o governo promete mais coesão e harmonia. Na verdade, esta terça-feira pouco ajudou para convencer os céticos.

Os investidores ficaram estupefatos quando Guedes cancelou uma audiência sobre a reforma previdenciária, onde ele corre o risco de sofrer críticas da oposição. Ao mesmo tempo, Bolsonaro fez uma escapada não programada para ir com sua esposa ao cinema. Líderes contrariados do Congresso impuseram uma das maiores derrotas em qualquer governo, ao votar a favor de novas restrições orçamentárias.

Os editoriais dos três principais jornais do país criticaram Bolsonaro pelo recente tumulto político e questionaram sua capacidade de cumprir seus deveres presidenciais. “O que ele mostrou até agora é que teremos 3 anos e 9 meses de mais turbulência”, disse Traumann, que assessorou o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Fonte: Estadão

Curta nossa página no Facebook

Idoso de 75 anos é preso suspeito de estuprar criança de dois anos no Ceará

Foto meramente ilustrativa
Um holandês de 75 anos foi preso e autuado em flagrante na madrugada desta sexta-feira (29), após uma denúncia por estupro de vulnerável, no bairro Vicente Pinzón, em Fortaleza. O nome dele não foi divulgado pela polícia visando preservar a identificação da vítima.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), uma equipe policial recebeu a denúncia do estupro por meio da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) e se dirigiu até o endereço do suspeito. Ao chegar no local, os policiais foram informados pela mãe da criança de dois anos que ela flagrou o estrangeiro acariciando as partes íntimas da menina, enquanto esta dormia.

A mãe da menina informou ainda que manteve um relacionamento com o holandês há alguns anos, mas hoje são apenas amigos e moram juntos.

Em depoimento, o suspeito negou qualquer ato criminoso contra a vítima. Ele foi conduzido à sede da Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza (DDM-For), onde foi ouvido.

O estrangeiro já responde no Ceará por crimes sexuais e sequestro e cárcere privado, no ano de 2004. Na época, ele foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável. O caso foi transferido para a Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca), que ficará responsável pelas investigações.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook

Conheça os 10 "piores" alimentos para a sua saúde

Você consegue resistir a um delicioso sorvete de massa? E quanto a um cachorro quente? Estes alimentos industrializados são tão gostosos para o nosso paladar que realmente é difícil evitá-los. O foco da indústria alimentícia ao produzi-los era o sabor, deixando de lado o valor nutricional?, explica o nutrólogo Guilerme Giorelli, diretor da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

Pensando nos malefícios que estas comidas proporcionam, a nutricionista norte-americana Michelle Schoffro Cook, famosa autora de best-sellers sobre alimentação, elaborou uma lista com os 10 piores alimentos do mundo para o ser humano.

Na seleção estão a pizza congelada, um único pedaço possui 16% do Valor Diário de sódio, o salgadinho de batata, um pacotinho possui 33% do Valor Diário de gorduras totais, e o cachorro quente, uma salsicha possui 20% do Valor Diário de gorduras saturadas.

Conversamos com especialistas para entender por que os alimentos são tão ruins para a saúde e como podem ser substituídos por opções mais saudáveis.

É importante deixar claro que nenhum destes alimentos precisa ser excluído do seu cardápio, especialmente aqueles que você gosta bastante. "Eu não os transformaria em vilões da dieta porque o problema é o nosso hábito. O que não devemos fazer é comer estes alimentos diariamente e em excesso, você pode escolher um alimento do grupo, o sorvete de massa por exemplo, e ingerir uma vez por semana", aconselha o nutrólogo Celso Cukier do Hospital Albert Einstein. Logo abaixo, você confere os dez maiores "perigos" do cardápio saudável.

10º Sorvete de massa
Os problemas: O sorvete de massa industrializado não é interessante por ser pobre em nutrientes. "Este doce possui carboidratos de baixo valor nutricional, ou seja é rico em açúcar, que vão ser absorvidos rapidamente pelo organismo e serão transformados em gordura", conta Cukier.

O consumo em excesso deste alimento pode facilitar o aumento de peso. Uma bola da versão sabor chocolate, equivalente a 60 gramas, contém 130 calorias e 18,5% dos Valores Diários de gorduras saturadas que um adulto necessita, este alto valor existe principalmente por ter uma série de aditivos incluídos no alimento ao longo da fabricação, o leite integral possui gorduras saturadas, mas não são poucas. "O principal problema do consumo em excesso desta gordura é que ela sofre um processo de oxidação e há o risco do aparecimento de placas que podem inflamar as artérias sanguíneas, levando a doença vascular que pode comprometer o coração, os rins e o cérebro a longo prazo", explica Cukier.

Alternativa saudável: Uma opção melhor é o sorvete de palito de frutas que possui menos calorias, apenas 50 por porção de 60 gramas, e gorduras, apenas 0.14 gramas o equivalente a 0,25% dos Valores Diários. O frozen de iogurte desnatado, com 64 calorias e 0,3 gramas de gorduras saturadas o equivalente a 1,3% dos Valores Diários, é outra boa opção. O sorvete light, com 85 calorias e o equivalente a 6% dos Valores Diários de gorduras saturadas, também é uma escolha menos prejudicial.

9º Salgadinhos de milho
Os problemas: Por conter uma série de produtos químicos, o salgadinho de milho pode causar alergias. Além disso, um pacote, 63 gramas, deste alimento contém 17% do Valor Diário de sódio. "Quando consumido em excesso o sódio está relacionado ao aparecimento de pressão alta e doenças renais", diz Cukier. O pacote do salgadinho também possui Valor Diário de 32,5% de gorduras totais e 10,3% de gorduras saturadas. O fato do salgadinho ser feito com milho transgênico é polêmico. "O transgênico é uma mistura de DNA, o ideal é saber qual é essa modificação e se poderia promover uma alergia. Não temos um estudo científico que comprove que a quantidade de milho com essas alterações no salgadinho pode causar uma doença", ressalta Giorelli.

Alternativa saudável: A pipoca preparada na panela e com óleo vegetal fresco é uma opção muito melhor para a saúde. Mas o ideal, é claro, é não abusar do sal para não aumentar a quantidade de sódio do quitute.

8º Pizza congelada
Os problemas: Um pedaço, 73 gramas, de pizza congelada possui 16% do Valor Diário de sódio, cujo consumo em excesso está ligado ao aumento da pressão e doenças renais. O único pedaço ainda possui 14% do Valor Diário das gorduras saturadas que quando ingeridas em grandes quantidades podem levar a problemas cardíacos. Esta pizza ainda é feita com farinha branca que tem uma absorção rápida no organismo fazendo com que a pessoa fique com fome logo. "Outra descoberta é que quando o alimento é integral a absorção é mais lenta e o tempo que o alimento passa no intestino é maior o que faz com que outros hormônios deste órgão sejam estimulados", observa Giorelli.

Alternativa saudável: Caso você adore uma pizza, o melhor a fazer é diminuir o consumo, comendo apenas uma vez por semana. O sabor escolhido também irá influenciar na quantidade de calorias e gorduras. Confira alguns sabores de pizza até 300 calorias.

7º Batata frita
Os problemas: O principal problema da batata frita está no fato de ela ser uma fritura. Quando o alimento é submetido a altas temperaturas sofre a glicação que é uma modificação molecular. "Estão surgindo muitos estudos procurando relacionar essas alterações com o aparecimento de doenças cardiovasculares e também o câncer", diz Cukier. A porção de 100 gramas de batata frita possui 14% do Valor Diário de gordura saturada.

Alternativa saudável: Uma maneira melhor de consumir a batata como petisco é cortá-la como se fosse um chips, dispor em uma travessa, colocar alecrim e azeite e levar ao forno. Caso você goste muito da batata frita, procure fazê-la em casa e sem reaproveitar o óleo, pois quanto mais utilizado, mais saturado ele fica e maiores os riscos para o coração.

6º Salgadinho de batata
Os problemas: O salgadinho de batata é ainda mais nocivo do que a batata frita. "Ele vai ser preparado de maneira industrial, utilizando grandes quantidades de gordura, sal e substâncias químicas", explica Cukier. De fato, o alimento é rico em gorduras, um pacote de 50 gramas possui 33% do Valor Diário de gorduras totais e 9% de gorduras saturadas.

Alternativa saudável: A pipoca preparada na panela ou a batata cortada em forma de chips e levada ao forno com azeite e alecrim são alternativas de petiscos melhores para a saúde.

5º Bacon
Os problemas: Um levantamento feito pela Escola de Saúde Pública de Harvard descobriu que 50 gramas diários de carnes processadas como o bacon aumentam em 42% o risco de problemas cardíacos e em 19% o de diabetes tipo 2. Este alimento possui gordura saturada, de modo que uma fatia equivalente a 10 gramas possui 6,4% do Valor Diário desta gordura, que sofre um processo de oxidação que facilita o aparecimento de placas que podem inflamar as artérias sanguíneas levando ao comprometimento cardíaco.

Já o diabetes tipo 2 pode ocorrer em decorrência do consumo de bacon porque em alguns casos há diminuição da produção de insulina em resposta ao tamanho corporal do paciente. "Então uma alimentação exagerada, e o bacon é extremamente calórico, faz com que em algumas pessoas o organismo chegue a uma situação de insuficiência hormonal, passando a produzir uma quantidade de insulina insuficiente para o tamanho do corpo", explica Giorelli.

Além disso, um estudo publicado no British Journal of Cancer concluiu que comer 50 gramas de carne processada diariamente aumenta em 19% o risco de câncer no pâncreas. Os cientistas responsáveis pela pesquisa acreditam que isto ocorre porque algumas químicas utilizadas para preservar este tipo de alimento são transformadas no nosso corpo em substâncias que podem afetar o DNA e aumentar o risco de câncer.

Alternativa saudável: Os fãs de bacon devem restringir o consumo do alimento para no máximo uma vez por semana. Procure fazer o feijão e a farofa sem o uso desta carne processada e caso bata uma vontade daquela fatia de bacon, tente substitui-la por peito de peru.

4º Cachorro-quente
Os problemas: Um salsicha de 50 gramas possui 24% do valor diário de gorduras totais, 20% de gorduras saturadas e 20,3% de sódio. A salsicha é uma carne processada como o bacon e por isso apresenta os mesmos problemas de saúde. Além disso, para a conservação da salsicha são utilizados nitritos e nitratos que no estômago se transformam em nitrosaminas. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estas nitrosaminas têm forte ação cancerígena levando a altos índices de câncer no estômago entre pessoas que consomem alimentos contendo os nitritos e nitratos com frequência.

Alternativas saudáveis: Uma boa opção é substituir o cachorro-quente por um lanche com queijo branco e peito de peru.

3º Churros recheados
Os problemas: O alimento que ocupava a 3ª posição na lista original era o donuts. Como ele não é muito consumido no Brasil, o churros é o seu equivalente nacional. Ambos são massas fritas, recheadas com chocolate ou doce de leite e que possuem açúcar ao seu redor. Portanto, os churros têm as complicações das frituras e ainda são ricos em açúcar. O alimento recheado com doce de leite possui 18,4% do Valor Diário das gorduras totais e 18,8% das gorduras saturadas.

Alternativas saudáveis: Caso você goste muito do churros opte por comê-lo apenas uma vez por semana aliado a uma dieta saudável.

2º Refrigerante
Os problemas: Esta bebida é rica em açúcar. Uma lata de 350 ml do refrigerante tipo cola possui 37 gramas de açúcar. Então, caso a pessoa beba uma lata por dia em um mês ela terá consumido cerca de um quilo de açúcar! Uma pesquisa divulgada no American Journal of Clinical Nutrition concluiu que refrigerantes, tanto as versões açucaradas quanto as de baixa caloria, estão associados ao maior risco de acidente vascular cerebral.

Os refrigerantes também estão associados a problemas respiratórios. "Eles proporcionam um excesso de energia levando ao aumento do peso que é estocado no organismo na forma de tecido gorduroso. Hoje já se sabe que esse tecido produz uma série de hormônio e alguns causam especificamente mais inflamação respiratória", diz Giorelli.

Outras bebidas ricas em açúcar que são tão prejudiciais quanto o refrigerante são os sucos industrializados. "O pior é o refresco, que tem em torno de 10% de polpa de frutas, o néctar varia em 30 e 40% e o suco em mais de 50%. Considero tão perigoso quanto o refrigerante porque a quantidade de vitaminas é mínima e ele é muito calórico", explica Giorelli.

Alternativas saudáveis: Apesar de calóricos, os sucos naturais são ricos em vitaminas, fibras e sais minerais, por isso são opções muito melhores para a sua saúde, a água de coco também.

1º Refrigerante diet
Os problemas: Um estudo feito por pesquisadores das universidades de Miami e Columbia concluiu que quem consome o refrigerante diet diariamente tem mais chances de ter um infarto ou um acidente vascular cerebral. Outro estudo publicado pela revista científica Diabetes Care concluiu que o ingerir diariamente o refrigerante diet pode aumentar os riscos de desenvolver diabetes tipo 2 e síndrome metabólica.

Os especialistas divergem quanto ao fato da nutricionista americana ter colocado esta bebida como a pior de todas. "Não faz sentido, o diet não é mais ou menos saudável do que o normal, inclusive, pessoas com restrição ao uso dos carboidratos devem preferir o diet ao outro", afirma Cukier.

Alternativa saudável: Neste caso, os sucos naturais também são opções muito melhores para a saúde.

Fonte: Minha Vida

Curta nossa página no Facebook

"The Economist" chama Bolsonaro de 'aprendiz de presidente'

A mais nova edição da revista britânica The Economist, em matéria publicada nesta quinta-feira, 28, voltou a fazer críticas ao presidente Jair Bolsonaro, a quem chamou de “aprendiz de presidente”, e afirmou que o mandato dele pode ser curto "a menos que ele pare de provocar e aprenda a governar". (Leia aqui o artigo na íntegra)

Bolsonaro já havia sido alvo de críticas por parte da revista no ano passado. "Bolsonaro ainda não mostrou que entende seu novo emprego. Ele dissipou o capital político em seus preconceitos, por exemplo, pedindo que as Forças Armadas comemorassem o aniversário, em 31 de março, do golpe militar de 1964", trouxe a reportagem.

De acordo com a Economist, "muitos supunham que a chegada do governo de Bolsonaro por si só daria vida à economia. Mas, três meses depois, ela continua tão moribunda quanto sempre". A revista apontou que os investidores estão começando a perceber que o ministro da Economia, Paulo Guedes, "enfrenta uma tarefa difícil" para fazer com que o Congresso aprove a reforma da Previdência e enfatizou que "o próprio Bolsonaro não está ajudando".

Mesmo assim, a reportagem também indicou que a reforma previdenciária "não é suficiente" para fazer com que o País apresente um crescimento econômico robusto e listou outras mudanças, como uma reforma tributária e outras medidas, para fazer com que a competitividade aumente.

A revista também trouxe, na reportagem, a recente tensão entre Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e apontou que essa crise deve fazer com que a reforma da previdência sofra "atrasos e diluição". Além disso, a Economist também lembrou que o filósifo Olavo de Carvalho, apontado como ideólogo do governo Bolsonaro, chamou de "idiota" o vice-presidente Hamilton Mourão, que, de acordo com a revista, "tentou impor alguma disciplina política", embora esteja "frequentemente em desacordo com a família Bolsonaro". A ligação entre a família Bolsonaro com ex-policiais do Rio acusados de matar Marielle Franco também esteve presente na reportagem da Economist

Fonte: Estadão

Curta nossa página no Facebook

Globo anuncia mudanças na grade das manhãs

A TV Globo anunciou nesta sexta-feira (29) o fim definitivo do programa Bem-Estar como uma produção solo na emissora.

A partir de 8 de abril, o matinal será incorporado pelo Encontro com Fátima Bernardes. 

"Diariamente, sempre que o assunto for saúde, cuidados com o corpo e melhorias nos hábitos alimentares, Fátima irá contar com Michelle Loreto que, direto dos estúdios do programa, em São Paulo, continuará levando ao público as pautas e temas característicos do ‘Bem Estar’, com sua linguagem direta e didática para falar sobre saúde", disse a emissora em um comunicado enviado à imprensa.

Coladinhas
Com a fusão entre Bem-Estar e Encontro, Ana Maria Braga e Fátima Bernardes agora vão aparecer coladinhas na emissora.

Ana Maria Braga entrará em campo às 9h da manhã, no comando do Mais Você diretamente da Casa de Cristal.

Logo após o matinal, de 10h30 às 12h, Fátima Bernardes chegará com seu Encontro.

Fim de contratos
Nas últimas semanas, a movimentação intensa nos bastidores da emissora causaram duas baixas. Antigos apresentadores do Bem-Estar, os jornalistas Mariana Ferrão e Fernando Rocha não conseguiram um acordo e foram dispensados pela emissora. Eles seguem licenciados até encerrarem oficialmente o vínculo com a emissora.

Fonte: Contigo!

Curta nossa página no Facebook

Saiba como fazer sua inscrição para o concurso da prefeitura de Juazeiro do Norte; salários podem chegar a R$ 7 mil

Com um total de 1.815 vagas para contratação imediata e mais 5.489 para cadastro de reserva, o concurso da Prefeitura de Juazeiro do Norte abre inscrições para o processo seletivo do município. Os interessados têm até o dia 25 de abril para se candidatar e concorrer a oportunidades de nível fundamental, médio e superior. Os vencimentos variam de R$ 998 a R$ 7 mil.   

As inscrições são exclusivamente via internet, no endereço eletrônico www.cetrede.com.br. Após efetuar a inscrição, o candidato deve efetuar o pagamento da taxa através de boleto bancário. A taxa varia conforme o nível escolar: R$ 125,00 para os cargos de nível superior, R$ 85 para os cargos de nível médio, e R$ 65 para os cargos de nível fundamental. 

Processo seletivo 
As provas, compostas de 40 questões de conhecimentos gerais e 20 de conhecimentos específicos, acontecem no dia 26 de maio, das 08h às 12h e das 14h às 18h. Os candidatos aos cargos de Orientador Educacional, Pedagogo, Professor e Psicopedagogo terão que fazer também uma prova discursiva/produção textual. 

Os testes serão realizados na cidade de Juazeiro do Norte e os locais de prova serão divulgados no dia 20 de maio. Entretanto, segundo o edital, se não houver locais suficientes e adequados para atender a todos os inscritos, as provas poderão ser aplicadas em outras cidades ou em dias e horários diferentes.  

Todas as informações sobre valores, atribuições e vagas podem ser conferidas no edital. Já o conteúdo programático poderá ser acessado no site do concurso.

Curta nossa página no Facebook 

Sucesso nos anos 90, ex-cantora de banda de forró pede ajuda para internação de filho contra as drogas

Diferente da música “Lindos Momentos” que impulsionou o trabalho da cantora Iara Pamella na banda Noda de Caju nos anos de 1990, a vida da forrozeira está abalada pela batalha de um filho contra as drogas. Nesta semana, Iara iniciou uma “vaquinha” virtual para pagar a internação do filho em uma clínica de reabilitação no interior do Ceará.

Com exclusividade ao Puxa o Fole, a forrozeira contou que há cinco anos o filho de 25 anos vem sofrendo com a dependência no crack. “De algum tempo para cá é que percebemos a mudança. As coisas começaram a sumir de casa. Dinheiro, celular, praticamente tudo. Eu não tenho mais nada. Na verdade, ele fez uma limpa. Até o guarda-roupas ele trocou. Ele chegou ao ponto de me dizer que não conseguia passar mais de um dia sem usar a droga. Ele está pele e osso. Está adquirindo várias feridas no corpo”, revelou a cantora a coluna Puxa o Fole.

Iara conta que vem sofrendo muito com a situação do filho e que está vendendo lanches na porta de uma faculdade há cerca de um ano para conseguir sobreviver. “Muitos me assistem nas redes sociais tocando nos bares e acham que eu vivo bem de vida. Não tenho carro, casa própria e pago aluguel. Num ato de desespero, resolvi fazer um apelo no meu grupo de amigos porque é caro a manutenção da clínica de reabilitação. Eu não queria me expor, mas é uma vida que está em jogo. É a vida do meu filho. Eu já enterrei um e não queria que isso acontecesse de novo”. Um dos filhos da cantora morreu por dengue hemorrágica em Brasília.

Trabalho
Diferente dos grandes shows do início da carreira, a cantora atua em casas menores de Fortaleza. O filho trabalhava com ela na produção dos eventos. Ao final de cada apresentação, Iara pagava um valor pelo trabalho dele. “Depois dos trabalhos a noite, meu filho sumia e passava de cinco dias fora de casa e dormindo na rua. Quando ele voltava não tinha mais tênis e nem camisa. Chegava debilitado da rua”, conta a forrozeira.

Iara Pamella conseguiu a internação do filho por meio de amigos da música nesta semana, mas que precisa pagar um valor mensal de R$900 a cada mês. “Venho trabalhando com lanches e shows nos fins de semana. Está sendo um momento de muita fé, oração e cultos aqui em casa”. Para ajudar com o pagamento dos boletos da internação do filho de Iara Pamella entre em contato pelo telefone (85) 9.9624-6486.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Governo Bolsonaro vai propor reajuste do salário mínimo só pela inflação, sem ganho real

O governo deve enviar ao Congresso Nacional o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) sem a previsão de reajuste real do salário mínimo. Pela proposta da equipe econômica, o piso salarial deve ser corrigido apenas pela inflação, e o indicador usado será o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). O texto deve chegar ao Legislativo até 15 de abril.

"Uma proposta com uma nova fórmula de cálculo do reajuste do salário mínimo pode ser enviada ao Congresso até 31 de dezembro, por meio de uma MP (Medida Provisória). O governo não vai tratar desse assunto antes da aprovação da reforma da Previdência. Mas temos consciência de que o mínimo precisa, pelo menos, da correção inflacionária", disse um interlocutor do ministro da Economia, Paulo Guedes.

O projeto do Orçamento precisa trazer uma previsão sobre o reajuste do mínimo, porque o piso salarial é referência para o pagamento de benefícios previdenciários, assistenciais e trabalhistas. Entretanto, o dado é apenas um parâmetro para o cálculo das despesas do governo e pode ser alterado ao longo do debate orçamentário.

Reajuste real prejudicaria contas públicas
Hoje o salário mínimo está em R$ 998. A fórmula de cálculo do reajuste foi fixada por lei a partir de 2007. Até 2019, essa revisão levava em conta o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes mais a inflação do ano anterior, medida pelo INPC.

Durante a transição do governo Michel Temer (MDB) para o de Jair Bolsonaro (PSL), o antigo Ministério da Fazenda recomendou a Guedes que a política de reajuste do mínimo fosse revisada.

Tanto os técnicos da extinta Fazenda quanto os auxiliares de Bolsonaro tinham um diagnóstico semelhante sobre o reajuste do piso salarial. Um deles é de que a revisão real do mínimo pressiona a inflação e contribui para o baixo nível de produtividade da economia.

"Esses reajustes também afetam as contas públicas porque são usados para revisar o valor mínimo de aposentadorias e outros benefícios assistenciais e trabalhistas pagos pelo governo. Com isso, a despesa pública cresce mais do que se arrecada. Em um ambiente de crise e sem crescimento, isso é ruim do ponto de vista fiscal", disse um outro interlocutor.

Decisão final será de Bolsonaro
Guedes e outros economistas são críticos da política de reajuste real do salário mínimo e defendem que ela acabe. A elaboração do PLDO é feita pela junta orçamentária, composta por Ministério da Economia e Casa Civil. Entretanto, todas as decisões sobre parâmetros e previsões de despesas passam pela aprovação do presidente da República.

"Caberá ao presidente Bolsonaro definir o parâmetro que será usado no PLDO, e será uma decisão política dele enviar ao Congresso uma nova fórmula de cálculo do salário, que pode apenas dar um reajuste sem aumento real", disse.

Em evento em São Paulo na última terça-feira, o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) criticou o reajuste do salário mínimo acima da inflação. Ele classificou a política como uma "vaca sagrada" que precisa mudar, assim como a Previdência.

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook

Ceará registra 52 casos de meningite em 2019; doença já causou dois óbitos

O Ceará registrou 52 casos de meningite em 2019, de acordo com o Boletim Epidemiológico Meningite da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa). O período analisado dentro do documento é de 10 a 16 de março. Além das notificações da doença, dois óbitos foram registrados causados por meningite neste ano.

O boletim revela que uma criança dentro da faixa etária de "5 a 9 anos de idade" é uma das vítimas. Essa é a mesma faixa etária do neto do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que faleceu por meningite no começo de março. Além da criança, um adulto entre "40 e 49 anos" também faleceu.

Em comparação com igual período do ano passado, o Ceará registrou uma queda de 47% nos casos de meningite. Em 2018, foram 99 notificações da doença — além de 10 óbitos (caracterizando uma redução de 80% das mortes em comparação com 2019).

A Secretaria da Saúde explica que "a meningite é uma inflamação das membranas que recobrem o cérebro. Pode ser causada por fungo e vírus, geralmente em casos menos graves. Também pode ser transmitida por bactéria, que apresenta quadros mais graves e com maior risco de óbito ou sequelas, como convulsões, surdez, perda de memória, falência nos rins, AVC e outros danos cerebrais".

"As meningites de origem infecciosa, principalmente as causadas por bactérias e vírus, são as mais importantes do ponto de vista da Saúde Pública, pela magnitude de sua ocorrência, pelo potencial de produzir surtos e por sua letalidade. No Brasil, as meningites infecciosas, em especial a Doença Meningocócica (DM), apresentam comportamento endêmico", complementa o boletim epidemiológico.

Sintomas
Os principais sintomas de meningite são febre alta repentina, dor de cabeça e na nuca, rigidez no pescoço e vômito. Também podem aparecer convulsões, sonolência, fotossensibilidade, falta de apetite e manchas ou rachaduras na pele. Bebês recém-nascidos podem apresentar ainda moleira elevada e inquietação.


A transmissão acontece através de secreções respiratórias e da saliva. A meningite pode evoluir rapidamente, principalmente entre crianças e adolescentes. "Nesse período do ano é bom evitar aglomerações em ambientes fechados, pois o risco de transmissão aumenta por conta do contato mais próximo", reforça o infectologista pediátrico do Hospital São José (HSJ), Robério Leite.

A Secretaria da Saúde alerta que ao surgirem os primeiros sintomas, deve-se procurar o posto de saúde mais próximo. Confirmada a doença, o paciente é encaminhado para uma unidade de saúde, como o Hospital São José, em Fortaleza.

Um paciente, que prefere não se identificar, revela a importância do acompanhamento médico. "Até hoje, tomo medicamentos para evitar convulsões. A minha qualidade de vida é boa porque sigo direitinho a orientação do médico. Mas poderia ter sido pior, eu poderia ter morrido. Por isso, não descuido da vacinação das minhas três netas. Todas estão com o calendário das vacinas em dia", diz o homem, que tem meningite desde os dois anos de idade.

Prevenção
O governo estadual informa também que "a meningite é uma doença prevenível". E a melhor forma de se proteger dessa enfermidade é manter a caderneta de vacinação em dia. "Conforme o Calendário Nacional de Vacinação, há quatro vacinas disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) que protegem contra a meningite: BCG, pentavalente, pneumocócica 10 valente e meningocócica C", complementa a Secretaria da Saúde.

"A vacinação é a melhor forma de prevenção. Se o indivíduo é vacinado, se protege e ainda protege outras pessoas, pois não se torna portador da doença e não transmite", afirma Robério Leite, infectologista.

A primeira vacina contra a meningite é logo ao nascer. E desde o ano passado, a faixa etária de imunização contra a meningite C foi ampliada. A cobertura vacinal passou a contemplar também adolescentes de 11 a 14 anos de idade. Além da vacinação, seguir algumas medidas básicas ajudam a prevenir a doença como lavar bem as mãos, principalmente antes de preparar alimentos.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook

PM desarticula mais um ponto de venda de drogas em Juazeiro do Norte

Ações de combate ao tráfico de drogas realizadas nesta quinta-feira, 28, pela Polícia Militar em Juazeiro do Norte resultaram na apreensão de entorpecentes e na condução de três suspeitos para a delegacia de Polícia Civil. 

As composições militares localizaram no interior de uma residência no bairro Timbaúbas cerca de 0,904kg de maconha, 0,010 kg de cocaína, uma balança de precisão, uma pistola de pressão (airsoft), celulares e dinheiro. 

Três pessoas que estavam no local, identificadas como João Vieira de Carvalho, 20 anos, Francisco Luciano Peixoto, 37 anos e Maria Luana Alves Peixoto, 22 anos, foram apresentadas à autoridade judiciária para adoção dos procedimentos legais.

Curta nossa página no Facebook

Apresentador que pediu demissão no 'Globo Esporte' pede indenização milionária

O jornalista Kaio Cezar, que pediu demissão ao vivo da TV Verdes Mares, afiliada da Globo em Fortaleza, entrou na Justiça contra a emissora e contra a matriz. Kaio Cezar pediu demissão durante a transmissão do "Globo Esporte".

O processo de Kaio foi protocolado no dia 16 de março no Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região, em Fortaleza, no Ceará. Na ação são apontados como reús a TV Verdes Mares, a Rádio Verdes Mares, a TV Diário (emissora local que também faz parte do grupo) e a própria TV Globo.

Segundo o "Uol", Kaio afirma no processo que a Globo se aproveitou da força de trabalho e pouco fiscalizou a situação a que ele e seus colegas foram submetidos na TV Verdes Mares em transmissões do SporTV e Premiere. 

Ele afirma, ainda, que Kaio não recebeu por trabalhos que realizava na TV por assinatura, como por exemplo na Copa do Mundo, quando ficou responsável pela coordenação de entradas ao vivo no SporTV. No processo, consta que a Globosat repassava o dinheiro para a Verdes Mares, que não pagava Kaio pelo trabalho.

O jornalista pede R$3.873.399,10 por todos os salários e pagamentos que não recebeu, além de indenizações por dano moral, material e existencial. Ele também pede que o Grupo Queiroz e a Globo paguem por todo o processo e alegou não ter condições de fazê-lo por questões pessoais. 

Fonte: O Dia

Curta nossa página no Facebook

Mandato de Bolsonaro pode ser curto, diz revista britânica

A última edição da revista britânica “The Economist”, publicada nesta quinta-feira, 28, voltou a fazer duras críticas ao governo brasileiro. Com a chamada “Jair Bolsonaro, aprendiz de presidente do Brasil, o veículo defende que seu mandato pode ser curto “a menos que ele pare de provocar e aprenda a governar”.

De acordo com a “Economist”, “muitos supunham que a chegada do governo de Bolsonaro por si só daria vida à economia. Mas, três meses depois, ela continua tão moribunda quanto sempre”.

Os investidores estão começando a perceber que o ministro da Economia, Paulo Guedes, “enfrenta uma tarefa difícil” para fazer com que o Congresso aprove a reforma da Previdência e enfatizou que “o próprio Bolsonaro não está ajudando”.

Por mais que reconheça que a aprovação da proposta não seja suficiente para fazer com que o País apresente um grande crescimento econômico, a revista aponta que é preciso uma “liderança do topo”.

“Bolsonaro ainda não mostrou que entende seu novo emprego. Ele dissipou o capital político em seus preconceitos, por exemplo, pedindo que as Forças Armadas comemorassem o aniversário, em 31 de março, do golpe militar de 1964”, diz a reportagem.

O texto ainda trouxe a recente tensão entre Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. “Por mais que odeiem Bolsonaro, os democratas não devem desejar que ele não chegue ao fim do seu mandato. Ainda é o início. Mas sua Presidência já enfrenta um teste crucial”, diz a matéria.

Fonte: Yahoo!

Curta nossa página no Facebook

Ceará bate recorde e mais de 20 mil alunos de escolas públicas são aprovados em universidades

O Ceará continua colhendo bons resultados pelo planejamento e investimentos realizados na educação. O número de alunos aprovados em universidades públicas e privadas no ano de 2018 foi 20.207, o que representa um crescimento de 19,6% em relação a 2017, quando 16.897 jovens conseguiram acesso ao Ensino Superior. O anúncio foi feito pelo governador Camilo Santana, na manhã desta quinta-feira (28), em solenidade no Palácio da Abolição. O chefe do Executivo esteve acompanhado da vice-governadora Izolda Cela e da secretária da Educação, Eliana Estrela.

“Foi um aumento de quase 20% comparado ao ano anterior. Eu estava conversando com o reitor da UFC (Universidade Federal do Ceará) e quase 60% dos alunos que ingressam na Universidade são oriundos de escola pública do Ceará. Isso é algo que nos anima, nos estimula, nos dá orgulho saber o avanço que a educação cearense tem obtido nos últimos anos. Acreditamos que é através da educação que vamos construir um estado justo, de oportunidades, mais igualitário. Esse é um trabalho que não para”, enalteceu Camilo Santana, que colocou como meta ter 50% das escolas públicas de Ensino Médio em tempo integral até o final de seu mandato. Hoje, cerca de 35% já funcionam nesse modelo.

O governador ainda aproveitou a ocasião para destacar os resultados na área. “O Ceará hoje já é a melhor educação pública do Brasil. Das 100 melhores escolas brasileiras 82 são cearenses. Nós saímos do 12° lugar no Ensino Médio para 4°. A Uece (Universidade Estadual do Ceará) é considerada uma das melhores do Norte/Nordeste. Portanto, estamos aqui celebrando os avanços que a cada ano o Ceará tem alcançado e vocês fazem parte disso”, finalizou.

Assessoria de Comunicação/Governo do Estado do Ceará

Curta nossa página no Facebook

29 de março

1865 - Segunda intervenção francesa no México: a França desembarca tropas em Guaymas.
1982 - O Canada Act é assinado pela rainha Elizabeth II.
1998 - É inaugurada a Ponte Vasco da Gama, sobre o rio Tejo, a maior da Europa.

Nasceram neste dia…
1788 - Infante Carlos de Bourbon, pretendente ao trono de Espanha (m. 1855).
1802 - Johann Moritz Rugendas, pintor alemão (m. 1858).
1930 - Lima Duarte (foto), ator e diretor brasileiro.

Morreram neste dia…
1792 - Gustavo III da Suécia (n. 1746).
1982 - Carl Orff, compositor alemão (n. 1895).
2011 - José Alencar, ex-vice-presidente do Brasil (n. 1931)

Foto: Wikipédia

MEC volta atrás e revoga portaria que adiava prova de alfabetização

O Ministério da Educação (MEC) revogou nesta terça-feira a portaria que adiava para 2021 a avaliação sobre os níveis de alfabetização dos estudantes brasileiros. O despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU) apenas determina que o texto perca seu efeito, sem explicações adicionais.

A medida havia sido anunciada na segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estudos Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia ligada ao MEC, em meio à divulgação das regras gerais do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), que avalia a cada dois anos, com divulgação dos resultados no ano posterior, os níveis de aprendizagem de alunos dos 5º e 9º anos do ensino fundamental e das 3ª e 4ª séries do Ensino Médio.

A mudança na prova de alfabetização também teria sido o motivo do pedido de demissão da secretária de educação básica da pasta, Tania Leme de Almeida, confirmada pelo assessoria de imprensa do MEC. Tania era ligada ao Centro Paula Souza, responsável pelo ensino técnico paulista, assim como Luiz Antonio Tozi, secretário-executivo demitido duas semanas atrás. Ela também era muito próxima a Iolene Lima, diretora da educação básica que chegou a ser indicada para o lugar do Tozi, mas foi exonerada uma semana depois sem assumir.

Desde o início do ano, o dia a dia do MEC tem sido marcado por polêmicas, trocas de cargos e atrasos no andamento das políticas públicas. Chegou-se a cogitar a queda do ministro da pasta, Ricardo Vélez Rodríguez, após atrito entre as alas "olavista", militar e técnica do MEC.

Em reação a esses acontecimentos, o Consed, que representa os secretários estaduais de educação, quer cobrar a continuidade de programas criados em gestões anteriores, como o Programa de Ensino Médio em Tempo Integral. 

A mudança no cronograma da prova de alfabetização havia sido justificada pelo Inep em razão do aguardo da implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), referência para os novos currículos da educação básica, pelas escolas.

A nova gestão do MEC colocou, contudo, como prioridade dos 100 primeiros dias de gestão a criação de um programa nacional de alfabetização, cujo decreto oficializando sua criação deve ser publicado em breve.

Entre especialistas e fontes do setor, havia um receio sobre a aplicação do Saeb neste ano por causa de um atraso no cronograma.

Em 2018, a gestão anterior do MEC estabeleceu, em outra portaria, que a prova de alfabetização seria aplicada para alunos do 2º ano do ensino fundamental - anteriormente, era aplicada para o 3º ano do fundamental.

O texto também trazia que, além das provas português e matemática, os alunos do 9º ano passariam por uma avaliação de ciências.

Mas a portaria divulgada ontem previa que, neste ano, apenas uma amostra de escolas públicas do 9º ano seria avaliada com provas de ciências da natureza e ciências humanas. O ato normativo ainda trazia que a avaliação da educação infantil, também prevista anteriormente, seria realizada em caráter piloto para uma amostra de creches e pré-escolas públicas.

Não está claro o que ocorrerá com esses dois pontos após a revogação das regras gerais do Saeb 2019.

Fonte: Valor

Curta nossa página no Facebook

ShareThis