Beber cerveja traz felicidade, diz estudo

Dizem que o álcool prejudica o julgamento das pessoas. De acordo com um novo estudo publicado no periódico científico Psychopharmacology, tomar uma cerveja tem efeito contrário em relação a uma habilidade específica — e muito importante: a capacidade de reconhecer emoções, como felicidade.

Para chegar a essa conclusão, pesquisadores da Universidade de Basel, na Suíça, realizaram um experimento com 60 pessoas com idade entre 18 e 50 anos. Os participantes foram divididos em dois grupos, o primeiro teve de consumir cerveja com álcool e o segundo cerveja sem álcool, durante 15 minutos. No entanto, nenhum dos grupos sabia qual estava bebendo.

Cerca de 30 minutos depois de terem consumido a bebida – tempo suficiente para começar a perceber seus efeitos no corpo – os pesquisadores começaram os experimentos. No primeiro deles, eles mostravam aos participantes fotos de rostos que expressavam uma das seguintes emoções: medo, tristeza, nojo, felicidade, raiva e surpresa. E os voluntários precisavam identificar qual emoção estava expressa em cada imagem.

Os resultados mostraram que as pessoas que receberam cerveja normal – elas beberam, em média, 500 ml. Quantidade suficiente para alterar sua habilidade de reconhecer emoções, mas alterar a execução das tarefas requeridas – tiveram melhor desempenho em reconhecer a expressão de felicidade do que aquelas que ingeriram a versão sem álcool.

“Nós descobrimos que tomar um copo de cerveja ajuda as pessoas a perceberem mais rápido a felicidade nas outras pessoas e isso aumenta o envolvimento com situações emocionais positivas”, disse Matthias Liechti, professor da psicofarmacologia na Universidade de Basel e coautor do estudo.

Por meio de outros experimentos, os pesquisadores concluíram também que as pessoas que ingeriram álcool tinham mais vontade de permanecer na companhia de outras pessoas e estavam mais interessados em ver imagens sexuais, em comparação com aquelas que beberam cerveja não alcoólica. Em ambos os casos, esse efeito foi maior nas mulheres do que nos homens.

Uma possível explicação para isso, segundo Wim van den Brink, professor de psiquiatria e vício na Universidade de Amsterdã que não participou do estudo, é que, embora homens e mulheres tenham ingerido a mesma quantidade de cerveja, a concentração de álcool no sangue de ambos é diferente – tende a ser maior nas mulheres – e isso causaria efeitos mais exacerbados, mais rapidamente.

Fonte: Veja.com

Curta nossa página no Facebook



Eleições 2016: Com a divulgação da pesquisa Ibope para prefeito do Crato, Camilo mostra força; Tasso e Eunício ficam desesperados

As cúpulas do PSDB e do PMDB ficaram surpresas com o crescimento do candidato do PP à Prefeitura da cidade do Crato, Zé Ailton, na disputa contra o ex-prefeito e tucano Samuel Araripe. Samuel começou a corrida pelos votos como franco favorito e, com o apoio dos senadores Tasso Jereissati e Eunício Oliveira, dava sinais de fôlego para ganhar a eleição sem dificuldades.

A 5 dias da eleição, o Ibope mostra, porém, um empate entre Samuel e Zé Ailton, cada um com 41% das intenções de votos na pesquisa estimulada. Os números demonstram a liderança do governador Camilo Santana (PT) que, com o ex-governador Cid Gomes, decidiu apostar em Zé Ailton, que exerce atualmente o primeiro mandato de deputado estadual.

Se de um lado houve entusiasmo entre os aliados de Ailton, os partidários e padrinhos políticos de Samuel Araripe não esperavam pelos números apertados do Ibope. Os senadores Tasso Jereissati e Eunício Oliveira mudaram o semblante ao conversarem com interlocutores e interpretarem o cenário de empate na corrida pela Prefeitura do Crato.

O PSDB prepara uma ação mais ofensiva para a última semana de campanha no Crato, onde os tucanos têm esperança de conquistar a prefeitura como maior colégio eleitoral na Região do Cariri. Em Juazeiro do Norte  – onde está o maior número de eleitores do Sul do Ceará e o terceiro maior colégio eleitoral do Estado, os tucanos patinam em terceiro lugar, de acordo com o Ibope. Em primeiro lugar, aparece Arnon Bezerra (PTB), apoiado pelo Governador Camilo Santana (PT) e pelo ex-governador Cid Gomes. Em segundo, está o pedetista Gilmar Bender e, em terceira posição, Normando, do PSDB. Os tucanos esperam ganhar a eleição no Crato como maior conquista no Cariri, mas o quadro, segundo o Ibope, ficou mais complicado.

Fonte: Ceará Agora

Curta nossa página no Facebook



Earth, Wind & Fire - September





10 filmes de terror baseados em histórias reais

Muitos filmes de terror e suspense dizem ter sido baseados em fatos reais e são justamente esses longas-metragens que fazem nos arrepiar ainda mais, nos dão mais medo. Ficamos imaginando as histórias por trás de cada roteiro, o que realmente pode ter acontecido, todas as pessoas que foram assassinadas de verdade, entre outros fatos.

Não são poucas as filmagens desse tipo. Você sabia que até o clássico “Psicose” foi inspirado em um fato que realmente aconteceu? Separamos 10 títulos realmente muito bons e que vão fazer você correr para assistir!

A Hora do Pesadelo ("A Nightmare On Elm Street")
Este filme foi baseado em uma série de artigos que saíram no jornal The Los Angeles Times sobre um estranho fenômeno no qual os jovens asiáticos refugiados morreram misteriosamente durante o sono. Haviam relatos de que muitos deles se recusavam a dormir, citando terríveis pesadelos que os levavam à morte.

O filho de um médico em Laos, Camboja, não queria dormir, embora todos ordenassem que ele descansasse. Então, para que ele apagasse por algumas horas, foram administrados alguns medicamentos no garoto. Enquanto assistia à televisão com a família, ele adormeceu no sofá e os parentes agradeceram por isso. Eles o levaram para o quarto, no andar de cima.

Todos foram para a cama e, no meio da noite, ouviram gritos e batidas. A família do garoto correu para o quarto e o encontrou morto. Durante a autópsia, nada foi descoberto e os médicos concluíram que ele morreu por razões inexplicáveis. Os pais acharam no armário do rapaz uma máquina de café e vários comprimidos para dormir que ele fingia que tomava.

Invocação do Mal ("The Conjuring")
O longa-metragem foi baseado em fatos reais. Dois investigadores, Ed e Lorraine Warren, contam sua experiência com os Perrons, uma família que se mudou para uma fazenda em Rhode Island onde experiências fantasmagóricas e terríveis começaram a acontecer. Tudo isso ocorreu em 1971 e até hoje é muito comentado.

O diretor James Wan disse à Entertainment Week, em 2013: "Quando a história dos Warrens veio até mim, eu pensei que tudo isso era muito legal. Mas eu não queria fazer apenas outro filme sobrenatural ou de fantasma, e sim uma coisa que eu nunca tinha explorado, que é a oportunidade de contar uma história baseada em personagens da vida real".

Os Warrens também têm uma boneca possuída pelo demônio, que foi a inspiração para o filme Annabelle. Atualmente, Raggedy Ann (o nome original do "brinquedo") está fechada às sete chaves no Museu Oculto dos Warrens, um lugar cheio de objetos usados para o ocultismo que se encontra em Monroe, Connecticut.

A Bolha Assassina ("The Blob")
Acredite ou não, este filme foi baseado em um artigo do The New York Times, de 1950. A história conta sobre quatro oficiais da polícia de Filadélfia que entraram em contato com um material pegajoso muito estranho que agora se acredita ser "Jelly Star", uma substância gelatinosa transparente.

Quando um dos policiais tentou mover a gosma, começou a se dissolver e a evaporar. Assim que o FBI chegou ao local, não havia nada para mostrar, exceto uma mancha no chão. Acredita-se que se trata de uma vida alienígena que aterrorizou uma pequena cidade e consumiu tudo o que via pela frente à medida que crescia.

Viagem ao Inferno ("Wolf Creek")
Este é um filme de terror que conta a história de três mochileiros que cruzam o território australiano com o serial killer Mick Taylor. Ele é um monstro que percorre o país por meio de suas vítimas. Acontece que Wolf Creek foi baseado na história de Ivan Milat e nos assassinatos que ele cometeu. Ele usava suas habilidades de caçador para fazer coisas aterrorizantes com suas vítimas.

Milat negou que foi o responsável pelos assassinatos e os corpos só foram encontrados quando estavam em decomposição. Ninguém sabe realmente o que aconteceu, mas as evidências mostraram que as vítimas sofreram torturas horríveis antes de morrer. O assassino esfaqueou as pessoas na base da coluna, de modo que elas ficaram paralisadas.

Depois que elas foram baleadas, esfaqueadas, agredidas e decapitadas, seus corpos foram deixados no deserto. Um homem chamado Paul Onions foi à polícia e contou que conseguiu carona com um homem chamado Bill, que tentou ataca-lo, mas ele conseguiu escapar. Onions identificou o homem como Ivan Milat, que pegou prisão perpétua.

A Última Profecia ("The Mothman Prophecies")
Entre 15 de novembro de 1966 e 15 de dezembro de 1967, em Point, dezenas de pessoas relataram ter visto uma criatura enorme com olhos vermelhos e asas de mariposa, exatamente como foi relatado no filme. As visões foram conectadas com o colapso de uma ponte na última data citada. A ponte caiu durante o horário de pico, matando cerca de 48 pessoas.

Algumas acreditam que o monstro estava lá para avisá-los do desastre, porque, depois que a ponte desabou, ninguém mais o avistou. Curiosamente, muita gente viu a criatura antes de diferentes tragédias. Algumas incluem até o acidente nuclear em Chernobyl, um terremoto na Cidade do México em 1985 e até mesmo os ataques de 11 de setembro em Nova York.

Os Estranhos ("The Strangers")
O material promocional do filme, incluindo o trailer, afirmou que o longa foi baseado em fatos reais. Um dos eventos foi o assassinato da família Manson, sete pessoas brutalmente massacradas em dois assaltos a residências diferentes. No entanto, outro crime terrível, menos conhecido, serviu de base para a filmagem, que é o assassinato na cabine Keddie.

No norte de Sierra Nevada, Califórnia, em 1981, Sue Sharp e seus cinco filhos alugaram a cabine 28 no popular Keddie Resort por dois meses. Na manhã de 12 de abril, Sue e seus filhos de 16 e 17 anos foram encontrados amarrados com fita adesiva e fios. Eles haviam sido esfaqueados e espancados. Todos os móveis da cabine tinham sido destruídos e estavam cobertos de sangue.

Tina, de 13 anos, sumiu misteriosamente. Seu crânio foi encontrado três anos mais tarde em um acampamento nas proximidades. Os outros filhos mais jovens e um dos amigos foram encontrados ilesos. Até hoje, os assassinatos nunca foram resolvidos, mas acredita-se que duas pessoas, pelo menos, estão envolvidas no assassinato das quatro vítimas.

The Lost ("The Lost")
O personagem principal do filme foi baseado em Charles Schmid, um rapaz rico e popular de 22 anos de idade, residente em Tucson, Arizona, em 1964. Certa vez, a namorada de Schmid, Mary, apresentou sua melhor amiga Aleen Rowe para o rapaz. Ele estuprou Rowe antes de espancá-la até a morte com uma pedra. Mary ajudou a enterrar o corpo.

Um ano depois, o corpo de Rowe não tinha sido encontrado e não houve prisões, mas Schmid confessou a uma amiga, Gretchen Fritz, que assassinou Rowe. Certa vez, quando ele brigou com Fritz, ela contou para a polícia tudo o que o rapaz tinha contado. Quando soube, Charles matou Gretchen e sua irmã Wendy, de 13 anos, e enterrou os corpos no deserto.

Orgulhoso, Schmid mostrou os corpos a um amigo, que se preocupou com sua namorada e foi até a polícia. Schmid pegou prisão perpétua e tentou fugir três vezes. Em 20 de março de 1970, com 33 anos de idade, Charles Schmid foi assassinado na prisão.

The Town That Dreaded Sundown ("The Town That Dreaded Sundown")
Este filme foi baseado na história dos assassinatos em série que assombraram uma pequena cidade do Texas e que nunca foram resolvidos. Eles aconteceram em 1946 e conta-se sobre um homem que usava um capuz branco e ficava fotografando pessoas aleatoriamente ao longo de um período de quatro meses.

Este mesmo homem usava uma pistola para atacar as pessoas. De oito vítimas, três sobreviveram. Elas disseram que o "assassino fantasma" usava uma máscara branca com buracos cortados na área dos olhos. Esse homem nunca foi identificado e, portanto, os assassinatos em série nunca foram resolvidos.

Viagem Maldita ("The Hills Have Eyes")
O diretor Wes Craven foi inspirado pela lenda escocesa do século 15 que conta a história de Sawney Bean e sua esposa, que viveram em uma caverna e tiveram 14 filhos e 32 netos, muitos deles por incesto. Eles sequestravam e matavam turistas para desmembrar e comer os corpos, deixando sua caverna repleta de restos humanos.

Eventualmente, muitos deles foram capturados e executados. Obviamente, isso é uma lenda que parece ter crescido a cada repetição, mas os historiadores encontraram evidências de canibalismo na região durante o período medieval, o que leva muitas pessoas a acreditarem na história, até mesmo o diretor Craven.

Almas Gêmeas ("Heavenly Creatures")
Este filme conta a intensa amizade de Pauline e Juliet, em 1950, na Nova Zelândia, e o mundo de fantasia que elas criaram. Seus pais ficaram preocupados que a amizade pudesse ser doença ou homossexualidade (que, na época, era considerada doença mental), então as meninas começaram a planejar uma vingança.

Na vida real, essa vingança tomou a forma do assassinato da mãe de Paulin, Honorah Rieper, em 1954. As meninas, então com 15 anos, bateram em Honorah com um tijolo até a morte. Elas foram consideradas muito jovens para a pena de morte e tiveram que cumprir cinco anos de prisão. As duas foram liberadas sob a condição de que nunca entrassem em contato uma com a outra. Então, Juliet mudou seu nome para Anne Perry e se tornou uma aclamada escritora.

Fonte: Mega Curioso (Via Mental Floss, Odde e Viralnova)

Curta nossa página no Facebook


Eleições 2016: Zé Ailton lidera pesquisa espontânea em Crato e é o menos rejeitado entre os eleitores, segundo Ibope

Pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (23) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto na corrida para a Prefeitura de Crato:

Espontânea
Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:

- Zé Ailton (PP) - 36%
- Samuel Araripe (PSDB) - 33%
- Cacá Araújo (PCdoB) - 1%
- Outros - 1%
- Branco/nulo - 13%
- Não sabem/não responderam - 17%

Rejeição
O Ibope também apontou o índice de rejeição dos candidatos. Veja os números:
- Cacá Araújo (PCdoB) - 41%
- Samuel Araripe (PSDB) - 34%
- Zé Ailton (PP) - 26%
- Poderia votar em todos - 6%
- Não sabem/não responderam - 11%

A pesquisa foi encomendada pela TV Diário. O Ibope ouviu 504 eleitores entre os dias 19 e 22 de setembro. A margem de erro é de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de quatro pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) sob o número 02723/2016.

Curta nossa página no Facebook



Prisão de Mantega foi para influenciar as eleições, diz Dilma

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) classificou como "lamentável" a prisão do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega. Ela afirmou também que o objetivo da ação é influenciar a campanha eleitoral.

As declarações foram dadas nesta quinta-feira (22) em Salvador, onde a ex-presidente participou de um ato contra o presidente Michel Temer (PMDB), organizado pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo sem Medo.

"Hoje, um fato lamentável aconteceu, que é o uso e a tentativa de prender uma pessoa como é o ex-ministro Guido Mantega em um hospital onde a mulher dele estava sendo operada de câncer. A pergunta é: por que prender? A resposta é: para influenciar a campanha eleitoral", disse.

Dilma disse lamentar "profundamente" a prisão e na sequência afirmou que os governos Lula e Dilma foram os que mais combateram a corrupção.

O ex-ministro da Casa Civil Jaques Wagner (PT) também comentou a operação da Polícia Federal e disse que a prisão de Mantega no hospital "foi de uma crueldade nazista".

No ato em Salvador, a ex-presidente Dilma desfilou em cima de uma caminhonete ao lado de Jaques Wagner, do governador Rui Costa (PT) e da candidata à Prefeitura de Salvador Alice Portugal (PC do B).

No chão, o público cercava o carro em que Dilma desfilou, com gritos de "fora, Temer" e "Dilma, guerreira, da pátria brasileira". Sorrindo e acenando para o público, a ex-presidente evitou entoar os gritos contra o presidente.

No discurso, a ex-presidente voltou a afirmar que o impeachment foi um golpe para retirar direitos sociais e serviu para impedir que as investigações da Lava Jato "cheguem aos golpistas".

Dilma ainda afirmou que, no governo Temer, "o povo não cabe no orçamento" e acusou o presidente de querer "privatizar tudo".

"Eles querem privatizar tudo que puder, as terras, a Petrobras. Querem passar a comprar plataforma [de exploração de petróleo] fora do Brasil, transferindo para a Coreia, o Japão os empregos que nós poderíamos ter".

A manifestação percorreu um trecho de 2,5 km entre a Praça do Campo Grande a Praça Castro Alves, no centro de Salvador. Segundo a organização, 50 mil pessoas participaram do ato.

Campanha nacionalizada
Além de participar do ato, Dilma também gravou cenas para o programa eleitoral de Alice Portugal.

A candidata do PC do B tem adotado a estratégia de nacionalizar a campanha eleitoral, associando o seu adversário, o prefeito ACM Neto (DEM), ao presidente Michel Temer.

Por outro lado, Portugal tem associado sua candidatura ao apoio de Dilma e Lula, aproveitando a popularidade de ambos no Nordeste. Em Salvador, os candidatos do PT foram os mais votados em todas as eleições presidenciais desde 1989.

Este é o segundo ato político de que Dilma participa desde que deixou o cargo de presidente, após a confirmação do impeachment no Senado.

Na quarta-feira (21), a ex-presidente esteve no Rio de Janeiro, onde participou de um ato de campanha da candidata Jandira Feghali (PC do B).

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Antiácidos podem aumentar risco de infarto, revela estudo

Alguns medicamentos que reduzem a acidez do estômago aumentam entre 16 e 21% o risco de ataque cardíaco. É o que diz um estudo do periódico científico PLOS ONE.

Estas medicações, conhecidas como inibidores da bomba de prótons (IBP), são eficazes para reduzir a acidez do estômago e evitar o refluxo gastroesofágico. Elas estão entre as mais prescritas e vendidas no mundo e representam um mercado de 14 bilhões de dólares, afirmaram os autores.

"Estes medicamentos não são tão seguros quanto pensamos", disse Nicholas Leeper, professor da Universidade de Stanford e principal autor do estudo. Os pesquisadores analisaram os registros médicos de 2,9 milhões de pacientes. As crises cardíacas foram observadas com maior frequência em pessoas jovens (menos de 45 anos) e com boa saúde.

De acordo com a pesquisa, outra classe de antiácidos, conhecida como anti-histamínico H2, não apresentou relação com o aumento do risco cardíaco. Estes remédios estão no mercado há mais tempo que os IBP e são razoavelmente eficazes contra a acidez do estômago.

Embora o estudo não prove uma relação de causa e efeito, os autores afirmam que o vínculo descoberto deve ser considerado algo sério, sobretudo porque a maioria destes antiácidos está disponível sem receita médica.

Fonte: Veja

Curta nossa página no Facebook



Opinião: Temer aplica um golpe no ensino médio brasileiro

Um dos efeitos mais nefastos do atual momento político do país é que uma ruptura institucional capaz de derrubar alguém da Presidência da República gera incentivos para mais rupturas institucionais. Isso ajuda a explicar a gigantesca cara de pau do Ministério da Educação (MEC) em instituir uma reforma do Ensino Médio por meio de uma Medida Provisória e não por uma longa discussão que deveria congregar Congresso Nacional e a sociedade.

É um desrespeito e uma violência aos milhões de profissionais que atuam em educação, aos militantes que participam dos inúmeros fóruns e instâncias de educação no país, aos alunos que ocupam escolas em busca de uma voz. Em resumo: a todos que não têm medo do debate – ao contrário do governo.

Ninguém nega que debater essa etapa de ensino é urgente. O desempenho é sofrível, o currículo é desinteressante e a evasão, monstruosa – 1,7 milhão de jovens entre 15 e 17 anos estão fora da escola. Faz todo o sentido intensificar discussões e buscar costurar acordos e consensos entre atores para avançar. E isso é algo difícil de fazer no campo da educação. Há muita gente e muitos interesses envolvidos: de alunos a pais, de professores a diretores, de administradores públicos a políticos, passando por gestores públicos e proprietários de instituições privadas.

Mas:

1) É possível (os quatro anos de conferências e de tramitação no Congresso que desembocaram no Plano Nacional de Educação são o melhor e mais recente exemplo) e
2) É necessário (quando se deseja viver numa democracia, claro).

Não parece ser a opção de um governo que pretende silenciar o debate vomitando seus “cumpra-se” baixando uma medida. O recado do novo MEC é claro: deixe o assunto para os “especialistas”. Para saber se você se encaixa nessa categoria, um teste rápido: seu nome é Mendonça Filho, Maria Helena Guimarães de Castro ou Rossieli Soares da Silva? Você é amiguinho deles? Em caso de duplo “não”, sinto muito: você não tem nada a dizer sobre Educação. A parte que te cabe, portanto, é usufruir das iluminadas estratégias concebidas pelos educadores de gabinete.

O que se apresentou deixa margem a muitas dúvidas. Combinaram com os russos como gastar mais no Ensino Médio se a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241 vai limitar o crescimento nos gastos correntes, ceifando novos investimentos em educação por 20 anos?

Ou como atrair professores para uma carreira que paga R$ 2.135 por 40 horas – sendo que uma minoria consegue ter a carga completa?

Quanto ao ensino noturno, fazer o que com quem precisa estudar e trabalhar?

No campeonato de acochambrações, tem espaço para tudo. Há coisas explícitas, como a dispensa de formação pedagógica para pessoas de “notório saber”. Ah, pra que licenciatura, né? Além de desmoralizar a formação docente, a proposta joga no lixo um punhado de leis cuja confecção consumiu energia e milhares de horas de discussão de muita gente, da LDB de 1996 às recém-aprovadas Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação do magistério.

Essa última proposta já ressuscitava a complementação pedagógica, exigindo ao menos 1.000 horas de licenciatura para diplomados que quisessem lecionar. Agora, nem isso.

Entre as bizarrices implícitas está a implantação do tempo integral a fórceps. Temer disse, genericamente, que não vai reduzir o investimento em educação, o que é uma platitude. Ensino em tempo integral é algo que, para ser feito direito, exige mais profissionais e muuuito mais dinheiro. Eles dizem que a introdução será progressiva e que o governo federal vai dar uma ajuda financeira para que isso seja possível, mas apenas nos primeiros anos. E depois? Os Estados vendem um rim para pagar a conta?

Ah, tem um outro jeito também: entuchar mais alunos. Apesar de isso ter dado muito errado no passado, hoje se defende que mais estudantes por turma não diminui as notas nas avaliações externas – preocupação única dos tecnocratas. Pergunte aos professores os efeitos de longo prazo de dar aula para 35, 40, 45 alunos. Vai ser mais fácil encontrar boa parte deles em consultórios psiquiátricos ou em casa, de licença-saúde por burnout – ou, em português claro, após fritar.

Mas o que realmente gostei na solenidade de lançamento foram as interessantíssimas propostas da MP para algumas questões essenciais:

– Recuperação do status da carreira docente e melhoria da atratividade via elevação salarial: cri cri cri cri… [som de grilos no escuro].
– Capacitação de professores com base nas necessidades reais de sala de aula: fiiiiuuuuuuu [som de bolas de feno rolando em ruas vazias, como nos filmes sobre o Velho Oeste].
– Definição de modelo de ensino que se pretende: ERRO 404 – Página não encontrada.
– Finalidade da educação no Ensino Médio: tu tu tu tu [linha ocupada, desculpe tente mais tarde].
– Concepção do aluno que se quer formar: O que o lápis escreveu a borracha apagou.
– E do país que se pretende com os futuros cidadãos: ……… [desculpe, o som não se propaga no vácuo].

Se numa democracia o jogo é jogado, num regime de exceção quem manda muda as regras até ganhar a partida. Vale lembrar que a Medida Provisória é um ato do presidente da República, que passa a valer imediatamente como lei. O Congresso Nacional só é chamado a aprová-la ou reprová-la depois. A justificativa é a urgência e a relevância do tema.

Ninguém nega a relevância do tema. Mas a urgência parece mais uma saída impositiva, que teme o diálogo, do que democrática, que é nele baseado.

A verdade é que, a cada dia, o Brasil se transforma mais e mais num país de pequenos e grandes donos da bola.

Por: Leonardo Sakamoto

Fonte: Blog do Sakamoto/UOL

Curta nossa página no Facebook



“Temer não gosta de nordestino”, afirma líder do PT em ato com Lula

Da mesma forma que o ex-presidente Lula tem feito nos compromissos eleitorais no Nordeste, o líder do PT no Senado, o pernambucano Humberto Costa, aproveitou o ato com o aliado no Recife, na noite desta quinta-feira (22), para defender o partido e criticar o presidente Michel Temer (PMDB). “Temer não gosta de nordestino”, afirmou de cima de um trio elétrico na Praça da Independência, na área central da cidade. “Essa direita jamais vai dar ao Nordeste o direito de melhorar de vida”, acrescentou.

Após ressaltar que obras como a Transposição do São Francisco e a Refinaria Abreu e Lima começaram no governo de Lula, Humberto Costa questionou aos militantes petistas: “Vocês sabem o que Temer fez por nós?”. O senador afirmou que empreendimentos como a construção do Arco Metropolitano, para melhorar a logística entre o polo industrial da Mata Sul e o Porto de Suape, não estão no Programa de Parcerias de Investimento (PPI) lançado pela gestão peemedebista há pouco mais de uma semana. “Dilma já tinha feito o compromisso de fazer todas as obras”, frisou.

Ao criticar a prisão do ex-ministro Guido Mantega, Humberto Costa ainda acusou os oposicionistas de tentar “desmoralizar” o PT e de promover uma “perseguição”. O petista lembrou que o ex-titular da pasta da Fazenda teve os sigilos bancário, fiscal e telefônico quebrados, além de ter prestado depoimento à Lava Jato e de ter tido objetos recolhidos em ação de busca e apreensão. “Por que mandam prender um homem que estava com a sua vida devassada? Fizeram isso por conta da campanha eleitoral, para desmoralizar o PT”, disse o senador.

Críticas aos adversários locais
Além de reclamar dos nomes de oposição à legenda em âmbito nacional, Humberto Costa reclamou dos adversários locais. Em ato para reforçar a campanha de João Paulo, ex-prefeito e candidato novamente ao Executivo no Recife, classificou o prefeito Geraldo Julio (PSB), principal oponente do petista, como “mal agradecido”. O senador afirmou que o socialista não reconhece que obras como a Via Mangue e o Hospital da Mulher foram realizados com recursos federais.

Além disso, acusou o prefeito de usar a máquina pública nas eleições. “Aqui não tem comissionado, não tem terceirizado, não tem gente ganhando R$ 30 para lutar pela candidatura de João Paulo”, disparou.

Fonte: Blog de Jamildo/NE10

Curta nossa página no Facebook



Alegando erro, MEC afirma que artes, educação física, filosofia e sociologia seguem obrigatórias no Ensino Médio

Ao anunciar, nesta quinta-feira, as mudanças no Ensino Médio, o Ministério da Educação divulgou um texto apontando que algumas velhas conhecidas dos estudantes deixariam de ser tema obrigatório ao final da educação básica. Aulas de artes, educação física, filosofia e sociologia, pelo que constava no texto da medida provisória (MP) divulgado durante a tarde, não seriam mais parte compulsória do currículo do Ensino Médio, cabendo às escolas, redes de ensino e alunos definir quais delas fariam parte dos estudos.

O texto, porém, estava equivocado. Na versão encaminhada para publicação no Diário Oficial — que deve vir a público na sexta para então ir à apreciação do Congresso Nacional —, o texto final aponta que não está decretado o fim de nenhuma disciplina, e as 13 que atualmente constam como obrigatórias para o Ensino Médio permanecerão obrigatórias.

A confusão deu a entender que a reformulação do Ensino Médio contrariaria a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que define o ensino de artes e educação física como obrigatório em toda a educação básica, e aponta que filosofia e sociologia devem ser ministradas a todos os alunos do Ensino Médio.

— Eu assumo a responsabilidade, houve um erro que infelizmente levou a essa confusão. Não se está acabando com nada — afirmou o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Rossieli Soares, em entrevista a ZH.

Diante da repercussão, o MEC divulgou uma nota durante a noite esclarecendo que não haveria cortes em nenhuma disciplina. O secretário dá como certo que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) vai prever as mesmas disciplinas que hoje integram a grade do Ensino Médio, portanto não haveria preocupação quanto à não obrigatoriedade de algumas delas.

— Temos que fazer algumas opções, não tem jeito: é preciso diminuir algumas coisas para ter outras. Mas todos os alunos terão essas disciplinas que hoje já têm. A diferença é que eles poderão se aprofundar mais naquelas em que têm mais interesse — garantiu Soares.

Base nacional definirá currículo
Com as mudanças, o currículo poderá ser flexibilizado de acordo com os interesses do próprio aluno e das especificidades de cada rede de ensino no Brasil. Metade da carga horária, porém, será de conteúdo obrigatório, definido pela Base Nacional, que ainda não foi concluída.

A outra metade do currículo poderá ser definida pelas escolas e escolhida pelos alunos de acordo com seus interesses. Os estudantes poderão escolher focar sua trajetória escolar em qualquer uma das cinco ênfases (linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional) definidas pelo MEC, mas não deixarão de ter que frequentar as demais aulas.

Fonte: Zero Hora

Curta nossa página no Facebook



5 mitos sobre o cérebro que devem ser esquecidos

Você provavelmente ouviu esses cinco mitos várias e várias vezes ao longo da vida e acreditou neles em todas elas. Não mais: a Galileu te explica o motivo de muitas das concepções que você já ouviu sobre o cérebro estão erradas. Descubra:

1 - Usamos somente 10% do nosso cérebro
Apesar de vários filmes aproveitarem essa desculpa para transformar seus personagens em espécies de super-humanos, ela é, de fato, mentira. Em 2008, durante uma entrevista concedida ao Scientific American, o neurologista Barry Gordon, da Escola de Medicina Johns Hopkins, nos Estados Unidos, revelou que nós usamos o cérebro inteiro quase o tempo todo. Temos apenas uma variação de acordo com a tarefa sendo realizada. Em um momento de descanso, por exemplo, usamos uma porcentagem menor, mas de resto, usamos o  cérebro inteiro – e nenhum de nós se tornou um super-herói por conta disso.

2 - As pessoas aprendem de formas diferentes
Sabe aquela história que fulano aprende melhor com recursos visuais e que cicrano só consegue memorizar a matéria se estiver anotando? Balela. O que acontece é que as pessoas aprendem quando a forma de ensino tem a ver com o conteúdo. Em um estudo realizado na Universidade de Maastricht, na Holanda, os pesquisadores perceberam que as preferências dos alunos têm muito pouco a ver com o aprendizado deles. O que acontece, de acordo com os acadêmicos, é que as pessoas aprendem melhor um conteúdo quando o método é coerente: aprender geometria vendo as formas e gramática escrevendo palavras, por exemplo. “Os estudantes precisam corrigir e aprender a lidar com suas fraquezas em vez de evitá-las”, afirma o estudo.

3 - As pessoas usam o hemisfério cerebral direito ou o esquerdo
Se alguém te disser que é mais racional, regido pelo lado esquerdo do cérebro, ou mais inovador, regido pelo lado direito do cérebro, não acredite. Em um estudo realizado nos Estados Unidos, pesquisadores examinaram os cérebros de mais de mil pessoas e não conseguiram encontrar nenhuma evidência de que os participantes tinham algum tipo de rede mais forte que favorecesse um lado em comparação com o outro.

4 - Bebidas alcoólicas vão acabar com o seu cérebro
Não é bem assim que funciona. Em moderação, bebidas alcoólicas podem, inclusive, ajudar seu cérebro. Segundo uma publicação da Sociedade de Neurociência estadunidense, tomar até dois copos de vinho por dia pode proteger o cérebro de um adulto, reduzindo as chances de ele ou ela sofrer um derrame. Para que os neurônios morram, são necessários muitos e muitos anos de abuso alcoólico.

5 - Aplicativos que ajudam a treinar o cérebro te deixam mais inteligentes
Com a ampla oferta de jogos e aplicativos que afirmam tornar os usuários mais inteligentes e alertas, o Centro de Longevidade de Stanford convidou diversos psicólogos e neurocientistas para verificar a plausibilidade dessas afirmações. Apesar de esses treinos realmente estimularem as habilidades cognitivas do cérebro, o impacto delas é muito pequeno em relação à forma que são anunciadas na comercialização desses jogos e apps.

Fonte: Galileu

Curta nossa página no Facebook



Governo Temer exclui artes e educação física do ensino médio e prevê 7 h de aula/dia

O ensino médio, maior gargalo da educação, com desempenho estagnado e altas taxas de evasão e reprovação, ganhou um plano federal focado em especialização, com a flexibilização de disciplinas e o incentivo à expansão do ensino em tempo integral.

Hoje, todos os alunos do ensino médio devem cursar 13 disciplinas em três anos. Com a mudança prevista, parte da grade (ao menos 1 dos 3 anos da etapa) será comum a todos.

Para o restante, haverá a opção de aprofundamento em cinco áreas: linguagens, matemática, ciências humanas, ciências da natureza e formação profissionalizante. Ao aluno caberá a escolha da linha na qual deseja se aprofundar. Mas a oferta dessas habilitações dependerá das redes e das escolas. Ao menos duas áreas devem ser oferecidas.

O texto, enviado ao Congresso pelo governo Michel Temer (PMDB) por meio de medida provisória, acaba com a obrigatoriedade de aulas de artes e educação física nessa etapa de ensino –essas duas disciplinas serão exigidas só no infantil e no fundamental.

A atual exigência de espanhol foi retirada, e sociologia e filosofia, hoje obrigatórias, também estão fora do texto.

O governo, porém, diz que essas disciplinas (exceto espanhol) devem fazer parte da base nacional curricular, ainda em discussão e cujos conteúdos serão obrigatórios.

A decisão de excluir a educação física da lista de disciplinas obrigatórias aos adolescentes ocorre um mês depois da Olimpíada do Rio.

O ensino de língua portuguesa e matemática, porém, será obrigatório nos três anos do ensino médio. Todas as propostas valem para o ensino público e privado do país.

A MP com a proposta de novo modelo de ensino médio deverá ser votada em até 120 dias e poderá ser modificada por deputados e senadores.

 O texto, em linhas gerais, modifica pontos da LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), de 1996. As mudanças terão implementação gradual nas redes de ensino dos Estados, a quem caberá definir a transição ao novo modelo.

A expectativa do governo, no entanto, é ter turmas já com a nova proposta a partir de 2018, mas muito disso depende da vontade política e do caixa dos governadores.

O país tem 1,7 milhão de adolescentes de 15 a 17 anos fora da escola –16% da população nessa faixa etária, que seria a ideal ao ensino médio.

Meta repetida
O principal eixo da proposta é o incentivo à especialização e ao ensino integral.

Segundo o texto, a carga horária mínima de 800 horas anuais para a etapa deve ser ampliada progressivamente para 1.400 horas. Isso representa sete horas de aulas por dia, o que já caracteriza a educação em tempo integral.

O texto afirma ainda que essa ampliação deve seguir as metas do Plano Nacional de Educação, que prevê, até 2024, ao menos 25% dos alunos de cada etapa de ensino em tempo integral –o país registra hoje 6% das matrículas nessa modalidade no médio.

E, para expandir a oferta, o projeto prevê aporte financeiro federal, de forma temporária, às redes estaduais que criarem vagas em tempo integral. No entanto, esse valor –calculado por aluno– só será pago nos primeiros quatro anos e "respeitada a disponibilidade orçamentária".

O governo promete investir de R$ 1 bilhão a R$ 1,5 bilhão em dois anos no projeto. Já a meta é atender 500 mil jovens nessas escolas de tempo integral até 2018.

Para o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), o plano é necessário diante da "falência" do ensino médio.

A etapa ainda poderá ser organizada em módulos e adotar sistema de créditos ou disciplinas com "terminalidade" específica –em que a repetência ou aprovação em cada curso independe dos demais.

O texto também autoriza a contratação de professores sem concurso e sem formação específica na disciplina, desde que haja "notório saber".

Para Eduardo Deschamps, do Consed (que representa os secretários estaduais de Educação), a maior oferta de ensino profissional "cria um enorme incentivo aos jovens que não seguem diretamente para a universidade".

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



9 comportamentos estranhos que a ciência explica

Todo mundo é esquisito, nem adianta negar. Podemos até seguir um certo “padrão de normalidade”, mas todo mundo faz umas coisas muito estranhas de vez em quando.

O motivo para isso é muito simples: nós somos humanos, e humanos são bizarros. Quer um exemplo? A gente tem crise de riso em momentos super inapropriados.

A gente tem vontade de morder e apertar coisas fofas. A gente tem uma fascinação por psicopatas (tanto que séries tipo Dexter e filmes como Hannibal bombam). Mas todos esses comportamentos que nós mesmos achamos estranhos são cientificamente explicados. Saiba por que você é tão bizarro na SUPERLISTA de hoje!

Não trocar o rolo de papel higiênico que acabou
Eu sei que você já usou o último pedaço de papel e não trocou o rolo – mesmo sabendo que isso tomaria, no máximo, 30 segundos do seu precioso tempo.

A razão disso é que trocar o rolo de papel higiênico não traz nenhuma recompensa imediata, segundo os pesquisadores Richard Ryan e Edward Deci, da Universidade de Rochester, em Nova Iorque.

De acordo com sua pesquisa, para as pessoas ficarem motivadas a fazer alguma coisa, a tarefa precisa satisfazer três necessidades psicológicas: competência, autonomia e correlação.

A tarefa deve ser desafiadora o bastante para nós nos acharmos muito competentes quando conseguirmos terminar, deve dar uma sensação de que temos controle sobre a situação e que estamos melhorando nossa relação com as pessoas ao nosso redor.

Tirando esse último quesito – e mesmo assim, depende do quão chatas exigentes são as pessoas que moram com você -, trocar o rolo de papel higiênico não é exatamente nada disso… Mas tente lutar contra essa tendência e troque mesmo assim para ser uma pessoa legal, ok?

Vontade de morder coisas fofas
Se bebês entendessem tudo que os adultos falam, provavelmente se isolariam em um lugar seguro para ficar longe das ameaças de “vou MORDER essa coisa fofa”, ou “vou apertar tanto que vou deixar hematomas nessa fofura”.

Vale o mesmo para filhotes de qualquer outra espécie. A ciência tem duas hipóteses para essa reação bizarra.

A primeira delas é que as redes de sensação de prazer estão se cruzando no nosso cérebro.

Quando vemos uma coisa fofa, o cérebro solta uma descarga de dopamina similar a quando comemos uma coisa muito deliciosa. Por isso, quando vemos um bebê, nossa cabeça dá um minicuirto e ficamos com vontade de mordê-lo.

A outra hipótese tem a ver com os nossos antepassados pré-históricos. Brincar de morder é um hábito comum entre mamíferos (quem já teve filhotes de cães e gatos sabe bem).

Então, essa brincadeira é uma forma de estreitar os laços sociais. Isso pode explicar a nossa vontade doida de morder coisas com as quais temos laços afetivos.

Rir em situações inapropriadas
Uma vez, quando eu era adolescente, minha mãe me deu uma bronca federal porque a visita estava chegando, e meu quarto ainda estava uma zona.

Ela gritava, esbravejava, perguntava se eu achava que era justo ela ter passado a manhã na cozinha e eu nem pra arrumar meu quarto.

E eu… Ri. Não consegui me controlar, gargalhei muito! Minha mãe ficou furiosa, achou que era deboche.

Na verdade, segundo a ciência, eu estava sob um estresse emocional enorme, e meu corpo usou a risada para aliviar um pouco da tensão. Já quando a gente não consegue segurar a risada quando vê o tombo alheio, provavelmente são nossos instintos agindo de novo.

Essa é uma forma de informar à nossa tribo que, apesar de a pessoa estar envergonhada, ela não se machucou muito e que está tudo bem.

Fascínio por psicopatas
Se nós não adorássemos os psicopatas, os filmes do Hannibal Lecter, Psicose e a interminável série de Eu Sei o que Vocês Fizeram no Verão Passado não teriam sido metade do sucesso que foram.

Algumas teorias explicam essa quedinha pela mente criminosa: a primeira delas defende que, sabendo mais sobre psicopatas, nós saímos da nossa própria consciência e entramos na mente de alguém que só pensa estritamente em si mesmo.

Já o psicólogo forense J. Reid Meloy afirma que, na sociedade, o psicopata é um tipo de predador. Saber de sua existência nos conecta com os nossos instintos de caça e caçador.

Uma última teoria, do psiquiatra Ron Schouten, afirma que nossa queda por psicopatas é similar à nossa atração por filmes de terror ou por montanhas russas: às vezes, só gostamos de tomar uns sustos, que soltam uma super descarga de neurotransmissores, o que dá uma sensação de prazer.

Fingir que sabe alguma coisa
O assunto na mesa de boteco (de físicos) é o entrelaçamento de partículas.

Você não saca nada sobre isso, mas fica lá, fazendo cara de entendido e fingindo que só não fala alguma coisa para não fazer a galera perder a graça.

Segundo o pesquisador David Dunning, da Cornell University, a maioria das pessoas não sabe o que sabe e começa a produzir conhecimento falso.

Quando alguém nos pergunta se a gente sabe alguma coisa, nosso cérebro imediatamente começa a inferir, concluir e até inventar explicações e teorias sobre a coisa.

Chorar
Apesar de comum, o choro é um comportamento bem estranho. Pense bem: ele pode acontecer porque você está muito triste, muito feliz, muito preocupado, com muita raiva, muito estressado, muito emocionado…

Ou seja, por qualquer coisa. Uma das teorias mais bem aceitas que explicam o choro humano é do psicólogo Ad Vingerhoets, que argumenta que chorar é um sinal social bem primitivo.

Na natureza, muitos animais emitem algum som que alerta os outros que ele está em perigo e precisa de ajuda. Já os humanos desenvolveram esse jeito silencioso de comunicar aos outros do grupo que algo está errado.

Nos tempos das cavernas, seria uma forma de dar o recado sem alertar os predadores com o som.

Fofoca
Pode parecer inacreditável, mas a fofoca tem uma função social. Segundo pesquisadores, a culpa é do nosso desejo de criar laços com as pessoas que estão imediatamente ao nosso redor, e esse desejo é forte a ponto de superar os nossos valores e a nossa moral.

Além de nos dar assunto para conversar com os outros, a fofoca cria um sentimento de confiança, já que toda fofoca é “segredo, hein, não conta pra ninguém!”

Para o antropólogo Robin Dunbar, a fofoca é co-responsável pelo desenvolvimento do noas cérebro ao longo dos milênios.

Ele defende que a língua só se desenvolveu por causa da nossa vontade de fofocar, e a maledicência também nos permite ensinar aos outros a forma certa de se relacionar com o grupo.

Mas calma lá, hein. Isso não é motivo para você ficar falando mal dos outros por aí. A ciência explica a fofoca, mas o fofoqueiro não fica mais legal por isso.

Gostar de filmes tristes
Segundo o pesquisador Robert A. Emmons, da Universidade da Califórnia, só o fato de sermos gratos já faz a nossa vida melhorar. Com os filmes tristes é mais ou menos a mesma coisa.

Ver tragédias na TV ou no cinema faz com que a pessoa reavalie a sua própria vida e conte o que há de bom nela.

Mas o raciocínio não vale para aqueles que pensam coisas tipo “nossinhora, ainda bem que eu não tô na pele desse cara”. Essas pessoas têm pensamentos egoístas e estão mais focadas em si do que nos outros.

Assim, elas não experimentam nadica de nada de felicidade depois de assistir ao filme. Além disso, o dr. Paul Zak afirma que ouvir ou ver histórias de outras pessoas nos faz sentir empatia, e nosso cérebro libera ocitocina – o chamado “hormônio do amor”.

Ficar desconfortável no silêncio
Ficar em silêncio com um estranho é horrível. Está aí uns 80% de por que muitos primeiros encontros afundam à la Titanic: ou um dos dois fala demais (e acaba falando mais do que o necessário), ou rolam aqueles silêncios bizarros e você acha que nunca vai conseguir ter intimidade com aquela pessoa.

Essa dificuldade de lidar com o silêncio também remonta às nossas origens primitivas de pertencer a um grupo.

Quando a outra pessoa fica em silêncio, nós achamos que ela não está gostando da conversa e, portanto, que não somos aceitos. Já quando o diálogo flui que nem um pingue-pongue, avaliamos que está tudo bem. Mas isso também é cultural.

No Japão, uma pausa na conversa, principalmente quando a pessoa está refletindo sobre algo, é um sinal de respeito.

Os aborígenes australianos e os nativos de vários países da Ásia também fazem longas pausas silenciosas em suas conversas – e está tudo bem.

Fonte: Exame.com

Curta nossa página no Facebook



Michel Temer diz que impeachment aconteceu porque Dilma rejeitou 'Ponte para o Futuro'

Michel Temet deixou escapar um “segredo” em discurso para empresários e investidores nos EUA: o impeachment de Dilma Rousseff ocorreu para implementar um plano de governo radicalmente diferente do que foi votado nas urnas em 2014, quando o PT ganhou a presidência pela quarta vez, e não por irregularidades praticadas pela ex-presidente.

Na sede da Sociedade Americana/Conselho das Américas (AS/COA), em Nova York, nesta quarta-feira, dia 21, Temer disse que ele e seu partido começaram a articular o afastamento de Rousseff em consequência direta da não aceitação do programa neoliberal do PMDB pela ex-presidente.

Veja o vídeo aqui:


“E há muitíssimos meses atrás, eu ainda vice-presidente, lançamos um documento chamado ‘Uma Ponte Para o Futuro’, porque nós verificávamos que seria impossível o governo continuar naquele rumo. E até sugerimos ao governo que adotasse as teses que nós apontávamos naquele documento chamado ‘Ponte para o futuro’. E, como isso não deu certo, não houve adoção, instaurou-se um processo que culminou agora com a minha efetivação como presidência da república.”

O “Ponte para o futuro” prescreve a desvinculação dos recursos da saúde e da educação, desindexação dos benefícios e do salário mínimo, mudança de idade para a aposentadoria, parcerias com o setor privado e abertura comercial. Essas ideias estavam claramente refletidas na fala de Temer na AS/COA, que visava dar seguimento à incansável empreitada de privatizações e facilitação da entrada do capital estrangeiro no país, listando as vantagens e garantias que seu governo planeja implementar para assegurar o lucro dos membros da plateia, que o ouviam (não tão atentamente) enquanto desfrutavam de suas refeições.

Marcadas pelos já conhecidos eufemismos neoliberais para o que poderia simplesmente chamar de venda do patrimônio nacional, as garantias listadas pelo presidente incluíram a “universalização do mercado brasileiro”, o “restabelecimento da confiança”, uma tal “estabilidade política extraordinária”, parcerias entre os setores público e privado e o avanço de reformas “fundamentais” nas áreas trabalhista, previdenciária e de gastos do governo. “Venho aqui convidá-los a participar dessa nova fase de crescimento do país,” concluiu em tom de leilão.

Os dois grupos são compostos por representantes de corporações multinacionais e membros do estabelecimento de política exterior dos EUA em América Latina. Foram fundados pelo industrialista americano David Rockefeller e têm John Negroponte como presidente emérito – um político neoconservador fundamental para a guerra suja da CIA em Honduras e para a invasão do Iraque em 2003. Em seu site, o Conselho das Américas se define como uma “organização internacional cujos membros compartilham um compromisso comum com o desenvolvimento econômico e social, mercados abertos, estado democrático de direito e democracia por todo o hemisfério ocidental”.

Essa é apenas mais uma singela confirmação de que o impeachment de Dilma não se deu por conta das supostas “pedaladas fiscais”, como quis fazer crer a facção que agora ocupa o executivo federal. Não foi pela família brasileira, não foi por Deus, não foi contra a corrupção. Foi contra o trabalhador e em favor do empresariado. Foi por impunidade, lucro e poder.

Fonte: The Intercept

Curta nossa página no Facebook



Estudante comove a internet com declaração do pai semianalfabeto


A declaração de amor de um pai à filha comoveu a internet nesta semana. O “eu te amo” foi seguido por um pedido de desculpas por ele não saber escrever. Ao compartilhar a mensagem, a estudante da Universidade Federal do Rio de Janeiro Micarla Lins, de 21 anos, lembrou que saber ler e escrever é um privilégio num país com tantas desigualdades sociais.

“Vi o compartilhamento de uma mensagem de uma pessoa dizendo que saber ler não é inteligência, é privilégio. Acabei me lembrando de algumas situações de preconceito vividas por meu pai e resolvi publicar uma mensagem que ele me mandou pedindo desculpas por não saber escrever. Não esperava que fosse ter tanta repercussão”, contou Micarla.

A jovem publicou a mensagem no Facebook na noite de terça-feira (20). Rapidamente o post recebeu cerca de 300 curtidas, segundo ela.

“No início meu pai disse que ficou triste e envergonhado, porque as pessoas saberiam que ele não sabe escrever. Combinei com ele que iríamos dormir e, pela manhã, eu iria checar os comentários e, dependendo do conteúdo, eu iria apagar o post. Quando acordei, já havia mais de 60 mil curtidas e 600 comentários”, contou.

Pouco mais de 24 horas depois, a postagem já tinha mais de 200 mil curtidas e 32 mil compartilhamentos.

“Acho que meu celular nunca tocou tanto. Eu estou emocionada. Fiquei bastante feliz com as mensagens que recebi. Meu pai está muito emocionado por saber que existem muitas outras pessoas na mesma condição que ele”, destacou Micarla.

Segundo a estudante, diversas pessoas compartilharam com ela histórias semelhantes.

“A que mais me comoveu foi o um relato de uma menina que tinha uma avó que não sabia ler e escrever. Infelizmente ela cometeu suicídio e não deixou nenhuma carta exatamente por não saber escrever. A menina disse que chorou bastante ao ler meu relato e lembrar dessa avó”, contou.

Para Micarla, a manifestação das pessoas que compartilharam seu post tem sido a sua maior recompensa. “A vida é uma grande troca. A partir do momento que eu resolvi compartilhar [a mensagem do pai], eu recebi de volta muito carinho”, disse.

Trajetória
A família de Micarla é de Recife. O pai perdeu a mãe muito cedo, vítima de um câncer, e precisou abrir mão dos estudos para trabalhar e ajudar no sustento da família. Aos 16 anos, se casou com Mônica, com quem teve três filhas. Micarla, a caçula, foi a única que conseguiu ingressar na faculdade.

“Quando eu nasci, meu pai resolveu vir para o Rio de Janeiro, como muitos nordestinos. O que acho muito interessante, é que ele numa época ele ajudou na construção da Estácio de Sá e ele trazia muitos livros de direito pra mim. Anos depois eu acabei passando no vestibular para direito. Cursei dois anos, mas acabei decidindo mudar para serviço social”, contou.

Segundo Micarla, a declaração do pai foi dada em retribuição a um agradecimento que ela enviou a ele por mensagem no Facebook. Antes de a jovem passar no vestibular, a família se mudou para São Paulo, uma vez que o pai descobriu uma doença cardíaca grave e foi buscar no estado vizinho melhor condição de tratamento. Ela voltou ao Rio sozinha para cursar o ensino superior.

“Eu estava com muito medo, porque meus pais não têm condições financeiras de me sustentar. Mas eu estava muito orgulhosa e mandei uma mensagem dizendo isso a ele. Eu achava que ele só iria ler e não responder. Foi quando ele me mandou aquela mensagem. Eu tomei o maior tapa na cara da minha vida e ao mesmo tempo o maior empurrão”, afirmou.

No texto que compartilhou no Facebook, Micarla cobrou das pessoas pararem de debochar de quem não sabe ler ou escrever e se prontificarem a ensiná-los. "[...] já tá na hora de vocês aceitarem que nem todo mundo tem as mesmas oportunidades", afirmou ela em sua postagem.

“Meu pai não teve a mesma oportunidade que eu. Graças a um homem que não sabe ler e escrever eu estou na melhor universidade pública do país”, ressaltou.

Micarla afirma ter o sonho de transformar a vida das pessoas. Foi por esse motivo que optou por cursar serviço social. “Ser assistente social é, acima de tudo, assegurar direitos. Eu vejo muito no meu dia a dia, e na convivência com assistentes sociais, que a maioria das pessoas não tem consciência nem da metade dos direitos que ela tem”, declarou.

Apesar de satisfeita pela escolha do curso, ela espera ainda retornar ao direito e concluir as duas graduações. “Eu não faço as duas ao mesmo tempo por falta de dinheiro”, disse.

Fonte: G1 RJ

Curta nossa página no Facebook



Eleições 2016: Raimundão para e vai decidir se renuncia a candidatura

O prefeito Raimundo Macedo (Raimundão – PMDB) pode desistir de concorrer à reeleição em Juazeiro do Norte. A confirmação aconteceu no início da noite desta quarta-feira (21), em reunião com a cúpula da campanha em sua casa.

Um áudio gravado de Valdo Figueiredo, candidato pelo PEN a vice-prefeito na chapa de Raimundão, revela a situação da candidatura do atual prefeito.

“A campanha vai parar por até três dias para refletir sobre os ataques que vem sofrendo dos outros candidatos.  A coligação ainda está mantida. Os militantes continuam contratados e após os três dias doutor Raimundo vai reunir todo mundo para decidir o que fazer”, disse Valdo.

O áudio viralizou nas redes sociais e a produção do site Miséria teve acesso ao conteúdo. Mas informações de bastidores afirmam que a situação do próprio Valdo com a justiça eleitoral pode ter motivado Raimundão tomar essa postura. Comenta-se também o resultado nas pesquisas tenha também feito o prefeito a abortar a candidatura.

João Boaventura Neto

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Espécie de pterossauro de 110 milhões de anos é descoberta na Chapada do Araripe

Pesquisadores do Museu Nacional vinculado à UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) descobriram uma nova espécie de pterossauro, que recebeu o nome de Aymberedactylus cearensis. A novidade foi publicada no periódico PLOS, após análise do fóssil de uma mandíbula do animal, coletado quase intacto na Chapada do Araripe (CE).

Os pterossauros foram répteis voadores que viveram no mesmo período que os dinossauros --eles têm ancestrais em comum e são parentes próximos, mas de linhagens evolutivas diferentes.

A mandíbula está quase completa, mas perdeu parte da crista, característica do pterossauros.

"Todos possuíam uma crista, como uma crista de galinha, mas era óssea e ficava ligada a mandíbula", explica o especialista.

Os pesquisadores ainda debatem sobre a real função do osso --não há um consenso, mas uma das hipóteses é que ele era usado para o cortejo entre machos e fêmeas.

Entre os pterossauros existia o grupo dos tapejaríneos, ao qual o Aymberedactylus cearensis pertencia. Inclusive, segundo Pêgas, os primeiros tapajaríneos foram descobertos no Brasil, que é um território relativamente rico em descobertas de pterossauros.

"Em nosso país já foram encontrados mais de 30 psterossauros, e a maioria no Ceará. Entre essas descobertas estão os primeiros tapejaríneos. E, para se ter uma ideia, das dez espécies da subfamília registradas pelo mundo, cinco foram encontradas aqui", conta.

Outros animais da subfamília também já foram encontrados em países como China, Espanha e Marrocos.

Além da crista, os animais tinham em comum a ausência dos dentes, que provavelmente perderam durante a evolução, como aconteceu com as aves.

"O bacana da descoberta do Aymberedactylus cearensis é que notamos que a espécie é primitiva e ainda não conta com uma anatomia especializada que espécies mais recentes tinham. Com isso conseguimos estudar a morfologia única do grupo e descobrir quais mudanças e adaptações aconteceram", diz Pêgas.

Uma mudança marcante foi encontrada, claramente, na mandíbula. Os pterossauros da subfamília tapejaríneos que viveram depois da espécie recentemente encontrada tinham a mandíbula curva e curta, formato que sugere uma alimentação rica em frutas. Já a Aymberedactylus cearensis, mais primitiva, contava com uma mandíbula com curva suave e mais cumprida, ainda não especializada e "adaptada" para um animal frugívoro.

O estudo, que também teve a participação de Alexander Kellner, do Museus Nacional, e Maria Eduarda Leal, da Universidade Federal do Ceará, não conta com uma reconstrução da nova espécie descoberta em vida, uma vez que não foi possível certificar como era o crânio do animal. Porém, já se conhece a estrutura de alguns outros tapejaríneos, como o Tupandactylus, também encontrado no Ceará e o animal com a maior crista craniada conhecida.

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook



Eleições 2016: Em Barbalha, Lula fala em dar ʻtrocoʼ ao prefeito Zé Leite

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deslizou no discurso e disse que queria dar a resposta ao atual prefeito da cidade de Barbalha, Zé Leite (PT). A fala ocorreu nesta quarta-feira (21) quando Lula participava do comício de Fernando Santana (PT), que concorreu na cidade.

Lula finalizou o trecho do discurso falando que apoiar seu candidato é a melhor maneira de dar a resposta ao prefeito e ao grupo de Rommel Feijó (PSDB), que também disputa a eleição em 2016. Ao finalizar a fala, o ex-presidente destacou a carência de médico, fazendo referência à greve da saúde no município, que já é a maior do Brasil.

Ainda durante sua fala, o ex-presidente afirmou que está sendo perseguido e caluniado pela grande mídia nacional e que os problemas que ele gerou ao Brasil, foi dar oportunidade aos pobres de comer e estudar. Por isso, segundo ele, que os partidos que se opõem ao PT derrubaram a presidente Dilma Rousseff (PT), numa ação que ele classificou como ‘golpe parlamentar’.

Lula recebeu presentes, conversou com populares em cima do palco e no fim do comício foi para o meio do povo. Ele prometeu ainda que voltará a cidade de Barbalha no primeiro mês de governo para comemorar, caso seu candidato seja eleito. Em meio as suas palavras, o ex-presidente não descarta a possibilidade de disputar as eleições presidenciais em 2018.

Outros compromissos
O ex-presidente foi recepcionado na área destinada à Ciopaer, no Aeroporto Orlando Bezerra em caravana seguiu até Barbalha, de onde seguiu para o Crato e após isso foi para a cidade de Iguatu onde finaliza a agenda politica no interior do Estado.

Adriano Duarte

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Ao criticar demagogia, intolerância e nacionalismo na ONU, Temer ataca sua própria base

Nacionalismo, demagogia e intolerância eram justamente os principais componentes do tom das manifestações que defenderam o impeachment de Dilma Rousseff e acabaram desencadeando o processo que levou o ex-vice-presidente Michel Temer à posição de titular. No entanto, em seu primeiro discurso na ONU, Temer criticou, sem ironia, as atitudes de que se beneficiou.

Quem lê o discurso, que inclui exaltação aos programas de transferência de renda e críticas à paralisia política, sem saber seu autor pode até achar que as palavras são da ex-presidente petista, com quem rompeu. Ou de qualquer outro autor que estivesse bem distante das medidas que seu governo vem sinalizando desde quando ainda era interino e do perfil do atual congresso brasileiro.

Temer também elogiou a atuação do governo de Cuba na reaproximação dos Estados Unidos. Infelizmente, porém, o cumprimento não foi recebido pelo representante cubano, porque ele estava entre os que se retiraram do recinto no momento em que o governante brasileiro foi anunciado.


Leia matéria completa AQUI

Fonte: The Intercept

Curta nossa página no Facebook



ShareThis