Gangnam Style - PSY (Jayesslee Cover)




Por que fritura é tão gostoso?

Sabe aqueles filmes da Sessão da Tarde em que a mocinha tímida e desajeitada toma um banho de loja e, para a surpresa de todos, aparece linda e deslumbrante no baile de formatura? É isso que a fritura faz com os alimentos: graças a um extreme makeover alimentar, traz à tona o sabor que já estava lá.

É na frigideira que a repaginação acontece. Quando passa de 170 ºC, o óleo se incorpora ao alimento, realçando suas qualidades. Como explica Márcia Fidelix, presidente da Associação Brasileira de Nutrição, a gordura aquecida faz o alimento desenvolver odor, cor e textura - são as propriedades organolépticas, aquelas que percebemos por meio dos sentidos. "Isso torna as preparações fritas mais atraentes", diz a doutora Fidelix. Pode reparar: mesmo alimentos congelados, esbranquiçados, sem graça, depois de fritos ficam dourados, crocantes, com cheiro que faz salivar.

E é aí que a carruagem da Cinderela vira abóbora empanada. Mandar ver na fritura faz você se sentir pesado, com a leve impressão de que comeu mais do que devia. Isso acontece porque a digestão das gorduras é mais lenta. Outro problema: justamente por se incorporar ao alimento, uma parte considerável do óleo utilizado sai da panela junto com o prato. "Só para ter uma ideia, uma batata frita tem cerca de 60% mais calorias e gorduras do que uma batata cozida", conta o nutricionista da Faculdade de Saúde Pública da USP, Daniel Bandoni. A fritura satisfaz, mas também engorda, maltrata seu coração e aumenta o risco de câncer. Ninguém é perfeito.

Fonte: Superinteresssante



Lula rejeita substituir Temer como vice de Dilma, diz Henrique Alves

O presidente da Camara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse nesta sexta-feira (22) que o ex-presidente Lula negou a intenção de substituir o PMDB como parceiro de chapa de Dilma Rousseff em uma eventual campanha à reeleição.

Ele se reuniu com o petista por quase duas horas, na sede do Instituto Lula, na zona sul de São Paulo.

Nas últimas semanas, Lula vinha discutindo com aliados a possibilidade de o PT oferecer a vice ao governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos, presidente. Aliado do governo federal, Campos ameaça sair candidato ao Planalto em 2014.

Em troca, os petistas deixariam de lançar candidato em São Paulo para apoiar o vice-presidente da República, Michel Temer, ou o deputado Gabriel Chalita, ambos do PMDB-SP, ao governo estadual.

"Ele [Lula] foi muito afirmativo de que essa aliança, pelo seu êxito, deve continuar", disse Alves ao sair do encontro com Lula.

"A relação Dilma-Michel é, ao meu ver, uma coisa consolidada, resolvida. Senti claramente isso hoje nas palavras do presidente Lula e [em outras manifestações] da presidente Dilma".

Segundo o presidente da Câmara, Lula disse que pretende marcar um encontro com Temer "nos próximos dias".

Alves afirmou que a chapa com Dilma e Temer estaria confirmada para 2014, mas ressaltou que ainda faltam dois anos para a eleição. "Não é hora ainda [de lançar candidatura]."

O encontro de Alves com Lula ocorre três dias depois de o PMDB de São Paulo ter divulgado uma nota reagindo ao noticiário de que o partido poderia perder a Vice-Presidência.

No texto, a legenda afirmou que sua prioridade é a manutenção da aliança com Dilma e que o Temer "já descartou qualquer possibilidade de disputar o governo do Estado".

Fonte: Folha.com



Sua saúde: Evite os nove maiores erros ao tomar remédios orais

Desde 2009, a Anvisa estabeleceu que todos os remédios devem ser acompanhados da bula do paciente, além da bula técnica já comum nos produtos. Na bula do paciente, deve ser especificada a forma como ele deve ser ingerido e seus riscos específicos de forma clara e objetiva. No entanto, ainda existem muitas dúvidas sobre a melhor maneira de tomar uma medicação e outras crenças tão comuns que sequer são colocadas em dúvida - e muitos desses hábitos podem não só interferir na eficácia do medicamento, como também prejudicar seu organismo. Confira os erros mais comuns na hora de ingerir uma medicação:

Tomar o medicamento acompanhado de líquidos com sabor
O líquido mais indicado para acompanhar a ingestão de todos os tipos de medicamentos é a água. "Isso porque algumas medicações desencadeiam reações químicas quando ingeridas com sucos, leite, refrigerantes, chás ou café, que podem comprometer sua eficácia", explica a clínica geral Fernanda Galvão, da Amil, em Brasília. De acordo com a especialista, um bom exemplo são os antibióticos com tetraciclina na composição - essa substância reage na presença de cálcio, e portanto tem sua eficácia comprometida se ingeridos com leite.

Outra combinação perigosa e muito conhecida é remédio e bebidas alcoólicas. "O álcool pode tanto potencializar quanto neutralizar os efeitos de um medicamento, em alguns casos ativando enzimas que transformam o remédio em substâncias tóxicas para o organismo", alerta a clínica geral Fernanda. Por isso, na dúvida, sempre tome seus medicamento acompanhados de água apenas.

Misturar com antiácidos
Os antiácidos também interferem na absorção de medicamentos, para mais ou para menos, dependendo da interação. "Além de deixar o estômago com pH alcalino - muitos remédios precisam da acidez gástrica para serem aproveitados - os antiácidos podem conter alumínio, que se ingerido com medicamentos que contenham citrato de cálcio podem atingir níveis tóxicos no sangue, sendo perigosos principalmente para os rins, que podem ter seu funcionamento afetado e até sofrer graves consequências", explica a hepatologista Marta Deguti, do Centro de Referência em Gastroenterologia do Hospital 9 de Julho, em São Paulo.

Ingerir o comprimido sem beber água
Assim como não é recomendada a ingestão de medicamentos com outros líquidos que não sejam água, tomá-lo a seco também pode trazer malefícios. "Existe o risco da medicação ficar parcialmente retida no esôfago, podendo haver irritação na mucosa em que o comprimido se prendeu", explica a hepatologista Marta. Além disso, um pouco da dose da medicação é perdida, já que passa a ser absorvida enquanto está retida. "Um exemplo muito sério é o alendronato, usado no tratamento da osteoporose, que pode causar, se retido no esôfago, até mesmo perfuração do órgão", alerta a especialista. Por isso, deve-se sempre ter muito cuidado com as medicações, seguir as orientações do seu médico e tirar dúvidas tanto com ele quanto com o farmacêutico devidamente habilitado.

Retirar o conteúdo da cápsula
Muitas pessoas optam por abrir a cápsula do medicamento e ingerir apenas o pó, para tornar o processo de deglutição mais simples. No entanto, essas cápsulas são concebidas com a função de proteger a mucosa da boca e do esôfago do contato com a medicação, para que ela possa agir de forma lenta, garantindo sua eficácia. ?Para alguns remédios, a remoção da cápsula pode ter consequências como dor no tórax, vômitos e esofagite?, diz a hepatologista Marta.

Triturar o comprimido para facilitar a digestão
Com a justificativa de facilitar a deglutição, também é comum as pessoas triturarem o comprido ou cortá-lo ao meio, prática que também pode interferir na absorção pelo organismo. Segundo as especialistas, os únicos comprimidos que podem ser cortados ao meio são aqueles que possuem uma linha no meio, desenhada inclusive para facilitar o corte. "Fora isso, os medicamentos devem ser ingeridos inteiros, da maneira como vieram na cartela", diz a clínica geral Fernanda. Os problemas nesse caso são muito parecidos com o de ingerir o remédio fora da cápsula - o corpo irá absorvê-lo mais rápido do que deveria, levando a uma intoxicação. "O desenho do comprimido foi feito para facilitar a ingestão da quantidade necessária de medicamento e o contato do comprimido com o ácido gástrico deve dissolvê-lo e quebrá-lo em partículas que serão absorvidas", afirma a hepatologista Marta. "Se houver maior dificuldade para ingerir o comprimido, converse com o seu médico para buscar formulações alternativas."

Ingerir o medicamento em gotas a seco
"As medicações em gotas também são melhor absorvidas quando diluídas em água, em vez de pingadas direto na língua ou dadas em colher", explica Fernanda Galvão. Como geralmente são prescrições pediátricas, essas já são fabricadas com sabor e aroma diferentes para facilitar a ingestão pelas crianças. Devemos lembrar que os medicamentos devem ser diluídos preferencialmente em água. "O risco da diluição em outras bebidas é principalmente a perda da eficácia terapêutica", diz Fernanda.

Tomar a medicação fora do horário
As atividades do organismo variam ao longo do dia de acordo com nosso relógio biológico, e cada medicamento é estudado minuciosamente em relação ao tempo que leva para ser absorvido, o tempo de duração do efeito e modo como é eliminado do corpo de acordo com essas atividades fisiológicas. "Por isso, atrasar ou adiantar o horário do medicamento pode reduzir a eficiência e até mesmo provocar efeitos colaterais", afirma a clínica geral Fernanda. A hepatologista Marta alerta para os antibióticos e antidiabéticos, que podem trazer consequências mais sérias. "Se a pessoa está tomando antibióticos e atrasa um período inteiro, a bactéria pode tornar a se multiplicar e criar resistência ao antibiótico, já no caso de antidiabéticos, os níveis de açúcar do sangue podem subir ou descer demais, o que pode resultar até mesmo em coma", diz.

Preste atenção nas interações com alimentos
Muitos medicamentos devem ser ingeridos em jejum porque eles necessitam do ambiente mais ácido do estômago para que sejam melhor absorvidos. "Já outros são absorvidos com mais eficácia na presença de alimentos, ou são menos agressivos ao estômago quando tomados desta maneira", explica a clínica geral Fernanda. A especialista afirma que existem também substâncias que possuem interação com determinados tipos de alimentos, formando um complexo que o organismo não consegue absorver, diminuindo ou até mesmo neutralizando a ação do medicamento. Por conta disso, o ideal é perguntar ao médico e sempre seguir as instruções da bula.

Não avisar seu médico que toma anticoncepcional
No geral, não existem grandes restrições na mistura de remédios com anticoncepcionais. Mas é preciso estar atenta, pois existem combinações que reduzem a eficácia do anticoncepcional ou da outra medicação. A hepatologista Marta cita alguns exemplos: "Remédios para micose de unha e candidíase, antibióticos, medicações para epilepsia e para tratamento de tuberculose podem reduzir a eficácia do anticoncepcional', diz. Além disso, o contraceptivo pode diminuir a eficácia da aspirina, AAS ou de calmantes, e pode também potencializar os efeitos do Diazepan, da cafeína, dos corticoides e de alguns antidepressivos.

Fonte: Minha Vida



Confira algumas fotos históricas e suas origens

Confira mais algumas imagens históricas e interessantes e algumas informações por trás delas.

Os Beatles encontrando Muhammad Ali.

A primeira foto após a descoberta de Machu Picchu, 1912.

Niels Bohr e Albert Einstein em um debate sobre mecânica quântica.

Bill Clinton e Hillary jogando vôlei, Arkansas, 1975.

Mulher armênia de 106 anos protegendo sua casa com uma AK-47. (1990).

Cabo Canaveral. Ponto de vista das plataformas de lançamento de mísseis. (1960).

Descarrilamento de trem em Paris, França. (1895).

Soldado americano numa base aliada brincando com seu canguru de estimação. (1942).

Lançamento do Windows 95.

Arnold Schwarzenegger no dia em que recebeu cidadania americana.

Construção da Estátua da Liberdade. (1884).

Derrubando o Muro de Berlim, em 1989.

Máquina automática de venda, que vendia cigarros acesos. (1931).

Rainha Elizabeth II disparando um rifle britânico. (1993).

Fonte: O Buteco da Net



Morrissey - Suedehead


Ameaçadas de despejo, mãe e filha decidem estrelar filme pornô

Elas estão dando o que falar nos Estados Unidos. Jessica, 56 anos, e Monica, 22, são mãe e filha que ganham a vida contracenando juntas em filmes pornográficos. Conhecidas como Sexxxtons, a dupla – que se recusa a dizer o sobrenome real – esteve recentemente no programa de Anderson Cooper, depois de ter sua história contada em vários sites da imprensa internacional.

Com a repercussão, vieram também as críticas. Mãe e filha são frequentemente acusadas de praticar incesto. Elas negam e fazem questão de deixar claro que nunca interagem nas cenas. Moradoras de Tampa, na Flórida, Jessica e Monica creditaram a opção pela carreira pouco ortodoxa à crise financeira mundial iniciada em 2008. Em entrevista por e-mail, Jessica falou também sobre a relação com a filha dentro e fora das filmagens, contou histórias de bastidores e revelou seus planos para o futuro.

iG: Como vocês começaram a fazer filme pornô? 
Jessica Sexxxton: Nós começamos na indústria pornô por falta de dinheiro. Eu estava trabalhando como garçonete, mas, por causa do péssimo momento econômico nos Estados Unidos, não pegava turnos suficientes para fazer grana. Monica estava trabalhando em um telemarketing. Um pouco antes do Natal, ela perdeu o emprego e nós estávamos à beira do despejo. Foi quando entramos na internet e achamos um agente que propôs filmarmos pornografia. Por ser um dinheiro imediato e em boa quantia, nós fechamos com o cara.

iG: Quais são os tabus que vocês enfrentam? Como é que foi encarar a família e os amigos? 
Jessica Sexxxton: Várias vezes nos pedem para interagirmos uma com a outra. Nós somos realmente mãe e filha, não faríamos isso por dinheiro nenhum. Nossa família e amigos estão felizes, pois, agora, estamos pagando nossas contas e comendo. Eles estão ao nosso lado de qualquer forma.

iG: Vocês duas têm uma certa fama agora. O que mudou na vida de vocês? 
Jessica Sexxxton: Nossas vidas não mudaram tanto. Vivemos reclusas, uma vida calma. Quando estamos em público, ficamos preocupadas que alguém vá nos reconhecer. Estamos preocupadas em não perder a nossa privacidade.

iG: Qual foi a situação mais constrangedora que já passaram durante as filmagens? 
Jessica Sexxxton: Estávamos filmando uma cena jogando pingue-pongue nuas. Pensamos que iria ser fácil colocar as bolinhas de pingue-pongue na vagina e empurrar para fora depois. Mas Monica não conseguia colocar para fora! E quando eu tentei soltar as bolinhas, acabei fazendo xixi. Nós duas saímos correndo do set para tirar aquilo de dentro da gente. Foi hilário!

iG: Quais são os limites de vocês? O que vocês se recusam a fazer em frente e fora do alcance das câmeras? 
Jessica Sexxxton: O maior limite é claro: não interagimos sexualmente nunca. Evitamos até mesmo nos tocar. Além disso, não fazemos nada que envolva dor, sangue ou alguma coisa muito estranha.

iG: Já filmaram alguma cena de que se arrependeram depois? 
Jessica Sexxxton: Nunca nos arrependemos, pois é simples: se não gostamos, não fazemos.

iG: Como vocês encaram as críticas? 
Jessica Sexxxton: Não temos nenhum problema com quem nos critica. Quanto mais falam, mais conhecidas nós ficamos.

iG: Como é a relação de vocês fora das filmagens? Vocês trocam conselhos sobre namorados? 
Jessica Sexxxton: Nós temos uma ótima relação fora das filmagens. Estamos sempre juntas e nos amamos e nos respeitamos muito. E é claro que eu aconselho Monica sobre namorados, assim como, ela também me dá conselhos sobre o assunto.

iG: Vocês já saíram juntas com o mesmo cara? Como foi? 
Jessica Sexxxton: A história de que nós dividimos o mesmo cara fora das filmagens foi só isso: uma história. Nós não dividimos parceiros na vida real.

iG: É possível ter algum prazer durante as filmagens? O que passa pela cabeça de vocês quando estão filmando?
Jessica Sexxxton: Se o ator for gostoso, nós até podemos nos sentir atraídas por ele sim. Mas, infelizmente, isso não acontece muito. Quando estamos no set, estamos trabalhando e preocupadas com as marcações, luz e performance.

iG: O que vocês pensam em fazer no futuro? 
Jessica Sexxxton: Eu quero me aposentar em cinco anos. Monica planeja seguir carreira na indústria pornô e quer produzir, dirigir, editar... Enfim, aprender tudo sobre negócios em entretenimento para adultos.

Fonte: iG



Condenado a quase 34 anos de prisão, Gil Rugai recorrerá em liberdade

Quase nove anos após o crime, Gil Rugai foi condenado a 33 anos e nove meses de prisão nesta sexta-feira (22) pelas mortes do pai, Luiz Carlos Rugai, e da madrasta, Alessandra de Fátima Troitino, ocorridas em São Paulo no dia 28 de março de 2004. O julgamento durou uma semana. A sentença foi proferida pelo juiz Adilson Paukoski Simoni. A pena deve ser cumprida, inicialmente, em regime fechado por serem considerados crimes hediondos, porém, ele poderá recorrer em liberdade.

O réu foi condenado por duplo homicídio qualificado. O crime de estelionato, pelo qual também era acusado, prescreveu, por isso não houve condenação. "O réu tem uma personalidade extremamente dissimulada e perigosa", disse o juiz durante a leitura.

Pela morte do pai, Gil Rugai foi condenado a 18 anos e nove meses de prisão; já pelo homicídio da madrasta, foram 15 anos de reclusão.

No entanto, a condenação foi divulgada antes da leitura da sentença pelo magistrado porque, logo após saírem da sala do Conselho de Sentença, o promotor do caso, Rogério Zagallo, e o assistente de acusação, Ubirajara Mangini, se abraçaram e comemoraram.

Os 260 lugares disponíveis no plenário do júri foram ocupados enquanto o juiz proferia a sentença. Uma câmera transmitiu a leitura da pena ao vivo para todas as emissoras do país.

Quatro jurados votaram pela condenação por duplo homicídio e três pela absolvição --os votos param de ser lidos quando já há maioria--, já o agravante de motivo torpe (supostamente por ter sido demitido da empresa do pai após desfalques) ficou em quatro a um. "Missão dada é missão cumprida", disse Zagallo. "Saiu a condenação merecida, justa e adequada. Foi feita justiça".

Após o julgamento, o juiz falou rapidamente com os jornalistas e explicou as razões para que Rugai não saísse preso do júri.

"O réu acabou ficando solto porque atualmente o posicionamento é este: quando o sentenciado se encontra solto, permanece solto; se está preso, continua preso. E, neste caso em particular, há a pendência de um recurso que hoje tramita no Supremo Tribunal Federal, onde foi concedida uma liminar para soltar o réu, mas o mérito ainda não foi analisado", explicou o magistrado.

De acordo com o magistrado, a decisão se balizou ainda pelo princípio da presunção da inocência, previsto na Constituição. "Resumindo, a decisão foi em um conjunto de regras que existe dentro de um país soberano", avaliou.

A mãe do réu, Maristela Grego, e o irmão, Léo Rugai, que foi testemunha de defesa durante o julgamento que durou uma semana, deixaram o plenário chorando junto ao advogado Thiago Anastácio e se abraçaram sob aplausos do lado de fora do Fórum Criminal da Barra Funda.

Para a antropóloga Ana Lúcia Pastore Scheitzmeyer, que também foi testemunha arrolada pela defesa, a comemoração do promotor e do assistente de acusação logo após saírem da sala do Conselho de Sentença foi uma quebra de ritos. "Se eu fosse juíza, entraria com uma ação no Ministério Público".

Para a cientista, a atitude do promotor e do assistente, e das pessoas que aplaudiram, foi um desrespeito com todos da família. "Como se decide a vida de uma pessoa como se fosse um circo?", disse.

Debates
Durante a fase de debates, que antecede a decisão do Conselho de Sentença, o promotor Rogério Zagallo surpreendeu o plenário ao anunciar que não faria a réplica a que tinha direito. Ele não informou os motivos de ter abdicado da medida --que o daria uma hora a mais de discurso para tentar convencer os jurados da culpa do réu.

Os debates entre acusação e defesa começaram na manhã de hoje. Cada uma das partes teve 1 hora e meia para falar diretamente com os jurados.

Em sua fala, Zagallo descreveu Gil Rugai como uma pessoa agressiva e de personalidade dupla, a ponto de beirar a psicopatia.

Já a defesa tentou dissociar a imagem do réu à da estudante Suzane Von Richthofen. "O caso Richthofen não é o caso do Gil", disse o advogado Thiago Anastácio.

Em 2006, Suzane foi condenada a 39 anos e seis meses de prisão pelo assassinato dos pais, Manfred e Marísia von Richthofen, ocorrido em 31 de outubro de 2002.

Interrogatório do réu
O réu foi interrogado por cerca de quatro horas e meia na quinta-feira (21) e negou que esteve na casa do pai no fim de semana do crime, ou que estava brigado com o empresário na época das mortes, no entanto, admitiu que gosta de munições e que chegou a fazer um curso de tiro, cuja arma usada foi uma pistola 380 --mesmo modelo usado nos assassinatos. Ele também não confirmou que teria desfalcado a empresa do pai, principal motivo apontado pela acusação para os assassinatos.

O réu também contou, durante o interrogatório, que não foi tratado de maneira "muito gentil" pelo delegado que investigou os homicídios, Rodolfo Chiareli. Além disso, uma das principais provas usadas pela promotoria para acusá-lo, a marca de pé na porta do cômodo onde supostamente Luiz Carlos Rugai tentou se esconder, e que uma lesão no pé de Gil Rugai seria compatível com um trauma deste tipo não foi explicada pelo réu. "Eu sei que eu não chutei aquela porta. Eu não estava lá. Como chegou a esta conclusão, eu não sei", disse.

Após 35 minutos de inquirição da promotoria, a defesa do réu o orientou a não mais responder as perguntas da acusação. No momento da interrupção, o réu era questionado se conhecia uma lista de pessoas colocada pelo promotor --entre elas, algumas testemunhas--, bem como se tinha algo contra ou a favor delas. "Não é o momento adequado de fazer seu discurso", disse o advogado Marcelo Feller ao promotor Rogério Zagallo.

O advogado de defesa Marcelo Feller, disse após o fim do interrogatório do réu, durante conversa com jornalistas, que o "verdadeiro suspeito" pela morte do pai e da madrasta do estudante é, na realidade, um assistente pessoal do empresário, Agnaldo Souza Silva. Ele havia sido demitido por Luiz Carlos cerca de um ano antes do assassinato.

Testemunhas
A primeira testemunha ouvida pelo júri foi o vigia da rua em que o casal assassinado morava, denominado apenas como Domingos. Ele afirmou ter "certeza absoluta" que o réu deixara a casa do empresário cerca de 20 minutos após ter ouvido barulho de tiros. Ele foi a única testemunha a relacionar o réu diretamente ao local e dia dos assassinatos. Posteriormente, Valeriano Rodrigues dos Santos, um outro vigia da rua, disse que não viu o ex-seminarista saindo do local do crime.

Os advogados de defesa criticaram a maneira como as perícias foram conduzidas na residência do casal. "A acusação juntou no processo que os pés na porta [da sala onde Luiz Carlos foi morto] eram do Gil com base no depoimento de um sapateiro", disse. Peritos do IC (Instituto de Criminalística) de São Paulo, no entanto, afirmaram que a marca encontrada na sala "encaixa perfeitamente" na imagem sobreposta do pé do jovem.

Já no segundo dia do julgamento, a defesa tentou desqualificar o depoimento do instrutor de voo Alberto Bazaia Neto, testemunha de acusação, que disse ter ouvido o pai de Rugai dizer que tinha "medo" do filho depois de descobrir supostos desvios de dinheiro na empresa. Os advogados do réu mostraram documentos indicando apreensão de drogas no Aeródromo de Itú (SP) --onde fica o aeroclube em que Bazaia Neto é instrutor de voo.

O delegado que investigou o crime em 2004, Rodolfo Chiareli, disse durante seu depoimento que não tem dúvidas de que Rugai foi o autor dos assassinatos, e que a principal evidência encontrada foi o desvio de dinheiro da empresa Referência Filmes, de propriedade de Luiz Rugai, relatado por diversas testemunhas. A hipótese, no entanto, não teve nenhuma prova pericial apresentada pelo delegado, que admitiu não ter pedido um laudo que comprovasse os desfalques na empresa.

O contador da empresa de Luiz Rugai, Edson Tadeu de Moura, depôs na quarta-feira (20), e também disse não ter como comprovar supostos desvios feitos pelo réu na empresa do pai.

O irmão de Gil Rugai, Léo Rugai, disse em depoimento não saber se havia ocorrido alguma briga entre o pai e o irmão próximo à data do crime, e afirmou que  "era bastante comum" o irmão ser demitido e readmitido pelo pai. Segundo ele, Gil é inocente.

No penúltimo dia do julgamento, o ex-sócio do réu, Rudi Otto, confirmou ter visto uma pistola com o jovem antes dos assassinatos. Segundo ele, a arma estava em uma pasta que Rugai chamava de "mala de fuga", onde guardava também dólares, veneno e facas.

Indagado pelo promotor sobre as razões para ter desconfiado de Rugai "de imediato" após o crime, a testemunha relatou que o então sócio "estava estranho" na semana anterior aos assassinatos.

Fonte: UOL



Crato (CE): Ginásio da Urca aguarda conclusão

Após quase 30 anos de início das obras, o Ginásio Poliesportivo da Universidade Regional do Cariri poderá chegar finalmente à conclusão ainda neste semestre. Esta é a expectativa da reitora da Urca, Otonice Cortez. O preço e prazo da obra já foram aditivados. A construção tinha previsão de término em dezembro passado. Até agora, não há data definida para a inauguração. A construção começou em 1974, há 29 anos.

O projeto teve início ainda na gestão do então prefeito Pedro Felício Cavalcante. Aconteceram diversas paralisações. Em 2010, o Governo do Estado reassumiu a construção. Entretanto, a empresa ganhadora da licitação abandonou o trabalho.

A segunda classificada na seleção também não executou muitos serviços. Depois de um longo período de atraso, a AMP Engenharia aceitou a proposta da licitação inicial no valor de R$ 2,5 milhões, em média, somados a aditivos. Atualmente, a empresa continua à frente da obra.

O valor dos trabalhos foi atualizado para R$ 3,16 milhões. Do total, R$ 195,9 mil foram pagos à primeira empresa ganhadora da licitação. No contrato em vigor está faltando apenas a licitação para a execução dos serviços da área externa, ou seja, a urbanização do equipamento.

De acordo com a reitora da Universidade, Otonite Cortez, os processos não configuram o atraso da obra. “Essa é uma construção demorada, grande e que, no início, enfrentou vários problemas. Esse procedimento das licitações é absolutamente normal e corriqueiro. Esperamos entregar o ginásio ainda neste semestre”, espera ela.

Até que o ginásio seja concluído, os 320 alunos do curso de Educação Física e a comunidade acadêmica vão continuar utilizando o espaço esportivo do Crato Tênis Clube, onde são realizadas as aulas práticas, entre outras atividades.

Na obra, ainda faltam conclusão dos espaços de circulação externa e interna; 10% da parte hidráulica; 50% do projeto elétrico e os depósitos. Ainda será aberto outro processo licitatório para as obras de urbanização. O projeto já está em tramitação no Departamento de Arquitetura e Engenharia (DAE). Serão construídos os estacionamentos para carros de emergência e serviços, a jardinagem e o gradeamento da área.

Demanda histórica 
Quando estiver pronto, o Ginásio Poliesportivo da Urca cobrirá uma demanda histórica da comunidade acadêmica e da população cratense. Até agora, o município não dispõe de nenhum espaço com área da mesma proporção destinado à realização de grandes eventos.

O curso de Educação Física da Urca iniciou as atividades em agosto de 2003. Especialmente os alunos desta graduação sentem a necessidade de utilizar o equipamento. Os estudantes usam espaços privados cedidos à instituição de ensino através de contratos.

Mesmo com todas as dificuldades, na avaliação do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), o curso obteve nota quatro, em uma escala de um a cinco. Nos últimos anos, aconteceram avanços. A Universidade investiu na contratação de novos professores efetivos e a graduação ainda será beneficiada com a construção do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, que está prevista para ser iniciada neste ano e concluída até 2014. A obra vai abrigar os cursos e departamentos de Enfermagem, Ciências Biológicas e Química, além da Educação Física. Na Urca, outra obra que ainda não foi entregue para uso dos estudantes é a Residência Universitária. Sobre o equipamento, a instituição informa que precisou aguardar o recurso para a construção de quatro novos espaços que consistem em uma cozinha, área de serviços, sala de estar e de leitura.

A empresa vencedora da licitação para esta segunda etapa foi a Ferraz Engenharia, que iniciou a construção em dezembro de 2012. Este mês, a construtora solicitou um aditivo de prazo. A Urca enviou o pedido para a Comissão Técnica de Engenharia do órgão, que irá analisar a pertinência da necessidade de mais tempo para a entrega. Caso não seja necessário, o contrato será rompido.

Até o fim deste mês, a Universidade vai convocar os estudantes para produzirem, em conjunto, o regimento interno da Residência Universitária. O documento deverá atender aos níveis dos Conselhos Superiores e aos dispositivos normativos que irão regulamentar a seleção para o acesso à moradia.

A casa será dividida em dois pavimentos, sendo um masculino e outro feminino. Terá capacidade para abrigar 108 estudantes. Entretanto, ainda não há previsão para a quando o novo espaço será inaugurado. Enquanto isso, a comunidade acadêmica aguarda todos esses equipamentos, como forma de garantir maior comodidade a todos.

YAÇANÃ NEPONUCENA
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste



Juazeiro do Norte (CE): Polícia faz a segunda maior apreensão de cocaína do ano com dois acusados de tráfico

Mais dois jovens foram presos no final da tarde dessa  quinta-feira (22) na Avenida Ailton Gomes (Bairro Cidade Universitária) em Juazeiro do Norte. Na residência estavam  Antônio Gilmar Tenório da Silva, 31 anos e Antônio Benailson de Alencar, 20 anos, que já estavam na mira da polícia após a prisão na última terça-feira(21) de Valdemar Tenório da Silva, de 29 anos irmão de Antônio  diante da suspeita do tráfico de drogas. No imóvel, a polícia encontrou cerca de um quilo oitocentos gramas de cocaína e setecentos e quarenta gramas de crack.

Na casa, além da droga, os PMS encontraram ainda R$ 542,00 em dinheiro, uma pistola 380, uma pistola 635, um revolver calibre 38 e mais 37 cartuchos intactos de vários calibres, uma maquineta de passar cartão de crédito possivelmente para facilitar a venda da droga, cinco celulares, dois notebooks, um computador, relógios de diversas marcas, perfumes importados e uma balança de precisão. Também foram apreendidas duas panelas em alumínio utilizadas para transformar o óleo da cocaína em crack.

Um veículo Crossfox de cor preta placas PEJ-7711 inscrição de Ipojuca – PE estava na casa e foi levado para averiguações na 20ª Delegacia Regional de Polícia Civil o que ficou constatado ser pokemon. A operação foi realizada em um trabalho conjunto da polícia militar através do Ronda do Quarteirão tendo a frente o Coronel Vilson, Capitães Guedes e Adail, e polícia civil na pessoa do delegado regional Dr. Luiz Tenório de Brito. “Foi a maior apreensão de drogas deste ano no Cariri o que poderá ser superada com a colaboração da população em denunciar traficantes através do 190 sob o total sigilo.” disse o coronel.

Normando Sóracles

Foto: Michel Dantas / Ag. Miséria

Fonte: Miséria



The Smiths - The Boy With The Thorn In His Side





10 países onde as mulheres são tratadas como lixo

A Declaração Universal dos Direitos Humanos diz que nenhum ser humano deve sofrer tratamento degradante, cruel ou desumano. São belas palavras, mas que infelizmente, não encontram solo fértil nos corações, principalmente em relação às mulheres. Em todo o mundo, atitudes ultrapassadas e dogmas religiosos relativos à saúde sexual e reprodutiva das mulheres faz com que um enorme percentual da população feminina viva em perpétua discriminação.

Em muitos casos, guerras, desastres naturais e crises econômicas, acabam desviando a atenção internacional do sofrimento dessas mulheres. Os acontecimentos recentes, no entanto, aumentaram a conscientização. Os levantes da Primavera Árabe destacaram os direitos das mulheres em países como Tunísia, Egito, Líbia e Iêmen. E, recentemente, em dezembro de 2012, o mundo ficou chocado quando uma mulher de 23 anos foi brutalmente estuprada e torturada em um ônibus em Nova Deli, Índia, morrendo em consequência dos ferimentos.

Sendo submetidas a esse tipo de abuso, os traumas psicológicos graves são inevitáveis. Estudos indicam que uma em cada três mulheres sofre de problemas de saúde mental. Mas, mesmo assim, de forma alarmante, atitudes arraigadas e a discriminação fazem as mulheres de algumas culturas sofrerem em silêncio, sem nunca procurarem ajuda.

Leia a seguir, a matéria sobre os 10 piores países do mundo para as mulheres. Porém, fica aqui o aviso: o conteúdo é perturbador.

Nepal
Cinco anos após uma guerra civil de uma década, as mulheres do Nepal ocupam 33 por cento das cadeiras parlamentares. Sem dúvida, um progresso notável. Não obstante, a liberdade das mulheres em todo o país continua pequena. Apesar do sucesso, as mulheres políticas acreditam que o país ainda está profundamente enraizado em atitudes patriarcais. As estatísticas da recente guerra, apontam a perda de 15.000 vidas, dentro desse mesmo período, 22.000 mulheres morreram durante o parto. No Nepal, o casamento precoce é comum e é geralmente caracterizado por gravidezes seguidas para assegurar um elevado número de crianças do sexo masculino, enquanto que as filhas indesejadas são por vezes vítimas de tráfico humano. A discriminação de gênero é vigente, as mulheres não têm acesso à educação e há altos níveis de violência doméstica.

Arábia Saudita
Há pedidos de reforma no Reino da Arábia Saudita já por um longo tempo, especialmente quando se trata dos direitos das mulheres. Em 2009, o Fórum Econômico Mundial classificou a Arábia Saudita como um dos piores países quando se trata da igualdade de gêneros. Essa situação fica clara no mercado de trabalho: as mulheres ocupam uma excelente proporção de vagas nas universidades (algo em torno de 70 por cento), entretanto, as atitudes sociais restringem a cinco por cento a participação delas na força de trabalho. Tradicionalmente, a Arábia Saudita é uma sociedade patriarcal onde a honra masculina e a separação de homens e mulheres são princípios centrais. Mulheres de todas as idades são obrigadas a ter responsáveis masculinos e as casas tem entradas separadas para homens e mulheres. Além disso, regras discriminatórias continuam a ser introduzidas nas últimas décadas, por exemplo, embora uma mulher possa ser autorizada a pilotar um avião, uma lei de 1990 proíbe as mulheres de irem sozinhas aos aeroportos. Dito isto, há alguns sinais encorajadores de que a Arábia Saudita se esforça para apresentar uma imagem melhor para o Ocidente. Em 2012, Sarah Attar e Wojdan Shaherkani fizeram história como o primeiras sauditas a competir nos Jogos Olímpicos. E uma nova lei aprovada em 2012 decretou que as mulheres poderão votar sem a permissão dos homens em 2015.

Paquistão
Poucos meses depois do ataque a Malala Yousafzai em 9 de outubro de 2012, dezenas de milhares de pessoas em todo o mundo assinaram uma petição pedindo que ela fosse indicada ao Prêmio Nobel da Paz. O Taliban tentou matar a estudante de 15 anos de idade porque ela lutava pela educação feminina no Paquistão. Tratada na Grã-Bretanha, ela foi descrita pelo ministro do Interior do Paquistão como um "símbolo de coragem e determinação." Só em 2008, o Talibã destruiu mais de 150 escolas para coibir a educação feminina. O Paquistão é polarizado quando se trata de direitos das mulheres. E, em um país de subordinação de gênero sistêmica, o ataque a Malala Yousafzai revela apenas um aspecto do problema. Por quê? Porque no Paquistão, crimes de honra, casamentos forçados, tráfico de mulheres, estupros e ataques com ácido são perturbadoramente comuns. Além do mais, não é só violência física: um estudo das Nações Unidas concluiu que 90 por cento das mulheres paquistanesas são verbalmente e mentalmente abusadas por homens em suas próprias famílias. Este tipo de tratamento pode corroer a confiança e a saúde mental das mulheres , levando-as ao abuso de drogas, depressão e suicídio.

Afeganistão
Com o Afeganistão mergulhado em conflito , fica claro que as diferenças tribais, étnicas e religiosas que têm assolado o país ainda estão presentes. O impacto do conflito prolongado na saúde mental da população é significativo. Depressão, transtorno de estresse pós-traumático e transtornos de ansiedade são comuns, famílias e comunidades foram devastadas. Nesse cenário, são as mulheres que continuam a sofrer mais. Após a repressão sob o domínio dos mujahideen e dos talibãs, as taxas de alfabetização entre as mulheres afegãs só recentemente subiram acima de 15 por cento. Como no vizinho Paquistão, o Taliban ataca escolas para continuar sua campanha contra a educação feminina. Casamentos arranjados são comuns, e uma forte sociedade patriarcal ainda permite que um homem se divorcie de sua esposa deixando-a na mais completa miséria. Somente depois da queda do talibã, as mulheres afegãs conseguiram ter o direito de ingressar no mercado de trabalho. A nova democracia tem procurado acelerar as mudanças na condição da mulher. No entanto, em um país onde as taxas de mortalidade feminina estão entre as piores do mundo e onde a média de vida da mulher é de apenas 44 anos, muitas mudanças ainda precisam ser feitas.

China
Os direitos humanos na China têm sido foco do interesse internacional, mas nos últimos anos, mais atenção tem sido dada à corrente dos direitos das mulheres. Quatro décadas da política governamental do filho único, tiveram um enorme efeito sobre a estabilidade de gênero no país : estima-se que 40 milhões de homens chineses não têm uma parceira. As consequências também podem ser terríveis para um dos vizinhos mais pobres da China. O apoio do Estado para as famílias na Coréia do Norte foi reduzido a praticamente nada. Em uma tentativa desesperada de ganhar dinheiro, algumas mulheres norte-coreanas tentam atravessar a fronteira com a China, mas, mesmo para aquelas que não são capturadas, a China ainda pode ser um lugar perigoso. Das milhares de mulheres norte-coreanas que entram no país, pensa-se que 90 por cento são traficadas como parte do mercado de noivas, algumas sendo vendidas a múltiplos maridos. As norte-coreanas que fugiram, relatam que foram tratadas como gado. E, claro, porque são pessoas refugiadas, há pouco apoio oficial para lidar com este problema crescente.

Mali
No Mali, a situação das mulheres continua a ser uma preocupação. Discriminação e violência são comuns, e estima-se que a mutilação genital feminina tenha sido realizada em 95 por cento das mulheres adultas do Mali. Relatórios recentes sugerem que extremistas islâmicos no país começaram a compilar listas de mães solteiras, o que aumentou as preocupações em torno de castigos bárbaros como amputações, apedrejamentos e execuções. Em novembro de 2012, o secretário-geral adjunto da ONU, Jan Eliasson, manifestou preocupação com a situação das mulheres no Mali, afirmando: "Apesar de serem as primeiras vítimas de uma crise política e humanitária, as mulheres permanecem excluídas dos diversos órgãos que buscam uma solução. "

Iraque
O Iraque é um país devastado pelo sectarismo. E, apesar da deposição de Saddam Hussein, em quase uma década de transição, o país ainda se encontra dividido, com as mulheres muitas vezes arcando com o ônus. Uma pesquisa descobriu que 19 por cento das mulheres iraquianas sofrem de transtornos mentais, como resultado dos conflitos do país. Além disso, o tratamento e as instalações médicas são escassos, levando as mulheres doentes a se isolarem em casa. Ainda mais preocupante: desde a queda de Saddam Hussein, a liberdade das mulheres se deteriorou. Enquanto 2003 viu a criação de ONGs, como a Organização da Liberdade das Mulheres no Iraque, o novo governo introduziu a lei Sharia em 2004, uma das muitas leis recentes com impacto negativo na vida das mulheres iraquianas. A Organização da Liberdade das Mulheres no Iraque tem procurado desempenhar um papel fundamental na proteção e promoção da liberdade das iraquianas, chamando a atenção para o aumento no número de estupros, sequestros e ataques contra as mulheres bem como o ressurgimento dos crimes de honra. Mas a religião e o sectarismo continuam a ser fatores chave que afetam as lutas femininas no Iraque. E os sinais são evidentes nas ruas do país. Talvez o mais óbvio, seja o que desde 2003, com a pressão dos islâmicos, o número de mulheres que usam véus aumentou. Em uma entrevista a BBC, a médica Lubna Naji disse: "As mulheres costumavam se comportar de uma maneira mais liberal sob o regime de Saddam. E eu odeio dizer isso, porque eu odeio Saddam, mas as mulheres eram mais livres sob o governo de Saddam. "

Índia
A Índia é frequentemente citada como uma das economias que mais crescem no mundo. No entanto, os acontecimentos recentes têm atraído a atenção do público para um problema diferente: a situação das mulheres na maior democracia do mundo. A notícia do brutal ataque a um ônibus em dezembro de 2012, em Nova Deli, que deixou uma estudante de 23 anos, morta, abalou o mundo e provocou protestos em massa na cidade, onde uma mulher é estuprada a cada 14 horas. Enquanto as autoridades procuram agir rapidamente em resposta aos protestos, as mulheres indianas acreditam que uma mudança cultural profunda é necessária para resolver esse antigo problema. Uma pesquisa de 2012, feita pela Reuters Thompson Foundation, constatou que a discriminação contra as mulheres é pior na Índia do que em qualquer outra nação do G20 . A situação é particularmente grave nas planícies do norte do país, onde a mentalidade profundamente enraizada reforça a suposta inferioridade das mulheres. A violência doméstica na Índia também é endêmica. O bem-estar psicológico das mulheres indianas é uma grande preocupação, especialmente quando atitudes culturais tornam difícil que elas procurem ajuda.

Somália
Em novembro de 2012, Yusuf Fauzia Haji Adan tornou-se ministra da Somália . A Somália é descrita como um dos piores países do mundo para se nascer mulher, por esta razão, a nomeação de Yusuf é um avanço, pequeno, mas não sem importância. "É uma nova página para a situação política do nosso país", disse ela. E quando se trata dos direitos das mulheres, a Somália está desesperadamente precisando de uma nova página. Em 2011, a Thomson Reuters Foundation denunciou que o acesso à educação para as mulheres era raro, enquanto que a violência doméstica contra elas era comum. Além disso, o estudo constatou que 95 por cento das meninas somalis sofreram mutilação genital . As áreas controladas pelos militantes islâmicos da Al-Shabaab são particularmente ruins. A fome têm forçado um número crescente de famílias migrarem para a capital, Mogadíscio, para depois viverem em campos de refugiados onde o estupro nas mãos de bandidos armados é uma ocorrência comum. Apesar disto, o apoio internacional se concentra apenas no fornecimento de alimentos e no cessar fogo. Somando-se a tudo isso, existe o fato de a saúde mental debilitada ser um tabu entre os somalis, sendo os doentes vistos como fracos e uma vergonha para a família.

República Democrática do Congo
A República Democrática do Congo é apelidada de "capital mundial do estupro". Um relatório da ONU indicou que, em 2009, mais de 8.000 mulheres foram estupradas no país. E quase 10 anos depois da Segunda Guerra do Congo, a violência continua a ser uma ocorrência diária, com o estupro ainda sendo efetivamente utilizado como arma de guerra. Os efeitos do estupro na saúde mental de uma mulher são terríveis. A maioria tem medo de contar suas histórias, preocupadas com a vergonha de suas famílias. Os cuidados com saúde mental das mulheres violentadas na República Democrática do Congo são vistos como uma prioridade baixa pelo governo, as instalações médicas são poucas e distantes entre si. A ONU tentou ajudar fornecendo escoltas para as mulheres, mas a situação continua terrível. As mulheres do país dizem que são tratadas como cidadãs de segunda classe. A elas são dadas poucas oportunidades de entrar na política e são muitas vezes sujeitas a casamentos forçados ainda adolescentes, o que limita as opções educacionais. Embora algumas das ONGs do Congo fizeram melhorias e ampliaram as oportunidades educacionais para as mulheres, outras organizações tem destacado o fato de que a polícia e as autoridades locais são muitas vezes as mais culpadas quando se trata de fazer cumprir casamentos arranjados. Hillary Clinton certa vez descreveu a violência sexual no Congo como "a humanidade no seu pior."

Fonte: Acidez Mental



Plantão Infotech: Google anuncia Chromebook Pixel, notebook com tela sensível ao toque

A Google anunciou nesta quinta-feira o Chromebook Pixel, o primeiro Chromebook projetado inteiramente pela empresa. Mas ao contrário dos modelos já produzidos por parceiras como a Acer, Samsung, HP e Lenovo, esta máquina é um portátil “premium”, com características e preço que a colocam diretamente contra o Macbook Pro com Retina Display.

O principal destaque do Chromebook Pixel é uma tela de 12,8” sensível ao toque com resolução de 2560 x 1700 pixels, o que segundo a Google é a “mais alta” já usada em um notebook. A carcaça é feita de alumínio anodizado, ventoinhas estão ocultas e parafusos são invisíveis. Alto-falantes estéreo estão localizados abaixo do teclado, projetando som na direção do usuário. Sobre o monitor há uma webcam com resolução de 720p, para videochamadas.

O processador é um Intel Core i5, com desempenho muito superior ao dos Intel Atom ou Celeron, ou Samsung Exynos, usado nos Chromebooks anteriores. Há versões com Wi-Fi e Wi-Fi + Modem 4G (LTE), e a memória interna é de 32 ou 64 GB, dependendo do modelo. Parece pouco, mas a Google quer que você armazene seus documentos online: para isso, todo Chromebook Pixel vem com 1TB de espaço grátis para armazenamento online no Google Drive. O sistema operacional é o Chrome OS, com seus “aplicativos” inteiramente baseados na web.

Mas com tudo isso, o Pixel se destaca também pelo preço: nos EUA é possível encontrar Chromebooks por apenas 250 dólares, mas o modelo 32GB com Wi-Fi do Pixel sai por 1,3 mil dólares nos EUA, e já está disponível via Google Play. Já o modelo de 64GB com Wi-Fi + 4G custará 1,5 mil dólares e estará disponível em breve. Os portáteis também poderão ser encontrados nas lojas das redes Best Buy (nos EUA) e Currys PC World (Reino Unido).



Fonte: IDGNow



Ex-funcionários da Prefeitura e militantes recebem casas

O sonho de conseguir uma casa ou apartamento pelo programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) do governo federal parece uma conquista impossível para as 90 mil famílias de baixa renda inscritas na Capital, desde 2009. Passados quase quatro anos, a prefeitura de Fortaleza, que faz o intermédio do programa federal para estas pessoas, conseguiu realizar o sonho de pouco mais de 820 famílias.

Se não bastasse a demora para os inscritos que ganham entre um e três salários mínimos e a procura por apartamentos maiores do que a oferta, a redação web do Diário do Nordeste, recebeu a denúncia de que ex-funcionários ligados à prefeitura de Fortaleza, na gestão passada, e militantes partidários foram beneficiados com pelo menos 21 apartamentos, do total de 80, no Condomínio São Bernardo, entregue pela Fundação de Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza ( Habitafor), em 2012, no bairro Serrinha.

A reportagem conseguiu a relação com os nomes das 80 famílias que adquiriram seus apartamentos no programa MCMV, da Habitafor, e o levantamento apontou que 21 pessoas beneficiadas apresentaram relação com a prefeitura de Fortaleza, entre 2009 e 2013, e com grupos partidários da Capital. Entre os moradores beneficiadas, estão funcionários da própria Habitafor, uma secretária do vereador Ronivaldo Maia (PT), outros servidores da administração municipal, além de militantes, divididos em diferentes alas.

Para se conseguir uma casa junto ao programa habitacional, é necessário estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Aquelas famílias que têm renda superior a meio salário mínimo poderão ser incluídas no CadÚnico, desde que sua inclusão esteja vinculada à seleção ou ao acompanhamento de programas sociais implementados pela União, estados ou municípios. Em Fortaleza, essa avaliação é feita pela Habitador e serviços de assistência social.

Uma das moradoras e síndica do Condomínio São Bernardo, no bairro Serrinha, Izabel Cristina Taboza, trabalhava na Habitafor na época da entrega dos apartamentos e foi uma das beneficiadas com a unidade habitacional. Na lista, ela aparece como proprietária do imóvel 202, no bloco J.

Outra beneficiada é Lanna Kelly de Paula, ex-funcionária da prefeitura de Fortaleza e ex-secretária do vereador Ronivaldo Maia (PT), de acordo com a própria assessoria do vereador. Em seu perfil, na rede social Facebook, Lanna aparece ao lado de Ronivaldo em uma comemoração no seu novo imóvel. Ela é proprietária do apartamento 202 no bloco D. Uma outra pessoa agraciada com um apartamento é Glaucia Teixeira de Sousa, filiada ao PT e que, no seu perfil na rede social Facebook, aparece como irmã de Izabel Taboza.

O privilégio de poder ultrapassar as mais de 100 mil famílias inscritas e conseguir o sonho de ter a casa própria não é regalia apenas de funcionários ou ex-funcionários da Prefeitura. Pessoas filiadas ao Partido dos Trabalhadores (PT) - de acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE) - também foram agraciados com a moradia. Das 80 famílias que receberam o apartamento, 18 são filiadas ao PT.

Caso configura favorecimento, diz advogado
Para, Marcos Monteiro, advogado atuante em direito penal, casos como esses se baseiam em uma relação de tráfico de influência, que é definido como uma prática ilegal de uma pessoa em aproveitar da sua posição privilegiada dentro de uma empresa ou entidade para obter favores ou benefícios para terceiros, geralmente em troca de favores ou pagamentos.

O advogado destaca que, caso haja participação de um funcionário público, outros crimes passam a ser caracterizados como, por exemplo, corrupção ativa e passiva. "Ações como essas, caso comprovadas, além de caracterizar o tráfico de influência, ferem o artigo 37 da Constituição Federal, que desobedece os princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade da administração pública", enfatiza Monteiro.

A reportagem do Diário do Nordeste esteve no condomínio São Bernardo na tentativa de ouvir as pessoas citadas na matéria e foi recebida pelo porteiro que avisou sobre a proibição da entrada de pessoas sem autorização da síndica, Izabel Taboza, ex-funcionária terceirizada da Habitafor e que não se encontrava no local.

Aguardando a realização do sonho
Esperando uma casa a quase dois anos, o deficiente físico Jeová Aquino aguarda em seu lar, cujo aluguel ultrapassa os R$ 245,00, um telefonema da Habitafor prometido desde o final de 2010. " Sou deficiente físico e recebo um amparo do INSS, com esse dinheiro tiro boa parte dele para pagar o aluguel da minha casa. Na época me disseram que eu aguardasse um telefonema me chamando para assinar o contrato e até hoje nada", destaca Aquino.

Na mesma situação de Aquino, está Erbenia Crisóstomo. Com 27 anos e mãe de 4 filhos, Erbenia, inscrita no programa desde 2009, não foi contemplada com uma moradia e resolveu invadir uma casa no Bairro Barroso II. "As coisas não estavam fáceis, não tenho marido e essa foi a única saída para sair do aluguel", conta.

A incerteza sobre a realização do sonho gera impaciência aos cadastrados e gera invasões. O Condomínio São Domingos, no Jangurussu, ocupado desde o final de dezembro de 2012, está em processo de reintegração de posse, promovido pela Fundação. O empreendimento, que conta com 120 unidades habitacionais, pertence ao Programa "Minha Casa, Minha Vida".

"Não há ilegalidade", diz Roberto Gomes
Para Roberto Gomes, presidente da Habitafor na gestão passada, no universo de 820 famílias cadastradas é inevitável que algumas delas sejam filiadas a algum partido. "Nós tentamos fazer o critério mais correto possível. Todas as famílias agraciadas passaram pela aprovação da Caixa Econômica Federal e só após essa avaliação salarial, de bens, é que é aprovada para receber o benefício", enfatiza Gomes.

O ex-presidente destaca que não houve ilegalidade na escolha das famílias para o conjunto habitacional São Bernardo. "Não há nenhuma ilegalidade. Seria ilegal se alguma das famílias estivesse fora dos critérios do programa. Eu estou tranquilo porque fizemos um trabalho de reestruturação da política habitacional de Fortaleza", finaliza.

Procurada pela reportagem, a assessoria da Caixa Econômica Federal disse que a seleção das famílias é feita exclusivamente pela Prefeitura e que não cabe ao Banco verificar a situação social. "Quando as famílias são selecionadas pela Prefeitura, a Caixa faz a analise cadastral e as famílias que estão no perfil são aprovadas. Os cadastros que chegam ao banco são indicados pela prefeitura", destaca a assessoria da instituição financeira.

Habitafor promete averiguar denúncia
A atual gestão da Habitafor disse que está em processo de conhecimento das ações anteriores do órgão. Por telefone, a assessoria da Habitafor disse que um recadastramento das famílias beneficiadas está sendo feito e, caso existam pessoas fora do perfil, o órgão promete uma reunião, junto com a Caixa Econômica Federal, para analisar as medidas a serem tomadas. A assessoria do vereador Ronivaldo Maia disse que ele não ia fazer nenhum comentário sobre o assunto.

Fonte: Diário do Nordeste



A história secreta da renúncia de Bento XVI

Os especialistas em assuntos do Vaticano afirmam que o Papa Bento XVI decidiu renunciar em março passado, depois de regressar de sua viagem ao México e a Cuba. Naquele momento, o papa, que encarna o que o diretor da École Pratique des Hautes Études de Paris (Sorbonne), Philippe Portier, chama “uma continuidade pesada” de seu predecessor, João Paulo II, descobriu em um informe elaborado por um grupo de cardeais os abismos nada espirituais nos quais a igreja havia caído: corrupção, finanças obscuras, guerras fratricidas pelo poder, roubo massivo de documentos secretos, luta entre facções, lavagem de dinheiro. O Vaticano era um ninho de hienas enlouquecidas, um pugilato sem limites nem moral alguma onde a cúria faminta de poder fomentava delações, traições, artimanhas e operações de inteligência para manter suas prerrogativas e privilégios a frente das instituições religiosas.

Muito longe do céu e muito perto dos pecados terrestres, sob o mandato de Bento XVI o Vaticano foi um dos Estados mais obscuros do planeta. Joseph Ratzinger teve o mérito de expor o imenso buraco negro dos padres pedófilos, mas não o de modernizar a igreja ou as práticas vaticanas. Bento XVI foi, como assinala Philippe Portier, um continuador da obra de João Paulo II: “desde 1981 seguiu o reino de seu predecessor acompanhando vários textos importantes que redigiu: a condenação das teologias da libertação dos anos 1984-1986; o Evangelium vitae de 1995 a propósito da doutrina da igreja sobre os temas da vida; o Splendor veritas, um texto fundamental redigido a quatro mãos com Wojtyla”. Esses dois textos citados pelo especialista francês são um compêndio prático da visão reacionária da igreja sobre as questões políticas, sociais e científicas do mundo moderno.

O Monsenhor Georg Gänsweins, fiel secretário pessoal do papa desde 2003, tem em sua página web um lema muito paradoxal: junto ao escudo de um dragão que simboliza a lealdade o lema diz “dar testemunho da verdade”. Mas a verdade, no Vaticano, não é uma moeda corrente. Depois do escândalo provocado pelo vazamento da correspondência secreta do papa e das obscuras finanças do Vaticano, a cúria romana agiu como faria qualquer Estado. Buscou mudar sua imagem com métodos modernos. Para isso contratou o jornalista estadunidense Greg Burke, membro da Opus Dei e ex-integrante da agência Reuters, da revista Time e da cadeia Fox. Burke tinha por missão melhorar a deteriorada imagem da igreja. “Minha ideia é trazer luz”, disse Burke ao assumir o posto. Muito tarde. Não há nada de claro na cúpula da igreja católica.

A divulgação dos documentos secretos do Vaticano orquestrada pelo mordomo do papa, Paolo Gabriele, e muitas outras mãos invisíveis, foi uma operação sabiamente montada cujos detalhes seguem sendo misteriosos: operação contra o poderoso secretário de Estado, Tarcisio Bertone, conspiração para empurrar Bento XVI à renúncia e colocar em seu lugar um italiano na tentativa de frear a luta interna em curso e a avalanche de segredos, os vatileaks fizeram afundar a tarefa de limpeza confiada a Greg Burke. Um inferno de paredes pintadas com anjos não é fácil de redesenhar.

Bento XVI acabou enrolado pelas contradições que ele mesmo suscitou. Estas são tais que, uma vez tornada pública sua renúncia, os tradicionalistas da Fraternidade de São Pio X, fundada pelo Monsenhor Lefebvre, saudaram a figura do Papa. Não é para menos: uma das primeiras missões que Ratzinger empreendeu consistiu em suprimir as sanções canônicas adotadas contra os partidários fascistóides e ultrarreacionários do Mosenhor Levebvre e, por conseguinte, legitimar no seio da igreja essa corrente retrógada que, de Pinochet a Videla, apoiou quase todas as ditaduras de ultradireita do mundo.

Bento XVI não foi o sumo pontífice da luz que seus retratistas se empenham em pintar, mas sim o contrário. Philippe Portier assinala a respeito que o papa “se deixou engolir pela opacidade que se instalou sob seu reinado”. E a primeira delas não é doutrinária, mas sim financeira. O Vaticano é um tenebroso gestor de dinheiro e muitas das querelas que surgiram no último ano têm a ver com as finanças, as contas maquiadas e o dinheiro dissimulado. Esta é a herança financeira deixada por João Paulo II, que, para muitos especialistas, explica a crise atual.

Em setembro de 2009, Ratzinger nomeou o banqueiro Ettore Gotti Tedeschi para o posto de presidente do Instituto para as Obras de Religião (IOR), o banco do Vaticano. Próximo à Opus Deis, representante do Banco Santander na Itália desde 1992, Gotti Tedeschi participou da preparação da encíclica social e econômica Caritas in veritate, publicada pelo papa Bento XVI em julho passado. A encíclica exige mais justiça social e propõe regras mais transparentes para o sistema financeiro mundial. Tedeschi teve como objetivo ordenar as turvas águas das finanças do Vaticano. As contas da Santa Sé são um labirinto de corrupção e lavagem de dinheiro cujas origens mais conhecidas remontam ao final dos anos 80, quando a justiça italiana emitiu uma ordem de prisão contra o arcebispo norteamericano Paul Marcinkus, o chamado “banqueiro de Deus”, presidente do IOR e máximo responsável pelos investimentos do Vaticano na época.

João Paulo II usou o argumento da soberania territorial do Vaticano para evitar a prisão e salvá-lo da cadeia. Não é de se estranhar, pois devia muito a ele. Nos anos 70, Marcinkus havia passado dinheiro “não contabilizado” do IOR para as contas do sindicato polonês Solidariedade, algo que Karol Wojtyla não esqueceu jamais. Marcinkus terminou seus dias jogando golfe em Phoenix, em meio a um gigantesco buraco negro de perdas e investimentos mafiosos, além de vários cadáveres. No dia 18 de junho de 1982 apareceu um cadáver enforcado na ponte de Blackfriars, em Londres. O corpo era de Roberto Calvi, presidente do Banco Ambrosiano. Seu aparente suicídio expôs uma imensa trama de corrupção que incluía, além do Banco Ambrosiano, a loja maçônica Propaganda 2 (mais conhecida como P-2), dirigida por Licio Gelli e o próprio IOR de Marcinkus.

Ettore Gotti Tedeschi recebeu uma missão quase impossível e só permaneceu três anos a frente do IOR. Ele foi demitido de forma fulminante em 2012 por supostas “irregularidades” em sua gestão. Tedeschi saiu do banco poucas horas depois da detenção do mordomo do Papa, justamente no momento em que o Vaticano estava sendo investigado por suposta violação das normas contra a lavagem de dinheiro. Na verdade, a expulsão de Tedeschi constitui outro episódio da guerra entre facções no Vaticano. Quando assumiu seu posto, Tedeschi começou a elaborar um informe secreto onde registrou o que foi descobrindo: contas secretas onde se escondia dinheiro sujo de “políticos, intermediários, construtores e altos funcionários do Estado”. Até Matteo Messina Dernaro, o novo chefe da Cosa Nostra, tinha seu dinheiro depositado no IOR por meio de laranjas.

Aí começou o infortúnio de Tedeschi. Quem conhece bem o Vaticano diz que o banqueiro amigo do papa foi vítima de um complô armado por conselheiros do banco com o respaldo do secretário de Estado, Monsenhor Bertone, um inimigo pessoal de Tedeschi e responsável pela comissão de cardeais que fiscaliza o funcionamento do banco. Sua destituição veio acompanhada pela difusão de um “documento” que o vinculava ao vazamento de documentos roubados do papa.

Mais do que querelas teológicas, são o dinheiro e as contas sujas do banco do Vaticano os elementos que parecem compor a trama da inédita renúncia do papa. Um ninho de corvos pedófilos, articuladores de complôs reacionários e ladrões sedentos de poder, imunes e capazes de tudo para defender sua facção. A hierarquia católica deixou uma imagem terrível de seu processo de decomposição moral. Nada muito diferente do mundo no qual vivemos: corrupção, capitalismo suicida, proteção de privilegiados, circuitos de poder que se autoalimentam, o Vaticano não é mais do que um reflexo pontual e decadente da própria decadência do sistema.

Fonte: Carta Maior



Senado aprova pedido de Collor para que TCU investigue Gurgel

O plenário do Senado aprovou nesta quinta-feira (20) um requerimento do senador Fernando Collor (PTB-AL) que pede para Tribunal de Contas da União (TCU) investigar o procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

O senador aproveitou o quórum no painel do plenário esta tarde para apresentar o requerimento e conseguir a votação simbólica. Collor pediu a investigação da compra de 1.200 tablets pela procuradoria. Segundo ele, a licitação, no valor de R$ 3 milhões, teria beneficiado a empresa vencedora.

Gurgel recebeu com surpresa a notícia de que será investigado. “Chega a ser risível, não a decisão do Senado, mas o motivo do pedido”, disse

Em nota, a Procuradoria-Geral da República disse que o processo de licitação foi feito “com os requisitos técnicos pertinentes e alinhados às necessidades institucionais” e que não foi questionado enquanto estava em curso. A Mesa Diretora do Senado ainda irá encaminhar ao TCU o requerimento aprovado.

Não é a primeira vez que Collor centra fogo em Gurgel. No ano passado, durante a CPI do Cachoeira, o senador entrou com um pedido de impeachment contra o procurador-geral no Senado e também com representações no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), questionando a demora do procurador-geral em investigar o ex-senador Demóstenes Torres e sua relação com o contraventor Carlinhos Cachoeira.

No início do mês, Collor fez um discurso raivoso contra Gurgel por ter apresentado denúncia ao STF contra Renan Calheiros (PMDB-AL), atual presidente do Senado. O político chegou a chamar o procurador-geral de chantagista e prevaricador.

Fonte: Último Segundo



“Proteste Já!”: Programa CQC mostrará as polêmicas envolvendo o recém-inaugurado Hospital Regional do Norte

Membros do programa CQC – Custe o que Custar, da Rede Bandeirantes estão na cidade de Sobral para gravarem o tradicional quadro “Proteste Já!”. O repórter Oscar Filho foi escalado para a matéria que mostrará o “novo” hospital que, há cerca de um mês, teve uma “inauguração de gala”, porém, mostrou não ser tão robusto quanto ao cachê pago pelo governado Cid Gomes.

A presença do irreverente repórter movimentou os bastidores da cidade, e animou a população, que terá a chance de mostrar, em rede nacional, o descaso e mau uso do dinheiro público, que, no último dia 18 de Janeiro, pagou cerca de 650 mil reais pagos à cantora baiana, Ivete Sangalo, para o show de inauguração do Hospital Regional do Norte.

O episódio ganhou força no noticiário nacional quando, no início da tarde do último domingo (17) a marquise da entrada do Centro de Apoio à Saúde Reprodutiva da Mulher (uma das áreas do recém-inaugurado do hospital) veio ao chão por decorrência das chuvas. No momento do desabamento, duas pessoas que estavam trabalhando no local ficaram feridas e foram levadas para a Santa Casa de Sobral.

Entretanto, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME) havia registrado apenas 19.4 milímetros, o que aumentou a revolta pública e fez com que o Governo do Estado cobrasse, junto ao consórcio que construiu a unidade hospitalar, esclarecimentos à acerca da fragilidade apresenta na estrutura física.

O quadro que trata assuntos sérios com boas doses de humor e sarcasmo está previsto para ir ao ar na próxima segunda-feira (25), tornando a cidade Sobralense nacionalmente conhecida. Quem certamente não está tão animado com essa aparição é a construtora responsável pela construção e o governador, Cid.

Um dos entrevistados foi o Dr. Guimarães, um opositor da família Ferreira Gomes na cidade, porém, Oscar tentará conversar com Cid Gomes. Alguém duvida que ele vá conseguir.

André Costa

Foto: Sobral On Line

Fonte: Miséria



Banida do Facebook, imagem de mulher tatuada se torna viral

Uma tatuagem cujo desenho parece um top no corpo de uma mulher foi banida pelo Facebook. A rede social não permite nudez em suas páginas. Postada pelo estúdio canadense Custom Tatoo Design, ela foi feita por uma mulher que submetida à mastectomia dupla (retirou totalmente os dois seios) devido a um câncer de mama.

Mas a atitude do Facebook não foi bem vista pelos internautas. Para eles, o estúdio foi censurado. Com isso, o estúdio criou uma campanha para que a imagem da tatuagem possa ser divulgada livremente.

“O Facebook continua a remover a postagem por considerá-la ofensiva, em função da nudez. No entanto, nós achamos que essa mulher é forte e corajosa, então vamos publicar a imagem aqui de qualquer forma e pedimos o apoio de vocês. Por favor, curta e compartilhe para mostrar seu apoio a esta e a muitas outras mulheres que já perderam tanto em suas vidas”, diz o texto na página do estúdio Custom Tatoo Design.

A foto foi extraída do livro “Bodies of Subversion: A Secret History of Women and Tattoo”. Por causa da campanha, a foto já tem mais de 130 mil compartilhamentos e 160 mil curtidas. Parece que o tiro do Facebook saiu pela culatra.

Fonte: Yahoo Notícias

Lula lança Dilma e chama adversários a fazer comparações

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira que a reeleição da presidente Dilma Rousseff em 2014 será uma resposta aos adversários do PT e, numa referência às críticas do senador Aécio Neves (PSDB-MG) aos dez anos da gestão do partido, disse que quer comparar os governos petista e tucano, principalmente na área ética.

Aécio, provável candidato à Presidência pelo PSDB, fez um discurso no plenário do Senado na tarde desta quarta-feira em que criticou 13 "fracassos" das gestões petistas e afirmou que o país não está sendo governado por Dilma, mas pela "lógica da reeleição".

"A resposta que o PT pode dar a eles é dizer a eles que eles podem se preparar, podem se juntar com quem eles quiserem. Porque, se eles têm dúvida, nós vamos dar como resposta a reeleição da Dilma em 2014", disse Lula durante a comemoração de 10 anos do PT no comando do governo federal, em São Paulo.

Em tom irônico, Lula afirmou ainda que os senadores do PT nunca terão tanto prazer de ser quem são quanto no momento em que debaterem com Aécio no Senado.

"Eu peguei um discurso de um dos possíveis adversários nossos em 2014 tentando mostrar os 13 erros do PT... Agora eu acho que o Aécio vai proporcionar (aos senadores do PT) o prazer de ser senador." Lula também fez menção ao vídeo divulgado na terça-feira pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em que classificou de "picuinha, coisa de criança" as constantes críticas que os petistas fazem aos seus oito anos de governo, entre 1995 e 2002.

"Eu descobri que a gente passar oito anos comparando com eles perturbou-os", ironizou. "Nós não temos medo de comparação. Inclusive, comparação e debate sobre corrupção... Até esse tema que eles pensam que é deles, a gente quer para a gente." No ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu o julgamento do mensalão, esquema de compra de apoio político no primeiro mandato de Lula, e condenou ex-integrantes da cúpula petista, como o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu e o ex-presidente da legenda, deputado federal José Genoino.

Em discurso fortemente irônico em relação aos adversários, Lula provocou risos na plateia dominada por militantes petistas ao afirmar, por exemplo, que o Brasil vive "um momento delicado", de fragilidade dos partidos políticos.

"Os partidos políticos estão fragilizados. Os de lá. Os nossos estão crescendo", disse. "Eles estão inquietos porque eles percebem que estão sem discurso, que estão sem propostas... Tudo que nós fizemos, nós fizemos melhor que eles." Lula lembrou seus oito anos de governo, entre 2003 e 2010 e disse que poucas vezes um presidente foi tão atacado quanto ele. O presidente lembrou ainda da oposição que afirmou ter sofrido da imprensa.

"Cada coisa que a gente fazia para os pobres neste país havia sempre um pseudo-cientista político, jornalista... dizendo que não ia dar certo", comentou. "Quando eu faço crítica à imprensa, eles escrevem 'Lula ataca a imprensa'. Quando eles me atacam, eles dizem 'fizemos uma crítica'."

Fonte: Exame.com

ShareThis