35 dicas para se tornar uma pessoa mais produtiva

Mente
1. Regra do 80/20: preste atenção à regra do 80/20, ou seja, quais são os 20% de trabalho que renderão 80% de resultados?

2. Foque nas coisas importantes, e suprima as urgências

3. Decida qual será o resultado antes mesmo de começar

4. Faça um caderno para anotar ideias geniais que você tem e com as quais não pode trabalhar no momento

5. Elimine questões triviais para evitar o desperdício de seu tempo, como na escolha das roupas que vai usar

6. Aprenda a ignorar. Não é preciso ter uma resposta para tudo

7. Não perca tempo: faça um mau rascunho. Afinal, você não vai poder editar uma página em branco

8. Trate seu tempo como se ele fosse dinheiro

Alimentação
9. Crie uma rotina alimentar

10. Coma alimentos saudáveis

11. Receba a comida por delivery para economizar tempo

12. Faça um acordo com a cafeteria que frequenta diariamente

Agenda
13. Faça as coisas mais fáceis primeiro

14. Priorize apenas uma coisa por dia

15. Defina uma rotina diária para se organizar melhor

16. Evite fazer reuniões quando elas não forem sobre algum assunto realmente decisivo

17. Melhor feito do que perfeito

Corpo
18. Controle a ansiedade. Uma boa forma de fazer isso é praticando alguma atividade física, como corrida, dança ou natação

19. Não se prenda a poucas horas de sono. Dormir mais pode fazer com que você produza mais no dia seguinte

20. Tire pequenos cochilos quando sua energia estiver muito baixa

Truques
21. Visualize o produto final

22. Quem veio primeiro: o ovo ou a galinha? Evite a questão ovo-galinha e comece a tarefa antes mesmo de se sentir preparado

23. Assuma que você está com a razão quando estiver em dúvida. Decisivo é produtivo

24. Quando estiver com a mente muito bloqueada, crie um mapa mental com suas ideias

25. Se você não pode escrever algo, grave-o

26. Quando ler algo que lhe foi útil, escreva para o autor

Roupas
27. Defina uma espécie de uniforme para ir trabalhar, e use-o diariamente

28. Use tecidos inteligentes, para não perder tempo passando camisas

29. Carregue uma roupa que possa ser usada em várias ocasiões

30. Doe ou descarte as roupas que você já deixou de usar

Tecnologia
31. Limite as respostas de e-mail para apenas uma mensagem por minuto

32. Se você não consegue entender sobre o que um e-mail se trata, não responda

33. Desligue-se das notícias. Poucas coisas importantes acontecerão durante o dia

34. Não atenda a chamadas a não ser em casos de emergência (e emergências são raras)

35. Use atalhos de teclado para economizar tempo ao usar o PC

Fonte: Info

Curta nossa página no Facebook

Crato lidera a comercialização de alimentos orgânicos no Cariri

A produção de alimentos orgânicos deve crescer cerca de 20% neste ano no Brasil. A estimativa é da Associação de Agricultura Orgânica. Entre 2010 e 2015, a média nacional de expansão da atividade foi de 20%. Não há números do Ceará, mas o Estado deve seguir essa tendência nacional. Há também expansão, no Ceará, da produção agroecológica a partir da implantação de tecnologias de convivência com o Semiárido.

No Estado, segundo dados da Comissão da Produção Orgânica (CPOrg), as principais regiões produtoras são Serra da Ibiapaba (frutas e hortaliças), Maciço de Baturité (algodão e mel) e Cariri (mel). "Há cerca de 850 produtores orgânicos no Ceará e 400 têm a apicultura como principal atividade", destacou o secretário-executivo da CPOrg, Adriano Custódio.

Entraves
A crise econômica, a escassez de água, a falta de assistência técnica e de organização para comercialização são os principais entraves que a produção orgânica e agroecológica enfrentam no Semiárido. Apesar de dispor de uma legislação nacional, nos últimos seis anos, as políticas públicas ainda não saíram do papel para a transição de um modelo agropecuário convencional para um sistema autossustentável na agricultura familiar.

O mercado é promissor, a demanda é elevada por produtos cultivados livres de agrotóxicos. Afinal, cresce entre os consumidores o desejo de levar para a mesa frutas e verduras de boa qualidade, sem veneno, mesmo que o preço seja superior a 30%, em média.

"Os maiores desafios para a produção orgânica no Ceará estão no alto custo da certificação, visto que não há entidades certificadoras no Estado", observa Custódio. "Além disso, há poucos locais de comercialização direta". O número de feiras é reduzido, em comparação com outras regiões do País.

Diferença
É preciso diferenciar a produção orgânica da agroecológica, expressão que vem ganhando espaço nos últimos anos. O modelo orgânico seria mais limitado em relação ao conceito da Agroecologia, que vai além do sistema produtivo.

Na produção orgânica, que é certificada, não se usa agrotóxico, não há queimadas, os defensivos são naturais, mas os insumos (inclusive sementes) podem ser adquiridos de empresas e pode-se optar por monocultura. No modelo agroecológico há uma perspectiva mais ampla, uma preocupação com aspectos sociais, culturais, ecológicos e econômicos da agricultura familiar, que vai além da produção. Aqui também não se usa veneno. Os defensivos são naturais, mas com prioridade para obtenção na própria unidade e implantação de um sistema de policultura, criação de pequenos animais, uma integração total do ciclo produtivo.

"É importante a diferenciação desses dois conceitos, definidos na política nacional de produção orgânica e agroecológica", observa a coordenadora do Centro de Estudos do Trabalho e Assessoria ao Trabalhador (Cetra), Cristina Nascimento, que também coordena a Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA). "Um não se opõe ao outro", completa.

O engenheiro agrônomo e diretor da organização não governamental (ONG) Rio Jaguaribe, Paulo Maciel, observa que a produção orgânica está inserida no conceito mais amplo, que é a Agroecologia. "Se for somente a substituição de insumos químicos por naturais e o não uso de agrotóxicos, tende a se afastar da ideia da Agroecologia", frisa. "A produção no sistema agroecológico é mais ampla e envolve aspectos sociais, econômicos, ambientais", explica.

Os produtos comercializados como orgânicos têm de ter um selo de certificação com nome do responsável, endereço da unidade produtiva, número de cadastro, nome da empresa certificadora e logomarca do Selo Orgânico Brasil. "A produção orgânica cresce no Ceará em índices até maiores que a média nacional, embora tenha ocorrido restrição nos últimos dois anos por causa do atual ciclo de seca", observa a diretora técnica da Associação para o Desenvolvimento da Agropecuária Orgânica (Adao), Regina Santiago.

Feiras
Todas as terças-feiras, pela manhã, no Mercado dos Pinhões, em Fortaleza, ocorre, desde 1997, de forma ininterrupta a feirinha orgânica promovida pela Adao e que reúne atualmente nove produtores, sendo dois de hortaliças, oriundos de Guaraciaba do Norte, cidade da Serra da Ibiapaba, e os demais de municípios diversos da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Em 2016, a feira de orgânicos da Adao comercializou cerca de 80 toneladas de verduras, frutas e legumes. "Os nossos produtos são certificados e oferecemos a vantagem da comercialização direta entre produtores e consumidores, com preço mais baixo do que os alimentos da agricultura convencional em supermercado", observou Regina Santiago. "Ninguém quer mais comer veneno e, se tiver opção, prefere o orgânico".

O mercado é, portanto, muito favorável aos sistemas produtivos agroecológicos, com ou sem certificação. "São modelos complementares, que favorecem à saúde dos consumidores, protegem o meio ambiente, melhoram a qualidade de vida da família do produtor com maior renda", destaca Regina Santiago. "Há uma melhoria total, nos aspectos de renda familiar, da ecologia, das relações sociais e de trabalho", afirma.

Limitações
Os técnicos observam, entretanto, que ainda é tímido o modelo agroecológico no Interior cearense. O seu surgimento está associado à implantação de tecnologias de convivência com o Semiárido, como cisternas calçadão e de enxurrada e projetos de reúso de água. "Precisamos ampliar essa produção. Mas, para isso, é preciso a aplicação de políticas públicas, assistência técnica, liberação de crédito e organização do espaço de comercialização", frisou Cristina Nascimento. "Em relação à demanda, a produção é reduzida, mas não é fácil e rápida a transição do modelo convencional para a Agroecologia, que tem base familiar e vai de encontro à lógica do desenvolvimento rural tradicional, que privilegia o agronegócio".

Assessoria
O Cetra desenvolve trabalho de assessoria aos produtores de base familiar agroecológica em cidades da região Norte, no entorno de Itapipoca e no Sertão Central. A entidade relaciona dez feiras que ocorrem em várias cidades de área de sua atuação. "As feirinhas têm caráter popular e oferecem verduras e frutas sem veneno, permitindo acesso à população de um modo geral", lembra Cristina.

Na região do Cariri cearense, a Associação Cristã de Base (ACB) desenvolve um trabalho de acompanhamento aos agricultores de base familiar há 35 anos. "O nosso esforço foi sempre para mudar a realidade no campo, reduzir a pobreza extrema, dar vida digna para as famílias, com acesso à educação, saúde, água, energia e segurança alimentar", observa a coordenadora da entidade, Maria do Socorro Silva. "O cenário atual mudou. Não foi fácil. Agora a nossa preocupação é gerar renda para essas pessoas, em particular para os jovens", diz.

Nos últimos 14 anos, a ACB articula um trabalho de orientação aos agricultores familiares para a produção no modelo agroecológico e promove, todas as sextas-feiras, uma feirinha, na cidade do Crato, que reúne 20 produtores. "Começamos com seis", lembra Maria do Socorro.

Estima-se uma renda mensal em torno de meio salário mínimo para cada família produtora que participa do espaço de comercialização da ACB. No Cariri, além de Crato há feiras semanais regulares nas cidades de Santana do Cariri, Milagres e Caririaçu. "É possível ter uma produção diversificada, com uso de defensivos naturais, oferecendo à população uma alimentação saudável", diz Maria do Socorro.

HONÓRIO BARBOSA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

10 coisas que você não deveria suportar. Mas suporta

Acredita-se que as pessoas muitas vezes são tratadas da forma como se permitem ser tratadas. E isso faz muito sentido.

Apresentamos uma lista das coisas que você não deveria permitir aos outros. E, acredite: deixando de aceitar coisas que não lhe fazem bem, sua vida poderia mudar muito e para melhor.

Te fazem sentir mal por conta de sua aparência física ou preferências
Não estamos falando de código de vestimenta ou de boas maneiras, pois todos nós devemos segui-los. Mas se alguém se atreve a falar mal da sua roupa, da sua silhueta ou do marido que você escolheu, não comece a buscar justificativas. Você não deve nada a ninguém. Lembre que as pessoas que se metem na vida das outras é quem não têm vida própria.

Querem que você escolha entre o trabalho e a vida pessoal
Infelizmente, isso acontece com muita frequência: tanto no trabalho como na família. Ainda assim, muita gente consegue combinar os dois campos, ainda encontrando tempo para hobbies e diversões. Não existe sequer uma lei que te obrigue a renunciar a família por conta do trabalho, ou vice-versa. Por isso, resista à pressão do seu chefe ou dos seus entes queridos.

Todo mundo decide por você
Talvez seus pais realmente entendam melhor a vida, mesmo se você já foi pai ou mãe também. Mas isso não dá a eles qualquer direito de impor escolhas, ainda que elas pareçam melhores que outras. A vida é sua e a decisão depende só de você. Os erros que você eventualmente venha a cometer também serão seus. Afinal de contas, é melhor ser um designer não tão famoso, mas feliz, do que um advogado cheio de dinheiro, porém deprimido.

O relacionamento faz com que você se sinta mal
Uma vez, alguém fez a piada: "Você está sempre chorando por causa do seu relacaionamento. Casou com uma pessoa ou com uma cebola?". Não estamos dizendo para você se separar de imediato da pessoa que te faz sentir mal. Mas se a sua vida sem esta pessoa é mais fácil do que com ela, você certamente tem muito em que pensar: por que continuar aturando a situação?

A mulher se sente coagida sexualmente, ainda que pelo marido
Seu corpo só pertence a você, e o fato de estar casada não quer dizer que seu marido pode usá-lo sem se importar com seus desejos nem com como você se sente. Um parceiro respeitoso não verá problemas caso você não queira fazer sexo em determinada ocasião. Caso aconteça o contrário e você ainda seja chamada de egoísta, será um motivo sério para repensar suas próprias atitudes.

Mentiras constantes
Não feche os olhos para as mentiras constantes por parte de seus parentes ou amigos. Deixe claro para o mentiroso que você sabe a verdade, mas sem assumir o papel de um juiz. Não é seu dever corrigir aquela pessoa, ela deve fazer isso por conta própria. Você só pode apoiá-la, mas também não permita que ela passe por cima de você. Se você for realmente respeitado e querido, as pessoas vão parar de contar mentiras.

Falta de respeito no trabalho
Infelizmente, muitas pessoas se veem obrigadas a aguentar um tratamento desrespeitoso por parte do chefe ou dos companheiros do trabalho. Se você estiver numa situação similar, pergunte-se: "preciso tanto assim deste trabalho a ponto de aguentar humilhações diárias e de aceitar fazer coisas que não são de sua responsabilidade?" Não se envergonhe por lutar pelos seus direitos e por retrucar seus colegas, cujo desenvolvimento mental parece ter parado no nível dos valentões da escola.

Violência física e emocional
Não existe e não pode existir qualquer tipo de justificativa para aqueles que frequentemente querem te agredir ou humilhar. Sua segurança está acima de tudo, e você não tem porque estar com uma pessoa que ameaça sua integridade física e psicológica, ou até mesmo sua vida. Você tem todo o direito de romper os vínculos com esse indivíduo.

Controle constante
Se a outra pessoa controla cada passo que você dá, seja um amigo, seus pais ou seu parceiro, não quer dizer necessariamente que estão fazendo isso por amor. Todo mundo precisa ter seu espaço pessoal, e um relacionamento é impossível sem mútua confiança. Ao deixar que a situação passe dos limites, você estará permitindo que o controle se transforme numa tirania.

Reprovações por não ser perfeita
Na verdade, não existem pessoas perfeitas. Embora todos nós tenhamos a imagem do “cara perfeito“, de um ”homem de verdade" ou da “mulher dos meus sonhos”, isso não nos dá nenhum direito de criticar nossos entes queridos por eles não se encaixarem em nossos ideais. Não ligue para quem exige que você mude suas roupas ou tenha músculos dignos de Schwarzenegger. Mudar não é nenhuma garantia que aquela pessoa vai gostar mais de você. O amor não é algo que devemos merecer. Além disso, com o passar do tempo, as exigências vão ficando cada vez mais absurdas.

Fonte: Incrível

Curta nossa página no Facebook

Expocrato 2017: Contagem regressiva para um dos maiores eventos do Nordeste

Pela 66ª vez, o município do Crato sedia evento que, durante oito dias, reúne programação variada, que vai de feira agropecuária e leilão de animais a apresentações musicais. De 9 à 16 de julho, será realizada a Expocrato, Exposição Nordestina de Animais e Produtos Derivados, no Parque de Exposições Felício Cavalcante.

Todos os anos, o Cariri se volta para a Expocrato. Famílias e amigos se reúnem, grandes e pequenos produtores agropecuários expõem produtos e todos se divertem. “O nosso interesse é que o público, de uma maneira geral, venha e saia satisfeito. E que, a cada ano, a festa melhore e cresça mais”, afirma Luiz Gonzaga de Melo, presidente do grupo gestor à frente do evento.

Diversão e reencontros
Paralelo à movimentação de negócios na feira, o evento recebe visitantes de variados locais do Brasil, de caririenses que se mudaram a turistas que vão conhecer a região. A designer de moda Suelli de Albuquerque Sampaio, por exemplo, mantém relação com a Expocrato desde a infância. Depois que foi estudar em Recife, aos 12 anos, voltou todos os anos para visitar a cidade e os amigos. “Pelo Facebook, comecei a entrar em contato com muita gente que não via há tempo e, então, a gente começou a marcar de se encontrar na Expocrato”.

Com o tempo, a Expocrato passou a ser sinônimo de encontros para a designer, pois, desde 2012, ela costuma rever os amigos no evento. “A gente combinou que não tinha mais razão para não fazermos ao menos um encontro anual”, ressalta Suelli. Durante os oito dias, o público conta tanto com a programação oficial do evento como com outras festas organizadas por toda a cidade.

Negócios
Para 2017, algumas mudanças estruturais serão feitas para atender a demandas do setor pecuarista. Segundo Melo, o entorno do picadeiro, onde ficavam localizadas barracas e vendedores ambulantes será liberado para que o público interessado assista ao julgamento dos animais. “Acho que isso vai melhorar o brilho da festa e vai priorizar o setor que é o foco da Expocrato, o pecuarista”, afirma.

De acordo com ele, a visibilidade que a feira dá aos produtos, aliada à boa receptividade no evento e à hospitalidade dos caririenses, é o que faz os expositores voltarem a cada ano. “A Expocrato é uma marca, hoje, nacionalmente conhecida e uma feira que traz retorno”, conta. Outro eixo ao qual a festa dá destaque é a agricultura familiar. “Sabemos que muita gente se prepara para isso”, comenta Melo, citando a importância de não restringir o espaço do pequeno produtor. “É uma festa em que você tem que se preocupar em atender os diversos setores da economia regional”.

Legados
O impacto da Expocrato vai além dos oito dias de programação. Junto às outras festas - como a de Santo Antônio, realizada em Barbalha, e a Vaquejada de Missão Velha -, ela movimenta o setor econômico no Cariri. De acordo com Luiz Gonzaga de Melo, a festa cresce a cada edição, agregando novos expositores e visitantes. “Mesmo no período de crise, colocar um evento desses no mês de julho movimenta a cidade e aquece as compras do mercado local”, afirma.

Expocrato 2016 em números
  • Mais de 50 mil visitantes por dia de evento;
  • 8.371 animais participaram da última exposição, entre bovinos, caprinos, equinos, cães, aves e outros;
  • 200 estandes, barracas e pontos de vendas foram montados no ano passado;
  • 15 toneladas de cana de açúcar foram utilizadas na Casa de Engenho;
  • 35 mil quilos de goma para fazer tapioca e beiju na Casa de Farinha.
Serviço:
Expocrato 2017
Quando: 9 a 16 de julho
Onde: Parque de Exposição Pedro Felício Cavalcante (Rua Rui Barbosa, 267, Crato)

Fonte: O Povo

Curta nossa página no Facebook

A um passo da aprovação, terapia mudará o tratamento do câncer

Um painel da FDA, agência americana que regulamenta alimentos e medicamentos, recomendou a aprovação da primeira terapia 100% individual contra câncer no país. O tratamento em questão, fabricado pela Novartis e chamado CTL019, altera as próprias células do paciente, transformando-as no que os cientistas chamam de “droga viva”, de acordo com informações do jornal americano The New York Times, “programada” para combater a leucemia. O aval inédito deixa o medicamento um passo mais próximo da aprovação pela agência e abre caminho para uma nova era na medicina.

Em decisão unânime (10 a 0) o comitê da FDA afirmou que os benefícios da terapia superam seus riscos e recomendou sua aprovação para o tratamento de leucemia linfoblástica aguda de células B resistente ao tratamento ou com recidiva em crianças e jovens com idade entre 3 e 25 anos. Esse é o câncer mais comum diagnosticado em crianças, que representa aproximadamente 25% dos diagnósticos da doença em pacientes com menos de 15 anos. No entanto, o tratamento beneficiaria apenas os 15% dos casos nos quais a doença não responde ou volta.

Como funciona?
A terapia, desenvolvida por pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, e posteriormente licenciada à Novartis, envolve a remoção de milhares de células T, um tipo de glóbulo branco, do paciente, por um centro médico aprovado. Em seguida, essas células são congeladas e enviadas a uma fábrica da farmacêutica onde o processo de modificação é realizado por meio de uma técnica de engenharia genética que emprega uma forma inativa de HIV, o vírus causador da aids, para levar o novo material genético às células e reprograma-las.

Esse processo “turbina” as células T para que elas se liguem à proteína CD-19, presente na superfície de quase todas as células B – componente natural do sistema imunológico que se torna maligno na leucemia – e as ataquem.  As células T geneticamente modificadas, chamadas receptoras de antígeno quimérico, são aplicadas na corrente sanguínea dos pacientes, onde se multiplicam e começam a combater o câncer. Uma única célula é capaz de destruir até 100.000 células cancerígenas. Essa capacidade deu a elas o apelido de “serial killers”.

Em estudos, a re-engenharia dessas células demorava cerca de quatro meses e muitos pacientes faleceram antes do tratamento ficar pronto. Mas, durante a reunião do painel, a Novartis afirmou que esse período foi reduzido para apenas 22 dias.

No entanto, como toda abordagem que usa o próprio sistema imunológico do paciente para combater o câncer, seus efeitos colaterais são graves. Alguns pacientes apresentaram febre desenfreada, pressão sanguínea no limite e congestionamento pulmonar. Outra ressalva dos especialistas foi em relação a possíveis danos futuros, ainda desconhecidos nesse tipo de terapia.

Por outro lado, uma única dose da nova terapia mostrou resultados surpreendentes: longas remissões e possíveis curas para pacientes que tinham suas esperanças esgotadas após todos os tratamentos disponíveis terem falhado.

Disponibilidade e preço
Como os efeitos colaterais demandam cuidados específicos, a Novartis afirmou que, se aprovado, o tratamento será inicialmente disponibilizado em cerca de 30 centros treinados nos Estados Unidos. A companhia afirmou também que planeja submete-lo em outros mercados, como na União Europeia, até o final deste ano. No Brasil, a aprovação deverá demorar mais tempo.

Embora a companhia não tenha mencionado o preço, analistas ouvidos pelo The New York Times estimam que um tratamento assim possa custar mais de 300.000 dólares (cerca de 960.000 reais).

A Novartis não é a única a desenvolver terapias 100% individuais, mas está prestes a ser a primeira a ter seu tratamento aprovado. A empresa já está desenvolvendo técnicas similares para o tratamento de outros tipos de leucemia, mieloma múltiplo e tumor cerebral agressivo.  Em entrevista à VEJA no ano passado, Joerg Reinhardt, CEO da Novartis, afirmou sobre as terapias 100% individuais: “as primeiras serão lançadas na área da oncologia, mas logo haverá para diabetes e doenças do coração”.

Fonte: Veja

Curta nossa página no Facebook

15 anos após a morte, Patativa do Assaré segue como referência de cultura popular

Há 15 anos morria Patativa do Assaré. Figura emblemática da cultura nordestina, o poeta popular deixou um legado de cantorias, textos e improvisações. Do município de Assaré, o homem de fala mansa fez fama ao redor do mundo. Aos 93 anos, em 2002, quando morreu, Patativa acumulava honrarias e prêmios nunca antes conferidos a uma figura tão popular. Recebeu o festejado título de Doutor Honoris Causa por cinco instituições, incluindo a Universidade Federal do Ceará (UFC).

“Na simplicidade, ele conseguia dizer coisas fortes de forma muito singela. Às vezes, nós lemos poetas modernos com linguagem rebuscada e acabamos não entendendo”, aponta a escritora e cordelista Julie Oliveira. Filha de Rouxinol do Rinaré, ela teve contato com as narrativas de Patativa durante toda a infância. “Se perpetua a imagem dele como cordelista, mas ele foi um poeta matuto. São linguagens diferentes. Ele é um ícone. É uma inspiração”, diz Julie.

O cordelista e pesquisador Klévisson Viana dialoga com esse pensamento. Para ele, Patativa era um homem de habilidades, autodidata e com múltiplas possibilidades de escrita. “O trabalho dele, se você for procurar nas antologias de cordel e de cantadores de viola, o nome dele não consta. Por quê? Como cordelista, ele não teve uma obra voltada para os folhetos. Era sempre em livros. Como cantador, a voz dele não era boa para ser um cantador. No entanto, o nome dele se sobressai como um dos maiores nomes da poesia de todos os tempos, pela grandeza e pelo nível de inspiração”, aponta o cordelista.

Klévisson esteve com Patativa em apenas em uma ocasião, na Secretaria da Cultura do Estado (Secult). Na memória guardou a figura do “homenzinho bem pequeninho, fumando um cigarro atrás do outro”. Com sua sensibilidade, acredita o cordelista, Patativa do Assaré deixou um legado enorme, que não pode ser negligenciado. “A literatura de cordel é festejada e cultuada no mundo todo. Como ele foi um nome muito midiático, ficou nele. Existem monografias sobre literatura de cordel, mesmo de poetas da minha geração, publicados ao redor do mundo, principalmente na França. Eu vejo que a dimensão do trabalho dele é inegável, o valor do trabalho dele é imensurável”, explica.

O cordelista Rouxinol do Rinaré, logo que começou a produzir escritos artísticos, enviou uma carta a Patativa. “Eu sempre o admirei, mas eu não tinha nada publicado, aí escrevi uma carta para ele em verso, pedi que ele mandasse um poema autografado, então ele me respondeu ‘Caro amigo colega, o Patativa não nega enviar a poesia para apreciação sua, mando o ‘Menino de rua’ que é de minha autoria’, e ele escreveu a poesia ‘Menino de rua’ no resto da carta. Isso foi três anos antes dele morrer. Quando a gente admira muito uma pessoa, fica se perguntando se vai ter resposta, até hoje eu guardo”.

Fonte: O Povo

Curta nossa página no Facebook

Aposentados do INSS devem receber 1º parcela do 13º em agosto

Em conversa com o presidente da Força Sindical, deputado Paulinho da Força (SD-SP), ontem (5), o presidente Michel Temer se comprometeu a manter o acordo de pagar a primeira parcela do 13º salário a aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na folha de agosto. Com isso, o pagamento deve começar no fim do próximo mês e seguir até o quinto dia útil de setembro.

O adiantamento do benefício para cerca de 28 milhões de aposentados e pensionistas faz parte de um acordo firmado entre os sindicatos representantes da categoria e o governo federal, em 2006, ainda no governo Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2015, porém, em meio ao ritmo fraco da economia e à queda da arrecadação, o governo só fez o pagamento da primeira parcela em setembro, que se estendeu até o início de outubro.

De acordo João Batista Inocentini, presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados (Sindinapi), ligado à Força Nacional, o pagamento antecipado é importante para aposentados e pensionistas. "Foi uma conversa por telefone na manhã dessa quarta-feira com o presidente Temer e ele disse que definirá o assunto com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles, mas prometeu o pagamento na folha de agosto. Essa medida é importante para os aposentados, que já contam com esse dinheiro antecipado, especialmente para pagar contas", diz Inocentini.

Além disso, afirma Inocentini, "Temer considera o pagamento na folha de agosto um direito adquirido de aposentados e pensionistas, e não faz sentido mudar isso nesse momento".

Popularidade em baixa
A promessa de Michel Temer aos aposentados e pensionistas vem em momento que a popularidade do presidente está em baixa e o governo federal tenta aprovar medidas populares em meios a diversos escândalos de corrupção. Nesta semana, a Caixa Econômica Federal decidiu antecipar o calendário de pagamento das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para quem faz aniversário em dezembro.

Previsto inicialmente para começar no dia 14 de julho, a Caixa Econômica informou, na última segunda-feira, que os pagamentos da última fase terão início no próximo sábado. Mais de 2,5 milhões de brasileiros têm direito ao saque a partir do mês de julho. O valor total disponível para saque neste mês ultrapassa R$ 3,5 bilhões e equivale a aproximadamente 8% do total de recursos disponíveis no programa.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Fies terá 100 mil vagas a juro zero a alunos de baixa renda

No próximo ano, o governo vai oferecer 100 mil vagas para o Financiamento Estudantil (Fies) a juro zero para alunos com renda per capita familiar de até três salários mínimos. O programa foi reformulado e terá três tipos diferentes de contrato.

As mudanças foram anunciadas na manhã desta quinta-feira (6). Para que tenham validade, o governo enviará uma medida provisória (MP) para o Congresso.

A seleção do segundo semestre, no entanto, continua sob as regras antigas. Serão oferecidas mais 75 mil novas vagas de contratos de financiamento. O cronograma com as datas será publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira (7), segundo o MEC.

A partir de 2018, serão oferecidas três modalidades do programa. Veja o que se sabe até agora:

FIES 1
PÚBLICO: Voltado para alunos com renda per capita familiar de três salários mínimos. Vai funcionar como um fundo garantidor de recursos da União.

TAXA DE JUROS: Não haverá nenhuma taxa de juro.

PAGAMENTO: Pelas regras, o aluno vai começar a pagar as prestações com parcelas de no máximo 10% da renda mensal. Assim, o MEC calcula uma economia de pelo menos R$ 300 milhões por ano com taxas operacionais.

VAGAS EM 2018: A previsão é de oferecer 100 mil vagas.

FIES 2

PÚBLICO: Voltado para alunos com renda familiar per capita de até cinco salários mínimos. Voltado para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

TAXA DE JUROS: A taxa de juros é de 3%, mais correção monetária.

FONTE DE RECURSOS: Segundo o MEC, a fonte de recursos será de “fundos constitucionais regionais”.

VAGAS EM 2018: A previsão é de oferecer 150 mil vagas.

FIES 3
PÚBLICO: Voltado para estudantes com renda familiar per capita de até cinco salários mínimos.

TAXA DE JUROS: Ainda não há previsão. "Não tem definição prévia sobre a taxa de juros, será maior que 3%, mas menor que as taxas bancárias privadas", diz o ministro.

FONTE DE RECURSOS: A fonte de recursos será o BNDES e fundos regionais de desenvolvimento do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. O risco de crédito também será dos bancos, diz o MEC.

VAGAS em 2018: A previsão é de ofertar 60 mil vagas. Nessa modalidade, o MEC discute com o Ministério do Trabalho uma nova linha de financiamento que pode garantir mais 20 mil vagas adicionais.

Justificativa para as mudanças
A medida, segundo o governo, é uma forma de viabilizar o programa que possui um índice de inadimplência que gira em torno de 46%. Para o ministro da Educação, Mendonça Filho, o antigo Fies funcionava "sem controle" e de forma "imprevisível", com ônus apenas para o Tesouro.

Para o ministro da Educação, as mudanças são necessárias e vão trazer mais garantia para o governo. “Não há como se ter responsabilidade fiscal sem que a gente defina claramente as prioridades para os mais pobres sem que ao mesmo tempo demarquemos a responsabilidade que o Tesouro deve arcar quando se trata de política pública”, afirmou.

Privadas assumem risco
Segundo o governo, no caso do Fies 1, a mudança vai levar ao compartilhamento com as universidades privadas do risco do financiamento, que no modelo atual fica concentrado no governo.

O ministro explicou que as instituições de ensino terão que controlar mais de perto a inadimplência. “Tem que ser sócio no filé e também sócio no osso”, disse. Ou seja, em caso de inadimplência, o governo deixará de "bancar" o rombo deixado pelo aluno que não paga as mensalidades.

No ano passado, a despesa do Fies chegou a R$ 32 bilhões com mais de dois milhões de contratos ativos, segundo o MEC. Desde 2015, o governo vem fazendo mudanças no Fies, passando a exigir do candidato, por exemplo, uma nota mínima no Enem. Em 2014, o número de novos contratos firmados atingiu seu auge: mais de 700 mil financiamentos realizados.

Como é hoje
Para ter acesso Fies, o candidato precisa ter feito o Enem e obtido nota média acima de 450 pontos, além de não ter zerado na redação. Também é preciso ter renda familiar mensal bruta, por pessoa, de até três salários mínimos.

Só há uma modalidade de contrato. A taxa de juros do financiamento é de 6,5% ao ano e o candidato, após concluir o curso, tem um prazo de carência de 18 meses para começar a quitar a dívida. O prazo para pagar o financiamento é de três vezes o tempo financiado. Ou seja, se o estudante fez um curso de quatro anos com o Fies, ele terá até 12 anos para pagar o financiamento.

No primeiro semestre deste ano, o MEC já fez uma alteração no programa, reduzindo o valor máximo da mensalidade passível de financiamento. Até então, era aceito o financiamento de mensalidades de até R$ 7.600. A partir deste ano, o valor foi reduzido para R$ 5.000, uma queda de pouco mais de 34%.

Fonte: G1

Curta nossa página no Facebook

Polícia Federal acaba com grupo de trabalho da Lava Jato em Curitiba

A Polícia Federal resolveu pôr fim ao grupo de trabalho da Operação Lava Jato em Curitiba. A decisão, segundo três fontes com conhecimento direto do fato, foi comunicada informalmente aos quatro delegados que ainda restavam no chamado GT da operação – o jargão que a polícia usa para se referir a uma força-tarefa. Espera-se a formalização do desmanche no próximo boletim interno da Superintendência da PF no Paraná, que deverá sair na segunda-feira (10). Em Curitiba, atribui-se a decisão ao diretor-geral da PF, Leandro Daiello.

Os delegados e agentes voltarão a ser lotados na Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros, a Delecor. Deixarão de se dedicar exclusivamente à Lava Jato, passando a dividir casos da operação com quaisquer outras investigações. Não há dúvida entre os investigadores que a produção de provas em processos altamente relevantes será severamente prejudicada. O mesmo vale para novas frentes de investigação sigilosas, envolvendo, entre outros, operadores e políticos do PMDB e do PSDB. Diante da escassez de recursos e pessoal, novas fases da operação podem nem sequer ser deflagradas, de acordo com procuradores da República e uma fonte no GT da polícia. “É uma asfixia”, diz um dos investigadores.

O desmanche do GT não é uma surpresa dentro da PF. Encerra uma longa agonia, que já durava mais de um ano, apesar dos esforços da direção local no Paraná em manter os trabalhos. Aos poucos, o número de delegados foi caindo. De nove, nos bons tempos da operação, para somente quatro – sem contar a diminuição de agentes, escrivães e peritos. Os principais investigadores da PF em Curitiba deixaram a Lava Jato: Érika Marena, Eduardo Maut e Márcio Anselmo. Com eles, foi embora também boa parte da memória da operação, um ativo essencial num caso tão amplo e complexo – a maior investigação de corrupção da história da PF. Delegados, procuradores e outros responsáveis pela Lava Jato em Curitiba são unânimes em apontar, reservadamente, uma queda acentuada na velocidade e na qualidade do trabalho da PF após a saída dos três. “Os três eram o motor da polícia na operação”, resume uma das principais lideranças da Lava Jato.

A interlocutores, delegados em Brasília, entre eles o próprio Leandro Daiello, comentavam que a investigação em Curitiba estava esfriando e que a equipe não seria mais necessária em razão de uma suposta falta de demanda. Todos em Curitiba – inclusive na PF e no MPF – discordam dessa justificativa. “Temos coisas para fazer e não temos para quem pedir porque eles estão assoberbados de trabalho ordinário”, diz um procurador. “Não têm tempo para desenvolver novas frentes de investigação. Isso se reflete também na ausência de novas operações.” É incontroverso que há centenas de mídias apreendidas nas fases anteriores da operação ainda sem análise.

Os três principais delegados saíram da operação após meses de constante atrito com a direção-geral da PF, em função de divergências quanto aos rumos da operação – desgaste que, segundo fontes no GT, aprofundou-se depois da fase 24 da Lava Jato, que mirou o ex-presidente Lula. Delegados e agentes, especialmente os que aceitaram mudar de estado para compor provisoriamente o GT, também reclamavam do que julgavam ser uma inaceitável ausência mínima de condições de trabalho: diárias muito baixas e o acúmulo de casos no cargo de origem – o estoque de investigações subia normalmente enquanto estivessem na Lava Jato; o trabalho seria imenso quando regressassem de Curitiba. “Tínhamos de praticamente pagar para trabalhar”, diz um deles, que aceitou falar somente reservadamente, por medo de represálias. “E ainda por cima faltavam braços para ajudar.” Outro completa: “É uma pena. A PF poderia ter ido muito mais longe.”

Procurada por EXPRESSO, a direção-geral da PF confirmou o fim do grupo de trabalho. Mas negou que haverá consequências ruins para a Lava Jato em Curitiba. Em nota, a PF diz:

1. Os grupos de trabalho dedicados às operações Lava Jato e Carne Fraca passam a integrar a Delegacia de Combate à Corrupção e Desvio de Verbas Públicas (DELECOR);

2. A medida visa priorizar ainda mais as investigações de maior potencial de dano ao erário, uma vez que permite o aumento do efetivo especializado no combate à corrupção e lavagem de dinheiro e facilita o intercâmbio de informações;

3. Também foi firmado o apoio de policiais da Superintendência do Espírito Santo, incluindo dois ex-integrantes da Operação Lava Jato;

4. O modelo é o mesmo adotado nas demais superintendências da PF com resultados altamente satisfatórios, como são exemplos as operações oriundas da Lava Jato deflagradas pelas unidades do Rio de Janeiro, Distrito Federal e São Paulo, entre outros;

5. O atual efetivo na Superintendência Regional no Paraná está adequado à demanda e será reforçado em caso de necessidade;

6. A Polícia Federal reafirma o compromisso público de combate à corrupção, disponibilizando toda a estrutura e logística possível para o bom desenvolvimento dos trabalhos e esclarecimento dos crimes investigados.

Fonte: Época

Curta nossa página no Facebook

Veja como devem votar os deputados cearenses sobre a denúncia contra Temer

Levantamento feito pelo jornal O Globo mostra que dos 22 deputados federais cearenses, sete são favoráveis à denúncia, um é contra, há três indecisos e 11, ou metade da bancada, não havia respondido até ontem ao questionamento.

Na esfera nacional, 147 dos 513 parlamentares tem a intenção de votar a favor da denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer. Outros 59 se declararam contra a denúncia, 92 se disseram indecisos e 214 não responderam. Para que um processo contra o presidente seja autorizado são necessários, pelo menos, 342 votos.

Também ontem, a defesa do presidente da República, Michel Temer, afirmou, em 98 páginas e um anexo com 90 folhas, que não foi cometido crime algum.

Segundo o documento, que foi entregue à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), a denúncia baseia-se em uma "peça de ficção", contendo apenas hipóteses e suposições.

"O presidente da República não cometeu corrupção passiva, e eu lanço um desafio respeitoso aos acusadores para que demonstrem, por meio de um único indício que seja, por mais frágil que seja, que o presidente tenha pedido algo, tenha recebido algo ou favorecido alguém", disse o advogado de Michel Temer, Antônio Cláudio Mariz de Oliveira. Com base em gravações e delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F - que controla o frigorífico JBS e outras empresas -, Janot denunciou Temer ao Supremo Tribunal Federal (STF) por crime de corrupção passiva. O procurador-geral analisa a possibilidade de oferecer outras denúncias, por obstrução da Justiça e organização criminosa. A defesa de Temer comentou uma sequência de fatos.

Clique para ampliar

Primeiro, destaca que a Procuradoria-Geral da República (PGR) admitiu que a denúncia foi feita de modo imediato, para impedir que crimes continuassem a ser praticados. Depois, afirma que, ao pedir a autorização para o processo, o ministro Edson Fachin, responsável no STF pela Lava-Jato, ressaltou que ainda não há crime tipificado de forma categórica contra Temer. Por fim, coloca em questão a delação premiada dos irmãos Batista, por favorecer os acusadores.

O documento também caracteriza a denúncia como seletiva. Mariz de Oliveira disse que a peça acusatória desconsiderou depoimentos que constam dos relatórios da Polícia Federal e que seriam benéficos a Temer.

A defesa de Temer foi entregue à CCJ antes de exaurido todo o prazo regimental, de até dez sessões do Plenário.

O advogado também negou que o governo esteja em uma espécie de UTI. "Está na lanchonete do hospital". Em um vídeo de dois minutos que será distribuído aos deputados que julgarão se Temer deve ser processado por corrupção passiva pelo STF o advogado do presidente reforça a estratégia de que Temer é inocente e que as provas contra ele são ilícitas.

Previsão
Já o presidente da CCJ da Câmara, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), disse que é possível que a conclusão da apreciação da denúncia contra Temer aconteça antes do recesso parlamentar (dia 18 de julho), mas que isso vai depender da dinâmica do processo. Pacheco disse que não se opõe à suspensão do recesso parlamentar. "Especialmente se chegarmos a um patamar do procedimento em que esteja quase pronto de ser definido". Se a denúncia não for votada na CCJ antes do início do recesso, Pacheco lembrou que o assunto ficará para agosto. Após se reunir com todos os partidos, Pacheco decidiu dar a todos os 132 membros da CCJ - 66 titulares e 66 suplentes - o direito de discursar. Cada um poderá falar por 15 minutos.

O relator Sérgio Zveiter deve cumprir o prazo e apresentar seu parecer na segunda-feira (10).

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

WhatsApp agora libera envio de arquivos de até 100MB

O WhatsApp recebe um novo recurso: agora, é possível compartilhar qualquer tipo de arquivo existente com sua lista de contatos. A função conta com limite de arquivos de até 100MB para dispositivos com sistema Android e iOS, e já está disponível para todos os usuários.

A nova atualização permite um compartilhamento mais fácil de arquivos, sem que eles percam qualquer resolução. Seja para enviar documentos de trabalho, vídeos para amigos ou mesmo fotos da família, a função busca simplificar a rotina dos usuários e aprimorar a experiencia de uso, para que você possa encaminhar o que quiser durante o dia por meio dos mais variados arquivos.

Curta nossa página no Facebook

Expocrato 2017: Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas contará com estande no local do evento

A Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD) reforça o trabalho de divulgação de suas atividades no interior do Estado com a participação na Exposição Agropecuária do Crato, a popular Expocrato, que este ano terá início no próximo domingo, 9, prosseguindo até o dia 16, no Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcante. A expectativa de público é de cerca de 400 mil pessoas. A comissão organizadora trabalha com um número aproximado em 50 mil por dia.

Durante o evento, a SPD contará com estande no Parque de Exposições. No espaço, haverá a distribuição de material informativo da pasta. Além disso, profissionais da Secretaria prestarão informações e orientações sobre a prevenção às drogas, além de realizar encaminhamentos para a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) no Cariri, quando necessário.

A secretária Especial de Políticas sobre Drogas, Aline Bezerra, ressalta que a participação da SPD em grandes eventos no Ceará proporciona uma maior visibilidade da pasta junto ao público, sobretudo pessoas com problemas relacionados ao uso de drogas e seus familiares. 

Na região do Cariri, a SPD está presente nos municípios de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha, desenvolvendo os programas federais de prevenção às drogas Jogo Elos e Famílias Fortes e o programa estadual Juventude em Ação. 

Curta nossa página no Facebook

Boleto bancário com prazo vencido poderá ser pago em qualquer agência

A partir da próxima segunda-feira (10), começa a vigorar a Nova Plataforma de Boletos e Pagamentos desenvolvida pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos) que vai possibilitar que o devedor de um boleto vencido não precise ir mais até o pago emissor para regularizar o débito. Será possível pagar uma conta com o prazo expirado em qualquer agência, caixa eletrônico, pela internet ou pelo celular.

Neste primeiro momento, a medida vale apenas para valores iguais ou superiores a R$ 50 mil. Já a partir de 11 de setembro próximo, poderão ser pagos valores iguais ou acima de R$ 2 mil. Para boletos iguais ou acima de R$ 500, o novo recurso só estará valendo em 9 de outubro próximo.

No caso dos débitos iguais ou acima de R$ 200, a data será a partir de 13 de novembro. Para concluir a implantação da Nova Plataforma de Boletos e Pagamentos, em 11 de dezembro deste ano, qualquer valor poderá ser pago.

No atual modelo vigente, quando o boleto passa do vencimento, a única forma de quitar o débito é se dirigir até a instituição bancária para ser calculado o valor devidamente corrigido, acrescido dos encargos, como juros e multas.

A expectativa da Febraban é que a nova plataforma modernize o sistema de pagamentos (cobrança bancária), de uma forma que traga mais segurança e agilidade para os consumidores. As taxas de juros devido ao atraso serão calculadas de forma automática pelo banco.

Conforme as medidas previstas, o banco não mais acatará boletos sem o CPF/CNPJ do pagador. Os clientes que operam na modalidade sem registro serão contatados pelo banco de relacionamento para fazerem registro de seus boletos visando o preparo para as novas regras.

A Febraban alertou que o consumidor deverá informar seu CPF/CNPJ para a empresa emissora do boleto. Já o boleto físico continuará existindo de forma normal, com exceção se o pagador estiver cadastrado no DDA - Débito Direto Autorizado como pagador eletrônico. Caso o consumidor não esteja cadastrado como pagador eletrônico, este continuará a receber o documento físico.

Fonte: O Povo

Curta nossa página no Facebook

Juazeiro do Norte (CE): Dirigido por Rosemberg Cariry, premiado filme “Os Pobres Diabos” estreia hoje (6)

A partir desta quinta-feira (6), o longa-metragem cearense “Os Pobres Diabos”, dirigido por Rosemberg Cariry, estreia no cinema do Orient Cariri Garden Shopping, em Juazeiro do Norte, trazendo a magia e as lutas de uma trupe circense que viaja pelo interior do Ceará. A obra venceu os troféus de Melhor Filme pelo Júri Popular e Prêmio TV Brasil no 46º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Com um elenco de estrelas formado por Chico Diaz, Sílvia Buarque, Everaldo Pontes, Gero Camilo, Zezita Matos e Sâmia Bittencourt, entre outros nomes, o filme apresenta ao público o Gran Circo Teatro Americano, uma companhia mambembe e muito pobre, que perambula por pequenas cidades do sertão nordestino até armar a tenda em Aracati, no litoral do Ceará.

Cariry mostra-se sereno e atento aos mínimos detalhes, na condução do seu modo de fazer cinema, com um toque autoral. Embora se veja favorecido pela revolução tecnológica em curso na área, explora a sua faceta humana, natural e artesanal. Sabe que depende sempre ainda da expressão dramática de atores e atrizes, do rigor da fotografia, da generosidade da luz solar, da criatividade diligente e inspirada da direção de arte.

Sob o rigor de uma narrativa que se propõe simples, a exemplo das narrativas da literatura de cordel, o filme recria e funde artes e artimanhas, saberes e sentimentos, arquétipos e sonhos, tradições perdidas e relidas, tempo presente e pretérito, em busca de um sentido estético capaz de vencer o vazio individualista e globalizante, na era do desfazimento de tudo, em especial, da dissolvência cultural da chamada pós-modernidade.

“A discussão sobre o significado de cultura e especificidade cultural é um desafio para o qual devemos estar sempre atentos. Nesse sentido, como artistas de circo, os personagens têm em comum a característica de viajantes e nômades: com o passar do tempo, eles vão adquirindo características de tantos lugares por onde passaram e/ou viveram, que já não é possível identificar de onde eles vieram, ou que lugar ou cultura representam. Esta decisão está refletida na escolha que fizemos dos atores e atrizes de ‘Os Pobres Diabos’, vindos de várias regiões do país”, conta.

Sinopse
O “Gran Circo Teatro Americano” perambula por pequenas cidades dos sertões, até chegar à cidade de Aracati, onde monta uma peça teatral. No cotidiano do circo, acontecem aventuras, nas quais os personagens agem ao modo picaresco dos anti-heróis do romanceiro popular. As dificuldades se acumulam, mas a arte ajuda a superar desventuras e tragédias. O espetáculo não pode parar.

Sobre o diretor
O cineasta Rosemberg Cariry nasceu em Farias Brito – Ceará, no ano de 1953. Realizou doze filmes de longa-metragem como, Corisco e Dadá (1996), Patativa do Assaré, Ave Poesia (2007) e Siri-Ará (2008). Para a TV realizou dezenas de seriados, documentários e programas.

É jornalista, escritor, poeta e pesquisador das culturas populares brasileiras, tendo publicado vários livros. Participou de várias entidades nacionais de cineastas e lutou pela diversidade do cinema brasileiro, sendo um dos responsáveis pelo processo de “regionalização” dos meios de produção audiovisual, que tem mudado o panorama do cinema brasileiro.

Curta nossa página no Facebook

O mundo seria mais pacífico se não houvesse religião?

Religião e guerra são dois temas que muitas vezes se cruzam.

Desde as Cruzadas em 1095 até hoje em dia, vimos inúmeros conflitos travados em nome da fé.

E enquanto muitos acreditam que as guerras explodiriam se não houvesse a religião e que a fé é, na realidade, uma grande promotora da paz, para outros a guerra e a religião não podem se separar.

Nesta reportagem, um historiador analisa o caso do grupo que se autodenomina Estado Islâmico; mostramos três conflitos que normalmente são associados à religião, mas também têm outras causas; e falamos de trechos de livros religiosos que se referem a conflitos.

Justin Marozzi, historiador e jornalista

Desde muito tempo, a guerra e a religião se encontram em uma relação complicada e, muitas vezes, tensa.

Mas será que a religião alguma vez é a causa principal de uma guerra? Ou simplesmente um veículo utilizado para incitar as tropas, dividir sociedades e saquear países?

A causa original de qualquer guerra ou conflito é complexa e cheia de nuances, e há muitos fatores em jogo, como poder, ideologia, dinheiro, território e identidade.

Ocasionalmente, esse causa original até é esquecida, se perde ou é mal interpretada.

Na Irlanda do Norte, por exemplo, um conflito de 30 anos parecia dividir a sociedade em grupos religiosos: os unionistas protestantes contra os republicanos católicos.

De fato, o problema era mais territorial, com visões distintas sobre a identidade e sentimento de pertencimento nacional em sua essência. Os unionistas queriam permanecer no Reino Unido e os republicanos queriam voltar a ser parte da República da Irlanda.

Alguns especialistas acreditam que a religião nunca é a causa das guerras. Já outros dizem que a religião tem um papel de protagonismo na instigação da violência e do conflito.

A campanha do grupo autodenominado Estado Islâmico, por exemplo, criou uma violência generalizada que sacrificou milhares de inocentes, de todas e de nenhuma fé, em muitas partes do mundo.

O EI pratica uma versão extrema do Islã, e não pensa duas vezes antes de derramar sangue para lograr seus objetivos.

Sua causa imediata é a invasão do Iraque liderada pelos Estados Unidos, durante a qual seu líder, Abu Bakr al-Baghdadi, foi preso.

Ao mesmo tempo, havia uma luta de poder em Bagdá entre duas facções do Islã: o governo dirigido por xiitas e os sunitas privados de representação.

Estes últimos se uniram a insurgentes anti-governo.

O EI aproveitou a situação e ganhou território na Síria e no Iraque.

Com esta situação política de fundo, podemos responsabilizar somente a religião por este conflito violento?

Especialistas como o ex-oficial da CIA e psiquiatra forense Mark Zeiman diriam: "Não, não se trata da fé, sim da indignação emocional e moral, o que leva às pessoas a se unir a grupos como o EI."

Mas eu tenho outro ponto de vista.

Depois de passar a maior parte da última década vivendo em meio a conflitos e escrevendo sobre muitos dos países mais assolados pela guerra, meu parecer é que não se trata de anti-imperialismo.

Trata-se se pintar o mundo de negro.

Com sua interpretação extremista do Islã, para este núcleo duro de crentes, o motivo é puramento religioso.

Histórias de guerras

Esses três conflitos são muitas vezes interpretados como tendo causas religiosas.

Mas será que é isso mesmo?

Os historiadores Marozzi e Aaron Edwards resumem fatores que, para eles, precisam ser levados em conta quando se pensa nessas guerras.

Guerra da Bósnia
No início da década de 1990, a Iugoslávia se desintegrou diante de uma série de guerras civis.

Depois da Eslovênia e da Croácia se separarem, a Bósnia teve seu referendo de independência, o que levou a um conflito entre muçulmanos, sérvios (predominantemente cristãos ortodoxos) e croatas (predominantemente católicos).

Com um forte apoio do governo sérvio e grupos extremistas de Belgrado, os bósnios sérvios estavam determinados a ficar no que restava da Iugoslávia e ajudar a estabelecer uma grande Sérvia.

A guerra foi, então, principalmente um conflito territorial, alimentado por nacionalismo e divisões étnicas.

Os enfrentamentos foram amargos, os bombardeios indiscriminados, houve violações massivas sistemáticas e limpeza étnica.

Esta limpeza étnica obrigou comunidades inteiras a deixarem seus lares em operações cuidadosamente planejadas.

O incidente mais notório resultou no assassinato de quase 8 mil homens e meninos bósnios muçulmanos em Srebrenica em 1995, meses antes do fim da guerra.

Afeganistão
Quando os Estados Unidos foram atacados em 11 de setembro de 2011, foram considerados culpados a Al Qaeda e seu líder Osama Bin Lader, que previamente havia dito que os EUA haviam declarado "a guerra contra Deus, seu mensageiro e muçulmanos" e havia pedido a todos os muçulmanos que "cumprissem a ordem de Deus de matar os americanos".

Depois do 11 de setembro, os dirigentes do Talebã do Afeganistão foram acusados de proteger a Al Qaeda e Bin Laden.

Os EUA, apoiados por aliados, invadiram o país.

O objetivo alegado era desmantelar a Al Qaeda e impedir que tivessem uma base segura para suas operações, tirando os talebãs do poder no Afeganistão, onde eles aplicavam uma rígida interpretação da lei islâmica.

Depois do Afeganistão, a "guerra contra o terror" se expandiu com a invasão ao Iraque, justificada com argumentos que em sua maioria foram desacreditados.

Alguns começaram a considerar a "guerra contra o terror" com uma guerra do Ocidente contra o Islã.

Estado Islâmico
O chamado Estado Islâmico emergiu dos escombros da invasão do Iraque e da guerra civil síria, e pratica uma forma extrema de islamismo no qual sangue é derramados com objetivos políticos e religiosos.

O grupo conquistou território na Síria e no Iraque e assumiu a responsabilidade por ataques em várias partes do mundo, como Tunísia, Líbano, França e Bélgica.

Ele rechaça a democracia, considerando-a como uma ideologia ocidental desencaminhada, e tenta desafiá-la não apenas atacando o que chama de governos apóstatas (não crentes) do Oriente Médio e África do Norte, mas também as democracias liberais centrais do Ocidente.

O grupo advertiu outros grupos jihadistas do mundo que eles têm de aceitar sua autoridade suprema para erradicar os obstáculos para restaurar o reino de Alá Terra e defender a comunidade muçulmana contra infieis e apóstatas.

Fonte: BBC Brasil

Curta nossa página no Facebook

Jovem cearense faz campanha após descobrir câncer em teste de gravidez positivo

José Gerardo Soares Filho é um jovem de 18 anos, morador de Fortaleza e estudante do curso Técnico de Enfermagem da Escola Estadual de Educação Profissional Professor Onélio Porto, no bairro José Walter.

Gerardinho, como é mais conhecido entre os amigos, tinha uma vida comum até fevereiro de 2017, quando descobriu ter um câncer raro, após fazer um teste de gravidez – por brincadeira – que deu positivo.

“Estava sentindo dores nas costas, mas achavam que era por causa da academia. Comecei a sentir dores no peito e os médicos disseram que era para deixar de treinar e tomar analgésicos”, explica o estudante.

O problema é que os remédios já não faziam mais efeito e Gerardo começou a expelir sangue. “Achavam que era tuberculose. Depois disso, por brincadeira, peguei um teste de gravidez e urinei nele, mas só que deu positivo. Acharam muito estranho e as enfermeiras do meu curso pediram para fazer outros exames mais detalhados”, lembra o jovem.

Campanha solidária
Gerardo foi diagnosticado com TCG (Tumores de Células Germinativas, Coriocarcinoma). Desde então, ele foi submetido a sessões de quimioterapia no hospital Peter Pan, em Fortaleza, mas familiares e amigos vêm realizando campanhas nas redes sociais para levantar recursos. O objetivo é financiar o tratamento em São Paulo, onde Gerardo encontrou um oncologista que é especializado no seu tipo de câncer, o que pode aumentar a probabilidade de cura.

“Não esperava e agradeço aos amigos e familiares por essa campanha ter chegado onde chegou”, reconhece.

Para quem quiser fazer doações, os dados da conta de José Gerardo:

José Gerardo Soares Filho
CPF: 608.294.463-11
AGÊNCIA: 3253-0
CONTA POUPANÇA: 38823-8
Variação: 51
Banco do Brasil 001

Ou pelo site vakinha.com.br

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Servidores estaduais receberão a primeira parcela do 13º salário nesta quinta-feira (6)

Será paga nesta quinta-feira (6), a primeira parcela integral do 13º salário dos cerca de 160 mil servidores estaduais, entre ativos, inativos e pensionistas. Com o pagamento, o Governo do Ceará espera injetar R$ 140 milhões na economia do Estado. Os descontos serão aplicados apenas na segunda parcela, que será paga em dezembro.

Para o secretário da Fazenda (Sefaz), Mauro Filho, a expectativa é que os recursos estimulem a confiança do comércio e promovam a ampliação do crédito e do consumo.

Fonte: O Povo

Curta nossa página no Facebook

Jati (CE): Marido da prefeita é preso em operação de busca e apreensão no município

Foto meramente ilustrativa
O secretário de Finanças do Município de Jati, Antônio Nogueira Neto, foi preso em flagrante, nesta quarta-feira (05/07), durante diligências da Operação Abelha Rainha, realizada pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), através da Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (PROCAP). Antônio Nogueira Neto, que é marido da prefeita de Jati, Maria de Jesus Diniz Nogueira, foi preso por porte ilegal de munição de arma de fogo calibre .38, que se encontrava na residência do casal localizada na sede do município. Além dele, foi preso, por porte ilegal de arma calibre .38, Genival Pereira da Silva, caseiro do sítio da prefeita, que fica no interior de Jati.

A Operação Abelha Rainha cumpriu, durante esta quarta-feira, mandados de busca e apreensão nas residências de Maria de Jesus Diniz Nogueira localizadas em Jati e em Fortaleza, no sítio da prefeita, na Prefeitura Municipal de Jati e na casa do secretário de Educação do Município, Josival Nogueira Vidal, que é tio de Antônio Nogueira Neto. A ação teve por objetivo colher provas para investigação da PROCAP que apura supostas irregularidades na desapropriação de dois imóveis pelo Poder Executivo de Jati. Neles, seriam construídos um estádio de futebol e uma academia de saúde. É investigada ainda a suspeita de enriquecimento ilícito e/ou locupletação de verbas públicas em razão dessa desapropriação.

Além da busca e apreensão, prestaram depoimentos a prefeita e o secretário de Educação de Jati, o oficial do cartório de 1º Ofício de Registro Civil e Registros Públicos de Jati, Wilton da Silva Brito, além de outras testemunhas e investigados. Paralelamente, foi realizada, em Juazeiro do Norte, oitiva de advogados e empresários que também estão sob investigação.  A Operação Abelha Rainha contou com o apoio de integrantes do Grupo de Atenção Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) e de policiais civis e militares.

Assessoria de Comunicação/MPCE

Curta nossa página no Facebook

ShareThis