Ricão paga R$ 23 mi a atriz pornô por 'exclusividade' por 15 anos

Um rico empresário chinês parece ter oferecido uma bolada a uma estrela pornô para que ela seja 'exclusiva' dele pelos próximos 15 anos. O anônimo ofereceu R$ 23 milhões para Takizawa Rola --também conhecida como Misaki Rola (piada pronta, né?), de acordo com o tabloide britânico "Metro.co.uk".

A história lembra o enredo do filme "Uma Linda Mulher", em que Edward (Richard Gere) dá um banho de loja em sua acompanhante Vivian (Julia Roberts) e, claro, eles acabam se apaixonando.

A estrela pornô tem 22 anos e é metade japonesa e metade russa. O casal recentemente apareceu junto em eventos em Pequim, na China, com o misterioso homem usando uma máscara para manter sua identidade secreta, segundo a mídia local.

Em seu Facebook, a jovem postou uma foto dos dois com a legenda em japonês "boato". Ao que parece, quem não gostou da notícia foram os fãs da estrela pornô, que estreou neste meio em 2012 e faz uma baita sucesso na China.

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook



Polícia Militar promove semana comemorativa aos 180 anos da corporação

No próximo dia 24, a Polícia Militar do Estado do Ceará completa 180 anos de criação. Para comemorar, terá início na segunda-feira (18) uma semana de eventos alusivos à data.

Dentre os eventos programados, está um passeio ciclístico pela cidade de Fortaleza, com concentração prevista para as 6h30, na Praça das Flores (em frente ao hospital do Exército), na Av. Desembargador Moreira. O passeio é aberto a toda a corporação, civis, inclusive crianças e adolescentes, desde que acompanhados dos pais ou responsável. Para participar, é necessário preencher o formulário no site da PMCE.

Os primeiros dois mil inscritos receberão kits para o passeio, que serão entregues nos dias 21 e 22 de maio, no Auditório do Quartel do Comando Geral, na Avenida Aguanambi, 2.280, bairro de Fátima. A inscrição é gratuita.

A semana conta ainda com ações vinculadas ao Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), exposição no Shopping Rio Mar, campeonatos esportivos e solenidade cívico-militar, entre outras iniciativas.

O comandante da Polícia Militar, coronel Giovani Pinheiro, destaca que a festividade se insere num contexto positivo da segurança pública do Estado. "É uma data impar, comemorar 180 anos de existência, e o momento pelo qual se encontra a segurança pública do Estado do Ceará e, em especial, a Polícia Militar".

Assessoria de Imprensa da SSPDS

Curta nossa página no Facebook



Meia hora de exercícios físicos seis vezes por semana reduz risco de morte em 40%

Trinta minutos de atividade física de qualquer intensidade, seis vezes por semana, estão relacionados à redução em 40% dos riscos de morte por qualquer causa entre homens da terceira idade, sugere uma pesquisa publicada na versão on-line da “British Journal of Sports Medicine”. Aumentar os níveis de atividade física nesta faixa etária parece ser tão bom para a saúde como deixar de fumar.

Os investigadores baseiam suas conclusões em pessoas que participaram no Estudo de Oslo, que observou cerca de 26 mil homens nascidos entre 1923 e 1932 que fizeram exames de saúde em 1972 e 1973. Dos 26 mil homens, 15 mil tiveram altura, peso, colesterol, pressão arterial registrados e responderam a perguntas sobre hábitos como tabagismo, por exemplo, além de tempo de lazer e níveis de atividade física semanais.

Estes foram classificados como sedentários (de acordo com o tempo diante da TV e leitura); leves (quem andava a pé ou de bicicleta, incluindo para ir e voltar do trabalho por pelo menos quatro horas por semana); moderados (os que praticavam atividades desportivas, ou jardinagem pesada por pelo menos quatro horas por semana); e vigorosos (os adeptos de treinamento duro ou esportes competitivos várias vezes por semana).

Cerca de seis mil homens da primeira triagem repetiram o mesmo processo de pesquisa no ano 2000 e foram monitorados por quase 12 anos para que os pesquisadores avaliassem se os níveis de atividades físicas ao longo do tempo tinha diminuído os riscos de morte por doenças cardiovasculares ou outras causas. Nesses 12 anos de monitoramento 2.154 dos 5.738 homens morreram.

A análise indicou que menos de uma hora por semana de atividade física leve não foi associada a qualquer redução significativa no risco de morte por qualquer causa. Mais de uma hora reduziu o risco entre 32% e 56%.

Menos do que uma hora de atividade física vigorosa foi relacionada a uma redução do risco cardiovascular e de morte por qualquer causa entre 23% e 37%.

Quanto mais tempo gasto para fazer exercício vigoroso, menor o risco de morte parecia ser, caindo para entre 36% e 49%.

E os homens envolvidos em atividades físicas regulares de moderada a vigorosa durante seu tempo de lazer viveram mais cinco anos, em média, do que aqueles que foram classificados como sedentários.

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook



Morre o ator Elias Gleizer, aos 81 anos

O ator Elias Gleizer morreu neste sábado, dia 16, aos 81 anos, no hospital Copa D'Or, em Copacabana, no Rio. Ele estava internado desde o dia 6 de maio após fraturar cinco costelas e perfurar o pulmão numa queda em uma escada rolante numa galeria em Copacabana. A morte foi consequência de complicações que levaram à falência circulatória por conta de uma bronco-pneumonia.

Conhecido pelos tipos bonachões que interpretou na TV, onde já viveu mais de 50 personagens em novelas, minisséries e especiais, Gleizer esteve doente nos últimos anos. Ele tinha um problema renal crônico e passou por várias internações de 2011 para cá.

Filho de poloneses, Gleizer começou na TV Tupi no final da década de 1950. Entre seus personagens preferidos estavam o Jairo, de "Tieta" (1989), o tio Zé, de "Sonho meu" (1993), o Canequinha, de "Anjo de mim" (1996), e o Pepe, de "Era uma vez" (1998). Ele costumava dizer que não escolhia seus papéis, mas também afirmava que não queria mais interpretar padres, um tipo recorrente em sua carreira.

— Tenho cara de padre bonachão, que come bem. Mas já fiz muitos — argumentava.

Para Gleizer, o trabalho nunca esteve ligado ao glamour:

— É o meu ofício, o meu prazer. É a minha vida. Não tenho vaidade de nada. Penteei o cabelo agora para ser fotografado. Mas sou um bon vivant. Gosto de viver — afirmou, em entrevista à Revista da TV, em 2013.

O ator vivia no mesmo apartamento há pouco mais de 13 anos, na Barra da Tijuca, cercado por CDs, DVDs de filmes e músicas. Nos porta-retratos, estavam fotos de familiares, de alguns de seus personagens e do ator ao lado de artistas como Juliana Paes e Xuxa.

A última aparição do ator na TV foi na novela "Boogie Oogie" (2014) justamente como um padre, em uma participação nos primeiros capítulos da trama assinada por Rui Vilhena. Em 2013, ele esteve no ar em "Flor do Caribe" (2013), de Walther Negrão, também exibida no horário das 18h da TV Globo. Em entrevista à Revista da TV à época, Gleizer afirmou que aquele trabalho teve uma importância enorme para ele. O ator havia entrado para fazer uma participação na reta final da trama como o cigano Manolo, sobrevivente de guerra junto com Samuel, personagem de Juca de Oliveira.

— Voltei a viver com esse trabalho. Vou falar com toda serenidade. Pensar na minha profissão foi o que me salvou. Eu estava esperando uma escalação. Mas não saía, e eu caía um pouco. Quando o autor (Negrão) me convidou, eu aceitei com a maior alegria. Não consigo ficar parado. Se você está trabalhando, não tem tempo de morrer ou ficar doente — afirmou.

Na ocasião, o ator tinha acabado de se recuperar de sérios problemas de saúde e ainda se submetia a sessões de três horas de diálise — ele tinha um aparelho na sala de casa — quatro vezes por semana.

O estado de saúde do ator começou a piorar quando ele estava no ar em "Passione" (2010). Com problemas de pressão, ele teve que colocar um marca-passo.

— Eles descobriam coisas novas nas outras passagens pelo hospital. Na terceira internação, fiquei na UTI e peguei pneumonia. Não levei a pneumonia. Peguei lá. Mas, depois disso tudo, eles me deixaram 100% — relatou o ator, ainda em entrevista à Revista da TV.

Apesar de enfrentar problemas de saúde nos últimos anos, ele não gostava de ficar parado.

— Se você está trabalhando, não tem tempo de morrer ou ficar doente — afirmava.

O ator não era casado e não deixa filhos. O enterro deve ser neste domingo, no Rio.

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Ação conjunta das Secretarias de Saúde e Serviços Públicos promove combate à dengue

O secretário de Serviços Públicos, Antônio de Mano, informa que a limpeza de ruas, praças e avenidas dos bairros da cidade do Crato continua. O mutirão está concluindo os trabalhos nos conjuntos Padre Cícero e Belas Artes e Muriti de Cima. No Parque Grangeiro 25 homens intensificam os trabalhos de limpeza e a previsão para conclusão é de 20 dias.

Outra equipe está em ação no Posto Fiscal da Batateira em direção a Asa, no Bairro Independência. No Conjunto Dr. Antenor também está sendo atendido neste momento por uma equipe de limpeza, que em seguida deverá ser deslocada para o Bairro Vilalta. A Avenida Thomáz  Osterne de Alencar, que embora seja uma via estadual, também está recebendo uma operação de limpeza, em torno de suas margens.

Antônio de Mano informou que se reuniu com o secretário de Saúde do Município, Lucimilton Macêdo, quando este solicitou todo apoio da secretaria na operação de combate a ação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue. De acordo com o secretário de Serviços Públicos, jé está sendo feita uma ampla limpeza em vários terrenos baldios da cidade e em outras áreas, onde há acumulo de água e mato.  Ele lembra que dedicação é o que não falta para atender ao município do Crato. Aproveitou também para pedir a colaboração da população.

Assessoria de Imprensa/PMC

Curta nossa página no Facebook



Meta de gastos do governo é "voltar ao nível de 2013", avalia Joaquim Levy

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse neste sábado (16), em Florianópolis, onde fez uma palestra, que o país tentará "voltar ao nível de 2013" no que se refere aos gastos do governo.

Segundo ele, o nível daquele ano representa "a disciplina necessária para caminhar na direção da meta fiscal".

"É um exercício de disciplina. O ano de 2014 foi além do que a gente pode suportar. 2013 foi um ano bom, uma boa linha de referência", afirmou em entrevista.

O ministro não falou em valores, mas em 2013 o governo teve um superavit (receita menos despesas) de 1,9% do PIB, o equivalente a R$ 91,3 bilhões em valores da época. Neste ano, a meta divulgada é economizar R$ 66,3 bilhões em todo o setor público, 1,1% do PIB.

No entanto, como em 2014 houve deficit primário de 0,6% do PIB, o esforço fiscal neste ano equivaleria a uma economia entre R$ 110 bilhões e R$ 120 bilhões, o equivalente a 1,7% do PIB. O tamanho do corte, porém, vai depender da capacidade de arrecadar neste ano –que vem sendo comprometida pela recessão e por derrotas do governo no Congresso.

Sobre as medidas de ajuste fiscal apreciadas pela Câmara, Levy disse que a aprovação de gastos fora do esperado pelo governo "pode levar a ter que reduzir as despesas ainda mais".

"A alternativa seria aumentar impostos. Toda vez que se cria um gasto novo, obviamente está se contratando novos impostos", declarou.

O tamanho exato do bloqueio de gastos –e, portanto, do esforço para economizar recursos e reduzir a dívida pública– será definido neste domingo (17), em reunião convocada pela presidente Dilma.

Participam os ministros da chamada junta orçamentária, que define a execução do Orçamento: Aloizio Mercadante (Casa Civil), Nelson Barbosa (Planejamento) e Joaquim Levy (Fazenda).

A ala mais política do governo defende um bloqueio de gastos, chamado de contingenciamento, na casa dos R$ 60 bilhões, para evitar uma paralisia de ações do governo.

Na área econômica, Planejamento e Fazenda avaliam um corte entre R$ 70 bilhões e R$ 80 bilhões. Os técnicos buscam definir o maior bloqueio possível preservando ao máximo gastos sociais e dentro dos limites impostos pelas despesas obrigatórias.

Levy disse que o governo "está fazendo esforço" para diminuir os gastos da administração, inclusive "com cortes na própria carne".

Sem espaço na Previdência
Sobre o fator previdenciário, o ministro disse que "há uma percepção no governo de que não temos espaços para novas despesas".

Ele afirmou que o Ministério da Previdência está "fazendo algumas contas" e que "o sentimento é que tirar o fator previdenciário vai aumentar as despesas", mas não falou em números.

A nova regra aprovada pelos deputados, chamada de fórmula 85/95, permite a aposentadoria integral, sem a diminuição calculada com base no fator previdenciário, sempre que a soma da idade com o tempo de contribuição do segurado der 85, para mulheres, ou 95, para homens.

Para uma mulher se aposentar, é necessário ter, no mínimo, 30 anos de contribuição. No caso do homem, 35.

O fator, criado na gestão Fernando Henrique Cardoso, tem como objetivo retardar aposentadorias. É calculado conforme a idade do trabalhador, tempo de contribuição e expectativa de sobrevida.

Sem estimar datas, e em linha com o que vem dizendo em eventos oficiais, o ministro disse que o Brasil voltará a crescer quando tiver o projeto fiscal completo e quando houver "a reação da confiança da disposição do setor privado".

"O setor privado tem que olhar o ambiente e sentir confiança de tal forma que ele esteja disposto a crescer, a voltar a investir."

Levy afirmou que o país está passando por "um momento de ajuste, de transformação econômica", que ocorre em "nível global".

"O mundo está mudando, e o Brasil tem que mudar. O Brasil começa a mudar pelo ajuste fiscal."

Visita
Após encontro com o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), e com o secretário da Fazenda do Estado, Antônio Gavazzoni, Levy iria ainda se reunir neste sábado com empresários em Joinville, na região norte do Estado.

O governo Colombo informou, em nota, que "a vinda do ministro a Santa Catarina é pautada pelos indicadores positivos que o Estado tem mantido mesmo diante da crise econômica nacional".

O texto afirma que, em 2014, Santa Catariana foi o maior "gerador de empregos no país" e liderou o ranking de crescimento da arrecadação de ICMS entre os Estados que mais arrecadam, com um aumento de 12,2%. Disse ainda que o Estado tem um dos menores índices de endividamento do país.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



PIB do Brasil poderia ser 7 vezes maior com educação melhor

O PIB do Brasil pode crescer 751% até 2095 se o país der um salto em educação, de acordo com um relatório da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) lançado nesta semana.

O salto, no caso, seria atingir matrícula universal no ensino médio e um nível de "habilidades básicas" para todos os estudantes.

Hoje, 65% não chegam a este nível. Nem os países desenvolvidos tem esse problema resolvido: cerca de 1 em 4 estudantes americanos e 1 em 5 estudantes belgas ficam para trás em habilidades básicas.

Alguns efeitos econômicos da melhora na educação demoram para aparecer, já que um aluno instruído hoje só chega ao mercado de trabalho após mais de uma década.

A análise econômica da OCDE considera que na medida em que a meta fosse sendo atingida, o PIB brasileiro cresceria cerca de 1 ponto percentual a mais todos os anos.

"É uma grande coisa, mas difícil de fazer, porque teria de envolver toda e qualquer escola e aluno do país", diz Eric Hanushek, da Universidade de Stanford, um dos coordenadores do estudo.

No acumulado até 2095, chega-se a US$ 23 trilhões de valor agregado e um PIB mais de 7 vezes maior (751%). Em outros países, este aumento vai de 51% (Estônia) a 3.881% (Gana, hoje o pior país entre os analisados).

A qualidade da educação brasileira ficou no 60º lugar na lista de 76 países. Singapura conquistou o primeiro lugar, seguido por Hong-Kong, Coreia e Japão. Apesar da posição ruim, o Brasil teve uma melhora notável na última década.

A pontuação no PISA na área de matemática, por exemplo, subiu numa média de 4,1 pontos por ano – de 356 pontos em 2003 para 391 pontos em 2012

"A performance do Brasil em matemática, leitura e ciência melhorou de forma notável na última década, como em poucos países (...) A melhora é particularmente significativa considerando que o país aumentou tanto a participação quanto o resultado", diz o relatório.

Fonte: Exame.com

Curta nossa página no Facebook



Condenado no mensalão, Roberto Jefferson deixa prisão para cumprir pena em casa

Condenado no processo do mensalão, o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) deixou a prisão por volta das 11h deste sábado (16) para cumprir o resto da pena em casa.

Jefferson saiu sorridente acompanhado dos advogados, da companheira Ana Lúcia e da filha Cristiane Brasil, que é deputada e presidente nacional do PTB.

Abordado pela imprensa na porta do presídio se sabia sobre as denúncias de desvios de recursos na Petrobras, relevados pela Operação Lava Jato, ele se recusou a responder.

"Se eu disser isso, o Barroso me prende, meu irmão, eu não posso falar", disse Jefferson, se referindo ao ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, que concedeu a progressão de regime aberto ao ex-deputado.

"Está aqui, mas eu não posso falar, tá bem meu irmão?", disse Jefferson, levando as mãos ao pescoço, como se estivesse entalado.

Indagado sobre a primeira coisa que vai fazer em liberdade, ele gargalhou: "Eu vou namorar muito", disse o ex-deputado, beijando a mão da companheira.

Jefferson disse ainda que tem data de casamento marcada para o fim do mês.

Ele acrescentou que vai continuar trabalhando num escritório de advocacia, no qual faria atualmente trabalhos de auxiliar e que pretende passar a advogar.

Com a progressão de regime, Jefferson poderá passar noites em casa e não precisará usar tornozeleira eletrônica. O regime impõe certas restrições, como ir a bares.

"Eu não posso sair de casa, tenho que chegar até 20h, manter minha atividade laboral, comparecer uma vez por mês na vara de execuções penais", explicou.

O ex-deputado também comentou sobre sua saúde. Ele passou por cirurgia em 2012 para retirar tumor no pâncreas. Perdeu 20 quilos em dois anos.

"Eu passei oito infecções intestinais aqui. Eu tirei tudo, fiquei só com intestino grosso, então sobrecarreguei o intestino grosso", disse Jefferson.

Perguntado sobre o que aprendeu no tempo preso, ele afirmou que "evolui, melhorei, estou melhora do que ontem, porque tive tempo de ler, conhecer o sofrimento das pessoas que passam por isso".

Jefferson deixou o local dirigindo. Segundo os advogados, o ex-deputado segue diretamente para o apartamento na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, onde vai viver com a companheira.

Até ser preso, ele morava em uma casa em Levy Gasparian, interior do estado do Rio. Vai morar agora na Barra para ficar perto do trabalho, no Centro, e dos médicos.

Regime aberto
Nesta quinta (14), Jefferson foi autorizado ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, a cumprir pena em regime aberto.

Preso em fevereiro de 2014, ele cumpria pena em regime semiaberto, no qual podia sair do presídio para trabalhar.

Segundo a família, o apartamento na Barra da Tijuca fica a quatro quadras da praia e tem "cento e tantos" metros quadrados.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



CONFIRMADO! Crato irá receber Faculdade de Medicina

O Município do Crato foi confirmado para receber uma Faculdade de Medicina. A informação foi dada ao prefeito Ronaldo Gomes de Mattos pelo deputado federal José Nobre Guimarães, na manhã da última sexta-feira, 15.

De acordo com o prefeito Ronaldo Gomes de Mattos a conquista é fruto de uma luta dele, da sociedade e do deputado. Ronaldo lembra que tudo começou com um encontro no Hotel Encosta da Serra que contou com a ativa participação de várias instituições como o Rotary, CDL, Câmara de Vereadores  e a sociedade de forma geral.

Ronaldo lembra ainda que mesmo durante todo esse processo a Prefeitura através das s///ecretarias de Saúde e Educação  trabalhou com afinco para atender todas as solicitações do Governo Federal e conquistar a Faculdade de Medicina.

Na última segunda-feira, 11, o prefeito esteve em Brasília e pessoalmente conversou com o deputado Guimarães. Na oportunidade, além de falar da Faculdade de Medicina lembrou sobre a instalação do curso de Medicina Veterinária no Campus da UFCA em Crato e do Hospital Universitário.

O deputado Guimarães, segundo Ronaldo se comprometeu em lutar pelas reivindicações do Crato e para instalação na cidade de 5 unidades básicas de saúde, e ainda, buscar mais recursos para projetos de asfaltamento, calçamento, e ações nas áreas de saúde e educação.

A partir de agora o Governo Federal irá abrir uma concorrência para escolha da instituição que será proprietária  do curso e responsável pela instalação do curso de medicina.

Segundo o prefeito Ronaldo tão logo seja escolhida a instituição a prefeitura estará de portas abertas para ajudar a instituição na instalação da Faculdade de Medicina.

“Estamos à disposição para ajudar no que for possível, seja na infraestrutura, seja no apoio, a instituição vai nos procurar e fazer suas solicitações e nós vamos ajudar no que for possível, pois esse é um sonho realizado por todos nós”, disse Ronaldo lembrando que o a instalação da faculdade de medicina é uma das prioridades de sua gestão.

Para o prefeito cratense a Faculdade de Medicina do Crato é uma conquista não apenas do Crato, mas de toda a Região do Cariri. Ele disse esperar que a empresa vencedora, após instalar a Faculdade de Medicina instale outros cursos na área de saúde.

Para o prefeito cratense a ideia é ampliar com essa faculdade o desenvolvimento da cidade, acoplando a área da educação a outros segmentos impulsionando o turismo educacional, científico, de negócios e a busca agora  para implantação do Distrito Industrial do Crato.

Foto meramente ilustrativa

Assessoria de Imprensa/PMC

Curta nossa página no Facebook



Nova lei faz aposentadoria subir até R$ 1.492,87

As mulheres que trabalham com carteira assinada serão as mais beneficiadas pela mudança aprovada pela Câmara dos Deputados no cálculo das aposentadorias do INSS. Com o uso da Fórmula 85/95 no lugar do fator previdenciário, elas deixam de amargar perdas na concessão do benefício por tempo de contribuição de até R$ 1.492,87 (32,01%). Os homens também terão ganhos com o novo mecanismo, evitando queda na aposentadoria que chega a R$ 857,66 (18,39%), segundo comparação feita pelo Instituto de Estudos Previdenciários (Ieprev).

“A Fórmula 85/95 aprovada como emenda à MP 664 é mais simples e mais vantajosa para as mulheres”, afirma Thiago Gonçalves de Araújo, diretor do Ieprev.

Araújo explica que como o fator previdenciário leva em consideração a média da expectativa de vida da população e não a sobrevida individualizada, mulheres, por viverem mais do que os homens, terão vantagem. O mecanismo considera soma da idade mais o tempo de contribuição. No caso das mulheres é preciso atingir 85 anos e dos homens, 95.

Conforme os cálculos do Ieprev, uma trabalhadora com média salarial de R$4.663,75 — que é o teto atual da Previdência Social —, com 51 anos de idade e 34 anos de tempo de contribuição se aposentaria ganhando R$ 3.170,88 pela regra atual. Pelo outro mecanismo, ela receberia R$4.663,75, diferença de 32,01%.

Em votação tensa na quarta-feira, parlamentares aprovaram, contra a vontade do governo, a emenda apresentada pelo deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) à MP 664, que torna mais difícil a concessão da pensão por morte e do auxílio-doença. O destaque propõe exceção à regra atual da aposentadoria com a adoção da Fórmula 85/95.

“A emenda garante opção de escolha. Quem não atingir os 85/95 anos poderá usar o fator e escolher quando for mais vantajoso, se for o caso. Se o trabalhador decidir se aposentar antes de atingir essa marca, a emenda determina que a aposentadoria será calculada pelo fator”, explica o diretor do Ieprev.

A assistente de RH Rosana Pereira, 36 anos, espera poder trabalhar e se aposentar com um benefício que garanta seu sustento sem precisar depender de outra pessoa. O estudante Felipe Silveira de Miguel, 23 anos, trabalha na área de marketing e não pensa em se aposentar tão cedo. Ele diz que vai aplicar o dinheiro que for ganhando ao longo da vida profissional. “Vou aplicar em fundos de renda fixa para assim garantir alguma qualidade de vida mais tarde”, diz.

Governo quer evitar que veto caia 
O governo jogará peso no grupo de trabalho para apresentar proposta que substitua o fator previdenciário. O objetivo é evitar que o Congresso derrube possível veto da presidenta Dilma à emenda aprovada pela Câmara e que segue para o Senado. O destaque à MP 664 que substitui o fator tende a ser aprovado na Casa.

Ontem, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), indicou que a proposta não será derrubada ou será criada proposta que dê alternativa ao trabalhador na hora da aposentadoria.

Renan lembrou que o Senado já tentou derrubar o fator previdenciário. Em 2008, foi aprovado o PLS 296/03 que previa a derrubada da regra. Em 2010, Senado e Câmara novamente aprovaram a extinção por meio do Projeto de Lei de Conversão (PLV) 2/10. O o então presidente Lula da Silva vetou e manteve o fator.

“O Senado já decidiu há anos sobre o fator. É óbvio que, tendo nova oportunidade, não vai recusar a troca dessa regra que delonga as aposentadorias”, afirmou.

Vice minimiza derrota sofrida 
O vice-presidente Michel Temer minimizou ontem as derrotas sofridas pelo governo durante a votação das emendas à MP 664, como a que substitui o fator previdenciário e a que manteve em 15 dias o prazo que empresas têm que pagar salário dos empresados que saem de licença médica. O texto da MP previa que o INSS arcaria com auxílio-doença depois de 30 dias de afastamento do trabalhador.

A emenda do fator acabou aprovada à revelia do governo, que quer levar a discussão sobre as mudanças na Previdência para um fórum com a participação de centrais sindicais, empresários e parlamentares. Ontem CUT e Força Sindical, as duas maiores centrais do país, declararam apoio à modificação aprovada pela Câmara. Segundo Temer, mesmo assim o assunto continuará a ser debatido no grupo criado pelo Executivo. O fator foi criado em 1999 pelo governo de Fernando Henrique Cardoso para que os trabalhadores retardassem a aposentadoria.

Nesta quinta-feira (14), a Câmara concluiu a votação da MP 664, que muda as regras para a pensão por morte, limitando o recebimento pelo cônjuge ou companheiro conforme a expectativa de vida. Quanto mais jovem, por menos tempo receberá a pensão. Nas votações de ontem, os deputados rejeitaram todas as mudanças propostas por meio de destaques e emendas.

Fonte: O Dia

Curta nossa página no Facebook



Homem preso após furtar carne tem carteira assinada: 'Feliz e agradecido'

O eletricista Mário Ferreira Lima, de 47 anos, que foi preso após furtar cerca de 2 kg de carne, foi contratado por uma construtora de Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, nesta sexta-feira (15). Após ter a Carteira de Trabalho assinada, o homem disse, sorridente, que estava sentindo uma emoção muito grande. “Estou muito feliz e agradecido a todos que me ajudaram. Agora vou poder sustentar minha família com dignidade”, falou.

Mário, que mora em Luziânia, foi flagrado pelo segurança de um supermercado ao tentar furtar um pedaço de carne dentro de sua mochila.,Segundo o eletricista, ele não tinha dinheiro suficiente para pagar o alimento e seu filho não tinha o que comer. Ele foi preso, mas sua história sensibilizou os policiais civis, que pagaram sua fiança e ainda deram uma cesta básica a ele.

Após ser contratado, o eletricista disse que irá fazer uma reflexão sobre todo o ocorrido desde o furto, para que seu filho não tenha um exemplo ruim. “Vamos fazer uma reciclagem do que aconteceu, dos bons e maus momentos, mas quero que meu filho pegue apenas os bons exemplos e que ele seja trabalhador e honesto. Eu já expliquei para ele que não somo desse tipo, nós temos que praticar o bem”, disse.

Sorridente, ele disse que se surpreendeu com todas as ajudas que recebeu no momento mais difícil de sua vida. “Eu pensei que estava abandonado no mundo, mas tem um Deus maior olhando por nós e muitas pessoas com o coração bom demais”, disse emocionado.

Antes do furto
Mário estava desempregado há um ano e três meses. Antes desse período, ele era técnico de manutenção em um shopping da cidade. Entretanto, um problema de saúde da mulher o obrigou a largar o trabalho. “Minha esposa tinha sofrido um acidente de moto e ficado em estado de coma. Ela ficou no hospital e eu tive que largar o trabalho para cuidar da minha esposa. Fiquei o ano inteiro com ela no hospital”, explicou.

Atualmente, sua esposa mora na casa de parentes, pois a casa de Mário não tem a estrutura necessária para receber a esposa, que agora necessita de cuidados constantes. Agora, com o novo emprego, ele espera conseguir reformar o imóvel para que a família volte a viver toda junta novamente.

Durante esse período desempregado, Mário disse que passou por muitas dificuldades, principalmente para conseguir alimentos para ele o filho, de 12 anos. “Você tirando o dinheiro de dentro de casa sem ter dinheiro para entrar por estar sem trabalhar, ganhando apenas R$ 70 de Bolsa Família, para sustentar duas pessoas e uma casa, não dá”, contou.

Dificuldades
O drama do eletricista começou na última quarta-feira (13), quando ele foi flagrado tentando furtar a carne em um mercado em Santa Maria (DF). Embora more em Luziânia, Mário disse que cometeu o crime em Santa Maria por ter ido visitar sua mãe, que mora na cidade, não ter conseguido dinheiro emprestado com ela, e não ter dinheiro suficiente para pagar pelos alimentos. Mário, que recebe R$ 70 do Programa Bolsa Família, diz que confundiu as datas do benefício e seu dinheiro acabou antes que desse para fazer compras. Sendo assim, ele tentou esconder a carne na bolsa.

A ação foi flagrada pelas câmeras de segurança do estabelecimento e, mesmo tentando explicar que cometeu a ação para alimentar o filho, as desculpas não foram aceitas e o dono do comércio acionou a Polícia Militar. Mário foi preso e a fiança foi estipulada em R$ 270.

Ao saber que ficaria preso, o homem chegou a passar mal na delegacia e disse que estava há dois dias sem comer. Ele relatou que estava desempregado há três meses e que ele o filho se alimentavam apenas de pão, banana e bolachas. No entanto, deixou a criança consumir os últimos alimentos que eles tinham em casa.

“Tinha três meses que eu não tinha gás, então a nossa comida aqui era tudo coisa rápida, pois não dava para cozinhar tudo lá fora [no fogão à lenha]. Então, eu comprava sanduíches baratinhos, de R$ 0,60, ou comprava duas ou três linguiças e colocava dentro do pão. Aí a gente estava vivendo assim”, relatou.

Mário diz que a todo o momento se preocupou com o filho. “Quando ele [delegado] me disse que eu estava detido, fiquei preocupado, pois estava com o alimento que iria levar para o meu menino, que ainda não tinha almoçado. Ele mandou me algemar para que eu não saísse correndo, mas eu disse que não iria fazer isso, pois já estava lá no fundo do poço e iria para onde? Aí ele disse que talvez dali a um mês o juiz poderia me chamar para a audiência. Aí eu entrei em desespero”, diz.

Sensibilizados com o caso, a agente de polícia Kelen Lemos pagou a fiança do eletricista e se uniu a outros policiais, que fizeram compras para ajudá-lo. “Ele estava sem se alimentar e não tem como a gente não se sensibilizar. Não fizemos isso de maneira alguma para estimular esse tipo de situação”, afirmou a policial.

O eletricista diz que sua fé o ajudou a sair daquela situação. “Passou um moço na delegacia e eu pedi pelo amor de Deus para ele levar o alimento para o meu filho, que ia chegar do colégio e ainda não tinha comido. Mas ele não fez questão. Aí eu pedi a Deus que não me deixasse passar a noite lá e que eu dormisse em casa. Poucos minutos e a policial apareceu dizendo que iria pagar a fiança. Eu a agradeço demais", ressaltou.

Ele também fez questão de agradecer os policiais que o compraram alimentos. "Eles são pessoas de bem, não tenho palavras para falar sobre o que eles fizeram. Saímos da delegacia, me levaram em um supermercado e voltei para casa com comida. Eles são anjos", disse.

Apesar da reviravolta no caso, Mário vai responder em liberdade pelo crime de furto. Ele diz que aprendeu uma lição. “Deus me livre, não quero passar por isso nunca mais na minha vida e nem quero que ninguém passe. Mas tem gente aí que nunca viveu essa situação de não ter as coisas, sempre teve. Por isso tem que dar valor ao que tem e cuidar”, afirmou.

Fonte: G1

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Reunião define estratégias para o seminário com ativista Maria da Penha

Uma reunião realizada na manha da última terça-feira, na sede da Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social (SMTDS) definiu estratégias para o Seminário Mulher e Violência: Lutas e Resistências no Cariri.

O evento, realizado pelo Conselho Municipal da Mulher Cratense e Projeto Mulheres da Paz, vinculado a Secretaria Municipal de Segurança Pública, com apoio da SMTDS, trará a líder do movimento social em defesa da mulher mais conhecida do país, Maria da Penha.

O seminário acontece dias, 20 e 21 de maio, na Escola Técnica Violeta Arraes de Alencar Gervaiseau, em Crato. A programação traz palestras, minicursos, mesas–redondas e mostra de audiovisual. A abertura oficial será as 9h30min  com a participação do repentista Tião Simpatia e às 10h está programada a palestra ministrada por Maria da Penha sobre a Lei 11.340/2006, que recebeu o nome da ativista, e cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher.

A inscrição é apenas 2 kg de alimento que serão revestidos em cestas básicas para as mulheres vítimas de violência.

Participaram da reunião para organizar o evento a secretária Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social Elisangela Rodrigues, a Primeira Dama do município Gil Gomes de Mattos, o Diretor da Proteção Social Básica Eugenio Silva, a diretora da Proteção Especial de Média e Alta Complexidade Adriana Lacerda, representantes do Centro de Referência da Mulher (CRM), Conselho Municipal da Mulher Cratense, Projeto Mulheres da Paz e o secretário de Segurança Pública do Crato, Enrile Pinheiro Teles.

Assessoria de Imprensa/PMC

Curta nossa página no Facebook



Petrobras tem lucro de R$ 5,33 bilhões no trimestre, acima da expectativa

A Petrobras teve lucro de R$ 5,33 bilhões no primeiro trimestre deste ano, uma queda de 1% em relação aos três primeiros meses do ano passado (R$ 5,393 bilhões). No quarto trimestre de 2014, a estatal tinha registrado prejuízo de R$ 26,6 bilhões, descontando perdas com corrupção e reavaliação de bens.

Apesar da queda, o resultado veio acima das expectativas do mercado. Analistas consultados pela agência de notícias Reuters esperavam lucro de R$ 2,5 bilhões no período; os consultados pelo jornal "Valor Econômico" estimavam ganhos de R$ 2,7 bilhões.

A estatal divulgou seu balanço nesta sexta-feira (15), após o fechamento do mercado.

Há menos de um mês, a petroleira publicou seus resultados do terceiro e do quarto trimestre de 2014 aprovados pela auditoria independente, após sucessivos adiamentos, e calculou em R$ 6,2 bilhões as perdas com corrupção. A empresa é o principal alvo de denúncias da Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

Alta do dólar afetou o lucro, diz presidente
Em nota, o presidente da companhia, Aldemir Bendine, afirmou que a queda do lucro aconteceu por conta da alta do dólar registrada no período.

A receita de vendas da estatal somou R$ 74,353 bilhões, queda de 9% na comparação com a receita de R$ 81,5 bilhões obtidos entre janeiro e março do ano passado.

O lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) somou R$ 21,518 bilhões de janeiro a março de 2015, crescimento de 50% em relação a um ano antes.

Segundo Bendine, a melhora no Ebitda é explicada pela maior produção de petróleo, pelas maiores margens nas vendas de combustíveis no Brasil e pelos menores gastos com participações governamentais e importações.

Dívida em alta
A empresa informou que encerrou o primeiro trimestre com dívida líquida de R$ 332,5 bilhões, aumento de 18% em relação ao endividamento líquido de R$ 282 bilhões ao fim do quarto trimestre de 2014.

Segundo a companhia, a alta do endividamento foi provocada pela desvalorização do real, de 20,8% no período.

A relação entre a dívida líquida da companhia e o Ebitda ajustado ao fim do trimestre era de 3,86 vezes, ante a relação de 4,77 vezes em dezembro do ano passado.

O nível de endividamento da companhia, medido pela relação entre endividamento líquido sobre a soma de endividamento líquido e patrimônio, atingiu 52% em março, ante 48% em dezembro.

Mudanças na diretoria e cortes de investimentos
A crise na estatal custou o cargo da ex-presidente da empresa Graça Foster, e de outros cinco diretores, que renunciaram em fevereiro. Foster foi substituída pelo então presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine.

A empresa também anunciou, no início de março, um plano de "desinvestimento", com a intenção de vender algumas unidades e levantar US$ 13,7 bilhões entre 2015 e 2016. A empresa afirmou que os ativos do pré-sal não estão incluídos na proposta. Os cortes na área de exploração de petróleo chegam a 40%.

Em meio ao escândalo de corrupção, a Petrobras teve sua nota de crédito cortada por agências de classificação de risco e passa por dificuldades para obter financiamentos com condições interessantes.

Fonte: UOL (Com Reuters e Valor)

Curta nossa página no Facebook



Programas como Bolsa Família reduziram pobreza a nível histórico, diz FMI

O Fundo Monetário Internacional (FMI) incluiu na sua análise anual sobre a economia brasileira (artigo IV) um pequeno box no qual avalia os efeitos do Bolsa Família e do Brasil Sem Miséria. No texto, o Fundo ressalta o baixo custo do programa criado em 2003 pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva e a melhora significativa dos indicadores sociais decorrente do resgate de cerca de 22 milhões de pessoas da extrema pobreza a partir de 2011, no primeiro mandato de Dilma Rousseff.

O artigo detalha as condicionalidades para inclusão das famílias no Bolsa Família — frequência escolar dos filhos, por exemplo — e destaca que o Brasil Sem Miséria, criado “com base no sucesso do Bolsa Família”, vai além da simples transferência de renda. “Este programa promove a qualificação e integração no mercado de trabalho, além de melhor o acesso a serviços públicos”, diz a equipe do FMI.

O artigo ressalta que o Bolsa Família já atinge cerca de 25% da população brasileira (50 milhões de pessoas). Mas a despeito de seu amplo alcance, tem custo fiscal inferior a 0,6% do PIB por ano, com média mensal de transferência de R$ 169 (US$ 65).

Os dois programas, segundo o fundo, levaram os níveis de pobreza extrema a níveis “historicamente baixos” e superaram o simples apoio ao rendimento. “Os participantes têm taxas de escolaridade mais elevadas, maior progressão escolar e níveis de repetência menores”. Segundo o texto, o programa também melhora as condições de saúde dos recém-nascidos, ao diminuir a mortalidade infantil, desnutrição e diarreia. “Além disso, ao direcionar o recebimento dos benefícios às mulheres, o Bolsa Família reforçou a independência financeira delas”, destacou.

O relatório completo pode ser acessado aqui.

Fonte: Valor Econômico

Curta nossa página no Facebook



Após prisão e ajuda de policiais, eletricista diz que sonha em trabalhar

Há dois dias a geladeira de Mário Ferreira Lima estava vazia com apenas uma garrafa de água. Agora, carnes, iogurtes, sucos e verduras doados por policiais civis do Distrito Federal abastecem a cozinha da família. Emocionado com a repercussão do caso, o eletricista diz estar arrependido de ter furtado dois quilos de carne na tarde de quarta-feira (13), em Santa Maria (DF).

"Estava havia dois dias sem comer e precisava também alimentar meu filho. Não justifica, porém foi por extrema necessidade. Não faria de novo."

O morador de Jardim Ingá, distrito de Luziânia (GO), a 50 km de Brasília, diz que pensou no filho Diego, 12, desde o momento em que foi preso até sua soltura.

"Pedi para que os policiais levassem as compras para a minha casa. Meu filho tinha ido para a escola sem almoçar e fiquei bastante preocupado", diz o eletricista.

A casa com cômodos pequenos ainda não terminou de ser construída. O telhado ainda não foi finalizado e o reboco está pela metade. Pai e filho dividem o mesmo quarto e dormem juntos em uma cama.

Na casa não há aparelhos eletrônicos, armários nem guarda-roupas. Foi necessário se desfazer dos móveis para conseguir dinheiro. "Perdi as contas de quantas vezes a água e a luz foram cortadas."

Lima sonha em ter um trabalho e dar uma vida digna para o filho.

"Sempre procurei emprego, porém está difícil conseguir algum. Minha maior vontade é construir um quarto lindo para que o Diego possa trazer os amigos, brincar e fazer as lições de casa", afirma.

Apesar do crime cometido, o estudante Diego diz ter orgulho do pai.

"Sei que ele fez isso porque estávamos precisando. Meu pai já deixou de comer para que eu pudesse me alimentar. Ele é trabalhador e sei que não fará isso de novo."



Doações

Além das doações de policiais, o eletricista vem recebendo dinheiro, utensílios para casa e alimentos de pessoas que se solidarizaram com o caso.

O autônomo Luiz Anselmo, 47 anos, mora em São Paulo e está de férias em Brasília na casa da mãe.

"Fiquei sabendo da notícia e decidi doar R$ 100. Fiquei emocionado com a situação, pois ele cometeu o crime por extrema necessidade. Vemos diariamente tantos casos de corrupção que os autores nem são presos."

Lima também recebeu um botijão de gás, utensílio que ele não via há anos. "Para preparar um ovo frito, por exemplo, improvisei uma espécie de fogão a lenha e fazia tudo ali mesmo. O importante era alimentar o meu filho", diz.

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook



Barbalha (CE): Quarteto é preso com cédulas falsas que "derramaria" na Festa de Santo Antonio

Zé Carlos, os menores de 16 e 15 anos e Antonio Galvão
Dois jovens foram presos e dois adolescentes apreendidos nesta quinta-feira sob a acusação do derramamento de dinheiro falso oriundo do Estado do Pará no Cariri e a suspeita de que teriam cédulas para passarem durante a Festa de Santo Antonio em Barbalha. São eles José Carlos Ferreira Silva, de 23, Antonio Galvão da Silva, de 24, e os adolescentes de iniciais C. J. B de S., de 16, e C. H. G da S., de 15 anos trazidos para Juazeiro pelo Sargento Sávio e os Soldados Nonato, Soares e Edson.

As diligencias começaram a partir de informações dadas por PMs do Destacamento de Missão Velha de que quatro pessoas estavam passando cédulas de R$ 100.00 falsas naquele município e teriam fugido num carro na direção de Barbalha. Em Missão Velha, o quarteto fez compras num estabelecimento comercial que funciona na Avenida Coronel José Dantas em frente ao terminal rodoviário junto ao comerciante Antônio Fernandes da Costa, de 76 anos, de onde saíram num Fiat Strada de cor cinza.

Os policiais barbalhenses passaram a fazer as buscas quando, no cruzamento da Avenida Paulo Marques com a Rua Projetada I (Bairro Bulandeira) em Barbalha, prenderam Zé Carlos, residente na Rua Projetada 7, número 192 no Sítio Mata dos Limas naquele município, e o adolescente C. J. B de S., que mora na Rua Pedro Cassiano dos Santos no bairro Frei Damião em Juazeiro, os quais estavam no citado Fiat Strada com placas de Irecê (BA).

Momentos depois, na Avenida Leão Sampaio em frente à Ceasa Cariri, foi preso Galvão que reside na Rua Pedro Cassiano dos Santos, 115 no Frei Damião e o menor C. H. G da S., igualmente morador do bairro Frei Damião em Juazeiro. Na casa de Zé Carlos em Barbalha, suspeito de ser o chefe do grupo, a polícia encontrou sete cédulas falsas no valor de R$ 100.00 e um revólver calibre 38 com quatro cartuchos intactos. Com os demais foram encontradas mais três cédulas, um carneiro vivo e 2 kg de carne, que haviam comprado com dinheiro falso em Missão Velha.

O material e o veículo foram apreendidos e conduzidos com os acusados para a Delegacia da Policia Federal de Juazeiro, onde foi instaurado Inquérito Policial com as autuações de Zé Carlos e Galvão para responderem por crime de derramamento de cédulas falsas, associação criminosa e corrupção de menores acrescentando a posse ilegal de arma de fogo em relação a Zé Carlos. Já os adolescentes foram apresentados na Delegacia de Policia Civil de Juazeiro do Norte.

Demontier Tenório

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook


São Paulo e Ceará lideram ranking da lei de acesso à informação

Os Estados de São Paulo e Ceará foram apontados pela CGU (Controladoria-Geral da União) como os mais transparentes na comparação com as demais unidades da federação. No ranking que avalia o cumprimento da Lei de Acesso à Informação, Amapá e Rio Grande do Norte ficaram no fim da fila.

O Escala Brasil Transparente, elaborado pela CGU, analisou 492 municípios com até 50 mil habitantes, incluindo todas as capitais. Todos receberam notas de zero a 10 pontos, baseadas em dois critérios: regulamentação da Lei de Acesso e efetiva existência do serviço de informação ao cidadão.

São Paulo e Ceará obtiveram nota máxima, seguidos por Paraná, Sergipe, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Entre os municípios, Apiúna (SC) e São Paulo (SP) receberam nota 10. Por outro lado, 63% dos municípios analisados tiraram nota zero e cerca de 23%, notas entre 1 e 2. Entre as capitais, as mais transparentes foram São Paulo (SP), Curitiba (PR) e Brasília (DF). Já Macapá (PA), Porto Velho (RO) e São Luís (MA) não pontuaram.

Neste sábado (16), a vigência da Lei de Acesso (Lei 12.527/2011) completa três anos. Segundo a CGU, o poder executivo federal já recebeu mais de 270 mil solicitações de informações desde a vigência da lei. Das solicitações, 98,33% das solicitações já foram respondidas, sendo que o tempo médio de respostas foi de 13,88 dias - a lei prevê um prazo de 20 dias, prorrogáveis por mais 10.

Os assuntos mais demandados pelos cidadãos foram os relacionados à economia e finanças (12,29%). Em seguida, vieram as solicitações sobre assuntos da administração pública (11,36%), previdência social (6,84%), informação, comunicação e gestão (6,19%) e ensino superior (5,35%). Quanto ao perfil dos solicitantes, mais de 35% deles têm ensino superior.

A média mensal de solicitações tem sido de 7,3 mil pedidos e o mês que registrou mais pedidos foi março de 2015, com 9.878 solicitações. As unidades da federação que mais registram pedidos pela Lei de Acesso foram: São Paulo (25,5%), Rio de Janeiro (13,14%) e Minas Gerais (10,02%).

Fonte: UOL (Com Estadão Conteúdo)

Curta nossa página no Facebook



Juazeiro do Norte (CE): Professores da UFCA realizam aula pública sobre transporte coletivo em ponto de ônibus

Professores do curso de jornalismo e filosofia da Universidade Federal do Cariri – UFCA realizaram aula pública sobre transporte e direito à cidade nessa quinta-feira, dia 14, às 18:30, na praça do municipal em Juazeiro do Norte. A iniciativa é uma crítica ao sistema de transporte coletivo urbano da cidade, ocupado pelas empresas Lobo e São Francisco, que prejudica e afeta a vida de trabalhadores e estudantes que utilizam o transporte todos os dias.

O tema da aula foi "O caminho a descer e a subir é um e o mesmo" com base em estudos da filosofia de Heráclito. Nessa primeira aula participaram os professores Roberto Cunha, Edwin Carvalho e a professora Camila Prado. A ideia é ocupar os pontos de ônibus da cidade no sentido de se apropriar dos seus problemas e intervir socialmente e culturalmente.

MÁRCIO FEITOSA
Estudante de Jornalismo da UFCA



Na Caixa Econômica Federal, já falta dinheiro para a casa própria

Não bastasse o aumento da taxa de juros e a redução do limite de financiamento, também já começam a faltar recursos para o crédito imobiliário em algumas agências da Caixa Econômica Federal. Em duas de sete agências visitadas pelo GLOBO no Rio e em São Paulo, nos últimos dois dias, os gerentes informaram que não poderiam conceder novos empréstimos por falta de dinheiro. Em outras duas, tinha havido falta de recursos, mas a situação já estava normalizada.

— Não temos verba para financiar imóveis. E não sabemos quando vamos ter de novo — afirmou na terça-feira a gerente de atendimento de uma agência da região central de São Paulo.

Em outra agência da cidade,a informação foi semelhante.

— A Caixa nesse momento não tem recursos para esse financiamento (pelo SFH com recursos da poupança).

Numa terceira, a informação foi de que a aprovação do financiamento dependeria do “fluxo de empréstimos” na época em que a documentação fosse entregue e, nas outras duas, a concessão estava normal.

Segundo gerentes, a Caixa estabeleceu este ano um orçamento de crédito imobiliário para cada agência. Em algumas delas, o dinheiro acabou, mas depois houve uma redistribuição de verbas de outras agências.

— Nossa verba para financiar imóveis no primeiro semestre acabou em abril. Tivemos alguns dias difíceis, mas depois a superintendência começou a reorganizar os recursos entre as agências. Quem está com mais pedidos pega recursos com quem tem menos demanda. Agora, não há riscos de não ter dinheiro — afirmou o gerente de uma agência na Zona Sul do Rio.

Já na Zona Norte do Rio, um gerente da Caixa confirmou que faltou dinheiro para a casa própria há alguns dias, mas agora a concessão está normal.

Assinatura cancelada
A falta de verba quase acabou com o sonho da casa própria da engenheira Christiany Goulart. Com horário marcado para assinar o contrato de crédito imobiliário da Caixa Econômica Federal às 14h do dia 29 de abril, ela recebeu um telefonema do gerente pela manhã, avisando que não havia mais dinheiro para o financiamento. Como havia apenas mais um dia útil com as regras antigas, seu contrato teria que ser incluído nas novas regras, com juros mais altos. E a entrada, que era de 20% do valor do imóvel, passaria para 50%.

— Eu já tinha pago R$ 12 mil de imposto (ITBI) e, na hora, pensei que nunca mais conseguiria comprar minha casa própria. Minha parcela do financiamento aumentaria em R$ 2 mil e eu não teria condições de pagar.

Para tentar reverter a situação, ela foi à agência com o marido e os vendedores, que passaram das 14h às 19h no local. O gerente começou a ligar de agência em agência em busca dos recursos para garantir o financiamento. No dia seguinte, voltaram à agência e ficaram mais três horas, das 10h às 13h. Conseguiram assinar o contrato no último dia de vigência das regras antigas.

A expectativa dos gerentes é que, com a exigência de entrada maior, a procura por empréstimos caia e pare de faltar dinheiro. Procurada, a Caixa informou que não há limite de orçamento e que o crédito imobiliário está sendo oferecido normalmente.

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Secretaria de Saúde promove curso de manejo clinico da dengue e febre chikungunya

A Secretaria de Saúde do Crato irá realizar na manhã do próximo dia 22, no auditório do Geopark uma oficina sobre manejo clinico de dengue e febre chikungunya.

A capacitação será disponibilizada para alguns profissionais da saúde municipal, médicos, enfermeiros, profissionais da atenção básica e da estratégia de saúde da família, além de coordenadores de alguns setores da Secretaria Municipal de Saúde.

As informações serão repassadas pelo médico infectologista Dr. José Mauricio Pereira Lopes.

De acordo com a Coordenadora da Epidemiologia do Crato, Danielle Norões Mota a Secretaria vem desenvolvendo ações efetivas de combate a dengue e entre as estratégias está a capacitação de profissionais para um melhor atendimento e sobretudo um manejo clinico adequado. “Estamos em meio a um plano de ação onde os profissionais da epidemiologia e endemias trabalham dia após dia na prevenção e combate ao mosquito aedes. Contudo precisamos da ajuda da população para que cuidem de suas casas com os cuidados necessários para que o mosquito da dengue não procrie” explica.

A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Assim como na dengue, os principais sinais e sintomas da chikungunya é a febre alta (39°C) acompanhada de dor nas articulações. O quadro inclui ainda dor muscular, dor de cabeça, fadiga, náuseas e manchas vermelhas na pele.

O que a diferencia da dengue, no entanto, é a intensidade das dores articulares de pés e mãos – dedos, tornozelos e pulsos. Ela é tão intensa que faz com que a pessoa doente fique curvada; por isso, o termo chikungunya, que significa “aqueles que se dobram”.

Ao sinal de qualquer sintoma, a pessoa deve procurar ajuda médica, a fim de realizar exames laboratoriais que detectam o vírus. O foco do tratamento é no alívio dos sintomas com os remédios ideais. O vírus pode afetar qualquer pessoa, independentemente da idade e do sexo, mas os sinais e sintomas são mais intensos em crianças e idosos.

O secretário de Saúde do Crato, Lucimilton Macedo esclarece que o controle da dengue e da febre depende do combate aos mosquitos transmissores a prevenção é igual a da dengue: evite água parada onde os mosquitos se reproduzem. Portanto, verifique se a caixa d’ água está bem fechada, não acumule vasilhames no quintal, não deixe calhas entupidas e coloque areia nos pratos dos vasos de plantas, entre outras iniciativas. “Estamos realizando atividades todos os dias. Todos os bairros da cidade serão atendidos dentro do plano de ação que elaboramos avaliando as ações a agindo da melhor forma para garantir a qualidade da saúde da população” conclui.

Assessoria de Imprensa/PMC

Curta nossa página no Facebook



Oito atitudes típicas de pessoas que têm depressão, mas não demonstram

Embora a sociedade atual demonstre, de modo geral, um maior conhecimento sobre a depressão, o que se vê, muitas vezes, é uma compreensão equivocada desta doença e de seus sintomas.

Por tratar-se de uma doença marcada por um estigma, nem sempre conseguimos identificar familiares ou pessoas próximas que estejam lutando contra a depressão. Pior ainda: devido às concepções equivocadas sobre os diferentes modos de manifestação da doença, e o tipo de ajuda a ser buscado, muitos indivíduos que sofrem de depressão não recebem o devido diagnóstico.

O resultado disso é que muitos indivíduos convivem com uma depressão mascarada – ou seja, invisível para as pessoas que os cercam, ou mesmo para eles próprios. Além disso, nos casos em que não recebeu o diagnóstico adequado, o indivíduo tenderá a lidar com seus problemas de modo a esconder a depressão, e terá dificuldades para reconhecer os verdadeiros sintomas da doença.

É preciso deixar de lado a concepção de que o sofrimento é sempre visível. Deste modo, será possível compreender melhor e oferecer ajuda aos que lutam contra as doenças não manifestas. Listamos, a seguir, alguns sinais de uma pessoa que talvez sofra de uma depressão mascarada.

1. Ela talvez “não pareça deprimida”
Influenciados por estereótipos culturais e veiculados pela mídia, muitos têm uma imagem equivocada do comportamento e da aparência do indivíduo com depressão. Na visão do senso comum, esta pessoa raramente sai de seu quarto, veste-se com desleixo, e parece estar sempre triste. Porém, nem todos que sofrem de depressão têm o mesmo comportamento.

Claro que os indivíduos são diferentes, assim como variam os sintomas e a capacidade de cada um de lidar com a doença. Muitos conseguem exibir um “verniz” de boa saúde mental – como mecanismo de autoproteção –, mas o fato de serem capazes de fazê-lo não significa que eles sofram menos. Do mesmo modo, as pessoas incapazes de mostrar tal “verniz” não são mais “fracas” que as demais.

2. Ela pode parecer exausta, ou queixar-se de um cansaço constante
Um efeito colateral da depressão é um cansaço permanente. Embora este sintoma não se manifeste em todos que sofrem de depressão, ele é muito comum. Em geral, é um dos piores efeitos colaterais desta doença.

Além disso, se o indivíduo não recebeu o diagnóstico de depressão, a causa deste cansaço pode ser uma incógnita. Mesmo que ele durma um número suficiente de horas à noite, talvez acorde na manhã seguinte como se tivesse dormido pouco. Pior que isso: talvez ele culpe a si mesmo, atribuindo isso à preguiça ou então que algum defeito de sua personalidade esteja causando esta sensação de fraqueza e falta de energia.

Este sintoma também acaba se tornando uma dificuldade para quem recebeu o diagnóstico de depressão, mas tenta ocultá-la dos amigos e colegas. Isso porque esta sensação de cansaço afeta o seu ritmo de trabalho e também os seus relacionamentos pessoais.

3. Ela poderá ficar mais irritadiça
O comportamento de uma pessoa com depressão pode ser interpretado equivocadamente, como melancolia. É muito comum que a pessoa deprimida fique mais irritadiça, e que isso não seja interpretado como um sintoma da doença. Isso é compreensível, já que a depressão não é problema de saúde “visível”, e tampouco pode ser medido com precisão – o que dificulta o combate à doença.

Além disso, o esforço constante exigido do indivíduo para lidar, ao mesmo tempo, com as inúmeras demandas de sua vida cotidiana, e com a depressão, suga suas energias, deixando-o impaciente e incapaz de ter a compreensão exata sobre as coisas.

Se o seu amigo ou conhecido recebe o diagnóstico de depressão, e compartilha esta informação com você, uma dificuldade poderá surgir, caso o comportamento desta pessoa não corresponda à imagem (equivocada) que se tem de uma pessoa com depressão: um indivíduo tímido e calado. A tendência a ter “pavio curto” e a irritar-se com facilidade é, na verdade, um efeito colateral da depressão.

4. Para ela, pode ser difícil corresponder ao afeto e preocupação das pessoas ao redor
A ideia equivocada mais comum em relação à depressão, sugerida nos parágrafos acima, é que ela causa um sentimento de tristeza.

Pelo contrário: muitas vezes, o indivíduo com depressão não sente nada; ou então vive as emoções de modo limitado ou passageiro. Depende de cada caso, mas muitos relatam um sentimento parecido com o “torpor”, e o mais próximo que chegam de uma emoção é uma espécie de tristeza, ou irritação.

Deste modo, o indivíduo terá dificuldade para corresponder de modo adequado a gestos ou palavras afetuosas. Ou então nem se dará ao trabalho de manifestar qualquer reação.

Talvez demonstre uma irritação nada racional: é possível que o cérebro dele tenha dificuldades para processar e corresponder ao seu afeto e carinho.

5. Talvez recuse a participar de atividades de que gostava muito
Uma atípica falta de interesse em participar de atividades – e durante um longo período – pode ser um sinal de depressão. Conforme mencionado acima, esta doença drena a energia do indivíduo tanto no plano físico quanto no mental – o que afeta sua capacidade de sentir prazer com as atividades cotidianas.

Um indivíduo com depressão talvez não se sinta mais atraído por atividades que adorava no passado, pois esta doença acaba dificultando o desfrute de tais atividades, que não satisfazem mais o indivíduo. Se não há nenhum outro sinal visível que possa explicar o interesse cada vez menor do indivíduo por estas atividades, este talvez seja um sintoma de depressão clínica.

6. Talvez passe a ter hábitos alimentares incomuns
O indivíduo deprimido desenvolve hábitos alimentares incomuns por duas razões: como um modo de lidar com a doença, ou como um efeito colateral da ausência do cuidado consigo mesmo. Comer pouco ou em demasia é um sinal comum de depressão. A ingestão excessiva de alimentos é vista como vergonhosa, e neste caso a comida talvez seja a principal fonte de prazer da pessoa com depressão, o que a faz comer além do necessário.

Quando o indivíduo depressivo come pouco, em geral é porque a doença está afetando seu apetite, transformando o ato de comer em algo desagradável. Isso também pode ser uma necessidade subconsciente de controlar algo, já que ele não é capaz de controlar sua depressão. Se a pessoa não recebeu o devido diagnóstico, ou se omitiu diante das pessoas o fato de estar deprimida, elas poderão considerar que os hábitos alimentares “errados” se devem a um defeito de personalidade, e tal “julgamento” fará com que o indivíduo deprimido se sinta ainda pior.

7. Os outros talvez passem a exigir mais de você
Naturalmente, as funções vitais de um indivíduo com depressão não podem ser as mesmas de alguém com boa saúde mental. Haverá coisas que ele não será mais capaz de fazer com a mesma frequência, ou abandonará de vez. Perturbá-lo ou fazer com que ele se envergonhe por causa disso só tende a causar mágoas, em vez de ajudar. Se a depressão é um assunto que ele tem tido dificuldade de abordar, será igualmente difícil para ele lidar com alguém que fique irritado diante de sua incapacidade de agir do mesmo modo que uma pessoa mentalmente sadia.

Por isso, convém sempre ser compreensivo com as pessoas, seja de seu círculo profissional ou do pessoal. Não há como saber se um indivíduo está simplesmente “desacelerando”, ou se está enfrentando um verdadeiro problema de saúde.

8. Ela poderá ter dias ruins, e dias “melhores”
Trata-se de uma doença com altos e baixos. Se o indivíduo sofre de uma depressão mascarada, ou não diagnosticada, pode parecer que suas flutuações de humor são aleatórias, dependendo da regularidade de sua depressão. Para você (e mesmo para ele, no caso de ele não ter recebido um diagnóstico), talvez não haja uma motivação para as alterações de humor, mas esta é simplesmente a maneira como a depressão se manifesta em algumas pessoas.

Se você sabe que o indivíduo sofre de depressão, poderá ter a falsa impressão de que ele, tendo passado por uma sequência de dias “bons”, está definitivamente curado. O fato de ele ter passado um dia melhor do que na véspera pode ser excelente, mas convém que você sempre lhe peça para que ele deixe claro o que consegue ou não fazer, e em que momentos.

Concluir que o indivíduo que sofria de depressão está plenamente recuperado, ou forçá-lo a retomar rapidamente a rotina normal poderá sobrecarregá-lo, e fazer com que ele se “retraia” novamente. Ofereça apoio ao amigo ou parente com depressão, mas deixe que ele tome as decisões necessárias.

Por: Jane Scearce  

Fonte: Conti Outra (Do original: 8 Things People With Hidden Depression Do)

Curta nossa página no Facebook



Addthis