Temer é citado 43 vezes em delação de executivo da Odebrecht. Lula e Dilma não foram lembrados

O nome do presidente Michel Temer aparece 43 vezes no documento do acordo de delação premiada de Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht.

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, é mencionado 45 vezes e Moreira Franco, secretário de Parceria e Investimentos do governo Temer, 34.

O ex-ministro Geddel Vieira Lima, que pediu demissão recentemente, surge em 67 trechos.

O líder do governo no Congresso, (PMDB-RR), apontado como o "homem de frente" das negociações da empreiteira no Congresso, tem 105 menções no relato, um arquivo preliminar, ao qual a Folha teve acesso, do que o ex-executivo vai dizer em depoimento às autoridades da Lava Jato.

De acordo com Melo Filho, o presidente Temer atua de forma "indireta" na arrecadação financeira do PMDB, mas teve papel "relevante" em 2014, quando, segundo ele, pediu R$ 10 milhões a Marcelo Odebrecht para a campanha eleitoral durante jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014.

Segundo o delator, Temer incumbiu Padilha de operacionalizar pagamentos de campanha. O ministro, diz o ex-executivo, cuidou da distribuição de R$ 4 milhões daqueles R$ 10 milhões: "Foi ele o representante escolhido por Michel Temer –fato que demonstrava a confiança entre os dois–, que recebeu e endereçou os pagamentos realizados a pretexto de campanha solicitadas por Michel Temer. Este fato deixa claro seu peso político, principalmente quando observado pela ótica do valor do pagamento realizado, na ordem de R$ 4 milhões".

"Chegamos no Palácio do Jaburu e fomos recebidos por Eliseu Padilha. Como Michel Temer ainda não tinha chegado, ficamos conversando amenidades em uma sala à direita de quem entra na residência pela entrada principal. Acredito que esta sala é uma biblioteca", disse o delator, que conta detalhes do jantar.

"Após a chegada de Michel Temer, sentamos na varanda em cadeiras de couro preto, com estrutura de alumínio. No jantar, acredito que considerando a importância do PMDB e a condição de possuir o Vice-Presidente da República como presidente do referido partido político, Marcelo Odebrecht definiu que seria feito pagamento no valor de R$ 10 milhões", diz.

"Claramente, o local escolhido para a reunião foi uma opção simbólica voltada a dar mais peso ao pedido de repasse financeiro que foi feito naquela ocasião. Inclusive, houve troca de e-mails nos quais Marcelo se referiu à ajuda definida no jantar, fazendo referência a Temer como 'MT'", ressalta o ex-executivo da Odebrecht.

Um dos endereços de entrega foi o escritório de advocacia de José Yunes, atual assessor especial da Presidência da República.

Segundo o delator, "o atual presidente da República também utilizava seus prepostos para atingir interesses pessoais, como no caso dos pagamentos que participei, operacionalizado via Eliseu Padilha".

O delator disse que foi apresentado a Temer por Geddel em agosto de 2005 na festa de aniversário de seu pai.

Ao se referir ao ministro Padilha, ele afirma que o hoje ministro "atua como verdadeiro preposto de Michel Temer e deixa claro que muitas vezes fala em seu nome", disse Melo Filho.

"Eliseu Padilha concentra as arrecadações financeiras desse núcleo político do PMDB para posteriores repasses internos", afirmou.

A relação entre os quatro caciques peemedebistas é muito forte, segundo o delator, "o que confere peso aos pedidos formulados por eles (ministros), pois se sabe que o pleito solicitado em contrapartida (pela empresa) será atendido também por Michel Temer".

"Geddel Vieira Lima também possui influência dentro do grupo, interagindo com agentes privados para atender seus pleitos em troca de pagamentos", disse o delator.

Melo Filho afirmou que defendia "vigorosamente" as solicitações de pagamento feitas por Geddel junto à Odebrecht "como retribuição" pelo fato de o ex-ministro lhe aproximar das outras lideranças.

Sobre Jucá, ele declarou que um "exemplo" da força dele é "encontrado no fato de que o gabinete do Senador sempre foi concorrido e frequentado por agentes privados interessados na sua atuação estratégica".

Todos os citados têm negado qualquer irregularidade na relação com a Odebrecht.

POLÍTICOS NA MIRA DA ODEBRECHT

Alguns dos citados em delação premiada de Cláudio Melo Filho, ex-executivo da empreiteira

  • MICHEL TEMER Ex-executivo disse que parte de valor prometido ao PMDB em 2014 foi entregue em dinheiro no escritório de José Yunes, amigo do presidente
  • RENAN CALHEIROS (PMDB-AL) O presidente do Senado recebeu o apelido de 'Justiça' na lista de codinomes da empreiteira
  • RODRIGO MAIA (DEM-RJ) Presidente da Câmara dos Deputados teria recebido R$ 100 mil; seu codinome era 'Botafogo'
  • ELISEU PADILHA (PMDB-RS) O ministro-chefe da Casa Civil de Michel Temer seria o 'Primo' na lista da empreiteira baiana
  • MOREIRA FRANCO (PMDB-RJ) Secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investimentos, seria o 'Angorá' das planilhas
  • ROMERO JUCÁ (PMDB-RR) Senador e ex-ministro, seria o 'Caju'
  • EUNÍCIO OLIVEIRA (PMDB-CE) Senador, apelidado de 'Índio'
  • GEDDEL VIEIRA LIMA (PMDB-BA) Ex-ministro da Secretaria de Governo, apelidado de 'Babel'
  • EDUARDO CUNHA (PMDB-RJ) Ex-presidente da Câmara e ex-deputado, seria 'Caranguejo'
  • JAQUES WAGNER (PT-BA) Ex-ministro-chefe da Casa Civil de Dilma, seria o 'Polo'
  • DELCÍDIO DO AMARAL (ex-PT-MS) O ex-senador aparecia nas planilhas como 'Ferrari'
  • INALDO LEITÃO (PB) Ex-deputado, o 'Todo Feio' teria recebido R$ 100 mil
  • AGRIPINO MAIA (DEM-RN) Empresa teria destinado ao senador R$ 1 milhão
  • DUARTE NOGUEIRA (PSDB-SP) 'Corredor' aparece como beneficiário de R$ 350 mil
  • LÚCIO VIEIRA LIMA (PMDB-BA) Deputado, seria o 'Bitelo'
  • FRANCISCO DORNELLES (PP-RJ) Vice-governador do Rio, seria o 'Velhinho' nas planilhas
  • ARTHUR VIRGÍLIO (PSDB) Prefeito de Manaus teria recebido R$ 300 mil
  • CIRO NOGUEIRA (PP-PI) Senador seria o 'Cerrado'
  • HERÁCLITO FORTES (PSB-PI) Deputado, seria o 'Boca Mole' e teria recebido R$ 200 mil
  • GIM ARGELLO (DF) Ex-senador é o 'Campari'; teria faturado R$ 1,5 mi
  • PAES LANDIM (PTB-PI) Deputado, seria o 'Decrépito', teria levado R$ 100 mil
  • ANDERSON DORNELLES Ex-braço direito de Dilma, seria o 'Las Vegas'
  • LÍDICE DA MATA (PSB-BA) Senadora, seria a 'Feia'; teria recebido R$ 200 mil
  • JOSÉ CARLOS ALELUIA (DEM-BA) Deputado teria recebido R$ 300 mil e seria o 'Missa'

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Obras do Anel Viário chegam a fase final em ritmo acelerado

As obras da construção do Anel Viário, também chamada de Avenida do Contorno, chegam a fase final em ritmo acelerado. Com investimento superior a R$ 48 milhões, oriundos do Governo do Estado, por meio do Banco Mundial (Bird), a edificação tem como principal objetivo desafogar o intenso tráfego em Juazeiro, além de possibilitar, ao condutor, uma alternativa que não seja a Avenida Padre Cícero, via bastante saturada e que dá acesso ao município cratense e a região Centro-Sul do Estado.

Atualmente são mais de 230 trabalhadores e cerca de 60 máquinas em operação, no entanto, o número não é linear, conforme ressalta a Secretaria das Cidades do Estado. “Estes números variam de acordo com os serviços a serem executados no momento, podendo acrescer ou diminuir, conforme for a demanda”. Devido a construção dos dois viadutos, os quais cruzam a linha férrea na Avenida Paulo Maia, as atividades do Metro do Cariri foram interrompidas.

A expectativa é de que, com a conclusão do anel viário, problemas relacionados ao tráfego sejam minimizados. Juazeiro conta atualmente com uma frota superior a 100 mil veículos, conforme dados do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) e mais de 220 transportes alternativos – vans e ônibus – segundo Departamento Municipal de Trânsito (Demutran). Em época de romarias, cresce o número de caminhões e ônibus e o fluxo se intensifica, causando congestionamentos ainda maiores nas artérias centrais.

A ideia é disponibilizar uma rota alternativa que circule por fora do perímetro central. Contudo, para contemplar não somente a área central de Juazeiro, o Anel Viário têm ramificações em dois pontos estratégicos do município: na Avenida Padre Cícero, via de acesso para quem vem do Crato, e a Rodovia Padre Cícero, que dá acesso, por exemplo, a capital do Estado.

Fique por dentro
Ao fim da construção da Avenida do Contorno, serão 8,56 km de pista dupla, perfazendo um total de 17,12 km de rodovia simples. O projeto prevê, para cada rolamento, sete metros de largura, com canteiro central, bueiros, ciclovias, passeios acessíveis, iluminação, drenagem, construção de dois viadutos e sinalizações horizontal e vertical.

ANDRÉ COSTA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Justiça bloqueia R$ 1 milhão de ex-prefeito de Missão Velha

O juiz da Comarca de Missão Velha, Matheus Pereira Júnior, atendeu, na última terça-feira (06/12), ao pedido do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), formulado pela Promotoria de Justiça daquela Comarca e concedeu liminar que bloqueia os bens do ex-prefeito daquela cidade, Francisco Gidalberto Rodrigues Pinheiro, no valor de R$ 1 milhão de reais. A ação civil pública e de improbidade administrativa, proposta pelo promotor de Justiça Nivaldo Magalhães Martins, aponta irregularidades na aquisição de um terreno no município para construção de uma escola e apropriação ilícita do imóvel pelo ex-prefeito, onde hoje existe um loteamento particular.

O terreno de cerca de 267 mil m², localizado no bairro da Boa Vista e avaliado em R$ 180 mil reais, foi adquirido pelo município do então proprietário Luiz Mavinier Miranda Tavares. Foi apurado durante inquérito civil, por meio de documentos de processo do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), que uma terceira pessoa, Paulo Rafael da Cruz Vasques, que segundo a Promotoria de Justiça seria um “laranja” do ex-prefeito, comprou novamente o terreno pelo valor de R$ 50 mil reais, sem o conhecimento do proprietário. Ou seja, o município pagou o bem, mas a desapropriação não foi efetivada, ficando a propriedade em nome de uma terceira pessoa.

Na gestão municipal seguinte, a Prefeitura comprou novamente o terreno, desta vez uma fração menor, de 10 mil m² pelo valor de R$ 274 mil reais. Preço que, além de ter sido supervalorizado em menos de dois meses, foi pago duas vezes pela Prefeitura de Missão Velha. Ao questionar a Prefeitura sobre a questão, a Promotoria de Justiça recebeu um decreto de desapropriação e um laudo de avaliação, ambos forjados e faltando pedaços dos documentos, na tentativa de justificar o uso do dinheiro público. Os investigados apresentaram, ainda, fotos da escola que está atualmente em construção, mas que não foi iniciada por Gidalberto Rodrigues, mas sim pelo gestor municipal seguinte. Existe hoje, na propriedade em questão, onde seria inicialmente uma escola, um loteamento particular popularmente conhecido em Missão Velha como Loteamento de “Gidalberto”.

O magistrado deferiu o pedido liminar determinando a imediata indisponibilidade de valores, veículos e imóveis dos acusados, bloqueando o valor de R$ 1.003.366,00 em instituições financeiras. “A gravidade do fato indica que os possíveis envolvidos tenham experiência em ocultar bens subtraídos do patrimônio municipal e, em caso de procedência da ação, a reparação ao erário ficará prejudicada se não forem encontrados bens suficientes em poder dos responsáveis”, justificou o juiz. Como pedido final, a Promotoria de Justiça de Missão Velha requereu o ressarcimento integral ao erário do valor devidamente atualizado.

Assessoria de Imprensa/MPCE

Curta nossa página no Facebook



Paleontólogos fazem outra descoberta inédita no Cariri

Uma espécie inédita de inseto foi descoberta por pesquisadores da Universidade Regional do Cariri (Urca), durante escavação paleontológica, em Santana do Cariri, no Sul do Ceará. Trata-se do primeiro fóssil de um inseto encontrado na formação Romualdo, um grilo, do gênero Araripegryllus. Segundo os estudiosos, o material é de fundamental importância, pois demonstra a evolução dessa espécie nas transformações ocorridas, na era Cretácea, de mais de 110 milhões de anos.

De acordo com o coordenador do Laboratório de Paleontologia da Urca, professor doutor em Paleontologia Álamo Saraiva, o inseto já tinha sido descrito na formação Crato, em que 202 espécies já foram listadas. "Mas encontrar esse material na formação Romualdo, foi uma surpresa", disse.

Além do professor, os pesquisadores Luís Freitas e Geraldo Moura, ambos da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) do Departamento de Biologia, e Laboratório de Estudos Herpetológicos e Paleoherpetológicos, participaram da escavação e dos estudos posteriores a descoberta.

Inédito
De uma maneira geral, conta Álamo, os extratos dessa formação são todos de origem marinha. Já foram descobertos muitos peixes, caranguejos e camarões, "mas insetos, animais terrestres, nenhum havia sido descrito ainda". A espécie foi identificada entre os folhelhos, que são argilas escuras entre as concreções. Quando o material foi aberto, os estudiosos encontraram o que inicialmente achavam ser uma folha, mas depois percebeu-se ser um tipo de inseto.

Ainda existe materiais dessa escavação, que é a maior, de forma controlada, já realizada no Nordeste, sendo abertos. Conforme Álamo Feitosa, dessas argilas, mais dois camarões inéditos serão descritos, além de folhas de plantas que provavelmente serão de espécies novas. "Muitas coisas ainda espero encontrar porque, se existem invertebrados terrestres fossilizados nessas argilas da formação Romualdo, vamos dar atenção especial. Com certeza teremos mais surpresas", concluiu.

ANDRÉ COSTA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Estudo inédito revela o segredo da felicidade

Uma boa saúde mental e bons relacionamentos parecem ser a chave para a felicidade. De acordo com um estudo apresentado em uma conferência realizada pela London School of Economics (LSE) e pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), realizada em Londres, na Inglaterra, esses fatores tornam as pessoas mais felizes do que se sua renda fosse duplicada.

Para chegar a essa conclusão, pesquisadores da LSE, no Reino Unido, analisaram respostas de 20.000 pessoas sobre o impacto de diferentes fatores em seu bem-estar. Os que mais impactaram negativamente o bem-estar de uma pessoa foram questões psicológicas, como depressão e ansiedade. Por outro lado, estar em um relacionamento foi o fator que mais aumentou a felicidade.

“As pessoas precisam ser necessárias, e estar em relacionamentos significativos. A felicidade é extremamente afetada pelo ethos de uma sociedade, que afeta todos nela. Por exemplo, a felicidade é maior nas sociedades onde as pessoas confiam umas nas outras. Se aqueles que confiam nos outros aumentam de 0% para 100%, a felicidade aumenta em 1 ponto.”, escreveram os autores.

No estudo os pesquisadores se basearam em várias pesquisas internacionais já realizadas. Em uma escala de 1 a 10, a duplicação do pagamento de alguém aumentou sua felicidade em menos de 0,2 pontos. Já a existência de um parceiro fez a felicidade aumentar em 0,6. Por outro lado, perder um parceiro por separação ou morte teve o mesmo impacto negativo.

Para Richard Layard, coautor do relatório, a descoberta significava que o Estado precisa desempenhar um novo papel para a felicidade dos seus cidadãos – concentrando-se na “criação de bem-estar” e não na “criação de riqueza”. O estudo sugere que a eliminação da depressão e da ansiedade reduziria a tristeza das pessoas em 20%, em comparação com apenas 5% se os políticos se concentrassem na eliminação da pobreza.

“A evidência mostra que as coisas que mais importam para nossa felicidade e para nossa miséria são nossas relações sociais e nossa saúde mental e física. No passado, o Estado se preocupo sucessivamente com a pobreza, o desemprego, a educação e a saúde física, mas agora a violência doméstica, o alcoolismo, a depressão e as condições de ansiedade e a juventude alienada, são igualmente importantes.”, afirmou Layard.

Fonte: Veja.com

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Ex-prefeito é condenado a pagar multa de R$ 100 mil por improbidade administrativa

O ex-prefeito de Crato, Francisco Walter Peixoto (Waltim), foi condenado ao pagamento de multa civil no valor de R$ 100 mil por omissão na arrecadação de receitas, causando prejuízo de ordem financeira para o município. O valor deve ser pago no prazo máximo de 30 dias, após o trânsito em julgado.

O ex-gestor também deverá ressarcir integralmente o dano, a ser apurado em liquidação de sentença, além de ter suspenso os direitos políticos por cinco anos e está proibido de contratar com o Poder Público.

A decisão é do juiz Marcello Alves Nobre, titular da 1ª Vara Cível da Comarca de Crato, atuando pelo Grupo de Descongestionamento do Interior. Para o magistrado, “agir negligentemente na arrecadação de tributo ou renda caracteriza ato de improbidade administrativa”.

Conforme denúncia do Ministério Público do Ceará (MP/CE), o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), por meio de um levantamento técnico, apurou que durante a gestão do ex-prefeito, entre os anos de 2001-2004, houve percentual desprezível de arrecadação de receita comparado aos débitos inscritos na dívida ativa, que aumentaram de R$ 9.462.599,76 para R$ 11.611.517,48, ou seja, mais de 20%, enquanto as arrecadações dos valores inscritos não passaram de 1,63% ao ano.

Segundo o MP/CE, diante do percentual insignificante de arrecadação dos valores inscritos na dívida ativa, resta evidente, de forma clara, a omissão do ex-prefeito na arrecadação de receitas do município. O ente ministerial também reforça que o TCM não constatou nenhuma ação administrativa ou judicial realizada pelo ex-gestor visando a arrecadação dos créditos inscritos em dívida ativa.

Na contestação, Waltim alegou que a omissão na arrecadação de receitas ocorreu por força da carência da população local.

Nessa quinta-feira (8/12), ao analisar o caso, o magistrado acatou a denúncia do MP/CE para condenar o ex-prefeito. “Não há dúvidas, segundo os autos (2041-98.2008.8.06.0071/0), que a omissão do ex-prefeito, diante da não arrecadação de receitas inscritas em dívida ativa ocasionaram prejuízo financeiro ao Município do Crato,” destacou.

O juiz acrescentou que essa omissão deixa “evidente a ação deliberada de não promover a execução dos créditos tributários municipais, afastando a tese de carência da população”.

Fonte: TJCE

Curta nossa página no Facebook



VIII Festival das Flores de Holambra no Cariri prossegue até segunda-feira (12)

Com grande sucesso de público, o VIII Festival das Flores de Holambra prossegue até a próxima segunda-feira, 12, na praça Padre Cícero, em Juazeiro do Norte. O evento foi aberto no último dia 2 de dezembro, e nesta quinta-feira recebeu mais um contêiner de flores e plantas ornamentais, para atender a uma demanda de admiradores das variedades existentes, a exemplo das orquídeas. Este ano, a perspectiva é receber um público de mais de 20 mil pessoas até o final da feira. O local estará aberto todos os dias, das 8 horas às 20 horas.

Ao comprar as plantas e flores, os consumidores têm a oportunidade de contar com orientações de técnicos da forma mais adequada para o cultivo e forma de adaptação ao clima local. O Festival já se tornou um evento tradicional no calendário de eventos da cidade e região.

São cerca de 200 espécies de flores e plantas ornamentais. As remessas de flores e plantas trazem um colorido especial ao Cariri. O festival, já consolidado na região do Cariri, tem sido interessante nessa época do ano, para promover e fortalecer o turismo regional.  São oito anos como uma das mais importantes feiras de flores do interior do Estado, que tornou uma vitrine para os empreendedores do segmento.

Entre as vantagens de se adquirir nesse período as plantas e flores no Festival de Holambra, estão a fácil acessibilidade, preços mais em conta, com a venda direta da cidade de Holambra, em São Paulo ao consumidor caririense, formas facilitadas de pagamento, também no cartão de crédito, além das orientações técnicas dos próprios representantes da cooperativa de produtores.

O evento conta com a realização do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal, com o apoio da Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte e dos diversos apoiadores, que a cada ano tem contribuído com esse projeto beneficente. No local, as pessoas terão a oportunidade de tirar uma selfie num cantinho especial, onde poderão obter imagens cheias de cor e alegria, num espaço aconchegante.

Instagram: holambranocariri

Mais informações
Praça Padre Cícero - Centro
Juazeiro do Norte - CE
Informações: (88) 98812.5525



Brasília treme! Delator da Odebrecht implica Temer, Renan, Maia, Jucá e mais de 20 políticos

Um ex-executivo da empreiteira Odebrecht afirmou em acordo de delação premiada que entregou em 2014 dinheiro no escritório de advocacia de José Yunes, amigo e assessor do presidente Michel Temer.

O site de notícias BuzzFeed divulgou o material nesta sexta-feira (9). A Folha confirmou seu conteúdo e teve acesso às informações.

Os recursos, segundo a empreiteira, faziam parte de um valor total de R$ 10 milhões prometidos ao PMDB na campanha eleitoral naquele ano de maneira não contabilizada.

A informação foi dada por Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da empreiteira, na negociação de acordo com a Lava Jato.

Segundo ele, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, apelidado de "primo" pela empresa, foi quem orientou a distribuição de pelo menos R$ 4 milhões dos R$ 10 milhões acertados em um jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014, que contou com a presença de Temer e de Marcelo Odebrecht, herdeiro do grupo e preso em Curitiba.

Foi Eliseu Padilha, inclusive, segundo os termos da delação, que pediu para que parte dos recursos fosse entregue no escritório de Yunes, em São Paulo.

"Um dos endereços de entrega foi o escritório de advocacia do sr. José Yunes, hoje assessor especial da Presidência da República", diz trecho do documento.

Melo não apontou quem teria recebido o dinheiro entregue no escritório de Yunes em São Paulo.

Segundo ele, R$ 6 milhões dos R$ 10 milhões foram para a campanha de Paulo Skaf ao governo de São Paulo, em 2014.

Nas palavras do delator, Temer solicitou, "direta e pessoalmente para Marcelo", recursos para as campanha do PMDB em 2014. Segundo ele, o peemedebista se utilizava de "seus prepostos para atingir interesses pessoais".

O ministro da Casa Civil é classificado de "arrecadador" pelo delator.

Melo Filho não detalha quem entregou o dinheiro em cada lugar especificado por Padilha. A expectativa é que outros executivos da Odebrecht, sobretudo os ligados à chamada Área de Operações Estruturadas (que concentrava a verba de caixa dois e de propina a ser distribuída aos políticos), detalhem tais informações.

Moreira Franco, secretário de Parceria e Investimentos do governo Temer, também é chamado de arrecadador, mas "em menor escala". Melo diz ter conhecido Temer em 2005, por meio do ex-ministro Geddel Vieira Lima.

Políticos
Além de Eliseu Padilha e José Yunes, ao menos 20 políticos são citados, entre eles o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), apelidado de "justiça" pela empreiteira, Romero Jucá (PMDB-RR), o "caju", Eunício Oliveira (PMDB-CE), o "índio", Moreira Franco, chamado de "angorá".

De acordo com Melo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), apelidado pela empresa de "Botafogo", recebeu R$ 100 mil.

Segundo o delator, Jucá centralizou a distribuição de pelo menos R$ 23 milhões dentro do PMDB.

O senador é apontado como o "homem de frente" para negociar medidas no Congresso de interesse da Odebrecht.

Sobre o papel de Renan, o delator afirmou: "Acredito que em todos os casos que envolveram as atuações de Romero Jucá em defesa de pleitos da empresa, o senador Renan Calheiros também atuava no mesmo sentido".

Melo Filho disse às autoridades da Lava Jato que o jantar ocorreu no Jaburu como forma de "opção simbólica" para dar "mais peso" ao pedido feito por Temer e seus aliados.

Padilha, diz o ex-executivo, atua como "verdadeiro preposto de Michel Temer".

"E deixa claro que muitas vezes fala em seu nome".

Temer, no entanto, segundo o delator, atua de forma "mais indireta".

"Não sendo seu papel, em regra, pedir contribuições financeiras para o partido, embora isso tenha ocorrido de maneira relevante no ano de 2014."

Para corroborar suas afirmações de que era próximo da cúpula do PMDB, ele entregou às autoridades, por exemplo, comprovação de que visitou Temer, quando era vice-presidente, no dia 27 de junho de 2011, na companhia de Marcelo Odebrecht.

Outra informação dada pelo delator refere-se a um recado de Marcelo Odebrecht que ele diz ter dado a Temer: Graça Foster, então presidente da Petrobras, o questionou sobre pagamentos em nome da empresa a nomes do PMDB na campanha de 2010.

A Odebrecht assinou no dia 1º de dezembro o acordo de leniência com os procuradores da Lava Jato. No dia seguinte, foi concluído o processo de assinatura de acordos de delação premiada de 77 executivos do grupo.

Os dados integram os anexos da pré-delação e precisam ser ratificados em depoimentos. Para que as delações sejam homologadas pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki, os executivos precisam prestar depoimentos detalhando o que apresentaram de forma resumida na negociação, nos chamados anexos. Também terão que apresentar provas.

Entre os citados na delação do ex-executivo da empreiteira, apenas Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) tem doação direta da Odebrecht ou Braskem registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em 2010 ou 2014.

Lima recebeu contribuição oficial de R$ 30 mil da Braskem em 2014, segundo os dados divulgados pelo tribunal em seu site.

Outro lado
A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto disse que a contribuição de campanha acertada com o empresário Marcelo Odebrecht, no valor de R$ 10 milhões, foi feita por meio de transferência bancária e registrada na Justiça Eleitoral, referente à campanha eleitoral de 2014, e que não houve recebimento destes recursos em dinheiro.

Em relação ao assessor José Yunes, a assessoria disse que ele nega ter recebido da Odebrecht qualquer quantia em dinheiro na campanha de 2014 e que não se reuniu com Cláudio Melo Filho em seu escritório, em São Paulo.

O Palácio diz ainda que o presidente não se lembra da presença de Cláudio na reunião no Palácio do Jaburu, com o empresário Marcelo Odebrecht, quando foi acertada a doação de campanha da empreiteira para o PMDB.

O presidente também afirmou repudiar "com veemência as falsas acusações".

"As doações feitas pela Construtora Odebrecht ao PMDB foram todas por transferência bancária e declaradas ao TSE. Não houve caixa 2, nem entrega em dinheiro a pedido do presidente."

O ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) disse que não foi candidato em 2014 "Nunca tratei de arrecadação para deputados ou para quem quer que seja. A acusação é uma mentira! Tenho certeza que no final isto restará comprovado." O ex-ministro Geddel Vieira Lima afirmou que as doações da Odebrecht em suas campanhas estão declaradas à Justiça Eleitoral.

"É mentira. Reitero que jamais falei de política ou de recursos para o PMDB com o senhor Claudio Melo Filho", disse o secretário-executivo do PPI, Moreira Franco.

A assessoria do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que o senador jamais credenciou, autorizou ou consentiu que terceiros falassem em seu nome".

"Reitera ainda que a chance de se encontrar irregularidades em suas contas pessoais ou eleitorais é zero."

Em nota, a assessoria do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirma que todas as doações eleitorais recebidas foram legais e devidamente declaradas ao TSE.

"O deputado nega com veemência a acusação de ter participado de qualquer tipo de negociação com a Odebrecht para aprovação de medida provisória ou de outra proposta legislativa. Ele afirma que as declarações veiculadas pela imprensa são absurdas e que nunca recebeu nenhuma vantagem indevida para votar qualquer matéria."

O senador Romero Jucá (PMDB-RR) disse desconhecer a delação e nega ter recebido recursos para o PMDB.

Jucá também diz que todos os recursos da empresa ao partido foram legais e que ele, na condição de líder do governo, sempre tratou com várias empresas, mas em relação à articulação de projetos que tramitavam na Casa.

Em nota, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) disse que "nunca autorizou o uso de seu nome por terceiros e jamais recebeu recursos para a aprovação de projetos ou apresentação de emendas legislativas". "A contribuição da Odebrecht, como as demais, fora recebidas e contabilizadas de acordo com a lei. E as contas aprovadas."

O senador José Agripino Maia (DEM-RN) disse que não foi candidato em 2014 e que repele os fatos citados. O advogado do ex-deputado Eduardo Cunha, Pedro Ivo Velloso, disse que refuta "veementemente" qualquer suspeita relacionada ao tema. O deputado Heráclito Fortes confirmou ter recebido doações da Odebrecht em campanhas eleitorais, mas que todo o valor foi pago legalmente e registrado na Justiça Eleitoral.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Governo Federal autoriza repasse de R$ 47 milhões ao Ceará para combate à seca

O presidente Michel Temer assinou na tarde desta sexta-feira (9), juntamente com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, termo de compromisso para repassar R$ 47,1 milhões ao Ceará com o objetivo de reduzir os efeitos da seca no estado.

A transferência, no entanto, depende da aprovação do plano de trabalho do governo estadual pelo Ministério da Integração Nacional, que vai avaliar os itens propostos, tais como a compatibilidade das medidas e valores das obras solicitadas.

Entre as metas prioritárias está o restabelecimento da capacidade de bombeamento das estações elevatórias do Castanhão, Pacoti Auxiliar, Banabuiú e Itaiçaba; aproveitamento do sistema hídrico do Cauípe e do aquífero Dunas Taíba – Siupé; e a duplicação do sistema adutor do açude Maranguapinho.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Ceará zera fila e se torna o 2º estado que mais realiza transplante de córnea

O Ceará zerou a fila de espera por transplantes de córnea e atualmente é o segundo estado que mais realiza esse tipo de transplante no Brasil, segundo o Registro Brasileiro de Transplantes (RBT). Desde a implantação da Central de Transplantes, em 1998, foram realizados, no Estado, 8.624 transplantes de córnea, 1.183 em 2016.

“Fila zero” de córnea é uma meta estabelecida pela Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO) e indica a situação em que o paciente que precisar de um transplante não necessita esperar pelo tecido porque ele já está disponível para a cirurgia.

Nos últimos três meses, o Ceará realizou 437 transplantes de córnea: 136 em setembro, 161 em outubro e 140 em novembro.

Com taxa de 132,1 transplantes por milhão da população (pmp), o Ceará está entre os cinco estados, além do Distrito Federal, que ultrapassaram os 90 transplantes de córnea pmp.

Em outubro, o Ceará já registrava o maior número de transplantes de córnea realizados em um ano no Estado, superando os 831 transplantes de todo o ano de 2015. O número de transplantes de córnea ajudou o Estado a estabelecer novo recorde de transplantes de órgãos e tecidos.

"O grande diferencial deste ano foi o número de transplante de córneas. A implantação de novos bancos já colocou o Ceará em segundo lugar no transplante de córneas no Brasil”, comentou  a coordenadora da Central de Transplantes da Secretaria da Saúde do Estado, Eliana Barbosa.

Além do Banco de Olhos do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), funcionam atualmente o Banco de Olhos do Ceará, em Fortaleza, e o Banco de Olhos da Santa Casa de Misericórdia de Sobral. Eliana Barbosa também destaca a implantação do núcleo de captação de córneas na Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce).

Outros transplantes
Em relação a 2015, além de córnea, o Ceará também realizou este ano mais transplantes de pulmão, coração, medula óssea e esclera. Já são 1.722 transplantes realizados no ano, distribuídos em 229 de rim, 31 de coração, igualando o recorde anterior, de 2008, cinco de pulmão, 90 de medula óssea, sendo 65 autólogos e 25 alogênicos, 1.183 de córnea e sete de esclera. A lista de espera por transplantes tem 726 pacientes ativos – 15 para transplantes de coração, 145 de fígado, 7 de pâncreas/rim, um de pâncreas isolado, 4 de pulmão e 57 de córnea.

O Ceará, anualmente, fica entre os Estados que mais realizam transplantes de órgãos no país, com recordes sucessivos. Em 2013, com 1.365 transplantes no ano, foi batido o recorde anterior de 1.297 transplantes em 2011. Em 2014 foram 1.399 transplantes e, no ano passado, 1.433.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook



STF decide: Renan Calheiros continua na presidência do Senado

A maioria dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), em sessão nesta quarta-feira (7), votou a favor de manter Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência do Senado, com a ressalva de que ele fique impedido de substituir Michel Temer como presidente da República. Votaram desta forma seis dos nove ministros que participaram do julgamento, contra três que preferiam a saída imediata de Renan. Todos os votantes concordaram que Renan fica proibido de substituir Temer.

Votaram para manter Renan no cargo os ministros Celso de Mello, Teori Zavascki, Dias Toffoli, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski e a presidente do tribunal, Cármen Lúcia. Optaram - sem sucesso - pelo afastamento os ministros Marco Aurélio Mello, relator do processo, Edson Fachin e Rosa Weber. Os outros dois ministros do STF - Gilmar Mendes, que está em viagem no exterior, e Luís Roberto Barroso, que se declarou impedido de julgar o caso - não participaram da sessão.

O Supremo julgou a situação de Renan após o ministro Marco Aurélio Mello ter determinado em decisão liminar (provisória), na segunda-feira (5), o afastamento de Renan do cargo. A questão jurídica analisada era se um réu em processo criminal no Supremo pode ocupar cargo na linha de substituição do presidente da República. Renan é réu por peculato (desvio de dinheiro público), por decisão do próprio STF no último dia 1º.

A decisão de Marco Aurélio foi alvo de severas críticas por parte de políticos e até mesmo de colegas, como o ministro Gilmar Mendes. Renan, seguindo orientação oficial da Mesa Diretora do Senado, recusou a ordem judicial e ficou à espera de decisão final do Supremo, que saiu nesta tarde. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, era favorável ao afastamento e chegou a discursar na sessão desta terça-feira, antes dos votos dos ministros.

Entenda o caso
A ação que pedia o afastamento de Renan Calheiros da presidência do Senado, e que foi acatada por liminar provisória pelo ministro Marco Aurélio de Mello, foi movida pelo partido Rede Sustentabilidade.

A legenda usou em seu pedido uma decisão do próprio STF, de maio deste ano, que afastou Eduardo Cunha da presidência da Câmara dos Deputados. À época, o então deputado era réu em duas ações penais no Supremo, e a própria Rede solicitou seu afastamento da presidência.

O Supremo acatou, também a pedido da Procuradoria-Geral da República, que acusava Cunha de usar o cargo para atrapalhar investigações contra ele. O fato de Cunha ser réu e estar na linha de substituição do presidente da República foi um dos fatores considerados pelo STF.

Após o Supremo transformar em réu o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a Rede apresentou um novo pedido para que o STF determinasse também o afastamento dele do cargo.

O Supremo começou a julgar a ação da Rede no dia 3 de novembro, mas a sessão foi suspensa por pedido de vista do ministro Dias Toffoli, quando já havia maioria de seis votos (dos 11 ministros) a favor de impedir réus entre os substitutos do presidente da República. O caso voltou a ganhar força na semana passada, quando Renan Calheiros virou réu no STF por peculato.

Por que os réus não podem estar na linha de sucessão?
O argumento para impedir que réus no Supremo ocupem a presidência da Câmara ou do Senado vem da determinação prevista na Constituição Federal de que, se for aberto um processo penal contra o presidente da República por crimes comuns praticados no exercício do mandato, o presidente fica afastado do cargo por 180 dias.

O dispositivo é semelhante ao do processo de impeachment, onde também há o afastamento do presidente. A diferença é que, no impeachment, o presidente é julgado pelo Senado por acusação de crime de responsabilidade, que são crimes de natureza política e administrativa.

A questão ganhou maior relevância após o impeachment da presidente Dilma Rousseff, consumado em agosto.

Após o vice-presidente Michel Temer ser alçado a titular do cargo, os presidentes da Câmara e do Senado passaram a ser seus substitutos imediatos.

A linha de sucessão do presidente é composta, nessa ordem, pelo vice, pelo presidente da Câmara dos Deputados, pelo presidente do Senado Federal e pelo presidente STF.

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook



PF prende prefeito eleito e três secretários por suspeita de fraude no CE

O prefeito eleito da cidade de Mulungu foi um dos presos na Operação Três Climas, deflagrada nesta quarta-feira (7) pela Polícia Federal no Ceará, com apoio da Controladoria Geral da União (CGU), por suspeita de fraudes no serviço de transporte escolar. Além dele, um ex-secretário e três secretários de educação de prefeituras do interior do estado também foram presos.

A assessoria do prefeito eleito disse que "está esperando saber o teor do processo para se manifestar".

Ao todo, foram cumpridos sete mandados de prisão preventiva, três mandados de prisão temporária, seis mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para depor, e 24 mandados de busca e apreensão nas cidades de Ocara, Itapipoca e Pacajus.

A PF informou que realizou a operação nesta quarta porque era data da diplomação do novo gestor, Robert Viana, do PMN. Caso ele fosse preso depois da diplomação, conquistaria foro privilegiado. O prefeito eleito é sócio de uma das duas empresas envolvidas nas fraudes, que rpestava serviço em vários segmentos. A polícia não divulgou o nome dos secretários.

A polícia destaca que somente uma das empresas contratadas pelas três prefeituras superfaturou os serviços de transporte escolar em mais de R$ 10 milhões. Os contratos sob suspeita foram celebrados entre 2012 e 2015. Os crimes investigados são de peculato, corrupção ativa, corrupção passiva , fraude em licitação, dispensa indevida de licitações , associação criminosa  e lavagem de dinheiro.

Como funcionava o esquema
Segundo o delegado Carlos Joecio Duarte de Holanda, o serviço de transporte escolar contratado era superfaturado. As rotas eram superdimensionadas e as empresas contratadas pelas prefeituras para execução direta subcontratavam o serviço, pagando valores muito inferiores ao que recebiam das prefeituras envolvidas, entre outras irregualdidades.

Segundo a PF, a fraude envolvia especialmente os repasses federais destinados a ações de Transporte Escolar na Educação Básica (PNATE) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Participam da operação 107 policiais federais, contando com o  acompanhamento de integrantes da Controladoria-Geral da União.

Irregularidades
Fiscalização da CGU em Ocara apontou irregularidades na execução de serviços de transporte escolar, incluindo fraudes em licitação e subcontratação integral das rotas concedidas, superdimensionamento de rotas, veículos em péssimo estado de conservação e desvio de cerca de R$ 2 milhões entre 2013 e 2015.

A apuração identificou ainda o desvio de recursos públicos em obras custeadas com convênios firmados com os Ministérios do Turismo e dos Esportes no município de Ocara. Houve irregularidades na construção de estádio municipal e de quadra esportiva, fraudes em licitação e atuação de um dos sócios da empresa investigada na condição de fiscal da obra executada pela própria construtora.

Já em Pacajus, a fiscalização identificou restrição indevida de competitividade em certames licitatórios realizados nos anos de 2013 e 2015; subcontratação de 86,20% do serviço de transporte escolar concedido à empresa investigada; desvio de R$ 1,3 milhão apenas nos anos de 2013 e 2015; superdimensionamento das rotas; veículos em péssimo estado de conservação; e adiamento de contrato com burla à exigência de licitação.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook



O que jamais dizer a uma pessoa com câncer

Mesmo que a intenção seja ajudar, há coisas que não devem ser ditas para quem sofre de câncer. Frases como “não se preocupe, vai dar tudo certo”, “quando terminar a quimioterapia, vai estar bem melhor”, “eu tenho um conhecido que teve um câncer muito parecido, e viveu mais de 80 anos” ou “não se preocupe, tudo vai estar bem”, frequentemente usadas por quem interage com pacientes de câncer devem ser evitadas. Nesse caso, ações e ofertas de ajuda podem valer mais que palavras de esperança, de acordo com a BBC Brasil.

Segundo Stan Goldberg, professor de comunicação da Universidade Estadual de San Francisco, nos Estados Unidos, ainda que as intenções sejam as melhores possíveis, muitas vezes o que é dito é exatamente o que o paciente não quer – ou não precisa – ouvir.

“O paciente não quer que você o anime. Não quer que lhe diga que tudo vai ficar melhor quando, na realidade, as pessoas não têm a menor ideia de qual é o alcance ou o diagnóstico do câncer”, disse Goldberg, à BBC.

O professor enfrenta uma forma agressiva de câncer de próstata e se define como “um sobrevivente do câncer” e um amante da flauta de bambu japonesa. Ele também é autor do livro Loving, Supporting, and Caring for the Cancer Patient (“Amando, apoiando e cuidando de um paciente com câncer”).

Ainda para ele, falar do câncer de outras pessoas não ajuda em nada o paciente porque “isso não te diz nada já que não sabem exatamente que tipo de câncer têm”. Conselhos que começam com “se eu estivesse em seu lugar” também não costumam funcionar já que “uma pessoa não sabe pelo que a outra está passando”.

“As pessoas com câncer vivem em um mundo diferente de uma pessoa sadia. Percebem as coisas de forma diferente”, afirma. Por esta razão,  é difícil saber o que sente e pensa um paciente. Em vez de julgar ou de tentar animar o outro, é preciso simplesmente aceitar.

Ações valem mais que palavras
Embora os pacientes entendam que as pessoas querem demonstrar compaixão e apreço com as palavras, Goldberg afirma que focar em palavras e não oferecer ajuda para coisas práticas no dia a dia é um erro comum. “É preciso pensar no que a pessoa enferma precisa e essa deve ser a chave da interação”, explica o especialista.

Ao oferecer ajuda, também é importante ser prático e específico. Goldberg sugere, por exemplo, oferecer para ir com a pessoa ou fazer as compras para ela, para que não fique ainda mais cansada. Perguntar à pessoa o que ela quer, pode não ser uma boa ideia.  “Isso é muito mais significativo que qualquer coisa que você possa falar”.

E quando lhe descrevem um procedimento médico, ficar calado e ouvir é uma boa alternativa. Responder que já leu algo na internet sobre o tema não acrescenta muito. O importante, esclarece Goldberg, é deixar que o paciente conduza e dite os rumos da conversa.

Experiência própria
Embora muitas das recomendações de Goldberg estejam fundamentadas no senso comum, ele aprendeu na prática a melhor forma de agir com pacientes de câncer. “Tudo começou há uns 20 anos, quando uma amiga me chamou e me disse que tinha um câncer de mama (estágio 4). Não sabia o que dizer. Reagi como todo mundo, dizendo ‘sinto muito'”. Mas logo, percebeu que isso era o mais sem graça que se podia dizer diante da situação. “Expressava minha solidariedade, mas não ajudava em nada”.

O diálogo com a amiga o fez refletir sobre o tema. Anos mais tarde, quando ele foi diagnosticado com câncer, recebeu dos amigos a mesma resposta que havia dito à amiga no passado. Sua experiência como paciente e como voluntário em hospitais permitiu que Goldberg aprendesse como se relacionar de uma maneira mais positiva com quem está doente.

“A chave é julgar menos, aceitar mais. Falar menos e escutar. Se faz isso, você terá menos problemas em saber o que é ofensivo e o que não é.”, finalizou.

Fonte: Veja.com

Curta nossa página no Facebook



Confira oportunidades de trabalho em Crato e Juazeiro do Norte

A Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social do Ceará (STDS) divulgou nesta quarta-feira (7) oportunidades de trabalho disponíveis em Crato e Juazeiro do Norte. Os interessados devem dirigir-se à unidade do SINE/IDT da sua cidade. As informações sobre vagas não são dadas por telefone.

O Sine/IDT alerta que todas as oportunidades estão sujeitas à alteração. A lista de empregos foi levantada de acordo com informações apuradas às 8h30 desta quarta-feira.

CRATO
Rua Monsenhor Esmeraldo, 686 – Centro - Fone: (88) 3102.1240
  • Almoxarife 01
  • Marceneiro 01
  • Rebitador, a mão 01
  • Torneiro repuxador 01

JUAZEIRO DO NORTE
Rua Interventor Francisco Erivano Cruz,120 - Centro - Fone: (88) 3572.4744
  • Analista de laboratório químico 01
  • Auxiliar em saúde bucal 01
  • Chefe de cozinha 02
  • Empregado doméstico nos serviços gerais 01
  • Modelista de roupas 01
  • Passador de roupas 01
  • Supervisor de vendas comercial 01
PESSOA COM DEFICIÊNCIA
  • Auxiliar de almoxarifado 01
Curta nossa página no Facebook



Aplicativo brasileiro promete ajudar no tratamento da ansiedade

Pense bem, qual seu maior medo? Contrair uma doença, andar de avião, ir ao dentista ou falar em público? Se você escolheu a última opção, saiba que não está sozinho. Esse é um dos maiores temores da humanidade – maior até que o próprio medo de morrer.

O número de pessoas nem sempre importa, encarar uma plateia enorme ou um pequeno grupo de pessoas para apresentar as suas ideias não é uma missão simples. Aliás, interagir e se comunicar é uma tarefa nada fácil. Recentemente, o Pew Research Center perguntou a mais de 3 mil pessoas quais são as habilidades necessárias para uma criança se desenvolver nos dias de hoje e 90% dos entrevistados respondeu “capacidade de comunicação”.

Pensando nisso, nas limitações da vida de alguém com fobia social e nos inúmeros casos que atendia em seu consultório, o psiquiatra brasileiro José Hamilton Vargou criou, em parceria com o desenvolvedor Diego Dotta, o Youper – um aplicativo para ajudar pessoas com problemas de ansiedade, timidez e fobia social. O gadget foi construído com base em pesquisas de Terapia Cognitivo Comportamental, uma das vertentes psicológicas mais eficazes no tratamento de ansiedade, e está disponível em inglês e português em versões para Android e IOS com planos semanais de R$25.

Ao contrário da maioria dos apps do gênero, o Youper não é uma conversa de chat em que a pessoa conta seus medos e recebe o retorno de um profissional. Afinal, partindo do pressuposto de que você baixou algo para superar sua dificuldade em se comunicar, a última coisa que você deseja é, de fato, falar com alguém, não é mesmo? Por isso, ele funciona como uma plataforma personalizável em que cada um é testado e estimulado através de dicas e tarefas para bater de frente com suas frustrações.

Quando o usuário baixa o Youper, ele responde um questionário para medir o nível de habilidade social e também escolhe algumas situações que gostaria de se sentir mais confiante.

Essa avaliação comportamental segue os parâmetros de um teste de ansiedade social criado na Duke University, nos Estados Unidos. Através dos resultados obtidos nesta fase, os desenvolvedores do Youper perceberam que as circunstâncias mais temidas pelas 11 mil pessoas que já utilizaram o app são: parecer estúpido em algum evento social, fazer uma apresentação para uma plateia e falar com pessoas desconhecidas.

Depois que o usuário cumpre essas duas etapas, vai recebendo atividades para desafiar suas limitações e dicas práticas como treinamentos para respiração e táticas para não cair em pensamentos negativos. De tempos em tempos, a pessoa é convidada a refazer o teste de habilidade social para acompanhar a evolução.

Estima-se que metade da população mundial tenha algum grau de timidez e que 12% sofra de fobia social, mas menos de 10% delas chegam a ter algum tipo de acompanhamento psicológico ou diagnóstico. “Falta de informação e alto custo são as maiores barreiras para que essas pessoas superem a ansiedade social. No Youper, como uma ferramenta pessoal podemos estar com o nosso usuário 24 horas por dia, sete dias por semana. Isso é algo muito poderoso para ampliar a resposta a qualquer tratamento. E se o usuário também estiver se tratando com medicamentos e terapia, o aplicativo será mais um aliado de peso”, afirma Dr. José Hamilton Vargas.

Fonte: Superinteressante

Curta nossa página no Facebook



Kings Of Leon - Use Somebody




Aposentadoria vai mudar: o que fazer se não se preparou (jovem ou velho)?

Com a proposta de reforma na Previdência, que estabelece 65 anos de idade mínima, acaba o sonho de se aposentar mais cedo, com um valor que garanta a sobrevivência.

Você, jovem ou velho, não se preparou para ter um complemento à aposentadoria oficial? Leia este texto: o UOL ouviu especialistas que dão dicas do que fazer conforme a sua idade.

Para o professor de Finanças do Insper, Ricardo Humberto Rocha, quem chegar aos 60 anos sem nenhuma reserva, terá de cortar radicalmente os gastos, reduzir o padrão de vida e procurar novas alternativas de renda, como trabalhar como professor, com consultoria, ou arranjar outros tipos de emprego.

"Depois dos 55 anos, fica muito difícil conseguir se recolocar no mercado de trabalho, a não ser que tenha uma qualificação que já permita isso", diz. "Se não juntou nada, ela terá de se reinventar."

A alternativa a trabalhar até o fim da vida é seguir a fórmula da economia: terá de economizar parte do que ganha para formar uma poupança, ainda que comece tarde. Se a pessoa gasta todo o dinheiro que recebe, terá de buscar dois caminhos: cortar despesas e/ou aumentar os ganhos.

Classe média tem risco de passar fome na velhice
O planejador financeiro Augusto Saboia, da Saboia Advisors, afirma que, para 70% da população brasileira, a atual aposentadoria garantida pelo INSS é suficiente.

"Cobre perfeitamente a necessidade das pessoas que ganham até dois salários mínimos. Quem vai ter de se preocupar com a aposentadoria é quem está na classe média, que não é rico. Essas pessoas terão de aprender a reduzir os custos para poder economizar dinheiro e não passar fome na velhice."

O educador financeiro Reinaldo Domingos, presidente da Dsop Educação financeira, afirma que o ideal é que a pessoa faça a sua autoprevidência sem contar com o INSS. "Apague o INSS da cabeça, porque não dá nem para dizer se ele vai sobreviver 30 anos e de que maneira estará. Se receber lá na frente, ótimo, terá um valor a mais".

Veja como cortar gastos agora
Qualquer que seja a idade, o primeiro passo para começar a se programar para a aposentadoria é fazer um planejamento financeiro.


Segundo Domingos, é possível cortar de 20% a 40% dos gastos mensais fixos. "A faxina financeira deve abranger todos os gastos, desde o consumo de energia, água, telefone, gás, supermercado, feira, vestuário. Vale a pena trocar consumo não consciente pela poupança para realizar o sonho da aposentadoria", diz.


Segundo Domingos, o valor a ser acumulado é o dobro da necessidade. Se precisa de R$ 5.000, deve economizar para ter um rendimento mensal de R$ 10 mil por mês, para que retire a metade e reaplique o valor mensalmente, para que, dessa forma, o valor nunca acabe.


Onde investir
O professor Rocha fez algumas sugestões de investimento para quem quer planejar sua aposentadoria. O ideal é separar até 20% do rendimento líquido para investir. "A pessoa pode optar por acumular tudo em reserva de dinheiro ou diversificar também em patrimônio, como a compra de imóveis ou até mesmo a sociedade em empresas", diz. As sugestões a seguir são para quem deseja aplicar o total acumulado em investimentos. Veja como dividir:

Dos 20 aos 30 anos
  • 50% em Tesouro IPCA+ com prazo de 10 anos (papéis do Tesouro atrelados à inflação que pagam uma taxa de juro prefixada mais a variação da inflação medida pelo IPCA)
  • 10% a 25% em ações (dependendo do perfil de risco). De preferência, ações de empresas sólidas que paguem bons dividendos
  • Restante em papéis de renda fixa, tais como Tesouro Selic, CDBs, fundos de investimento
Dos 30 aos 40 anos
  • 50% em Tesouro IPCA+ com prazo de 10 anos
  • De 5% a 10% em ações (dependendo do perfil de risco – moderado a arrojado)
  • De 5% a 10% em fundos imobiliários (indicado para quem tem interesse em aplicar em imóveis mas quer diminuir o risco do investimento na compra de um único imóvel)
  • Restante em papéis de renda fixa, tais como Tesouro Selic, CDBs, fundos de investimento
Dos 40 aos 50 anos
  • 25% em Tesouro IPCA+ com prazo de 10 anos
  • 5% em ações (se já estiver acostumado a investir nessa modalidade)
  • 10% a 15% em fundo imobiliário
  • Restante em papéis de renda fixa, tais como Tesouro Selic, CDBs, fundos de investimento
Dos 50 em diante
  • 80% em ativos de grande liquidez na renda fixa, tais como Tesouro Selic, CDBs, fundos de investimento
  • 10% a 20% em Tesouro IPCA+ com prazos abaixo de 10 anos
  • 10% a 20% em fundos imobiliários
Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook



Veja 6 coisas vergonhosas que todos nós fazemos e as explicações para isso

Caso ninguém nunca tenha dito isso antes: você é um ser humano, uma pessoa, um animal inteligente capaz de pensar, de se emocionar e de publicar fotos no Instagram. É isso o que você é. Você mente, de vez em quando, e diz que ama aquele livro do Dostoiévski; você anda pela rua pensando no que precisa fazer e, de repente, percebe que está falando sozinho; você programa a soneca do celular para garantir mais 5 minutos de sono e acaba perdendo a hora todos os dias. É isso.

Você é um ser humano, mas de vez em quando você sente vergonha de ser um ser humano, já reparou? De vez em quando você se reprime quando percebe que está fazendo alguma coisa que qualquer pessoa do mundo faz também. E a ciência está de olho nisso. Portanto, pare de paranoias e entenda por que você faz algumas coisas que considera vergonhosas:

1 – Falar sozinho
Quem nunca? Você faz algo sem sentido e, sem nem reparar, está xingando a si mesmo – e em voz alta. Se alguém está ao seu lado, você começa a se sentir um verdadeiro maluco e a pessoa que ouviu você falando pode até achar graça, mas ela faz isso também.

Da próxima vez que você se sentir mal por ser flagrado falando sozinho, diga ao estranho que estiver perto de você que a Ciência provou que pessoas que falam sozinhas têm melhores desempenhos escolares. É lógico que a pessoa pode achar que você é ainda mais maluco, mas a informação é verdadeira. Falar sozinho significa que a pessoa é focada e alerta.

2 – Repetir histórias
Seus amigos podem começar a achar chato quando você começa a contar a mesma história, mas eles não sabem que a Ciência já provou que é muito fácil lembrar que se contou uma história e muito mais difícil lembrar para quem a história foi contada. Sem paranoia, então, por favor. Às vezes você nem é repetitivo; só esquece para quem contou a fofoca do dia.

3 – Derrubar o celular na privada
Convenhamos, deixar seu smartphone cair nem deveria ser considerado constrangedor, não é mesmo? Em tempos nos quais todo mundo está o tempo todo com um celular em mãos, a probabilidade de ver alguém derrubando seu brinquedinho é sempre bem grande.

O que parece ser mais constrangedor é derrubar um celular na privada, mas pesquisas indicam que uma em cada cinco pessoas já derrubou seu celular no local menos bacana de todos. Nessa altura do campeonato precisamos retomar a ideia de que as pessoas usam seus celulares em todos os momentos – mesmo – e é isso, e apenas isso, o que faz com que muitos aparelhos se percam dessa forma tão cruel. Chega de vergonha. Acontece.

4 – Sim, eu li aquele livro
“Eu vi aquele filme, eu conheço aquela banda”. A questão aqui é que todos nós temos a necessidade de parecermos espertinhos de vez em quando e, para isso, às vezes acabamos apelando para a mentirinha. Um dos filmes mais vistos – só que não, se é que você entende – é a trilogia “O Poderoso Chefão”, que muita gente ama, comenta e recomenda. Sem nem saber qual é o roteiro.

5 – Puxe ou empurre?
Você segue confiante em direção à porta da loja de conveniência daquele posto perto da sua casa e empurra a porta que só funciona quando puxada. É lógico que você pensa em sumir e, de vez em quando, até finge que atendeu o celular e começa a forjar uma conversa para passar despercebido. Fique tranquilo, isso é um problema que afeta a todos.

6 – Cantando errado
“Na madrugada vitrola rolando um blues, trocando de biquíni sem parar” ou ainda “amarelo deserto e seus temores” são grandes clássicos errados na cabeça e no gogó de muita gente. O fato é que, quando conversamos com alguém, entendemos o que essa pessoa diz graças aos movimentos que ela faz com os lábios e, claro, ao som que isso produz.

Na música, perdemos esse contato visual e, se entendemos errado, acabamos guardando a letra daquela maneira, até porque é mais fácil se lembrar de algo musicalizado do que simplesmente falado. Então, fique tranquilo, você não é o único.

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook



Calvin Harris & Disciples - How Deep Is Your Love




Aposentadoria rural seguirá novas regras da Previdência

A aposentadoria rural vai seguir o plano de reforma da Previdência apresentado pelo Palácio do Planalto nesta terça-feira (6/12). O plano estabelece idade mínima de 65 anos para homens e mulheres se aposentarem e tempo mínimo de contribuição de 25 anos, de acordo com o secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano.

A regra valerá para homens com idade inferior a 50 anos e mulheres com menos de 45 anos, mas para o trabalhador rural as especificidades serão definidas em lei. “A contribuição passa a ser individual e obrigatória, mas há especificidades do rural (sic) que vamos respeitar”, disse o secretário.

"Estamos estabelecendo uma contributividade rural com base individual, mas vai ter uma alíquota diferenciada. Não existe essa alíquota hoje e nem existe na própria PEC essa alíquota. Isso vai ser definido em lei”, disse.

O secretário esclareceu que o plano se refere aos trabalhadores do campo. “O rural (sic) que eu estou falando não é da grande empresa, é aquela pessoa que tem uma economia familiar que a gente chama de segurado especial.” De acordo com Caetano, haverá condições de pagamentos diferenciadas.

Enquanto não houver a definição com a promulgação da PEC, as regras atuais permanecem. Atualmente, o trabalhador rural é segurado especial. Ele pode contribuir, mas é contemplado por um regime que garante a aposentadoria rural para quem não contribuiu. "Hoje no rural pode (sic) exercer uma atividade sem contribuição, mas com o benefício. Vamos exigir uma contribuição baixa", disse o secretário.

Fonte: Globo Rural

Curta nossa página no Facebook



Chapada do Araripe se mantém verde, mesmo com cinco anos de seca

Na baixa estação, o Caldas recebe cerca de oito mil
pessoas por mês. Entre os meses de junho a outubro,
este número salta para 20 mil (Foto: André Costa)
Quando se fala em "Oásis do Sertão", é fácil pensar na região do Cariri cearense. A lembrança quase instantânea tem uma razão. Mesmo diante dos cinco anos consecutivos de estiagem, que constitui a maior seca das últimas décadas no Estado, o Cariri não perdeu seu verde marcante. Nem mesmo suas centenas de fontes naturais, algumas delas termais, secaram.

A explicação, segundo análise da doutora em Recursos Hídricos e professora da Universidade Federal do Cariri (UFCA), Celme Torres, está na formação geológica da Chapada do Araripe. A região é beneficiada pela maior reserva de água subterrânea do Ceará, a Bacia Sedimentar do Araripe, cuja área total é de 11 mil quilômetros quadrados. "Nessa região, o relevo é constituído por dois domínios principais, planalto e depressão, conhecidos como Chapada do Araripe e Vale do Cariri, respectivamente", informa a professora.

"Toda essa potencialidade de água é devido à presença da Chapada do Araripe, que, pela sua formação sedimentar, transmite e armazena água com facilidade. Temos, na região, poços profundos, com vazões que variam de 5 a 150 metros cúbicos por hora, com profundidades que vão de 50 a 300 metros", acrescenta a engenheira civil, explicando que os recursos hídricos dependem das influências morfoestruturais e climáticas da região em que se localizam.

Acúmulo de água
Ainda segundo Celme, na região da Chapada do Araripe, onde está localizado o Cariri, a alta permeabilidade das rochas sedimentares limita o escoamento superficial e favorece a alimentação dos aquíferos, compensando a escassez ou ausência de rios pelo maior potencial de águas subterrâneas.

"A região se apresenta com baixa capacidade de acumulação de águas superficiais, mas, por outro lado, possui uma potencialidade enorme de águas subterrâneas, fato comprovado pela quantidade de fontes existentes na região. São 252 fontes naturais ao longo de toda extensão da chapada do Araripe", observa a professora.

O chefe da APA Chapada do Araripe e analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Paulo Fernando Maier Souza, reforça explicando que a bacia é diferente da predominante no Nordeste. Conforme detalha, a bacia sedimentar confere à região uma característica peculiar destes ambientes, que é a permeabilidade do material, permitindo a infiltração da água e formação de três aquíferos com interligação entre eles, os quais atuam como bolsões de água subterrânea.

"Esta água que infiltra, escorre de forma subterrânea e ao encontrar pontos de contato com o exterior extravasa formando as conhecidas surgências, fontes ou nascentes que formam cursos d'água que foram modificados ao longo do tempo criando as levadas, ou seja, pequenos canais que conduzem a água para abastecimento humano, agricultura, dessedentação animal e outros", diz. Maier explica, ainda, que onde existe o embasamento cristalino há predominância de estoque de água acessado por poços ou barramento da água subterrânea.

Turismo
Essa privilegiada formação geológica gera uma beleza natural singular, que atrai milhares de turistas anualmente. Em Barbalha, na Região Metropolitana do Cariri (RMC), estão dois dos principais clubes. Cravado no meio da Chapada do Araripe, o Balneário do Caldas oferta aos visitantes bicas, piscinas e cinco fontes naturais de águas termais à temperatura de 26º C, além de quadras poliesportivas, restaurantes e hotéis.

Na baixa estação, o parque recebe cerca de oito mil pessoas por mês. Entre os meses de junho a outubro, este número salta para 20 mil. "Em novembro, recebemos o maior público, com cerca de 40 mil pessoas ao longo do mês", pontua João Bosco Sá, diretor do Caldas.

O complexo turístico Arajara Park, um parque aquático ecológico, localizado no distrito de Arajara, a 920 metros de altitude, é outro que impressiona devido à quantidade de área verde e fontes naturais.

Uma das principais está na Caverna do Farias, uma gruta com cerca de 100 milhões de anos, onde existem registros de vida pré-histórica e de onde jorram cerca de 200 mil litros de água por hora, uma das principais fontes de água mineral da Chapada.

ANDRÉ COSTA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



ShareThis