Medo e nervosismo de repórter da Globo vira alvo de internautas

Como se sabe, a França está vivendo um momento tenso. Nesta sexta-feira (09), dois terroristas fizeram cinco pessoas reféns, após o atentado na revista francesa Charlie Hebdo na última quarta (07). O cerco se fechou contra os bandidos, que acabaram mortos pela polícia - fato confirmado pela prefeita de Paris.

Hoje, emissoras brasileiras estavam com links na rua onde o fato ocorria, como Band, com a jornalista Sônia Blota, e Globo, com Cecília Malan. E Malan acabou chamando muito a atenção.

Seu nervosismo e certo medo de algo mais grave acontecer foi evidente no vídeo. Com informações desencontradas, em certo momento durante o "Jornal Hoje" ela chegou a travar e a olhar para trás, assustada com os barulhos no prédio dos reféns. A jornalista também confessou que nunca havia ouvido tiros em sua vida.

Depois, chegou a reclamar que estava sem internet, quando perguntada por Evaristo Costa, que comandava um plantão na Globo, se tinha novas informações: "Eu estou abrigada em um prédio, por ordem da Polícia. Me desculpa, Evaristo, mas estou sem internet aqui".

Rapidamente, o nome de Cecília Malan foi parar nos Trending Topics. Muitas pessoas a criticaram, por conta de seu despreparo ao entrar ao vivo. Outras, lhe mandaram palavras de conforto, já que entenderam a dificuldade da cobertura e o risco que a jornalista corria.

Fonte: Na Telinha/UOL



Jovem é degolado na frente do palco em show do cantor Gabriel Diniz

O show do cantor Gabriel Diniz foi interrompido tragicamente na madrugada deste sábado (10), na cidade de Itaporanga (PB). O artista presenciou um homicídio na frente do palco quando fazia a sua apresentação.

De acordo com as informações colhidas pelo Diamante Online, o jovem identificado pelo nome de Adriano, vulgo “Bett boyy”, foi pego pelas costas e sofreu um golpe de faca peixeira na região do pescoço, que lhe ocasionou a morte imediata.

O crime aconteceu por volta das 4h na Avenida Getúlio Vargas, durante a festa dos 150 anos de Emancipação Política da cidade.

Segundo as informações, Gabriel Diniz ficou chocado com o que viu. Ele pediu socorro imediato, porém quando a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência chegou ao local, o jovem já estava sem vida.


A festa teve que ser interrompida pelo fato que o cantor ficou chocado com as cenas do crime. A Polícia Militar fez o isolamento do local para aguardar a chegada da perícia do Núcleo de Medicina e Odontologia Legal da cidade de Patos.

O acusado do crime foi identificado pelo nome de Francimário Raimundo da Silva, ele foi preso logo no início da manhã pela polícia Militar, no sítio Várzea do Boi, e conduzido para a Delegacia local.

A vítima morava no Conjunto Chagas Soares e o crime pode estar relacionado a drogas.

Fonte: Diamante Online



Número de homicídios quase triplica em 10 anos no Ceará

O ano de 2014 terminou com 4.439 homicídios no Ceará. Na comparação com 2013, quando houve 4.395, o crescimento foi de 1%. O resultado foi o melhor dos últimos três anos, pior apenas que o de 2011, quando o aumento do número de assassinatos foi de 0,1%. Dessa forma, 2014 registrou o segundo menor crescimento dos chamados Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) desde 2007, período a partir do qual o Estado foi governado por Cid Gomes (Pros), hoje ministro da Educação.

Apesar da redução no ritmo de crescimento observada no ano passado, ao longo dos últimos dez anos a quantidade de homicídios quase triplicou. Entre 2005 e 2014, a alta foi de 198%. Nesse período, foram registrados 27.239 assassinatos no Estado.

A média foi de 7,5 mortes por dia nesses dez anos. Em 2014, o Ceará teve uma média de 12,1 assassinatos diários.

Reversão de tendência
O resultado de 2014 representa a estabilização na quantidade de homicídios registrados. Em 2012, o aumento havia sido de 33%. Em 2013, de 18%. Ao longo dos oito anos de governo Cid, o aumento acumulado no número de homicídios foi de 184%.

Nesse período (2007-2014), houve 24.184 assassinatos no Ceará. Quando Cid tomou posse, recebeu o Estado com 1.565 homicídios registrados no ano anterior, em 2006. Agora, fechou com 4.439 em 2014.

Região Metropolitana
Embora tenha havido o crescimento de 1% nos homicídios registrados no Estado em 2014, houve diminuição desse tipo de crime nos municípios da Região Metropolitana de Fortaleza. A redução foi de 7,7%, superior à meta estabelecida, de 6%.

Na Capital, também houve queda, embora bem discreta: 0,2%. Foram 1.989 homicídios em 2014, em comparação com os 1.993 de 2013.

Os dados são da Secretaria da Segurança e Defesa Social (SSPDS). O balanço final de 2014 foi divulgado após a consolidação das estatísticas de dezembro.

No mês passado, houve 380 mortes no Ceará. Com esse resultado, o último trimestre de 2014 fechou com queda de 3,8% nos homicídios, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Porém, a meta de 6% de redução não foi batida.

Números
12,1 foi a média de homicídios por dia no Ceará em 2014

184% foi o percentual de aumento do número de homicídios ao longo dos oito anos de governo Cid Gomes

1% foi o índice de aumento da quantidade de homicídios em 2014, último ano do governo Cid

7,7% foi o percentual de redução do número de homicídios na Região Metropolitana de Fortaleza

0,2% foi o índice de redução do número de homicídios em Fortaleza em 2014

3,8% foi o percentual de redução do número de homicídios no último trimestre de 2014 no Ceará

Saiba mais
2014 foi marcado por resultados opostos em cada semestre

Apesar do aumento de 1% ao longo do ano, a quantidade de homicídios no Ceará terminou 2014 em queda. Nos últimos três meses do ano, a redução foi de 3,8%. No trimestre anterior, entre julho e setembro, a queda foi mais intensa: 12,2%. Foi o único período em que a meta de redução de 6% na comparação com o ano anterior foi alcançada.

A tendência foi oposta à observada no primeiro semestre. Nos três primeiros meses do ano, houve alta de 13%. No segundo trimestre, o aumento foi de 8,1%.

Fonte: O Povo



Sheherazade compara terrorismo na França com ataques à Veja nas eleições

Apresentadora do "SBT Brasil" e do "Jornal da Manhã", da Rádio Jovem Pan, a jornalista Rachel Sheherazade provocou polêmica mais uma vez.

Em um de seus comentários no tradicional jornal da Jovem Pan, nesta sexta-feira (9), Rachel comparou o ataque terrorista na França, que matou jornalistas do veículo Charlie Hebdo na última quarta (7), ao ataque à sede da Editora Abril, em outubro de 2014.

Em seu comentário, a âncora afirma que ambas situações são bem semelhantes, já que o ataque à Abril foi feito logo após a veiculação de um de seus produtos, a revista Veja, quando publicou matéria sobre suposto 'envolvimento' de Dilma Rousseff e Lula no Petrolão. "Há poucos veículos resistentes e independentes. É o caso da revista Veja", começou Rachel.

Ela também disse que os militantes de esquerda do Brasil se assemelham ao estado islâmico: "No Brasil, o maior temor da imprensa livre não são os radicais islâmicos, mas os radicais da esquerda, que se assemelham muito aos terroristas". Além disso, Rachel criticou a presidenta Dilma, dizendo que ela não foi coerente em sua nota sobre o caso: "A mesma mandatária que defendeu a liberdade de expressão na França apóia um projeto de regulação da mídia no Brasil, que pode restringir a liberdade de expressão e até evoluir para uma futura censura dos meios de comunicação".

A citação aos radicais islâmicos faz alusão ao ataque sofrido pelo periódico francês, e que deixou 12 mortos, dois policiais e dez profissionais da revista, entre eles os cartunistas Georgers Wolinski, Cabu (Jean Cabut) e Tignous (Bernard Verlhac), o diretor Stephane Charbonnier (Charb) e economista Bernard Maris, cronista da revista e da rádio France Info.

O comentário completo de Rachel Sheherazade pode ser ouvido no site da Jovem Pan.

Fonte: Na Telinha/UOL



Pesquisa com azeites extra-virgem revela quais marcas estão enganando o consumidor

Sabe aquele inocente azeite de oliva que você adora colocar sobre a salada? Pois é, ele pode não ser tão inocente assim. É o que mostra uma pesquisa recente realizada pela Proteste Associação de Consumidores com 19 marcas de azeite extravirgem.

Entre as marcas analisadas, a associação constatou que quatro delas tinham indícios de fraude contra o consumidor. Ou seja, o azeite destas marcas não poderia sequer ser considerado um azeite, sendo uma mistura de óleos refinados, com adição de outros óleos e gorduras. Vale lembrar que, para que o azeite mantenha as suas características ele não pode ser misturado com outras substâncias.

Segundo a pesquisa, marcas que apresentaram indícios de fraude foram: Figueira da Foz, Tradição, Quinta d’Aldeia e Vila Real. Dos quatro testes já realizados pela Proteste com o produto, este foi o que apresentou o pior resultado e registrou o maior número de fraudes até então.

Outras sete marcas foram consideradas de azeites virgens – e não extravirgens, como indicado em seus rótulos. São elas: Borges, Carbonell, Beirão, Gallo, La Espanhola, Pramesa e Serrata. Nesse caso, o consumidor acredita estar comprando um azeite de melhor qualidade do que o que realmente recebe.


Para escolher certo na próxima vez que for comprar um azeite de oliva, vale anotar os nomes das marcas que apresentaram todas as qualidades de um azeite extravirgem: Olivas do Sul, Carrefour, Cardeal, Cocinero, Andorinha, La Violetera, Vila Flor e Qualitá. Se você notou a marca Carrefour entre as aprovadas no teste, já pode imaginar que não é preciso gastar fortunas para adquirir um azeite de oliva de qualidade.

Você pode ler a pesquisa na íntegra aqui.

Fonte: Hypeness



Veja no rumo da falência

O ano de 2015 começou com uma boa notícia para a liberdade de expressão e a democratização dos meios de comunicação. Ela relata as dificuldades financeiras que levaram a Editora Abril, dona da revista Veja, a abrir mão de metade do prédio onde a revista está sediada, na marginal Pinheiros, em São Paulo. A notícia sobre as dificuldades enfrentadas pelo monopólio midiático merece ser saudada.

Elas não são recentes. No início dos anos 90 a Editora Abril chegou a tomar “emprestado” parte dos salários de seus empregados (que devolveu depois) para enfrentar problemas de caixa.

Naqueles anos seus diretores flertavam com a ideia da empresa vir a ser uma grande emissora de TV a cabo. Com este objetivo, a Abril endividou-se para “cabear” algumas cidades brasileiras pois não queria usar os cabos telefônicos existentes. O sonho durou até que a popularização da internet (ocorrida ainda na primeira metade dos anos 90) levou as redes de cabos próprios à aposentadoria. A aventura deixou a conta salgada dos dólares gastos na compra dos cabos de fibra ótica que foram inutilmente enterrados naquelas cidades (este é um verdadeiro “case”, para usar o jargão marqueteiro comum nos corredores da Abril, à espera do estudante de pós graduação que queira comparar as virtudes da administração privada com aquelas da administração pública).

As dificuldades se agravaram com o passar dos anos. A publicadora da família Civita veio de uma história de sucessos desde 1950, quando foi fundada. No início só publicava HQ, fotonovelas e revistas de serviços. Deu um salto em 1965 quando publicou a revista Realidade, que acolheu alguns dos melhores talentos do jornalismo brasileiro, entre eles vários profissionais ligados a uma organização que a ditadura colocou na ilegalidade, a Ação Popular (AP). O prestígio ganho com aquela publicação capacitou a editora a outro passo ousado: o lançamento, em 1968, da revista Veja.

A equipe de jornalistas que atuava na Editora Abril conseguiu um feito memorável: produzir publicações afinadas com o momento de modernização conservadora que o Brasil vivia. Realidade, mais avançada, durou pouco e logo depois do AI-5 (1968) abandonou as ousadias editoriais e se tornou uma convencional revista de variedades. Veja, logo afinada com a ditadura militar, cresceu e se transformou na principal revista semanal de informação publicada no Brasil.

Veja reforçou o alinhamento com a direita depois do fim da ditadura (em 1985). Conservadora, a revista - que um crítico disse ser a principal publicação norte-americana em idioma português - esteve na vanguarda do projeto neoliberal no Brasil. E fez as apostas equivocadas cujo resultado agora é visível. A principal delas: a oposição fundamentalista a qualquer governo de coloração democrática. Essa oposição se aprofundou desde a eleição de Lula em 2002. A soberba e a arrogância cresceram desde o Fora Collor (1992) que apeou do poder o presidente Fernando Collor de Mello que fora, antes, o “caçador de marajás” queridinho de Veja...

Soberba e arrogância cujas consequências estão na raiz da crise da editora. Conta-se nos corredores do prédio da marginal Pinheiros que durante a crise do chamado “mensalão” (2005) o atual diretor de redação da revista, Eurípedes Alcântara, teria se lamentado por ter menos sorte que seu antecessor no cargo, Mario Sérgio Conti, pois, ao contrário de Collor, Lula não queria renunciar...

Nesta obsessão antidemocrática, Veja - cujo marketing dizia ser “indispensável” - entrou no rumo do abismo. Aquela que, nos anos 90, alcançou a circulação semanal de 1,3 milhões de exemplares, caminhou aceleradamente para a irrelevância, carregando atrás de si o império dos Civita.

Suas matérias, sobretudo a pauta política, passaram a ter escasso compromisso com a verdade. Foram inúmeras: contra o presidente Lula, o Partido dos Trabalhadores, a esquerda em geral. Um exemplo desse jornalismo marrom baseado em mentiras foi a “reportagem” publicada em outubro de 2011 na qual, com base na palavra de um desclassificado, fez acusações contra o então ministro do Esporte Orlando Silva (PCdoB-SP). A mentira foi logo desmontada mas a publicação custou o mandato do ministro, que foi substituído no cargo por outro comunista, Aldo Rebelo.

Foram “reportagens” dessa espécie que corroeram, rapidamente, a credibilidade de Veja. A venda em banca da revista passou a cair de forma vertical, enquanto crescia a dificuldade para obter novas assinaturas ou mesmo de renovar as existentes.

Queda nas vendas significa queda no preço da publicidade inserida na revista, e que é sua principal fonte de renda. Um problema puxa o outro; com a falência da confiança na revista (encarada como uma publicação que não reproduz a verdade) um anunciante pensa duas vezes antes de associar-se a um veículo cujo produto (a informação) apodrece a olhos vistos.

A desculpa convencional para a crise é aquela de plantão em nossos dias: a força da internet provoca a queda nas vendas de revistas e jornais.

Este é realmente um fator importante. Mas não é o principal. A Editora Abril é um monopólio cujo produto tem uma natureza específica. Não é a carne da Friboi nem os automóveis da Volkswagen. Seu produto é de natureza muito mais delicada: são ideias, informações. É algo que a Editora Abril não pode exportar mas precisa vender no mercado brasileiro, em idioma português. E cuja venda depende fundamentalmente da confiança que os leitores têm nele.

No passado, afinada com o projeto de Brasil Grande da ditadura militar, as ideias vendidas pela Editora Abril foram aceitas pelos brasileiros - ao menos pela parcela que lia revistas. Bem ou mal, suas publicações estavam alinhadas com um sentimento que prevalecia no país e que fez da Abril a principal editora de revistas do país.

Hoje é visível seu descompasso com o coração dos brasileiros e ele se traduz na queda de vendas letal para qualquer publicação.

Por: José Carlos Ruy 

Fonte: Portal Vermelho



Ceará recebeu 191 mil cisternas em 2014

A construção de cisternas de placa e a distribuição de unidades de polietileno, em três anos, superaram a meta definida pelo Ministério da Integração Nacional (MI) para o sertão nordestino, por meio do programa governamental Água para Todos. Foram implantadas mais de 771 mil unidades na região. A previsão inicial era de instalação de 750 mil até o fim de 2014. Somente no Ceará, foram mais de 191 mil, beneficiando 955 mil pessoas em 170 municípios. Os dados são do MI.

Os números apresentados pelo Ministério da Integração diferem, entretanto, dos dados divulgados pelo governo do Estado, que apontam instalação ou em processo de instalação 34.180 cisternas de polietileno, que têm capacidade de armazenas 16 mil litros de água. No fim de dezembro passado, o governo assinou novo aditivo ao convênio com o MI para instalar, ao longo de 2015, mais 11.603 unidades, em 12 municípios, com investimentos de R$ 52 milhões.

A construção e instalação de cisternas é uma ação do programa Água para Todos, coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Regional do MI, e integra as estratégias do governo federal de convivência com a seca.

Resultados favoráveis também foram observados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), que alcançou, em dezembro 2014, a meta de mais de 172 mil cisternas instaladas nos Estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí e Sergipe. No Nordeste, foram mais de 40 meses de trabalho, R$ 6,1 bilhões investidos, 1.200 municípios atendidos e mais de 5 milhões de brasileiros contemplados, resultado do programa Água para Todos.

Surpreendente
"A conclusão deste primeiro ciclo do Água para Todos foi surpreendente. Além de superamos a meta pública, também atendemos a um número maior de famílias", afirmou a secretária de Desenvolvimento Regional, Adriana Alves.

Desde 2003 o governo federal instalou mais de 1,1 milhão de cisternas na região Nordeste, possibilitando uma capacidade de armazenamento de 17,6 bilhões de litros de água. As unidades armazenam água da chuva colhida nas calhas das casas ou por meio de caminhões-pipa.

Descompasso
Apesar dos esforços do governo, há um descompasso entre distribuição de unidades e instalação. Em uma área do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs), na cidade de Morada Nova, mais de mil unidades permanecem armazenadas. "A gente está enfrentando dificuldade de água, esperando carro-pipa passar e as cisternas permanecem lá guardadas", lamentou o agricultor, Pedro Oliveira, da localidade de Pedras.

No Ceará, em centenas de localidades rurais, as cisternas de polietileno somente foram instaladas após o término da quadra invernosa de 2014. Em Várzea Alegre, no Centro-Sul do Ceará, por exemplo, muitas foram implantadas somente a partir de setembro do ano passado. Não houve tempo de armazenar a água das chuvas.

A aposentada, Maria Isabel Bezerra, 101, moradora da localidade de Varzinha, em Várzea Alegre, aguarda o início do inverno. "A cisterna está pronta, mas permanece seca", disse. "Tomara que chova logo para encher".

No município de Quixelô, na região Centro-Sul do Ceará, o problema se repete: centenas de unidades estão secas porque somente foram implantadas no segundo semestre de 2014.

Onde as cisternas foram implantadas e acumulam água o quadro é diferente. Sobra motivo de comemoração. É o caso do agricultor, Luís Nogueira, da localidade de Umarizeira, em Cariús, Centro-Sul do Ceará, foi contemplado com uma unidade, há dois anos e disse que a vida ganhou outro sentido após ter acesso ao abastecimento de água. "Deu para tirar o resto do ano e ainda tem um pouco", contou. "Usamos a água para beber e cozinhar".

Antes das cisternas, o consumo de água inapropriada e sem tratamento causa doenças como diarreia e infecções. A mudança se reflete em diversos aspectos. As pessoas tinham de deixar suas casas para buscar uma vida melhor nos centros urbanos, mediante a crise de desabastecimento. Quem sofre com a seca severa do sertão sabe o valor que uma cisterna tem, mas ainda assim há famílias que não fazem a conservação e nem a ligação da calha para captar água.

O Ministério da Integração anunciou que vai dar sequência à implantação dos sistemas coletivos de abastecimento - mais de 1.600 já foram instalados -, e ao investimento nas tecnologias de segunda água, como barreiros, pequenas barragens, poços e kits de irrigação. "As tecnologias de segunda água são fundamentais para universalizarmos o acesso à água no semiárido", afirma Adriana.

Mais informações
Secretaria de Desenvolvimento Agrário
Fone: (85) 3101- 8105

Ministério da Integração Nacional
Fone: (61) 2034- 5296

HONÓRIO BARBOSA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste



Educação terá investimento menor no Ceará em 2015

Com o lema "Brasil, pátria educadora", o Governo Federal definiu o grande foco da gestão para os próximos quatro anos: a educação. No Ceará, entretanto, 2015 desponta como um ano no qual haverá um menor ritmo de crescimento nessa área, conforme Maurício Holanda, secretário de Educação do Estado. Isso porque o corte de gastos, anunciado na última quarta-feira (7) pelo governador Camilo Santana, irá reduzir em 20% a receita do setor no ano.

Conforme Holanda, a medida irá provocar uma "desaceleração temporária" na expansão das escolas de tempo integral, uma das principais promessas de campanha de Camilo. "Talvez a gente vá ter que diminuir o ritmo que estávamos imaginando fazer da expansão das escolas de tempo integral, mas é uma desaceleração temporária. Não é nem uma estagnação, nem retrocesso, apenas uma redução no ritmo de crescimento", ressalta o secretário.

Em 2015, a Seduc não planeja construir nenhum novo equipamento dessa natureza, mas concluir as 140 escolas prometidas pelo ex-governador e atual ministro da Educação Cid Gomes. "Nosso compromisso continua sendo a de ampliar a educação profissional e de tempo integral para os cearenses. Para 2015, faremos o cumprimento da meta estabelecida pelo ex-governador Cid Gomes, com a conclusão das 140 escolas. Além disso, faremos estudos prospectivos para novas escolas em 2016", afirma Holanda.

Impacto
Os setores que sofrerão maior impacto com a redução nas receitas da Pasta são os de "custeios finalísticos", como diárias, passagens, transporte, combustível, funcionários terceirizados, eletricidade e água, informou o secretário. Holanda afirma que será uma economia controlada, que não prejudicará o bom funcionamento das escolas.

"A gente sabe que não adianta fazer economia grande comprometendo algo que representa o próprio objetivo do nosso trabalho, que é a aprendizagem dos alunos nas escolas. Elementos como água, luz, telefone e transporte podem ser adequados e tornados mais eficientes", avalia. "Eu diria até que é bom para o setor público brasileiro ter que lidar com essa necessidade de eficiência", acrescenta.

Até a próxima semana, as secretarias deverão se reunir com o Comitê de Gestão por Resultados e Gestão Fiscal (Cogerf) para definir de que maneira e em que volume serão os cortes. Apenas as secretarias de Educação, Saúde e Segurança Pública tiveram cortes de 20% na receita. As demais serão afetadas em 25%.

Uma das metas para a gestão do secretário Maurício Holanda frente à Seduc diz respeito à implantação de núcleos de mediação em todas as escolas estaduais. Tais órgãos buscam a redução da violência entre alunos e propicia ações voltadas para disseminar a paz, combatendo o bullying e incentivando a convivência pacífica.

"Uma convivência saudável, respeitosa e pacífica é de extrema importância para os professores e alunos. É uma questão muito séria. Precisamos fazer o possível para melhorar o clima na escola. Eu vou ficar feliz em ver que cada escola nossa tem iniciativa de paz. E a mediação é uma das colunas dessas atividades de paz", projeta Holanda, acrescentando que há um programa, denominado Geração de Paz atuando nas escolas cearenses.

Conforme o secretário, esta é uma das vertentes que não será afetada pelo cortes do Governo, visto que é um programa considerado barato. "Não tenho a menor dúvida que essa é uma frente de trabalho da maior importância. E dá para fazer muita coisa sem gastar rios de dinheiro, pois trabalhamos a subjetividade das pessoas e o protagonismo dos estudantes em assumir a liderança das iniciativas nas escolas".

Uma pesquisa da Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal do Ceará (Caen/UFC), divulgada em dezembro de 2014, concluiu que a evasão aparece, aliada à repetência escolar, como uma das principais falhas do sistema educacional brasileiro. Segundo o estudo, quatro entre dez jovens, entre 15 e 17 anos, não concluem o ensino médio no Ceará.

Ministério
O Governo Federal também anunciou, na última quinta-feira, corte de despesas de R$ 1,9 bilhão mensal nos ministérios até a aprovação do Orçamento de 2015 pelo Congresso.

No Ministério da Educação, a redução será de R$ 7 bilhões no ano. É o maior corte previsto, já que a Pasta é a que tem mais gastos não obrigatórios.

Fonte: Diário do Nordeste



Dilma Rousseff sanciona novas datas comemorativas nacionais

A presidenta Dilma Rousseff sancionou, nesta sexta-feira, 9, cinco leis que instituem novas datas comemorativas nacionais. As medidas foram publicadas no Diário Oficial da União e já têm validade para este ano.

No dia 12 de abril será celebrado o Dia Nacional do Humorista; no dia 20 de maio, o Dia Nacional do Pedagogo; em 13 de outubro, o Dia Nacional do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional; em 16 de novembro, o Dia Nacional de Atenção à Dislexia; e, por fim, em 24 de fevereiro, será comemorado o Dia da Conquista do Voto Feminino no Brasil.

Fonte: Agência Brasil



Cid Gomes pretende discutir proposta que muda forma de fazer o Enem

O ministro da Educação, Cid Gomes, pretende discutir a possibilidade de tornar públicas as questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), liberando ao público um banco de dados com mais de 70 mil questões de todas as áreas. Com isso, a prova poderia ser feita por computador, aplicada em terminais em todo o país.

Hoje (9), em Recife, ele comentou a proposta, uma alternativa que simplificaria e manteria a confiabilidade do exame. De acordo com o ministro, tornar público não faria o exame mais fácil. Seria necessário ser "um gênio para memorizar todas as questões". A prática, segundo o Ministério da Educação (MEC), já ocorre em outros países.

"Existe um esforço violento para fazer com que 7 milhões de pessoas sentem para fazer uma prova e isso, naturalmente, gera uma série de complicações", disse. A intenção é que o exame não ocorra apenas uma vez por ano, mas que o candidato possa se inscrever e tenha um tempo para ir ao local de prova e fazê-la.

Não há prazo para colocar em prática o novo modelo. Cid Gomes ainda vai debater a proposta com técnicos e acadêmicos e com a sociedade, antes de apresentá-la para análise da presidenta Dilma Rousseff.

O Enem é usado como forma de ingresso em instituições públicas e de obter bolsas de estudo em instituições particulares e financiamento estudantil, além de ser critério para o programa de intercâmbio Ciência sem Fronteiras e ser usado para certificar o ensino médio.

Em 2014, mais de 6,2 milhões de candidatos fizeram o Enem em mais de 1,7 mil cidades.

Fonte: Agência Brasil



Quixadá (CE): Encontro traz previsões sobre chuva

A apresentação dos profetas da chuva acerca da quadra invernosa no Ceará é aguardada com expectativa no Interior do Estado. Além de agricultores, autoridades, pesquisadores, estudiosos e estudantes, dezenas de curiosos deverão se concentrar, na manhã deste sábado (10), no Parque de Exposições da Associação de Criadores de Caprinos e Ovinos do Ceará (Acocece), na estrada do Açude Cedro, em Quixadá, para conhecerem os prognósticos do XIX Encontro dos Profetas da Chuva. O evento, aberto ao público, tem início previsto para as 8 horas.

De acordo com um dos idealizadores e organizadores do Encontro, João Soares, profissionais da imprensa, da radiodifusão e de várias emissoras de televisão também estarão presentes para conhecerem as previsões extraídas da ciência popular.

Prestígio
Várias autoridades públicas e políticas também confirmaram suas presenças, dentre elas o novo secretário do Desenvolvimento Agrário do Estado, Dedé Teixeira; seu antecessor, Nelson Martins; e o novo secretário estadual de Pesca, Aquicultura e Agricultura Irrigada, Osmar Baquit. Eles terão contato direto com os protagonistas, como Antonio Lima, Lurdinha Leite e seu irmão, Chico Leite.

Alguns desses profetas já adiantaram suas previsões. Um deles foi Ribamar Lima. Baseado na observação dos pássaros, insetos e principalmente dos astros, ele não vê com otimismo o período invernoso do Ceará. Acompanhando o movimento da primeira lua cheia de janeiro, constatou que a barra áurea não apareceu. O mesmo ocorreu na barra da lua do Natal e do Ano Novo.

Esses são indícios de que a chuva será escassa para repor a carga dos açudes e também para garantir pasto para os animais. O mau prenúncio também havia sido apontado pela maioria no Encontro do ano passado.

Para conhecer como os profetas e profetisas fazem suas análises é melhor participar do Encontro, explica o engenheiro químico Helder Cortez, outro idealizador do evento. Todavia, Cortez ressalta não ser conveniente fazer comparações entre as previsões da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) e as apresentadas em Quixadá.

Meteorologia
"Enquanto as observações de nossos profetas estão centradas na cultura popular, associadas a rezas, crenças e esperança, o nosso órgão oficial meteorológico se concentra na ciência profissional, focado principalmente na recarga hídrica do nosso Estado", ressalta.

Mais informações
XIX Encontro de Profetas da Chuva
Parque de Exposições da Acocece, Estrada do Cedro - Quixadá

ALEX PIMENTEL
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste



Este ano terá um segundo extra – e isso pode quebrar a internet

Todos amamos a internet e queremos que ela continue funcionando direito – isso pode significar ter de resistir ao ataque de tubarões ou então a bizarrices como os mais de dois bilhões de views de Gangnam Style. Mas 2015 chegou com uma nova ameaça a serviços e sites que adoramos como o Mozilla, Reddit, LinkedIn e Foursquare: todos eles relataram falhas em 2012, quando cientistas determinaram a adição de um segundo extra ao horário mundial. O ajuste deste ano foi agendado para as 23:59:59 do dia 30 de junho, e serve para atualizar os absurdamente precisos relógios atômicos com o movimento de rotação da Terra, que desacelera dois milésimos de segundo por dia.

Mas por que raios um mero segundo a mais pode desestabilizar gigantes da internet? O motivo é que o sistema que coordena os relógios dos computadores, chamado de Network Time Protocol, é baseado na medida de tempo atômica. E quando este protocolo nota a repetição de um mesmo segundo, interpreta que algo deu errado, dando origem a uma série de problemas técnicos em serviços bancários e de comunicação. Algumas empresas como o Google já pensaram em formas de remediar esta dor de cabeça: o gigante de Mountain View elaborou uma técnica que “dilui” o acréscimo em vários milissegundos antes da data oficial.

O chamado “segundo bissexto” não é particularmente uma novidade: 26 deles foram adicionados ao Tempo Universal Coordenado (UTC na sigla em inglês, o fuso horário referencial para todas as zonas horárias) desde 1972, sendo que o último foi incluído em 2012. A decisão parte dos cientistas do International Earth Rotation and Reference Systems Service, instituição sediada em Paris que monitora a pontualidade do nosso planeta. A maior preocupação dos especialistas é que estes segundinhos a mais acabem arruinando de vez o UTC, que não suportaria, por exemplo, um minuto ou uma hora adicionais.

Mas o mais importante é: já pensou no que vai fazer com seu segundo extra em 2015?

Fonte: Galileu (Via ScienceAlert)



Ceará teve quase 17 mil casos de dengue em 2014

A Secretaria de Saúde (Sesa) divulgou nesta sexta-feira, por meio de boletim, que foram registrados 16.773 casos de dengue no Ceará em 2014, com pelo menos 49 mortes. Houve, entretanto, a diminuição no número de mortes em relação à 2013, quando 80 pessoas faleceram.

Desde o último informe, apresentado no dia 13 de dezembro, foram registrados 583 novos casos da patologia. Aconteceram ainda dois novos óbitos confirmados em decorrência da doença.

A faixa etária predominante nos assolados pela dengue foram de pessoas entre 20 e 29 anos de idade, representando 21,7% do total de pacientes.

Durante o ano passado, a dengue esteve presente 145 municípios cearenses, o que representa 79% do Estado. Municípios como Fortaleza, Aquiraz, Canindé, Russas, Alto Santo, Jaguaribara, Tauá e Ocara apresentaram altas taxas da doença, com ocorrências graves e mais de 300 casos a cada 100 mil habitantes.

Fonte: Diário do Nordeste



Filho paga casa dos pais com dinheiro de aplicativo

Joey Trombone é desenvolvedor e fundador do popular aplicativo de edição de vídeos para iOS Videoshop. Durante o natal, Joey compartilhou uma foto em seu perfil do Facebook de uma carta escrita por ele à mão para seus pais: "A casa de vocês está paga. Feliz natal".

Por meio do sucesso da venda de seu aplicativo, Joey pagou a hipoteca da casa de seus pais, que tinham muita dificuldade em mantê-la. Além da foto, Joey também publicou um vídeo em que mostra o momento de entrega do presente e as respectivas reações de seus pais.



Custando pouco (1,99 dólares) o aplicativo criado por Joey fez um relativo sucesso ao redor do mundo. Videoshop é um editor de vídeo que permite aplicar diversos filtros nas imagens, efeitos de sons, além de possuir um robusto ambiente de edição.

Fonte: Info



UFCA realiza, de 13 a 16 de janeiro, seleção para contratar 17 professores temporários

A Universidade Federal do Cariri abre inscrições para seleção de professores substitutos de 12 a 16 de janeiro. São 17 vagas ofertadas para os campi de Barbalha, Brejo Santo, Crato e Juazeiro do Norte. A remuneração é variável, entre 2.170,89 e R$ 5.022,65, de acordo com a titulação requerida do candidato para a vaga.

As inscrições serão recebidas em horário comercial, das 8h às 12h e das 14h às 17h, na Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progep), localizada no Campus de Juazeiro do Norte, na Avenida Tenente Raimundo Rocha, S/N, Cidade Universitária.

As áreas de estudo demandadas são: Biologia, Canto Coral e Técnica Vocal, Construção Civil, Economia e Finanças, Educação Musical e Materiais Teóricos, Física, Fitotecnia, Gestão de Unidades de Informação e Tecnologia da Informação, Gestão Social e Sociedade Brasileira, Letras, Matemática, Patologia Humana, Fisiopatologia, Química, Recursos, serviços e Organização da Informação, Solos e Transportes.

Os aprovados lecionarão sob regime de 20 ou 40 horas semanais a partir do primeiro semestre letivo de 2015, com início previsto para 19 de fevereiro. O contrato poderá ser prorrogado por até dois anos.

Assessoria de Imprensa/UFCA



Governadora de Roraima admite nepotismo, mas critica MP por pedir exonerações

A governadora de Roraima, Suely Campos, criticou nesta quinta-feira (8) a recomendação do Ministério Público (MP) estadual para que sejam exonerados “imediatamente” dos cargos os parentes que ela nomeou para vários cargos do Executivo nesta semana, logo após tomar posse. Em nota, ela alegou que o MP foi precipitado e não teve o mesmo rigor com a prática do nepotismo em relação a administrações anteriores.

Suely Campos justificou o nepotismo afirmando, na nota oficial, que “o governo de Roraima espera tratamento isento e igualitário dos órgãos de fiscalização do Poder Público, considerando que é uma prática comum na história de Roraima a nomeação de pessoas próximas aos gestores para ocupar importantes secretarias, tanto na esfera estadual como municipal”.

No início da semana, a governadora nomeou as filhas Emília Campos dos Santos e Danielle Ribeiro Campos Araújo para a Secretaria de Trabalho e Bem-Estar Social e para a Casa Civil, respectivamente, a irmã Selma Mulinari para Secretaria de Educação e os sobrinhos Frederico Linhares e Kalil Coelho para as secretarias de Gestão Estratégica e Administração e de Saúde (Sesau), respectivamente. Paulo Linhares, que também é sobrinho da governadora, foi nomeado secretário adjunto da Sesau.

De acordo com o Ministério Público de Roraima, a governadora nomeou, ao todo, 15 parentes para a estrutura de governo estadual. “Além de ofender os preceitos constitucionais de moralidade, razoabilidade e eficiência, as nomeações dos agentes políticos atendem a uma identidade familiar, bem como geram na sociedade um sentimento de indignidade moral'', diz o Ministério Público em notificação enviada ao governo do estado. Caso a recomendação de exonerar os parentes não seja cumprida, o Ministério Público prometeu “adotar medidas judiciais cabíveis”.

A administração estadual, por sua vez, alegou que as nomeações estão “revestidas de legalidade” e não ferem a Súmula Vinculante número 13, do Supremo Tribunal Federal (STF), editada em 2008, que veda o nepotismo. A súmula proíbe a nomeação de parentes para cargos de direção, chefia ou assessoramento, em exercício de comissão ou de confiança na administração pública direta e indireta.

“Trata-se de nomeações de secretários de estado, considerados agentes políticos, e não agentes administrativos. Atuam com ampla liberdade no exercício de funções típicas, com atribuições, prerrogativas e responsabilidades estabelecidas na Constituição Federal e na Constituição do Estado de Roraima”, argumentou o governo do estado, em nota.

A escolha do primeiro escalão, acrescentou a Secretaria de Imprensa e Comunicação Social de Roraima, seguiu “critérios de confiança e capacidade técnica”. No documento em que critica a recomendação do Ministério Público estadual, a governadora cita casos de nepotismo praticado por adversários nos últimos anos que, segundo ela, não foram alvo de ação do órgão.

“Os casos citados são alguns exemplos de nomeações de parentes que não sofreram qualquer intervenção do Ministério Público de Roraima, embora configurassem nepotismo cruzado, razão pela qual a atual gestão confia que o órgão continuará atuando de forma isenta”, diz a nota.

Fonte: Agência Brasil



Em reuniões breves com deputados, Camilo pede apoio para governar

Sinalizando abertura de diálogo com os parlamentares, o governador Camilo Santana (PT) causou boa impressão na nova bancada da Assembleia Legislativa, inclusive entre opositores, após convocar os deputados para reunião breve no Palácio da Abolição. Os encontros tiveram início na última quarta-feira e devem seguir até a próxima terça-feira. Ao menos 24 parlamentares já se reuniram com o gestor estadual, que evitou discutir temas como a reforma administrativa e a nova direção do Legislativo.

Segundo deputados ouvidos pelo Diário do Nordeste, o governador cearense, durante a reunião, preferiu se limitar a pedir apoio na Assembleia e demonstrar seus planos e preocupações acerca da gestão. As inquietações mais claras do governador, conforme apontaram os parlamentares, são a possibilidade de mais um ano de seca e o elevado custeio da máquina pública.

Ontem, Moisés Braz (PT) foi o primeiro deputado do dia a se reunir com Camilo. Na conversa, diz o parlamentar, o chefe do Executivo cearense falou sobre projetos e perspectivas de futuro. "Das preocupações que está tendo, principalmente nas áreas da seca, da saúde e da segurança, ele quer que a gente faça uma grande parceria", destacou. Já o deputado eleito Carlos Felipe (PCdoB) relatou que o principal assunto debatido no encontro foi a Saúde, área central de atuação do parlamentar.

Oposição
Para o deputado Roberto Mesquita (PV), que pretende integrar o bloco de oposição na Assembleia Legislativa, a postura mantida até agora pelo governador não suscitou motivos para embates com opositores. "Eu não vejo como fazer oposição nesse primeiro momento, com as virtudes que tenho visto até agora. Com o andar da carruagem, com as ações sendo executadas, pode ser que venham a surgir. Mas o que ele tem demonstrado é respeito e vontade de dialogar, o que dá um pé no freio na postura oposicionista".

Mesquita ponderou, no entanto, discordar da criação de novas secretarias em um momento que exige contenção de despesas. Sobre a breve reunião, ele afirmou que Camilo deixou a melhor das impressões. "Se esse sentimento que vem sendo mostrado pelo governador vier para a prática, vamos encontrar um Ceará com crescimento e mais diálogo e interação entre o Executivo e o povo cearense, através da Assembleia", ressaltou.

Ao declarar que se reuniu com parlamentares que apoiaram o senador Eunício Oliveira, adversário de Camilo na disputa pelo Governo, Mesquita apontou que o governador reconheceu o papel da oposição para a democracia. Também integrante do bloco oposicionista, Carlos Matos (PSDB) afirmou ter colocado para o governador que todos desejam contribuir para melhorar o Estado.

"O que para nós significa apontar erros quando enxergarmos, sermos propositivos e cobrarmos", alega.

Já Heitor Férrer (PDT), que apesar de não integrar o bloco de oposição por conta de decisões partidárias, mantém postura de independência, avaliou que o encontro com Camilo foi uma cordialidade - segundo o parlamentar, a reunião durou cerca de 15 minutos. "Coloquei que ele conhecia meu perfil, de procurar ser no máximo isento de paixão e de ódio, e procurar sempre o sentimento de justiça. Aquilo que considere uma boa prática estarei ajudando. Aquilo que entender que não é uma coisa boa para o Estado ou para a sociedade estarei do lado oposto".

De acordo com o pedetista, Camilo afirmou que o governo está aberto a sugestões e pediu apoio à Assembleia, de uma maneira geral, para promover boas ações para o Estado. Sobre a medida anunciada pelo governo de reduzir o custeio da máquina para adequar o Ceará à situação econômica do País, Heitor afirmou apoiar a decisão, desde que os cortes não afetem o bom desempenho da máquina.

Assim como os deputados de oposição, legisladores da situação debateram os mesmos temas com o governador Camilo. "Foi uma visita de cortesia, onde o governador mostrou estar muito preocupado com a possibilidade de ter um inverno irregular", relatou o deputado Welington Landim (PROS), último a ser recebido na terça-feira.

Semiárido
"Foi para partilhar suas intenções, quais as ações para os primeiros momentos, ter a Assembleia como uma parceira", acrescentou Sérgio Aguiar (PROS). O parlamentar aproveitou o momento para colocar algumas demandas para o governador, como a instalação do estaleiro naval em Camocim e a ampliação da área do semiárido para outros 33 municípios, entre os quais Fortaleza. "Ele disse que concordava e que era concebível, já que os municípios têm essa característica", garantiu.

Camilo Santana seguirá recebendo os parlamentares na tarde de hoje e na próxima terça-feira. Ontem, o governador cearense se reuniu com Moisés Braz (PT), Carlos Felipe (PCdoB), Silvana Oliveira (PMDB), Tin Gomes (PHS), Bruno Pedrosa (PSC), Gony Arruda (PSD), Capitão Wagner (PR), Walter Cavalcante (PMDB), Aderlânia Noronha (SD), Manoel Duca (PROS), Antônio Granja (PROS) e Júlio César (PTN).

Fonte: Diário do Nordeste



Governo mantém todos os benefícios trabalhistas e fecha cerco a abusos e fraudes, diz ministro

A segurança fiscal do governo é a melhor forma de garantir a manutenção das políticas públicas nos próximos anos. Para o ministro do Trabalho e Emprego (MTE), Manoel Dias, esse é o objetivo das medidas anunciadas nesta semana, para fechar o cerco contra abusos e distorções na concessão do seguro-desemprego e outros benefícios, o que deve gerar uma economia estimada de R$ 18 bilhões em recursos públicos.

O governo não acabou com qualquer benefício, ao contrário do que está sendo veiculado em alguns meios de comunicação. “As medidas visam assegurar o patrimônio dos trabalhadores, representado pelo Fat, uma vez que elas buscam garantir direitos iguais para todos os trabalhadores,” afirmou o ministro, lembrando que as mudanças estão sendo discutidas pela pasta desde o ano passado, quando começaram a ser identificados os problemas.

Aproveitando-se das regras anteriores, algumas pessoas pediam demissão logo após completarem o prazo exigido para, em seguida, serem recontratadas com salário mais baixo, sem carteira assinada, e continuar recebendo o benefício. Essa prática, segundo o ministro, constitui, além de má-fé, uma injustiça com os trabalhadores que recebem o mesmo benefício após muitos anos de trabalho ou estão de fato desempregados.

Esses abusos e fraudes turbinaram as despesas com o Seguro Desemprego em cerca de 10, 35% neste ano, devendo chegar aos R$ 35, 2 bilhões. Os recursos para o pagamento do auxílio vêm do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que pode amargar um déficit R$ 12 bilhões neste ano.

No âmbito do próprio governo, o ministro lembra que, em 2011, a Controladoria-Geral da União (CGU) identificou pela primeira vez o pagamento irregular do benefício. Na ocasião, verificou-se que 1.242 servidores receberam o seguro-desemprego ilegalmente. De acordo com a CGU os pagamentos indevidos envolveram o setor público e o privado. Em 2011, dos 7.168 milhões de auxílios pagos, 53.903 foram indevidos, gerando perdas de R$ 108,7 milhões.

Entre as regras anunciadas, está a elevação do prazo mínimo para receber o seguro-desemprego. O benefício só será pago após um ano e meio seguido de trabalho, e não após seis meses, como é hoje. Na segunda solicitação, o prazo exigido de tempo trabalhado cai para 12 meses, e na terceira, para seis meses. Além disso, para receber o abono salarial, a pessoa precisará ter trabalhado por seis meses sem interrupção, e não por apenas um mês como ocorre atualmente. O benefício será pago proporcionalmente ao tempo trabalhado, assim como ocorre com o décimo-terceiro salário.

Pescadores 
O governo informou nesta semana que também foi identificado acúmulo de benefícios com relação ao Seguro Defeso pago ao pescador Artesanal. Esse seguro garante um salário mínimo para os pescadores que exercem atividade de forma artesanal, durante o período em que a pesca é proibida, para garantir a reprodução das espécies. É uma espécie de Seguro-Desemprego do pescador artesanal.

Segundo os dados do governo, existem problemas na sua concessão e insegurança jurídica, principalmente porque decisões judiciais têm estendido o benefício a não pescadores. O crescimento injustificado do pagamento do benefício também ocorreu por falta de critérios objetivos para a comprovação da habilitação. O governo destaca que todos os pescadores continuarão a receber o Defeso. Apenas quem não é pescador e está recebendo indevidamente deixará de ter o benefício.

Uma das medidas mais importantes no setor foi a criação de um Comitê Gestor do Seguro Defeso, a exemplo do que ocorre em outros programas do governo, além de atribuir a habilitação do beneficiário ao INSS. Para receber o seguro-defeso, os pescadores artesanais deverão comprovar o registro de três anos de trabalho. O pescador também terá de comprovar que pagou a Previdência por um ano, e não poderá acumular outros benefícios.

As medidas visam garantir o benefício exclusivamente a quem é de direito; vedar acúmulo de benefícios assistenciais e previdenciários de natureza continuada com o seguro defeso; incluir carência de três anos a partir do registro do pescador; comprovar a comercialização da produção ou recolhimento previdenciário ambos pelo período mínimo de 12 meses ou período entre defesos; vedar o seguro aos familiares do pescador que não preencham as condições exigidas e o acúmulo de diferentes defesos para receber o benefício.

Veja outras medidas contra os abusos 
O governo também mudou as regras para a pensão por morte, que só valerão para os benefícios concedidos a partir de agora. Para os atuais beneficiários, não haverá qualquer mudança.

Para que o dependente receba a pensão, o tempo de contribuição à Previdência será de dois anos. O tempo mínimo de casamento ou união estável passa a ser também de dois anos – atualmente, não existe limite. O valor da pensão será a metade do salário, mais 10% por dependente. Está previsto o fim do benefício vitalício para cônjuges jovens, com menos de 44 anos.

Os novos pagamentos de auxílio-doença serão feitos após 30 dias de afastamento, e não depois de 15 dias como é atualmente.  

O governo lembra que, segundo estudos feitos pela Previdência Social com uma amostra de 132 países, 78% deles possuem alguma regra de carência para esses benefícios.

Quanto ao valor do benefício, 82% dos países adotam regra que limitam o valor do benefício (taxa de reposição). E 77% estabelecem condicionalidades para cônjuges e companheiros. Entre os requisitos está a exigência de idade mínima (41% dos países); o tempo mínimo de casamento ou união estável (31% dos países) e a cessação do benefício com novo casamento (55% dos países).

Fonte: Portal Brasil



Professores da Uece suspendem greve; UVA e URCA permanecem paralisadas

Os professores da Universidade Estadual do Ceará (Uece) realizaram assembleia na manhã desta sexta-feira, 9, e decidiram pela suspensão da greve. O estado de greve, no entanto, fica mantido, mas a expectativa é de que as aulas sejam retomadas na próxima quarta-feira, 14.

A ampla maioria dos votos foi à favor da suspensão, contra apenas quatro votos contrários ao fim da greve (não houve contagem total dos votos). Em estado de greve, os professores prometem acompanhar os compromisso negociados com o Governo do estado.

UVA e Urca permanecem em greve
A Universidade Vale do Acaraú (UVA) e Regional do Cariri (Urca) permanecem em greve e informaram realizar novas assembleias. Na noite da próxima terça-feira, 13, o SindiUrca vai discutir as propostas do Governo. Segundo o presidente do sindicato, Francisco Augusto Silva Nobre, se até terça-feira as nomeações não tiverem começado a sair, a categoria pode descartar a suspensão. ''Aqui na Urca, não é definitiva essa suspensão, pois há muitos professores apreensivos com o governo", completa.

Entre as propostas feitas pelo governador e chamadas pelo sindicato de emergenciais, destaca-se o compromisso na realização de concurso para 249 vagas de professor efetivo - 120 para a Uece, 67 para a Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) e 62 para a Universidade Regional do Cariri (Urca).

O presidente do  Sindicato dos Docentes da Uece (Sinduece), Célio Coutinho, ainda aponta o concurso para 192 vagas de servidores técnicos e administrativos para as três universidades, a aprovação das leis que regulamentam a classe de professor associado e a gratificação de periculosidade e insalubridade.

Fonte: O Povo



Dilma escolhe Miriam Belchior para a presidência da Caixa

Depois de fechar a equipe ministerial, a presidente Dilma Rousseff está negociando a definição do segundo escalão, incluindo o comando dos bancos públicos. Dilma já decidiu que a ex-ministra do Planejamento Miriam Belchior, que coordenou o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), será indicada para a presidência da Caixa, banco responsável pelo financiamento do Minha Casa Minha Vida.

Para a presidência do Banco do Brasil, Dilma está analisando dois nomes: o atual vice- presidente de Crédito do BB, Alexandre Abreu, e o secretário executivo do Ministério da Fazenda, Paulo Rogério Caffarelli. Ambos fizeram carreira no banco.

— Banco do Brasil gosta de Banco do Brasil — disse um ministro.

A presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ainda não foi decidida. Caffarelli é um nome forte para o cargo, mas Luciano Coutinho, que esteve nesta quinta-feira com Dilma, pode ser mantido na função.

Fonte: O Globo



Internauta compra iPhone 6 Plus e recebe smartphone Galaxy S Duos

Um internauta comprou um iPhone 6 Plus em uma loja de e-commerce brasileira e recebeu em sua casa um smartphone Galaxy S Duos. O caso aconteceu no final do ano passado.

Oswaldo Linhares adquiriu o produto no site Submarino e precisou entrar em contato com a empresa para reportar o engano. O consumidor, então, enviou o aparelho de volta antes do Natal e precisou aguardá-lo até esta semana.

“Finalmente a novela acabou, graças a mim, que dei um jeito de descobrir o número de transportadora e solicitar uma nova entrega”, afirmou Linhares a Info, contando que a empresa dizia ter feito três tentativas de entregar o produto.

A B2W, responsável pelo Submarino, informou apenas que “entregou o iPhone 6 Plus para o cliente Oswaldo Linhares, que confirmou o recebimento no Twitter”.

O erro de entrega também teria acontecido com Tânio Borges, que contou o fato em seu perfil no microblogue, mas não respondeu ao contato da Info. Borges teria recebido um Galaxy Gran 2 em vez de seu iPhone 6 Plus, comprado na Americanas.com, também controlada pela B2W. Nesse segundo caso, a empresa também informou que Borges recebeu o aparelho da Apple e que o consumidor confirmou a entrega pelo Twitter.

Fonte: Info



Crato (CE): Saúde Bucal do município inicia suas ações com capacitação pioneira na região

O Governo do Crato, por meio da Secretaria Municipal de Saúde através da Coordenação de Saúde Bucal deu inicio na manhã desta quinta-feira (8) no Auditório do Laboratório Central de Saúde Publica Lacen  do Crato as  atividades do Projeto Sorriso em Ação do ano de 2015.

A equipe da saúde bucal do Crato composta por dentistas e atendentes de saúde bucal participaram de uma capacitação sobre Tratamento Restaurador Atraumático(TRA). Ministrada pela odontóloga e professora da Universidade de Fortaleza (Unifor), Grace Teles. O tratamento restaurador atraumático (TRA) é um tratamento alternativo para a cárie dentária. A dentina cariada desmineralizada e insensível é removida apenas com instrumentos manuais, sem a necessidade de eletricidade ou anestesia. Durante a capacitação foram feitas demonstrações em crianças.

De acordo com a Coordenadora de Saúde Bucal do município do Crato e responsável pelo Projeto Sorriso em Ação, Saskia Barreto o objetivo primordial desse treinamento é habilitar os profissionais na atuação de forma precoce restaurando e selando os dentes das crianças na própria escola sem que seja necessário deslocar-se até o posto de saúde. “É um tratamento eficaz onde também a dor e ansiedade são significantemente reduzidas nos pacientes que recebem a terapia TRA em comparação com a terapia convencional. Estamos trabalhando de forma pioneira na região” enfatiza.

A Secretária de Saúde do Crato Aline Franca destaca as atividades desenvolvidas pela coordenação de saúde bucal “Nossos profissionais estão cada vez mais preparados para atender as necessidades da população, existe um comprometimento constante em relação a qualidade de vida. O  Centro de Especialidades Odontológicas  CEO municipal vem promovendo assistência a todos que o procuram e o projeto Sorriso em Ação se destaca pela efetividade” ressalta.

Além da escovação e aplicação de flúor foram avaliadas diversas crianças para a realização do Tratamento restaurador atraumático nas crianças indicadas.

Assessoria de Imprensa/PMC



Revendas do Cariri antecipam retração com a volta do IPI

Na contramão da retração nacional do mercado de automóveis, Juazeiro viu, nos últimos anos, um aumento da sua frota acima da média, que se transformou em uma das maiores do Estado do Ceará. No entanto, as concessionárias se preparam para um ano de 2015 difícil, devido a uma possível queda nas vendas com a volta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Apesar de ainda não terem nada oficializado pelas montadoras, que aguardam a definição do Governo Federal, as concessionárias locais já avaliam como preocupante o retorno da taxa. Para driblar a crise que se anuncia, as empresas apostam no mercado regional, que é ascendente e planejam estratégias.

Crise
O gerente comercial da Citroën, Fernando Almino, acredita que, independentemente da volta do Imposto, as vendas já vêm em declínio desde o ano passado. "Em comparativo com 2013, o ano de 2014 teve uma redução de 5% nas vendas da concessionária Citroën. Após 12 anos de mercado em crescimento, tivemos 2014 como o primeiro ano de declínio", conta o gerente. "A tendência, com o aumento de taxa de juros e a insegurança do Governo, é cair ainda mais", acrescenta.

Contudo, na linha de carros populares, os mais vendidos na região, a concessionária Cevema, que é líder entre as revendas Fiat, comemora os números positivos, mesmo em tempos de retração do setor. Na tentativa de manter as vendas aquecidas e a garantir a clientela, a empresa oferece condições facilitado na compra de veículos por meio do consórcio nacional Fiat.

Segundo o gerente de vendas Ticiano Ribeiro, o mercado do Cariri se encontra de acordo com o nacional, com uma retração em torno de 8% a 10%. Apesar disso, ele afirma que é um negócio promissor, onde ainda existem arestas para se trabalhar, inclusive fazendo mais investimentos.

Estratégias
Na Honda, o gerente Cláudio Cavalcante também está otimista e garante que a concessionária não repassará o aumento de IPI aos clientes, mesmo que se confirme seu retorno. A ideia é manter, assim, uma boa expectativa nas vendas tanto de carros zero, quanto dos semi-novos. As concessionárias esperam, ainda, que as montadoras mantenham a taxa de juros de financiamento e apostam no marketing para divulgação dos produtos.

MIRELLY MORAIS
COLABORADORA

Fonte: Diário do Nordeste



Dilma dá sinal verde para socorro a elétricas

O ministro Eduardo Braga (Minas e Energia) disse nesta quinta-feira (8) que a presidente Dilma Rousseff deu sinal verde para que a pasta negocie com o Ministério da Fazenda a realização de um empréstimo com bancos públicos para socorrer o setor elétrico.

De acordo com o ministro, este será "o último empréstimo" para as distribuidoras de energia. A solução em estudo, chamada de "híbrida", deve casar essa ação imediata com uma mais ampla, que evite a ocorrência de problemas semelhantes no futuro.

"Estamos buscando uma solução estruturante e temos que definir a participação do Tesouro nessa decisão estruturante que está em curso", disse ele.

O Tesouro, porém, não deve ter participação imediata na conta, em aberto, estimada em R$ 2,5 bilhões.

Esse valor, ao que tudo indica, será integralmente pago pelo empréstimo com o Banco do Brasil, BNDES e Caixa Econômica, conforme antecipado pela Folha.

"A Fazenda é contra participação do Tesouro no empréstimo. Ele [o empréstimo] é de mercado, com taxa de mercado e será pago pelos agentes do sistema", explicou.

A participação do Tesouro poderia vir, portanto, em um segundo momento, ao equacionar os problemas dessas empresas de distribuição como um todo, de 2015 em diante, evitando novas intermediações do governo para liberação de empréstimos com agentes bancários.

Apenas no ano passado foram dois empréstimos, totalizando R$ 17,8 bilhões.

A diferença para a situação atual é que, em 2014, bancos privados também entraram no acordo.

"[Estamos discutindo a] reestruturação da tarifa, da CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), estamos ajustando os conceitos de cada um dos ministérios. Ele [ministro Joaquim Levy, da Fazenda] defende o lado do Tesouro e o superavit. Nós defendemos as questões importantes dos subsídios, como baixa renda e 'Luz Para Todos'", disse.

Segundo ele, o governo está fazendo uma "releitura de vários fatores que estão dentro da energia e que têm efeitos macroeconômicos", dando indícios de que o governo pensa em mudanças mais amplas para o setor.

Pagamentos
Para que o empréstimo tenha o efeito esperado, a Aneel também terá de adiar o prazo de pagamento que as distribuidoras devem fazer às geradoras.

O ministro Eduardo Braga confirmou que a agência prorrogará esta data, marcada para terça-feira (13), para o próximo dia 30, uma sexta-feira.

"Estamos encaminhando uma solução que passa primeiro por uma reunião da Aneel que vai restabelecer um novo prazo", explicou.

A medida dará tempo suficiente para que o acordo seja firmado com os bancos.

"Ainda nem discutimos com eles [os bancos]. Estamos agora fechando a operação ainda com a Aneel e com o setor", afirmou.

Toda a situação em torno dos empréstimos das distribuidoras, segundo estimou Braga, deve ser definida na próxima segunda-feira (12).

Neste dia, Braga terá nova reunião com a presidente Dilma Rousseff e com a participação do ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

Fonte: Folha.com



Crato (CE): Prefeitura injeta mais de R$ 6 milhões na economia local com pagamento da folha de dezembro

A Prefeitura Municipal do Crato está efetuando o pagamento da folha salarial do funcionalismo público  municipal referente ao mês de dezembro de 2014.

Com o pagamento a prefeitura injeta na economia cratense nesse início de ano o valor total de R$ 6.196.436,86 (Seis milhões, cento e noventa e seis mil, quatrocentos e trinta e seis reais e oitenta e seis centavos).

O pagamento teve início nesta quinta-feira, 8, com o pagamento dos funcionários da Secretaria de  Educação e Fundo Geral. O pagamento se estenderá até esta sexta-feira, 9,  quando será feito o pagamento das outras secretarias.

Todos os funcionários receberão seus salários nas agências da Caixa Econômica Federal, em  caixas eletrônicos da instituição, agências lotéricas, correspondente bancário da CEF,  em todo o território nacional.

Assessoria de Imprensa/PMC



Para Marina, novo governo Dilma "é um grande equívoco"

Assim como o senador Aécio Neves, candidato derrotado do PSDB à Presidência, Marina tem usado as redes sociais como tribuna de oposição. A ex-ministra voltará a ativa no dia 15, quando participará de uma reunião de seu grupo político, a Rede de Sustentabilidade, em Brasília. "Marina não tem muita ansiedade em disputar espaço no cenário nacional, mas ela vai se posicionar", diz Bazileu Margarido, dirigente da Rede e um dos mais próximos interlocutores da ex-ministra, que disputou duas vezes o Palácio do Planalto - em 2010, pelo PV, e 2014, pelo PSB.

Para evitar a dispersão de sua base de eleitores, Marina pretende fazer uma caravana pelo Brasil a partir de abril. O objetivo será a formação de diretórios estaduais da Rede. O grupo está na fase final de coleta de assinaturas e espera estar regularizado enquanto partido em abril. Na carta divulgada hoje, Marina também criticou o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante e o ex-presidente Lula. "Se o ministro Mercadante diz que o candidato em 2018 é o Lula, então está pronto o roteiro, cada um tem sua fala, é só decorar e repeti-la mesmo quando desvinculada de qualquer nexo com a realidade".

Fonte: Estadão



Addthis