"ExploraCrato": Produtos vendidos com inflação de até 200% gera indignação

A repercussão nas redes sociais após o Site Miséria veicular as primeiras reclamações dos consumidores ganhou grandes proporções. Com tons de indignação, revolta e até ironia, os internautas expuseram suas insatisfações contra a “ExploraCrato”.

O internauta Marcelo Florêncio ironiza que os preços estão “dentro do padrão FIFA”, no entanto, “o acesso ao Parque, a grande extensão das filas e as péssimas condições no interior do local do evento andam longe de ter o mesmo padrão”, diz ele.

140%. Essa é a diferença de preço entre um refrigerante vendido em mercantis e supermercados da região caririense, para os comercializados dentro do Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcante, na ExpoCrato. Notabilizada por uma das maiores exposições centro-nordestinas de animas e produtos derivados, além de contar com a participação de grandes atrações artísticas, a ExpoCrato 2013 custará caro ao bolso daqueles que prendem curtir as festas.

O consumidor sentirá essa diferença em quaisquer que sejam os produtos. Desde o simples Trident ao procurado refrigerante, passando pelo tradicional espetinho e bebidas alcoólicas, o preço está inflacionado em até 200%. Comparando com um supermercado tradicional do Crato, o refrigerante de 2 litros passou de R$ 5,00 para R$ 12,00, acréscimo de 140%. O trident, que custa R$ 1,00, está sendo vendido três vezes mais caro. Aos adeptos de uma cervejinha, o impacto será igualmente forte. A lata está 150% mais cara (R$ 4,00).

O primeiro dia de shows, que teve as bandas Silvano Sales, Bonde do Brasil e Léo Guilherme como atrações principais, já tinha rendido insatisfação e bastante reclamação por parte de vários consumidores. “A primeira sensação foi de susto. Depois veio à revolta por estar sendo roubada descaradamente”, relata a universitária Bruna Goes.

Neuvanir Salviano diz que “muitas famílias não vão poder levar seus filhos como de costume porque está tudo um absurdo de caro”. Seguindo a mesma linha, Francisco Silva confessa que “boicotou essa ‘Explocrato’ há dez anos” e diz que “deixou de ser uma festa popular para se transformar num evento da burguesia”.

Gonçalo Bezerra Neto vai mais além fazendo uma analogia com os preços dos ingressos cobrados nas novas “arenas” e diz que esse é um problema conjuntural. “Tudo no Brasil é explorado. Ninguém ver o lado do assalariado. Reformaram os estádios, mudaram o nome para Arena e agora os preços dos ingressos foram lá pra cima. Exploração em demasia. E a Expocrato segue o mesmo rumo, sendo chamada agora de ‘Exploracrato’”. Bezerra finaliza dizendo que “É a exclusão da classe mais baixa dos grandes eventos”.

ANDRÉ COSTA
COLABORADOR

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Por que a França tem sido alvo de tantos ataques?

A França é um dos países ocidentais que mais têm sido alvo de atentados ligados ao radicalismo islâmico nos últimos tempos. Apenas em 2015, o terrorismo matou 149 pessoas e deixou centenas de feridos, segundo dados do parlamento francês.

Isso sem contar os vários projetos de atentados interceptados a tempo pelos serviços de inteligência do país: mais de dez desde os ataques de janeiro de 2015, de acordo com as autoridades.

Em março deste ano, por exemplo, a polícia prendeu um suspeito nos arredores de Paris que detinha um importante arsenal de armas de guerra, dezenas de quilos de material explosivo e milhares de bolinhas de aço, que ampliam o impacto destrutor de bombas.

Na noite desta sexta-feira, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, declarou que o autor do atentado na noite de quinta-feira em Nice, o franco-tunisiano Mohamed Lahouaiej Bouhlel, "é, sem dúvida, ligado ao islamismo radical". Na manhã deste sábado o grupo autointitulado Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pela atrocidade.

"A França é hoje, claramente, o país mais ameaçado. Um dos números da revista em francês do Estado Islâmico, Dar al Islam, tinha a manchete: 'Que Alá amaldiçoe a França'", afirmou Patrick Calvar, diretor-geral do Departamento Geral de Segurança Interna (DGSI) da França, o serviço de inteligência do país, a uma Comissão Parlamentar de Inquérito sobre os atentados de 2015.

Há várias razões que explicam por que a França se tornou um alvo constante de ataques.

A primeira delas são as recentes operações militares em países como a Síria e o Iraque, contra o Estado Islâmico, e no Mali, que também visam radicais islâmicos.

Outra razão é o fato de a França ter a maior comunidade muçulmana da Europa, estimada em 6 milhões de pessoas, o que corresponde a quase 10% de sua população.

Essa população imigrante ou nascida na França de origem estrangeira sofre há décadas problemas de integração e é, em boa parte, desfavorecida socialmente.

Residem em áreas que concentram uma população imigrante de baixa renda, o que cria verdadeiros guetos e favorece o comunitarismo, acirrando o sentimento de exclusão social.

Nessas periferias consideradas problemáticas, as taxas de desemprego são maiores do que a média nacional.

Os autores dos últimos atentados e projetos de ataques na França têm um perfil semelhante: fracasso escolar e profissional, com "bicos" ou empregos de baixa qualificação, condenações na Justiça por crimes de violência, tráfico ou roubo. E, em boa parte dos casos, radicalização na prisão.

A França é o país europeu de onde mais saíram jovens para se aliar ao Estado Islâmico na Síria ou no Iraque.

Segundo o governo, cerca de 1,8 mil franceses estariam implicados em movimentos jihadistas nos dois países. Em torno de 600 ainda estariam neles. Desse total, mais de 200 são mulheres, número que vem crescendo nos últimos meses.

Durante muito tempo, inclusive após os atentados contra a revista satírica Charlie Hebdo e o supermercado judaico, em janeiro de 2015, clérigos muçulmanos ainda faziam livremente discursos considerados radicais.

Lei da laicidade
O modelo do multiculturalismo adotado em outros países europeus não é aplicado na França em razão da lei da laicidade, de 1905, que determina a separação entre o Estado e a Igreja.

Dessa forma, o Estado francês não pode oferecer serviços públicos específicos para determinada comunidade religiosa ou financiar a construção de mesquitas.

Foi com base nessa lei que foi aprovada, em 2004, a proibição de usar símbolos religiosos nas escolas públicas ou ainda, em 2010, o uso do niqab (véu islâmico que deixa apenas os olhos à mostra). Orações em grupo nas ruas foram proibidas em 2011.

Quando essas leis foram aprovadas no país, líderes de grupos islâmicos radicais proferiram ameaças contra o país.

A lei da laicidade sempre suscita discussões polêmicas na França, como a questão de servir ou não carne de porco (não consumida por muçulmanos) nas cantinas escolares.

A cultura laica do Estado francês é utilizada por radicais islâmicos como uma espécie de arma de propaganda para reafirmar a identidade muçulmana e reforçar, ao mesmo tempo, o sentimento de exclusão de muitos jovens.

"Nós sabemos que o Estado Islâmico planeja novos ataques e que a França é claramente visada", ressaltou Calvar aos parlamentares.

Fonte: BBC Brasil

Curta nossa página no Facebook



Calvin Harris - Outside ft. Ellie Goulding




‘Turquia não é um país da América Latina (...) que tenta derrubar o governo’, diz ex-presidente turco

O ex-presidente turco, Abdullah Gul, gerou polêmica ao declarar à “CNN” que “a Turquia não é um país da América Latina” para ter um golpe de Estado. No depoimento, Gul se refere a países do continente americano e da África, que "têm governos depostos da noite para o dia".

"A Turquia não é um país da América Latina ... Eu estou me referindo àqueles que tentam derrubar o governo e voltar a seus quartéis", declarou o ex-presidente em alusão à tentativa de golpe no país, na última sexta-feira.

A declaração repercutiu nas redes sociais brasileiras e de outros países da América do Sul.

“Tambem pensei que os golpes de Estado eram exclusividade dos países da América Latina, mas com o que se passa na Turquia vejo que vivem isso”, escreveu um venezuelano.

No Brasil, houve também quem associasse a declaração do ex-presidente ao cenário atual do país:

“Ex-presidente turco quis dizer pra não se confundir a Turquia com um certo país da América Latina; onde se depõe um governo da noite pro dia”, “Ex-presidente turco: ‘não confundam Turquia com um país da América Latina. Ninguém pode tomar o poder do dia para a noite’. Acho que foi uma indireta”, “Alerto que se na Turquia ocorre um golpe militar, na America Latina os golpes seguem com outra roupagem, como no Brasil”,”O ex-presidente da Turquia disse que o país dele não é igual à África e à América Latina. Viram só Michel Temer, José Serra e Paraguai?”

Fonte: Extra

Curta nossa página no Facebook



Casais que bebem juntos são mais felizes, revela estudo

Casais que bebem juntos tendem a permanecer juntos. De acordo com um estudo publicado recentemente no periódico científico Journal of Gerontology: Psychological Sciences, pessoas que têm o hábito de compartilhar uma garrafa de vinho ou cerveja com o parceiro vivem em um relacionamento mais feliz.

Pesquisadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, realizaram o estudo com 2.767 casais que estavam juntos, em média, há 33 anos. Durante seis anos de acompanhamento, os voluntários participaram de entrevistas anuais, nas quais respondiam questões sobre os hábitos de consumo de bebida alcoólica (quantidade e frequência), sobre a qualidade do casamento e o que pensavam sobre o parceiro (se tinham perfil muito crítico e exigente).

Os resultados mostraram que casais que tinham os mesmos hábitos de consumo de bebida alcoólica tendiam a ser mais felizes do que aqueles em que apenas um dos parceiros costumava beber. No grupo em que havia a diferença, o casal estava mais propenso a enfrentar problemas de relacionamento.

De acordo com a pesquisa, em mais da metade dos casais, ambos os cônjuges bebiam. Mas, naqueles em que apenas um dos cônjuges tinha esse hábito, os maridos eram mais propensos a beber do que as mulheres. Por outro lado, nos casais cujas mulheres bebiam e os maridos não, as esposas relataram maior insatisfação com o casamento.

“Nós não estamos sugerindo que as pessoas devem beber mais ou mudar os hábitos. Não sabemos porque isso acontece, mas pode ser que os casais que fazem mais atividades de lazer juntos tenham uma melhor qualidade conjugal”, disse Kira Birditt, principal autora do estudo.

O estudo também revelou um dado importante e preocupante: cerca de 20% dos homens e 6% das mulheres consumiam álcool em excesso. De acordo com os pesquisadores, pessoas com essa tendência tendem a ter relacionamentos mais destrutivos.

Fonte: Veja.com

Curta nossa página no Facebook



Ministro da Saúde diz que "brasileiro procura SUS por imaginar doenças"

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse na sexta-feira (15) que a maioria dos pacientes que procuram atendimento em unidades de atenção básica da rede pública apenas "imagina" estar doente, mas não está. De acordo com o ministro, é "cultura do brasileiro" só achar que foi bem atendido quando passa por exames ou recebe prescrição de medicamentos, e esse suposto "hábito" estaria levando a gastos desnecessários no SUS (Sistema Único de Saúde). Entidades médicas criticaram a fala de Barros.

"A maioria das pessoas chega ao posto de saúde ou ao atendimento primário com efeitos psicossomáticos. Por que 50% dos exames laboratoriais não são retirados pelos interessados? Por que 80% dão resultado normal? Porque foram pedidos sem necessidade", disse o ministro, na manhã de ontem, em evento na sede da AMB (Associação Médica Brasileira), em São Paulo.

Barros disse que a população costuma associar uma boa consulta à solicitação de exames e defendeu que os médicos ajudem a mudar esse pensamento. "Se (o paciente) não sair ou com receita ou com pedido de exame, ele acha que não foi 'consultado'. Isso é uma cultura do povo, mas acho que todos nós temos de ajudar a mudar, porque isso não é compatível com os recursos que temos", declarou. "Não temos dinheiro para ficar fazendo exames e dando medicamentos que não são necessários só para satisfazer as pessoas, para elas acharem que saíram bem atendidas do postinho de saúde."

O ministro defendeu que os médicos façam uma investigação mais criteriosa do paciente, antes de solicitar exames ou prescrever remédios. "O médico tem de apalpar o cliente, fazer anamnese, tem de conversar com a pessoa", afirmou.

Críticas
Representantes de entidades médicas discordaram da afirmação de Barros de que a maioria da população procura postos de saúde sem estar, de fato, doente. "De maneira geral, qualquer unidade de saúde terá 70% dos exames com resultado normal. Isso acontece porque o paciente não é bem examinado, não é bem interrogado, e são solicitados os exames errados. Ou então, na rede pública, o exame demora tanto para ficar pronto que, até lá, o paciente já sarou e não vai retirar o resultado", diz Antonio Carlos Lopes, presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica.

Ele afirma que a solicitação de exames desnecessários está relacionada a falhas na formação ou na postura do médico. "O paciente não tem culpa nisso. A maioria tem queixa real, que não é devidamente valorizada pelo médico", afirmou.

Presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), Florentino Cardoso afirmou que o paciente nem tem o poder de escolher se quer fazer exames ou tomar remédios e é preciso avaliar melhor os dados informados pelo ministro antes de qualquer conclusão. "O julgamento do que o doente precisa é médico. Às vezes está lá que o doente não foi pegar (o resultado do exame), mas o doente ou o médico viram na internet. Precisamos saber quais lugares têm essa população de pacientes atendidos com exames normais ou que não foram buscá-lo. Porque, senão, fica algo jogado no ar." As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Outro lado
Em nota, o Ministério da Saúde contestou a reportagem. Leia abaixo a íntegra da nota:

"O Ministério da Saúde afirma que está equivocado o título da matéria "Para ministro, pacientes 'imaginam' doença", do jornal Estado de S. Paulo (16/07/2016)

Pelo contrário, informou que uma parcela dos pacientes vai ao posto de saúde, com doenças psicossomáticas. A palavra psicossomática está ligada a uma série de sintomas de diferentes contextos do paciente.

Tratam-se de agravos descritos, por exemplo, na Classificação Internacional de Doenças (CID). Há um erro do jornal, portanto, de classificar esse agravo como "imaginação". A expressão não foi utilizada pelo ministro. O Ministério da Saúde considera essa interpretação um desrespeito com a queixa do paciente, que deve ser acolhido corretamente pelo sistema de saúde.

Para esses e outros agravos, em reunião com entidades médicas nesta sexta-feira (15), o ministro Ricardo Barros defendeu uma atenção básica mais acolhedora e resolutiva. Assim, é necessário que os profissionais médicos façam exame físico (tocar o paciente), façam anamnese (entrevistar o paciente) e conversem com quem está sendo atendido.

Ainda, o ministro relatou que estudos preliminares indicam que até 50% dos exames laboratoriais não são retirados na rede pública e 80% dão resultado normal. Durante a reunião, o ministro solicitou ao representante dos laboratórios de análises clínicas que estava presente a confirmação desses números sobre os exames laboratoriais, e uma análise de seus fatores e desperdícios."

Fonte: UOL (Com Estadão Conteúdo)

Curta nossa página no Facebook



Herbalife é multada em 200 milhões de dólares por prática enganosa

A empresa Herbalife foi multada em 200 milhões de dólares e obrigada a reestruturar suas operações para encerrar processo nos Estados Unidos aberto em 2014. As punições fazem parte de um acordo para impedir que a companhia fosse acusada de praticar o esquema de pirâmide financeira pela Comissão Federal do Comércio, agência do governo americano que defende os direitos do consumidor no país

O órgão acusa a companhia de iludir quem se propõe a vender seus produtos. Por ser uma empresa de venda direta, a Herbalife não lida diretamente com o consumidor final e depende de colaboradores para comercializar seus produtos, além das vendas online. Segundo a acusação, essas pessoas são incentivadas a comprar kits com valores muito mais altos do que os praticados no site e têm que angariar outras para revendê-los. A decisão diz que a Herbalife, dessa forma, força uma demanda de mercado que não existe, lesando os consumidores.

Segundo a presidente da Comissão Federal do Comércio nos Estados Unidos, Edith Ramirez, a empresa faz propaganda enganosa ao exigir que seus colaboradores abandonem seus empregos para "ficarem ricos" com o esquema. "A Herbalife terá que se reestruturar para pagar seus colaboradores pelo que vendem e não pelas pessoas que recrutam", disse.

A Herbalife terá que contratar um auditor independente por sete anos para verificar se as adequações exigidas pela agência do governo serão realmente feitas.

Procurada, a Herbalife no Brasil não se pronunciou sobre as acusações.

Fonte: Veja SP

Curta nossa página no Facebook



Ceará recebe quase R$ 140 milhões de recurso federal para Saúde

Quase R$ 140 milhões deverão pagar parte dos custos de procedimentos ambulatoriais e hospitalares de média e alta complexidade no Ceará. O recurso, enviado pelo Ministério da Saúde (MS), faz parte do Teto Financeiro de Média e Alta Complexidade (MAC).

Do total, R$ 32,8 milhões destinaram-se ao Fundo Estadual, enquanto R$ 107 milhões foram divididos pelos 184 municípios cearenses. O valor deve ser enviado mensalmente pelo Governo Federal para ajudar na manutenção de unidades como Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Hospital de Messejana e Instituto Dr. José Frota (IJF).

Para Fortaleza, o total enviado foi de R$ 51 milhões. No interior, outros municípios que receberam o MAC foram Sobral (R$9,7 milhões), Juazeiro do Norte (R$ 2,4 milhões), Quixadá (R$ 1,4 milhão), Crateús (R$ 1,1 milhão) e Crato (R$ 2 milhões).

Os recursos foram enviados no último dia 8 e podem ser complementados pelo Estado e municípios. De acordo com informações do MS, a divisão dos recursos de média e alta complexidade considera uma série de condições, entre elas a oferta de serviços do SUS, a habilitação/credenciamento das Redes de Atenção à Saúde, reajuste e inclusão de procedimentos, ações, programas e incentivos implementados pelo Governo Federal.

Fonte: O Povo

Curta nossa página no Facebook



Com remédio, estudo revela que a transmissão de HIV entre parceiros é quase zero

Muito coisa mudou desde que a AIDS intrigou o mundo lá na década de 80.

Naquela época, contrair o vírus HIV era visto como uma sentença de morte. Mas 35 anos depois, graças aos grandes avanços da ciência, receber esse diagnóstico não significa colocar um ponto final nos seus sonhos.

Apesar de toda evolução, ainda temos um longo caminho a percorrer no que diz respeito ao compreendimento sobre o vírus. Prova disso é o recente estudo publicado no Journal of American Medical Association (JAMA), que fez uma revelação curiosa, animadora e que surpreendeu a comunidade científica.

O estudo revelou que portadores do vírus HIV que fazem o uso correto dos antirretrovirais (os medicamentos usados no tratamento da doença) não transmitem o vírus aos seus parceiros, mesmo se as relações sexuais forem consumadas sem proteção.

Ou seja, quem detectou ser portador do vírus e toma o remedinho corretamente, não transmite HIV ao parceiro, mesmo se transar sem camisinha.

A Pesquisa
Liderada pelo Dr. Alison Rodger, da Universidade College London, a pesquisa foi realizada em 75 clínicas de 14 países da Europa, entre os anos de 2010 e 2014 e envolveu 900 casais.

Cada um desses casais era formado por um soropositivo e um negativo, sendo que o portador de HIV já fazia o uso correto dos medicamentos por pelo menos seis meses, e após um ano e três meses de pesquisa e muitas relações sexuais sem camisinha (58 mil para ser exato), nenhum dos soropositivos infectou seu parceiro.

Bom, na verdade, onze casais tiveram um dos seus parceiros contaminados, mas desses onze, oito deles admitiu que rolou uma puladinha de cerca. Já os outros três que não admitiram o sexo fora do relacionamento foram pegos pelos exames, que comprovaram que nenhuma das 11 contaminações eram compatíveis molecularmente com a do parceiro. Ou seja, pegou com outra pessoa.

Mas o que isso significa?
Os especialistas Dr. Eric Daar e Dra. Katya Corado, do Centro Médico Harbor-UCLA, que acompanharam o estudo fizeram um alerta importante: os portadores da doença não devem interpretar o estudo no sentido de que seu risco de transmissão é nulo.

“Para os indivíduos que não querem, rotineiramente ou intermitentemente, usar preservativos com um parceiro infectado pelo HIV, os clínicos podem indicar que o risco de transmissão do HIV aparece como pequeno no cenário de supressão viral contínua” – reforça os doutores.

Resumindo, o risco não é zero, mas por enquanto, é considerado como bem pequeno.

Os cientistas envolvidos no estudo ainda revelaram que são necessárias mais pesquisas, com números maiores de casais e com um acompanhamento mais longo dos casos para realmente certificar e concluir que os antirretrovirais também possam funcionar como um método de prevenção à contaminação de casais sorodiscordantes (onde um é negativo e o outro é positivo).

Mas se não está liberado transar sem camisinha, para que serve o estudo?
Antes de tudo, para acabar de vez com o preconceito contra soropositivos. E também para deixar os casais mais tranquilos quanto a transmissão do vírus HIV.

O importante é fazer o exame e, caso esteja contamidado, tomar os remédios corretos – todos gratuitos aqui no Brasil.

Uma outra ação acontece em paralelo, esses mesmos antirretrovirais também estão sendo testados como uma maneira de prevenir a contaminação. O PEP (Prolifáxia Pós-Exposição) e o PrPE (Prolifáxia Pré-Exposição) são tratamentos que utilizam esses medicamentos para prevenir a contaminação de pessoas que tiveram ou terão contatos de risco.

Mas, como o assunto ainda é polêmico, o resultado desses estudos ainda estão sendo divulgados de forma tímida.

Estas pesquisas são realmente importantes para derrubar o tabu que envolve a doença (AIDS) ou o vírus (HIV), e quem sabe extinguir o preconceito que os soropositivos enfrentam diariamente.

E não se esqueça das DSTs, a camisinha não te protege somente contra o vírus HIV. Por isso fica aquele velho conselho: USE CAMISINHA!

Fonte: SOS Solteiros (Fontes consultadas: I-base, G1, Diário Catarinense, JAMA, PrPE Brasil)

Curta nossa página no Facebook



O que é o Pokémon Go e por que está causando tanto furor no mundo dos games?

Eles fizeram sucesso nos anos 1990 e voltaram com força total nesta semana.

O Pokémon Go já foi mais baixado que o Tinder e virou mania nos Estados Unidos, atraindo atração em todo o mundo. Mas o que é esse jogo? A BBC Brasil explica.

Por que as pessoas não param de falar de Pokémon de novo?

Elas estão falando do Pokémon Go, um jogo de realidade aumentada para smartphones.

Ele usa seu GPS. Você joga andando pelo mundo real e caçando pequenos monstros virtuais como o Pikachu e Jigglypuff em lugares perto da localização do seu telefone e treinando-os para lutar uns contra os outros.

O sucesso vem da mistura de jogo e realidade. Na tela do telefone você vê o mundo real, como na câmera do seu celular, mas habitado por monstrinho do Pokémon.

Os monstrinhos do jogo se tornaram populares pela primeira vez nos anos 1990, quando foram lançados no Game Boy da Nintendo.

O Pokémon já foi jogo de Game Boy e Nintendo DS, desenho animado e é, há muito tempo, um jogo não tecnológico de troca de cartas, mas esta é a primeira vez que se torna um jogo de smartphone.

Aqui está um pequeno dicionário para você começar a entender um pouco mais do Pokémon:
  • Pokemon = pocket monster (monstro de bolso)
  • Pokestop = landmark (ponto de referência)
  • Pokeball = uma bola que você joga para capturar o Pokemon e treiná-lo
  • Academia = local onde os Pokémons lutam uns contra os outros
  • Pikachu = Pokémon mais famoso e ícone da cultura japonesa
Como posso jogar?
O Pokémon Go já pode ser baixado pela App Store (iPhone) e Google Play (Android) em diversos países, como Estados Unidos, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia.

No Brasil, ainda não há data oficial de lançamento. A Niantic, desenvolvedora do jogo e ligada ao Google, havia decidido adiar o lançamento em outros países porque, com tanto usuários, o game estava tendo problemas.

Mas nesta semana a empresa retomou a expansão do aplicativo, tornando-o disponível na Europa. Isso pode significar que o game estará disponível para brasileiros em breve.

O jogo pode ser baixado de graça, mas assim como muitos aplicativos gratuitos, há coisas para comprar com dinheiro de verdade quando você já está jogando.

Qual foi a coisa mais estranha que aconteceu com alguém jogando?
Hmm, pergunta difícil.

Um mulher americana encontrou um corpo enquanto procurava um Pokémon em um rio perto da sua casa. A polícia disse que o homem havia morrido há menos de 24 horas.

Quatro pessoas foram presas após usar o jogo para atrair participantes para locais remotos e roubá-los a mão armada. Em resposta, os criados do Pokémon Go disseram que as pessoas devem "jogar com amigos quando forem para lugares novos e desconhecidos" e "lembrar de se manter em segurança e alerta todo o tempo".

O grupo homofóbico Westboro Baptist Church, nos Estados Unidos, é uma das locações das academias no jogo, e jogadores colocaram uma Pokemon "Crefairy", que é rosa, chamada "Amor é amor" lá. O grupo - o mesmo que faz protestos homofóbicos em enterros de gays - respondeu com uma série de posts nas redes sociais chamando o Pokémon de sodomita.

Também há muitos relatos de pessoas caindo e se machucando porque não prestam atenção no que está a sua frente ao jogar.

Devo me preocupar com minha privacidade?
Algumas pessoas disseram que, como o jogo funciona em tempo, se você está perto de outro jogador no game você provavelmente consegue vê-los na vida real.

Quando você se inscreve no jogo, você permite que a Niantic Labs use sua localização e a compartilha pelo app.

É a mesma coisa que todos os aplicativos de redes sociais pedem, mas no Facebook, Twitter e afins você pode desligar esta função, enquanto se você fizer isso no Pokémon Go você não consegue jogar o jogo direito.

E esse sucesso estrondoso do jogo?
O game é um sucesso mesmo.

Ele acrescentou mais de US$ 7 bilhões de valor a Nintendo devido à subida das ações da empresa desde seu lançamento.

O jogo parece estar fazendo sucesso em dois mercados - os adolescentes que estão jogando pela primeira vez e as pessoas com cerca de 30 anos que lembram da febre pela primeira vez e estão curtindo uma nostalgia.

O Pokémon Go já foi instalado em 5,16% de todos os smartphones com sistema Android nos EUA, de acordo com o site SimilarWeb. É quase o dobro do Tinder - e espera-se que, em breve, o app supere o Twitter em usuários ativos.

Nos últimos 30 dias, o termo Pokémon Go foi buscado no Google quase tantas vezes quanto "Brexit", a saída do Reino Unido da União Europeia.

Até a pornografia, que sempre é muito buscada na internet, foi superada pelo interesse no app.

Fonte: BBC Brasil

Curta nossa página no Facebook



5 tipos de pessoas com as quais você não deve mais desperdiçar seu tempo

1 – Aquela que confunde você com um terapeuta
Todo mundo conhece uma pessoa que fala demais, certo? Você conta sobre um encontro com sua melhor amiga e a criatura logo emenda algo como: “Ah, eu também adoro encontrar minha melhor amiga, inclusive nós nos vemos todo dia, todo dia mesmo, tipo... segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sábado, domingo. Se bem que não. Às vezes a gente não se vê aos domingos porque costumo visitar minha família nesse dia e ela também. Ela também visita a família dela”. E você não sabe se dorme ou foge. Dica: fuja.

2 – Aquele que vive pedindo “um favorzinho”
A criatura mal fala com você, mas, quando fala, está sempre pedindo alguma coisa. Geralmente ela sabe que é chata e já começa suas sentenças com “odeio pedir mais um favor, mas”. Independente do que seja: uma xícara de café, um troco para pagar o lanchinho da tarde, ir buscar a roupa seca na lavanderia... Se existe uma pessoa que vive pedindo a você esse tipo de “favorzinho”, e que nunca está interessada em saber da sua vida ou em convidar você para um programa realmente legal, já sabe: “poxa, hoje não vai dar. Amanhã também não”.

3 – Aquele que adora criticar a sua vida
Não somos contra críticas, obviamente, até porque, quando feitas na hora certa e do jeito certo, tendem a ser bastante construtivas. A questão é que aqui estamos falando daquela pessoa que vive olhando você dos pés à cabeça e fazendo comentários com a intenção única de, de alguma maneira, agredir seu estado psicológico, prejudicar a relação que você tem com sua própria imagem.

Infelizmente, muitas pessoas assim fazem parte de nossas vidas, seja como amigos, colegas de trabalho, familiares e afins. O jeito é não perder muito tempo com quem vive vendo o lado ruim de tudo – e isso vale inclusive para aqueles que vivem falando mal de si mesmos. Ninguém curte gente reclamando o tempo todo.

4 – O MacGyver
Esse cara sabe tudo sobre tudo. É o professor de Deus, o que entende de Medicina, de automóveis, de cavalos, de agricultura, esportes, viagens, História, economia, jogos de tabuleiro, produtos de maquiagem e braile. Achando que está causando uma boa impressão com tanta sabedoria, essa criatura só consegue mesmo é ser chata.

Geralmente é aquele que faz monólogos nas reuniões com os amigos. Ele fala sobre caça, sobre a legislação da Suazilândia, inteligência artificial, buracos negros e células-tronco, geralmente interrompendo qualquer pessoa que possa saber minimamente sobre o assunto e cometa o erro de tentar fazer algum comentário.

Fuja com todas as forças dessas pessoas, até mesmo porque esse tipo de comportamento esconde insegurança e problemas sérios de autoestima. Se você não tiver como ajudar nesses dois aspectos especificamente, não tem a menor obrigação de aturar os discursos longos todo santo dia.

5 – O fazedor de promessas
“Deixa comigo que na segunda-feira eu trago o relatório pronto”. Só que a segunda-feira dessa criatura parece existir em um calendário paralelo, que não faz parte do nosso mundinho mortal. É a pessoa que promete tudo e não faz nada. Poxa... É aquela coisa, gente: se não for para fazer, se não houver a verdadeira intenção de fazer, não há por que dizer qualquer coisa.

Em ambientes de trabalho, esse cara é pior ainda, afinal um comportamento desses pode colocar muitas coisas a perder e envolver mais pessoas da área empresarial – isso não é nada legal. No trabalho e na vida, a regra é simples: tempo é algo precioso demais para se perder com quem tem mais lábia do que atitude. Ponto final.

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Alunos do IFCE criam aplicativo para criadores de tilápia

Alunos do Instituto Federal de Ciência e Educação Tecnológica (IFCE) do Crato lançaram um aplicativo que promete ajudar produtores de peixe da espécie tilápia na produção de alimentos. Conhecido como Sismant, o aplicado criado pelos estudantes dos cursos de Zootecnia e Sistema de Informação é um sistema de manejo alimentar e nutricional de tilápias.

O programa deve ajudar produtores a medirem a quantidade de ração a ser utilizada, de acordo com o peso e o tamanho dos peixes. A ideia surgiu após a constatação, com aulas práticas e visitas do campo, da dificuldade dos produtores em fazer um acompanhamento satisfatório da criação e desenvolvimento dos peixes.

Segundo o coordenador do curso de Zootecnia, Messias Alves, o programa faz o controle da quantidade de peixes e da ração necessária para a criação. Apesar de ainda estar na fase de testes, os usuários podem baixá-lo pelo sistema Android e em qualquer navegador web. O professor Talles Brito, do curso de Sistema de Informação, ressalta que os estudantes estudaram o processo por um ano, após a ideia surgir durante aulas práticas.

O aplicativo pode ser acessado pelo endereço eletrônico sismant.crato.ifce.edu.br.

Fonte: Tribuna do Ceará

Curta nossa página no Facebook



Tomar muito café dá gastrite? Veja mitos e verdades sobre a doença

1- Mascar chiclete dá gastrite
MITO. Os especialistas ouvidos foram unânimes ao afirmar que o ato de mascar chicletes não está relacionado ao desenvolvimento de inflamações na mucosa do estômago. "A pessoa pode ter outros problemas de saúde relacionados à ingestão do açúcar. Mas, não tem nenhuma relação com o desenvolvimento da gastrite", disse Ramiro Mascarenhas, presidente da Sobed (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva).

2- Ficar sem comer dá gastrite
PARCIALMENTE VERDADE. Se alimentar em períodos espaçados pode se refletir no estômago. "Quando o alimento chega ao estômago depois de um longo tempo sem se alimentar, a quantidade de suco gástrico aumenta. Isso pode gerar dor e desconforto", explica Rogério Alves, gastroenterologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo. Já Ramiro Mascarenhas, presidente da Sobed, afirma que apesar de fazer mal para o organismo como um todo, não significa que esse hábito vá causar uma gastrite. "A pessoa sente mais aquela dor típica de quem está com fome", diz.

3- Estresse causa gastrite
MITO. Na verdade, o estresse está mais relacionado ao refluxo, que é quando o ácido do estômago sobe para o esôfago em vez de seguir o caminho da digestão. Muitos dos sintomas do refluxo podem ser confundidos com gastrite. "Além disso, todo mundo tem um órgão de choque no organismo. Tem gente que tem queda de cabelo quando se estressa e tem gente que tem dor no estomago", afirma Rogério Alves, gastroenterologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

4- Tomar café pode causar gastrite 
VERDADE. Assim como o cigarro, o álcool e a pimenta, o café pode, sim, gerar uma irritação na mucosa do estômago. "É uma gastrite leve que pode passar ou pode aumentar, isso vai depender de vários fatores e dos mecanismos de defesa do estômago da pessoa", explica Matheus Azevedo, gastroenterologista do Hospital 9 de Julho.

5- Comer muita fritura causa gastrite
PARCIALMENTE VERDADE. Alimentos ricos em gordura exigem mais do organismo para serem digeridos e, por isso, tendem passar mais tempo no estômago. "A sensação de empachamento pode ser confundida com gastrite, mas, na verdade, a pessoa só tem uma dieta inadequada", diz Ramiro Mascarenhas, presidente da Sobed (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva). Para Rogério Alves, gastroenterologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, esse alimentos tanto podem piorar o quadro de quem já sofre de gastrite como pode desencadear o problema. "É ideal sempre comer uma comida mais leve", afirma.

6- Gastrite pode evoluir para úlcera
MITO. É a infecção pelo H-pylori ou a ingestão de analgésicos que podem levar ao desenvolvimento de uma úlcera, não uma gastrite. "Existe uma associação entre as duas, mas a gastrite não é a causa da úlcera, é a bactéria, no caso de infecção pelo H-pylori", explica Ramiro Mascarenhas, presidente da Sobed (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva).

7- Remédios podem causar gastrite 
VERDADE. "Anti-inflamatórios interagem com substâncias presentes na mucosa do estômago, diminuindo a sua presença, o que pode causar inflamação e até úlcera", afirma Rogério Alves, gastroenterologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

8- Tomar leite alivia dor no estômago
VERDADE. Segundo Rogério Alves, gastroenterologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, o leite é alcalino e por isso neutraliza momentaneamente a acidez no estômago, responsável pela sensação de desconforto. Mas, segundo o gastroenterologista do Centro de Gastroenterologia do Hospital 9 de Julho, Matheus Azevedo, a ingestão não é aconselhada. "O leite é gorduroso e, por isso, tende a exigir ainda mais do estômago para ser digerido. Leite não é tratamento. Quem tem uma dor persistente no estômago precisa procurar um especialista", afirma.

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook



MPF-DF pede para Justiça arquivar apuração criminal sobre 'pedaladas'

O Ministério Público Federal em Brasília (MPF-DF) enviou à Justiça Federal um pedido de arquivamento de uma investigação aberta para apurar se houve crime em operações de crédito feitas por autoridades do governo da presidente afastada Dilma Rousseff nas chamadas "pedaladas fiscais".

As “pedaladas fiscais” consistiram no atraso do governo em repassar a bancos públicos o dinheiro para que essas instituições fizessem o pagamento de benefícios sociais e previdenciários.

A prática obrigou instituições como Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil a usar recursos próprios para honrar os compromissos, numa espécie de “empréstimo” ao governo.

Em despacho enviado à Justiça, o procurador da República Ivan Cláudio Marx diz ter analisado atrasos da União no repasse de verbas em seis casos e conclui não ter havido operações de crédito sem autorização legislativa (leia o despacho aqui).

Anteriormente, o Tribunal de Contas da União (TCU) havia apontado essa infração criminal, mas, para o procurador do MPF, não houve crime.

Apesar de pedir o arquivamento e concluir que não houve crime da equipe econômica de Dilma nas "pedaladas", o procurador afirma no despacho que os atrasos nos repasses de recursos tinham a intenção de melhorar artificialmente as contas públicas da União em período eleitoral, configurando, assim, improbidade administrativa, um delito civil.

“Todos os atos seguiram o único objetivo de maquiar as estatísticas fiscais, utilizando-se para tanto do abuso do poder controlador por parte da União e do 'drible' nas estatísticas do Banco Central”, diz o procurador Ivan Marx no despacho.

"Os atos narrados configuram, sem dúvida alguma, atos de improbidade administrativa. Nesse sentido, o Inquérito Civil aguarda apenas últimas diligências que tem o objetivo de delimitação de responsabilidades", complementa.

Ele explica no documento que, após analisar documentos do TCU e conversar com a equipe econômica de Dilma, concluiu que houve, na verdade, inadimplementos contratuais, ou seja, os pagamentos não foram feitos nas datas pactuadas, o que configura, apenas, o descumprimento de contratos com os bancos.

Em outros casos, diz o procurador, as operações estavam respaldadas em lei ou não existiu a intenção de realizar empréstimos ilegais.

Processo no Senado
Em tese, o pedido de arquivamento da investigação feito pelo MPF-DF à Justiça não altera o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff no Senado, que analisa se a petista cometeu crime de responsabilidade ao permitir o atraso nos repasses.

Mesmo assim, os argumentos utilizados pelo procurador Ivan Marx no despacho reforçam a tese da defesa de Dilma de que não houve crime nas "pedaladas fiscais".

BNDES
Na última sexta-feira (8), de acordo com o MPF-DF, o procurador já havia concluído que as "pedaladas fiscais" no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) também não foram crimes comuns.

Neste novo despacho, ele afirma que a mesma conclusão cabe às manobras fiscais utilizadas no governo Dilma no Plano Safra, do Banco do Brasil, que também embasam o pedido de impeachment da petista.

Nestes casos, tanto o BNDES quando o BB emprestaram dinheiro a empresas a juros mais baixos que os praticados no mercado. A diferença entre as taxas é coberta pelo Tesouro, que não fez repassou recursos no prazo combinado com os bancos.

Fonte: G1

Curta nossa página no Facebook



Vírus mais agressivo da dengue avança no Brasil

Embora a maioria dos casos de dengue no Brasil ainda seja causada pelo tipo 1 da doença, cresce em alguns Estados a circulação do sorotipo 2, o mais agressivo dos quatro vírus existentes. Dados do mais recente boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, com estatísticas de 3 de janeiro até 28 de maio, mostram que, de um total de 2,2 mil amostras positivas para dengue analisadas em laboratório neste ano, 6,4% já são do tipo 2, ante 0,7% no ano passado. No Estado de São Paulo, esse tipo de vírus já é responsável por 13,6% dos casos da doença, ante 0,5% em 2015.

Além de ser considerado por especialistas o mais virulento dos quatro sorotipos da dengue, o tipo 2 ainda está relacionado a outro risco no País. Como parte da população brasileira já foi infectada pelo tipo 1, a ocorrência de uma segunda infecção por outro sorotipo aumenta o risco de desenvolvimento de uma das formas graves da doença, que podem levar à morte, como a febre hemorrágica.

Segundo o infectologista Artur Timerman, presidente da Sociedade Brasileira de Dengue e Arboviroses, o risco maior em uma segunda infecção pela doença está relacionado à resposta imunológica do paciente que já contraiu o vírus uma vez. “Como já existem anticorpos contra um tipo de dengue no organismo, há uma reação inflamatória exacerbada, que prejudica o organismo, mas que não consegue neutralizar o novo sorotipo. O risco de desenvolvimento de uma forma grave da dengue é de 15 a 20 vezes maior quando se trata de uma segunda infecção.”

O grande número de brasileiros infectados pelo tipo 1 nas epidemias de dengue dos últimos anos é uma das razões que explicam o crescimento dos casos provocados pelo tipo 2, segundo especialistas. “Como o vírus tipo 1 da dengue está circulando há muito tempo no Brasil, já temos muitas pessoas imunes a ele. Quando há o contato dessa população com outro sorotipo, aumenta mesmo o número desses tipos de casos porque há mais pessoas suscetíveis a ele. E uma segunda infecção por dengue tem tendência a uma gravidade maior”, explica Marcos Boulos, coordenador de Controle de Doenças da Secretaria Estadual da Saúde.

Além de São Paulo, outros Estados registram circulação do tipo 2 da dengue acima da média nacional. No Pará, 33,3% das amostras analisadas correspondem a esse sorotipo. No Distrito Federal, esse índice é de 26,8% e em Rondônia, de 13,1%.

Interior
Segundo Boulos, no Estado de São Paulo, esse sorotipo está presente predominantemente na região de Ribeirão Preto, no interior paulista. Em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde do município, pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto têm feito a vigilância virológica dos casos de dengue na cidade para estabelecer qual é o porcentual de casos de cada sorotipo.

“O que a gente tem visto é que, do fim do último ano para cá, houve mesmo um aumento dos casos de dengue tipo 2. Dependendo do mês, eles já representam cerca de 25% a 30% dos casos na cidade. Mas não acho que isso seja restrito a Ribeirão. Esse aumento deve estar acontecendo em outras áreas do Estado também”, afirma Benedito Antonio Lopes da Fonseca, professor de Infectologia da faculdade e um dos coordenadores do monitoramento virológico no município.

O pesquisador disse ainda que pelo menos uma das sete mortes por dengue registradas neste ano na cidade aconteceu por uma infecção provocada pelo tipo 2 da doença. A paciente apresentava uma doença crônica, condição que aumenta o risco de complicações.

Segundo Boulos, diante do avanço do tipo 2 da dengue no Estado, a Secretaria Estadual da Saúde deverá reforçar com médicos e outros profissionais de saúde as diretrizes de atendimento a pessoas com suspeita da doença. “Todos têm de ficar mais atentos aos sinais de agravamento da dengue. Teremos de pensar duas vezes antes de liberar o paciente.”

Fonte: Veja (Com Estadão Conteúdo)

Curta nossa página no Facebook



Cunha ameaça: 'Nenhum dos 117 deputados e 30 senadores investigados sobreviverão nessa Casa'

Durante a reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), realizada nesta terça-feira, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) afirmou, em tom de ameaça, que o processo contra ele é político e que, por uma acusação contra ele ter virado uma "sentença transitada em julgado", nenhum dos 117 deputados investigados devem escapar da cassação.

O deputado afastado disse ainda que mais de 20% dos deputados respondem a processos judiciais, todos de natureza penal, e que já estariam todos cassados, se fosse seguida a lógica usada em seu caso. Ele disse que os deputados investigados não vão sobreviver e devem ser cassados:

"A palavra do órgão acusador virou sentença transitada em julgado, é um processo político. Então garanto que nenhum dos 117 deputados e 30 senadores investigados sobreviverão nessa Casa e deverão ser todos cassados", disse o peemedebista.

No início de sua fala, Cunha disse que, ao ser eleito para presidente da Casa, derrotando o candidato do PT e da oposição, já desagradou aos seus pares e que os incomodou ainda mais ao pautar temas considerados polêmicos, como a terceirização e a redução da maioridade penal.

Cunha afirmou que nunca negou a existência da conta em nome de sua mulher, Cláudia Cruz, também ré no Supremo Tribunal Federal (STF). Ele ressaltou que seus familiares não são parlamentares:

"Nunca neguei a conta da minha esposa, ninguém nunca negou. A conta da minha esposa não é offshore, não é empresa e não é trust, é conta de pessoa física no nome dela", contou.

Cunha criticou a ação cautelar do STF que o afastou do mandato e do cargo de presidente da Câmara. Além de dizer que a situação não tinha previsão regimental e foi uma interferência do Judiciário no Legislativo, ele apelou aos deputados ao dizer que isso, que chamou de abuso, "pode acontecer com qualquer um amanhã".

"Isso é uma afronta à independência dos poderes, isso pode acontecer com qualquer um amanhã. Sempre pensei que aquilo que é absurdo feito contra um parlamentar amanhã pode ser um absurdo cometido contra mim também, e jamais concordei com isso", disse.

Ao discorrer sobre os passos do processo no Conselho de Ética, o peemedebista disse que houve "má-fé" do presidente José Carlos Araújo, que cancelou uma sessão de votação no Conselho por acreditar que não teria número para derrotar Cunha naquele dia. Depois do ocorrido, disse à imprensa que tinha feito "uma manobra do bem".

A sessão foi aberta às 14h45m, com o relator, deputado Ronaldo Fonseca (PROS-DF), apresentando a complementação de seu voto com relação ao aditamento feito por Cunha. A defesa tem 2 horas e 32 minutos para falar. Com a possibilidade de o relatório ser votado ainda nesta terça-feira, o quórum da sessão da CCJ atingiu o máximo: 66 deputados presentes.

O advogado de Cunha, Marcelo Nobre, refutou novamente a acusação de que seu cliente mentiu à CPI da Petrobras ao declarar não ter contas no exterior. Nobre disse que o relator do processo no Conselho de Ética, deputado Marcos Rogério (DEM-RO), fez uma "pirotecnia" para tentar distorcer uma informação em seu parecer.

"Repito: cadê a prova da conta corrente no nome do meu cliente? O relator no Conselho de Ética precisou de 90 páginas para fazer uma construção, uma pirotecnia para tentar dizer que uma coisa era outra, que meu cliente tinha conta e mentiu. E ele não tem, ele não mentiu, essa é uma realidade inconteste", afirmou

Nobre também respondeu ao presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PR-BA), que logo no início da sessão afirmou que as manobras de Cunha atrasaram o andamento do processo, que durou cerca de oito meses. O advogado disse que, ao contrário, foram os recursos regimentais que recolocaram o processo no "trilho da legalidade":

"Temos apontadas 16 ilegalidades (no recurso apresentado), e ouvi me segurando o presidente do Conselho dizer que o processo foi demorado por conta do meu cliente ou dessa defesa. Não admito, não fomos nós que erramos, por isso não dá para aceitar que nossos recursos regimentais sejam considerados manobras. Manobras foram os erros, nós trouxemos esse processo novamente para o trilho da legalidade", rebateu Nobre.

Pouco antes, Araújo deu a entender que a postergação do processo de Cunha no Conselho se deu por conta de manobras feitas pelo deputado afastado e sua defesa.

"A demora de oito meses no Conselho de Ética não foi por erro do Conselho, foi por culpa de manobras e protelações feitas por.. o Brasil inteiro sabe", disse o presidente do Conselho de Ética

O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) comentou a fala de Cunha: "Até aqui, ameaças veladas e reiteradas aos 117 deputados sob inquérito ou ação penal - 'vocês amanhã podem ser eu' - e prosopopeia quanto a aspectos regimentais", disse.

Mais cedo, após o relator ler a complementação de seu voto, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), aliado de Cunha, pediu vista. Serraglio não concedeu, mas Marun quis recorrer e disse que Cunha só foi representado ao Conselho de Ética por ser, à época, presidente da Câmara.

"É óbvio que esse processo só se dirige ao deputado Eduardo Cunha porque ele era o presidente da Casa, até porque, se for pelo princípio de equidade, temos que ter 70, 80 deputados e senadores respondendo a representações no Conselho de Ética", questionou.

A deputada Moema Gramacho (PT-BA) ironizou "denuncia os outros então, deputado".

A CCJ tentará votar nesta terça-feira o parecer em que o relator do caso, deputado Ronaldo Fonseca, recomenda a anulação da votação final do Conselho Ética, por entender que a forma como foi feita não está prevista no Regimento Interno da Câmara dos Deputados. Nesta segunda-feira, o relator havia dito que é provável que a votação fique para agosto, depois do recesso parlamentar, porque há muitos deputados inscritos para falar. Cada membro tem 15 minutos para discursar e não-membros podem falar por dez minutos. Já líderes de partidos podem pedir para falar, e cada um tem um tempo proporcional ao tamanho de sua bancada.

No momento em que Cunha entrava no prédio, de acordo com o G1, uma das pessoas que estava na portaria chamou o peemedebista de "bandido". "Bandido! Cadeia no Cunha! Vai para a cadeia, bandido", disse o homem.

Adversários de Cunha, entre eles o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ), tentarão encerrar a discussão após a fala do décimo inscrito, quando é possível apresentar um requerimento para terminar a discussão e iniciar a votação. O presidente da CCJ, Osmar Serraglio (PMDB-PR), apesar de dizer que apoia a iniciativa, acredita ser improvável que se aprove o requerimento de encerramento de discussão.

Outro possível obstáculo ao andamento da sessão da CCJ desta terça é a sessão plenária. Caso o presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), abra a ordem do dia no plenário, a CCJ é obrigada a encerrar a sessão. Deputados que conversaram com Maranhão, porém, garantem que ele deixará a sessão acontecer normalmente.

"Estamos trabalhando com os partidos da velha e da nova oposição para não dar quórum no plenário para evitar que a ordem do dia interrompa a CCJ. Falamos com PPS, PSDB, DEM, PT e PCdoB", disse Molon.

Na última sexta-feira, Fonseca apresentou à CCJ um complemento de seu voto, em resposta a um aditamento apresentado por Cunha no qual alegava que, por não ser mais presidente da Câmara, apenas deputado, surgia um fato novo depois de sua renúncia.

Apesar de ser considerado aliado do peemedebista, Fonseca admitiu que o aditamento é frágil porque, independentemente de ser presidente da Câmara, o peemedebista é julgado na condição de deputado federal. No aditamento, Cunha alegou ainda que o fato de ter presidido a Casa foi um dos motivos pelos quais o Conselho de Ética pedia a perda de seu mandato.

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook



Enxaqueca não é dor de cabeça; entenda risco maior de AVC e infarto

Trinta milhões de brasileiros têm enxaqueca. E quem mais sofre são as mulheres.

Um estudo feito nos Estados Unidos mostrou que as mulheres que têm enxaqueca correm um risco muito maior de desenvolver doenças cardiovasculares, como infarto e AVC. Mais grave ainda, se elas usam anticoncepcionais.

A enxaqueca é uma doença que pode tornar a pessoa incapacitada. Ela deve ser tratada com muita seriedade e controle porque aumenta o risco de AVC e infarto, assim como a hipertensão, o colesterol alto e o tabagismo.

A enxaqueca é hereditária e, na maioria dos casos, a automedicação pode ser uma cilada.

A dica é registrar as manifestações e crises em um caderno de anotações. Fatores como duração e horários predominantes, intensidade e localização da dor, sintomas acompanhantes, situações desencadeantes, entre outros, devem ser observados.

A alimentação de quem tem enxaqueca deve ser balanceada, com intervalos regulares entre uma refeição e outra. O jejum é um importante desencadeante da cefaleia. Evitar o uso de substâncias estimulantes em excesso, como a cafeína, também é importante, assim como manter uma rotina de sono. Dormir pouco ou muito pode provocar crises.

Fonte: Bem Estar/G1

Curta nossa página no Facebook



Dilma diz que governo interino "é a cara" de Eduardo Cunha

A presidente afastada Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira (13) em entrevista à Rádio Itatiaia de Belo Horizonte que as políticas implementadas pelo governo interino são influenciadas pelo deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Segundo ela, a dependência do presidente interino, Michel Temer, ao ex-presidente da Câmara dos Deputados é tão clara que ninguém se surpreendeu com a notícia de que ambos se reuniram reservadamente numa noite de domingo há algumas semanas. O encontro aconteceu no dia 26 de junho, no Palácio do Jaburu.

"Ninguém pode duvidar que este governo é a cara do Eduardo Cunha. Pode ter três ou quatro pessoas indicadas pelo presidente interino e ilegítimo, mas o conjunto da obra é do Eduardo Cunha", disse.

Sobre a sucessão na presidência da Câmara, em votação que ocorrerá esta noite, Dilma disse que o processo é uma oportunidade para a Casa se reerguer. A petista espera que o resultado reduza a influência de Eduardo Cunha no Congresso. "Tenho certeza que a maioria da Câmara é integrada por deputados que têm compromisso com o país. Espero que eles façam valer essa posição. Porque nós teremos segundo turno. E eu torço para que vença aquele que tiver mais idoneidade e mais independência. E que não seja alguém que tenha votado a favor do impeachment."

Perguntada se está arrependida da aliança com o PMDB, Dilma disse que não. Segunda ela, a legenda tem sua importância na história da democracia brasileira e tem em sua trajetória nomes que precisam ser respeitados como Ulysses Guimarães. No entanto, a presidenta afastada lamentou o que considera uma mudança no perfil do PMDB. "O signo maior da mudança é o deslocamento para a Câmara da força que controlava o PMDB. E dentro dessa força surgiu um elemento muito grave que é a política de Eduardo Cunha", criticou.

Programas
Dilma também não poupou críticas às políticas adotadas pelo governo interino. Segundo ela, Michel Temer não foi eleito para cumprir o programa que está querendo cumprir. "Não foi eleito para extinguir o Ministério da Cultura e depois voltar atrás. Não tiveram votos para isso, não passaram pelo crivo das urnas para defender que no Brasil tenha um programa de saúde com exigências menores do que aqueles que a Agência Nacional de Saúde estipula. Não foi eleito para interromper o Minha Casa, Minha Vida ou o Pronatec", citou.

Segundo Dilma, as pessoas estão perplexas diante das medidas tomadas pelo presidente interino. "Algumas delas são mera continuidade daquilo que nós vínhamos fazendo. Mas outras medidas representam uma grande ruptura com os direitos coletivos e individuais das pessoas."

Defesa
Na entrevista, Dilma disse que irá ao plenário do Senado fazer sua defesa no processo de impeachment. Na comissão que analisa as denúncias contra ela, a defesa de Dilma foi feita por seu advogado, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, que leu um texto da petista.

"Não fui à comissão porque ali não estão todos os senadores. E eu preciso do voto do conjunto dos senadores", justificou. Dilma disse que considera o momento duro. "Ao mesmo tempo, acredito muito na minha volta. Estou lutando para persuadir o Senado das razões que estão do meu lado", disse a presidente afastada.

Dilma voltou a classificar de golpe o processo de impeachment, mas fez uma diferenciação em relação aos acontecimentos políticos de 1964, quando os militares tomaram o poder no país. "Se a democracia fosse uma árvore, no caso da ditadura militar se corta o tronco com um machado. Acaba a democracia, a liberdade de imprensa, o direito de organização, os direitos políticos das pessoas, o habeas corpus, etc", comparou.

"Agora os estudiosos chamam de golpe branco ou golpe frio, que é um golpe que se dá no confronto entre os dois poderes, o Legislativo e o Executivo. É como se essa árvore fosse atacada por parasitas e esses parasitas contaminam as instituições. Daí a importância de se respeitar as instituições. Você pode não concordar com as instituições, mas elas estão lá", acrescentou.

Fonte: Terra (Com informações da Agência Brasil)

Curta nossa página no Facebook



13 sinais de que seu colega de trabalho te odeia secretamente

As relações interpessoais no ambiente de trabalho costumam ser uma caixinha de surpresa: às vezes, por mais legal que seu colega seja, o que ele mais quer é puxar o seu tapete. Quem aí nunca teve um parceiro no qual não confia/confiava nem um pouquinho? Em alguns casos, as rixas são declaradas, mas, em geral, o seu falso amigo prefere agir à surdina.

“A maioria dos colegas de trabalho não vai abertamente mostrar o seu desdém para você, de modo a não causar problemas ou pôr em risco suas próprias carreiras. Eles podem tornar a sua vida difícil, mas provavelmente vão tentar permanecer sob o radar”, explicou Lynn Taylor, especialista em ambientes de trabalho e autora de um livro sobre como prosperar em seu escritório.

Lynn ressalta que é impossível agradar a todos, principalmente no âmbito profissional, mas é possível identificar sinais de que alguém não vai muito com a sua cara e, talvez, tentar mudar algum comportamento. O ideal é você dar o benefício da dúvida, continuar sempre sendo cordial e se comunicar abertamente. Mesmo assim, anote algumas dicas para identificar quando alguém não gosta de você:

1. Confie no seu instinto
Às vezes, pode ser apenas pira da sua cabeça! Porém, se você notar que algum colega trata você diferente de todo o resto do escritório, pode ser que exista algo errado na relação.

2. Seu colega rouba as suas ideias
Existem pessoas que adoram roubar as ideias de todo mundo no escritório; no entanto, se você notar que algum colega está apenas passando a rasteira em você, fique esperto: pode ser um indício que ele te quer fora da empresa.

3. Contato visual
Manter o contato visual com alguém que você não gosta é uma tarefa difícil. Então, se você vir que alguém não consegue te olhar nos olhos, fique preparado: pode ser sinal de que a pessoa está com medo de que você descubra o segredinho de que ela não gosta de você!

4. Falta de sorrisos
Acordar de mau humor é normal; porém, quando isso é frequente na sua presença, pode ser que seu colega esteja tentando não demonstrar nenhum tipo de felicidade na sua presença.

5. Respostas curtas
Outro sinal claro é quando o colega é extremamente seco contigo. Às vezes, você repara que ele é bem comunicativo com todo mundo, mas com você as respostas são sempre curtas. Fique atento!

6. Você não faz parte da panelinha
As panelinhas existem desde os tempos de escola e servem para unir as pessoas que dividem afinidades. Quando algum colega parece deliberadamente tentar te excluir desses círculos, pode ser um sinal claro de que ele não te quer por perto.

7. Seu colega te evita
Você já notou alguém pegar as escadas enquanto você espera o elevador? Ou mudar o caminho para não cruzar contigo? Então você tem um “inimigo” na empresa que nem é tão oculto assim.

8. Síndrome de chefia
Se o seu colega está te dando muitas ordens mesmo sem ter poder algum para isso, pode ser um sinal de que ele quer é ser superior a você.

9. Eles emitem linguagens corporais negativas
Braços cruzados e olhos rolando são sinais corporais de que você está evitando alguém. Pode ser até inconsciente, portanto repare se alguém faz isso constantemente na sua presença. Em caso afirmativo, saiba que ele não gosta muito de você.

10. Discordância excessiva
Você não precisa estar certo em tudo o que você fala, mas se aquele colega faz questão de discordar de todas as suas opiniões, você já sabe, né? É sinal de que ele não está nem um pouco a fim de ser seu amigo.

11. Desinteresse por sua vida pessoal
Boa parte do seu dia é dedicada ao trabalho, por isso é natural que você converse com seus colegas sobre problemas pessoais e domésticos. Caso a pessoa que se diz seu colega nunca tenha perguntado nada, é porque ela não tem interesse nenhum na sua vida nem em você. Pense nisso!

12. Eles te estimulam a sair da empresa
Se alguém vier com um papinho de uma vaga interessante em outra empresa que é a “sua cara” ou ficar superentusiasmado caso você fale de alguma proposta da concorrência, pode ser um sinal claro de que ele quer que você suma da vida dele!

13. Eles te deduram sem dó
Errar é humano, mas seus erros devem ser assumidos por você mesmo. Caso tenha algum colega que vive te dedurando ao chefe, fique esperto porque ele está tentando cavar a sua demissão.

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook



Professor Ricardo Ness é nomeado reitor Pro tempore da UFCA

O professor Ricardo Luiz Lange Ness é o novo reitor Pro tempore da Universidade Federal do Cariri (UFCA). A nomeação, publicada no Diário Oficial da União, foi assinada pelo ministro da Educação, Mendonça Filho. Ness assume após a redistribuição da professora Suely Salgueiro Chacon para a Universidade Federal do Ceará (UFC).

No Cariri, ele foi coordenador do curso de Agronomia, quando a instituição ainda era UFC Cariri, vice-diretor e diretor do campus. Desde agosto de 2013, após a criação da Universidade Federal do Cariri, ocupava o cargo de vice-reitor Pro tempore da UFCA.

Perfil
Ricardo Luiz Lange Ness é natural de Pelotas (RS) e radicado no Ceará desde 1980. É graduado em Agronomia (1985) pela Universidade Federal do Ceará (UFC), tem mestrado (1989) em Agronomia – Solos e Nutrição de Plantas pela UFC e doutorado (1998) em Ciências Agrária pela Georg-August Universität – Göttingen, Alemanha.

Foi professor da Faculdade de Tecnologia CENTEC – FATEC de Limoeiro do Norte, hoje campus de Limoeiro do Instituto Federal do Ceará (IFCE), e da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Ingressou na UFC por concurso para o campus Cariri em agosto de 2006. Em agosto de 2013, assumiu o cargo de vice-reitor Pro tempore na então recém-criada UFCA.

Curta nossa página no Facebook



Addthis