Seduc abre inscrições para 3 mil para professores

A Secretaria da Educação do Estado do Ceará abre neste sábado (22) as inscrições do concurso público para o preenchimento de 3 mil vagas no cargo de professor classe pleno I. São reservadas 156 vagas para candidatos com deficiência.

No site do Cespe/UnB, é possível ver o edital (acesse o edital).

O salário varia de acordo com a carga horária. A remuneração inicial de professor classe pleno I para uma carga horária de 20 horas semanais é de R$ 1.222,46. Já para a jornada de 40 horas semanais, a remuneração oferecida é de R$ 2.444,92.

As oportunidades abrangem 14 disciplinas, para as quais os candidatos devem possuir curso superior de licenciatura plena: arte - educação (116 vagas), biologia (48), educação física (100), filosofia (23), física (45), geografia (175), história (175), língua espanhola (25), língua inglesa (300), língua portuguesa (1.028), matemática (899), química (41) sociologia (15), e língua brasileira de sinais – libras (10).

A carga horária será de 20 ou 40 horas/aula semanais de acordo com a carência existente. A opção inicial do candidato pela carga horária e localização de seu exercício será feita no momento da convocação para nomeação.

As inscrições podem ser feitas entre os dias 22 de junho e 21 de julho pelo site www.cespe.unb.br/concursos/seduc_ce_13. A taxa é de R$ 60.

A seleção terá as fases de provas objetivas, previstas para 22 de setembro, prova prática de didática (aula) e avaliação de títulos.

Todas as fases serão realizadas nas cidades de Acaraú, Baturité, Brejo Santo, Camocim, Canindé, Cratéus, Crato, Fortaleza, Horizonte, Icó, Iguatu, Itapipoca, Jaguaribe, Juazeiro do Norte, Maracanaú, Quixadá, Russas, Sobral, Tauá, Tianguá e Senador Pompeu, no Ceará.

Fonte: G1



Governo cria Bolsa-Copa com diária de até R$ 581 para ministros e servidores federais

Os ministros de Estado, servidores federais e os comandantes e oficiais das Forças Armadas ganharam, na última sexta-feira (14), o Bolsa-Copa para assistir às partidas da Copa das Confederações. Um dia antes do início da competição no Brasil, o Palácio do Planalto publicou o decreto 8.028/13, em edição extra do Diário Oficial da União, que dobra o valor das diárias desses servidores públicos. O texto é assinado pela presidente da República, Dilma Rousseff.

Cada um poderá receber até R$ 581 para arcar com gastos com hotel, alimentação e traslados. Esse valor é o teto e é oferecido aos ministros de Estado, no caso de deslocamentos para Brasília, Manaus e Rio de Janeiro. O piso é de R$ 147, para Praças das Forças Armadas, no caso de idas aos "demais deslocamentos". O benefício vale entre os dias 14 deste mês a 2 de julho de acordo com a disposição dos jogos da competição.

No caso das viagens para Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo, o valor chega a R$ 551,95. Caso os ministros queiram viajar para outras capitais dos Estados, a diária chega a R$ 520. Para demais viagens, o teto é de R$ 458,99.

Já para os comandantes da Aeronáutica, Marinha e Exército, o valor máximo da diária chega R$ 406,70 — para Brasília, Manaus e Rio de Janeiro. No caso de viagens para Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Salvador, São Paulo e Recife, o teto é de R$ 386,87.

Os deslocamentos para outras capitais do País vão render aos comandantes das Forças Armadas R$ 364 e, para as demais viagens, o valor é de R$ 321,29.

O decreto dispõe ainda que o benefício “não se aplica aos deslocamentos em que a administração pública disponibiliza hospedagem ou nos quais não haja pernoite”.

O dinheiro para o pagamento do benefício virá do “orçamento vigente dos órgãos e entidades, observadas as limitações de movimentação, empenho e pagamento”, diz o decreto.

Fonte: R7



Plantão Infotech: 6 coisas que você não imaginava ser possível fazer online

Se no final de semana você não quiser sair de casa, mas também deseja fazer compras no mercado e conversar frente a frente com algum amigo ou familiar que mora longe, é possível fazer tudo isso com a ajuda da internet.

Enquanto supermercados que entregam as suas compras em casa e serviços de conversa por vídeo online (como o Skype) são bastante conhecidos, a internet oferece muitas outras possibilidades que não são exatamente conhecidas do grande público.

Elencamos alguma das mais interessantes (e peculiares) logo abaixo. Já conhecia alguma (ou mais) delas? Tem alguma sugestão interessante para adicionar à nossa lista? Divida conosco na caixa de comentários!

1- Descobrir o seu tamanho de anel
Enquanto fazer compras online é mais prático (uma vez em que não é preciso nem sair de casa), problemas podem acabar surgindo dependendo do produto selecionado. É o caso dos anéis, cujas diferentes numerações causam confusão. Muitas vezes, inclusive, isso ocorre porque os clientes também desconhecem o seu número de anel – algo que poderia ser facilmente resolvido em uma loja física.

Para resolver o problema, algumas lojas (como a Cartier) oferecem guias de tamanhos online. Assim, é possível utilizar um anel seu para comparar com os tamanhos presentes na tela ou em uma versão impressa do guia.

Há também sites como o Find My Ring Size, que pede para o usuário utilizar um cartão de crédito como modelo para oferecer um guia em escala dos diferentes tamanhos de anel no mercado. No site, disponível apenas em inglês, é possível também escolher a numeração utilizada em diferentes países e regiões do globo, facilitando também as compras em sites internacionais.

2 - Encontrar o melhor assento do seu voo
É possível encontrar mapas de assentos nas páginas das linhas aéreas. Mas, com a ajuda do Seat Guru, é fácil encontrar o melhor lugar de qualquer voo de qualquer linha aérea no mundo. Assim, fica mais prático planejar viagens (especialmente aquelas com várias conexões).

Além disso, o site também permite que os usuários contribuam com informações a respeito dos lugares específicos. Assim, é possível saber se a asa vai cobrir a sua visão da janela, se o espaço para as suas pernas é apertado demais e até mesmo como são os descansos de braço.

3 - Imprimir as suas criações 3D
As impressoras 3D são a grande febre do momento. No entanto, mesmo os modelos mais baratos ainda custam bastante, sendo pouco acessíveis para o grande público, mas sites como o Shapeways e o i.Materialise aproveitam a tecnologia para oferecer produtos criativos produzidos em impressoras do tipo.

No entanto, o catálogo das lojas aumenta também com a participação do público. Designers podem enviar seus modelos 3D e transformá-los em realidade, caso a ideia seja aprovada – além de receberem uma participação nos lucros pela venda de seus modelos, é claro.

4 - Desenhar retratos falados
O Ultimate Flash Face oferece diversos modelos realistas de partes do rosto para que você consiga recriar faces com facilidade, mesmo se suas habilidades de desenho sejam nulas. Para ter uma ideia de como funciona, é possível ver um usuário utilizando o serviço nesse vídeo. Se você se interessar, é possível baixar também o aplicativo para Android e iOS.

5 - Assistir a aulas gratuitamente
Muitas universidades e institutos de educação oferecem aulas online gratuitamente. No entanto, às vezes é difícil acompanhar todos os cursos oferecidos na internet. O site Veduca, no entanto, é um ótimo centralizador e facilita bastante o aprendizado. Em seu site, é possível assistir a aulas de diversos cursos de universidades brasileiras, como a USP, UNESP e Unicamp, e de fora, como a britânica Oxford e as americanas Harvard e Yale.

É possível filtrar as videoaulas pela instituição de ensino ou também pela área do conhecimento desejada pelo aluno. Além disso, o Veduca também oferece legendas em português e até dublagem em diversas aulas das universidades de fora – tudo gratuitamente.

Mas é apenas conteúdo de nível superior que pode ser encontrado na rede. Entretanto, a Khan Academy (levada ao Brasil em parceria com a Fundação Lemann) oferece aulas de matemática, biologia, química e física dos níveis fundamental e médio gratuitamente. Além dos vídeos, o site conta com exercícios que testam o conhecimento aprendido no programa.

6 - Acompanhar a entrega do seu pedido
Nos Estados Unidos, a rede de pizzarias Domino’s oferece um sistema de acompanhamento que permite que seus clientes saibam desde quando a sua pizza saiu do forno até o momento dela ter saído para entrega.

No Brasil, a rede de comida japonesa Kimitachi, atualmente presente em Florianópolis e Curitiba, também oferece um serviço similar. No caso, os clientes podem fazer seu pedido online e, uma vez que ele é confirmado, é possível assistir a tudo sendo preparado na cozinha do restaurante graças a uma webcam. Quando o pedido é enviado para entrega, o cliente pode ver o horário em que isso aconteceu, além de ver a foto do entregador.

Fonte: Mega Curioso



Cid Gomes recebe manifestantes

O governador Cid Gomes e o prefeito Roberto Cláudio conversaram, ontem, na Assembleia Legislativa, com nove manifestantes, sobre as reivindicações deles. O governador se comprometeu a mandar investigar os supostos abusos, por parte de policiais militares, durante os dois protestos acontecidos em Fortaleza.

Antes do encontro, com Cid e Roberto Cláudio, os manifestantes também conversaram com o presidente da Assembleia, deputado José Albuquerque (PSB), e com os secretários municipais de Educação, Ivo Gomes (PSB), e de Conservação e Serviços Públicos, João Pupo.

A reunião do grupo com o Cid e Roberto Cláudio começou por volta das 13h20 e durou pouco mais de 1h30, a portas fechadas, assim como o primeiro encontro com os secretários e o presidente da Assembleia, que durou 2h45. Segundo o manifestante Gabriel Bonadies, foram apresentadas quatro páginas de reivindicações oriundas de várias pessoas que estão protestando nas ruas.

Dentre as proposições apresentadas, ele afirma que, além do pedido de investigação de supostos abusos por parte dos PMs, foram priorizadas a redução do preço da passagem de ônibus em Fortaleza e o atraso na entrega das carteirinhas de estudantes dos alunos novatos da rede pública de ensino.

Após o encontro, Cid Gomes afirmou que recebeu as "queixas dos manifestantes em relação ao tratamento que a polícia teve com eles no protesto da última quarta-feira" próximo à Arena Castelão e se comprometeu a pedir à Controladoria Geral de Disciplina, para investigar as denúncias. "Isso será examinado. É um dever nosso, não é nem concessão", garantiu, dizendo reconhecer a legitimidade do movimento. O governador também se comprometeu a se reunir com mais manifestantes em um segundo momento. "Estou sempre aberto ao diálogo. Se não são esses noves, estarei disponível para conversar com outros 100, 10 mil", disse.

Ônibus
Sobre a redução do preço da tarifa de ônibus, Roberto Cláudio lembrou que a gestão anterior, da ex-prefeita Luizianne Lins (PT), promoveu o aumento da tarifa, no dia 24 de dezembro do ano passado, de R$ 2,00 para R$ 2,20, e que a atual administração recorreu da decisão ao Tribunal de Justiça. "Foi dado ganho de causa na primeira instância, mas o Sindiônibus (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará) recorreu da decisão e ganhou. Recorremos mais uma vez. Está na Justiça", disse, reforçando a necessidade de os manifestantes cobrarem celeridade do Judiciário no julgamento do recurso.

O chefe do Executivo Municipal afirmou ainda que 28 mil carteirinhas de estudantes novos já estão prontas para entrega e que qualquer aluno pode ir pegar a sua na sede da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor). Ele explicou que os documentos não foram entregues até o momento, porque as entidades estudantis estavam aguardando o pagamento da dívida que, segundo ele, a gestão anterior não pagou a elas.

"Já pagamos metade da dívida e até julho pagaremos a outra metade", disse. O prefeito prometeu ainda melhorias na qualidade do transporte coletivo nos próximos anos de Governo.

"O Bilhete Único é o primeiro passo. Vamos agora trabalhar de forma séria e responsável o aumento da frota de ônibus com ar condicionado. Digo de forma responsável, para que não tenha aumento da passagem. Mas queremos, a partir do próximo ano, já aumentar o número de ônibus", informou.

Pauta objetiva
Roberto Cláudio também se colocou à disposição, para continuar dialogando com os manifestantes e, assim como o governador Cid Gomes, defendeu que o movimento organize, para os próximos momentos, uma "pauta objetiva", "para que possam cobrar dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário o cumprimento dessa pauta".

Reforçando o pedido que os manifestantes se organizem, o governador Cid Gomes comentou ainda que vai sugerir à presidente Dilma Rousseff que elabore matrizes de responsabilidade para as áreas de Educação, Saúde, Segurança, Mobilidade Urbana, assim como foi feita para a Copa do Mundo.

"Vamos fazer matrizes (…) com a participação dessa juventude, (…) deixando muito claro de quem é a responsabilidade de cada uma das tarefas e o prazo para cada uma delas", sugeriu, justificando: "Há um certo cansaço com o modelo representativo, e eu me incluo. Acho que podemos usar mais instrumentos de democracia direta".

Acquario
Durante a conversa, os manifestantes pediram ainda mais investimentos nas áreas avaliadas por eles como prioridade, como Educação, Saúde e Segurança, em detrimento de "obras faraônicas", como o Acquário do Ceará. "Eu disse para eles com toda franqueza e sinceridade: não quero fazer isso para ser uma pirâmide de Egito, para meu nome ficar na história. Procuro pensar em como podemos melhorar as oportunidades de emprego e renda para população. (…) E o que penso que o turismo é uma das principais áreas para isso", respondeu o governador, justificando que Fortaleza não tem mais condições de receber indústrias e que o comércio depende da renda da população.

O chefe do Executivo Estadual admitiu, contudo, que, em caso de questionamentos, "não tenho problema nenhum em submeter isso a um plebiscito popular em Fortaleza". "Defendo a participação direta. Penso que a maioria vai ser a favor. (..) Se forem contra, terei toda humildade de reconhecer", disse, lembrando que a construção do Acquário foi uma das suas promessas de campanha e que as pessoas votaram nele sabendo disso. "Fiz isso na intenção de ser uma coisa boa, se a maior parte da população acha que não é, qual o problema em voltar atrás. Quando eu estiver errado, vou ter sempre a humildade de voltar atrás", acrescentou.

Os manifestantes pediram ainda, durante o encontro, apoio de Cid Gomes e Roberto Cláudio contra a PEC 37, que restringe os poderes de investigação do Ministério Público (MP). Tanto o prefeito quanto o governador se declararam contra a matéria, desde que sejam aprimorados os instrumentos de fiscalização do órgão.

Legitimidade
"O Judiciário hoje tem amplo controle, feito pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). No MP, não há um controle adequado dos atos de excessos e dos atos individuais ilícitos de alguns membros. (...) É importante que haja esse controle, para que tenhamos a certeza de que estão agindo em nome do melhor interesse público", justificou o prefeito da Capital.

Os manifestantes que foram recebidos na Assembleia afirmaram que não são os líderes do movimento. De acordo com Gabriel Bonadies, não há uma liderança nas manifestações que estão acontecendo e não existe uma intenção deles e dos nove que se reuniram com o prefeito de Fortaleza e o governador do Estado de tomar a liderança. O manifestante afirmou que eles foram ao Legislativo Estadual após receberem convite do coronel Pinheiro, da PM, durante a manifestação da quinta-feira. "Queremos deixar claro que não estamos para liderar ou tomar o lugar de ninguém. (...) Estamos fazendo a abertura do diálogo que vai ser aproveitado por todos do movimento, desde que se organizem", destacou.

Fonte: Diário do Nordeste



Dilma diz que receberá manifestantes e anuncia pacto com governadores

A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta sexta-feira (21), durante pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV, que vai elaborar um Plano Nacional de Mobilidade Urbana que privilegie o transporte público. Ela também disse que receberá "líderes das manifestações pacíficas" e que conversará com governadores e prefeitos das principais cidades para elaborar um pacto para a melhoria dos serviços públicos.

O pronunciamento é uma resposta à série de manifestações desta semana em mais de 140 cidades do país. Dilma passou o dia discutindo com ministros e assessores a conveniência de fazer o pronunciamento, gravado no final da tarde (saiba como foi a repercussão no meio político).

“Vou convidar os governadores e os prefeitos das principais cidades do país para um grande pacto em torno da melhoria dos serviços públicos. O foco será: primeiro, a elaboração do Plano Nacional de Mobilidade Urbana, que privilegie o transporte coletivo; segundo, a destinação de 100% dos recursos do petróleo para a educação; terceiro, trazer de imediato milhares de médicos do exterior para ampliar o atendimento do SUS".

A presidente afirmou que se reunirá com as lideranças das manifestações e com representates de movimentos sociais.

"Anuncio que vou receber os líderes das manifestações pacíficas, os representantes das organizações de jovens, das entidades sindicais, dos movimentos de trabalhadores, das associações populares. Precisamos de suas contribuições, reflexões e experiências. De sua energia e criatividade, de sua aposta no futuro e de sua capacidade de questionar erros do passado e do presente."

Violência
No pronunciamento, a presidente condenou o vandalismo e as depredações registradas em várias das manifestações e criticou a "minoria violenta e autoritária" que danificou prédios públicos.

"O governo e a sociedade não podem aceitar que uma minoria violenta e autoritária destrua o patrimônio público e privado, ataque templos, incendeie carros, apedreje ônibus e tente levar o caos aos nossos principais centros urbanos", afirmou Dilma.

Segundo ela, essa violência "envergonha o Brasil", é resultado da ação de uma "pequena minoria" e não pode "manchar um movimento pacífico e democrático".

"Todas as instituições e órgãos de segurança pública devem coibir, dentro dos limites da lei, toda forma de violência e vandalismo", determinou. "Com equilíbrio e serenidade, porém, com firmeza, vamos continuar garantindo o direito e a liberdade de todos."

A presidente reiterou que o governo está ouvindo as "vozes" das ruas, mas não vai transigir com a violencia. "Asseguro a vocês: vamos manter a ordem".

"Eu quero repetir que o meu governo está ouvindo as vozes democráticas que pedem mudança. Eu quero dizer a vocês que foram, pacificamente, às ruas: eu estou ouvindo vocês! E não vou transigir com a violência e a arruaça."

Corrupção
Sobre corrupção, um dos temas mais frequentes nos cartazes de manifestantes nos protestos, a presidente afirmou que o país necessita de "formas mais eficazes" para combater o problema.

"A mensagem direta das ruas é pacífica e democrática. Ela reivindica um combate sistemático à corrupção e ao desvio de recursos públicos. Todos me conhecem. Disso eu não abro mão", declarou.

Ela disse que Lei de Acesso à Informação, que obriga governos e órgãos públicos a fornecer informações solicitadas pelos cidadãos, deve ser expandida.

"A Lei de Acesso à Informação, sancionada no meu governo, deve ser ampliada para todos os poderes da República e instâncias federativas. Ela é um poderoso instrumento do cidadão para fiscalizar o uso correto do dinheiro público. Aliás, a melhor forma de combater a corrupção é com transparência e rigor.

Copa do Mundo
A presidente justificou os gastos com a Copa do Mundo, um dos principais motivos de protesto dos manifestantes, que reivindicavam a aplicação em saúde e educação do dinheiro gasto com a construção de estádios.

"Em relação à Copa, quero esclarecer que o dinheiro do governo federal, gasto com arenas, é fruto de financiamento que será devidamente pago pelas empresas e governo que estão explorando estes estádios. Jamais permitiria que esses recursos saíssem do orçamento público federal, prejudicando setores prioritários como a saúde e a educação", afirmou.

Reforma política
A presidente classificou de "equívoco" a palavra de ordem dos manifestantes contra a presença de representantes de partidos políticos nas manifestações: "Sem partido". Nesta sexta, o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência) já havia afirmado que "sem partido, no fundo, é ditadura".

"Quero contribuir para a construção de uma ampla e profunda reforma política, que amplie a participação popular. É um equívoco achar que qualquer país possa prescindir de partidos e, sobretudo, do voto popular, base de qualquer processo democrático. Temos de fazer um esforço para que o cidadão tenha mecanismos de controle mais abrangentes sobre os seus representantes", disse.

Segundo ela, "é a cidadania, e não o poder econômico, quem deve ser ouvido em primeiro lugar".

"Precisamos oxigenar o nosso sistema político. Encontrar mecanismos que tornem nossas instituições mais transparentes, mais resistentes aos malfeitos e acima de tudo mais permeáveis à influência da sociedade", afirmou.

Fonte: G1



Juazeiro do Norte (CE): Vendedores reclamam de prejuízo no evento

Cerca de 150 barraqueiros e vendedores informais amargam os prejuízos causados pelo cancelamento da 13ª Edição do Juaforró, maior festa junina da Região, realizada neste município. As barracas do Parque de Eventos Padre Cícero, ainda durante noite de quinta-feira e o dia de ontem, estavam sendo desmontadas e os vendedores aguardavam a devolução do pagamento dos espaços, mesmo alguns não concordando com a proporcionalidade dos descontos.

A Prefeitura de Juazeiro do Norte decidiu acatar o parecer do Ministério Público Estadual que pedia a suspensão imediata do Juaforró 2013. A decisão foi tomada ontem durante reunião da procuradora-geral do município, Mariana Gurgel e da secretária de Cultura e Romaria, Marli Bezerra, com as promotoras de Justiça, Alessandra Magda Ribeiro Monteiro e Juliana Mota.

O Ministério Público do Estado do Ceará, através das promotoras de Justiça de Juazeiro do Norte, Alessandra Magda Ribeiro Monteiro e Juliana Mota, propôs uma ação civil pública com pedido de mandado liminar, a fim de que a festa junina fosse suspensa. O evento estava em seu terceiro dia e foi iniciado sob protestos na cidade, por conta do momento de crise em que passa a educação. Os professores estão em greve.

A Promotoria alegou a situação de "clamor público que passa Juazeiro pela situação do magistério", após reunião na tarde de ontem, com a Secretaria de Cultura e Romaria da cidade e Procuradoria do Município. A decisão ocorreu em comum acordo, onde se definiu pela paralisação da festa. O MP requereu a suspensão do Juaforró por fraude em licitações e ausência de plano de segurança.

Mediante o TAC, a Secretaria de Cultura se comprometeu em pagar os shows já realizados, dos dias 18 e 19, além de ajustar todos os valores pagos, proporcionalmente, pelos barraqueiros, estacionamentos e patrocinadores. Também foi solicitado o cancelamento das licitações referentes ao Juaforró, na modalidade Pregão Presencial para contratação de pessoa jurídica, apta a prestar serviço de realização de show pirotécnico, apresentação de bandas de renome local e regional, serviços de iluminação e segurança privada. O Executivo deverá apresentar em 10 dias a comprovação dos que foi acordado no TAC.

Ilegalidade
Os recursos utilizados para a contratação desse evento totalizam o montante aproximado de R$ 614.000,00. Segundo as promotoras de Justiça, o que se traz à apreciação judicial é que o dispêndio de dinheiro em tais circunstâncias e a própria contratação noticiada é ilegal.

Conforme Alessandra Magna, houve a divulgação das atrações antes mesmo da realização do pregão. Elas constataram fraude em licitação; inexistência de plano de segurança contra incêndio e pânico.

A dona da barraca, Eliete Soares da Silva, que ainda se encontrava na manhã de ontem no Parque Padre Cícero, disse que estava no prejuízo de mais de R$ 2.500, com uma mercadoria perecível, e estava aguardando receber pelo menos os R$ 520,00 que investiu no espaço. Já Lúcia Lucinda de Sena disseque chegou a pagar R$ 7 mil e pago pelo espaço R$ 2 mil. "Espero pelo menos receber esse valor da prefeitura, para quitar parte dos prejuízos", afirma.

O prefeito de Juazeiro do Norte, Raimundo Macedo, se encontra fora da cidade, desde a última terça-feira, em que permaneceu por mais de 6 horas sitiado por ume multidão, dentro da agência do Banco do Brasil, no centro da cidade. O prefeito, na última terça-feira, durante entrevista coletiva, justificou a realização da festa, mesmo com protestos dos professores pela contratação de bandas como Aviões do Forró e a cantora Elba Ramalho, além de mais 25 atrações, como a valorização da cultura local. O Juaforró teria continuidade até o próximo dia 25.

Protestos praticamente diários têm sido realizados em Juazeiro por contra mudanças em lei aprovada pela Câmara Municiopal, do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR). Anteontem de manhã foi realizada audiência entre o sindicato dos servidores e Procuradoria Geral do Município, na sede do Ministério Público, e à tarde, mais uma vez a integrantes da administração foram chamados à dar explicações sobre a realização do Juaforró na cidade.

A reunião, iniciada às 15 horas, aconteceu à portas fechadas e terminou apenas no início da noite. O MP solicitou o cumprimento de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), por parte da administração.

Ajuizamento
Segundo a promotora, Alessandra Magda Ribeiro Monteiro, foi buscado inicialmente um entendimento com a Procuradoria, e caso não ocorresse seria encaminhado ajuizamento de ação civil pública, além de procurar realizar a elaboração do TAC. Até a manhã de ontem, a procuradoria do município ainda não tinha conhecimento do caso, e a promotora justificou a elaboração imediata do documento pelo MP e comunicação direta à administração, pela Procuradoria.

A ação do MP visa a observância dos princípios constitucionais e a proteção ao patrimônio, à moralidade administrativa e à segurança pública. A ação pede que a Justiça determine que o município de Juazeiro do Norte se abstenha de empregar recursos públicos, sob qualquer de suas formas, para custeio do evento Juaforró deste ano de 2013, no parque de ventos Padre Cícero. As representantes do MP observam que há vulnerabilidade na segurança pública, utilizando as medidas previstas no art. 11, da Lei nº 7.347/85 para coagir o cumprimento, sem prejuízo da responsabilidade criminal dos responsáveis, em caso de desobediência.

O Ministério Público pede a anulação das contratações decorrentes do Edital de Pregão nº 2013.05.29.01 e do Convite nº 2013.06.06.01 e a devolução corrigida de todos os valores que eventualmente já tenham sido pagos. A decisão deverá fixar multa pelo eventual descumprimento, em valor equivalente ao dobro de qualquer quantia dispendida, a ser suportada pelo patrimônio pessoal do ordenador da despesa executada. A ação também quer que decisão vá para a Câmara e TCM.

Mais informações
Ministério Público do Estado do Ceará
Procuradoria Geral de Justiça (PGJ)
Telefones: (85) 3452.3781 / 3769
(88) 3571.6182

ELIZÂNGELA SANTOS
REPORTER

Fonte: Diário do Nordeste



22 de junho

1633 - A Congregação para a Doutrina da Fé em Roma obriga Galileo Galilei a negar que viu o Sol no meio do Universo.
1941 - Segunda Guerra Mundial: tem início a Operação Barbarossa.
1976 - A Câmara dos Comuns do Canadá extingue a pena de morte no país.

Nasceram neste dia…
1805 - Giuseppe Mazzini, político italiano (m. 1872).
1887 - Julian Huxley, biólogo britânico (m. 1975).
1949 - Meryl Streep (foto), atriz norte-americana.

Morreram neste dia…
1925 - Felix Klein, matemático alemão (n. 1849).
1969 - Judy Garland, atriz e cantora norte-americana (n. 1922).
1974 - Darius Milhaud, compositor francês (n. 1892).

Fonte: Wikipédia



Juazeiro do Norte (CE): Prefeitura vai depositar mais de R$ 3 milhões para pagar professores

Em nota à imprensa, a prefeitura de Juazeiro do Norte informou que o pagamento de mais de R$ 3 milhões estará disponível nas contas dos 2.312 professores do município, nesta sexta-feira, 20.

O diretor de Recursos Humanos, Carlos Renato Miranda, informou que trata-se do mesmo valor pago com a folha dos professores no mês de maio já que a diferença salarial, conforme acrescentou, só vai ser inserida na folha de julho. Ele disse ainda que o restante dos funcionários da Secretaria de Educação e de todas as demais secretarias irão receber seus salários de junho na próxima semana, representando mais R$ 6 milhões a serem injetados na economia municipal.

O prefeito Raimundo Macêdo reafirmou que não houve a redução dos salários dos professores. Para o prefeito, a redução teria sido "motivo de muitos alardes", mas o pagamento desta sexta-feira deve "tranquilizar" a categoria.

A prefeitura de Juazeiro do Norte informa também que nesta quinta-feira, 20, amanheceu nas contas dos 6.418 funcionários públicos de Juazeiro quase R$ 3,8 milhões referentes ao pagamento da primeira parcela do 13° salário dos servidores municipais efetivos.

Fonte: O Povo



FHC se diz contra 100% dos royalties para a educação

A nova proposta da divisão dos royalties oriundos da produção de petróleo prevê que 100% desses recursos terão que ser investidos na educação. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta quarta-feira discordar desse ponto de vista. Para ele, a maior parte dos royalties deve ser repassada para a melhoria do sistema educacional, mas outras áreas que ele disse considerar vitais para o desenvolvimento do País não podem ser esquecidas.

“Acho que educação não se resolve só com dinheiro, mas dinheiro é necessário. Não diria para dar tudo para a educação, mas uma parte importante. Os royalties são bons para se projetar o futuro, que envolve educação, meio ambiente, ciência e tecnologia. Isso é futuro também”, afirmou, após participar de almoço na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ).

FHC, que implementou uma política de privatização durante seus oito anos de governo, revelou ser contrário à presença da iniciativa privada na educação. Ele fez apelo para que o País volte a fazer grandes debates para planejar o futuro. “Precisamos voltar a discutir os temas nacionais, o que queremos para o futuro. Educação não se resolve com privatização”, observou.

O ex-presidente defendeu que o conteúdo ensinado nas escolas seja revisto. Segundo ele, mesmo diante de uma possível resistência inicial por parte de professores, pais e alunos, é necessário que se leve a ideia em frente.

“O que nós ensinamos, será que é isso que as pessoas querem aprender? Será que não precisamos de uma reforma mais profunda, de quase uma revolução no conteúdo e no modo como se ensina?”, comentou. “Isso é tarefa que vai ter que enfrentar sindicato, incompreensão de pais e alunos, terá que haver um debate, porque ninguém sabe realmente para que rumo, substantivamente, que temos que levar as mudanças mais profundas”, complementou.

Fonte: Terra


A maior arquibancada do Brasil - Por: Marcos Leonel*

O que quer e o que pode essa gente na rua? Quais são os olhos que devem enxergar esses protestos que pipocam em várias cidades brasileiras? Quem de fato dá de ombros e depois volta a contabilizar em seu acúmulo próprio os bens materiais e imateriais do povo? É possível menosprezar tanta envergadura? Brasil! Será que urnas tuas não fogem mais à luta? São inúmeras perguntas clandestinas e infinitas respostas desmascaradas.

Esses que estão nas ruas não são ratos que saíram de piscinas instaladas no poder. É certo que até pouco tempo atrás eles estavam guardando os carros, pois nunca foram convidados para essa festança bilionária com o dinheiro público. Mas, enquanto os protestos mostram outra cara do Brasil e promulgam os transtornos que tentam mudar o País, os verdadeiros vândalos, canalhas e patifes que pilham profissionalmente os cofres públicos, se infiltram na obscuridade dos seus escritórios de alta periculosidade e sorrateiramente peidam em suas poltronas, enquanto despacham a compra de novos lotes de balas de borracha. Brasil! Mostra a tua cara e diz quem deve confiar em quem.

Há quem diga que não há foco em todas essas movimentações. Há quem diga que isso é evento, que é tumulto acertado em redes sociais. Há quem defenda a ideia que só o anarquismo vai salvar a última província refém da politicagem. Há quem afirme que esse palco é muito pequeno para tanto exibicionismo. Porém, não há de forma nenhuma, quem não reconheça a enorme insatisfação do povo que está nas ruas, com quem está no poder, com quem é poder, federal, estadual e municipal. É hora de desconstruir o verso: “paz sem voz não é paz, é medo”. Esse é o grito da intolerância às velhas práticas criminosas da política, ao vilipêndio moral das grandes corporações à dignidade do trabalhador. Esse é o grito da intolerância à falta de ética e de cidadania.

Os cartazes aleatórios exibidos pelos manifestantes formam um mosaico das iniquidades que o povo não engole mais. Ninguém aceita mais a bandidagem instalada em largos lotes dos três poderes. Os mortos das filas nos hospitais públicos se levantaram para protestar. Os fantasmas da educação pública gritam palavras de ordem. Os flagelados assalariados que dependem dos serviços públicos estão imunes ao gás lacrimogêneo. Os retirantes sociais não buscam mais as sobras do produto interno bruto nos latões de lixo das assembleias legislativas, agora eles erguem barricadas e preparam a revolução em diversos idiomas, é certo que não se sabe até que ponto. É sujeira para todo lado.

Nada parece funcionar no País, só mesmo as redes sociais. Parece que o povo acordou. Parece que a Justiça vai ser ela mesma e vai mandar para a cadeia todos os ladrões eleitos. Até parece que os eleitores dessa corja serão enquadrados como cúmplices. Aparentemente nenhum cafajeste deputado ou senador que tenha sonhado com a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição número 37 será bem tratado em suas comunidades. Esse povo apartidário que sobe e desce avenidas em busca de se fazer ouvir é bem parecido. Mas, de fato, o Brasil não pode mais viver de aparências. Essa pátria não pode ser mais essa mãe gentil do crime organizado oficial. As margens nunca foram plácidas. É preciso ouvir em um brado retumbante que esse país não é mais aquela porra do Brasil.

*Marcos Leonel é professor



Juazeiro do Norte (CE): MP quer apurar alterações na lei

A proposta de pedido de revogação da lei do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), aprovada recentemente pela Câmara Municipal, será levada ao Executivo deste município, por meio da Procuradoria Geral do Município, que esteve presente à audiência pública realizada na manhã de ontem, na sede do Ministério Público da cidade.

O MP também irá entrar com um pedido de apuração da alteração do texto da lei, após constatação na própria reunião, de diferença entre o texto lido pelo Executivo e o que foi enviado pelo Legislativo, após aprovado para o sindicato da classe.

Segundo o Sindicato dos Servidores Municipais, há muitas distorções entre o que está sendo dito e o que realmente consta na legislação.

Segundo a assessora jurídica do Sindicato, Romênia Botelho, todas essas questões deverão ser apuradas e o Sindicato irá entrar com pedido de investigação. A mudança no texto da lei trata do artigo 38 do parágrafo 1º, em que insere o caráter revisional dos 30% de gratificações por regência voltados aos docentes.

Proposta
A proposta do Ministério Público foi por uma abertura de diálogo entre o Sindicato e Executivo, e, com isso, a realização de uma assembleia com os professores para a possível finalização da greve e o encaminhamento do Executivo para as alterações necessárias na lei, em comum acordo com o a entidade dos servidores.

De acordo com a promotora de Justiça, Alessandra Magda Monteiro, na próxima terça-feira, voltará a ser realizada uma nova reunião, às 14h30, e todos os documentos com as decisões realizadas pelo Sindicato e o Executivo devem ser repassadas por escrito. Essa também foi uma das solicitações do Sindicato.

Segundo a assessora jurídica, muito do que está sendo dito pela administração não consta, de forma explícita, nas mudanças do PCCR aprovadas pela Câmara e com projeto de lei já sancionado pelo prefeito, que só entrará em vigor após a publicação no Diário Oficial.

Entre as divergências apresentadas, está a incorporação de 10% da gratificação por regência, atualmente de 40%, ao salário dos professores. O vereador Cláudio Luz, disse que, após estudar a lei, se percebe que não haverá ganhos para os professores de 10%, já que 7,97% de aumento foram inseridos em janeiro, e correspondem ao acréscimo aos salários de professores no âmbito nacional, do governo federal. Quanto aos 2,03%, que completaria os 10%, conforme a lei analisada pelo vereador, são acrescidos pelo próprio Executivo, chegando ao proposto. "Então não há ganhos, porque a maior parte do percentual já faz parte do aumento concedido pelo governo federal", diz o parlamentar municipal.

A Procuradora do Município, Mariana Gurgel, ressaltou a incorporação ao salário, mediante a proposta do Executivo, sem prejuízos aos professores. O que, para o sindicato, ainda não ficou claro mediante o que o próprio projeto não expõe. A questão dos professores readaptados também foi discutida. Atualmente, segundo a secretária de Educação, Célia Viana, existem 205 professores da cidade nessa situação, e a proposta do projeto, conforme a procuradora, é que haja uma reavaliação da situação desses casos, mediante perícia, para decidir quem se adequa ou não com os 40% de gratificação por regência. Para aqueles com função pedagógica, haverá continuidade da gratificação, conforme as mudanças estabelecidas no PCCR.

O posicionamento do vereador Cláudio Luz e do Sindicato é que não houve discussão para o encaminhamento e aprovação do projeto. Para ele, nas condições em que foi votado, feriu o estatuto da Casa Legislativa. O vereador ainda disse que haverá perdas para os professores. Segundo o Sindicato, com as novas mudanças, também há aumento de possibilidade de contratação de professores temporários, em detrimento da realização de concurso para efetivos. Além da lei aprovada não deixar claro a forma de reajustes futuros dos docentes, já que foi retirado a condição de como a melhoria salarial deve ocorrer, tendo como base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

O fechamento de escolas na zona rural da cidade foi outro ponto colocado pelo vereador Cláudio Luz e o Sindicato durante a reunião. A promotora disse que vai avaliar esse caso, já que foi encaminhado ao Ministério Público abaixo assinado das comunidades sobre o problema.

ELIZÂNGELA SANTOS
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste



Juaforró é cancelado: MP e Prefeitura firmam TAC

O Ministério Público do Estado do Ceará e a Secretaria Municipal de Cultura e Romaria de Juazeiro do Norte firmaram na tarde desta quinta-feira (20) um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para cancelar a festa junina Juaforró. O acordo foi feito entre as promotoras de Justiça Alessandra Magda Ribeiro Monteiro e Juliana Mota; a secretária municipal Maria de Jesus Alves Bezerra; a procuradora-geral de Juazeiro do Norte, Mariana Gomes Gurgel; e a subprocuradora municipal Cintia Vieira Pereira.

O Município de Juazeiro do Norte se comprometeu a cancelar o festejo junino Juaforró 2013 a partir de hoje (20), efetuar o pagamento dos shows já realizados; fazer a devolução proporcional dos valores pagos à utilização do Parque de Eventos Padre Cícero no que se refere às barracas e estacionamentos; devolver proporcionalmente os valores arrecadados com patrocinadores; dar continuidade à reforma do Parque de Eventos; cancelar as licitações referentes ao Juaforró/2013; e cancelar o contrato decorrente do processo de inexibilidade de licitação.

As representantes do MP consideraram para o TAC a questão da segurança pública, em razão da ausência de plano de segurança contra incêndio e pânico; e o clamor público na cidade. Com o TAC, o Ministério Público não realizará o protocolo judicial da Ação Civil Pública já preparada referente à suspensão do Juaforró/2013. Em caso de descumprimento, será cobrada multa diária no valor de R$ 10 mil à pessoa da secretária municipal.

Fonte: Assessoria de Comunicação / MP-CE



Em dia de maior mobilização, protestos levam mais de 1 milhão de pessoas às ruas no Brasil


Mais de 1 milhão de pessoas participaram de protestos em várias cidades do Brasil nesta quinta-feira (20). O ato acontece um dia após os anúncios de revogação de aumento de tarifa em várias cidades do país, como Rio de Janeiro e São Paulo.

Em Brasília, após tentarem entrar no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto, manifestantes depredaram o Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores. No Rio de Janeiro, Salvador, Belém, Campinas e Fortaleza, houve confronto de manifestantes com policiais. Um manifestante morreu e outros três foram atropelados durante os protestos que ocorrem em Ribeirão Preto (313 km de São Paulo).

O número total de participantes deve crescer ainda mais, pois nem todos os lugares divulgaram uma estimativa oficial sobre os protestos.

Além do pedido de mais qualidade e tarifas mais baixas no transporte público, tema que originou a onda de protestos, as "bandeiras" dos manifestantes agora reúnem uma série de outros motes: o uso de dinheiro público em obras da Copa do Mundo, melhorias nas áreas de saúde, educação e segurança, combate à corrupção, a PEC 37 (mudança de lei que pode tirar o poder de investigação do Ministério Público), além de outras questões e insatisfação generalizada contra governantes.

Rio de Janeiro, com ao menos 300 mil pessoas, e São Paulo, com mais de 110 mil pessoas, reuniram a maior quantidade de público os protestos desta quinta. Os números foram estimados pela Polícia Militar do Rio de Janeiro e a Secretaria de Defesa Social pernambucana.

No Rio, os manifestantes se concentraram na Candelária. Antes do início da passeata, cerca de 20 militantes da CUT (Central Única dos Trabalhadores) foram expulsos da concentração para o protesto. Pressionados pela multidão que gritava "Sem partido", os militantes deixaram o local pela rua da Quitanda.

Em São Paulo, ao menos 110 mil manifestantes, segundo medição do Datafolha, voltaram a interditar a avenida Paulista e a avenida 23 de Maio, na região central da cidade.

A onda de protestos começou a crescer em 6 de junho em São Paulo, quando 2.000 pessoas protestaram contra o aumento da tarifa de ônibus, metrô e trem, que subira de R$ 3 para R$ 3,20 quatro dias antes (2 de junho; a alta dos ônibus foi de 6,7%, contra 15,5% do IPCA).

Na quarta (19), pressionados pelos protestos (que levaram 65 mil pessoas às ruas na segunda, 17) , o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o prefeito Fernando Haddad (PT) anunciaram, em conjunto, a revogação do aumento, levando o valor da tarifa de volta a R$ 3. O protesto de hoje em São Paulo tinha também, segundo o Movimento Passe Livre, a intenção de "comemorar a vitória" dos manifestantes.

Outro grupo de manifestantes, organizado pelo PT, realizou um ato de apoio à presidente Dilma nas proximidades da avenida Paulista.

Veja a estimativa de participantes em algumas das cidades em que houve protestos nesta segunda (todos os dados foram fornecidos pela Polícia Militar local, exceto São Paulo, cuja fonte é o Datafolha):

Rio de Janeiro – 300 mil
São Paulo – 110 mil
Manaus - 60 mil
Vitória - 60 mil
Recife - 52 mil
Campinas (SP) - 35 mil
Campo Grande - 35 mil
Cuiabá - 35 mil
Brasília – 30.000
Ribeirão Preto (SP) - 25 mil
João Pessoa – 22.000
Florianópolis - 21 mil
Porto Velho - 20 mil
Uberlândia (MG) - 20 mil
São José dos Campos (SP) - 20 mil
Belém – 15.000
Belo Horizonte – 15.000
Campina Grande (PB) – 15.000
Natal – 15.000
Salvador – 15.000
Maceió – 10.000
Palmas – 10.000
Porto Alegre – 10.000
Teresina – 10.000
Curitiba – 3.000
Fortaleza – 1.500
Londrina (PR) – 1.000
interior de Santa Catarina – 50.000

Fonte: UOL



Cid diz que responsabilidade de repressão a manifestantes é do Governo Federal

Se a repressão das manifestações nas vias de acesso à Arena Castelão chamou atenção pela violência policial, a desproporção ainda foi leve se comparada à força empregada nas comunidades do entorno do estádio. Após dispersarem protestos da avenidas Alberto Craveiro e Paulino Rocha, policiais militares perseguiram manifestantes entre ruas próximas das vias, envolvendo crianças, adultos e idosos no processo. Em entrevista após o jogo do Brasil, o governador Cid Gomes (PSB) lamentou a violência, disse que a orientação da PM era de evitar confrontos e afirmou que a operação era de responsabilidade do Governo Federal.

Equipe do O POVO presenciou ainda momento em que policiais do Comando Tático Motorizado (Cotam) dispararam contra cidadãos que não faziam parte das manifestações. Um morador da Aerolandia, que assistia o jogo com amigos e família no quintal de casa, foi atingido na perna após contestar ordens de policial. “Ele mandou eu sair correndo e, quando eu perguntei por quê, deu um tiro no chão, que jogou estilhaços na minha perna”, disse.

Outros dois disparos foram feitos contra janelas da área, deixando moradores em pânico. Haviam crianças no local. Na mesma ocasião, policiais do Cotam apontaram escopetas contra repórter do O POVO. “Tá querendo morrer? Corre pra lá”, ordenou um dos PMs, após o repórter questionar a razão da violência. O comandante geral da PM, Werisleik Matias, disse que desconhecia qualquer caso dessa natureza. Ele afirmou ainda que pessoas atingidas podem procurar a Controladoria da Polícia Militar e registrar denúncia.

Nas proximidades da Paulino Rocha, a dona de casa Adailma Soares, 40, abrigou oito manifestantes que tentavam fugir dos efeitos do gás lacrimogênio. “Depois, quando saí com uma criança, eles ainda estavam lá fora, atrás de manifestantes que não estavam fazendo vandalismo”, diz.

Fonte: O Povo



Juazeiro do Norte (CE): Raimundão nega protestos contra ele no município

Após ficar, por quase sete horas, encurralado dentro de uma agência do Banco do Brasil, na última terça-feira, o prefeito de Juazeiro do Norte, Raimundo Macêdo (PMDB), afirmou desconhecer que o teor dos protestos no município, distante 493,4 quilômetros de Fortaleza, seja de descontentamento com a atual gestão e peçam a saída dele do cargo. Na manhã de ontem, o prefeito já estava em Brasília, para reunião com ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco.

O protesto, intitulado “Fora, Raimundão”, reuniu professores, estudantes e outros apoiadores do movimento descontentes com a administração do prefeito. Reforçado pelas manifestações que têm acontecido em diversas partes do Brasil, centenas de pessoas tomaram as ruas da cidade na tarde da terça-feira, 18. Segundo o prefeito, ele estava saindo do banco quando viu a movimentação e afirmou ter ficado lá para evitar exposição.

“Eu estava saindo do banco e eles iam passando. (A manifestação) não foi programada diretamente para mim. Havia um movimento geral, eles iam descendo para a Câmara Municipal”, afirmou o prefeito. Questionado se tomaria alguma providência diante dos protestos em Juazeiro, Raimundão, como é conhecido, disse que “quem tem de tomar providência é a Presidente da República”, pois os protestos estão ligados a questões nacionais.

O prefeito voltou a negar que houve redução no salário dos professores do município e que o pagamento adiantado do dia 28 para o dia 21 deste mês será a prova de que não haverá desconto. O encontro em Brasília, juntamente com o secretário de desenvolvimento econômico e turístico do município, José Roberto Celestino, deve tratar das obras no aeroporto de Juazeiro do Norte.

Saída conturbada
A retirada do prefeito do banco contou com a ajuda de um carro da Polícia e terminou em conflito entre manifestantes e policiais. Raimundão disse desconhecer conflitos durante a saída do banco. No entanto, na página do Facebook do protesto, diversas pessoas postaram mensagens de repúdio à ação da Polícia.

O estudante de Engenharia Ambiental do Instituto Federal do Ceará (IFCE), em Juazeiro, Marcos Vinícus, afirmou que, enquanto acontecia uma assembleia para decidir os manifestantes que entrariam para conversar com o prefeito, agentes da Guarda Municipal começaram a jogar spray de pimenta na multidão. No momento, alguns manifestantes reagiram, jogando latas e tintas. “Tentamos fazer um cordão para impedir a passagem do carro, mas a segurança, com truculência e xingamentos, empurrava os manifestantes”, afirmou.

Raimundo Macêdo deixou o banco quase à meia-noite, escoltado por policiais. O cerco impossibilitou o prefeito de estar presente na abertura do festival junino Juáforró, que teve início na noite da terça-feira com a presença da banda Aviões do Forró. O evento é uma das críticas dos manifestantes devido à verba milionária destinada para a realização.

A notícia do cerco ao prefeito dentro da agência bancária foi destaque no noticiário nacional e internacional. Jornais como o The New York Times, dos Estados Unidos, e Le Monde, na França, destacaram o protesto no Interior do Ceará.

Apesar da situação em que foi colocado pelos manifestantes, o prefeito afirmou estar “com a consciência tranquila”.

Jéssica Welma

Foto: Normando Sóracles / Ag. Miséria

Fonte: O Povo



Manifestações populares não são novidade: conheça algumas aqui

Em épocas de protestos, manifestações e passeatas, não custa retomar alguns fatos históricos, também relacionados a movimentações populares, que marcaram a política de nosso país e provaram que o povo que vai às ruas tem força e, principalmente, voz. Além de acordar o gigante, às vezes é preciso reavivar a memória desse belo adormecido e, caso você seja uma dessas pessoas que acreditam que é a primeira vez que esse tipo de movimentação acontece, talvez esteja na hora de aprender um pouco mais e rever seu discurso.

A Revolta do Vintém
Vintém era a palavra que denominava a quantidade de 20 réis, e, lutando contra o pagamento de um vintém pelo uso dos bondes no Rio de Janeiro, a população saiu às ruas várias vezes, entre 1878 e 1879. Já àquela época esse tipo de atitude causava conflito entre manifestantes e as forças armadas. Foram muitos os casos de mortos e feridos durante os protestos na então capital do Brasil. Estima-se que 5 mil pessoas tenham saído às ruas, o que fez com que o reajuste da tarifa fosse cancelado.

A Revolta da Vacina
Um Brasil sem condições sanitárias adequadas fazia do começo do século 20 um cenário determinista, propício a doenças diversas — o que foi muito bem descrito no livro “O Cortiço”, de Aluísio Azevedo, ainda que a obra seja do final do século 19.

O sanitarista e chefe da Diretoria da Saúde Pública, Oswaldo Cruz, garantiu ao então presidente da República Rodrigues Alves que acabaria com os surtos de febre amarela no período de três anos.

A obrigatoriedade da vacinação, medida desconhecida àquela época, e a violência que o governo usou para obrigar a população a se vacinar, invadindo casas e fazendo abordagens violentas, levou 3 mil pessoas às ruas entre os dias 10 e 18 de novembro de 1904. Ao total, 30 manifestantes morreram, 110 ficaram feridos, 1 mil foram presos e centenas deportados.

Greve da meia-passagem
Definitivamente não é de hoje que a população se revolta. Após presenciar três reajustes no valor da passagem no período de um ano em 1979, mais de 15 mil maranhenses foram às ruas em São Luís no dia 17 de setembro, protestar contra os aumentos abusivos. Em contrapartida, os estudantes, que foram chamados de marginais, depararam-se com forte repressão policial, com um saldo de 50 pessoas feridas e mais de 1.300 detidas.

Apesar da confusão, a lei da meia-passagem foi sancionada no dia 1º de outubro daquele ano, garantindo a redução da tarifa para os estudantes.

Diretas já
Uma das manifestações mais conhecidas ocorreu com a intenção de recuperar o direito de voto direto, abolido durante o Golpe Militar em 1964. A primeira manifestação foi pequena e não teve muita repercussão, no município pernambucano Abreu de Lima, em 1983. Mas os ideais não morreram e fizeram com que o ano seguinte fosse marcado por uma série de grandes manifestações, sendo que a primeira, na capital mineira Belo Horizonte, levou mais de 400 mil pessoas às ruas no dia 24 de fevereiro.

O dia 10 de abril foi marcado no Rio de Janeiro por reunir mais de 1 milhão de pessoas que protestavam a favor do voto direto. No dia 16, foi a vez de São Paulo, que reuniu 1,5 milhão de pessoas. Várias outras cidades brasileiras participaram das passeatas, em dias diferentes, todas contando com muitos manifestantes.

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 5, que previa o retorno das eleições diretas, foi votada no dia 25 de abril de 1984 e, mesmo recebendo 298 votos a favor contra 65 votos desfavoráveis e 3 abstenções, foi invalidada, já que 112 deputados aliados ao regime militar não compareceram.

O então presidente João Figueiredo censurou ainda mais a cobertura da imprensa nacional e houve forte repreensão policial. Apesar disso, o movimento teve grande importância história à luta pela democracia em nosso país e ao fim da repreensão política e da censura imposta pela ditadura militar. A população brasileira voltou a participar de eleições diretas em 1989, após a implementação de uma nova Constituição Federal, no ano anterior.

Impeachment de Collor
Primeiro presidente eleito depois do final da ditadura militar, Fernando Collor de Melo dizia, em suas campanhas, que acabaria com o poder dos marajás e com a corrupção. Porém, dois momentos geraram grande revolta nacional durante o seu governo: o confisco do dinheiro público e o grande esquema de corrupção em parceria com o tesoureiro da campanha presidencial Paulo César Farias. Esse esquema foi denunciado e provado pelo irmão do então presidente, Pedro Collor.

A população saiu às ruas para pedir o afastamento de Collor, no dia 25 de agosto de 1992. Estamos falando agora dos manifestantes que ficaram conhecidos como os “caras pintadas”, que foram 400 mil em São Paulo, 100 mil em Recife, 80 mil em Salvador. Já em setembro, no dia 18, 750 mil pessoas foram para as ruas na grande São Paulo. A renúncia tão esperada ocorreu no dia 29 de dezembro do mesmo ano. Atualmente, Collor é senador de Alagoas.

Marcha dos 100 mil
Esse protesto era contra o governo de Fernando Henrique Cardoso. Os manifestantes pediam que o Governo Federal fosse investigado por meio da abertura de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs). Estima-se que 100 mil pessoas tenham participado da revolta popular contra a corrupção do governo e o arquivamento indiscriminado de inquéritos, em 1999.

Revolta da Catraca
Tudo começou com o abusivo aumento da tarifa do transporte público na capital de Santa Catarina, Florianópolis, quando em junho de 2004 foi aprovado o aumento de 15,6% do valor da tarifa. A população, que já estava descontente com a qualidade do serviço, saiu de casa para protestar o aumento abusivo e fechou, inclusive, a ponte que liga a ilha à região continental da cidade, como forma de protesto. No ano seguinte, um novo reajuste provocou a revolta da população que, dessa vez, foi repreendida pela polícia.

Fonte: Mega Curioso



Protestos são louváveis e devem ser respeitados, diz Cid Gomes

As manifestações populares promovidas pela juventude, não apenas em Fortaleza, mas em todo o Brasil, são consideradas louváveis e devem ser respeitadas. A declaração foi dada pelo governador do Ceará, Cid Gomes, ontem, à imprensa, na zona mista da Arena Castelão, logo após a partida entre Brasil e México pela Copa das Confederações, enquanto o chefe do Executivo Estadual aguardava para cumprimentar os jogadores da seleção brasileira.

"Eu tenho 50 anos, mas já tive 18,20, e fiz isso, andei nas ruas, fui defensor de movimento ecológico quando pouca gente defendia, e sei que é próprio da juventude se manifestar", disse.

O governador justificou a presença policial nas ruas durante as manifestações para assegurar que o público chegasse à Arena Castelão. "Sessenta mil pessoas compraram o ingresso, tinha que ser assegurado a essas pessoas o acesso, a imprensa tinha que cobrir o evento, as seleções tinham que chegar, então a Polícia cumpriu um papel", ressaltou. Sobre a ação dos policiais, Cid esclareceu que pediu pessoalmente que filmassem os atos para análise posterior, para constatar se houve ou não exageros por parte da força policial.

Questionado sobre o uso de balas de borracha contra os manifestantes, Cid Gomes afirmou que a recomendação dada foi a de se fazer tudo para evitar qualquer tipo de conflito, mas que, em virtude de alguns manifestantes tentarem ultrapassar o limite final imposto pela barreira fusível, foi necessário utilizar os recursos determinados pela regulamentação nesses casos, como o spray de pimenta, primeiramente, a bomba de efeito moral, e, em último caso, as balas.

"Vamos examinar cada uma das imagens, a nossa disposição é de paz, é de estímulo a esses movimentos que existem no Brasil. Eu, pessoalmente, estimulo os jovens a se manifestarem, a acompanharem a vida do seu País, lutarem por melhorias na saúde, educação, segurança. O Brasil avançou muito, mas sabemos que ainda está muito longe de ser um País onde as pessoas possam ter qualidade de vida, e portanto, eu compreendo perfeitamente", declarou.

Cid Gomes afirmou, ainda, que pretende procurar as lideranças do movimento para negociar as reivindicações. "Quero me colocar à disposição, dialogar, quero saber quais são as reivindicações para que objetivamente a gente possa dar retorno a esse apelo popular", afirmou.

Repercussão
Os protestos ocorridos na Capital cearense, ontem, tiveram repercussão na mídia internacional. No jornal francês Le Monde, na rede britânica de televisão BBC, e no jornal americano The Times, os atos foram destaque na capa de seus respectivos portais de notícias.

O Le Monde taxou os protestos como uma batalha campal entre manifestantes e a Polícia. Além disso, lembrou que torcedores violaram diretrizes da Fifa ao levarem cartazes em apoio às manifestações. A rede BBC britânica relatou em sua manchete toda a movimentação na cidade de Fortaleza.

O português Correio da Manhã afirmou que a correria e a perseguição espantaram torcedores que estavam indo à partida. Já o espanhol El Pais mostrou com destaque na capa de seu portal a foto de um policial repreendendo as manifestações.

RENATO BEZERRA
REPÓRTER 

Fonte: Diário do Nordeste



Sua saúde: Orgasmo pode causar dor de cabeça fulminante; entenda a cefaleia orgástica

Imagine um encontro perfeito: champanhe para brindar, um prato sofisticado para o jantar, um vinho especial para acompanhar, beijos e carícias. A consequência natural é mais do que esperada: aquela cama gostosa, com lençóis macios e perfumados, para uma noite de amor. Mas, e se no meio da relação sexual, no ápice da excitação, quase chegando lá, aparecer uma incrível dor de cabeça, tão fulminante que é dá vontade de parar tudo? Não, não é a velha e conhecida desculpa da dor de cabeça para não transar. Trata-se da cefaleia orgástica, uma doença que atinge até 1% da população ocidental e pode prejudicar - e muito - a vida sexual.

Segundo o neurologista especializado em dor de cabeça, Abouch Krymchantowski, membro da American Headache Society e da International Headache Society, a cefaleia do orgasmo representa de 0,2 a 1,3% de todas as dores de cabeça que se manifestam em caráter mais frequente em pacientes. E não são poucas: existem mais de 250 tipos de dor de cabeça, que atingem mais de 90% da população brasileira, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia.

“Para se diagnosticar a cefaleia orgástica é preciso que a dor de cabeça aconteça na vigência do ato sexual”, afirma o neurologista Pedro Moreira, membro da Sociedade Brasileira de Cefaleia e professor de Neurologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal Fluminense. Nessa circunstância, o problema pode se manifestar de duas maneiras. A cefaleia pré-orgástica, menos comum, ocorre antes do orgasmo, na fase inicial de excitação ou da relação sexual. “Vai aumentando progressivamente na medida em que o indivíduo vai se excitando. A intensidade é tão grande que muitas vezes é preciso interromper o orgasmo”, explica Moreira.

Já a cefaleia orgástica, mais comum, acontece na vigência do orgasmo, ou seja, no clímax sexual. “É uma dor de caráter explosivo, bem mais incapacitante, que afeta toda a cabeça ou só a nuca”, diz Krymchantowski. Segundo ele, os pacientes relatam que, quando atingem o orgasmo, a cefaleia costuma durar até 48 horas, mas, se o interrompem, a dor pode desaparecer em até uma hora.

Problema de homem
A doença pode afetar tanto homens como mulheres, mas, segundo um dos poucos estudos sobre o tema, realizado na Universidade de Munster, na  Alemanha, a cefaleia do orgasmo atinge cerca de três vezes mais homens do que mulheres e é mais comum entre os 20 e 25 anos. "Nem sempre acontece em todas as relações sexuais e pode também ocorrer numa masturbação", afirma Moreira. De acordo com os médicos, o problema costuma atingir mais as pessoas que apresentam outros tipos de dor cabeça, como a enxaqueca, apesar de o quadro não ser obrigatório. "Eu já vi pacientes com cefaleia do orgasmo que não tinham enxaqueca", conta Krymchantowski.

O desconhecido
A causa principal da cefaleia orgástica não é conhecida. Há uma corrente de estudiosos que afirma ter relação com o aumento da pressão sanguínea durante do ato sexual, quando a dilatação de vasos na cabeça e a produção de serotonina podem desencadear as crises. Outra corrente acredita que o cérebro das pessoas acometidas pela enxaqueca - que apresenta um desequilíbrio químico natural - recebe o estímulo do orgasmo como um fator desencadeante da dor. "É uma deficiência do sistema antidor", diz Krymchantowski. De acordo com Moreira, há também correntes que ligam o problema ao estresse, mas não há comprovação. "É uma teoria ainda muito discutível."

Vergonha
"Por vergonha ou por concluir que o problema não tem cura, muitos sofrem anos em silêncio e passam a evitar as relações sexuais, pois a intensidade da dor é muito grande. Isso acaba com a vida sexual", afirma Krymchantowski. O que se sabe com certeza é que não tem nada a ver com problemas psicológicos ou de outra natureza, como muitos pacientes chegam a pensar num primeiro momento.

Foi o caso do empresário M.A., de 54 anos, que desconfiou até de macumba, tamanha a falta de conhecimento sobre o problema. "Há alguns anos comecei a ter uma forte dor de cabeça quando transava com a minha amante. Era uma dor muito forte, explosiva, sempre antes do orgasmo. No entanto, a dor aparecia somente nas relações com a minha amante. Com a minha esposa eu conseguia ter uma relação sexual normal. Fiquei preocupado e achei, inclusive, que a minha esposa, já desconfivda da traição, tinha feito algum tipo de macumba para mim", conta o empresário.

Como o problema não desaparecia, ele começou a evitar as relações sexuais, principalmente com a amante. "Eu sentia muita vergonha e medo de a dor acontecer e ocasionar algo mais sério no momento do orgasmo. Achei que poderia ser por causa da alimentação, de remédios, estresse ou algum outro motivo que eu desconhecia", diz. O problema persistiu até que ele procurou um neurologista para um diagnóstico correto e recebeu medicação para controlar as crises. "Hoje já está tudo certo", comemora.

Diagnóstico e medicação 
Para o neurologista Abouch Krymchantowski, o mais importante para o diagnóstico é uma consulta demorada e detalhada com um neurologista especializado em dor de cabeça. "Ainda há muito desconhecimento em relação à essa doença, por isso é importante procurar um especialista".

"A cefaleia orgástica não coloca o paciente em risco de vida, mas é preciso afastar outras causas mais graves para fazer o diagnóstico correto", avalia o neurologista Pedro Moreira. Para ele, é necessário realizar alguns exames, como arteriografia cerebral, angioressonância cerebral e ressonância do cérebro. "Há determinadas circunstâncias que ocorrem também na vigência de um esforço e podem resultar em hemorragia cerebral provocada por ruptura de um aneurisma", afirma Moreira.

Uma vez descartadas causas mais graves, o problema é tratado com medicação, geralmente via oral, indicada pelo médico. Ter hábitos saudáveis, como dormir cedo, praticar exercícios físicos, controlar o estresse e procurar uma boa alimentação também ajuda no tratamento. E o mais importante, segundo os médicos, é não ter vergonha de procurar ajuda médica especializada.

Fonte: Terra



Crato (CE): Município faz festa pela emancipação política

Este município completa, amanhã, 249 anos de emancipação. A semana de comemorações vem sendo realizada desde a última terça-feira. O lançamento aconteceu na sede da administração municipal, onde houve a apresentação da logomarca dos 249 anos, e no final do evento será lançada a marca dos 250 anos da cidade. Um desfile cívico militar, além de homenagens, serão realizadas durante o dia do aniversário, na praça da Sé, no Centro da cidade.

O prefeito Ronaldo Sampaio Gomes de Mattos destacou que a cidade abre a comemoração de aniversário, já com um pensamento de realizar uma grande festa nos 250 anos, de um município que tem destaque de grande importância para a história e a cultura cearenses.

A programação da semana ocorre com inaugurações na cidade, além de competições esportivas, com participação recorde de atletas. Amanhã acontece a maior e mais antiga prova de ciclismo da cidade, a 21 de junho. O vencedor recebe o Troféu Wilson Gonçalves. O evento está sendo realizado por meio da Secretaria de Esportes. São 65 anos de realização da corrida.

O jornalista Lindemberg de Aquino, será homenageado com a maior comenda do Município, a Medalha do Mérito Bárbara de Alencar. O prefeito Ronaldo Sampaio concedeu entrevista coletiva, e falou dos projetos que vêm sendo desenvolvidos neste início de ano, na sua administração e os em andamento, com destaque para alguns deles, como o da Encosta do Seminário, que já está sendo licitado. Serão mais de R$ 20 milhões investidos, na área de risco da cidade, por meio do Banco Mundial, em parceria com a administração, executado pelo Governo do Estado. Ele que para isso, um conjunto habitacional está sendo construído para a abrigar as famílias que vivem em situação de risco, no local, e atualmente passam por acompanhamento social.

Ele disse que a administração está direcionando investimentos a todos os setores da área pública, e destacou que já foram lançadas para calçamento 100 ruas, onde seis já estão em plena atividade, localizadas nos bairros São Miguel, Parque Grangeiro, Zacarias Gonçalves, Seminário, Batateira e Alto da Penha.

Fonte: Diário do Nordeste



Addthis