Hemoce informatiza coletas externas em Crato, Juazeiro do Norte e Iguatu

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), do Governo do Estado, informatizou todo o processo de atendimento aos doadores em coletas externas realizadas nos municípios de Iguatu, Crato e Juazeiro do Norte. Além de agilizar a captação de doações, a novidade traz mais comodidade para a população e extingue o uso do papel.

A informatização teve início em Fortaleza e nos hemocentros regionais localizados em Quixadá e Sobral. Com o investimento em tecnologia, as informações dos doadores são registradas em tempo real no Sistema de Banco de Sangue (SBS), desde o momento do cadastro até a realização da coleta. A coordenadora do Gerenciamento do Sistema do Ciclo do Sangue, Michele Castelo Branco, destaca as vantagens do processo.

“O principal benefício da coleta externa informatizada é a segurança, rastreabilidade, agilidade e redução de custos. As bolsas coletadas são cadastradas online no sistema. Isso permite que os setores trabalhem com maior rapidez, por exemplo. Enquanto acontece o processamento das bolsas em um setor, simultaneamente os laboratórios já conseguem passar os resultados.

Antes, com a coleta manual, uma ficha era preenchida e só depois os dados eram repassados para o sistema. Somente após esta etapa é que os procedimentos para liberação das bolsas tinham início. A doação levava, em média, de 24h a 48h para ser cadastrada no sistema.

“A informatização das coletas externas permite que, durante o processo da doação, todo o histórico do doador seja consultado. Isso garante a total rastreabilidade do processo dentro do sistema, com maior segurança para doadores e pacientes. A padronização da informatização em toda coleta da hemorrede do Ceará é um marco histórico”, disse Denise Brunetta, diretora de hemoterapia do Hemoce.

Curta nossa página no Facebook

Estudo da OMS aponta ineficácia da hidroxicloroquina e outros 3 antivirais contra a Covid-19

A hidroxicloroquina, o medicamento remdesivir, da Gilead Sciences, e outros dois antivirais tiveram pouco ou quase nenhum efeito sobre os tempos de internação ou chances de sobrevivência de pacientes da Covid-19, concluiu um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os resultados são do estudo "Solidarity", da OMS, que avaliou os efeitos de quatro tratamentos com medicações que incluíam o remdesivir, a hidroxicloroquina, e a combinação dos medicamentos lopinavir/ritonavir e interferon (utilizada para o tratamento do HIV) em 11.266 pacientes adultos em mais de 30 países.

O estudo, feito em apenas seis meses, concluiu que os protocolos pareciam ter pouco ou nenhum efeito na redução de mortalidade em 28 dias ou na duração do tratamento hospitalar entre pacientes internados com a Covid-19, disse a OMS nesta quinta-feira (15).

O remdesivir, um dos primeiros a ser utilizado como tratamento para a Covid-19, foi um dos remédios utilizados para tratar o presidente norte-americano, Donald Trump, após sua infecção pelo coronavírus.

Os resultados da pesquisa ainda serão revisados e foram disponibilizados no servidor MedRxiv antes de serem publicados em uma revista científica.

Novos medicamentos antivirais, imunomoduladores e anticorpos contra o coronavírus também devem ser avaliados.

No início do mês, dados de um estudo norte-americano com o remdesivir, da Gilead Sciences, mostraram que o tratamento cortava o tempo de recuperação da Covid-19 em cinco dias quando comparado aos pacientes que receberam o placebo em um teste envolvendo 1.062 pacientes.

Fonte: Estadão Conteúdo (Com Reuters)

Curta nossa página no Facebook

Desemprego chega a 14,4%, o mais alto da pandemia, segundo o IBGE

O número de brasileiros à procura de emprego chegou a 14 milhões na quarta semana de setembro, segundo o Pnad Covid, levantamento do IBGE para medir o impacto do coronavírus na sociedade brasileira.

Segundo os dados divulgados nesta sexta-feira (16), a taxa de desocupação do país ficou em 14,4%, contra os 13,7% observados na semana anterior. É o mais alto percentual desde o início da pandemia. Para se ter uma ideia, em maio, quando o isolamento social era mais rigoroso, a taxa de desemprego era próxima de 10%.

Por que isso acontece?
Antes, é preciso entender como o número é calculado. O IBGE considera para a taxa de desemprego apenas as pessoas que não possuem uma ocupação, mas gostariam de trabalhar e procuram emprego. A alta, portanto, é resultado do maior número de pessoas que deixaram o isolamento social e buscam recolocação profissional.

“As informações sugerem que mais pessoas estejam pressionando o mercado em busca de trabalho, em meio à flexibilização das medidas de distanciamento social e à retomada das atividades econômicas”, diz a coordenadora da pesquisa, Maria Lucia Vieira.

Número de vagas segue estável
Já a população ocupada ficou em 83 milhões, estatisticamente estável na comparação com a terceira semana de setembro. “Vínhamos observando, nas últimas quatro semanas, variações positivas, embora não significativas da população ocupada. Na quarta semana de setembro a variação foi negativa, mas sem qualquer efeito na taxa de desocupação”, acrescenta.

Isolamento social despenca
Cerca de 2,2 milhões de pessoas abandonaram o isolamento social rigoroso entre a terceira e a quarta semana de setembro no Brasil. Segundo o IBGE, aproximadamente 31,6 milhões de pessoas afirmam manter o isolamento social rigoroso. Já o número de brasileiros que não tomaram nenhuma medida de restrição para evitar o contágio pelo novo coronavírus cresceu 937 mil em uma semana e chegou a 7,4 milhões de pessoas.

Fim da Pnad Covid semanal
O IBGE informou ainda que a divulgação desta sexta-feira foi o último boletim semanal sobre os impactos da doença no país. O instituto afirmou que a coleta de dados por telefone continuará, mas servirão para subsidiar as edições mensais da pesquisa, que devem continuar até o final do ano.

Fonte: 6 Minutos

Curta nossa página no Facebook

Raimundo Aniceto, um dos mais importantes ícones da cultura popular cearense, morre vítima de Covid-19

Morreu na noite da quinta-feira, 15, aos 86 anos, o Mestre da Cultura cearense, instrumentista e dançarino cratense Raimundo Aniceto. Lidando com impactos de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) sofrido há quase cinco anos, ele estava hospitalizado desde, no mínimo, quarta-feira, 14.  Integrante da banda cabaçal dos Irmãos Aniceto - importante e centenário grupo da região do Cariri - e membro remanescente da segunda formação do conjunto, Raimundo desponta como um dos mais importantes nomes da cultura cearense e deixa legado extenso. 

As origens dos Aniceto enquanto conjunto são difíceis de definir, mas é certo que a banda é fruto de tradições ancestrais herdadas dos indígenas Kariri, que viviam onde hoje é a região do Cariri cearense. Uma figura central na criação da banda cabaçal é Zé Aniceto, pai de Raimundo, que seria o fundador “oficial”. No entanto, o avô de Raimundo é citado como criador do grupo em tempos ainda mais remotos.

“No Crato tinha a aldeia dos índios Kariri. (A banda) foi criada na aldeia, fazia as animações”, contou Raimundo no episódio dedicado aos Acineto da série "Os Cearenses", produzida em 2015 pela Fundação Demócrito Rocha. Naquele ano, o grupo comemorou 200 anos de história. Como já definiu o professor e pesquisador em cultura popular Gilmar de Carvalho, o tempo dos Aniceto é “mítico” e "de fabulação".

Além da importância da oralidade e dos laços familiares na construção da banda cabaçal, os ofícios manuais também se destacam. A família fabrica os próprios instrumentos, além de vendê-los para interessados. Esse ofício é, também, uma herança indígena, com as percussões feitas com cabaçal e os pifes feitos com taboca, espécie de madeira semelhante ao bambu. Isso sem mencionar as danças e performances do grupo, no que é mais uma influência dos Kariri.

Jeová Aniceto, sobrinho de Raimundo e filho de João Aniceto, já creditou a habilidade que tem no fazer manual ao tio. “Ele me ensinou a fazer o pífero. Essa taboca veio fazendo sucesso pelos Irmãos Aniceto. A gente faz o material e transforma em música, espetáculo e som", afirmou Jeová em "Os Cearenses". “Faço zabumba, tarol, casal de pife. Vai prontinha. Quando o camarada pede, eu faço tudinho. É um mês pra entregar uma banda completa”, garantiu Raimundo na mesma entrevista.

O caráter familiar do conjunto segue forte, mantido de geração em geração. “Antes de meu pai falecer, ele pediu pra gente não deixar essa banda se acabar”, explicou Raimundo. Fazendo valer a promessa ao patriarca há décadas, o Mestre deixou o posto de segundo tocador de pife da banda cabaçal quando o irmão Antônio, que ocupava o lugar, faleceu em 12 de janeiro de 2015. Então, Raimundo assumiu o posto de primeiro tocador e a liderança do grupo, sendo o último remanescente da segunda formação.

Segundo ele, o pedido de Zé Aniceto pela continuidade veio por conta da crença que a “bandinha” ainda seria “uma princesa do Brasil”. “Que conversa, pai!”, reagiram os filhos à época. O fundador, porém, foi preciso na espécie de previsão. Os Irmãos Aniceto já se apresentaram em municípios da região caririense, nos palcos do Theatro José de Alencar e do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura - ambos em Fortaleza -, em estados de todas as regiões do Brasil e também fora do País. “De vez em quando a gente tá no mundo. Já vamos com uns 40 voos de avião", estimou Raimundo.

O instrumentista e dançarino foi reconhecido como Mestre da Cultura pela Secretaria da Cultura do Ceará em 2004. Já mais recentemente, em agosto de 2019, foi inaugurado o Museu Casa do Mestre Raimundo Aniceto, iniciativa que partiu do projeto dos Museus Orgânicos empreendido no Estado. A intenção foi a de seguir na preservação da história dos ofícios e artesanias do grupo e do Mestre.

Além da lida artística, Raimundo também seguia na roça. “Tudo é agricultor. A caneta que meu pai deixou com a gente foi a roça”, dividiu, para logo em seguida complementar: "E a banda". Entre reconhecimentos no Ceará, no Brasil e no mundo, confessou que dinheiro, mesmo, não havia muito. “A banda é rica! De amor, de amizade”, riu-se ao falar do assunto. “É uma maravilha. O público, as autoridades, o governo, tudo é uma coisa louca com a banda, maravilha. Mas na hora do dindim, é deste tamanhinho", dividiu, fazendo sinal com os dedos indicadores bem próximos.

Acima de quaisquer problemas, porém, Mestre Raimundo celebrava a vida e as experiências. “A gente é feliz com a banda, viu, graças a Deus. Todo mundo aprecia a gente. A gente, quando tá num show, Ave Maria, é uma coisa linda, uma festa”. Com a partida, a banda cabaçal seguirá, a partir do trabalho das novas gerações, na empreitada dessa festa que conecta as memórias ancestrais à contemporaneidade. Enquanto isso, pelo céu, o encontro de Mestre Raimundo com o irmão Antônio, o pai Zé e toda a ancestralidade dos Aniceto e dos Kariri, certamente, estará sendo uma coisa linda, uma festa.

Fonte: O Povo

Curta nossa página no Facebook

Pagamento do Cartão Mais Infância é antecipado pelo Governo do Estado

O Governo do Ceará liberou nessa quinta-feira (15) o pagamento do Cartão Mais Infância, que vem sendo antecipado para as famílias cearenses mais vulneráveis neste momento de pandemia do coronavírus. O valor de R$ 85 que seria depositado somente no mês de novembro já está disponível na conta dos beneficiários, totalizando um investimento de cerca de R$ 4 milhões. Aproximadamente 45 mil famílias com crianças na primeira infância e em situação de extrema pobreza serão contempladas.

O benefício está disponível para saque, mas, para evitar aglomerações, a orientação é utilizar o cartão nos estabelecimentos comerciais. “Desde o início da pandemia, o Governo do Ceará vem antecipando o valor do Cartão Mais Infância e isso tem facilitado a vida das famílias que dependem dessa fonte de renda. Sem precisar ir ao banco, no ato da compra, a pessoa beneficiária pode realizar o pagamento direto no local, usando a função débito. Tudo isso para atender as necessidades das crianças cearenses”, destaca a primeira-dama do Ceará, Onélia Santana.

A mãe da pequena Adryele (4), a dona de casa Daiana de Sousa, diz ter sido fundamental a transferência de R$ 85 na renda da família. “Esse auxílio vem beneficiando, e muito, a criação da minha menina porque ajuda na complementação da alimentação dela aqui em casa. É com esse dinheiro que compro também roupa ou remédio, caso ela precise. O mais importante é saber que temos essa renda de forma antecipada durante o período dessa doença”, salienta.

O benefício
O Cartão Mais Infância é destinado para núcleos familiares cearenses com crianças de 0 a 5 anos e 11 meses que se enquadrem na situação de alta vulnerabilidade social: residentes de zona rural, em propriedades sem banheiro ou sanitário, de estrutura inapropriada (taipa, palha, madeira aproveitada ou outro material), além de residências urbanas sem água canalizada em, pelo menos, um cômodo. Para conceder o benefício, a família deve está escrita no Cadastro Único Para Programas Sociais (CadÚnico).

As famílias cearenses em situação de extrema pobreza são contempladas com a transferência de renda mensal, no valor de R$ 85, do Governo do Ceará. O investimento anual realizado pelo Estado é de R$ 50 milhões. A iniciativa faz parte das ações do Programa Mais Infância Ceará e é executada pela Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS).

Curta nossa página no Facebook
 

16 de outubro

1846 - Primeiro ato de anestesiologia com a anestesia baseada em éter.
1940 - O Gueto de Varsóvia é delimitado pela Alemanha Nazista.
1978 - Karol Wojtila é designado 265.º papa e escolhe o nome de João Paulo II.

Nasceram neste dia…
1854 - Oscar Wilde, escritor irlandês (m. 1900).
1929 - Fernanda Montenegro (foto), atriz brasileira.
1927 - Günter Grass, escritor alemão.

Morreram neste dia…
1591 - Papa Gregório XIV (n. 1535).
1793 - Maria Antonieta, arquiduquesa da Áustria, rainha de França (n. 1755).
1988 - Emídio Santana, anarcossindicalista português (n. 1906).

Fonte: Wikipédia

Juazeiro do Norte não registra óbito por Covid-19 há seis dias

Segundo município cearense com maior número de casos da Covid-19, atrás apenas de Fortaleza (52.196), Juazeiro do Norte, que registra 15.836 infectados, alcançou ontem (12) seis dias sem nenhum óbito pela doença, segundo o último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). Com isso, iguala seu melhor intervalo desde a primeira morte pela doença, que foi entre os dias 5 e 11 de maio, quando saltou de duas para quatro vítimas.  

O último registro de morte confirmada pela doença foi no último dia 6 de outubro, quando foi somado um óbito, alcançando a marca de 290 vidas perdidas pelo vírus. Ou seja, em uma semana, a média foi de 0,14 morte/dia.  

A queda é visível a partir dos dados anteriores. Entre 25 de julho e 1º agosto, o pior intervalo de óbitos em decorrência do novo coronavírus, foram 26 vítimas na terra do Padre Cícero, que dá uma média de 3,7 mortes diárias.  

Até a tarde desta segunda-feira (12), o Município notificou 43.301 pacientes, dos quais 20 são casos suspeitos que aguardam os resultados dos exames, 27.797 casos descartados. Entre os 15.836 casos confirmados há 15 hospitalizados, 598 em isolamento domiciliar, 14.581 que já estão recuperados, e 290 são óbitos. 

A diretora Vigilância em Saúde de Juazeiro do Norte, Evanusia de Lima, ressalta que a divulgação do registro de óbitos é feito na medida que os exames confirma a causa por Covid-19, mas o cálculo da média móvel, onde é analisado se houve ou não uma queda, acontece a partir da data em que a morte acontece. “Às vezes o óbito acontece hoje e o resultado do exame pode demorar até sete dias para sair”, explica.  

A demora também pode ser explicada pela questão da localidade. “Muitas pessoas para ter acesso ao Hospital Regional informam o endereço de Juazeiro do Norte e aí dá muito trabalho, porque não conseguimos encontrar a residência, a família, para finalizar esse processo de monitoramento dos contatos de casos e de óbitos. Então, às vezes demora finalizar esse procedimento de constatação do endereço do paciente que vai a óbito para fins de sistema de informação”, detalha Evanusia.  

Além disso, óbitos de residentes de Juazeiro do Norte, mesmo em outras cidades, também são contabilizados e isso atrasa o levantamento. “Depende de onde a pessoa mora, quando é na nossa região de Saúde conseguimos até localizar mais rápido, mas às vezes mora em outras regiões, aí é demorado. Varia muito”, completa. 

Queda

Neste caso, a média móvel de óbitos desta última semana ainda não foi finalizada, justamente porque também é feito a coleta de dados de outras cidades. “Até o momento ainda não detectei aumento de óbitos, só vou ter certeza ao final desse levantamento”, completa Evanusia.  

Apesar disso, a diretora aponta para uma estabilização em Juazeiro do Norte pelo menos no número de óbitos. “Houve uma queda e agora e aparece uma ou duas por semana. Estamos numa situação bem mais confortável”, acredita. 

Por Antonio Rodrigues

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Justiça proíbe que candidatos de Mauriti promovam aglomerações

O Ministério Público Eleitoral, por meio da Promotoria da 76ª Zona, obteve decisão favorável na Justiça para que José Savio Martins Sampaio e Samuel Sampaio Coelho, respectivamente, candidatos a prefeito e vice-prefeito de Mauriti, e a coligação “Mauriti Unido pelo Povo” se abstenham de realizar atos de campanha que promovam aglomerações, sob pena de multa no valor de R$ 50 mil. A decisão foi proferida nesta terça-feira (13).

O MP ingressou com a ação após os candidatos terem realizado atos de propaganda eleitoral com aglomeração de pessoas, uso de carro de som e consumo de bebida alcóolica, registrados em fotos e vídeos que circularam nas redes sociais. Contudo, tal fato descumpre acordo firmado em 24 de setembro deste ano, no Fórum de Mauriti, entre o Ministério Público e os candidatos e coligações, com a participação da Justiça Eleitoral. Na ocasião, ficou acertado que todos os candidatos se comprometeriam a não realizar atos que ocasionassem aglomeração, a fim de evitar a propagação da Covid-19 e em respeito às normas sanitárias.

Na ação, o MP ressaltou, ainda, que o Decreto Estadual nº 33.761, de 10 de outubro de 2020, prorrogou até 18 de outubro de 2020 a vigência da política de isolamento social e a regionalização das respectivas medidas nos municípios do Estado. Para as cidades da Região de Saúde do Cariri, da qual Mauriti faz parte, a realização de eventos continua vedada. Destaca-se também o Protocolo Setorial contendo medidas de controle e prevenção à Covid-19 para as eleições municipais, publicado pela Secretaria da Saúde do Estado, cujas orientações constantes no documento não foram observadas pelos candidatos.

Curta nossa página no Facebook


PMCE registra redução de 50% em mortes na CEs durante feriadão de Nossa Senhora Aparecida

O Batalhão de Polícia de Trânsito Urbano e Rodoviário Estadual (BPRE) da Polícia Militar do Ceará (PMCE) contabilizou uma redução de 50% nos números de vítimas fatais nas rodovias estaduais durante o feriadão de Nossa Senhora Aparecida. O número é um comparativo com o feriado do dia 7 de setembro deste ano, quando o feriadão também englobou três dias. O total de acidentes e de feridos também registrou retração.

No feriadão do mês passado, foram oito vítimas fatais, enquanto no feriadão que também marcou o Dia das Crianças foram quatro casos. Quando se trata de acidentes, a redução foi de 16%, indo de 31 casos para 26. No número de feridos, a redução foi de 5%, indo de 19 para 18. No total, foram 10.375 veículos abordados nas rodovias estaduais pelos policiais militares do BPRE que atuaram em 28 postos fixos e 10 postos avançados.

“Assumimos recentemente o comando do Batalhão de Polícia de Trânsito Urbano e Rodoviário Estadual e dentre as missões advindas do comando da PMCE está a de conseguir um trânsito mais seguro nas rodovias estaduais. Para esse feriado, em específico, entendemos que a melhor forma de agir seria trabalhar os dados estatísticos de acidentalidade nas rodovias estaduais e a partir daí desenvolver a melhor estratégia no que diz respeito ao emprego da tropa do BPRE e garantir um feriado com menos violência no trânsito”, explicou o tenente coronel Alexandre Holanda, comandante do BPRE.

As ações nas CEs também culminaram em 3.279 notificações com 16% de aumento em comparação ao feriadão anterior, quando foram 2.832. Com a soma dos procedimentos com base nos artigos 165 (infração administrativa) e 306 (infração penal) do Código Brasileiro de Trânsito (CTB) foram registradas 102 autuações. O número é 120% superior às autuações registradas no feriadão da Independência, quando foram 46 casos.

Por último, quando se trata das apreensões, 70 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) foram apreendidas, com 126% de aumento. No período de comparativo em setembro, foram 31 apreensões. “Ficamos satisfeitos com os resultados alcançados. Apesar do planejamento ser essencial para esse tipo de situação, o empenho da tropa foi condição primordial para atingir esses resultados”, disse o oficial.

Operação
As ações começaram às 18 horas de sexta-feira (9) e duraram até as 20 horas dessa segunda-feira (12). Além do efetivo de 338 policiais militares, foram utilizadas ainda 39 viaturas, 33 motocicletas e 20 guinchos. As fiscalizações foram reforçadas prioritariamente em rodovias de grande fluxo como CE 040, CE 060, CE 065 e CE 085, que costumam ser bastante utilizadas em feriados prolongados. Devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), durante todo o período também foram realizadas fiscalizações quanto ao uso das máscaras de proteção individual.

Apoio Ciopaer
Durante o feriadão, a Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) realizou 18 missões. No total, foram quase 20 horas voadas pelas aeronaves da Coordenadoria. “A Ciopaer atuou intensamente nesse feriadão em ações de patrulhamento preventivo e fiscalização de estradas, com ação de presença, dando o devido apoio às vinculadas da SSPDS. Destacamos também os resgates e as remoções aeromédicas, oferecendo a agilidade das aeronaves para salvar vidas”, destacou o capitão Elton Oliveira, relações-públicas da Ciopaer.

Atualmente, a Ciopaer possui quatro bases no Estado, sendo uma em Fortaleza, uma em Juazeiro do Norte, uma em Quixadá e outra em Sobral. A coordenadoria dispõe de dez aeronaves, sendo nove helicópteros (um EC130 B4, dois AS350B2 esquilo, três Airbus EC135 e três EC145) e um avião modelo Cessna 210.

Curta nossa página no Facebook

Inscrições para concurso público de Groaíras são reabertas após interrupção por conta da Covid-19

Foram reabertas, nesta quinta-feira (8), as inscrições para o concurso público da Prefeitura Municipal de Groaíras, no interior do Ceará. O Instituto de Desenvolvimento Institucional Brasileiro (Idib) havia interrompido as inscrições por conta da pandemia do novo coronavírus. Os salários iniciais variam de R$ 1.027 (eletricista, auxiliar de serviços gerais e vigia) a R$ 5.130 (médico). 

Segundo o Ibid, ao todo, serão ofertadas 72 vagas imediatas e 360 de cadastro reserva para 34 cargos, cujas formações acadêmicas exigidas vão do ensino fundamental completo ao nível

A taxa, com valores de R$ 90 e R$ 140, dependendo do cargo escolhido pelo candidato, deverá ser paga até 24 horas após a emissão do boleto no ato da inscrição. As provas, com questões objetivas, estão previstas para o dia 20 de dezembro na cidade de Groaíras. Os candidatos às vagas deverão acessar o site do Idib até 23h59 do dia 9 de novembro.

Ainda conforme o Ibid, o concurso público da Prefeitura Municipal de Groaíras é válido por dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois anos. A convocação dos candidatos selecionados no cadastro de reserva ocorre no mesmo período, caso a administração pública precise preencher cargos que fiquem vagos por motivos de aposentadoria, desistência ou mesmo pela decisão criar mais vagas.

Prevenção contra a Covid-19
O Idib afirmou que atenderá as normas sanitárias vigentes para o enfrentamento do novo coronavírus, higienizando e desinfetando os locais de provas com a pulverização de produtos químicos utilizados em ambientes hospitalares, aferindo a temperatura corporal dos participantes, oferecendo álcool gel e tapetes sanitizantes na entrada, e garantindo o distanciamento social mínimo de dois metros entre as pessoas. O uso de máscaras faciais será obrigatório para todos os presentes.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Testes com vacina de Covid-19 da Johnson & Johnson's são pausados após doença de participante

O estudo com a vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Johnson & Johnson’s foi pausado devido a uma doença inexplicada em um participante, informou a companhia nesta segunda-feira (12).

Segundo um documento enviado a pesquisadores externos que executam o ensaio clínico com 60 mil pacientes, uma “pausa regulamentar” será cumprida.

O sistema online usado para inscrever pacientes no estudo foi fechado, e foi convocado o conselho de monitoramento de dados e segurança - um órgão independente que zela pela segurança dos pacientes no ensaio clínico.

Em comunicado oficial, a Johnson & Johnson’s ressalta que “eventos adversos - doenças, acidentes etc - mesmo aqueles graves, são uma parte esperada de qualquer estudo clínico, especialmente grandes estudos”.

Segundo a empresa, a doença do paciente está sendo “analisada e avaliada pelo Conselho de Monitoramento de Segurança de Dados independente ENSEMBLE (DSMB), bem como por nossos médicos clínicos e de segurança internos”.

A empresa diz ainda que a privacidade do paciente deve ser respeitada e que, como ainda está aprendendo mais sobre a doença deste participante, é importante ter todos os fatos antes de compartilhar informações adicionais.

Fase 3 no Brasil e resultados preliminares
A imunização, cujo nome oficial é Ad26.COV2.S, foi desenvolvida pela farmacêutica Janssen Pharmaceuticals, que pertence ao grupo J&J. A imunização foi a quarta a obter autorização de testes de fase 3 no Brasil, em agosto. Em setembro, a empresa anunciou que começaria a terceira etapa em todo o mundo, com 60 mil voluntários. No Brasil, segundo a Anvisa, são 7 mil participantes.

Em 29 de setembro, resultados preliminares e parciais apontaram que a vacina era segura e induzia resposta imune mesmo após uma única aplicação.

Os resultados eram referentes a uma parte dos participantes das fases 1 e 2, que foram conduzidas de forma conjunta. Eles ainda não foram revisados por outros cientistas – requisito necessário para publicação em revista científica – mas tinham sido disponibilizados em um repositório online.

Vacina de Oxford já suspendeu e retomou testes
Esta não é a primeira vez que os testes com uma vacina para Covid-19 são interrompidos. No final de setembro, os testes da vacina desenvolvida em conjunto pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca foram suspensos temporariamente após um dos voluntários no Reino Unido apresentar reação adversa que podia estar vinculada à vacina.

A vacina de Oxford teve os testes retomados seis dias depois da interrupção. Segundo comunicado da AstraZeneca, a suspensão ocorreu para revisar os dados de segurança por comitês independentes. "O comitê do Reino Unido concluiu suas investigações e recomendou à MHRA que os ensaios no Reino Unido podem ser retomados com segurança", diz o texto.

Fonte: G1

Curta nossa página no Facebook

Cidades cearenses voltam a apresentar risco de baixa umidade do ar, aponta Inmet

Um total de 71 cidades do interior cearense das regiões Centro-Sul, Inhamuns, Sertão Central e Cariri, está classificada como área de perigo por apresentar baixa umidade relativa do ar, segundo aponta aviso emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O alerta foi emitido ao meio-dia desta segunda-feira (12) e prossegue até as 20 horas. Estudo do Inmet indica, no entanto, que o quadro de baixa umidade relativa do ar no Estado, de um modo geral, deve perdurar por mais cinco dias, até o próximo dia 17.

Morada Nova tem previsão de apresentar a menor taxa de umidade relativa do ar (21%), Barbalha e Crateús (27%), seguida de Sobral (28%), Jaguaruana (29%), Tianguá (38%) e Fortaleza (48%). Já a Capital deve apresentar a máxima umidade relativa do ar (53%), seguida de Tianguá (43%), Sobral (36), Barbalha e Crateús (35%) e Jaguaruana (32%).

O meteorologista do Inmet, Flaviano Fernandes, observou que a situação mais preocupante é com o interior cearense que registra com regularidade as menores taxas de umidade relativa do ar por causa da distância de áreas úmidas, como o litoral. “Na semana anterior, o cenário já foi pior, com Iguatu registrando 14%”.

Neste cenário, a Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica como alerta, já que, entre os possíveis impactos, estão o ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz. Segundo a OMS, quando o índice de umidade relativa do ar ficar abaixo dos 30%, o quadro já é considerado preocupante, pois o nível ideal vai de 60 a 80%.

A gerente de meteorologia da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Meire Sakamoto, explica que “a distância das cidades em relação ao oceano também contribui para os baixos índices de umidade relativa do ar”. Há outros fatores, segundo Sakamoto: “Os ventos mais fortes ajudam a aumentar a evapotranspiração da vegetação, já castigada pelo solo seco e a falta de chuvas”.

Já na faixa litorânea, a umidade proveniente da evaporação da água do mar favorece a região, com umidade relativa do ar bem mais elevada em comparação com o sertão mais distante. “Essa porção do Estado não apresenta tempo seco como aquele no interior”, complementa Sakamoto.

Por Honório Barbosa

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook


13 de outubro

1399 - É coroado Henrique IV de Inglaterra, dando fim ao reinado de Ricardo II.
1917 - Acontece o Milagre do Sol, em Fátima.
2005 - Harold Pinter, dramaturgo britânico, é galardoado com o Nobel de Literatura.

Nasceram neste dia…
1453 - Eduardo, Príncipe de Gales (m. 1471).
1925 - Margaret Thatcher (foto), política britânica e antiga primeira-ministra do Reino Unido (m. 2013).
1941 - Paul Simon, cantor e compositor estadunidense.

Morreram neste dia…
    54 - Cláudio, imperador romano (n. 10 a.C.).
1909 - Francisco Ferrer, pedagogo anarquista catalão (n. 1849).
1968 - Manuel Bandeira, poeta brasileiro (n. 1886).

Fonte: Wikipédia