O orkut voltou? Veja o que descobrimos

A rede social foi criada por Orkut Büyükkökten,
ex engenheiro do Google, em 2004.
A primeira coisa que você precisa saber é que o Orkut não voltou. O que ocorreu foi a criação de um clone da rede social ─ que acabou em 2014 ─ quase perfeito. A página orkut.li traz a mesma interface da finada plataforma do Google, criada por Orkut Büyükkökten em 2004. Mas, nem tudo funciona perfeitamente, a começar pelos links de "Sobre", "Termos de Uso e Privacidade" que não são clicáveis. A única opção na página inicial é criar um perfil com e-mail e senha ou fazer login. Como o site não tem protocolo https, ele não oferece segurança na troca de dados. Mas, não é só isso ...

Alerta no Google Chrome
Caso o acesso seja feito pelo Google Chrome, o navegador alerta "security error". Ou seja, dispara um enorme banner em toda a tela informando que há um site enganador na sequência. "Os atacantes no www.orkut.li podem enganá-lo para fazer algo perigoso como instalar software ou revelar suas informações pessoais (por exemplo, senhas, números de telefone ou cartões de crédito)", informa o texto. Ainda assim, clicando em detalhes, o usuário pode optar por seguir.

Em visita ao Vírus Total (www.virustotal.com), site que faz a análise de segurança de links, é possível observar que o orkut.li recebeu um alerta do Google Safebrowsing para "Phishing site". Ou seja, uma página que pode usar métodos que o navegador não considera sadios para obter informações do usuário.

Registro polêmico
O TechTudo pediu uma análise do link para a Kaspersky, que informou que o domínio orkut.li tem registro datado de 2006 e que, desde então, passou pelas mãos de vários donos, além de ter sido hospedado em muitos lugares. Atualmente o site está registrado no nome de "Murillo Faga" com um endereço fictício no Brasil (Av. Paulista).

"Por conta da falta de reputação do domínio — ou seja, registrado provavelmente sob um nome falso e por uma empresa não idônea — não é indicado registrar dados pessoais neles e nem confiar como rede social primária. Dados falsos no whois geralmente não são um bom indicativo", diz a fabricante de antivírus.

"Portanto, o não recomendaríamos por questões ligadas a privacidade e cuidado dos dados pessoais, já que não sabemos o que dono do site fará com os dados (como por exemplo vender a lista de e-mail para spammers)", completa o relatório.

Sem vírus
Neste momento, porém, a Kaspersky afirma que o site não está distribuindo nenhum tipo de malware (vírus). Entretanto, o Google SafeBrowsing considera o site como falso. Ou seja, o classifica como potencial phishing. Sendo assim, mais uma vez, não é recomendado usar seu e-mail de rotina (existe a opção de criar um e-mail temporário) e senha de outros serviços e redes sociais para se aventurar.

Google relembra fim do Orkut
Procurado, o Google não comentou a criação de mais uma versão não autorizada do site. Nos últimos anos foram criados o Orkuti, o Orkutando e outras cópias que pareciam muito com a versão original. A gigante de buscas apenas relembrou que o Orkut acabou em 2014. Em 2016, chegou ao fim o prazo para recuperar e baixar as fotos e, em abril deste ano, encerrou de vez o arquivo de comunidades que tornou público após a morte da rede social.

Para quem ainda sente saudade de recursos como comunidades, jogos e outras funções que nasceram no Orkut, antes de chegar ao Facebook, por exemplo, pode buscar refúgio na hello, outra rede social criada por Büyükkökten em 2016. Voltada para os celulares, a hello nasceu mobile pelas mãos do mesmo fundador do Orkut. Veja dez curiosidades da rede social e conheça as comunidades da hello, que não tem donos. Você também pode enviar convites para os amigos.

Na época do lançamento, Büyükkökten abriu o coração e disse que a 'evolução das redes sociais' provocou o fim do Orkut. "Muita coisa aconteceu no setor desde o lançamento do orkut.com. Social Media é um setor em constante evolução. É muito importante inovar sempre e manter-se em contato com as gerações, padrões de uso e temas sensíveis à comunidade. As redes sociais que não evoluem ao longo do tempo correm o risco de ficar irrelevantes", disse.

Fonte: Techtudo

Curta nossa página no Facebook

Veja 12 mudanças que a reforma trabalhista traz para os brasileiros

O Senado aprovou a reforma trabalhista na noite desta terça-feira (11). O texto havia sido aprovado pela Câmara em abril e não sofreu alterações pelos senadores. Agora, segue para sanção do presidente Michel Temer. As mudanças devem entrar em vigor 120 dias após a publicação da lei no Diário Oficial da União.

A reforma ainda pode sofrer modificações? Sim. Um acordo feito entre governo e parlamentares prevê que alguns pontos polêmicos sejam vetados por Temer ou modificados por meio de medida provisória. Esse acordo foi anunciado pela primeira vez no relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), que sugeriu alterar seis pontos.

O que diz quem é a favor da reforma? O governo e defensores da reforma afirmam que o projeto moderniza as leis trabalhistas e vai gerar empregos.

O que diz quem é contra a reforma? A oposição afirma que a reforma retira direitos dos trabalhadores e vai prejudicar as condições dos empregados. 

Confira abaixo 12 pontos da reforma trabalhista.

Acordo coletivo com força de lei
Um dos pontos centrais da reforma é que os acordos coletivos de trabalho definidos entre as empresas e os representantes dos trabalhadores poderão se sobrepor às leis trabalhistas definidas na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

O texto lista alguns pontos específicos em que isso valeria, que dizem respeito à jornada de trabalho e salário, por exemplo.

O que não pode mudar
O texto define uma lista de pontos da CLT que não podem ser retirados ou mudados por convenção coletiva:
  • Não podem ser alteradas normas de saúde, segurança e higiene do trabalho.
  • Não podem mexer também no pagamento do FGTS, 13º salário, seguro-desemprego e salário-família, que são benefícios previdenciários.
  • Ficam de fora, ainda, o pagamento do adicional por hora extra, licença-maternidade de 120 dias e aviso prévio proporcional ao tempo de serviço.

Jornada de trabalho
A jornada de trabalho pode ser negociada, observando os limites constitucionais. Hoje, a jornada padrão é de 8 horas por dia, com possibilidade de 2 horas extras. A jornada semanal é de, no máximo, 44 horas.

Outra modificação é na jornada parcial. Atualmente, a lei prevê jornada máxima de 25 horas por semana sem hora extra nessa modalidade. A reforma cria duas opções: contrato de até 30 horas semanais, sem horas extras, ou de até 26 horas semanais, com até 6 horas extras.

Hoje, o trabalhador nesse tipo de jornada tem direito a férias proporcionais de, no máximo, 18 dias; a proposta prevê 30 dias de férias.

A reforma também oficializa a jornada 12 x 36, em que o funcionário trabalha 12 horas e folga nas 36 horas seguintes. Esse, porém, é um ponto que o relator Ricardo Ferraço sugeriu que seja modificado por Temer.

Intervalo para almoço
O intervalo dentro da jornada de trabalho poderá ser negociado, desde que tenha, no mínimo, 30 minutos nas jornadas maiores do que seis horas. O tempo mínimo atualmente é de 1 hora.

Apesar de constar no texto final aprovado, esse trecho também pode ser vetado por Temer. Em seu parecer, Ferraço disse que a discussão sobre o intervalo não está "madura" e que pode prejudicar as condições de trabalho.

Férias
As férias poderão ser divididas em até três períodos de descanso. Nenhum deles pode ser menor do que cinco dias corridos, e um deve ser maior do que 14 dias corridos. Além disso, as férias não podem começar nos dois dias antes de um feriado ou do dia de descanso na semana.

Feriados
Os acordos coletivos também poderão determinar a troca do dia de feriado. Um feriado na quinta-feira poderia ser mudado para sexta-feira, por exemplo, impedindo a folga na quinta e na sexta-feira (dia enforcado). A folga seria só na sexta.

Banco de horas
Atualmente, a criação de um banco de horas para contar horas extras trabalhadas só pode ser definida por um acordo ou convenção coletiva. Isso não pode ser decidido individualmente entre o patrão e o empregado. A reforma modifica isso, liberando o banco de horas por acordo individual.

Segundo o texto da reforma, se o banco de horas não for compensado em seis meses, essas horas terão de ser pagas como horas extras, com um adicional de 50% ao valor.

Trabalho intermitente
A reforma cria o trabalho intermitente, que permite a contratação de funcionários sem horários fixos de trabalho, ganhando de acordo com o tempo que trabalharem.

Nesse caso, o funcionário não tem a garantia de uma jornada mínima. Se for chamado pelo patrão para trabalhar por cinco horas no mês, recebe apenas por essas cinco horas. Se não for chamado, não recebe nada. Além do pagamento pelas horas, ele teria direito ao pagamento proporcional de férias, FGTS, INSS e 13º salário.

Profissões que têm uma legislação trabalhista específica, como os aeronautas, não podem estabelecer o contrato intermitente.

Ferraço também sugeriu que isso seja vetado por Temer e regulamentado por medida provisória, que "deve conceder salvaguardas necessárias para o trabalhador e talvez delimitar setores em que este tipo de jornada vai ser permitido", de acordo com seu relatório.

Gestantes
A reforma trabalhista prevê a possibilidade de grávidas trabalharem em condições insalubres, ou seja, que podem fazer mal à saúde, como barulho, calor, frio ou radiação em excesso, desde que a insalubridade seja de grau mínimo ou médio, e que elas apresentem um atestado médico permitindo. Atualmente, isso é proibido.

No caso em que a insalubridade for de grau máximo, a grávida continua impedida de trabalhar no local, tendo de ser transferida para outra função.

Mulheres que estão amamentando poderão trabalhar em locais insalubres, independentemente do grau, desde que tenham o atestado médico. Hoje, isso não é permitido.

Ferraço propõs que isso seja modificado por Temer porque "o dispositivo como está implicaria abrir espaço para abusos contra mulheres menos esclarecidas, com menor poder de barganha e em ambientes mais insalubres e desprotegidos do que os hospitais". 

Imposto sindical
A proposta também acaba com a obrigatoriedade do imposto sindical, que passa a ser opcional.

Atualmente, todos os trabalhadores devem pagar, no mês de março, o imposto que equivale a um dia de trabalho por ano. Esse valor é destinado ao sindicato de sua categoria.

Apesar de não ter sido citado no relatório de Ferraço, o governo pode modificar esse ponto também. O texto da reforma determina que a obrigatoriedade deixa de valer imediatamente, mas o governo estuda a possibilidade de que essa mudança seja gradual, sob pressão de grupos sindicais.

Home office
A reforma regulamenta o teletrabalho, conhecido como home office, quando o funcionário trabalha à distância --de sua casa, por exemplo.

Entre outras medidas, ele determina que o home office deve constar no contrato de trabalho, assim como as atividades do trabalhador, e que a jornada do funcionário nessa situação não tem limite máximo definido por lei. O contrato deve estipular de quem é a responsabilidade pelos custos e manutenção do material usado no trabalho.

Terceirização
Em março, o presidente Michel Temer sancionou o projeto de lei que libera a terceirização em qualquer atividade da empresa. A proposta de reforma trabalhista também trata da questão, complementando a nova lei.

Para evitar que trabalhadores sejam demitidos e, em seguida, recontratados como terceirizados pela mesma empresa, o texto da reforma determina que é necessário esperar, no mínimo, 18 meses para poder contratar novamente o mesmo empregado.

Como a reforma trabalhista afeta a sua vida?



Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook

Passenger | Fast Car (Tracy Chapman cover)




Expocrato 2017: Alunos do Centec criam novos alimentos com pequi

Um dos frutos mais tradicionais do Cerrado, o pequi está presente em abundância na região do Cariri, na safra que vai entre os meses de dezembro a abril. Na culinária, o prato mais famoso certamente é o baião de dois com pequi. No entanto um grupo de estudantes do curso técnico em alimentos da Faculdade de Tecnologia Centec - Cariri desenvolveu uma nova iguaria utilizando o fruto do pequizeiro. O biscoito de goma, conhecido como sequilho, ganhou novo sabor e nome. "Criamos o pequilho", pontua a estudante Débora Aquino, 30.

De acordo com o professor do curso, Erlanio Oliveira, além de possibilitar um sabor diferente ao sequilho, os alunos trabalham o reaproveitamento dos resíduos que seriam descartados. "Desenvolvemos uma formulação com a amêndoa de algumas plantas nativas. Além do pequi, utilizamos a macaúba, babaçu e buriti". Ainda segundo Oliveira, o resultado final foi "tão aceito que já estamos pensando em patentear para comercializar".

A docente Regina Célia Gomes explicou que, por ser um produto abundante no Cariri, o curso vislumbrou uma forma de "potencializar a utilização do fruto e gerar mais renda para aqueles que trabalham com o pequi".

Além do sequilho, o projeto desenvolve outros alimentos com o fruto. "Fizemos também o licor de pequi, tudo pensado para aproveitar esse fruto bem típico da nossa região", disse.

Conforme explica a aluna Erica Aureliano, o forte sabor do fruto e o perfume característico não são repassados para o sequilho ou licor, por exemplo, devido ao processo de produção. "Extraímos o óleo e fica o resíduo, que depois é reaproveitado e enriquecido", pontua. "Além de gostosos, os produtos são saudáveis", acrescenta.

Apesar de considerarem o processo de fabricação simples e barato, as alunas reconhecem que chegar até a fórmula final foi um desafio. "O pequi é utilizado geralmente em comidas triviais e, na maioria salgadas, como o baião. Encontrar o ponto certo para fazer o sequilho, um alimento doce, foi um desafio", diz Gabriela Batista, também aluna do curso técnico.

Os produtos estão sendo comercializados no estande do Centec na 66ª Exposição Centro-Nordestina de Animais e Produtos Derivados (ExpoCrato 2017), que segue até o domingo (16). O visitante pode encontrar, além do pequilho e do licor, feitos com o pequi, outras guloseimas, como doces e biscoitos, feitos de coco babaçu e buriti.

ANDRÉ COSTA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Senado aprova reforma trabalhista; saiba como votou cada senador

Após mais de 11 horas de sessão, marcada por uma série de tumultos em plenário, o Senado aprovou no fim da noite desta terça-feira (11) a reforma trabalhista (leia também: Veja 12 mudanças que a reforma trabalhista traz para os brasileiros).

Os senadores aprovaram o chamado texto-base por 50 votos a 26 e, em seguida, analisaram três destaques (sugestões de alteração à proposta original). Todos foram rejeitados.


Enviado pelo governo no ano passado, o projeto muda trechos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e prevê pontos que poderão ser negociados entre empregadores e empregados e, em caso de acordo coletivo, passarão a ter força de lei.

Como os destaques foram rejeitados, a reforma, já aprovada pela Câmara dos Deputados, seguirá para sanção do presidente Michel Temer.

Segundo senadores da base, o presidente se comprometeu com alguns parlamentares a alterar trechos controversos do projeto.

Depois da publicação no "Diário Oficial da União", pela Presidência da República, haverá um prazo de quatro meses para a entrada das novas regras em vigor.

Pela proposta, a negociação entre empresas e trabalhadores prevalecerá sobre a lei em pontos como parcelamento das férias, flexibilização da jornada, participação nos lucros e resultados, intervalo de almoço, plano de cargos e salários e banco de horas.

Outros pontos, como FGTS, salário mínimo, 13º salário, seguro-desemprego, benefícios previdenciários, licença-maternidade, porém, não poderão ser negociados.

Sessão tumultuada
A sessão do Senado para discutir a reforma trabalhista foi aberta às 11h desta terça.

Uma hora depois, a sessão foi interrompida após senadoras contrárias à proposta ocuparem a mesa do plenário, local onde se senta o presidente da Casa e os demais integrantes da Mesa Diretora.

Eunício tentou dar início à votação, mas foi impedido de se sentar no lugar. Com isso, decidiu suspender os trabalhos. Após a decisão, ele se recolheu no gabinete e recebeu vários parlamentares da base e da oposição para tentar chegar a um acordo.

Depois de mais de seis horas, por volta das 18h10, o presidente do Senado retornou ao plenário e deu um prazo de dez minutos para que as senadoras deixassem a mesa. Como elas se mantiveram no local, ele se sentou em uma outra cadeira.

Às 18h44, depois de ter iniciado o processo de votação, mesmo com protestos da oposição, Eunício conseguiu retomar a cadeira da presidência do Senado. Ele, então, decidiu dar tempo para que os líderes encaminhassem como os senadores dos partidos deveriam votar.

Sobrevida política
Aliados de Temer têm avaliado que a aprovação da reforma pode dar uma espécie de sobrevida política ao presidente.

Com base nas delações de executivos do grupo J&F, que controla a JBS, Temer foi denunciado pela Procuradoria Geral da República pelo crime de corrupção passiva.

O relator da denúncia, atualmente em análise na Câmara, Sergio Zveiter (PMDB-RJ), recomendou nesta segunda (10) o prosseguimento do processo.

Diante da maior crise política enfrentada pelo governo desde que Temer assumiu, senadores da base aliada apostam que, se o Congresso aprovar a reforma trabalhista, a medida será uma sinalização ao mercado de que Temer ainda tem condições de dar continuidade a outras reformas, como a da Previdência Social (em análise na Câmara).

O que diz a oposição
Parlamentares contrários ao projeto, por outro lado, têm criticado o Senado por não alterar o projeto enviado pela Câmara, o que chamam de "omissão".

A oposição também afirma que a reforma retira direitos e precariza as condições e relações de trabalho.

Parlamentares contrários ao governo buscarram, na sessão desta terça, mudar o projeto e, por isso, apresentaram três sugestões, todas rejeitadas pelo plenário.

Fonte: G1

Curta nossa página no Facebook

MPF pede arquivamento de ação contra Lula sobre obstrução à Lava Jato

O procurador Ivan Marx, do Distrito Federal, pediu o arquivamento da ação que investigava a suposta tentativa de Lula em barrar as ações da Operação Lava Jato. De acordo com o procurador, a denúncia, feita pelo ex-senador Delcídio do Amaral para fechar acordo de delação premiada, foi apenas uma tentativa para "aumentar seu poder de barganha" junto à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Ainda segundo o procurador, a afirmação de Delcídio sobre reunião com Lula para atrapalhar o andamento da investigação é uma "interpretação unilateral do delator", não confirmado pelos demais participantes da reunião. No encontro estavam os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Edison Lobão (PMDB-MA).

Delcídio havia dito em delação premiada que "na prática, o efeito pretendido (com a reunião) era de embaraçar as investigações da Lava Jato". Ainda segundo o delator, a mensagem não teria sido passada diretamente, mas todos entenderam que a atuação em face do judiciário se daria com o fortalecimento dos contrapontos oferecidos pelo gabinete de gestão de crise. O encontro em questão foi marcado pelo ex-presidente petista, no Instituto Lula, em São Paulo, no ano de 2015.

Parecer
Para Marx, a afirmação foi apenas uma tentativa de delatar terceiros, dentre eles, "especialmente o ex-presidente Lula". O pedido do Ministério Público foi enviado à Justiça Federal.

Fonte: JC Online

Curta nossa página no Facebook

Barbalha (CE): Secretário de Obras e Infraestrutura do município é denunciado pelo Ministério Público

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), através da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Barbalha, denunciou, na última sexta-feira (7), o secretário de Obras e Infraestrutura do Município de Barbalha, Roberto Wagner Leite Machado, pelo fato do gestor se omitir de encaminhar informações requisitadas pelo MPCE que são indispensáveis à propositura da ação civil.

De acordo com a Lei da Ação Civil Pública, é crime, punido com pena de reclusão de um a três anos, mais multa de 10 a 1.000 Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional (ORTN), a recusa, o retardamento ou a omissão de dados técnicos indispensáveis à propositura da ação civil, quando requisitados pelo Ministério Público.

Na petição inicial, o promotor de Justiça que responde pela 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Barbalha, Saul Cardoso Onofre de Alencar, explica que foram lavrados procedimentos administrativos, como inquéritos civis públicos, por exemplo, tanto na 2ª quanto na 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Barbalha para apurar informações recebidas e protocoladas nos órgãos que diziam respeito a problemas na infraestrutura de ruas, redes de esgoto, invasão de terrenos, entre outros, vivenciados pela população do município. Para dar continuidade aos procedimentos, foram requisitadas informações à Secretaria de Obras e Infraestrutura de Barbalha que nunca foram fornecidas. “O denunciado, Roberto Wagner Leite Machado, por diversas vezes, desde que fora nomeado gestor da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura, deixou de fornecer informações indispensáveis ao Ministério Público”, expôs o promotor de Justiça.

O membro do MPCE informa ainda na peça que chegou a emitir uma recomendação para receber as informações e, assim, poder tentar solucionar ou, pelo menos, amenizar os problemas dos cidadãos que procuraram o Ministério Público para reclamar seus direitos através do ajuizamento de uma ação civil pública, mas, até o oferecimento da denúncia, não havia recebido nenhuma resposta aos ofícios e requisições encaminhados.

Assessoria de Comunicação/MPCE

Curta nossa página no Facebook

Presidente da CPI da Previdência diz que não há rombo e culpa devedores

A Previdência Social brasileira não é deficitária, afirmou o presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Previdência do Senado, senador Paulo Paim (PT-RS).

"Setores do patronato arrecadam, por ano, em torno de R$25 bilhões do bolso do trabalhador e não repassam à Previdência", disse.

Ainda segundo Paim, ao final dos trabalhos a comissão vai mostrar que o rombo na Previdência está diretamente ligado a uma dívida acumulada de grandes bancos, empresas e grandes montadoras, que ultrapassa R$ 500 bilhões.

Com encerramento dos trabalhos previsto para 8 de setembro, o relator da comissão, senador Hélio José (PMDB-DF), já adiantou que pedirá a prorrogação para preparar um relatório mais "completo e propositivo".

O documento, segundo o senador, deverá propor medidas para mudar a Previdência Social, como um combate mais efetivo à inadimplência. "Não é possível convivermos com os grandes devedores não pagando a Previdência", disse.

Desde 26 de abril, quando começou, até hoje, foram realizadas 22 reuniões e 18 audiências públicas com cerca de 90 pessoas, entre especialistas do governo, sindicatos e sociedade civil.

Fonte: Agência Brasil

Curta nossa página no Facebook

Reforma trabalhista é péssima para você? Veja principal mudança

Aprovada no Senado, a reforma trabalhista é vista como ruim ou péssima por metade dos mais de 3 mil profissionais consultados pela equipe do Vagas.com.

Segundo a pesquisa, as mudanças na CLT são positivas para 41% e indiferentes para 6% e 3% não opinião. A maioria dos participantes do estudo é homem (57%) com idade média de 34 anos e formação superior (61%), sendo 78% da região Sudeste e 30% empregados.

Mas as pessoas sabem o que vai mudar com a reforma trabalhista?
O levantamento indica que 63% têm muito interesse no assunto e 30% algum interesse na reforma trabalhista. 

No entanto são poucos os que declaram conhecer a proposta na íntegra: apenas 12% dos entrevistados. Grande parte (85%) disse que conhece um pouco, por ler manchetes, notícias e comentários.

Negociado sobre legislado: a principal novidade
Embora a pesquisa mostre que a maioria dos profissionais ainda não sabe bem o que traz a reforma na prática, 58% consideram que as principais propostas beneficiam mais as empresas. Outros 27% declaram que há vantagens para os dois lados e 13% não têm opinião formada.

Na opinião de José Carlos Wahle, da Veirano Advogados, a reforma não piora as condições de trabalho para as pessoas. “Mas é sempre uma abordagem, de certa forma subjetiva. O que é certo e indiscutível é que a reforma trabalhista aprovada pelo Congresso, se receber a sanção do presidente, vai flexibilizar algumas regras que nós temos hoje”, diz.

Mas, garante Wahle, sem revogação de nenhum direito. O especialista fala em flexibilização porque o principal ponto da reforma é que negociações passam a prevalecer sobre o que foi legislado.

“O que a reforma permitirá é que – mediante acordos com o sindicato, que mediante acordos individuais para algumas matérias – direitos tenham mecanismos diferentes para serem exercidos”, explica.

A seguir confira três exemplos práticos para entender o que significa essa mudança:

Divisão das férias
Tome-se o exemplo das férias que poderão ser divididas em até três períodos, sendo que um deles não pode ter menos de 14 dias seguidos e os demais precisam ter mais de cinco dias.

“As férias continuam sendo de 30 dias, o que muda é a possibilidade de que, mediante acordo, essas férias sejam repartidas de uma maneira diferente do que é permitido hoje”, diz Wahle.

Segundo a pesquisa da Vagas.com, 47% dos entrevistados aprovam a possibilidade de parcelar em três vezes as férias.

“Hoje a divisão das férias se limita a situações extraordinárias e não depende propriamente de um acordo ou da vontade das partes”, diz o advogado. Em determinados setores, como em empresas de tecnologia, de serviços e em locais com atividades de escritório a demanda pela divisão das férias é recorrente, diz ele.

“É comum e não é raro que até os próprios funcionários prefiram dividir as suas férias ao longo do ano, por exemplo para coincidir com as férias escolares dos filhos”, diz.

Banco de horas
Outro exemplo da força que ganha o acordo individual é o ponto da reforma que diz respeito à criação de banco de horas.

Conforme já explicou o advogado Marcelo Mascaro Nascimento, será possível a criação de banco por meio de acordo direto entre empresa e empregado, com a regra de que a compensação aconteça em até 6 meses.Hoje só é permitida a criação do banco quando há negociação coletiva e com a presença do sindicato.

Jornada de 12 horas
A jornada de 12 horas seguida de descanso de 36 horas também poderá ser negociada individualmente, se as novas regras entrarem em vigor.

Hoje só é permitido negociar esse esquema de trabalho coletivamente com a presença de sindicato ou definir em convenção coletiva porque a jornada passa do limite de 10 horas.

Segundo o advogado Marcelo Mascaro Nascimento, há outra mudança também em relação ao modelo atual se o dia de trabalho cair em feriado, o trabalhador não vai receber em dobro.

No modelo 12×36 os dias de trabalho vão se alternando e numa semana o empregado trabalha 48 horas, e na seguinte 36 horas.

Fonte: Exame.com

Curta nossa página no Facebook

Ben's Brother - Let Me Out




Os segredos que não nos contam sobre os restaurantes fast food

Hoje em dia falta tempo para tanta coisa que vez ou outra acabamos comendo em algum restaurante fast food. Algumas pessoas são viciadas, o que não é muito bom, afinal de contas a comida costuma ser muito mais gordurosa e conter mais açúcar ou sódio do que a que preparamos em casa.

Que não é bom abusar todo mundo já sabe, mas existem alguns segredos sobre os restaurantes fast food que nem todo mundo sabe. Alguns deles, como o número 1, não são críticas, são apenas curiosidades.

10. Existe um horário ideal para comer em um restaurante fast food
A melhor hora para ir a um restaurante de comida fast food é na hora do rush: às 12:00h e às 19:00h. Claro que é mais difícil encontrar uma mesa vazia, mas você pode ter certeza que pelo menos a comida será fresca e não requentada.

9. Se quiser batata frita fresca, peça sem sal
Se você gosta de batata frita fresquinha, peça uma porção sem sal. Como o sal sempre é colocado, será necessário fazer uma nova porção exclusivamente para você.

8. O aroma da cozinha é parte da publicidade
Ao passar por um restaurante fast food é impossível não sentir o cheiro do lugar. Isso não é uma casualidade. Muitos restaurantes querem justamente que o cheiro chegue até a rua, atraindo a atenção dos passantes. Alguns até deixam a porta da cozinha aberta de propósito para te fisgar pelo estômago.

7. Um refrigerante custa menos que um chá porque ele abre o apetite
Em geral, nos restaurantes fast food os refrigerantes custam menos que o chá. Isso porque o refrigerante nunca tira a sede. Além disso, o dióxido de carbono (gás carbônico, que forma as bolhinhas) abre o apetite.

6. As batatas fritas têm 19 ingredientes
O sabor das batatas fritas de um restaurante fast food é uma combinação de mais ou menos 20 ingredientes. O ingrediente básico, claro, é a batata. Entre os outros há intensificadores de sabor, aditivos e muitos outros químicos.

5. Ir muito cedo não é a melhor solução
Ser o primeiro em tudo costuma ser bom na sociedade em que vivemos, mas não quando o assunto é fast food. Em geral, as máquinas foram lavadas há pouco tempo e os químicos podem acabar entrando no alimento.

4. Hoje, as comidas fast food são mais gordurosas que há 30 anos
Isso por um motivo bastante simples: hoje, as porções são maiores, fazendo subir também a quantidade de calorias. Sendo assim, hoje, um hambúrguer com queijo tem 75% mais calorias do que tinha nos anos 80. As batatas fritas tinham duas vezes menos há 20/30 anos, e a pizza tem 70% mais hoje em dia.

3. Um milk shake tem 2-3 vezes mais açúcar que a dose diária recomendada
Os milk shakes são muito pedidos em restaurantes de comida fast food. A dose diária recomendada de açúcar para um adulto é de 25-50 g. E um milk shake vendido numa dessas lanchonetes tem mais ou menos 80 g.

2. Comer com as mãos é mais gostoso
Você já parou para pensar por que em quase todos os restaurantes de comida fast food não há talheres? A resposta é simples: quando comemos com as mãos, sentimos mais prazer e, por isso, comemos mais.

1. As máquinas de refrigerante são super sujas
As máquinas de refrigerante são muito difíceis de limpar, por isso elas raramente são limpas. Imagine quantas bactérias, micróbios e fungos se acumulam nelas, principalmente porque as bebidas são muito doces.

Fonte: Incrível

Curta nossa página no Facebook

O começo do fim: Relator dá parecer favorável à denúncia contra Michel Temer

O deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), relator na Câmara da denúncia oferecida pela Procuradoria Geral da República contra o presidente Michel Temer, recomendou nesta segunda-feira (10) o prosseguimento do processo. A leitura do parecer durou uma hora.

Após a leitura do voto de Zveiter, o advogado do presidente, Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, passou a apresentar a defesa de Temer à comissão. Ele afirmou que é "mentira" que o presidente tenha recebido "um vintém".

Procurado pelo G1, o Palácio do Planalto informou que não iria se manifestar sobre o assunto.

Zveiter apresentou nesta segunda o parecer dele sobre a denúncia à Comissão de Constituição e Justiça. A expectativa é que o relatório comece a ser discutido nesta quarta (12) para, então, ser votado pelos integrantes da CCJ.

Segundo Zveiter, a acusação contra Temer "não é fantasiosa" e os fatos precisam ser apurados. O relator observou também ser "inviável" o não prosseguimento do processo.

"Tudo nos leva à conclusão de que, no mínimo, existem fortes indícios da prática delituosa", completou.

Independentemente do resultado na comissão, o parecer será submetido a votação no plenário da Câmara. Para a denúncia seguir ao Supremo Tribunal Federal, precisa do apoio de, pelo menos, 342 deputados.

Com base nas delações de executivos do grupo J&F, que controla a JBS, Temer foi acusado pelo Ministério Público Federal de ter cometido o crime de corrupção passiva. Por se tratar do presidente da República, o Supremo só pode analisar a denúncia se a Câmara autorizar.

Na semana passada, o advogado de Temer, Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, entregou a defesa do presidente à CCJ da Câmara. Segundo Mariz, Temer não cometeu crime e a denúncia da PGR é baseada em suposições.

Leitura do parecer
Zveiter começou a ler o relatório sobre a denúncia às 16h09. Até as 16h41, o deputado dedicou a leitura à apresentação da denúncia e da defesa. Às 16h42, ele iniciou a leitura do voto, concluindo às 17h09.

No parecer apresentado à Comissão de Constituição e Justiça, o deputado concluiu que a denúncia cumpre os requisitos da legislação e deve ser acatada pela Câmara.

"Aqui na CCJ não condenamos ou absolvemos o denunciado, apenas admitimos ou não a acusação", observou.

"Procurei elaborar a melhor interpretação dos textos citados baseando-me também na jurisprudência do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça", acrescentou, em outro momento.

"A denúncia não é inepta", completou.

Para Zveiter, um eventual arquivamento da denúncia não estabeleceria ao governo "o vigor necessário para sair dessa crise".

"Ao contrário, impedir o avanço das investigações e seu devido julgamento seria ampliar perigosamente o abismo entre a sociedade e as instituições que a representam."

Gravação de Temer e Joesley
Durante a leitura do voto, Zveiter discordou do argumento da defesa de Temer de que a gravação da conversa de Joesley Batista, dono da JBS, com o presidente, sem que Temer tivesse conhecimento, deveria ser descartada como prova.

"É lícita a prova consistente em gravação ambiental sem o conhecimento do outro interlocutor", afirmou o relator.

PMDB
Em entrevista após a leitura do relatório, Sergio Zveiter foi questionado sobre como ficará a relação dele com o PMDB, partido de Temer.

"Eu faço parte, segundo as pessoas têm dito, de uma ala do PMDB independente. Se fazer parte de um PMDB independente é fazer parte de um partido que quer um futuro melhor, com práticas corretas, honestas e dignas de um parlamentar, eu me sinto honrado em fazer parte desse PMDB", respondeu.

Sessão da CCJ
Antes mesmo da leitura, Sergio Zveiter já havia dito que o relatório é "predominantemente político" e com "foco forte" na parte técnica.

Durante a sessão, pouco antes da leitura do relatório, houve debate entre deputados da base aliada e da oposição sobre se o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, autor da denúncia contra Temer, deveria ser ouvido pela comissão.

O presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), negou na semana passada pedidos para ouvir Janot e o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) recorreu ao Supremo.

Também durante a sessão, alguns deputados, até então titulares da CCJ, protestaram por terem sido substituídos.

Logo após a leitura do voto de Zveiter, o presidente da CCJ anunciou que a defesa de Temer seria ouvida, mas deputados da oposição protestaram, argumentando que o relator não representava na sessão a acusação contra Temer.

Discussão sobre o parecer
Com a apresentação do relatório de Zveiter, a próxima etapa na CCJ é a discussão do parecer, prevista para começar nesta quarta (12).

Terão direito a fala todos os 66 integrantes titulares da CCJ e os 66 suplentes (15 minutos cada), além de 40 deputados que não compõem acomissão (10 minutos cada).

Em seguida, o relator, Sergio Zveiter, e a defesa terão nova oportunidade de se manifestar.

Votação
Pelas regras, o parecer de Zveiter será aprovado pela CCJ se tiver o apoio mínimo de 34 deputados presentes à sessão de votação. Concluída essa fase, o relatório seguirá para votação em plenário.

A denúncia contra Temer seguirá para o Supremo se tiver o apoio mínimo de 342 deputados. No STF, se os ministros aceitarem a denúncia, Temer se tornará réu e será afastado do mandato por até 180 dias.

Fonte: G1

Curta nossa página no Facebook

6 hábitos que deveríamos copiar dos nossos avós

Nos dias atuais, são muitas as receitas infalíveis para manter o corpo e a mente saudáveis: alimentação equilibrada, prática de atividade física regular, uma boa noite de sono. A verdade é que nem sempre é possível seguir à risca todas as recomendações para levar uma vida plena e com saúde.

No tempo dos nossos avós, por exemplo, não existia esse bombardeio de informações para ser saudável e, mesmo assim, era possível levar a vida com mais saúde. Para se ter uma ideia, somente nos últimos 10 anos no Brasil, a taxa de obesidade cresceu 60%, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados no início deste ano.

O levantamento faz parte da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas e apontou que atualmente cerca de 20% dos brasileiros precisam lidar com a obesidade e todas as consequências que o excesso de peso pode acarretar.

O problema maior detectado pelo estudo é que a obesidade é um fator que pode ter contribuído para o aumento de diabetes, hipertensão e outras doenças crônicas não transmissíveis – males dos tempos modernos que pioraram a condição de vida das pessoas.

Diante de dados preocupantes, o especialista em emagrecimento Rodrigo Polesso, fundador do Código Emagrecer de Vez com formação em Nutrição Otimizada para Saúde e Bem-Estar pela Universidade Estadual de San Diego, a pedido de EXAME.com, listou alguns hábitos saudáveis que deveríamos resgatar do passado e que muito provavelmente eram seguidos pelos nossos avós.

De acordo com Polesso, almoço rápido, refrigerante em quase todas as refeições e até as famosas barrinhas para a hora que bate aquela fome são práticas que se tornaram norma na sociedade moderna e que não fazem bem à saúde.

“Com o estilo de vida que levamos, acabamos esquecendo de algumas informações muito importantes sobre alimentação. Nossos avós, por exemplo, tinham hábitos saudáveis que, se voltarmos a praticar, podem ajudar a reduzir os índices de doenças como obesidade e diabetes”, explica.

A seguir, confira seis hábitos saudáveis listados por Polesso que foram abandonados e deveriam ser resgatados nos dias atuais:

1 – Mais comida, menos substâncias comestíveis
De acordo com o especialista, a humanidade moderna vive uma epidemia de síndrome metabólica causada pelo alto consumo de substâncias comestíveis, que são alimentos refinados, processados e modificados.

“Com o tempo, nos distanciamos de alimentos de verdade, como carnes, peixes, queijos, nozes, castanhas, folhas e legumes, que formavam a base da alimentação no passado. Atualmente, passamos a preencher nossos pratos com substâncias comestíveis”, explica.

Segundo ele, embora, nos dias de hoje, a expectativa de vida seja maior por conta dos avanços da medicina, não se tem tanta qualidade de vida. “É justamente para tentar solucionar isso que o consumo de alimentos de verdade deve ser priorizado”.

2 – Mais gorduras naturais, menos óleo vegetal
Outra mudança no hábito alimentar das últimas décadas diz respeito à troca do consumo de gorduras naturais por gorduras artificiais, como óleos vegetais e margarinas.

“Isso aconteceu por conta da falsa crença de que gordura animal estava colaborando para o aumento de problemas cardíaco, mas já foi desmitificado há tempos. No entanto, governos e muitos profissionais continuam a disseminar a falsa ideia de que óleos pró-inflamatórios são mais saudáveis simplesmente por não conterem gordura animal e pouco colesterol”, afirma Polesso.

Segundo o especialista, nossos avós sempre usufruíam de gorduras naturais por milênios e a ciência mostra claramente que todos nos beneficiaríamos com a volta dessa prática.

Exemplos de gorduras naturais: banha de porco, manteiga, óleo de coco, azeite de oliva, gordura bovina e gordura de pato.

3 – Mais probióticos, menos conservantes
Com o senso de higiene exagerado, a flora intestinal das pessoas vem sofrendo e perdendo diversidade. De acordo com o especialista, os intestinos “modernos” são menos saudáveis e possuem menos diversidade de bactérias do que os intestinos das populações mais antigas.

“Nossos avós tinham contato com a terra – fonte de probióticos, ou seja, boas bactérias – e comidas fermentadas, as quais auxiliavam na manutenção da saúde da flora intestinal, que está associada à força do nosso sistema imunológico e várias doenças e condições”, afirma.

Exemplos de probióticos: chucrute, iogurte natural e picles natural.

4 – Mais nutrientes, menos química
Antigamente, alimentos orgânicos eram norma e não exceção. “Alimentos sem agrotóxicos, além de serem mais nutritivos, contêm um completo conjunto de vitaminas e minerais benéficos à saúde”, explica Polesso.

5 – Mais movimentação, menos sedentarismo
Nossos avós tendiam a se movimentar mais no dia a dia, mesmo não praticando nenhum tipo de atividade física formal. De acordo com o especialista, o simples fato de andarmos mais, subirmos escadas, irmos de bicicleta até a casa dos amigos pode gerar efeitos positivos a longo prazo.

“Com o aumento do conforto e comodidade da sociedade moderna, as pessoas perderam isso e tendem a fazer a menos esforço”, afirma. Segundo ele, ao invés de se inscrever em uma academia, ambiente que muitos não gostam, a movimentação natural pode ser benéfica ao organismo.

6 – Maior interação, menos estresse
Com o advento da tecnologia e da fácil e instantânea comunicação, as pessoas estão perdendo a conexão humana que sempre foi parte do dia a dia antigamente. É comprovado que interações sociais são necessárias e positivas para se manter uma boa saúde física e mental. Afinal, o ser humano é um ser social.

“Nossos avós interagiam mais, reuniões na casa dos vizinhos mantinham todos animados e eram práticas comuns, por exemplo. Apesar do maior conforto e comodidade do mundo de hoje, nunca o ser humano esteve tão estressado, com tantas pressões diferentes e tão pouca interação humana”, explica.

De acordo com o especialista, as pessoas estão vivendo uma epidemia de estresses também, não só de obesidade e outras doenças crônicas.

“Precisamos colocar em perspectiva as nossas prioridades na vida e voltarmos a ter clareza de quais sãos os maiores valores dela. Família, amigos, socialização e interação, um remédio comprovado contra estresse e vida mais longa”, diz Polesso.

Fonte: Exame.com

Curta nossa página no Facebook

11 de julho

1576 - O corsário e explorador inglês Martin Frobisher avista a Gronelândia.
1828 - Miguel I, de tendência absolutista, é aclamado rei de Portugal.
1995 - Ocorre o Massacre de Srebrenica, quando os bósnios de etnia sérvia capturam a cidade muçulmana de Srebrenica.

Nasceram neste dia…
1274 - Roberto I, rei da Escócia (m. 1329).
1836 - Carlos Gomes, compositor brasileiro de música erudita (m. 1896).
1934 - Giorgio Armani, estilista italiano.

Morreram neste dia…
1971 - John W. Campbell, escritor e editor norte-americano (n. 1910).
1989 - Sir Laurence Olivier (foto), ator britânico (n. 1907).
2001 - Cândida Branca Flor, cantora portuguesa (n. 1949).

Fonte: Wikipédia

12 sintomas no corpo que são preocupantes

Dói todo o seu corpo e não entende por quê? Pode ser uma simples fadiga, mas também pode ser fibromialgia, uma doença misteriosa que ainda hoje provoca debate entre os médicos em todo o mundo. A fibromialgia é uma doença reumatológica que provoca dores fortes e constantes por todo o corpo e é especialmente comum nas mulheres. Como surgiu? Sempre existiu? A única coisa que os médicos concordam é que preciso começar a cuidar de sua saúde imediatamente.

Convidamos você a descobrir do que se trata. Importante: dê uma olhada em seu corpo, de acordo com o mapa de dor no final do artigo. Só vai levar um minuto, mas pode ser decisivo para o seu bem-estar.

Sintomas
  • A dor persiste por mais de 3 meses.
  • Cansaço e fadiga, especialmente acentuados na parte da manhã.
  • Distúrbios do sono.
  • Você tem pontos onde a dor é mais forte.
  • Sua cabeça dói frequentemente.
  • Seu período menstrual se tornou muito doloroso.
  • Você sente desconforto no intestino e ao urinar.
  • Reage a mudanças de clima, ao frio e ao calor, a odores fortes e aos ruídos.
  • Sua temperatura pode aumentar, sem motivo aparente.
  • Você tem sensações estranhas no corpo, especialmente nas extremidades: dormência, queimação, inchaço, etc.
  • Muitas vezes achar que é difícil se concentrar, sente-se distraído e esquecido.
  • Você está sempre irritado ou deprimido.

Mitos

Não uma doença, mas sentimentos subjetivos
Ao contrário, a fibromialgia é uma das doenças mais comuns do sistema locomotor. Mesmo que os médicos já tenham avançado nas pesquisas, as causas exatas da doença permanecem desconhecidas.

Só acontece com as pessoas da terceira idade e os homens não correm perigo
Não é assim, a doença pode ocorrer mesmo na infância e a maioria das pessoas que sofre com isso tem de 20 a 50 anos. Segundo as estatísticas, as mulheres com fibromialgia são em maior quantidade, mas os homens também podem sofrer da doença.

Não há problema nenhum: é possível aguentar a dor
Não é assim. Os ataques podem causar dor na hora de se deslocar e afetar seriamente sua eficiência no trabalho. Além disso, presume-se que a fibromialgia aumenta o risco de doenças cardiovasculares e no cérebro, especialmente entre os jovens.

O que fazer

O primeiro e o mais importante, ir ao médico
Só um médico pode determinar se você realmente tem fibromialgia e lhe indicar o tratamento adequado.

Terapia medicamentosa
Normalmente, os medicamentos são prescritos para aliviar a dor e reduzir a inflamação. Além disso, também podem ser indicados antidepressivos.

Atividade física, massagem e outros procedimentos
Tudo isso vai ajudar a recuperar sua mobilidade normal do corpo. No Japão, por exemplo, são usadas sessões curtas de crioterapia. O esporte também deve se tornar seu melhor amigo, mas com moderação, a yoga ou a natação são recomendadas.

Restabelecer o equilíbrio emocional
O negativismo, o estresse e a depressão afetam diretamente a doença. Segundo os médicos, até mesmo interagir com animais de estimação pode reduzir os sintomas.

O mapa dos pontos doloridos. Confira!  
Pressione os pontos indicados: normalmente, a dor não é aguda ou profunda e as áreas afetadas são pequenas. O principal sinal dessa doença é que os pontos dolorosos são simétricos. Eles estão doendo? Se a resposta for positiva, não procrastine de forma alguma sua consulta médica!

Fonte: Incrível

Curta nossa página no Facebook

25 coisas interessantes para você saber sobre a água

1 – Anualmente, 3,4 milhões de pessoas morrem em decorrência de problemas com a água que consomem;

2 – Há pessoas na África e também na Ásia que precisam andar em média 6Km por dia para coletar água;

3 – Uma privada média usa 6 litros de água a cada vez que a descarga é acionada;

4 – Cerca de 700 milhões de chineses bebem água contaminada todos os dias;

5 – A estimativa é a de que 1 em cada 9 pessoas não tenha fácil acesso à água potável;

6 – De toda a água existente no planeta, apenas 1% é potável;

7 – Uma piscina média perde 3.785 litros de água por mês através de eventos como a evaporação;

8 – Os ossos humanos são compostos de 31% de água;

9 – Não é a água por si só que conduz eletricidade, mas sim as suas impurezas;

10 – A água gelada é mais pesada do que a água quente;

11 – 90% de toda a água doce do mundo está na Antártica;

12 – Em uma casa média, dois terços de toda a água consumida é usada no banheiro;

13 – Aproximadamente 75% do conteúdo das fezes humanas é composto de água;

14 – A probabilidade de que você, ao beber um copo de água, acabe encontrando uma molécula de água que já foi ingerida pela Cleópatra é de praticamente 100%;

15 – É possível se intoxicar por beber muita água;

16 – Em alguns casos, a água quente se congela mais rapidamente do que a água gelada;

17 – A data de validade impressa nas garrafinhas de água serve para a garrafa, não para a água;

18 – Girafas aguentam mais tempo sem água do que camelos;

19 – O recorde mundial de pessoa que ficou mais tempo sem respirar embaixo da água foi de 22 minutos;

20 – No topo do Monte Everest, o ponto de fervura da água é em 71ºC;

21 – O número de moléculas de H2O presente em dez gotas de água é igual ao número de todas as estrelas do universo;

22 – São necessários 50 copos de água para o crescimento das laranjas suficientes para fazer um copo de suco;

23 – Em média, ao tomar banho de chuveiro uma pessoa usa 75 litros de água;

24 – São necessários 140 litros de água para a produção dos grãos de café suficientes para o preparo de uma xícara da bebida;

25 – Para a produção de uma camiseta de algodão são necessários quase 2,7 mil litros de água.

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook

Adoçantes não ajudam na perda de peso – e podem engordar

Açúcar ou adoçante? Se você prefere a segunda opção, talvez seja melhor repensar a sua escolha. De acordo com um relatório, publicado recentemente no periódico científico Canadian Medical Association Journal, os adoçantes artificiais compostos por sucralose, aspartame e glicosídeo de esteviol (Stevia), ao contrário do que se pensa, não ajudam na perda de peso e, pior ainda, podem aumentar a probabilidade de desenvolver diabetes, pressão alta, doenças cardíacas e obesidade.

Os estudos
Para estudar os efeitos das substâncias adoçantes, pesquisadores da Universidade de Manitoba, no Canadá, analisaram 37 estudos já realizados, que contaram com a participação de mais de 400.000 pessoas em um período de dez anos. Sete deles foram ensaios clínicos randomizados, um tipo de estudo considerado de referência em pesquisas científicas, que acompanharam como pessoas acima do peso reagiam a dietas que utilizavam adoçantes como alternativa ao açúcar. Ao longo de seis meses, alguns participantes emagreceram, mas os outros não tiveram perdas significativas.

Os outros estudos foram apenas observacionais, mas mostraram que as pessoas que consumiam adoçantes regularmente – bebendo uma ou mais bebidas açucaradas artificialmente por dia – tinham riscos maiores de ter problemas de saúde por conta de ganho de peso, obesidade, diabetes, doenças cardíacas, pressão alta e outras enfermidades.

Efeito contrário
Substituir o açúcar para perder peso não é a única solução. “Há uma suposição de que, quando há zero calorias, não existem danos”, disse Meghan Azad, principal autora da pesquisa, ao site da revista americana Time. “No entanto, há mais do que as calorias sozinhas.”

Adoçantes artificiais são aditivos alimentares sintéticos que imitam o sabor doce do açúcar contendo menos ou zero calorias. Muitos produtos que os contêm são rotulados como “diet” ou “zero” e alegam serem benéficos na perda de peso, o que é contestado pela nova análise.

Apesar dos resultados, os pesquisadores não sabem dizer como e porquê os adoçantes artificiais poderia causar esses efeitos negativos e ressaltam que outros fatores, como o consumo de alimentos processados, que geralmente têm adoçantes artificiais na composição, podem ser responsáveis pelos resultados.

Mas, uma possibilidade levantada por alguns cientistas para explicar a associação entre adoçantes e problemas de saúde à forma como eles afetam a microbiota intestinal, o conjunto de bactérias que mantém a saúde do intestino e ajuda na absorção de nutrientes. Consumir alimentos e bebidas que contenham essas substâncias adoçantes com frequência, segundo outros estudos, pode estimular o apetite e fazer com que as pessoas queiram comer cada vez mais. Além disso, por acreditarem que estão reduzindo a quantidade calorias, as pessoas tendem a extrapolar na alimentação.

Calorias
Apesar da polêmica em relação à eficácia dos adoçantes, o Conselho de Controle Calórico, organização americana que representa a indústria de alimentos e bebidas de baixa caloria, diz que a maior parte das pesquisas não confirma as novas descobertas.

“Os adoçantes são uma ferramenta para ajudar a fornecer sabor doce sem calorias”, disse Robert Rankin, presidente da organização. Além disso, durante a perda de peso é preciso considerar outros aspectos do estilo de vida. “As estratégias individualizadas são críticas nesse processo e devem abordar não só preferências alimentares, mas também atividades físicas e considerações médicas para ajudar cada pessoa a alcançar seus objetivos”, explicou.

Ainda assim, para os pesquisadores, o consumo de adoçantes precisa ser reduzido. “O cuidado precisa ser garantido até que os efeitos a longo prazo dos edulcorantes artificiais sejam completamente compreendidos. Dado o uso generalizado e crescente dos adoçantes e a atual epidemia de obesidade e doenças relacionadas, são necessárias mais pesquisas para determinar os riscos e benefícios desses produtos.”, disse Meghan.

Fonte: Veja

Curta nossa página no Facebook

Exército abre concurso com mais de 100 vagas na área da saúde

A Escola de Saúde do Exército Brasileiro (EsSEX) está com inscrições abertas para um novo concurso. Ao todo, são 100 vagas para médicos, 2 vagas para farmacêuticos e 4 para dentistas. As inscrições podem ser feitas no site da EsSEx até o dia 11 de agosto. A taxa é de R$ 130.

Os interessados devem ser brasileiros, ter concluído o curso de Farmácia, Odontologia  ou Medicina e possuir idade máxima de 36 anos (completos até 31 de dezembro do ano da matrícula).

A prova acontecerá no dia 15 de outubro em várias cidades do Brasil, incluindo Fortaleza. Serão 20 questões de conhecimentos gerais e 30 de conhecimentos específicos. 

Outras etapas do concurso incluem inspenção de saúde e teste de aptidão física, além de avaliação psicológica.

O salário do cargo pode chegar até R$ 7.796, de acordo com o site Ache Concursos.

Veja as informações no edital do concurso clicando AQUI

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Microempreendedores podem parcelar dívidas com a Receita

Microempreendedores Individuais (MEIs) com boletos atrasados podem solicitar o parcelamento da dívida à Receita Federal até 2 de outubro. Será permitido dividir em até 120 prestações os valores vencidos até maio de 2016. É a primeira vez, desde a criação do MEI, em 2009, que o governo abre um programa de parcelamento de débitos.

O pedido deve ser solicitado por meio do site da Receita Federal, do Portal e-CAC e do Portal do Simples Nacional, entre 8h e 20h. O aplicativo calcula a quantidade de parcelas de forma automática, considerando o maior número de parcelas possível. O valor de cada parcela mensal será acrescido de juros da taxa Selic mais 1%, relativamente ao mês em que o pagamento estiver sendo efetuado. O valor mínimo das parcelas é R$ 50.

Ainda de acordo com a receita, o parcelamento:
  • abrange a totalidade dos débitos exigíveis;
  • independe de apresentação de garantia;
  • implica confissão irrevogável e irretratável da totalidade dos débitos;
  • será considerado automaticamente deferido depois de decorridos 90 noventa dias da data de sua protocolização, caso não haja manifestação da autoridade concedente.

O parcelamento será rescindindo se ocorrer a falta de pagamento de três parcelas, consecutivas ou não; ou existir saldo devedor após a data de vencimento da última parcela.

De acordo com a instrução normativa que disciplina o parcelamento, não podem ser parcelados débitos, como os inscritos em Dívida Ativa da União, os relativos aos Impostos sobre Operações Referentes à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação e sobre Serviços de Qualquer Natureza inscritos em dívida ativa dos estados ou municípios, além de multas por descumprimento de obrigação acessória e débitos relativos à contribuição previdenciária descontada de empregado.

Curta nossa página no Facebook

Expocrato 2017: Mais 30 mil pessoas prestigiam primeiro dia do evento

Foto: Samuel Pinheiro/Blog Cariri
Com mais de 30 mil pessoas que lotaram o Parque de Exposição Pedro Felício Cavalcante, neste Município, na região do Cariri cearense, foi aberta, na noite de ontem a 66ª Exposição Centro-Nordestina de Animais e Produtos Derivados (Expocrato 2017), maior feira agropecuária do Estado e umas das maiores do Brasil, que espera faturar cerca de R$ 50 mi, nos variados setores neste ano.

A solenidade de abertura contou com as presenças do governador do Estado, Camilo Santana (PT); do secretário de Desenvolvimento Agrário (SDA), Francisco José Teixeira; de deputados e lideranças políticas.

Foi iniciada com o hasteamento das bandeiras do Crato, Ceará e do Brasil, com os respectivos hinos. Mais cedo, foi celebrada uma missa campal, além de ter sido realizada a 4ª edição da cavalgada "O chão vai tremer". Segundo um dos organizadores, Manoel Costa, mais de 600 cavaleiros participaram da marcha.

Grandiosidade
Camilo Santana ressaltou que a Expocrato tem apresentado notório crescimento, ano após ano, tanto em montante negociado quanto em quantidade de visitantes ao parque e ressaltou que "essa será a maior Exposição de todos os tempos". O chefe do executivo lembrou que a Expocrato passou a ser um patrimônio, não só do Crato, mas de todo o Ceará e afirmou que "já é a maior feira agropecuária do Interior do Nordeste".

O governador Camilo mostrou-se confiante quanto a movimentação financeira da Exposição e considerou que a escassez de chuvas dos últimos anos não afetará os negócios.

"Há uma expectativa de que neste ano todos os números sejam superados. A feira reúne múltiplos negócios, desde o conhecimento de novas tecnologias para a agropecuária, leilões, enfim, é uma oportunidade muito grande de fazer negócios. É uma exposição que já está consolidada", disse.

O presidente grupo gestor do Parque de Exposição Pedro Felício Cavalcante, Luiz Gonzaga de Melo, compartilha da mesma expectativa do governador e espera uma movimentação financeira, durante os oito dias de evento, superior a R$ 50 milhões envolvendo todos os segmentos. "Somente no agronegócio, acreditamos que as vendas fiquem em torno dos R$ 10 milhões", completou Gonzaga.

Diversidade
Criada em 1944, a feira chega à 66º edição ininterrupta, com foco na diversidade. As cerca de 400 mil pessoas que são esperadas até o dia do encerramento, 16 de julho, poderão contar com dezenas de estandes erguidos com os mais variados temas, que vão desde a cultura popular à comercialização de equipamentos pesados para agricultura. Ao lado do comércio de bijuterias, artesanatos, artigos de couro e produtos característicos do sertão, a gastronomia também se destaca. Um dos pontos mais visitados dentro do Parque é o tradicional engenho de cana-de-açúcar, presente na feira há 17 anos. Os proprietários estimam que sejam moídos 145 toneladas de cana-de-açúcar.

A Expocrato acontece em uma área com mais de 2,5 milhões de hectares, dividida entre o local dos shows, que reúne atrações regionais e artistas nacionais, e local para exposição de bovinos, equinos e caprinos. Os animais ficarão em dez galpões, com uma média de 400 baias. A novidade da edição deste ano será a primeira etapa do Campeonato da Associação Brasileira de Ovinos. Além disso, a Expocrato contará com exposição nacional de cavalos da raça Campolina, considerada uma linhagem nobre de equinos marchadores. A edição também traz exposições inéditas com répteis exóticos, como jacarés, jiboias, píton e lagartos.

Mais informações
66ª Exposição Centro-Nordestina de Animais e Produtos Derivados (Expocrato 2017)
Quando: De 9 a 16 de julho
Local: Parque de Exposição Pedro Felício Cavalcante
Endereço: Rua Rui Barbosa, 259-293 - Centro - Crato

ANDRÉ COSTA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

ShareThis