Consecutivas secas têm feito produtor rural buscar alternativas para poder produzir

As consecutivas secas têm feito com que o pequeno produtor rural busque debater alternativas para poder produzir, mesmo em pequenas áreas. Há cidades em que a situação é bem mais preocupante, inclusive para o abastecimento humano, dependendo de carros-pipa. Esse é o caso de Salitre. No caso de abastecimento, a cidade de Caririaçu conta com as águas do açude São Domingos II, com um pouco mais de 6% de sua capacidade e uma das realidades mais críticas.

Para se ter uma ideia da situação, sociedade civil, os poderes públicos e companhias voltadas para o monitoramento, tiveram que se reunir para debater alternativas e a cidade não ficar sem água. No início do segundo semestre, a previsão era que Caririaçu vivenciasse uma situação de colapso do abastecimento. Os estudos da Cogerh mostravam que isso poderia ocorrer no mês de outubro. Um intenso processo educativo foi feito, para minimizar, na medida do possível, o nível de operacionalização do açude. Chegou-se à constatação que haveria diminuição na operação de 30 litros por segundo, para 15. Só assim foi possível continuar operando até este mês. Até o momento, com as chuvas escassas e previsões de inverno ainda incertas, a preocupação continua em relação à situação, e os níveis continuam baixos. Com 27 mil habitantes, a cidade enfrenta a menor média histórica de reserva hídrica.

Uma das alternativas para possibilitar o abastecimento é construção de uma adutora, mas o projeto sequer estará pronto a tempo de atender à população. Deverão ser investidos cerca de R$ 19 milhões. A possibilidade é de direcionar para Caririaçu as águas do Manoel Balbino, conhecido com açude dos Carneiros, em Juazeiro do Norte.

Este mês, haverá uma interligação de canos para uma parte mais funda do açude, no intuito de melhorar a qualidade da água para a população. Outra proposta é o sistema de abastecimento com carro-pipa.

Inativo
Na serra do Cruzeiro, em Santana do Cariri e quase na divisa do município de Araripe, uma dificuldade se arrasta há cerca de 12 anos. Em tempos de seca, a situação fica mais crítica, com a falta de água potável. Um poço que poderia atender há mais de 500 famílias, em várias comunidades, está inativo. Moradores convivem com a estiagem. A água para beber e cozinhar provém dos carros-pipa, mas poderia ser bem mais fácil, caso fosse adquirida uma bomba para o poço de mais de 500 metros, cavado há mais de uma década, numa área que antes era inimaginável um poço profundo.

Outra facilidade para que o sonho dos moradores da localidade se tornasse realidade foi a inclusão de energia elétrica, por meio do Projeto Luz Para Todos. O proprietário de terra na serra do São Gonçalo, Jose Luiz dos Santos, resolveu contar o drama dos moradores em uma carta, e enviou para o Governo Federal. Segundo ele, o projeto foi do governo do estado em parceria com o Governo Federal. Mas até o momento, não aparecem os responsáveis pelo projeto.

Segundo Santos, pelo menos se houvesse a iniciativa de construir um chafariz na área, já seria uma grande conquista. Todas as comunidades do entorno, fica a cerca de 4 quilômetros. "Algumas dessas pessoas, de poucos recursos, precisam obter água com até 18 quilômetros de distância e a dependência política para isso acaba sendo uma realidade na vida desses agricultores", diz ele. Ele afirma que a bomba deve puxar água de mais de 500 metros de profundidade. "Não é uma bomba simples, segundo informações dos técnicos da área é um equipamento importado dos Estados Unidos", explica. Comunidades como as serras do Cruzeiro, Canafístula, São Gonçalo, Salgado, dentre outras, estariam sendo beneficiadas com o poço.

O morador da serra do São Gonçalo, Antônio Apolinário, sobrevive com a água da cisterna, abastecida uma vez por mês pela Defesa Civil. Ele tem 11 filhos e afirma que há muitos anos não se via tanta seca na localidade.

O que plantou perdeu com a falta de chuva na área. "Se a água desse poço chegar, não vai ter coisa melhor para nós", diz ele, com a esperança de ser um dos beneficiados com água encanada, há 9 quilômetros de sua residência.

Já Salitre é uma das localidades que mais vem sofrendo com o problema de desabastecimento d'água na região. O poço da serra do Desapregado, e Araripe, seria a solução para o abastecimento, segundo o prefeito Rondilson Pereira, do PT. Para isso, deve ser construída uma adutora do Poço PP4 com extensão até a cidade. A grande dificuldade também refere-se à compra de uma bomba de alta potência para fazer a água chegar até o município. Há uma ação civil pública, do MP, solicitando que a Cagece resolva a questão.

Mais informações
Prefeitura Municipal de Santana do Cariri
Rua 11 de Janeiro, S/N
Centro
Telefone (88) 3545.1175

ELIZÂNGELA SANTOS
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste


Sua saúde: Médicos gêmeos testam dietas da moda e listam prós e contras

Para comparar a eficácia de duas das principais dietas da moda, os irmãos gêmeos britânicos Alexander e Chris Van Tulleken - que também são médicos - decidiram viver na pele as provações e os desafios de cardápios extremamente restritivos.

Com o acompanhamento de uma nutricionista, Alexander cortou totalmente os carboidratos (pães, massas, cereais, etc.), enquanto Chris ingeriu uma quantidade mínima de gordura (frituras). Ambos podiam comer quanto quisessem, desde que seguissem à risca as limitações impostas.

Eles também mantiveram uma rotina semelhante de exercícios físicos.

O objetivo dos irmãos consistia em alcançar um resultado o mais verossímil possível dos efeitos positivos e negativos das dietas, uma vez que eliminariam, por serem gêmeos, qualquer influência genética sobre seus organismos. Eles também queriam entender qual delas seria mais eficiente.

A experiência da dupla, de 35 anos, foi tema do documentário Sugar v Fat ("Açúcar vs Gordura", em tradução livre) produzido pelo canal BBC 2.

O resultado surpreendeu: Alexander perdeu cerca de cinco quilos, enquanto Chris, que se limitou a ingerir alimentos com menos de 2% de gordura, perdeu um pouco menos. Por outro lado, apesar de o ponteiro da balança cair, os dois relataram os efeitos devastadores de ambos os regimes.

Alexander, que se alimentou basicamente de carnes, peixes, ovos e queijos, afirmou se cansar muito mais rapidamente, além de ter perdido o fôlego nas atividades físicas. Já seu irmão Chris, que cortou as gorduras, relatou que nunca se sentia satisfeito e que, frequentemente, se via beliscando petiscos.

Em linhas gerais, Chris teve um desempenho melhor do que Alexander, que demonstrou um cansaço ininterrupto e frequentes dores de cabeça. Isso ficou patente em uma competição promovida entre os dois irmãos para ver quem ganhava dinheiro mais rápido em um simulador de ações da bolsa.

Ambos começaram com 100 mil de dinheiro virtual. Em uma hora, Chris ganhou quase o triplo de Alexander. A mesma performance se repetiu durante os treinos físicos, que envolveram desde alongamentos a sessões exaustivas de spinning. Chris voltou a ter um desempenho consideravelmente superior ao de Alexander.

Apesar de perder mais peso, Alexander conta que tudo foi mais difícil para ele. Os exames de sangue feitos ao final da experiência também refletiram os prejuízos de ambas as dietas para os indivíduos.

O de Alexander, que cortou os carboidratos, revelou que parte da energia de que ele necessitava diariamente vinha exclusivamente das proteínas não só das refeições quanto também dos músculos, uma dos motivos que explicaria o seu cansaço endêmico.

O exame de Chris, que perdeu menos peso, mostrou um aumento do nível de açúcar, o que, a longo prazo, poderia gerar problemas de saúde.

Moda
Recentemente, milhares de pessoas que sonham com corpos 'sarados' vêm testando dietas que preveem consumo zero de carboidratos. A corrente de médicos que defende esse tipo de regime afirma que seu segredo está na chamada "síndrome metabólica".

O pensamento segue uma lógica simples: carboidratos elevam o nível de açúcar no sangue, estimulando o corpo a produzir mais insulina, hormônio produzido no pâncreas e responsável por "quebrar" as moléculas de açúcar.

Porém a substância também tem outro efeito: ela funciona como um gatilho para o corpo converter o açúcar em gordura e estocá-la. Essa gordura é mais difícil de perder, pois o organismo entende que só deve consumi-la em situações limite de insuficiência energética.

O que os médicos chamam de "síndrome metabólica", por sua vez, é essa combinação de obesidade abdominal, pressão alta e altas taxas de colesterol e gorduras no sangue. Isso faz com que o indivíduo tenha maior tendência a desenvolver diabetes do tipo 2, doenças cardiovasculares, câncer e outros.

Por essa teoria, as calorias dos carboidratos seriam "piores" do que as calorias das gorduras. Em tese, elas facilitariam o ganho de peso e aumentariam as chances de paradas cardíacas.

Para esses cientistas, o segredo para a solução da epidemia de obesidade global seria, portanto, reduzir a ingestão de açúcar. "Essa hipótese, de que a chave para o sobrepeso é o nível de insulina elevado, causado principalmente pelo consumo de carboidratos, descarta a ideia mais básica do por que engordamos: se você ingerir mais calorias do que consegue gastar, vai engordar", contesta Alexander.

Conclusão
Ao final do experimento, os médicos gêmeos concluíram que o ganho de peso não está ligado exclusivamente ao consumo de gordura ou ao de açúcar (carboidratos). O problema, na prática, é a combinação desses dois elementos, dizem eles.​

Segundo estudos consultados por Alexander e Chris, a associação de gordura e açúcar - como achocolatados, sorvete ou batatas-fritas, por exemplo - têm um efeito semelhante ao da cocaína no corpo humano.

A chave para entender por que essa combinação é tão perigosa está numa substância chamada dopamina, um neurotransmissor que controla a sensação de recompensa do cérebro. Uma ingestão de carboidratos e gorduras eleva a dopamina, afetando o funcionamento do organismo.

Segundo Alexander e Chris, a dica é: evite, ao máximo, as comidas processadas, que funcionam como uma "bomba viciante" e cujos efeitos para o corpo são devastadores.

Fonte: Terra



Poços têm socorrido Juazeiro e Crato com oferta hídrica

Uma realidade prevista e que ano após ano tem se agravado. A situação de água nos reservatórios da Bacia do Salgado atingem níveis críticos e há cidades em que as condições são extremamente críticas em relação ao abastecimento hídrico.

Alternativas de racionamento com a conscientização da população têm sido a grande saída, com a diminuição no consumo de até 50%, como tem ocorrido na cidade de Caririaçu. Contudo, para algumas cidades, que praticamente são abastecidas com carros-pipa, durante a estiagem, como é o caso de Salitre, a opção é colocar em atividade os poços profundos, onde foram investidos dinheiro público há vários anos.

Para o gerente regional da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), Yarley Brito, os níveis de água são preocupantes para algumas cidades, que estão em estado de alerta, mas os maiores municípios da região estão sendo abastecidos por água de poços subterrâneos, como é o caso de cidades como Crato e Juazeiro do Norte.

Segundo ele, podem ser debatidas junto aos técnicos e sociedade novas alternativa de abastecimento, incluindo a questão da preservação da água do subsolo, para não chegar a níveis de poluição, e também haver o bom aproveitamento desse manancial. Mas antes, é importante poder aproveitar grandes poços já feitos na região, em níveis de profundidade, que custaram grandes quantias ao erário público, e só bastam ser interligados para abastecerem cidades, onde as condições são praticamente escassas, a exemplo das cidades de Araripe, Salitre, Campos Sales e Potengi.

Mauriti
Mas há municípios da região, onde o nível de aproveitamento da água dos poços tem sido de grande importância para o desenvolvimento econômico, como é o caso da cidade de Mauriti, com a agricultura irrigada. Nesse caso, principalmente a fruticultura, com comercialização para várias cidades do Brasil. Outras cidades têm seguido o modelo, só que em proporções menores, como a cidade de Brejo Santo, e Missão Velha, com a grande produção de bananas.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais da cidade do Crato, Antônio Alves, afirma que essa é uma das questões que mais têm sido debatidas entre os agricultores, em virtude das constantes perdas agrícolas, principalmente de feijão e milho. Esses são os produtos que mais são cultivados, principalmente dependentes do inverno. "Temos com alternativas as barragens subterrâneas, mas até o momento esses projetos ainda não foram desenvolvidos", diz ele. No caso do Crato, o agricultor cita as fontes existentes para proporcionar melhor aproveitamento para a irrigação de pequenas áreas, e, por outro lado, o desperdício com muitas áreas de lazer, desviando esse potencial, fazendo com que seja mal aproveitado. Mas outro fator importante é perceber, segundo Yarley Brito, os níveis dos poços, porque esses também dependem de reabastecimento.

O gerente regional destaca que 20 poços de grande profundidade, de até 500 metros, foram destinados ao Nordeste, ano passado, por meio de projetos do Governo Federal. Mas poucas localidades no Estado tiveram condições de receber esse benefício, já que em 85% do Ceará se torna praticamente impermeável, com as rochas cristalinas. Na Bacia Sedimentar do Araripe, essas poços podem chegar até 2 mil metros. Sendo, portanto, uma área propícia, com condições de receber esses projetos.

Duas empresas foram responsáveis pelas escavações, uma de São Paulo e outra do Rio Grande do Norte, para a execução dos serviços. A Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), que atua no reconhecimento das áreas propícias, foi a responsável no Nordeste pelas perfurações de poços mais recentes. Além da licitação, a CPRM fez o projeto de estruturação dos locais das escavações.

O geólogo Yarlei Brito deu apoio técnico aos profissionais que vieram à região, para realizar as escavações dos poços. Atualmente, são monitorados 24, para se verificar os níveis de água do aquífero, e mais 22 foram inseridos, para somar com as informações já analisadas há mais de cinco anos.

A escavação de um poço na cidade, no sítio Desapregado, em Araripe, foi uma das primeiras alternativas dadas por Yarley, para abastecer as cidades onde o nível é mais crítico, a exemplo de Salitre, Campos Sales e Araripe. "É um divisor de água, já que a única fonte hídrica que pode resolver o problema é o açude Canoas, em Assaré, com uma adutora de mais de 80 quilômetros", diz ele, ao acrescentar que não há condições, diante da crise. Todo um projeto e os erros cometidos na época em que tentaram cavar no local foram demonstrados pelo gerente regional. Essa primeira tentativa foi realizada na década de 70, por técnicos da Petrobras, em busca de Petróleo. Não foi encontrado o produto sonhado, mas houve a constatação de água.

Outros poços foram escavados, e também reabertos, na década de 1990, pelo Governo do Estado, aproveitando, inclusive, o trabalho realizado pela Petrobras com adutora de mais de 80 quilômetros para abastecimento de Salitre, Campos Sales e Araripe. Mas houve erros técnicos, inviabilizando as condições de abastecimento. Tanto no Desapregado, na serra conhecida como Zezim do Brejo, e outro na serra do Cruzeiro, em Santana do Cariri, estão desativados.

População carente
Segundo o geólogo, os poços desativados poderiam também ser interligados para as cidades mais carentes de abastecimento. Ele disse que para se fazer um poço desse porte atualmente, deve ser investido cerca de R$ 2 milhões.

Outro poço, dos mais recentes escavados, que poderá beneficiar a cidade do Crato, foi escavado com cerca de 1000 metros, no Barro Branco. Este é um dos indicados por Yarley Brito. O poço ainda se encontra inativo e poderá beneficiar cerca de 30 mil pessoas. Nem mesmo havia conhecimento na cidade de escavação dessa área, que agora passa pelo processo de reconhecimento, para no futuro ser interligado e beneficiar a comunidade. Mas a grande alternativa no momento está sendo proposta pelo Cinturão das Águas. Possivelmente deverá receber água em 2015. "Com isso, haverá uma tranquilidade maior em relação às melhores condições de abastecimento", completa.

Mais informações
Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh)
Rua Coronel Secundo, 255
Centro - Crato (CE)
Telefone: (88) 3523.6302

Fonte: Diário do Nordeste

Crato (CE): Programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ realiza reunião no Bairro Pinto Madeira

Dando continuidade ao cronograma de reuniões do Programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, a coordenação do programa esteve na tarde desta quinta-feira, 30 de janeiro,  atendendo as comunidades dos bairros Ossian Araripe (Caixa D´Água), Pantanal e Sossego, desta vez, o encontro aconteceu na sede da Escola de Samba São Sebastião,  e contou com cerca de 350 pessoas.

A assistente social, Luciana Vieira, fez a abertura da reunião, detalhando informes contidos em informativo que foi entregue aos presentes, logo após, o subsecretário da Cidade, Hildo Junior,  apresentou detalhes do programa,  expondo a todos  os modelos de casas a serem construídas e  a assistente social, Cinthia Sousa, apresentou aos presentes o Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR),  que também será instalado em Crato.

O programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ conta com a parceria do Governo Federal, Governo Estadual e Governo Municipal, com financiamento  da Caixa Econômica Federal, e terá 3  empreendimentos na cidade do Crato, dois no bairro Barro Branco  e um na Vila Lobo. Após a apresentação do projeto, os participantes puderam tirar dúvidas sobre o programa.

Assessoria de Imprensa / PMC



40 fotos de antes e depois do Photoshop

É incrível ver como os cabelos e pele das celebridades em capas de revistas são sempre impecáveis. Triste é saber que o Photoshop é responsável pela maior parte desta “impecabilidade”.

Qualquer pessoa que seja bonita pode ter um toque de celebridade com a ajuda do Photoshop.

Confira abaixo alguns exemplos de antes e depois do tratamento:









































Pelé pede que brasileiros protestem só depois da Copa e 'não estraguem a festa'

Pelé, 73, voltou a mostrar preocupação com os protestos nas cidades brasileiras durante o Mundial de 2014.

"Espero que a gente tenha essa consciência: deixar passar a Copa do Mundo. Aí vamos reivindicar o que os políticos estão roubando ou desviando. Isso é outra coisa. O futebol só traz divisas e só traz benefício para o Brasil", disse, em entrevista à ESPN Brasil.

Nomeado pela presidente Dilma Rousseff como embaixador honorário da Copa em 2011, o ex-jogador pediu uma espécie de trégua aos manifestantes para que o país receba os turistas e aproveite a oportunidade de realizar uma competição sem problemas.

"Vamos deixar passar essas festas e vamos exigir. Futebol não tem nada com isso", afirmou. "Acho que o futebol não tem nada a ver com a corrupção dos políticos. O futebol sempre enalteceu o Brasil. Os jogadores sempre trouxeram promoção muito grande para o Brasil".

Ele incluiu os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio, como outra oportunidade que não pode ser prejudicada por protestos.

"Agora temos três eventos maravilhosos: a Copa das Confederações, a Copa do Mundo e as Olimpíadas. O país pode encher de turista e receber todo o benefício desse turista. E o próprio brasileiro fica estragando uma festa dessas. Quando falei isso ano passado, muita gente não entendeu," disse Pelé.

Ele admitiu que ficou preocupado durante a Copa das Confederações, em junho de 2013, mas, na sua opinião, a conquista da seleção brasileira amenizou as manifestações. "A sorte é que Deus é brasileiro, e o Brasil foi campeão. Aí sossegou um pouco".

Fonte: Folha.com


Crato (CE): SAAEC inicia obra de ampliação do abastecimento d’água em Ponta da Serra

A SAAEC concluiu a construção de um poço amazonas, no distrito de Ponta da Serra, e iniciou, na mesma localidade, a edificação de um reservatório com capacidade para 50 mil litros de água, além de uma adutora. A obra permitirá uma ampliação no abastecimento de água em todo o distrito e deverá minimizar a problemática relacionada à escassez do líquido, que há décadas incomoda os moradores da área.

Os trabalhos deverão ser concluídos até meados do mês de fevereiro. Entretanto, nos próximos dez dias já serão feitos testes de abastecimento. Ao todo, a SAAEC está investindo R$ 205.742,37 nestas benfeitorias.

No dia 25 de janeiro foram feitos teste com injetamento direto na rede de abastecimento de água, e, no dia 27, iniciadas as obras de um reservatório com capacidade hídrica de 50 mil litros no distrito de Ponta da Serra. Depois da reestruturação da rede será feito um estudo que indicará o percentual exato de eficácia, resolvendo o problema de água nessa localidade.

Assessoria de Imprensa / PMC



Caririaçu (CE): Justiça torna inelegível ex-candidato a prefeito

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará- TRE-CE decretou a inelegibilidade do ex-vereador e ex-candidato a prefeito de Caririaçu, Luiz Acácio Machado Leite e do ex-candidato a vice-prefeito, Pedro Vieira de Araújo. De acordo com a decisão unânime do órgão máximo da justiça eleitoral no estado, os dois estão inelegíveis pelo período de oito anos a contar das eleições de outubro de 2012, ou seja, só poderão se candidatar a algum cargo publico apenas nas eleições gerais de 2022, já que as inelegibilidades perduram até o mês de outubro de 2020, impossibilitando o registro de candidatura que se dão até o dia 05 de julho.

A justiça condenou os dois por abuso de poder econômico cometido na época da campanha eleitoral em 2012, quando pessoas ligadas ao então candidato a prefeito Acácio Leite pela coligação “Caririaçu não pode parar”, apoiado pelo primo e ex-prefeito do município Edmilson Leite, foram flagrados distribuindo dinheiro a vários eleitores, entre os distribuidores estava um sobrinho do candidato Acácio Leite.

O julgamento ocorreu no dia 20 de janeiro de 2014, tendo sido a decisão publicada no Diário da Justiça Eletrônico do TRE-CE nesta segunda-feira (27/01) e teve como relator o Juiz Luis Praxedes Vieira da Silva. A decisão está em consonância com o parecer do Ministério Público Eleitoral que se manifestou favorável a decretação da inelegibilidade dos dois de acordo com o art. 41-A da Lei 9.504/97 e o art. 22 da Lei Complementar n.º 64/90.

Fonte: Ceará Agora



Polícia prende homem que aparece em vídeo atirando em via pública

A Polícia prendeu, na manhã desta sexta-feira, 31, o homem que publicou em seu perfil do Facebook um vídeo em que aparece dando um tiro em uma via pública. Ronald Davi Taveira, que foi identificado pela Polícia na última quarta, está detido na Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), no Bairro de Fátima.

A Polícia Civil do Ceará, através da DHPP, havia instaurado um procedimento para investigar as condutas do infrator e tinha informado que iria notificá-lo para prestar esclarecimentos e ser ouvido em depoimento. A investigação está sendo feita pelo delegado Luiz Carlos Dantas, que preside a Divisão de Homicídios. Segundo Dantas, o homem poderá responder pelo crime de disparo em via pública, além de crime de trânsito.

O advogado dele, Paulo Pimentel, havia divulgado que a arma tratava-se de um simulacro. No entanto, o delegado geral da Polícia Civil, Andrade Junior, informou que o revólver não é de brinquedo. “Qualquer um que conhece arma de fogo percebe. Ela (a arma) apresenta recuo - e as de brinquedo não”, explicou Andrade.

O vídeo foi postado durante a tarde desta última terça-feira, 28, na página de um usuário identificado como Ronald David. Horas depois, a publicação foi deletada e o perfil desativado. Porém, usuários que tiveram acesso ao material o compartilharam nas redes sociais.

No vídeo, que tem pouco mais de 20 segundos, o rapaz, que está dirigindo, afirma: “Tô doido. Vou meter bala agora não sei em quem.” Em seguida, aponta um revólver pela janela e dispara um tiro. Na imagem, é possível ver algumas casas. Depois do tiro, ele continua dirigindo e o filme termina.


Fonte: O Povo



Financeiras driblam regra e enganam aposentados

Financeiras que emprestam dinheiro para quem tem nome sujo encontraram uma forma de conceder crédito de baixo risco, a juros exorbitantes. Mesmo sem fazer consignado, utilizam a renda do cliente como garantia de pagamento, cobrando taxas de até 845% ao ano.

O artifício consiste em debitar a dívida de uma conta corrente onde é depositado o pagamento do INSS (Instituto Nacional da Seguridade Social) ou o salário do servidor público. Se o cliente negar-se a vincular o benefício à conta, não consegue o crédito pessoal.

Por regra, não há atrasos ou falhas no pagamento a aposentados, pensionistas e funcionários públicos – o que reduz drasticamente o risco de faltar dinheiro para debitar a dívida. O benefício cai na conta e, no mesmo dia, vai para o caixa da financeira.

No crédito consignado, o desconto é feito direto na folha de pagamento, com o limite de 30% da renda, estabelecido por lei. Mas neste tipo de empréstimo, o comprometimento da renda costuma ser bem maior.

“Você pode usar até 53% do benefício, não só os 30% do consignado. Dependendo, a gente consegue liberar até mais pra você”, explicou uma atendente da Crefisa, em uma loja do centro de São Paulo.

Ali perto, sob o sol do calçadão das ruas XV de Novembro e São Bento, simpáticas moças de boné distribuem panfletos com promessas de crédito fácil. “Dinheiro em até 24 horas” e “Não consultamos Serasa nem SPC” são frases ouvidas no vai e vem dos pedestres.

É só retribuir um olhar para uma das moças conduzir o potencial cliente a um recinto com ar condicionado, água fresca e café. Ali dentro, atendentes explicam as vantagens e os descontos de até 70% se pagar antes, e se prontificam a responder perguntas.

Mas quando a dúvida é sobre os juros, não há resposta imediata. “Você tem de fornecer o número do seu benefício para avaliarmos caso a caso”, disse uma atendente da Agiplan, que também aceita negativados.

No crédito pessoal não consignado, a Crefisa cobrava juros médios de 20,05% ao mês (ou 796,21% por ano) e a Agiplian, de 20,59% ao mês (845,73% ao ano), em janeiro deste ano, segundo o Banco Central. O limite do consignado é de 2,14% ao mês.

Várias financeiras ficam de portas abertas, lado a lado, em locais de grande movimento. Por ali passam pessoas de todas as condições financeiras e idades. O principal alvo desta tática, contudo, é quem mais sofre com a inadimplência: o aposentado.

Como mostrou o iG, o crédito consignado para beneficiários do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) é a modalidade que mais resiste à queda de calotes, que foi generalizada no ano passado. Se o aposentado pode comprometer 30% da renda no consignado, além de 53% no crédito pessoal, tem pelo menos 83% dos ganhos consumidos por dívidas.

Uma dívida que aumentou três vezes
A servidora pública Marlene Rocha (nome fictício), de 33 anos, comprometeu 47% do salário de R$ 1,6 mil com um empréstimo na Crefisa. Com o marido desempregado, ela precisava de R$ 2 mil para pagar contas de telefone e cartão de crédito.

Marlene pagou as duas primeiras parcelas do empréstimo feito pela Crefisa a uma taxa combinada de 14,5% ao mês. Quando quis quitar a dívida para conseguir desconto, descobriu que ela só crescia: de R$ 2 mil, foi para R$ 6 mil – em apenas três meses.

A servidora pública fez uma denúncia no Banco Central e, só depois, conseguiu fazer um acordo para encerrar a dívida em uma parcela de R$ 1,6 mil. “Mas, ao pagar, descobri que o valor se referia a apenas um dos contratos, e junto havia uma autorização de débito irrevogável em minha conta. Não assinei”, conta.

Segundo Marlene, os descontos são feitos a qualquer momento, sem aviso prévio. “Minha divida é de R$ 750 por mês. Se entrarem R$ 450 na conta, eles debitam no mesmo dia”.

Procurada pelo iG, a Crefisa informou que não se pronuncia sobre a prática de conceder crédito pessoal vinculando a conta do cliente a um benefício.

A coordenadora geral de pagamento de benefícios do INSS, Célia Medeiros, informou ao iG que não compete à Previdência Social fiscalizar as instituições financeiras.

Crédito quase livre de risco
Apesar de não descontar da folha de pagamento – como faz o consignado –, vincular a dívida a um benefício é uma prática quase livre de risco, na opinião do advogado especializado em direito bancário e do consumidor, Alexandre Berthe. “Não é uma prática ilegal, mas considero imoral”, afirma o especialista.

Para o advogado e sócio do Bornholdt Advogados, Juliano Scarpetta, não há nada de errado em cobrar taxas acima da média do mercado para quem está negativado. “Mas cobrar 20% ao mês é abuso. É passível de revisão na Justiça, principalmente se o consumidor provar os juros na contratação”, diz.

Os juros combinados no momento do empréstimo nem sempre mostram o custo efetivo total (CET), que inclui taxas adicionais, como abertura de crédito ou emissão de boleto. As instituições são obrigadas a mostrar o CET antes da assinatura do contrato, mas nem sempre o consumidor fica atento este detalhe que pode até dobrar o custo da operação.

Scarpetta considera que as instituições financeiras não podem exigir que uma pessoa vincule um benefício a sua conta bancária. Toda forma de coação ou abuso passam a ser ilegais, segundo o advogado.

O cliente que se sentir lesado por este motivo consegue comprovar que a quantia debitada tem vínculo com a renda, e pode pedir na justiça o bloqueio dos descontos, observa Berthe.

“Não importa o que está no contrato. Qualquer cláusula abusiva é discutível na justiça. Se a pessoa recebe R$ 1 mil e o desconto é de R$ 530, o juiz vê de cara que é um abuso”, diz. O judiciário costuma amparar o consumidor em casos de apropriação indevida do salário.

Este mês, a 4ª Vara Cível de Brasília condenou o Banco do Brasil a indenizar uma cliente em R$ 6 mil por ter se apropriado de seu salário. Ela devia no cheque especial, mas por tratar-se de conta salário, o juiz entendeu que bloquear a renda para pagamento de dívida gera danos morais. Já há jurisprudência sobre o assunto.

No Senado Federal, o projeto de lei 283/2012, que altera o Código de Defesa do Consumidor (CDC), pretende proibir a concessão de crédito para negativados e punir instituições financeiras que fazem empréstimos de forma indiscriminada, sem avaliar a capacidade de pagamento do devedor.

O banco e financeira que descumprir poderá ser obrigado a reduzir os juros, encargos ou qualquer acréscimo ao principal. “Também poderá pagar indenização por perdas e danos patrimoniais e morais”, afirmou o senador e relator do projeto, Ricardo Ferraço (PMDB/ES).

Fonte: iG



Aliados se mobilizam para derrubar veto presidencial sobre criação de municípios

A poucos dias para o retorno das atividades no Congresso Nacional, a maioria dos deputados federais cearenses ouvidos pelo Diário do Nordeste acredita que o veto da presidente Dilma Rousseff ao projeto de Lei Complementar 416/2008, que regulamenta a criação de municípios em todo o País, tem chances de ser derrubado pelo Legislativo. A Liderança do PT na Câmara Federal já fala, inclusive, em "força tarefa" para convencer o Governo, pelo diálogo, da necessidade da derrubada. Parlamentares alertam, contudo, que é preciso mobilização maior dos defensores das emancipações.

O projeto de Lei Complementar tinha sido aprovada pelo Senado Federal, em outubro do ano passado, com amplo apoio: 53 votos a favor e apenas cinco contra, depois de ter passado, também, com folga, pela Câmara dos Deputados. Dilma, no entanto, vetou integralmente a proposta em novembro. Ela alegou que a criação dos municípios resultaria em aumento de despesas; o que, na visão do Governo, não seria acompanhado por um crescimento de receitas equivalente. O veto da presidente à proposta é um dos seis que trancam a pauta do Congresso Nacional no início das atividades legislativas de 2014.

O deputado Danilo Forte (PMDB) é um dos que diz acreditar na possibilidade da derrubada do veto. Segundo ele, o PMDB, cuja bancada é a maior no Senado e a segunda maior na Câmara, é "unânime" a favor de derrubar o veto. "Não podemos simplesmente ignorar uma proposta dessas com um País com dimensão continental como o Brasil", comenta, citando o exemplo do distrito de Jurema, em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza, que, segundo o peemedebista, seria o quinto maior Município do Ceará, caso fosse emancipado.

Transparência
O parlamentar avalia que a votação aberta instituída, no segundo semestre do ano passado, tanto na Câmara quanto no Senado, deve contribuir para a derrubada do veto. Para ele, a transparência do voto vai ajudar a aumentar a pressão sob parlamentares, por parte dos movimentos emancipalistas. "Acredito que tem condições de se viabilizar essa questão da derrubada. A bancada do Norte e Centro-Oeste, por exemplo, são unânimes a favor de derrubar o veto, porque são as regiões que mais precisam criar novos municípios", afirma.

Já o deputado Ariosto Holanda (PROS) disse considerar "razoável" a justificativa apresentada pela presidente Dilma para vetar o projeto, mas acredita que o veto tem chances de ser derrubado. Segundo ele, muitos deputados têm compromissos com distritos, que devem influenciar na votação.

O republicano comenta que, no Ceará, pelas análises que fez, pelo menos seis distritos deveriam ser emancipados, pois já tem capacidade para isso. "Vai ser um embate difícil", avalia, informando que o partido dele ainda não decidiu como deve encaminhar o voto.

Líder do PDT na Câmara, André Figueiredo também aposta que o veto tem chances de ser derrubado, diferente do que ocorreu com os outros vetos da presidente, todos mantidos até agora. Para ele, a forma como os congressistas vão votar "transcende" o fato de serem da base ou da oposição. "Há compromissos assumidos por parlamentares com distritos com porte de municípios de votar pela derrubada", comenta, lembrando que o PDT ainda não tem "posição firmada". Ele defende, contudo, que o veto tem que ser bem discutido antes de ser mantido ou derrubado.

Confronto
O deputado José Guimarães, por sua vez, disse que, como líder do PT na Câmara, vai fazer "força tarefa" para tentar dialogar com o Governo Federal, "para rever esse veto". "O melhor caminho é o diálogo, não é o confronto, como alguns querem", defende.

Ele avalia que a presidente decidiu vetar o projeto em razão das dificuldades econômicas pelas quais o País passava na época. "Acho que já respiramos bem. Temos condições de convencer o Governo, no diálogo, para acertar a derrubada do veto, sem ter crise. Esse tem que ser o nosso comportamento", diz o petista cearense.

Ele pondera que o projeto poderá ser validado, pois o texto da proposta "não é extravagante" e estabelece limites e regras para a criação de novos municípios, entre esses, prazos e requisitos mais exigentes para que um distrito consiga se emancipar.

Regulamentar
Lembrando que o texto aprovado foi fruto, inclusive, de acordo entre o Legislativo e a Secretaria de Assuntos Federativos do Governo, "meu esforço é convencer o Governo de regulamentar essa lei. Do contrário, vamos ter um hiato jurídico entre o veto e aquilo que diz a Constituição", afirma o parlamentar.

Mais pessimista que os outros parlamentares ouvidos, o oposicionista Raimundo Gomes de Matos (PSDB) diz não ver, no atual momento, "clima" e "tempo hábil" para conseguir a derrubada do veto. "Não vejo nenhuma grande mobilização nacional, inclusive da Confederação Nacional dos Municípios, em prol de conseguir derrubar.

Se fosse uma bandeira da associação dos prefeitos e de outras entidades, teria uma pressão maior", pondera. Segundo ele, nem mesmo na época da votação do projeto não houve um "grande apelo" a nível nacional.

Mobilização
O deputado tucano afirma que a desproporcionalidade das bancadas também deve prejudicar o objetivo de derrubar o veto. Gomes de Matos diz que a bancada do Nordeste, que tem apenas 157 dos 513 deputados da Câmara Federal, é umas das únicas onde há maior movimentação. O parlamentar pondera ainda que, desde que o Congresso resolveu passar a analisar os vetos, nenhum dispositivo foi derrubado até o momento, "porque a ´tropa de choque´ do (Palácio do) Planalto fica monitorando a votação, até mesmo dentro do próprio plenário".

Deputados estaduais cearenses, mais interessados na criação de novos municípios, prometem fazer um movimento para levar a Brasília, quando o veto entrar na pauta do Congresso Nacional, uma representação da Assembleia e de associações defensoras das emancipações para fazer coro, com representantes de outros estados, na pressão para a derrubada do veto.

A Assembleia Legislativa do Ceará foi pioneira no movimento de emancipação de distritos e até aprovou uma Lei Complementar com base na qual editou alguns decretos legislativos determinando a realização de plebiscitos para a efetivação da criação dos novos municípios. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) não fez os plebiscitos alegando a falta da Lei Complementar federal, só no ano passado aprovado, segundo exigência da Constituição da República.

Fonte: Diário do Nordeste



Juazeiro do Norte (CE): Polícia prende homem que estaria marcado para morrer acusado de roubar moto

A polícia prendeu no início da tarde desta quinta-feira o jovem Gerson Pereira da Silva, de 19 anos, residente no bairro José Geraldo da Cruz. Ele se encontrava na Avenida Castelo Branco na altura da Várzea das Timbaúbas e existem informações que teria sido atraído ao local para ser morto por algozes. A notícia chegou ao conhecimento da polícia que já se encontrava à procura do mesmo por conta de envolvimento em assaltos.

A viatura chegou primeiro e o prendeu querendo saber sobre a motocicleta que tinha roubado nesta quarta-feira perto do Posto Imaculada Conceição nas imediações do terminal rodoviário de Juazeiro no bairro Triângulo. Os militares foram até a casa de Gerson e encontraram a moto que foi levada para a 20ª Delegacia Regional de Polícia Civil juntamente com o acusado.

Outra moto roubada ontem foi recuperada momentos depois em Crato. Por volta das 21h30min na Perimetral Dom Francisco (Bairro São Miguel) naquele município, dois jovens tomaram a moto de um adolescente de 17 anos, bem como seu aparelho celular e uma carteira com documentos e R$ 75,00. A polícia foi acionada e não demorou a encontrar a moto abandonada perto do Restaurante Velho do Caldo na Avenida Padre Cícero.

Nas imediações, os PMs prenderam Cristiano Pinheiro dos Santos, de 18 anos, residente na Rua Todos os Santos, 2848 (João Cabral) em Juazeiro. Com ele, foi encontrado o celular da vítima e este informou que o restante dos pertences estavam com seu comparsa. Perto do Posto MTD na Avenida Padre Cícero apreenderam o menor C. R. F. B., de 17 anos, também morador do João Cabral em Juazeiro, com a carteira da vítima e um revólver calibre 22 com dois cartuchos intactos.

Demontier Tenório

Foto: Chinês

Fonte: Miséria



Addthis