Crato (CE): Vigilância Sanitária visita estabelecimentos comerciais

O Setor de Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde do Crato continua o trabalho de visitas em estabelecimentos comerciais com o intuito de monitorar e eliminar os riscos que possam acontecer para elevação dos índices de doenças entre a população.

A vigilância tem como prerrogativa principal o trabalho de promoção e  prevenção à saúde daí porque tem como uma de suas principais atividades as visitas para fazer uma fiscalização detalhada das condições sanitárias dos estabelecimentos, avaliar a qualidade dos alimentos e as condições de higiene.

Atualmente a Vigilância Sanitária do Crato é composta por tecnólogos de alimentos, farmacêuticos,  biólogos, técnicos em saneamento ambiental para trabalhar as diversidades que o município apresenta.

Segundo Diones Gomes, coordenador da Vigilância Sanitária esse trabalho tem como objetivo diminuir os riscos à saúde pública. “Nosso objetivo é fazer com que os proprietários desses estabelecimentos comerciais, principalmente restaurantes, lanchonetes e bares possam oferecer um serviço com qualidade”, afirmou.

Ao oferecer um bom alimento os comerciantes colaboram no sentido de evitar doenças como diarréia e outras patologias  que possam ser transmitidos  por alimentos contaminados.

Dicas para o consumidor
A Vigilância sanitária do Crato lembra e dá algumas dicas para os consumidores na hora de comprar em bares, restaurantes e  lanchonetes:
  • Prefira estabelecimentos que tenha a placa de fiscalizado
  • Observar  o certificado de fiscalizado também  em clinicas e consultórios odontológicos
  • Prestar atenção onde você  está se alimentando  e cuidar  da saúde
  • Solicitar sempre boas condições de limpeza nos estabelecimentos e nos alimentos

Serviço:
Vigilância Sanitária do Crato
(88) 3586.8000 Ramal 247

Foto meramente ilustrativa

Assessoria de Imprensa/PMC

Curta nossa página no Facebook



Caso Lewdo: Acusada de matar filho com veneno em sorvete é presa

Cristiane Renata Coelho Severino, acusada de matar o filho, Lewdo Ricardo Coelho Severino, está presa em Fortaleza. Ela se apresentou à Justiça na tarde desta sexta-feira (8) e ficará detida na Delegacia de Inteligência da Polícia (DIP), no Centro de Fortaleza. Cristiane Coelho é acusada também de tentar matar o marido, o subtenente do Exército Brasileiro, Francileudo Bezerra Severino.

Na manhã desta sexta-feira (8), Cristiane Coelho foi considerada foragida por não ter se apresentado ao delegado Wilder Brito, do 16º Distrito Policial, confome estabelecido no mandado de prisão preventiva expedido pela juíza Daniela Lima da Rocha, da 3ª Vara do Júrido Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza. Por ter nível superior, Cristiane Coelho deverá ser transferida na segunda-feira (11) para prisão especial, no presídio feminino Auri Moura Costa, em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza. No fim da tarde desta sexta-feira ela fez exame de corpo de delito na Perícia Forense do Ceará(Pefoce), de acordo com titular da Decap, delegado Gustavo Pernambuco.

Cristiane Coelho teve a prisão preventiva decretada na terça-feira (5), pela juíza Daniela Lima da Rocha, que está respondendo pela 3ª Vara do Júri. A juíza também determinou a quebra de sigilo do perfil social em rede social (Facebook) e de e-mails da acusada e da vítima Francileudo Bezerra, relativo ao período de julho de 2013 a janeiro de 2015. A juíza entendeu que o "interesse público deve se sobrepor à proteção constitucional do sigilo individual, para aferição de possível coautoria do delito".

Na decisão, a juíza ressaltou que os laudos periciais somados aos depoimentos e acareações "demonstram, sem margem de dúvida, a materialidade delitiva, prova de onde também exsurgem mais do que indícios de que Cristiane Renata Coelho Severino utilizou-se de veneno para rato, conhecido popularmente por chumbinho, para ceifar a vida do filho e tentar contra a vida do marido”.

Cristiane Coelho foi indiciada no dia 27 de abril por tentativa de homicídio triplamente qualificado contra o então marido, o subtenente do Exército Francileudo Bezerra e por homicído triplamente qualificado do filho. Com a decisão, Cristiane passou à condição de ré em ação penal e tem prazo de 10 dias para apresentar a defesa das acusações.

Entre os agravantes dos crimes estão motivo torpe, com emprego de veneno, com recurso que torna impossível a defesa, além da vítima ser criança e filho de Cristiane. SE condenada, Cristiane Coelho pode pegar até 30 anos de prisão.

O crime
Na madrugada de 11 de novembro de 2014, o subtenente do Exército Francileudo Bezerra e seu filho Lewdo Bezerra ingeriram veneno para rato conhecido como "chumbinho". A substância foi encontrada na pia da cozinha da casa do casal.  O pai ficou internado durante 32 dias no Hospital Geral do Exército, em Fortaleza, dos quais em coma por uma semana, e se recuperou.

O militar chegou a ser apontado como suspeito de homicídio, porque no primeiro depoimento a mulher, Cristiane, contou à polícia que ele tinha matado o filho com tranquilizantes e tentado se matar, além de agredi-la. "A Cristiane, que dizia ter sido espancada pelo marido, matou o filho envenenado fazendo uso de sorvete de morango. Não há mais dúvida", afirmou o delegado Wilder Brito, presidente do inquérito.

A motivação do crime, de acordo com as investigações, seria um seguro do Exército de cerca de R$ 150 mil, os soldos do militar e um outro seguro que o subtenente havia feito em nome do filho mais velho. “Ela era a principal beneficiária. O pessoal do Exército, os militares, têm um seguro e ela seria a principal beneficiária. Além disso, além do seguro, ela seria  pensionista do Exército, ela não precisaria trabalhar, todo mês o dinheiro ia cair na conta dela”, disse Francileudo Bezerra, em entrevista.

Investigação
A perícia realizada nos equipamentos eletrônicos usados pelo casal - como notebooks e celulares-, aponta que a mãe da criança fazia pesquisas na internet sobre como envenenar pessoas com chumbinho desde o dia 29 de outubro. "Ela pesquisou como matar uma pessoa envenenada, de como seria a dosagem (...). O tempo para matar uma pessoa envenenada dura de 30 minutos a duas horas, dependendo da dosagem, do aspecto físico da pessoa. No caso da criança, é de 30 minutos. Ela estudou tudo isso durante o período em que ela dizia que estava dormindo", diz.

O documento detalha os termos de busca: "quanto tempo leva para morrer quem ingeriu chumbinho?"; "abordagem dos envenenamentos e das dosagens excessivas de medicamentos"; "matou mulher e ingeriu chumbinho"; "menina de 12 anos morre após ingerir chumbinho em Paulista"; "os elementos da morte" e "suicídio".

"Com a extração dos primeiros dados, nós percebemos que ela também ficou em redes sociais após a morte do filho, discutindo com os internautas, com as pessoas que estavam em uma rede social. Ela montou uma estrutura de defesa para ela. Mas se ela era a vítima, porque aquele comportamento sempre de defesa?”, questiona o delegado. De acordo com Wilder Brito, o planejamento do crime começou em junho de 2014.

Depois de cinco meses, o delegado Wilder Brito não tem dúvidas de que a mãe é responsável pelo assassinato do filho de 9 anos. "Não há uma prova, é um conjunto de provas que demonstra cabalmente que fica impossível a defesa fazer contestações (...). Cada laudo complementa o outro", explica o delegado.

Guarda
Logo após o crime, Cristiane Coelho foi embora para o Recife, em Pernambuco. Ela levou o filho mais novo de 7 anos, e, desde então, o pai não manteve contato com a criança. Decisão da juíza Ana Paula Feitosa de Oliveira, titular da 16ª Vara da Família de Fortaleza, em 24 de abril, retirou a guarda da criança da mãe e transferiu para o pai, Francileudo Bezerra. No dia 28, ele foi buscar a criança na capital pernambucana e o trouxe de volta para Fortaleza.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook



Santana do Cariri (CE): População é obrigada a ligar para celular dos policiais

A Sejus informou que a paralisação das obras de
 reforma e ampliação da cadeia de Santana do Cariri
 se deve à espera da realização de uma nova licitação
A população deste município continua temerosa em relação ao número de roubos e assaltos decorrentes das falhas no setor de segurança pública. Embora haja contingente policial militar e viatura que recentemente foi entregue pelo governo do Estado para realização de rondas policiais e auxílio na captura de criminosos, as deficiências que o setor apresenta ainda implicam na falta de confiança da população e no aumento dos índices de criminalidade.

Como em 2013, não há aparelho de telefonia fixa no local. Para realizar denúncias ou pedir o auxílio da Polícia, a população precisa ligar diretamente para os números dos celulares dos policiais em serviço.

Dentre os problemas evidenciados, a ausência de condições de infraestrutura do local utilizado como destacamento policial e o atraso nas obras de recuperação da cadeia pública municipal são os que mais chamam a atenção da sociedade local. A situação não é nova. No dia 11 de setembro de 2013 a reportagem relatou a situação da falta de segurança pública no município. Naquela ocasião, moradores e comerciantes se diziam assustados com a quantidade de roubos e assaltos registrados semanalmente na cidade.

Os crimes aconteciam em plena luz do dia. Os criminosos agiam sem receio da reação policial porque, naquele período, não havia, sequer, viatura para realização de diligências. Conforme os moradores da cidade, de lá pra cá a única mudança vista no setor foi a entrega da viatura realizada pelo Governo do Estado, em outubro do ano passado.

Por falta de delegacia, a população não tem como realizar um simples boletim de ocorrência. Em caso de prisões, os detentos são transferidos para os municípios de Nova Olinda, Altaneira, ou para a Delegacia Regional, localizada em Crato, há cerca de 53 Km de distância. O alojamento dos policiais funciona em uma casa alugada pela Prefeitura.

Em nota, a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) informou que um plano de recuperação das unidades prisionais do interior já está em curso, afirmando que diversas cadeias públicas encontram-se em reforma, enquanto outras estão em construção, como as unidades de Quixadá e de Novo Oriente, além da construção da Cadeia Pública de Juazeiro do Norte.

Sobre a Cadeia de Santana do Cariri, a Sejus informou que as obras de reforma e ampliação da unidade estavam a cargo da RCL Construções. A construtora, no entanto, abandonou a obra e o trâmite para que a empresa retome os trabalhos ou para que haja uma nova licitação está em andamento no Departamento de Arquitetura de Engenharia (DAE).

ROBERTO CRISPIM
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Tire 37 dúvidas sobre a lei que amplia os direitos do empregado doméstico

Após dois anos de discussões no Congresso, foi aprovado nesta quarta-feira (6) o projeto que regulamenta direitos de trabalhadores domésticos do país. O texto segue agora para sanção da presidente Dilma Rousseff. As regras passam a valer 120 dias após a sanção.

O projeto aprovado determina o recolhimento de 8% de FGTS aos empregadores sobre a remuneração do empregado e unifica a cobrança do INSS, do IR e do fundo de garantia em um boleto único a ser pago pelos empregadores. Também prevê o percentual de 0,8% de seguro por acidente de trabalho.

O texto cria um banco de horas extras a ser compensado com folga num prazo de até um ano.

Veja, a seguir, os destaques da regulamentação, segundo texto disponível no Senado.

1) Quem é considerado trabalhador doméstico?
Aquele que presta serviço de forma contínua a pessoa ou família por mais de dois dias na semana. O local de trabalho é casa da família e a atividade do trabalhador não pode gerar lucro ao empregador.

JORNADA DE TRABALHO

2) Qual é a jornada de trabalho fixada em lei?

Oito horas diárias ou 44 horas semanais

3) É possível contratar trabalhador doméstico por período menor?
Sim, mas segundo a lei, o regime de tempo parcial não pode exceder 25 horas semanais de trabalho, com limite de uma hora extra diária.

4) É possível negociar a duração diária da jornada de trabalho?
A lei prevê que trabalhador e patrão possam negociar jornadas de 12 seguidas por 36 horas de descanso

5) O empregado é obrigado a registrar a duração da jornada de trabalho?
Sim, a lei prevê a anotação em meio manual, mecânico ou eletrônico.

HORAS EXTRAS

6) A lei fixa limite de número de horas extras?

Não, mas prevê que a hora extra trabalhada deverá ser acrescida de no mínimo 50% do salário

7) O trabalhador doméstico terá direito a banco de horas?
Sim, mas as primeiras 40 horas extras precisam ser pagas em dinheiro. A exceção prevista pela lei a compensação da hora extra trabalhada durante o mês.

8) E se o trabalhador sair do emprego antes de compensar as horas extras?
O empregador precisará pagar as horas extras ao empregado. O valor será calculado com base na remuneração atual do trabalhador.

9) Como é o trabalho em domingos e feriados?
A lei prevê que as jornadas em domingos e feriados sejam pagas em dobro, a não ser que o empregado ganhe uma folga para compensar o dia trabalhado.

FÉRIAS

10) O trabalhador doméstico tem direito a férias?

Após um ano de trabalho, com acréscimo de um terço a mais que o salário.

11) O empregado pode dividir as férias do trabalhador?
O limite é de dois períodos de férias por ano, sendo que um deles precisa ser de no mínimo 14 dias.

12) Trabalhador com jornada reduzida também tem direito a férias?
Também após um ano de trabalho, m mas o período de descanso é menor. Varia de oito a 18 dias conforme a duração da jornada semanal.

13) O trabalhador pode vender parte das férias?
Até um terço das férias, com direito ao recebimento do abono pecuniário.

14) O empregado que mora no emprego precisa sair da casa durante as férias?
Não. A lei prevê que o trabalhador pode permanecer durante as férias.

TRABALHO NOTURNO

15) O que a lei dos domésticos prevê como trabalho noturno?

Trabalho noturno é aquele realizado entre as 22h e as 5h.

16) O trabalhador receberá adicional noturno?
O acréscimo é de, no mínimo, 20% sobre o valor da hora diurna

17) Há alguma diferença na duração do trabalho noturno?
A hora trabalhada é menor, de 52 minutos e 30 segundos. Significa que, além do adicional noturno, o trabalhador recebe mais pelo trabalho na madrugada.

DESCANSO

18) Qual é o período de descanso do trabalhador?

Ele tem direito a parada de 1h durante a jornada de 8h para descanso e alimentação. Se houver acordo entre trabalhador e empregado, o descanso pode ser reduzido para meia hora.

19) Qual é o período de descanso do trabalhador que mora no emprego?
O intervalo pode ser desmembrado em dois períodos. Cada um deles precisa ter pelo menos uma hora até o limite de quatro horas.

20) Qual é o período de descanso entre jornadas?

Entre dois dias de trabalho, o descanso mínimo é de 11 horas consecutivas.

DESCONTO DE SALÁRIO

21) O empregador pode efetuar descontos no salário do trabalhador de gastos com moradia e alimentação?

Não. A lei proíbe descontos para fornecimento de alimentação, vestuário, moradia e higiene. Gastos com transporte e hospedagem para empregados em viagem também não podem ser descontados.

22) Empregador pode descontar valores de plano de saúde?
Sim, até o limite de 25% do salário. Os descontos autorizados são de adiantamento de salário, planos de saúde e odontológicos, seguro e previdência privada.

FIM DO CONTRATO

23) Se o empregador quiser demitir o trabalhador doméstico?
Será preciso dar o aviso prévio de 30 dias, com acréscimo de 3 dias a cada ano trabalhado. O limite total de aviso prévio é de 90 dias.

24) E se o empregador não der o aviso prévio?
Precisará pagar o salário equivalente ao período.

25) O trabalhador também precisa dar aviso prévio?
Sim. Se não cumprir aviso prévio, o empregador pode descontar do salário o período equivalente ao aviso prévio não trabalhado.

26) O doméstico precisa cumprir aviso prévio mesmo que esteja mudando de emprego?
Não. Essa é a única exceção para dispensa de aviso prévio na lei.

27) Quando o empregador pode demitir o trabalhador por justa causa?
A lei lista os motivos

> Maus tratos a idosos, enfermos, pessoas com deficiência e crianças sob cuidado direto ou indireto
> praticar mau procedimento
> condenação criminal do empregado, após conclusão de todo o processo
> preguiça no desempenho das funções
> embriaguez habitual ou em serviço
> violação da intimidade do empregador e de sua família
> indisciplina ou insubordinação
> abandono de emprego (quando o trabalhador se ausenta do trabalho sem justificativa por mais de 30 dias)
> praticar ato lesivo à honra ou à boa fama de qualquer pessoa, inclusive empregador ou família, durante o serviço
> praticar jogos de azar

28) Quando o trabalhador pode pedir a rescisão do contrato por culpa do patrão?
> Quando forem exigidos serviços superiores à força do empregado doméstico, proibidos por lei, contrários aos bons costumes ou alheios ao contrato
> Quando o empregado doméstico for tratado pelo empregador ou sua família com rigor excessivo ou de forma degradante
> Quando o trabalhador estiver em risco
> Quando o empregador não cumprir obrigações do contrato
> Quando o pregador ou família praticarem ato lesivo à hora ou boa fama ou agredirem o trabalhador e família

29) O trabalhador doméstico terá direito ao seguro-desemprego?
Sim, se não for demitido por justa causa. Mas o acesso ao benefício só será permitido se o trabalhador comprovar vínculo empregatício de pelo menos 15 meses nos últimos dois anos. A exigência é maior do que para os demais trabalhadores com carteira assinada.

30) Qual será o valor do seguro-desemprego e por quanto tempo o trabalhador terá direito?
A lei prevê que o doméstico terá direito a um salário mínimo por três meses

31) O trabalhador doméstico pode perder o seguro-desemprego?
Sim. A lei prevê o cancelamento do benefício em caso de recusa de nova proposta de trabalho com qualificação condizente com a do empregado e salário equivalente. Se houver indício de fraude, o benefício também é suspenso

32) O doméstico terá FGTS?
Sim. O trabalhador recolherá 8% do salário para o fundo de garantia.

33) Se o trabalhador for demitido sem justa causa, terá direito à multa de 40% sobre o valor do fundo, como os demais empregados?
Não. A lei cria um instrumento alternativo. Patrões vão recolher 3,2% do salário pago para compensação do trabalhador caso percam o emprego.

34) Em caso de demissão por justa causa, para onde vai esse dinheiro?
Neste caso, o trabalhador não terá direito ao valor, que voltará para o empregador

35) Onde o dinheiro ficará depositado?
Em uma conta vinculada ao contratado de trabalho do empregado, mas distinta da conta do FGTS. O valor só poderá ser movimentado após a rescisão do contrato.

PAGAMENTO DE TRIBUTOS

36) Quem deve pagar os tributos do trabalhador?
O empregador. A lei cria o Simples Doméstico, que unifica a cobrança de impostos, e prevê que o sistema esteja regulamentado em 120 após a entrada em vigor da lei.

Por meio do Simples serão recolhidos a Contribuição Previdenciária do trabalhador e a patronal, o pagamento da contribuição para acidentes de trabalho, o FGTS, o equivalente à indenização por fim do contrato de trabalho e também o Imposto de Renda (quando for necessário recolher)

37) Quais os valores serão recolhidos?
> de 8% a 11% de INSS descontados do salário do trabalhador
> 8% de contribuição patronal para o INSS
> 8% para o FGTS
> 3,2% para indenização por perda do trabalho
> 0,8% para acidentes de trabalho
> Imposto de Renda (quando houver)

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Guarda Municipal apresenta projeto para a implantação de sistema de vídeo monitoramento

Foi apresentado na quinta feira, 7, projeto para implantação de sistemas de vídeo monitoramento nas vias públicas do município do Crato. O projeto é de iniciativa do Governo cratense, e tem a frente a Guarda Municipal como gestora do sistema. A proposta inicial apresentada, busca efetivar um sistema que integre as demais forças policiais  na cidade e instituições de segurança.

De acordo com o comandante da Guarda Municipal, Márcio Bento, o projeto é uma integração entre a guarda municipal, Polícias Civil e Militar, e Ronda do Quarteirão.

O projeto será enviado ao Ministério da Justiça, na busca por recursos públicos, pois o projeto é bastante robusto e visa solucionar diversas lacunas operacionais das forças de segurança, de modo a representar uma iniciativa inovadora e permanente no combate à violência e a criminalidade no nosso município.

Assessoria de Imprensa/PMC

Curta nossa página no Facebook



Inflação em abril é a maior para o mês desde 2011; em 1 ano, passa da meta

O índice oficial de preços no Brasil registrou alta de 0,71% em abril. É a maior inflação para o mês de abril desde 2011, quando ela foi de 0,77%. Os dados do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor - Amplo) foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (8).

O resultado do mês passado representa uma desaceleração em relação a março (1,32%). No entanto, foi maior que a inflação de abril do ano passado (0,67%).

Com o resultado, a variação acumulada em 12 meses chegou a 8,17%. Trata-se da maior alta acumulada desde dezembro de 2003, quando o IPCA atingiu 9,3%.

O número está muito acima do limite máximo da meta. A intenção do governo é manter a alta dos preços em 4,5% ao ano, com tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo --ou seja, variando de 2,5% a 6,5%.

Energia dá trégua
Segundo o IBGE, o principal responsável pelo resultado de abril do IPCA foi o custo da energia elétrica, que desacelerou a alta para 1,31%. Em março, a energia teve alta de 22,08%, após a revisão das tarifas em todas as regiões pesquisadas.

Apesar de o impacto ter sido menor em abril, o custo da energia residencial acumula neste ano alta de 38,12%, e em 12 meses as contas estão 59,93% mais caras, segundo os números do IBGE.

Inflação e juros
Na véspera, o Banco Central disse que o avanço no combate à inflação se mostrou insuficiente. O comentário foi feito na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), realizada nos dias 28 e 29 de abril para decidir a taxa de juros.

A Selic, que é a taxa básica de juros do país, está atualmente em 13,25% ao ano. São os maiores juros em 6 anos e 4 meses, desde dezembro de 2008, quando a taxa estava em 13,75%.

A taxa de juros é um dos instrumentos mais básicos para controle da alta de preços.

Quando os juros sobem, as pessoas tendem a gastar menos e isso faz o preço das mercadorias cair (obedecendo à lei da oferta e procura), o que, em tese, controlaria a inflação.

Fonte: UOL (Com Reuters)

Curta nossa página no Facebook



Antonina do Norte (CE): Equipamentos de segurança pública estão sucateados

O prédio da delegacia se transformou em alojamento de
precárias condições físicas, que abriga policiais
destacados para a região
A falta de equipamentos do setor de segurança pública em alguns municípios da região do Cariri tem ocasionado medo e preocupação junto a moradores de cidades que não contam com delegacias da Polícia Civil, cadeias públicas e onde destacamentos da Polícia Militar estão sucateados, sem a menor condição de uso por parte dos policiais. Neste município, por exemplo, a falta de infraestrutura do equipamento que abriga a Polícia, e que também serve para o cerceamento da liberdade de criminosos, levou o Ministério Público do Ceará (MPCE) a solicitar a interdição do equipamento.

A unidade, segundo o MPCE, não possui condições mínimas em sua estrutura física, bem como sanitária, para abrigar detentos, tampouco os policiais que ali permanecem alojados. O mal cheiro predomina pela unidade. Não há aparelhos sanitários nas celas, que se encontram totalmente deterioradas. Os presos, por determinação judicial, foram transferidos para a cadeia pública do município de Araripe. Os policias, no entanto, continuam trabalhando e utilizando o local como alojamento.

Além da situação precária do equipamento, para que procedimentos policiais possam ser registrados, é preciso que os policiais se desloquem cerca de 130 Km até o município de Iguatu, mesmo havendo uma Delegacia de Polícia Civil funcionando no município de Assaré, cuja distância para este município é de apenas 17 Km. Na cidade, trabalham oito policiais militares. No entanto, a escala diária conta apenas com o serviço de quatro militares, o que acaba resultando em falta de cobertura policial quando há necessidade de deslocamento até Iguatu.

Conforme populares, roubos e assaltos têm crescido na cidade, principalmente em locais mais afastados do Centro. No período noturno, o consumo de drogas em terrenos abandonados e locais ermos também aumentou. Comerciantes afirmam estarem assustados com a falta de aparelhamento do setor de segurança. Em alguns estabelecimentos, grades foram instaladas para evitar assaltos.

"Não há mais segurança no Município. E não é porque a Polícia não faça sua parte. O problema é que não dão condição pra que eles trabalhem. Imagine você ter que se deslocar até Iguatu para realizar um boletim de ocorrência. Sempre que isso acontece, a cidade fica desprotegida. Em matéria de segurança pública, não há condições para nada aqui em Antonina", afirmou o mototaxista Givaldo Pereira da Silva. "Antes, todo mundo ficava conversando na calçada de casa, batendo papo com os amigos e falando sobre os acontecimentos do dia. Hoje, o medo de assalto é tão grande que ninguém tem mais coragem de deixar a porta aberta", diz.

A auxiliar de serviços Maria Pereira Facundes também se diz preocupada com a situação. Conforme avalia, a falta de condições de trabalho e a ausência de uma delegacia de Polícia no Município diminuem a eficiência da ação policial e resulta na ampliação dos índices de violência. "Se nós tivéssemos uma Delegacia de Polícia aqui, acho que os bandidos teriam mais receio de cometer os crimes".

O prefeito do município, Antônio Roseno Filho, afirma ter enviado ofícios para o Secretário de Justiça do Ceará, Hélio Leitão, solicitando a reforma do destacamento policial militar do município ou a construção de uma nova unidade, bem como a construção de uma delegacia de Polícia Civil no Município, não obtendo, até o momento, respostas por parte do secretário.

"Desde a gestão do governador Cid Gomes que realizamos solicitações para que esse problema seja solucionado. Não há cabimento que um município com 57 anos de emancipação não possua uma cadeia pública com condições mínimas de infraestrutura e uma delegacia onde a população possa realizar, com comodidade, um boletim de ocorrência. Até o local que serve de alojamento para os policiais está ruim. O banheiro não presta, a cozinha não cabe duas pessoas dentro, o mal cheiro é insuportável. O município, pelo que eu vejo, vai ter que custear o aluguel de um local que sirva de alojamento para os policiais. É muito complicada essa situação", asseverou o gestor.

A reportagem buscou obter informações junto à Secretaria de Justiça e Cidadania do Ceará (Sejus) a respeito da falta de condições do local onde os presos permaneciam recolhidos em Antonina do Norte, antes do pedido apresentado pelo MPCE para interdição do equipamento.

Por e-mail, a assessoria de comunicação da pasta informou que a unidade, na verdade, é um destacamento policial, e não cadeia pública, sendo, portanto, de responsabilidade da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Responsabilidade
Procurada para tratar sobre o assunto, a SSPDS negou ser responsável pelo equipamento, alegando que a tarefa de zelar pela infraestrutura dos locais onde há presos recolhidos pertence à Sejus. A assessoria da SSPDS informou, ainda, que a Polícia Civil já possui planejamento para que a Delegacia de Assaré passe a responder por Antonina do Norte, mas que, no momento, não é possível por falta de delegado na região.

Um concurso da Polícia Civil está em andamento e, com o aumento do efetivo, o problema deve ser resolvido até o fim do ano. A Nota encaminhada pela assessoria de comunicação também ressalta a construção de 59 delegacias em municípios do Interior cearense, no período de 2009 a 2014, observando que novas delegacias já estão com recursos aprovados para serem construídas, dependendo apenas de trâmites administrativos e internos.

Mais informações
Secretaria de Justiça e Cidadania do Ceará - Telefone (85) 3101-2840
Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará - Telefone (85) 3101-6502

ROBERTO CRISPIM
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



13 coisas que ninguém aguenta mais em grupos do WhatsApp

1 – Usuário Fantasma: você até vê, mas nunca se comunica
Aquela pessoa que você sabe que existe, só não sabe se ele consegue responder.

2 - Pessoas “chatamente” apaixonadas 
Só sabem falar sobre o namoro, mesmo que você pergunte sobre outra coisa.

3 - “Opinador” Profissional
Pessoas que compartilham opinião política em qualquer grupo. Isso mesmo, em qualquer grupo.

4 - Pessoas felizes demais
Mandam “bom dia” todos os dias. Mandam “boa noite”todas as noites. Incomodam sempre.

5 - Pessoas estressadas
Aquelas que se passarem muito tempo sem brigar no grupo, logo precisam arrumar uma confusãozinha para desestressar.

6 - O Insistente Antenado
Pega o assunto do momento e passa uma semana toda falando dele até surgir outra coisa para ele falar durante a próxima semana... inteira!

7 - Assassino de Gigabytes
Aquele que manda vídeo todo dia, toda hora, sobre tudo, sem que ninguém peça para ver. Se você baixar 10% dos vídeos que ele manda, a memória do seu celular morre.

8 - Pessoa Orkut
Aquela que até hoje compartilha correntes e ainda acredita nelas.

9 - Viciado em Memes
Faz você enjoar de todos, até daqueles que você gostava antes de ele começar a postar.

10 - Pessoa Galvão Bueno
Aquela para quem você faz uma pergunta simples e ela responde com um áudio de tempo infinito.

11 - Finalizador Profissional de Assuntos (FPA) 
Aquele que chega atrasado na conversa e, em vez de ler tudo para entender do que se trata ou simplesmente não opinar, tenta participar e acaba finalizando o assunto.

12 - Pessoa Faustão
Sempre que quer dizer algo, corta qualquer um que esteja falando sobre qualquer coisa.

13 - Enigmático semianalfabeto
Em vez de falar ou escrever, se comunica através de emoji, fazendo com que você, no lugar de ler, tenha que decifrar.

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Sistema Municipal de Cultura está sendo viabilizado

Dane de Jade, secretária de Cultura do Crato
A Prefeitura do Crato através da Secretaria Municipal de Cultura (Secult) está trabalhando para viabilizar o Sistema Municipal de Cultura, instrumento, segundo a secretária Dane de Jade, que possibilitará o Crato ter condições de articulação das políticas públicas na área.

Segundo Dane de Jade “é  o sistema que vai regular a situação da Secult  no âmbito do município, e que terá ligação e articulação com os sistemas estadual e  nacional de cultura”, afirmou.

Dentro dessa lógica de funcionamento a cultura vai ter um avanço na discussão e articulação nas políticas culturais já que  possibilitará a construção de uma política cultural consistente, amparada na lei, e composta pelo conselho municipal de cultural, fundo municipal de cultura e o plano municipal.

Dane destaca que o sistema ainda não foi operacionalizado pois precisa de algumas ações do Governo Federal que ainda não se consolidaram, mas mesmo assim o Crato já saiu na frente para mobilizar a área cultural e organizar o sistema municipal.

“Isso é para logo, quando o Governo Federal através do Ministério da Cultura vai concluir todo esse processo em parceria com estados e municípios”, afirmou Dane de Jade.

Com relação ao Crato em 2014 foi aprovada a lei que cria o Sistema Municipal de Cultura, ou seja, quando o sistema tiver sendo operacionalizado o Município do Crato vai estar na frente já que a partir desse ano o sistema municipal de cultura do Crato vai estar em pleno funcionamento.

No primeiro semestre deste ano a Secult Crato estará estruturando o Conselho Municipal de Cultura que contará com a participação de 13 membros efetivos e 13 suplentes. Uma equipe do Ministério da Cultura vai acompanhar todo o processo para retomada do conselho de cultura, com caráter deliberativo e consultivo e vai passar por duas instâncias: poder público e sociedade civil.

Avaliação de Dane de Jade
Segundo a secretária Dane de Jade, mesmo com a morosidade característica do serviço público brasileiro, a criação dos sistemas municipais de cultura é fundamental por se tratar de uma política que vem para agregar e facilitar as políticas públicas de cultura.

“Temos que trabalhar na área da cultura como se trabalha na saúde e educação, com seus recursos e estrutura organizados”, explica,  lembrando que a cultura não pode ser tratada apenas como gasto mas como uma necessidade e uma prioridade.

Segundo Dane de Jade a cultura não é um evento apenas, ou festas ou shows, mas a transformação da vida social e cotidiana de uma cidade e tão importante quanto saúde.

“Quando uma pessoa está bem, com saúde, com seus direitos garantidos, ela vai a uma cinema, ao teatro,  vai dançar, e isso faz parte da vida das pessoas”, afirma.

Assessoria de Imprensa/PMC

Curta nossa página no Facebook



Investimento e disciplina fizeram da Coreia do Sul uma campeã em educação

Há anos com fortes índices em rankings mundiais de educação, a Coreia do Sul é geralmente lembrada como exemplo de país cujo sistema educacional deu certo. Segundo o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) de 2010, os alunos sul-coreanos ficaram em quinto lugar na prova que testou seus conhecimentos em matemática, ciências e leitura. Dados do Banco Mundial divulgados em 2011 apontaram que 98% dos jovens entre 25 e 34 anos completaram o ensino médio.

Esse patamar de qualidade e de acesso à educação foi atingido, segundo especialistas, graças a um maciço investimento em educação (em 2009, segundo o Banco Mundial, esse investimento foi de 5% do PIB, ou seja, US$ 47,1 bilhões) – principalmente na formação dos professores, no investimento em material de apoio e na melhoria da estrutura e funcionamento das escolas – combinado com a cultura asiática de disciplina e valorização do ensino. No Brasil, aumentar o valor destinado à educação é uma das metas do Plano Nacional da Educação, em tramitação no Congresso há dois anos. O governo também tenta, através de projeto de lei, aplicar os recursos dos royalties do petróleo na área.

O desenvolvimento da educação na Coreia do Sul foi motor do rápido crescimento econômico do país, ao qual precedeu. Para se ter uma ideia, até os anos 1960, a Coreia do Sul apresentava níveis sociais e econômicos comparáveis aos países mais pobres da Ásia. Logo após a Guerra da Coreia (1950-1953), que deixou quase 138 mil sul-coreanos mortos, o PIB per capita do país no período era de US$ 883, mais baixo do que em nações como Senegal e Moçambique. Em 2004, seu PIB ultrapassou US$ 1 trilhão e, atualmente, o país figura como a 15ª economia do mundo, exportadora de tecnologia de ponta.

Na Coreia do Sul, o sistema priorizou primeiramente a educação primária. Só quando esta se tornou universal, o governo passou a destinar recursos para o segundo e terceiro graus.

Além de um plano de carreira consolidado, os professores sul-coreanos recebem altos salários e há investimentos e valorização de seus meios de trabalhos. Ser professor na Coreia do Sul, de acordo com especialistas, é ter uma carreira de prestígio. Segundo afirmou ao iG o professor Paul Morris, do Instituto de Educação da Universidade de Londres, o status dos professores é resultado da relação que a sociedade possui com a educação.

"Professores são vistos pelas autoridades como cruciais para o projeto nacional e elas não costumam criticá-los publicamente, por exemplo. Eles também são extremamente capacitados mesmo antes de começar a ensinar", relatou.

Morris explicou que o sistema sul-coreano estimula a forte competição entre os jovens para a entrada nas melhores universidades e escolas. "Geralmente, os pais veem na educação um meio vital para determinar as oportunidades nas vidas de seus filhos e os encorajam e pressionam a trabalhar duro", disse.

Como outros países asiáticos, a Coreia do Sul usa exames públicos competitivos como um motor para a seleção e para a mobilidade social, com a entrada em uma boa escola ou universidade dependendo unicamente do desempenho nas provas. Por causa dessa pressão, o engajamento das famílias na educação das crianças na Coreia do Sul foi um elemento fundamental para que o país chegasse ao patamar atual.

A educadora brasileira Beatriz Cardoso, diretora executiva do Laboratório de Educação, passou dez dias na Coreia do Sul desenvolvendo um projeto que buscava desmitificar rankings como o Pisa. O projeto resultou no programa "Destino: Educação", transmitido pelo canal Futura em 2011.

Beatriz minimiza o impacto do investimento econômico no bom desempenho sul-coreano nos rankings mundiais. "Visitamos uma família na Coreia do Sul que vivia em uma casa menor que um dormitório. Nela, moravam três pessoas. A mãe era separada, e a família tinha uma situação financeira apertada. A dedicação número um para essa mãe, com todas as dificuldades da vida, era o ensino da filha."

Beatriz relata que as aulas das crianças na Coreia do Sul começam às 7h30 e terminam às 17h. Às 18h, todos vão para uma escola privada, paga por seus pais, nas quais há aulas até tarde da noite. "O governo recentemente decretou uma lei determinando que as escolas deveriam fechar à meia-noite, porque essas instituições às vezes ficavam abertas até as 2 horas."

Enquanto é uma das razões para o sucesso econômico sul-coreano, o alto grau de dedicação ao ensino também tem um aspecto negativo. Segundo dados do Ministério da Educação, 146 estudantes cometeram suicídio, incluindo 53 no ensino médio e três no fundamental, em 2010 no país. "As crianças na Coreia do Sul se queixam da privação de sono, da falta de tempo, da pressão. Embora tenham um resultado acadêmico elevado, o custo é altíssimo", opinou Beatriz.

Morris acrescentou que há preocupações de que um sistema como o da Coreia do Sul, muito concentrado no resultado de provas e testes, prejudique o pensamento crítico e a criatividade dos alunos. "Por exemplo, o Japão, que tinha um sistema parecido, costumava ter aulas de sábado, mas isso foi proibido em uma tentativa de reduzir a pressão sobre os estudantes e criar um ambiente mais relaxado de ensino."

Fonte: Último Segundo

Curta nossa página no Facebook



"Se não for corrupto, mal se sustenta", diz vereador sobre salário de R$ 10 mil

A declaração do vereador Odilon Rocha de Sanção (SDD) causou polêmica no município de Parauapebas, no sudeste do Pará, e foi o principal assunto da sessão desta quinta-feira (7) na Assembleia Legislativa do município.

Na sessão do dia 24 de abril, Odilon questionou o valor do salário dos vereadores. "O valor que o vereador ganha aqui, se ele não for corrupto, ele mal se sustenta durante o mês", disse Odilon, que cumpre atualmente seu quinto mandato na Assembleia do município. O vídeo com a declaração circulou por redes sociais e foi alvo de reclamações de moradores do município.

Na sessão desta quinta, Odilon tentou explicar a declaração. "O vereador, para sobreviver com o salário de R$ 7.800 (salário após descontos) aqui dentro desta casa, com o padrão de vida que depois de eleito ele tem e não é só eu, a gente dá mal para sobreviver", disse o vereador.

Odilon explicou ainda explicou que não teve a intenção de acusar algum colega de casa de ser corrupto, e apenas questionou os vencimentos recebidos pelos vereadores. "Se for para eu sobreviver apenas com esse salário, com certeza absoluta eu não passaria o padrão de vida que eu levo hoje", afirmou.

Para o vereador Major da Mactra (PSDB), a declaração é exagerada. "Dá para todos viverem, claro que dá. Não tem nenhum aí (dos vereadores) que não sobreviva com este dinheiro", disse.



Salários

Cada um dos 15 vereadores de Parauapebas recebem o valor bruto de R$ 10.013,00 de salário, antes dos descontos de impostos. Os vereadores ainda tem direito aos valores de R$ 2.800,00 para custear despesas com combustível e R$ 1.00,00 para despesas com telefone, totalizando o valor de R$ 13.813,00, que equivale a 17 salários mínimos.

Além deste valor, os vereadores ainda tem direito a uma caminhonete alugada pela câmara e diárias para viagens, que variam de R$ 300,00 a R$ 800,00.

Fonte: G1

Curta nossa página no Facebook



AL aprova mensagem que dispõe sobre promoção dos policiais militares do CE

A Assembleia Legislativa aprovou, em votação durante a sessão plenária desta quinta-feira (07/04), o projeto de lei nº 16/15, oriundo da mensagem nº 7.734, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre as promoções dos policiais militares estaduais.

A mensagem governamental recebeu 100 emendas de autoria dos parlamentares, sendo 15 delas aprovadas, das quais cinco foram apresentadas em plenário e duas reapresentadas por meio de recurso.

Das 15 emendas aprovadas, cinco são de autoria do líder do Governo, deputado Evandro Leitão (PDT); cinco do deputado Capitão Wagner (PR), uma do deputado Tin Gomes (PHS), uma do deputado Roberto Mesquita (PV), uma do deputado Elmano Freitas (PT). Outras duas emendas foram apresentadas conjuntamente; uma pelos deputados Zezinho Albuquerque (Pros) e Capitão Wagner e a outra pelos deputados Capitão Wagner, Zezinho Albuquerque, Evandro Leitão e Júlio César Filho (PTN).

Os parlamentares aprovaram, ainda, o projeto de lei nº 17/15, oriundo da mensagem nº 7.735. A matéria tem autoria do Poder Executivo e autoriza a abertura de crédito especial para a criação da Secretaria de Relações Institucionais e a Secretaria Especial de Políticas Sobre Drogas.

Outra matéria apreciada e aprovada foi o projeto de lei nº 47/15, de autoria do deputado Ferreira Aragão (PDT), que concede Título de Cidadão Cearense ao ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias.

Foi aprovado, por fim, o projeto de indicação nº 02/15, de autoria da deputada Laís Nunes (Pros), que institui a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher nos municípios do estado do Ceará com mais de 60 mil habitantes.

Veto
Foi aprovada também, por unanimidade, a mensagem 01/15, do Poder Executivo, com veto ao projeto de lei que alterou a lei nº 13.875, que trata sobre as competências da Secretaria do Meio Ambiente (Sema). O artigo vetado foi proposto pelo deputado Renato Roseno (Psol). De acordo com o parlamentar, o Poder Executivo irá elaborar uma nova mensagem estabelecendo as atribuições definitivas da Sema, para que não haja superposição com as competências da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace).
Foto: Edson Junior Pio/AL

Assessoria de Imprensa/Assembleia Legislativa do Ceará

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Secretaria de Saúde realiza neste sábado (9), dia D de vacinação contra a gripe

A campanha de vacinação contra a gripe teve inicio na última segunda-feira, 4 em todo o país e tem como público alvo: idosos, crianças de 6 meses a 5 anos, mulheres que tiveram filho recentemente, gestantes, trabalhadores da saúde e doentes crônicos que tenham indicação médica.

No município do Crato a vacina se encontra disponível em todos os postos de saúde visando uma maior comodidade para a população durante toda a campanha que se estende até o próximo dia 22.

Amanhã, sábado, dia 9, será o Dia D de combate a Gripe e todos os postos estarão abertos.  Na zona urbana  as vacinas serão disponibilizadas das 8h as 17h e  na zona rural das 8h as 13h, sendo importante ressaltar que a Secretaria de Saúde do Crato estará com postos volantes na Praça Siqueira Campos e na Capela do Mirandão.

A coordenadora da Imunização da Secretaria de Saúde do Crato Teresa Cristina Brito comunica a população que  a vacina para prevenir a gripe é gratuita e possui alta eficácia  e frisa a recomendação do  ministério da saúde para que as pessoas tomem a vacina o quanto antes, já que o corpo leva até três semanas para produzir anticorpos e a circulação do vírus da gripe aumenta a partir do fim de maio.

O Secretário de Saúde do Crato Lucimilton Macedo convoca a comunidade cratense a comparecer ao posto de saúde mais próximo de suas casas para se imunizar contra a gripe. “Nossa meta é vacinar 29.764 pessoas, por isso estamos com equipes preparadas nos Postos e no sábado Dia D  também com postos volantes”

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. O nível de transmissão é alto com tendência a se disseminar facilmente em epidemias. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém‐contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz. A gripe comum, como é conhecida, pode levar a complicações graves e ao óbito, especialmente nos grupos de alto risco para as complicações da infecção (crianças menos de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).

Assessoria de Imprensa/PMC

Curta nossa página no Facebook


'No vermelho', Revoltados On Line venderá cornetas a R$ 199

Um dos principais organizadores do panelaço promovido nesta terça-feira durante o programa do PT na televisão pretende financiar suas atividades políticas por meio de um kit de cornetas - a ideia é vendê-lo a R$ 199.

A meta de Marcello Reis, líder do Revoltados Online - página com quase 800 mil seguidores no Facebook - é pegar carona no barulho das panelas e lançar até o fim desta semana o que chama de "Kit Cornetaço", com três cornetas (tamanhos P, M e G), duas bandeiras, 13 adesivos e uma camisa.

À BBC Brasil, Reis creditou a iniciativa a dificuldades financeiras. "Hoje a gente está no vermelho, por isso vem o kit para tapar o buraco", disse, por telefone.

Ele se resume a informar que as dívidas vêm do aluguel de carros de som para protestos antigoverno ("Custam no mínimo R$ 5 mil, mas no último pagamos R$ 10 mil em um mais potente") e de "gastos administrativos".

Questionado sobre quanto arrecadou desde o fim do ano passado até hoje por meio de pedidos de doações e com a venda online de produtos, Reis prometeu enviar sua contabilidade à reportagem - o que não aconteceu até o horário de fechamento desta matéria.

Os Revoltados Online publicam até cem postagens críticas ao governo por dia nas redes sociais, além de correntes por meio de aplicativos para celulares, como o Whatsapp. O grupo de Reis também paga por visibilidade no Facebook com posts patrocinados.

Autointitulado "apartidário", o grupo é o mesmo que comercializa "Kits Impeachment" - conjuntos de camisa polo, boné e adesivos vendidos a R$ 175 -, alvos de críticas e piadas nas redes socais no início do ano.

"Não comprem o kit impeachment! Comprem um livro de História!", postou uma professora no Twitter. "Faz sentido vender kit contra a corrupção sem nota fiscal?", questionou outro internauta.

Protagonismo
À BBC Brasil, em março deste ano, Reis afirmou que partiu dele a iniciativa do primeiro panelaço organizado contra Dilma Rousseff no Dia Internacional da Mulher.

No mesmo dia, entretanto, a afirmação foi questionada à reportagem por outros grupos que disputam protagonismo antigovernista, como Vem pra Rua e Movimento Brasil Livre.

Na noite desta terça-feira, um novo panelaço foi promovido durante a transmissão de um programa do PT na TV aberta.

Propagandeado por páginas na internet e por políticos de oposição, o barulho de panelas foi ouvido, segundo o jornal Folha de S.Paulo, em "bairros de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Goiânia, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Salvador, Fortaleza e Recife".

Reis diz estimular seus seguidores a não escutarem pronunciamentos petistas e afirma que panelaços devem ocorrer independente do que a presidente ou outros membros Partido dos Trabalhadores disserem em rede nacional.

Seu argumento é amplo: "É tudo mentira".

O programa do PT durou 10 minutos e apresentou discursos de Lula e de Ruy Falcão, presidente da legenda - Dilma Rousseff não apareceu. Os petistas criticaram o projeto de terceirização que tramita no Congresso e defenderam combate à corrupção.

Em sua fala, Falcão anunciou que todos os petistas que comprovadamente forem condenados por corrupção serão expulsos da legenda. O comentário gerou surpresa, já que o procedimento que não ocorreu após o julgamento do Mensalão.

Enquanto colheres martelavam panelas em dezenas de cidades, manifestações favoráveis ao governo federal predominaram no Twitter. A hashtag petista #TonaLutaPeloBrasil alcançou o topo dos assuntos mais comentados na rede social na noite dos pronunciamentos.

Fonte: BBC

Curta nossa página no Facebook



A ignorância é uma bênção? Estudos revelam o lado negativo da inteligência

Você já notou que costumamos associar a imagem de pessoas inteligentes com a de criaturas estressadas e infelizes? Afinal, não faltam exemplos de indivíduos geniais que sofreram enormemente ao longo de suas vidas, enfrentando profunda frustração, solidão e angústia — como Nikola Tesla, Charles Darwin e Alan Turing —, e muitos pensam que isso ocorre porque os gênios, de alguma forma, têm uma visão mais clara de tudo o que há de errado no mundo.

Sendo assim, será que isso significa que o velho ditado “a ignorância é uma bênção” está correto — e que ter um QI alto é, na verdade, um infortúnio? De acordo com David Robson da BBC, curiosamente, existem diversos estudos que parecem apoiar a ideia de que indivíduos mais inteligentes do que a média se preocupam mais do que os demais e vivem ansiosos.

Estudando gênios
Segundo David, os atuais sistemas de educação, de um modo geral, têm como objetivo melhorar a inteligência acadêmica dos alunos — e uma das formas mais comuns de medir seu progresso são os testes de QI. No entanto, apesar de todo o investimento de tempo e dinheiro no desenvolvimento de exercícios cerebrais e de técnicas para melhorar o desempenho cognitivo, será que o esforço de transformar todo mundo em gênio vale a pena? Talvez não...

Em 1926, o psicólogo norte-americano Lewis Terman decidiu aplicar testes de QI para identificar estudantes talentosos na Califórnia. O pesquisador então selecionou 1.500 indivíduos com pontuações iguais ou superiores a 140 — sendo que 80 dos escolhidos contavam com QI de mais de 170 —, e até hoje as vidas dessas pessoas estão sendo estudadas.

Inteligência x sabedoria
Por um lado, o acompanhamento desses indivíduos revelou que muitos realmente chegaram a ocupar posições de trabalho importantes e que diversos conquistaram fama e fortuna ao longo de suas vidas. Entretanto, supreendentemente, nem todos os integrantes do estudo atingiram as expectativas, preferindo se dedicar a atividades menos glamorosas, atuando como oficiais de polícia ou marinheiros, por exemplo.

A pesquisa ainda apontou que os gênios não tiveram vidas mais felizes graças à inteligência acima da média e, ao longo dos anos, foram detectados entre eles os mesmos níveis de divórcio, alcoolismo e suicídio observados no resto da população. Esses fatores levaram Terman a concluir que ser mais inteligente não garante uma vida melhor, assim como ter uma mente brilhante não faz diferença quando o assunto é conquistar a satisfação pessoal.

Ter uma mente brilhante não significa que os gênios necessariamente tomam as melhores decisões. Na verdade, em alguns casos fica evidente que o QI acima da média parece levar as pessoas a fazer escolhas menos coerentes. Segundo David, o que faz mais diferença nas tomadas de decisão não é a inteligência, mas sim a sabedoria — que é um conceito diferente — e ter a capacidade fazer julgamentos imparciais.

Grandes expectativas
É importante destacar que nem todos os gênios são almas perturbadas. No entanto, conforme apontou David, é curioso que a inteligência acima da média não se traduza em mais benefícios. Segundo explicou, uma das teorias sobre esse dilema é que o reconhecimento da inteligência gera grandes expectativas — pessoais e dos demais —, fazendo com que esses indivíduos se sintam ansiosos e angustiados.

Muitos dos participantes do estudo de Terman, quando indagados a respeito de suas trajetórias, admitiram sentir que haviam falhado em alcançar tudo o que haviam almejado durante a juventude. Além disso, outros tantos revelaram que não haviam sido capazes de satisfazer as expectativas que outras pessoas tinham sobre eles.

Ansiosos e “ruminantes”
De acordo com David Wilson do site Slate, outro estudo realizado por pesquisadores da Universidade MacEwin, no Canadá, revelou que estudantes com QI mais alto do que a média, especialmente aqueles com maior inteligência verbal, se preocupam mais e mais frequentemente do que os outros. E, curiosamente, na maioria dos casos, a inquietação não é provocada por questões existenciais e de ordem mais profunda, mas por assuntos mundanos.

A pesquisa ainda apontou que as pessoas com mais inteligência verbal tendem a verbalizar e “ruminar” mais sobre suas ansiedades. Isso porque esses indivíduos possivelmente também têm mais facilidade em considerar os eventos passados e futuros relacionados com seus problemas de maneira mais detalhada, o que levaria a uma reflexão mais intensa. E mais: pessoas inteligentes acabam encontrando mais coisas com as quais se preocupar.

Tudo tem seu lado positivo, certo?
Apesar dos pesares, os pesquisadores acreditam que as pessoas com mais tendência a se preocupar talvez sejam mais atentas e diligentes, o que levaria a um maior desenvolvimento intelectual. Além disso, indivíduos que se estressam mais costumam estar mais atentos a situações arriscadas do que as pessoas despreocupadas.

Sendo assim, como tudo na vida, sempre existe um lado positivo de se considerar os problemas: se você se preocupa demais, a sua aflição pode ser um forte indicativo de que o seu intelecto é superior à média. Além disso, se você é do tipo ansioso, você provavelmente está mais para uma “sentinela do perigo” do que uma pilha de nervos ambulante.

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook



O lixo se queixa de Lula por ter sido comparado à Veja e à Época

Para: Lula

De: Lixo

Caro senhor Lula: que mal fiz ao senhor para ser comparado às revistas Veja e Época?

Menti? Caluniei? Manipulei? Fui canalha? Desonesto?

Sou subestimado, e lembrado apenas em horas de raiva, como aconteceu com o senhor.

Eu existo para que o planeta fique limpo, ou razoavelmente limpo. Proporciono emprego honesto para uma categoria humilde e simpática: os lixeiros.

Por que, então, me comparar à Veja e à Época?

Quantas árvores são derrubadas para que estas duas revistas publiquem suas infâmias?

Quanto dinheiro público é torrado para que os donos delas enriqueçam estupidamente?

O governo de São Paulo compra, como o senhor sabe, um lote de milhares de Vejas para estudantes que sequer as abrem. (Graças a Deus, se me entende.)

Ora, a garotada só lê na internet, e mesmo assim tentam enfiar nelas revistas de papel que eles simplesmente desprezam.

Me desculpe a franqueza: o senhor mesmo, em seus anos de governo, encheu as duas revistas de publicidade oficial.

Sem contar dinheiro do BNDES.

Vi que em 2008 a Editora Abril mordeu 27 milhões de reais do BNDES para fazer ajustes em sua TI.

Senhor Lula: os Civitas por acaso não tinham dinheiro próprio para fazer aquele tipo de coisa?

E seu antecessor, FHC: por que ele patrocinou com dinheiro público a gráfica da Globo?

Como, diante de tantas coisas absurdas, o senhor me compara à Veja e à Época?

A Época deu a primeira pesquisa do segundo turno. Um certo Instituto Paraná mostrou que Aécio já estava eleito presidente, tamanha a diferença.

Deu no que deu.

Agora, a Época voltou a dar o mesmo Paraná de novo. Se as eleições presidenciais fossem hoje, Aécio Aeroporto Neves ganharia do senhor.

Pensei comigo: se as eleições de 1960 fossem hoje, Jânio perderia. Batata.

E a Veja é aquela que, pouco depois, deu aquela capa-propaganda com a Dilma e o Lula sendo acusados de comandar o Petrolão.

(Aliás: se o senhor puder perguntar para a Dilma por que ela desistiu de processar a Veja, depois de ter anunciado a decisão em rede pública, agradeço. Mesmo que não dê em nada, há um caráter simbólico em processar uma canalhice daquelas.)

Tudo isso posto, o senhor há de concordar comigo que não mereço, definitivamente não mereço ser posto ao lado da Veja e da Época.

Espero que o senhor se retrate, ou vou fazer o que Dilma prometeu e não realizou. Acionar a Justiça.

Mesmo para um modesto lixo como eu, há um limite nas ofensas que dá para digerir.

Sinceramente.

Lixo

Por: Paulo Nogueira 

Fonte: DCM

Curta nossa página no Facebook



Crianças fazem ‘vestibular’ para entrar em creches

Entrar em boas escolas ou universidades é difícil em muitas partes do mundo, mas em Hong Kong a pressão começa ainda mais cedo. Para que os pais consigam matricular seus filhos em bons jardins de infância – e até em boas creches, as crianças já têm aulas de preparação para os "vestibulares" infantis.

Yoyo Chan está se preparando para uma entrevista importante que pode ajudá-la a ser bem sucedida na vida. Ela tem um ano e meio de idade.

Ao completar dois anos, ela entrará em uma creche, mas a competição é feroz em Hong Kong, e alguns dos locais de maior prestígio são extremamente seletivos. Seus pais querem que ela esteja bem preparada para seu primeiro teste na vida.

As melhores creches e jardins de infância são consideradas pelos pais como portas de entrada para as melhores escolas primárias – que, por sua vez, facilitariam o caminho para as melhores escolas secundárias e universidades.

Por causa disso, as mais procuradas chegam a receber mais de mil pedidos de inscrição para poucas dezenas de vagas. Agora, empresas oferecem treinamento de entrevista para crianças, com o objetivo de dar a elas uma vantagem a mais.

Preparação
Em uma de suas aulas, Yoyo é instruída a cumprimentar o professor e se apresentar para ele. O professor, em seguida, pede que ela faça uma série de tarefas como construir uma casinha de tijolos, fazer um desenho, prender dois olhos de feltro no lugar correto de um rosto e identificar pedaços de frutas.

A menina começa um pouco tímida, mas logo se solta e parece divertir-se realizando as tarefas e brincando.

"Estas aulas e entrevistas podem ser difíceis", diz sua mãe, Emma. "Mas eu quero que ela esteja preparada. A maioria dos pais quer que seus filhos tenham um bom começo."

Uma das creches nas quais Emma está interessada entrevistou mais de 100 candidatos para apenas nove vagas, então ela fará o que foi preciso para aumentar as chances de sucesso de sua filha.

O irmão mais novo de Yoyo, que ainda é um bebê, vai começar a ter aulas em breve, quando tiver oito meses de idade.

Em uma das empresas, a Hong Kong Young Talents Association (HKYTA), uma série de 12 sessões de treinamento custa 4.480 dólares de Hong Kong (R$ 1.718) – cerca de um quarto da renda mensal mediana de uma família.

"Tentamos ensinar as crianças através de atividades musicais, adaptando as atividades ao que as entrevistas irão pedir", diz a professora da HKYTA, Teresa Fahy.

Perguntas complexas
Para tornar as coisas um pouco mais complicadas – e mais estressantes para os pais – creches e jardins de infância diferentes pedem coisas diferentes.

É comum que os entrevistadores observem a maneira como crianças lidam com os brinquedos. Isso pode revelar algo sobre suas habilidades motoras e sobre como eles interagem com outras crianças.

A maneira como eles participam de atividades em grupo como cantar ou dançar conforme a música também é cuidadosamente examinado.

Além disso, os entrevistadores conversam com as crianças para saber quão bem eles se expressam e se fazem contato visual. Alguns, mas não todos, também pedem que as crianças identifiquem cores e formas ou expliquem algumas cenas em livros.

"As perguntas estão ficando cada vez mais difíceis. Os jardins de infância podem fazer perguntas complexas como 'para que servem seus olhos?' ou 'que tipo de ovo é este?'."

"Eles também podem avaliar o comportamento da criança ao oferecer doces a ela no fim da entrevista. A criança tem que pegar um e dizer 'obrigada'. Pegar muitos doces é visto como ganancioso e rejeitá-los é visto como grosseiro."

Muitos pais concentram-se em ensinar os filhos a nomear cores e objetos, mas nem todos os entrevistadores se impressionam com essa habilidade.

"Não estou buscando esse tipo de conhecimento, são coisas que nós vamos ensiná-los quando começarem a estudar conosco", diz Jenny (nome trocado a pedido da entrevistada), professora de um conhecido jardim de infância bilíngue.

Ela diz ainda que, mesmo que os pais não percebam, muitas vezes eles são observados ainda mais atentamente pelos professores do que as crianças.

"É preciso saber com que tipo de pais estamos lidando. Se os pais forem muito controladores, o meu 'não' é automático", afirma.

E se os pais trouxerem um portifólio listando os cursos que seus filhos fizeram e os lugares onde passaram as férias – como alguns fazem – ela sequer olha.

Outra professora de escola primária afirma que as aulas de entrevista podem ajudar as crianças a ficarem menos nervosas no grande dia.

Mas Leung Wai-fan, diretora do jardim de infância King Shing, diz que pode ficar óbvio que a criança foi treinada. "Conseguimos dizer se uma criança está sendo natural ou não. É fácil ensinar uma criança o que dizer, mas elas não necessariamente entenderão o que estão dizendo."

"A criança pode aprender a recitar determinada frase – mas se você fizer uma pergunta, ela fica tímida."

Crianças confiantes, que respondem as perguntas colocadas a elas, geralmente têm avaliações melhores. Ser tímido é uma desvantagem, mesmo com um ano e meio de idade.

Perda de interesse
Leung sabe muito bem até onde os pais irão na esperança de conseguir uma vaga em um jardim de infância. Sua escola chamou a atenção da mídia no ano passado depois que alguns pais esperaram na fila por duas noites para garantir que seriam os primeiros a entregar o formulário de inscrição.

Ela teme que a educação primária tenha se tornado muito comercial e muito exigente – e acompanha com preocupação quando os pais matriculam crianças em idade pré-escolar em aulas de inglês ou de mandarim, pressionando-os para que tirem boas notas.

"Não é assim que crianças aprendem. Tentamos dizer aos pais que a educação deveria ser para toda a vida, e não apenas funcional."

Lam Ho Cheong, professor e especialista em educação na primeira infância do Hong Kong Institute of Education, concorda. "Por um lado, é preciso desenvolver suas habilidades. Por outro, você quer que elas se interessem por aprender", diz.

"Se você pressionar muito as crianças quando elas são jovens, corre o risco de fazer com que elas percam o interesse. Por exemplo, as habilidades de leitura das crianças de Hong Kong são altas em comparação com outros países, mas o interesse pela leitura é baixo."

Alguns professores afirmam ainda que, ao invés de matricular seus filhos em cursos, os pais deveriam simplesmente passar mais tempo com eles.

"Eu não recomendaria que pais sobrecarregassem seus filhos com treinamentos, porque a maneira como uma criança se sente no dia da entrevista pode passar por cima de toda a preparação que ela teve. É melhor que os pais passem mais tempo brincando e lendo para seus filhos em casa", diz Jenny.

Este ano, no entanto, entrar em uma creche será especialmente difícil em Hong Kong. Mais crianças do que o normal nasceram entre 2012 e 2013 porque era o ano do dragão no calendário chinês, considerado auspicioso. Para as crianças do dragão, é chegada a hora de enfrentar o primeiro desafio.

Fonte: BBC

Curta nossa página no Facebook



ShareThis