Eleições 2018: Lula, 37%; Bolsonaro, 18%; Marina, 6%; Ciro, 5%; Alckmin, 5%, segundo Ibope

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (20) apurou os percentuais de intenção de voto para presidente da República em dois cenários com candidatos diferentes do PT – o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no primeiro cenário e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad no segundo.

Cenário com Lula
No cenário que inclui como candidato do PT o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a pesquisa apresentou o seguinte resultado:

  • Luiz Inácio Lula da Silva (PT): 37%
  • Jair Bolsonaro (PSL): 18%
  • Marina Silva (Rede): 6%
  • Ciro Gomes (PDT): 5%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 5%
  • Alvaro Dias (Podemos): 3%
  • Eymael (DC): 1%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 1%
  • Henrique Meirelles (MDB): 1%
  • João Amoêdo (Novo): 1%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 0
  • Vera (PSTU): 0
  • João Goulart Filho (PPL): 0
  • Branco/nulos: 16%
  • Não sabe/não respondeu: 6%


A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal "O Estado de S.Paulo". É o primeiro levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

Cenário com Haddad
Lula está preso em Curitiba, condenado em segunda instância no caso do triplex no Guarujá. Pela Lei da Ficha Limpa, ele está inelegível.

Por essa razão, a Procuradoria Geral da República impugnou (questionou) a candidatura.

O caso está sendo analisado pelo ministro Luís Roberto Barroso e será decidido pelo TSE depois de ouvir a defesa de Lula, a favor do registro da candidatura.

Em razão desse quadro jurídico, o Ibope pesquisou outro cenário, com o atual candidato a vice na chapa de Lula, Fernando Haddad.

Nesse cenário, o resultado seria:
  • Jair Bolsonaro (PSL): 20%
  • Marina Silva (Rede): 12%
  • Ciro Gomes (PDT): 9%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 7%
  • Fernando Haddad (PT): 4%
  • Alvaro Dias (Podemos): 3%
  • Eymael (DC): 1%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 1%
  • Henrique Meirelles (MDB): 1%
  • João Amoêdo (Novo): 1%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 1%
  • Vera (PSTU): 1%
  • João Goulart Filho (PPL): 1%
  • Branco/nulos: 29%
  • Não sabe/não respondeu: 9%

Sobre a pesquisa
  • Margem de erro: dois pontos percentuais para mais ou para menos
  • Quem foi ouvido: 2002 eleitores em 142 municípios
  • Quando a pesquisa foi feita: de 17 a 19 de agosto
  • Registro no TSE: protocolo nº BR‐01665/2018
  • O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro;
  • 0% significa que o candidato não atingiu 1%; traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado.

Fonte: G1

Curta nossa página no Facebook

Manifestantes protestam contra morte de Silvany, assassinada por seu ex-companheiro em Crato

“Chega de violência!”, “Basta!”, “Silvany presente!”, foram algumas das frases gritadas por dezenas de mulheres que se reuniram, na noite desta segunda-feira (20), em manifestação contra o assassinato de Silvany Inácio de Sousa, de 26 anos, morta pelo seu ex-companheiro, Elson Siebra, 47, na noite anterior, na Praça da Sé. Aproximadamente 600 pessoas participaram do ato.

Organizada pela Frente de Mulheres do Cariri, a manifestação, que teve início às 18h, foi marcada por muita emoção. O grupo levou cartazes, flores e velas para o banco da praça onde Silvany foi assassinada com três tiros, na frente de seu filho. Em vigília, as pessoas rezaram um terço e, em seguida, utilizaram o microfone para gritar palavras de ordem pedindo o fim do feminicídio.

Mais tarde, os manifestantes ocuparam um dos palanques que estão sendo utilizados durante a festa de Nossa Senhora da Penha, padroeira do Crato, ocupando a Rua Dom Quintino, em frente a Igreja Matriz. O ato teve fim às 20h.

Além da manifestação, o Colégio Pequeno Príncipe, onde Silvany trabalhava como cuidadora de crianças, decretou luto e cancelou as aulas nesta segunda-feira em homenagem a sua funcionária.

O crime
Segundo testemunhas, Silvany foi morta enquanto estava sentada na Praça da Sé, ao lado de seu filho. O acusado efetuou três disparos a queima-roupa, fugindo em seguida para uma casa próxima ao local do crime. Minutos depois, Elson Siebra de Deus foi preso em flagrante pelo Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), na posse de três armas de fogo – sendo duas espingardas e um revólver – e munições.

Ao ser questionado sobre a motivação do crime, ele teria dito aos policiais militares que não aceitava o fim do relacionamento, que ocorreu há cerca de três meses.

ANTONIO RODRIGUES
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

21 de agosto

1770 - O capitão James Cook, no fim da sua viagem de descoberta da Austrália, reclama o continente em nome do Império Britânico.
1959 - O presidente Eisenhower anuncia o ingresso do Havaí na União, como o 50° Estado norte-americano.
1968 - Tropas do Pacto de Varsóvia invadem a Tchecoslováquia, pondo fim à Primavera de Praga.

Nasceram neste dia…
1643 - Afonso VI, rei de Portugal (m. 1683).
1789 - Augustin-Louis Cauchy, matemático francês (m. 1857)
1921 - Milton Ribeiro, ator brasileiro (m. 1972).

Morreram neste dia…
1940 - Leon Trótski, revolucionário ucraniano (n. 1879).
1986 - Alexandre O'Neill, poeta surrealista português (n. 1924).
1989 - Raul Seixas (foto), poeta e músico brasileiro (n. 1945).

Fonte: Wikipédia

Filhos de Bolsonaro têm evolução patrimonial elevadíssima nos últimos quatro anos

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, 63, está no terceiro casamento e tem cinco filhos. Três são políticos e dois deles são candidatos nas eleições de outubro: Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), 37, candidato a senador pelo Rio de Janeiro, e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), 34, candidato à reeleição.

Os três políticos da família tiveram uma evolução patrimonial elevada ao nos últimos, de acordo com a declaração de bens apresentada ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Jair Bolsonaro ampliou os bens em 168% desde 2006; Eduardo, 432% desde 2014, e Flávio, 55% desde 2010. Os integrantes da família ampliaram o patrimônio basicamente com a aquisição de imóveis: casas e apartamentos. A reportagem do UOL entrou em contato com os políticos e também com o PSL, mas não obteve retorno até a publicação.

Eleito pela primeira vez deputado em 2014, Eduardo Bolsonaro declarou à Justiça Eleitoral, naquele ano, patrimônio de R$ 205 mil, o equivalente a R$ 262 mil hoje (em valores corrigidos pelo IPCA, índice oficial de inflação). Neste ano, o candidato declarou possuir bens que totalizam R$ 1,395 milhão, expansão de 432% no período.

Há quatro anos, Eduardo Bolsonaro declarou ser dono de apenas dois bens: um apartamento (R$ 160 mil) e um veículo (R$ 45 mil). Agora, o patrimônio do parlamentar ainda inclui depósitos bancários, aplicações financeiras e um apartamento de R$ 1 milhão.

Já o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), quando eleito pela primeira vez em 2010 para a cadeira que ocupa na Assembleia Legislativa fluminense, apresentou à Justiça Eleitoral um patrimônio de R$ 690,978 mil, o equivalente a R$ 1,124 milhão em valores de hoje. Este ano, o candidato ao Senado apresentou patrimônio de R$ 1,742 milhão, um montante 55% maior.

O patrimônio declarado à Justiça Eleitoral do candidato a presidente pelo PSL aumentou 168% desde 2006, quando reelegeu-se deputado federal pelo Rio de Janeiro, de acordo com os dados disponibilizados pelo TSE.  O patrimônio de Jair Bolsonaro (PSL-RJ) pulou de R$ 433 mil, o equivalente a R$ 851 mil hoje, para R$ 2,286 milhões. Os bens do deputado apresentados este ano à Justiça incluem cinco casas no valor de R$ 1,384 milhão. Em 2006, Jair Bolsonaro apresentou somente um sala no valor de R$ 73 mil.

No entanto, na comparação com 2014, o valor apresentado caiu. À época, ele afirmou ter R$ 2,6 milhões (em valores corrigidos pela inflação). Ou seja, o patrimônio do candidato caiu cerca de R$ 300 mil.

Em janeiro deste ano, a Folha de S.Paulo revelou que os três Bolsonaros com mandatos de deputado são donos de 13 casas e apartamentos em áreas nobres do Rio de Janeiro, avaliados em pelo menos R$ 15 milhões, que registram preço de aquisição abaixo do valores praticados no mercado imobiliário do Rio de Janeiro.

De acordo com dados do TSE, Bolsonaro é o sétimo presidenciável com maior patrimônio. Veja os bens declarados pelos presidenciáveis:
  • João Amoêdo (Novo): R$ 425 milhões
  • Henrique Meirelles (MDB): R$ 377 milhões
  • João Goulart Filho (PPL): R$ 8,6 milhões
  • Luiz Inácio Lula da Silva (PT): R$ 7,9 milhões
  • Eymael (DC): R$ 6,1 milhões
  • Alvaro Dias (Podemos): R$ 2,9 milhões
  • Jair Bolsonaro (PSL): R$ 2,3 milhões
  • Ciro Gomes (PDT): R$ 1,6 milhão
  • Geraldo Alckmin (PSDB): R$ 1,3 milhão
  • Marina Silva (Rede): R$ 118 mil
  • Vera Lúcia (PSTU): R$ 20 mil
  • Guilherme Boulos (PSOL): R$ 15,4 mil
  • Cabo Daciolo (Patriota): já apresentou o registro, mas não há relação de bens

Outro lado
O UOL ligou para os telefones celulares de Jair e Eduardo Bolsonaro, na sexta-feira (17) e nesta segunda-feira (20), mas os aparelhos estavam "desligados ou fora de área".

A reportagem também entrou em contato nesta segunda-feira com as assessorias de imprensa dos deputados Jair e Eduardo Bolsonaro, na Câmara dos Deputados, e foi informada que, por conta do período eleitoral, o PSL comentaria a questão.

A reportagem ligou diversas para os telefones que constam no site do PSL nesta segunda-feira (20), mas as chamadas não foram atendidas.

O gabinete do deputado estadual Flávio Bolsonaro, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, também foi contatado nesta segunda-feira (20), e ficou de retornar para comentar a questão.

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook

Tears For Fears - Everybody Wants To Rule The World


Eleições 2018: Lula lidera com 37% das intenções de voto, aponta pesquisa CNT/MDA

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera as intenções de voto nas eleições presidenciais de outubro, com 37,3%. A pesquisa foi realizada pelo instituto MDA, encomendada pela CNT (Confederação Nacional de Transportes), e divulgada nesta segunda-feira (20).

Segundo a pesquisa, o ex-presidente é seguido pelo deputado Jair Bolsonaro (PSL), que aparece com 18,8% das intenções de voto. Na sequência vêm a candidata Marina Silva (Rede), com 5,6%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 4,9%, e Ciro Gomes (PDT), com 4,1%.

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 estados, entre a última quarta-feira (15) e este sábado (18). A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Confira a lista completa com os 13 candidatos na pesquisa estimulada:

Lula (PT) - 37,3%

Jair Bolsonaro (PSL) – 18,8%

Marina Silva (Rede) – 5,6%

Geraldo Alckmin (PSDB) – 4,9%

Ciro Gomes (PDT) – 4,1%

Alvaro Dias (Podemos) – 2,7%

Guilherme Boulos (PSOL) – 0,9%

João Amoêdo (Novo) – 0,8%

Henrique Meirelles (MDB) – 0,8%

Cabo Daciolo (Patriota) – 0,4%

Vera (PSTU) – 0,3%

João Goulart Filho (PPL) – 0,1%

José Maria Eymael (DC) – 0%

Branco/Nulo – 14,3%

Indeciso – 8,8%

1º turno: Intenção de voto espontânea

​Lula: 20,7%

Jair Bolsonaro: 15,1%

Geraldo Alckmin: 1,7%

Ciro Gomes: 1,5%

Alvaro Dias: 1,3%

Marina Silva: 1,1%

Outros: 1,4%

Branco/Nulo: 18,1%

Indecisos: 39,0%

• Entre os eleitores de Lula, 82,3% consideram o voto como definitivo e 17,7% consideram que pode mudar.

• Entre os eleitores de Jair Bolsonaro, 70,7% consideram o voto como definitivo e 29,3% consideram que pode mudar.

• Entre os eleitores de Marina Silva, 33,9% consideram o voto como definitivo e 66,1% consideram que pode mudar.

• Entre os eleitores de Geraldo Alckmin, 36,7% consideram o voto como definitivo e 63,3% consideram que pode mudar.

• Entre os eleitores de Ciro Gomes, 37,3% consideram o voto como definitivo e 62,7% consideram que pode mudar.

• Entre os eleitores de Alvaro Dias, 64,8% consideram o voto como definitivo e 35,2% consideram que pode mudar.

• Caso o ex-presidente Lula seja impedido de concorrer a presidente da República, dos 37,3% que afirmam votar nele na pergunta estimulada, 17,3% iriam para Fernando Haddad, 11,9% para Marina Silva, 9,6% para Ciro Gomes, 6,2% para Jair Bolsonaro, 3,7% para Geraldo Alckmin, 0,8% para Guilherme Boulos, 0,7% para Alvaro Dias, 0,7% para Henrique Meirelles, 0,5% para Vera; 0,3% para Cabo Daciolo, 0,3% para João Amoêdo, 0,1% para João Goulart Filho, 31,3% para branco/nulo e 16,6% se declaram indecisos

• 48,2% dos entrevistados consideram que o candidato a vice-presidente da República é muito importante na escolha do candidato a presidente. 23,8% avaliam que tem importância média. O restante considera que o nome do vice-presidente é pouco importante (11,2%) ou não tem qualquer importância (14,0%) na definição do voto.

2º Turno: Intenção de voto estimulada

CENÁRIO 1: Lula 49,4%, Ciro Gomes 18,5%, Branco/Nulo: 27,2%, Indecisos: 4,9%.

CENÁRIO 2: Lula 49,5%, Geraldo Alckmin 20,4%, Branco/Nulo: 25,2%, Indecisos: 4,9%.

CENÁRIO 3: Lula 50,1%, Jair Bolsonaro 26,4%, Branco/Nulo: 19,1%, Indecisos: 4,4%.

CENÁRIO 4: Lula 49,8%, Marina Silva 18,8%, Branco/Nulo: 26,7%, Indecisos: 4,7%.

CENÁRIO 5: Jair Bolsonaro 29,4%, Ciro Gomes 28,2%, Branco/Nulo: 32,7%, Indecisos: 9,7%.

CENÁRIO 6: Jair Bolsonaro 29,4%, Geraldo Alckmin 26,4%, Branco/Nulo: 35,0%, Indecisos: 9,2%.

CENÁRIO 7: Jair Bolsonaro 29,3%, Marina Silva 29,1%, Branco/Nulo: 33,3%, Indecisos: 8,3%.

CENÁRIO 8: Ciro Gomes 26,1%, Marina Silva 25,2%, Branco/Nulo: 40,0%, Indecisos: 8,7%.

CENÁRIO 9: Marina Silva 26,7%, Geraldo Alckmin 23,9%, Branco/Nulo: 40,8%, Indecisos: 8,6%.

CENÁRIO 10: Ciro Gomes 25,3%, Geraldo Alckmin 22,0%, Branco/Nulo: 42,6%, Indecisos: 10,1%.

Limite de voto – Presidência da República

Alvaro Dias: é o único em quem votaria 1,6%; é um candidato em quem poderia votar 11,5%; não votaria nele de jeito nenhum 27,9%; não o conhece/não sabe quem é/ nunca ouviu falar 55,2%.

Ciro Gomes: é o único em quem votaria 2,3%; é um candidato em quem poderia votar 37,6%; não votaria nele de jeito nenhum 44,1%; não o conhece/não sabe quem é/ nunca ouviu falar 11,6%.

Geraldo Alckmin: é o único em quem votaria 2,3%; é um candidato em quem poderia votar 33,6%; não votaria nele de jeito nenhum 52,5%; não o conhece/não sabe quem é/ nunca ouviu falar 6,9%.

Henrique Meirelles: é o único em quem votaria 0,3%; é um candidato em quem poderia votar 8,5%; não votaria nele de jeito nenhum 46,8%; não o conhece/não sabe quem é/ nunca ouviu falar 40,5%.

Jair Bolsonaro: é o único em quem votaria 13,7%; é um candidato em quem poderia votar 21,6%; não votaria nele de jeito nenhum 53,7%; não o conhece/não sabe quem é/ nunca ouviu falar 7,4%.

Lula: é o único em quem votaria 31,4%; é um candidato em quem poderia votar 24,2%; não votaria nele de jeito nenhum 41,9%; não o conhece/não sabe quem é/ nunca ouviu falar 0,6%.

Marina Silva: é a única em quem votaria 2,8%; é uma candidata em quem poderia votar 38,0%; não votaria nela de jeito nenhum 52,7%; não a conhece/não sabe(m) quem é/ nunca ouviu falar 2,6%.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

URCA realiza II Semana do Curso de Licenciatura em Teatro

Entre os dias 22 a 24 de agosto, o Centro de Artes Reitora Maria Violeta Arraes de Alencar Gervaiseau da Universidade Regional do Cariri (URCA) recebe a II Semana do Curso de Licenciatura em Teatro. De caráter extensionista e de pesquisa, o evento anual acontecerá durante os turnos manhã, tarde e noite, promovido pelo próprio curso.

Em sua segunda edição, pretende discutir as noções de ética e estética direcionadas ao pensamento da produção teatral contemporânea. Para tanto, o tema será Ética e Estética: Entre a Autonomia e o Inter(dito) nos Processos Criativos. Seguindo esse desejo, a II Semana do Curso de Licenciatura em Teatro caracteriza-se como um espaço de intercâmbio, renovação, debate e reafirmação dos saberes envolvidos nas práticas artísticas, docentes e de pesquisa teatrais.

Segue programação em anexo, a qual contará com diversas atividades que integrarão a participação de professores, alunos e comunidade externa, tais como: diálogos entre licenciaturas, grupos de trabalho, rodas de saberes com egressos, oficinas, lançamento de livros e apresentações de espetáculos.

Curta nossa página no Facebook

Banco do Nordeste prepara edital para concurso público

No mês de setembro, o Banco do Nordeste deve lançar edital de concurso público destinado à seleção de servidores da instituição financeira em cargos de níveis médio e superior. A seleção se dará para os cargos de analista bancário (nível médio) e especialista técnico - analista de sistemas (nível superior). O período de inscrições se iniciará logo após a publicação do edital.

Para concorrer ao cargo de analista bancário, o interessado deverá ter concluído o ensino de nível médio até a data de término da qualificação para a posse, com certificado emitido por instituição de ensino devidamente reconhecida pelo órgão competente.

Em relação ao cargo de especialista técnico - analista de sistemas, será exigido formação em nível superior ou sequencial, reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC). Podem concorrer graduados em ciência da computação, engenharia da computação, engenharia da informação, informática, sistemas de informações, tecnologia da informação, processamento de dados, segurança da informação ou tecnologia em telemática.

Também podem se candidatar graduados em outras áreas, desde que possuam curso de pós-graduação (stricto ou lato sensu) na área de informática e/ou segurança da informação, com carga horária mínima de 360 horas.

Os candidatos selecionados poderão compor o quadro de funcionários do Banco do Nordeste, que possui hoje 292 agências distribuídas em todo o Nordeste, além do norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo. O número ce vagas e os salários serão divulgados com a publicação do edital do concurso.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook

Na Chapada do Araripe, agricultura familiar reinventa as suas práticas

"Nasci e me criei na roça", frase comum entre os agricultores familiares. No entanto, as práticas de plantação, cultivo e colheita aprendidas com os pais vão se aperfeiçoando, no Cariri cearense, a partir de capacitações, encontros e intercâmbios entre os produtores rurais, promovidas pelas entidades que trabalham no campo e com a implantação de tecnologias sociais. Nestes dois municípios, por exemplo, no sopé da Chapada do Araripe e em seu topo, as pessoas vão descobrindo novas formas de plantar e o potencial de sua terra para outras culturas.

No meio da Floresta Nacional do Araripe (Flona), por todos os lados, é possível encontrar barreiros secos entre algumas casas abandonadas. Mas lá também fica o Sítio Catolé, nos limites dos municípios de Nova Olinda e Santana do Cariri. A comunidade se notabilizou pela mandiocultura, primeiro porque o solo mais arenoso favorece a produção do tubérculo; segundo, a água da chuva infiltra rapidamente na Chapada do Araripe, impedindo que o recurso hídrico seja retido para irrigação de outras culturas.

É a mandioca a responsável pelo desenvolvimento da comunidade. A partir da Associação dos Pequenos Produtores Rurais da Serra do Catolé, muitas famílias sobrevivem com a produção de farinha e goma, vendidas nas feiras de Santana do Cariri, Nova Olinda e Crato. Todo dia, a casa de farinha comunitária é ocupada por uma família diferente que, a partir de uma escala, utiliza o equipamento. Parte da renda mantém o local e o restante fica com os moradores.

É naquele chão que a agricultora Francineide Bezerra, junto de sua família, raspa a mandioca desde as 6 horas da manhã. "A gente arranca a mandioca que planta aqui mesmo", conta. Apesar de morar há pouco tempo no Catolé, ela já se adaptou à cultura da comunidade. "O emprego da gente tem que ser isso aqui, porque não tem outro", justifica. Cada um faz seus produtos e, às vezes, o responsável paga uma diária para outros moradores ajudarem na fabricação de farinha e goma. "É uma animação, com todo mundo reunido. O dia passa que nem damos fé. Só fica com muita dor nas costas, mas é bom", brinca a agricultura.

Além da mandioca, os agricultores produzem andu e feijão, mas, a maioria, para o próprio consumo. "É muito pouco. Não dá para vender", justifica Francineide. Há alguns anos, a chegada das cisternas transformou o Semiárido, seja para garantir o consumo de água, com as de 16 mil litros, ou para irrigação, nas chamadas "segunda água", de até 52 mil litros. Isso potencializou a produção de outras culturas, a partir do incentivo da criação de hortas. Na Chapada, eles ainda contam com a colheita dos além dos frutos, como caju e manga, entre outros.

"Aqui, o forte sempre foi a mandioca", garante o agricultor José Valdo, 47. Na sua infância, além do tubérculo, as vendas de carvão e andu eram exploradas no Catolé. Nascido e criado na comunidade, ele começou a trabalhar na roça aos 10 anos, limpando carreira de mandioca com seus irmãos a pouco mais de uma légua de onde hoje mora com sua esposa e sete filhos. "Nunca fui para a cidade para trabalhar ou a favor de ninguém", pontua.

Apesar de não dispensar a mandioca, principalmente entre os meses de julho e setembro, quando também produz farinha e goma, ele resolveu diversificar sua produção com a chegada das cisternas. "Hoje, a gente planta outras coisas, como hortaliça. Também tem bastante fruta que, na minha infância, não tinha", lembra José Valdo. Sua esposa, a agricultura Maria Lourdes Rodrigues, 43, fica responsável pela horta, mas também apanha a fava no quintal de casa.

"Hoje está bem melhor. As roças eram longe de casa. Tinha que ir a pé, de cabaça nas costas com água. Sempre foi sofrida a nossa vida. Com as cisternas, descansou mais. Antes, quando Zé saía da roça, 5 horas, em vez de me ajudar, dar comida aos porcos, galinhas, ia pra caixa buscar água para ainda banhar menino e fazer o almoço do outro dia", conta Lourdes. Apesar de a cisterna ser importante para transformar, na própria comunidade, tem quem possua a estrutura mas não plante.

Lourdes, pelo contrário, não desanima, mesmo com o ataque recente dos passarinhos em sua horta. "Tiro coentro, alface, tomatinhos", descreve. Sua rotina começa cedo, por volta das 5h, fazendo a merenda e colocando o feijão no fogo. Em seguida, rega as verduras e legumes, dá comida aos porcos e ajuda as crianças nas tarefas escolares. Também não deixa de lado a roça, indo quebrar milho. "Só não vou limpar mato, porque trabalho demais", suspira.

Desde 2003, José Valdo leva goma e farinha para vender no Crato. Foi aí que as coisas começaram a melhorar. "Já fui tão humilhado naquela feira. Lutava para vender um saco de farinha para fazer feira para cinco, seis crianças. Sinceramente, quando lembro o que passei com essa mulher, hoje estou no céu", declara. Desde então, largou a feira tradicional e se juntou à Feira Agroecológica da Associação Cristã de Base (ACB). "Tem pessoas que compram diretamente daqui", completa.

Mudanças
José Valdo acredita que uma importante mudança ajudou na sua saúde: o fim do uso do agrotóxico. "Essas feiras, capacitações, tiraram, não só eu, mas outras pessoas do veneno. Eu considero minhas coisas orgânicas, mas, se não fossem as capacitações, eu estaria na mesma situação", acredita o agricultor. Há oito anos, resolveu experimentar o café na Chapa do Araripe e dele, toda safra, tira até 30Kg no seu quintal. É pouco, admite, mas é uma opção mais saudável. "No lugar de comprar um café que não sei a origem, tomo do meu que eu sei que é orgânico. Aqui não uso veneno. A única coisa que uso quando dá praga é a manipueira da mandioca e o nim", descreve.

Renovação
No sopé da Chapada do Araripe a realidade é diferente. As inúmeras nascentes são utilizadas na irrigação de uma produção rica e diversificada. É o caso do Sítio Cabeça e Lopes, próximo ao Engenho Bebida Nova, em Crato. Lá, no meio da mata fechada, uma infinidade de frutos, verduras e legumes é cultivada por Ronaldo Pereira, 36. Há 10 anos trabalha com horta e viu a venda transformar a sua vida.

"Sempre trabalhei com agricultura, desde que me entendi por gente. Não na parte de horta, nas roças. Era agricultor de sequeiro: milho, feijão, fava, amendoim", lembra. Na época que ajudava seu pai, eram comuns as queimadas antes da plantação. "A gente tinha como hábito. Hoje, diminuiu bastante", completa. Casado e pai de uma criança de nove anos, Ronaldo, que vai de bicicleta de casa até as hortas, possui um carro para escoar seus produtos, que vende em três feiras orgânicas no Município.

A área que trabalha é arrendada por alguns anos e uma porcentagem mensal é do proprietário. Mesmo assim, consegue garantir o sustento dele, seu irmão e mais dois sobrinhos, que se revezam nas tarefas do campo. Lá tem beterraba, rabanete, cenoura, batata-doce, macaxeira, três tipos de alface (americana, crespa e roxa), couve, rúcula, coentro, cebolinha, brócolis, salsinha, berinjela, pimentão, hortelã, manjericão, tomilho, orégano, tomate cereja, alho poró.

Lá, ele divide a plantação em três áreas, pois cada uma requer um tipo diferente de solo. "Na medida em que trabalha a terra vai identificando, meio que no olho mesmo, que cultura vai se adaptando ali. Nas áreas mais arenosas, introduz cenoura. Nas mais argilosas, berinjela, jiló.

Apoio

Pronaf - Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar
Financiamento à implantação, ampliação ou modernização da estrutura de produção, beneficiamento, industrialização e de serviços no estabelecimento rural ou em áreas comunitárias próximas, visando à geração de renda e à melhora do uso da mão de obra familiar

PAA - Programa de Aquisição de Alimentos
Compra alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação, e os destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional e àquelas atendidas pela rede socioassistencial, pelos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional e pela rede pública e filantrópica de ensino

ANTONIO RODRIGUES
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Eleições 2018: Lula lidera no Ceará com 56% das intenções de voto, mostra Ibope

Conforme pesquisa do Ibope divulgada nesta sexta-feira, 17, o ex-presidente Lula (PT) tem a preferência do eleitorado do Ceará, apesar da incerteza de se ele poderá de fato ser candidato devido à Lei da Ficha Limpa. O petista lidera com 56% das intenções de voto do Estado, seguido por Ciro Gomes (PDT), com 15%.

Em um cenário em que Lula não possa concorrer, o candidato do PDT sobe à liderança, com 39% das intenções de voto. Pesquisa foi encomendada pelo Sistema Verdes Mares e feita com 1.204 pessoas de diferentes sexto, idade e escolaridade. Está registrada na Justiça Eleitoral com o número CE-04197/2018.

O vice de Lula, Fernando Haddad, tem  apenas 2% das intenções de voto dos cearenses caso o ex-presidente não possa concorrer. Com Lula retirado da disputa presidencial, o número de votos brancos e nulos no Ceará salta de 6% para 17%. Nesse cenário, Bolsonaro, antes com 9% das intenções de voto, passa a ocupar o segundo lugar, com 14%.

Os candidatos Cabo Daciolo (Patriota), Eymael (DC), Guilherme Boulos (Psol), Henrique Meirelles (MDB), Vera Lúcia (PSTU) e João Goulart Filho (PPL) não pontuam caso Lula possa concorrer. Sem Lula, Cabo Daciolo, Vera e João Goulart Filho ganham 1% de intenção de voto. 

Confira os números

Com Lula
Lula - 56%
Ciro Gomes - 15%
Jair Bolsonaro - 9%
Marina Silva - 5%
Branco/Nulo - 6%
Não sabe/Não respondeu - 4%
Geraldo Alckmin - 2%
João Amoedo e Álvaro Dias - 1%
Cabo Daciolo, Eymael, Guilherme Boulos, Henrique Meirelles, Vera e João Goulart Filho - 0%

Sem Lula
Ciro Gomes - 39%
Branco/Nulo - 17%
Jair Bolsonaro - 14%
Marina Silva - 11%
Não sabe/Não respondeu - 7%
Geraldo Alckmin - 5%
Fernando Haddad - 2%
Álvaro Dias, Cabo Daciolo, Vera e João Goulart Filho - 1%
Eymael, Guilherme Boulos, Henrique Meirelles e João Amoedo - 0%

Fonte: O Povo

Curta nossa página no Facebook

Mulher é assassinada a tiros pelo companheiro na praça da Sé, em Crato

Um homem matou a sua companheira a tiros, na Praça da Sé, em Crato, no Cariri, na noite deste domingo (19). Minutos após o crime, ele foi detido por equipes da Polícia Militar do Ceará (PMCE).

Segundo o comandante do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), tenente Régis, o suspeito Elson Siebra de Deus, de 47 anos, foi preso em flagrante, na posse de três armas de fogo - sendo duas espingardas e um revólver - e munições.Policiais militares do BPRaio e do Policiamento Ostensivo Geral (POG) participaram da operação.

A vítima foi identificada como Silvany Sousa, cuidadora do Colégio Pequeno Príncipe. O estabelecimento educacional decretou luto e não haverá aula na próxima segunda-feira (20).

Segundo testemunhas, o crime foi presenciado pelo filho do casal. Após efetuar os disparos, o assassino entrou com o menino na sua residência, em frente à praça, e só se rendeu com a chegada da PM. Ao ser questionado sobrte a motivação do crime, ele teria dito aos militares que não aceitava o fim do relacionamento, que ocorreu há cerca de três meses.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

20 de agosto

1975 - A NASA lança a sonda Viking 1 (foto) em direção a Marte.
1988 - Guerra Irã-Iraque: um cessar-fogo é concedido, depois de quase oito anos de guerra.
1998 - A Suprema Corte do Canadá indica que o Quebec não poderá separar-se legalmente do Canadá sem autorização do governo federal.

Nasceram neste dia…
1779 - Jöns Jacob Berzelius, químico sueco (m. 1848).
1840 - H. P. Lovecraft, escritor estadunidense (m. 1937).
1923 - Dina Mangabeira, poetisa brasileira (m. 2000).

Morreram neste dia…
1580 - Jerónimo Osório, historiador português (n. 1506).
1915 - Paul Ehrlich, bacteriologista alemão (n. 1854).
2001 - Fred Hoyle, astrônomo britânico (n. 1915).

Fonte: Wikipédia

ShareThis