Temer cogita Roberto Freire na Cultura e DEM na Educação

Depois de se reunir com o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, e com o senador Cristovam Buarque, o vice-presidente Michel Temer sinalizou dar ao partido, em seu eventual governo, o Ministério da Cultura, que seria comandado por Freire. O Solidariedade, por sua vez, passou a demonstrar interesse no Ministério do Desenvolvimento Agrário, que estava sob risco de extinção. O nome levado a Temer foi o do deputado Zé Silva (MG).

O DEM pode comandar o Ministério da Educação, provavelmente com o deputado Mendonça Filho (PE). Há resistência entre os peemedebistas pelo perfil não ligado à área, mas integrantes do DEM destacam a experiência de Mendonça como gestor público, por ter sido governador de Pernambuco. O presidente do partido, José Agripino (RN), deve se reunir na próxima semana com Temer.

Com a indicação do senador José Serra (PSDB-SP) bem avançada para o Ministério das Relações Exteriores, Temer resolveu dar uma segunda pasta para o PSDB. Ela deverá ficar com um representante do partido na Câmara e, hoje, o nome mais forte é o do deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), que deu o voto decisivo para a abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Além de Araújo, são considerados Antonio Imbassahy (BA) e Carlos Sampaio (SP). O convite deve ocorrer na próxima terça-feira, após o presidente do PSDB, Aécio Neves, entregar ao vice um documento de dez pontos com as premissas do partido para o novo governo.

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook



'O que se sabe do Eduardo Cunha é fichinha', dispara Garotinho

O ex-governador Anthony Garotinho, um dos principais inimigos do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, esteve em Brasília conversando com a presidente Dilma com o vice, Michel Temer, com quem tem boas relações.

Em entrevista ao programa Jogo do Poder, da CNT, que contou com a participação do jornalista Caio Barbosa, do O Dia, ele revela ter sugerido aos dois um ‘ato de grandeza’, que seria uma renúncia coletiva para tirar o país da crise e livrá-lo das mãos de Eduardo Cunha. “Não podemos ter um parlamento comandado por um ladrão”, disse o ex-governador. A entrevista vai ao ar neste domingo, às 23h15.

O Dia: Que avaliação o senhor faz do cenário político brasileiro?
Garotinho: Estamos num caminho perigoso. O melhor seria a presidente e o Michel Temer terem a humildade de dizer que não há governabilidade e convocassem eleições para que o povo pudesse votar. Ela se queixa de mandar as coisas para a Câmara e o Eduardo Cunha só votar as pautas-bomba. Ela tentou e não conseguiu. Ao contrario do que as pessoas pensam, a Dilma não está sendo julgada por corrupção. Mas por pedalada fiscal.

Um termo inventado por jornalistas, que não tinham como tipificar o que foi feito?
São dois pontos: ela tinha convênio com o Banco do Brasil e com Caixa Econômica. O BB pagava aos produtores o dinheiro do plano Safra e o governo pagava a diferença, a equalização. Com a Caixa era o Bolsa Família. Ela pagava e até o fim do ano o governo deveria devolver o dinheiro. Mas no fim de 2014 o governo não pagou e ficou um buraco. Houve roubo? Não. Houve uma dívida do governo federal com os seus bancos públicos. Isso é certo? Pela Lei de Responsabilidade Fiscal, não. Mas isso é motivo para cassar um presidente da República? O Lula fez isso. O FHC fez. Todos os governadores fazem. O Rio não faz pedalada, mas uma maratona fiscal. É muito pior. E nem paga salário!

E o segundo?
Ela editou oito decretos de suplementação sem autorização do Congresso. O que todo mundo sempre fez. O maior destes decretos foi feito pelo Temer quando Dilma estava viajando. Então, por que tirar ela e não ele? Sou a favor de tirar os dois. O que PT fez, com a cúpula antiga de José Dirceu, Delúbio, Vaccari, olha... mas trocar isso por Eduardo Cunha, Moreira Franco, Eliseu Padilha e essas figuras carimbadas como Jader Barbalho e Sarney?! Pelo amor de Deus!

Mas para saírem Dilma e Temer é preciso uma emenda constitucional ou a renúncia dos dois.
Renúncia dos dois. É mais digno. Foi o que falei com o Temer: "você e a Dilma têm de chegar na televisão e dizer à população que, pelo bem do país, vão colocar os mandatos à disposição para que o povo eleja alguém com legitimidade para arrumar esta confusão.

O Temer teria condições de reconstruir uma estabilidade política que permita ao Brasil voltar a uma certa normalidade?
Tenho boa relação com ele. E perguntei o que vão fazer com o Cunha. Não podemos ter um parlamento comandado por um ladrão. Eu demiti Cunha da Cehab (Companhia Estadual de Habitação) como ladrão. E esse homem hoje está aí...

Como o sr. vê a permanência dele no poder depois de tanta denúncia, das contas na Suíça...?
O que se descobriu dele até agora é fichinha. O Ministério Público sabe. A delação do Ricardo Pernambuco, da Carioca Engenharia, deu o número da conta, o nome do banco, e os valores depositados em Israel, na Suíça e nos EUA. São R$ 52 milhões só da Carioca Engenharia. E a Andrade Gutierrez? E as outras todas? Como um cidadão pode presidir o parlamento brasileiro sendo réu do STF por corrupção?!

O senhor falou com a Dilma depois da votação. Como foi o papo?
Estava muito abatida. Ela me disse: “Veja como são as coisas: vou ser condenada num julgamento comandado por um bandido”. Eu respondi: “a senhora sempre soube que ele era bandido. Ele não é bandido por estar julgando a senhora. É bandido há muito tempo. Vocês deixaram. Bandido é assim. Ameaça pular a janela. Ameaça arrombar a porta. Daqui a pouco ele entra na sua casa. Foi o que aconteceu”. Ela perguntou: "o que você acha que devo fazer? Tem gente que acha que devo sair, outros que devo ficar resistindo. Eu falei: “presidente, por que a senhora não toma a iniciativa e entrega o mandato para que o povo escolha?”.

E o que ela respondeu?
Não posso falar. Mas ela ligou para o Ricardo Berzoini (Secretário de Governo) e disse: “O Garotinho deu uma boa ideia. Falou para convocarmos uma cadeia de rádio e televisão, a imprensa internacional e eu falar que saio, mas para o Temer sair também e o povo escolher o novo presidente”.

Ela disse que faria isso se fossem eleições também para o Congresso.
Mas aí não passa (risos). Deputado não quer abrir mão de mandato. E ela estava muito chateada. Disse: “olha, Garotinho, tudo que eu e o Lula fizemos por aquele Sérgio Cabral e ele me manda o filho vir aqui votar contra. Isso é um vagabundo. Gente sem palavra”.

E a crise no estado? Que avaliação o senhor faz?
Avisei que isso iria acontecer. Quando começaram a dar incentivos fiscais para termas, casas de massagem, para o cabeleireiro da mulher do Cabral, eu sabia que o negócio iria quebrar.

Na campanha eles (do governo) exaltaram o sucesso financeiro do Rio e o creditavam ao bom relacionamento com o governo federal, que o senhor nunca teria conseguido quando governador.
Cascata. O governo federal emprestou o dinheiro. Chegou a hora de pagar. Nos últimos 6 anos, o Rio concedeu de incentivos fiscais e diferimentos de R$ 138 bilhões. Isso dá para pagar a folha dos servidores por cinco anos. Uma coisa é dar incentivo, como eu dei para Peugeot-Citroën, para o Pólo Gás-Químico, que gera emprego e renda. Outra é dar para termas. É até imoral.

Nós não ficamos acomodados nos últimos anos com o valor do royalties do petróleo?
A crise não tem a ver com royalties. O Estado recebia R$ 8,5 bi e agora recebe R$ 5,5 bi São 3 bi. Num orçamento de R$ 76 bi não é nada. Campos perdeu R$ 1 bi no orçamento de R$ 2,5 bi e nem por isso atrasou salários. A crise no Rio tem três pilares imperdoáveis: a farra dos incentivos fiscais, o aumento da terceirização — alugaram até ar refrigerado de escola e viatura da polícia. E o aumento exponencial da corrupção.

Fonte: O Dia

Curta nossa página no Facebook



Fumaça de incenso pode ser mais tóxica que a de cigarro, alerta pesquisa

Em breve, as embalagens de incenso podem vir com advertências do Ministério da Saúde bem parecidas com as que encontramos hoje nos maços de cigarro. Ao menos é o que se pode deduzir de uma pesquisa inédita realizada pela Universidade de Tecnologia do Sul da China, publicada no periódico Environmental Chemistry Letters. O estudo avaliou os riscos à saúde proporcionados pelo uso de incenso em ambientes fechados e também fez uma comparação com os efeitos do cigarro no organismo.

Já se sabia que o processo de queima do incenso libera partículas no ar que podem ser inaladas e provocar reações inflamatórias nos pulmões. Mas desta vez, os pesquisadores chegaram a resultados ainda mais surpreendentes. Os testes com as duas fumaças foram feitos em amostras de bactéria Salmonella e em células do ovário de hamsters chineses.

A fumaça resultante do incenso se mostrou mais tóxica em três aspectos: ela é mais mutagênica, ou seja, suas propriedades químicas podem causar mutações genéticas no DNA; ela também é mais citotóxica e genotóxica, causando maiores danos às células, sobretudo ao material genético. Todas essas toxinas estão relacionadas ao desenvolvimento de câncer.

As quatro amostras de incenso testadas eram feitas à base de sândalo e agar e continham ao todo 64 compostos. A maioria deles só provoca irritações ou são levemente danosos, mas ingredientes contidos em duas das amostras eram altamente tóxicos. Vale frisar que o estudo foi feito em parceria com uma empresa de tabaco chinesa, o que já levanta algumas suspeitas sobre sua credibilidade. O conteúdo do artigo, entretanto, aparenta ser isento.

Para o líder da pesquisa, Rong Zhou, ainda não é possível concluir que a fumaça de incenso é mais tóxica que a de cigarro, pois a amostra avaliada é muito pequena se comparada com a imensa variedade de produtos disponível no mercado. O fato de que não se fuma incenso também deve ser levado em consideração.

Mas para ele, esta é uma oportunidade de ampliar o debate sobre o assunto, que até então não recebeu grande atenção nem por parte da sociedade, nem da comunidade científica. "Claramente, deve haver uma maior conscientização e manejo dos riscos à saúde associados com a queima de incenso em ambientes internos", disse Zhou em um comunicado à imprensa.

Fonte: Galileu

Curta nossa página no Facebook



Vacinação contra aftosa vai começar no CE

Começa oficialmente nesta segunda-feira (2), a primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa no Ceará. A campanha se estende até o fim de maio. No Estado, são 2.540.000 animais bovinos e 1.569 bubalinos a serem vacinados, segundo a Agência de Defesa Agropecuária (Adagri). A meta é atingir 95% de cobertura do rebanho.

A vacinação é obrigatória para todos os animais, independentemente da idade. A campanha é executada pela Adagri, em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ematerce). Até ontem à noite ainda não havia uma definição do governo do Estado sobre lançamento oficial da campanha.

O produtor que não imunizar o rebanho sofre restrição quanto à movimentação do gado e pode ser multado. Quando a campanha começa só é possível a retirada da Guia de Transporte Animal (GTA) depois de vacinar os animais.

O criador deve ir até o local mais próximo do serviço veterinário oficial do Estado, que dispõe de 40 núcleos e oito escritórios regionais da Adagri ou da Ematerce para comprovar que aplicou a vacina que já está disponível nas revendas de produtos veterinários.

O Ceará obteve, em agosto de 2013, o reconhecimento nacional de área livre de febre aftosa com vacinação pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o reconhecimento internacional pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) em maio de 2014. Esse status permite ao Estado negociar com outras unidades federativas e com outros países tanto animais como carne bovina e produtos derivados.

O esforço do governo do Estado é para sensibilizar os criadores a manter em dia a vacinação contra a febre aftosa em duas campanhas de seis em seis meses (maio e novembro). O objetivo é obter reconhecimento nacional de área livre de aftosa sem vacinação.

O coordenador do Programa Estadual de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, Joaquim Sampaio Barros, destacou a adesão dos produtores rurais e o apoio da imprensa na vacinação dos animais contra a doença. O setor agropecuário enfrenta dificuldades depois de um período longo de cinco anos seguidos de chuvas abaixo da média histórica. "Os criadores estão conscientes da necessidade de vacinação e têm atendido o nosso apelo, pois sabemos da importância de o Ceará continuar atingido a meta definida pelo Mapa e o reconhecimento internacional de zona livre com vacinação", disse.

HONÓRIO BARBOSA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Estudante carrega enxada em formatura para homenagear trabalho dos pais no campo; assista

A homenagem feita pela estudante Kauany Sousa aos seus pais durante sua formatura no curso de Serviço Social na UnP (Universidade Potiguar) emocionou não só os convidados presentes na cerimônia, mas também milhares de internautas. Na festa, ocorrida no dia 9 de abril na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte, Kaunany levantou uma enxada para representar o trabalho de seus pais que garantiu o sustento da família durante sua infância difícil no campo.

Assista o vídeo abaixo:


“Eu lembro do meu pai saindo todos os dias para trabalhar, como ele faz até hoje. Trabalhar na roça, para dar sustento para mim e mais três irmãos. Desde o início, foi sempre assim. A lembrança que eu tenho é de ver ele sair de casa para trabalhar”, contou a jovem de 24 anos em entrevista ao canal UERN TV, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. A renda de seu pai, Nilson Pereira, não passava de R$ 20 por semana. Por conta das dificuldades financeiras, a família tinha problemas até mesmo para conseguir comer todos os dias. “[Lembro] de ver minha mãe preocupada todos os dias para dar um prato de comida para a gente. Muitas vezes não tinha e ela agradecia a Deus quando um vizinho chegava e dava uma alimentação. Eu lembro que na época meu pai ganhava R$ 20 por semana, para trabalhar no sol quente, todos os dias”, relata.

No sítio Caraúba Torta, no município potiguar de Almino Afonso, Kauany começou a aprender a ler e escrever debaixo de uma árvore, no espaço cedido por uma vizinha. Além disso, assim como seus outros três irmãos, ela também ajudava no trabalho de agricultura.

“Nós, não só eu, mas todos os meus irmãos e minha mãe, plantávamos junto. A gente plantava milho, feijão, algodão, arroz. Minha mãe muitas vezes dizia ‘não vá não, quem vai é o seu irmão’. Mas eu sempre acompanhava meu pai para trabalhar. Eu gostava, me sentia feliz de estar ao lado dele trabalhando”, conta a estudante. Agora, Kauany está cursando sua segunda graduação, no curso de Jornalismo da UERN. Em entrevista ao jornal local O Mossoroense, ela contou que pretende fazer mestrado e doutorado na área  da Comunicação e revelou o sonho de conhecer o apresentador Silvio Santos.

Fonte: Painel Acadêmico/UOL (Com informações de UERN TV 21 e O Mossoroense) 

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Polícia prende casal com uma escopeta calibre 12 e pedras de crack

Uma nova operação de combate ao tráfico de drogas em Crato resultou na prisão de um casal, substâncias entorpecentes e uma potente arma de fogo. Foi por volta das 11 horas desta sexta-feira no chamado Bairro do Gesso, onde a polícia estava averiguando denúncias relacionadas com uma “boca de fumo”. Foi preso o casal Maria Silva Rodrigues, de 31, e Nataniel da Silva, de 20 anos.

No imóvel onde estavam os Sargentos Cláudio e Sérgio, o Cabo Alan e os Soldados Olímpio, Mendonça e A. Costa encontraram uma escopeta calibre 12 com dois cartuchos intactos, 50 pedras de crack, uma balança de precisão, alguns celulares de origem duvidosa e cerca de R$ 200,00 em cédulas de pequeno valor.

O Major L. Rodrigues, Comandante da Companhia Militar de Crato, participou da operação e disse que a missão é sufocar o crime. Segundo ele, Nataniel já responde por crime de tráfico de drogas e os dois foram levados para autuação em flagrante na Delegacia de Crato. Já na tarde desta sexta-feira, o Major comandou um aparato policial durante buscas no bairro Lameiro igualmente com o objetivo de combater o crime.

Demontier Tenório

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Plano de Temer prega privatizar 'tudo o que for possível' na infraestrutura

No documento que será apresentado como uma espécie de plano de governo do vice-presidente Michel Temer para a área social, o PMDB prega a transferência "para o setor privado [de] tudo o que for possível em matéria de infraestrutura".

A menção ao aumento das privatizações e concessões integra o capítulo do estudo intitulado "A Travessia Social" que trata da "regeneração do Estado". O trecho foi publicado nesta sexta-feira (29) pelo jornal "O Globo" e, depois, obtido pela Folha.

O plano afirma ainda o governo precisa estabelecer um novo modelo de relações com o setor privado, inclusive modificando a atual lei de licitações. "É necessário um novo começo nas relações do Estado com as empresas privadas que lhe prestam serviços e que são muito importantes para a economia do país".

O documento faz uma menção ao que chama de "lições que estamos vivendo" e diz que o cenário atual obriga a fazer uma "reengenharia das relações com o setor privado" para "reduzir ao máximo as margens para a transgressão e o ilícito".

Corrupção endêmica
A "Travessia" diz ainda que a corrupção "parece ter se tornado endêmica" no país hoje. A peça é uma tentativa de Temer de se defender das acusações de que uma eventual gestão capitaneada por ele poderia interferir na Operação Lava Jato ou mesmo patrocinar uma administração leniente com maus feitos.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Lançamento do Feirão de Imóveis Cariri será nesta quarta-feira (4)

Na próxima quarta-feira, 04 de maio, o Sindicato das Construtoras do Ceará (Sinduscon-CE) promove o lançamento da 9ª edição do Feirão de Imóveis Cariri. O evento acontece no Hotel iu-á, em Juazeiro do Norte (CE), às 17h. Na ocasião, será apresentado o plano de mídia proposto, a localização e valores dos stands e as vantagens de participação aos empresários interessados.

O Feirão será realizado entre os dias 16 e 18 de junho, de 10 às 22h, no Cariri Garden Shopping, em Juazeiro do Norte (CE). A iniciativa busca chamar a atenção de grandes empresas e empresários que querem se instalar ou ampliar seus negócios na região.

O presidente do Sinduscon-CE, André Montenegro de Holanda, acredita que diante do cenário econômico atual, as construtoras buscam atrair o interesse dos potenciais compradores. “A construção civil no Cariri tem buscado alternativas para reverter a situação e, assim, proporcionar o financiamento e a venda de imóveis”, declara.

O evento imobiliário é uma realização do Sindicato das Construtoras do Ceará (Sinduscon-CE), com o patrocínio do SENAI, Sistema FIEC, Caixa Econômica Federal (CEF) e Governo Federal, e organização da Prática Eventos. Em 2015, cadastrou e encaminhou o processo de negociação de 330 unidades habitacionais, movimentando cerca de R$ 39 milhões em negócios.

ELIZÂNGELA SANTOS
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Manifestantes se deitam e formam a palavra “golpe” no gramado do Congresso

Manifestantes se reuniram na manhã deste domingo (24) no gramado do Congresso Nacional para protestar contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Orientados por um megafone e aos gritos de “Não vai ter golpe, vai ter luta”, “Fora Cunha” e “Fora Temer”, o grupo se deitou formando as palavras “golpe”, em seguida “coup” (golpe, em inglês) e “S.O.S”, expressão universal utilizada para pedir ajuda. O protesto durou cerca de 1h30 e atraiu aproximadamente 200 pessoas.

A convocação para o ato partiu de um grupo de artistas e produtores culturais da capital, e se disseminou pelas redes sociais. De acordo com o idealizador do protesto, o professor de Artes Cênicas da UnB, Fernando Villar, o número de participantes esperado não chegava a 50 pessoas. “É um movimento espontâneo de amigos claramente posicionados contra o golpe e contra tudo o que ele significa”, disse Fernando, que, juntamente com a colega Rita Andrade, orientava por megafone o posicionamento dos manifestantes para formar as palavas. “Não vai ter golpe. Se depender de todos nós, se cairmos vamos cair brigando – e brincando – até o fim”, acrescentou.

Questionado sobre a escolha de um termo em inglês (“coup”) para compor a performance, Villar justifica dizendo que a imprensa internacional está ciente de que o processo de impeachment direcionado à presidente Dilma é um golpe de Estado. “É para falar com o mundo, para retribuir ao mundo porque a nossa mídia é mentirosa, é a voz dos patrões”, afirmou o professor. “A gente tem que retribuir para todo esse pessoal que está falando lá fora: It’s a coup! [É um golpe!] para confirmar o que a mídia deles tem falado e o que a nossa tem escondido”, conclui Villar.

O estudante de artes cênicas da UnB e representante do Centro Acadêmico do curso, Victor Hugo Leite, 22, explica que não se trata de um protesto de governistas. “Não somos pró-governo, mas estamos aqui por uma coisa maior que se chama democracia”, defende. “Temos esperanças no Senado e no STF, mas a nossa esperança maior é no Estado Democrático de Direito”, completou.

Depois que as palavras foram formadas, o grupo se dirigiu ao centro do gramado para uma selfie. Em seguida, estudantes de artes cênicas realizaram uma performance e orientaram a formação de uma ciranda. Aos poucos o público foi se dispersando. Não foi registrada nenhuma ocorrência de violência durante o protesto.

Os manifestantes aproveitaram a ocasião para divulgar outro ato que será realizado amanhã (25), a partir das 17h30, em frente ao Supremo Tribunal Federal. O foco do protesto será o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Organizadores pediram para que o público compareça e leve vassoura, rodo e balde.

Fonte: Congresso em Foco

Curta nossa página no Facebook



Palmadas estimulam agressividade em crianças, diz estudo

A criança que apanha (leves palmadas no bumbum ou em outra extremidade) é mais propensa a desafiar seus pais, ter um comportamento antissocial, a ser mais agressivas, ter problemas de saúde mental e dificuldades cognitivas. A conclusão é de um estudo publicado recentemente no periódico científico Journal of Family Psychology.

Pesquisadores da Universidade do Texas em Austin e da Universidade de Michigan, ambas nos Estados Unidos, revisaram estudos desenvolvidos ao longo de 50 anos sobre o assunto, envolvendo mais de 160.000 crianças.

"Descobrimos que a palmada foi associada a resultados negativos não intencionais. Não foi associada com obediência imediata nem de longo prazo", disse Elizabeth Gershoff, da Universidade do Texas em Austin e principal autora do estudo.

Para Andrew Grogan-Kaylor, da Universidade de Michigan, a mensagem deste estudo é que bater em crianças aumenta, na verdade, a probabilidade de resultados indesejados e tem um efeito oposto ao que os pais desejam com o ato.

Lei da Palmada
A Lei da Palmada entrou em vigor no Brasil em 2014. Na prática, a lei impede a aplicação de castigos cruéis e degradantes contra crianças e adolescentes. Mas o texto abre espaço para impedir até palmadas ou beliscões ditos "educativos". Cabe ao Conselho Tutelar receber denúncias de suspeita ou confirmação de castigo físico e aplicar multas a profissionais da saúde, professores ou funcionários públicos que não comunicarem às autoridades notícias de maus tratos contra crianças e adolescentes.

A proposta foi inspirada em um estudo da Universidade de São Paulo, que concluiu que crianças submetidas a castigos chegavam à vida adulta traumatizadas e agressivas em situações comuns do dia a dia. A proibição total de castigos em crianças já ocorre em países como Israel, Nova Zelândia e Costa Rica.

Fonte: Veja

Curta nossa página no Facebook



Juazeiro do Norte (CE): Paciente com câncer realizará sonho de casamento no HRC

A luta contra o câncer uniu ainda mais a família. Há cerca de quase dois meses, Sandra Raquel Nogueira Pereira, 36 anos, está internada no Hospital Regional do Cariri (HRC), da rede pública do Governo do Estado, em Juazeiro do Norte. Hoje, a paciente já não tem mais condições de andar, mas mantém firme o sonho de casar no religioso. Mesmo diante do quadro de saúde, ela e o companheiro Sérgio decidiram pela cerimônia dentro no próprio hospital. Toda a equipe do HRC está envolvida, desde médicos, enfermeiros, assistentes sociais e diretores do hospital. O ato acontece na próxima segunda-feira, 2 de maio, às 10 horas, no espaço ecumênico do Hospital Regional do Cariri.

Sandra Raquel sempre teve a vida cheia de lutas, conquistas e perdas. O que ela nunca perdeu foi a esperança de ter os sonhos realizados. Determinada, sempre buscou no trabalho como manicure e diarista uma forma de junto com o companheiro Sérgio Pereira, com quem vive há 16 anos, proporcionar aos três filhos melhores condições de vida. A rotina da família mudou depois de 2015. Em setembro, após sentir pequenas pontadas no útero, buscou um médico e o resultado pegou todos de surpresa. Sandra foi diagnosticada com neoplasia no colo de útero.

O vestido, o bolo e as alianças já foram providenciados, frutos de doações. “Sempre sonhei em casar diante de Deus. Eu e meu marido estamos juntos há 16 anos, casamos no cartório, mas como toda mulher, não me sentia completa sem ter a bênção de Deus, que é quem me dá forças para suportar o que venho enfrentando. Já até tínhamos pensado sobre o assunto, mas com pouco dinheiro e muita coisa para fazer, o sonho sempre era adiado. Agora, vou casar com o Sérgio e ter a certeza de que Deus está nos abençoando”, afirmou.

A assistente social do HRC, Tinciane Oliveira, que está à frente dos preparativos, destaca a importância desse momento de humanização para com a paciente e também toda a família – “Num momento de dor como esse, de sofrimento, a pessoa ainda tem forças para sonhar, por ter Deus ao seu lado. E como uma das premissas do hospital é a humanização, não tínhamos como deixar essa história, ímpar, passar despercebida”.

ELIZÂNGELA SANTOS
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Randolfe engana Janaína e faz com que ela apoie impeachment de Temer

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) esperou até 1h da manhã para poder pregar uma peça na autora do pedido de impeachment, Janaína Paschoal, na sessão dedicada a ouvir os denunciantes. Ele fez uma explanação apresentando a edição de decretos de créditos suplementares específicos e pediu, em seguida, a opinião de Janaína sobre essas atitudes.

A jurista defendeu que os créditos suplementares sem a autorização do Congresso Nacional configuram crime de responsabilidade e devem ser punidos com o impeachment. "Muito bem, fico feliz com sua opinião, porque a senhora acabou de concordar com o pedido de impeachment do vice-presidente Michel Temer. Essas ações que eu li foram tomadas pelo vice", disse Randolfe.

A professora ficou constrangida e tentou se explicar. Apenas algumas horas antes ela havia dito que não havia indícios suficientes para pedir o impeachment de Temer. "O Vice-presidente assina documentos por ausência do presidente, por delegação. Neste caso, não há o tripé de crimes continuados e intercalados entre si", tentou justificar.


Fonte: Época Negócios

Curta nossa página no Facebook



Dilma pretende anunciar reajuste do Bolsa Família no 1º de Maio

A presidente Dilma Rousseff quer aproveitar o Dia do Trabalho, 1º de Maio (domingo), para anunciar um reajuste nos benefícios do programa Bolsa Família. O índice do aumento ainda não está fechado, mas, no Palácio do Planalto, auxiliares da presidente dizem que será na faixa de 5%.

Dilma também foi aconselhada a conceder mais uma bondade neste domingo: um porcentual de correção da tabela do Imposto de Renda, para compensar a inflação acumulada. Ela pediu à equipe que refaça os cálculos sobre o impacto da medida no Orçamento.

As propostas integram o Programa Nacional de Emergência aprovado pela cúpula do PT, em fevereiro, com sugestões ao governo para enfrentar a crise, e também são defendidas pela Frente Brasil Popular.

A intenção de Dilma é sair na frente do vice-presidente Michel Temer, que, se assumir o governo, pretende focar nos 5% mais pobres do País, como mostrou nesta quinta-feira reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

Dilma já está ciente de que não há mais como vencer a primeira etapa da batalha do impeachment no plenário do Senado, programada para o próximo dia 11, mas aposta no julgamento final da Casa, previsto para setembro. Com o impeachment aceito, Dilma precisa se afastar do cargo por até 180 dias.

A presidente deve participar da comemoração do Dia do Trabalho organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, ao lado de seu padrinho político, Luiz Inácio Lula da Silva.

Fonte: UOL (Com Estadão Conteúdo)

Curta nossa página no Facebook



Saneamento ainda é desafio para as cidades maiores do CE

A falta de saneamento básico é uma realidade que atinge a maioria dos municípios brasileiros. Há ainda muito que se avançar. No Ceará, as três maiores cidades (Fortaleza, Caucaia e Juazeiro do Norte) têm grandes desafios a superar no serviço de oferta de água tratada, coleta e tratamento de esgotos. Essas cidades integram o novo "Ranking do Saneamento nas 100 Maiores Cidades", publicado pelo Instituto Trata Brasil, em parceria com a consultoria "GO Associados".

O estudo considera os números oficiais do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento Básico do Ministério das Cidades, tendo como ano base 2014 e refere-se à oferta de água tratada e coleta de esgoto. Quando analisados esses dois indicadores, os maiores desafios estão em Juazeiro do Norte, na região do Cariri cearense.

Segundo a pesquisa, Juazeiro do Norte ocupa a 95ª posição entre as 100 maiores cidades. No município, 82,42% da população tinha, em 2014, acesso à água tratada, mas uma importante parcela da população (78%) não tinha acesso às redes de coleta de esgotos. Outro indicador que ajuda a explicar o atraso do saneamento básico é que, na média dos cinco anos analisados (2010 a 2014), menos de 5% do valor arrecadado foi reinvestido nos serviços - muito abaixo da média nacional que foi de 23% no mesmo período para as 100 cidades. O índice de perdas de água potável no processo de distribuição foi elevado, 55,81% (contra uma média nacional de 36,7%). Na maioria dos casos, as perdas são resultado de vazamentos, roubos e ligações clandestinas, erros ou falta de medição, entre outras causas.

Em Caucaia, que ocupa a posição de número 71 no ranking, 67,58% das pessoas tinham acesso à água tratada e apenas 31,10% eram atendidas por coleta de esgoto. O fato positivo é que os investimentos em saneamento básico entre os anos de 2010 e 2014 superaram a arrecadação com os serviços, o que mostra que houve adição de recursos complementares por parte da empresa operadora.

Os estudos mostram, entretanto, que o município registrou alta perda de água potável no sistema de distribuição de água, 43,38%. Já em Fortaleza (69ª posição), em 2014, havia 84,22% de sua população com acesso à água tratada, mas ainda menos da metade (47,50%) com acesso à coleta e tratamento dos esgotos. Um ponto positivo é que, na média, entre 2010 e 2014, a cidade investiu em água e esgotos 30,29% do que arrecadou, índice superior à média das 100 maiores cidades (23%). O índice de perdas de água potável no sistema de distribuição estava em 45,73%, o que também mostra a necessidade de investimentos específicos para reduzir a perda por vazamentos e por ligações clandestinas.

O levantamento aponta que no Estado há um alto índice de ociosidade das redes de água e esgotos, isto é, as redes estão instaladas nas ruas, mas os cidadãos se recusam a conectar suas casas. Estima-se que há cerca de 170 mil ligações ociosas. De acordo com os sanitaristas, a falta de coleta de esgoto gera doenças e poluição ambiental, prejudicando muito a saúde das pessoas e a prestação regular dos serviços.

Responsabilidade
O secretário de Infraestrutura de Juazeiro do Norte, Rogeres Macedo, esclareceu que os investimentos em saneamento básico são responsabilidade da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), e não do Município.

Por sua vez, a Cagece informou, por meio de nota, que tem realizado ações com meta na universalização dos serviços de água e esgoto nos municípios atendidos pela Companhia. Até 2018, pretende investir cerca de R$ 580 milhões em abastecimento de água e esgotamento sanitário no Ceará. Desse total, R$ 226,7 milhões serão destinados a melhorias e implantação de redes coletora de esgoto. Frisou, ainda, que saneamento básico inclui, além de esgotamento sanitário e abastecimento de água, drenagem urbana e coleta de lixo, não realizados por ela.

HONÓRIO BARBOSA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Nobel da Paz fala em "golpe" no plenário do Senado

O uso do microfone do plenário do Senado pelo argentino Adolfo Pérez Esquivel, Prêmio Nobel da Paz de 1980, causou revolta entre senadores da oposição nesta quinta-feira (28).

Esquivel falou em "possível golpe de Estado" sentado em uma cadeira da Mesa Diretora do plenário durante sessão presidida pelo senador petista Paulo Paim (RS). As palavras foram ditas ao lado de Paim e de outros senadores petistas, que cercaram o Nobel da Paz na hora do pronunciamento.

"Venho aqui ao Brasil trazendo a solidariedade e o apoio de muita gente da América Latina e a minha pessoal que se respeite a continuidade da Constituição e do direito do povo a viver em democracia", afirmou Esquivel. "Creio que neste momento há grande dificuldades (oriundas) de um possível golpe de Estado. E já se utilizou esse mecanismo de funcionamento em outros países do continente, como Honduras e Paraguai", ressaltou.

Pouco antes, Esquivel havia visitado a presidente Dilma Rousseff para apoiá-la contra o processo de impeachment que ela sofre no Congresso.

O líder do DEM, Ronaldo Caiado (GO), reagiu imediatamente e exigiu a retirada da palavra "golpe" dos registros das notas taquigráficas. "Não podemos ser surpreendido com essas montagens, não foi por acaso que esse senhor veio aqui fazer esse pronunciamento. Isso é uma estratégia que esse plenário não admite. Essa situação é inaceitável. Nunca vi, com 22 anos de Congresso Nacional, as autoridades que nos visitam, sem ter o consentimento de todos os líderes, usarem o microfone para fazer pronunciamento", afirmou Caiado.

Sob pressão, Paim concordou com o pedido para retirar a expressão "golpe".

"Em nenhum instante, o regimento autoriza que a sessão do Senado possa ser interrompida para conceder a palavra a um não-senador", afirmou o líder do PSDB, Cássio Cunha Lima (PB).

O líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE), respondeu: "Entendo que isso cause urticária naqueles que são oposição. Estão aí pesquisas de opinião de que a população não aceita que o conspirador mor assuma", disse o petista, em referência ao vice-presidente, Michel Temer, que assumirá a presidência interinamente no caso de o processo de impeachment de Dilma ser aberto pelo Senado.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Brasileiro trabalha 11 horas no mês só para pagar conta de luz

Para pagar a conta de luz de uma residência com uma geladeira pequena — que consome cerca de 60 quilowatts horas (kWh) por mês — mais algumas lâmpadas e uns dois ventiladores, um brasileiro que ganha um salário mínimo precisa trabalhar 11,1 horas, ou seja, pouco mais de uma jornada completa de trabalho. Já um trabalhador no Canadá que recebe o piso nacional precisa de apenas de 1,6 hora para arcar com os mesmos 100 Kwh de energia consumidos. A estimativa faz parte de um estudo do Instituto de Desenvolvimento Estratégico do Setor Energético (Ilumina), feito a pedido do GLOBO, a partir de dados de 23 países.

O levantamento usou como base dados da Agência Internacional de Energia (AIE) e dos países membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com exceção das nações que não têm salário mínimo estabelecido, como Noruega, Itália, Suécia, Finlândia, Suíça e Dinamarca. No estudo, o Brasil aparece como o país onde o consumidor que ganha um salário mínimo tem de trabalhar o maior número de horas para pagar pela energia. Em segundo lugar, vem o México, com 9 horas.

— O Brasil é o país com a energia elétrica mais cara entre os países listados — destacou diretor do Ilumina, Roberto D’Araujo.

Outro estudo, feito pelo professor Délberis Lima, do Departamento de Engenharia Elétrica do Centro Técnico Científico da PUC-Rio, constatou que a tarifa brasileira, apesar de não ser a mais cara, é a que mais pesa no salário mínimo. A pesquisa considerou o preço médio da energia em oito países, quatro da América Latina e quatro da Europa, o salário mínimo das nações listadas e o custo para pagar por um consumo de 200 kWh por mês. O Brasil ficou em primeiro lugar no ranking, com fatia de 18,5%, seguido pelo Peru, com 10%. Já o Reino Unido ocupou a última posição da lista, com o custo da energia tendo o menor peso no salário mínimo, de apenas 1,5%.

Entre as nações avaliadas, a Espanha tem a maior tarifa, US$ 58,65 para pagar os 200 Kwh/mês, mas representa apenas 5,5% no salário mínimo dos trabalhadores espanhóis.

Carga tributária
A carga de impostos do setor elétrico é outro quesito em que o Brasil lidera. Enquanto na Espanha os impostos representam 26% do total da conta de luz e em Portugal, 23%; no Brasil, o peso tributário varia de 28%, para quem consome até 300 kWh/mês, até 46%, acima desse volume.

— O Brasil, apesar de não ser o que tem a maior tarifa, é o que paga mais impostos e o que tem mais peso para os trabalhadores — destacou Lima.

Para o diretor do Ilumina, apesar dos ganhos do salário mínimo nos últimos 12 anos no país, as mudanças regulatórias feitas no setor elétrico levaram a tarifa de energia a um aumento muito acima do salário — cerca de 50%, em média, apenas no ano passado. D’Araujo destacou que a renovação antecipada de contratos de geração de energia em 2013, promovida pelo governo, gerou uma queda de preços de 20% no ano seguinte. Mas, a partir de 2015, o que se viu foram elevados aumentos das tarifas elétricas. Para ele, as mudanças na regulamentação geraram prejuízos para todo o setor, tanto para consumidores como para empresas.

— Vale lembrar que a energia elétrica cara não está apenas na conta do consumo direto, mas em praticamente todos os produtos que usam eletricidade na sua fabricação. Sendo o Brasil um país privilegiado em termos de recursos naturais, há algo muito errado com a política adotada — afirmou Roberto D'Araujo.

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook



Delegado da PF revela dificuldades de manter o ritmo da Lava Jato

O delegado de Polícia Federal Filipe Hille Pace, que faz parte da equipe da Lava Jato no Paraná, afirmou em despacho do dia 6 de abril que a sucessiva deflagração de fases da operação, que já soma 28 etapas, "impossibilita a conclusão célere da análise de todo o material apreendido em fases pretéritas".

Para o delegado, também é inviável se estender por tempo indeterminado os inquéritos policiais "sob o pretexto de se aguardar a exaustiva e integral análise dos materiais apreendidos por ocasião de cada uma das fases da aludida operação policial".

As afirmações de Pace revelam as dificuldades, até estruturais, da intensa rotina de trabalho da equipe da Lava Jato para manter o passo das investigações em Curitiba.

O "desabafo" do delegado foi feito no âmbito de um inquérito que tem como alvos o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Jorge Luiz Zelada, já condenado a 12 anos e dois meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, e o lobista e ex-gerente da estatal João Augusto Resende Henriques, condenado a seis anos e oito meses de prisão pelos mesmos crimes, além de outros investigados. Os dois são apontados como cota do PMDB no esquema de corrupção na Petrobras e que teriam sido "apadrinhados" pelo vice-presidente Michel Temer.

A investigação, que começou em setembro de 2015 para apurar as suspeitas de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas por parte dos investigados acabou revelando novas offshores, contratos de fachada e estratégias de ocultação de bens dos investigados envolvendo até familiares e conhecidos deles no Brasil, além de novos contratos da Petrobras nos quais teriam ocorrido pagamento de propinas de empresas internacionais.

Diante do grande volume de descobertas e indícios que podem levar a novos crimes, o delegado Filipe Pace apontou que "não há razoabilidade e possibilidade fática e humana a se apurar, no presente inquérito, todos os crimes que possam ter sido praticados pelos indiciados em desfavor da estatal brasileira".

Ele lembra ainda que há fatos envolvendo Zelada e Henriques ainda sob "investigações sigilosas e que novos fatos que vierem à tona vão dar origem a novos inquéritos, indicando que a investigação do núcleo do PMDB no esquema está longe de ser encerrada".

Fonte: UOL (Com Estadão Conteúdo)

Curta nossa página no Facebook



Universidade Federal do Cariri abre oito vagas para professor substituto

A Universidade Federal do Cariri (UFCA) está com inscrições abertas, até 5 de maio, para seleção de professor substituto. Estão previstas oito vagas, distribuídas na Faculdade de Medicina (FAMED), Centro de Ciências e Tecnologia (CCT), Centro de Ciências Agrárias e da Biodiversidade (CCAB) e Instituto Interdisciplinar de Sociedade, Cultura e Arte (IISCA).

Para a Famed, estão disponíveis três vagas (20h), em Clínica Cirúrgica/Traumato Ortopedia/Anatomia Humana; Clínica Médica/Endocrinologia/Semiologia; Clínica Cirúrgica/Oncologia/Internato. O CCT prevê uma vaga (20h) para a área de Estruturas. Já o CCAB terá três vagas, distribuídas entre Fitotecnia (40h); Botânica (20h) e Engenheiro Agrícola (20h). Para o IISCA, há uma vaga (40h) na área de Comunicação e Cultura.

Os interessados devem se inscrever por meio da Plataforma FORMS/UFCA (Edital n.º 36/2016 – Seleção para professor substituto). As taxas de inscrição variam entre R$ 60 e R$ 140, a depender da área. A remuneração fica entre R$ 2.402,85 a R$ 5.601,41, de acordo com a carga horária e a titulação prevista.

O processo seletivo contará de prova escrita subjetiva (eliminatória e classificatória) e prova didática (eliminatória e classificatória). O local e o horário das avaliações serão divulgados junto ao cronograma das provas no portal da UFCA.



Dilma diz que Eduardo Cunha é "pecado original" do processo de impeachment

A presidente Dilma Rousseff, na tarde desta quarta-feira (27), classificou o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), como o "pecado original" de um processo de impeachment que ela tornou a dizer que é "golpe".

"Vocês sabem perfeitamente que esse processo tem um pecado original, o presidente da Câmara", disse. A plateia do evento sobre direitos humanos já havia gritado e continuou a gritar: "Fora Cunha".

"Por que ele?", continuou, "vou explicar: o senhor presidente da Câmara queria fazer um jogo escuso com o governo. Votem para impedir que eu seja julgado no conselho de ética, tirem os votos que o governo tem lá (eram 3) e eu arquivo o processo de impeachment. Mas um governo que aceita isso é um governo que entra em processo de apodrecimento, por isso nos recusamos a essa negociação", prosseguiu Dilma.

"Acontece que o senhor presidente da Câmara, que tem acusações e pedidos de processo no Supremo [Tribunal Federal], abriu o processo de impeachment. Eu não tenho contas no exterior, jamais usei dinheiro público para me beneficiar, não tenho acusação de corrupção. O que eles fizeram? Arranjaram uma acusação. Toda acusação arranjada é frágil. Acusam-me de ter práticas contábeis incorretas. Para me beneficiar? Não!", disse a presidente, lembrando que as acusações que motivam seu processo de impeachment não são sobre enriquecimento ilícito, mas sobre má administração.

A petista voltou a refutar que as "pedaladas fiscais" são o suficiente para caracterizar o afastamento. "Sempre foi feito isso no Brasil, desde 1994, mas no meu mandato é crime. Por que é crime? Porque, já que eles não têm crime do qual me acusar, inventam que é crime aquilo que não é crime".

"Quero dizer ainda que vou lutar até o fim para garantir que a democracia seja respeitada. Esse impeachment não é um processo de impeachment, é um processo de eleição indireta promovido por aqueles que não têm voto para se colocarem em uma disputa e receberem os votos do povo brasileiro, o único caminho correto para se chegar ao governo. Não vamos deixar que encurtem caminho ao poder com uma eleição indireta falsificada de impeachment".

Nas conferências conjuntas dos direitos humanos, Dilma discursou para uma plateia que lhe apoiava. A presidente foi recebida aos gritos de "não vai ter golpe" e interagiu com o público, sorridente -- em dado momento, se levantou do seu lugar para recolher uma flor atirada no palco.

A cerimônia marcou abertura da Conferência Nacional de Direitos Humanos e os encerramentos das Conferências Nacionais dos Direitos da Criança e do Adolescente, da Pessoa Idosa, de LGBT e da Pessoa com Deficiência.

Bolsonaro vira alvo
Em evento que abria conferência sobre direitos humanos, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) foi alvo de protesto. Já na abertura de seu discurso, a presidente Dilma Rousseff cumprimentou o também deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), presente no palco, a quem chamou de "guerreiro" e que foi ovacionado pelo público. A plateia, quando Wyllys se levantou, puxou o grito: "Ô, Bolsonaro, vou te dizer, eu também cuspo em você".

O canto lembra a cusparada que Jean Wyllys disparou contra o adversário político durante votação sobre a admissibilidade do processo de impeachment da presidente na Câmara dos Deputados, no dia 17 de abril. Antes do ato, Bolsonaro havia homenageado o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o primeiro torturador reconhecido pela Justiça do Brasil e ex-chefe do DOI-CODI, aparelho de repressão do Estado durante o regime militar.

Em outro momento Dilma listou o que considera avanços que tivemos na área de direitos humanos, destacando a Comissão Nacional da Verdade (CNV). "Significa que avançamos na compreensão de uma fase da história brasileira que não queremos que se repita: a ditadura. Tortura nunca mais", disse Dilma, em mais um momento em que o público se levantou contra Jair Bolsonaro.

Nos bastidores, Dilma já admite afastamento
Segundo reportagem da Folha de S. Paulo publicada nesta quarta-feira (27), a presidente já admitiu a aliados que seu afastamento temporário, a partir da admissibilidade do processo de impeachment pela comissão especial do Senado, é inevitável. Dilma já estaria traçando agenda para impedir que o vice Michel Temer "se aproprie" de projetos e medidas de seu governo.

De acordo com assessor citado pela reportagem, a petista não quer deixar que Temer aplique medidas elaboradas em seu mandato, como as licitações de mais quatro aeroportos (Porto Alegre, Fortaleza, Florianópolis e Salvador) e concessões de portos.

Dilma também deverá instalar o CNPI (Conselho Nacional de Política Indigenista), anunciar a extensão do programa Mais Médicos e entregar novas unidades do Minha Casa, Minha Vida no Pará.

Ainda que considere seu afastamento inevitável, a presidente crê que pode ser inocentada ao fim do julgamento pelo Senado, podendo, assim, retomar seu mandato. Por hora, a estratégia defendida por aliados de Dilma, a qual ela estuda, pretende tirá-la do "imobilismo" e mostrar que ela ainda tem apoio social.

A petista considera inclusive ir a São Paulo para evento das centrais sindicais em celebração ao 1º de Maio, Dia do Trabalho.

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook



Emocionado, Jô Soares defende José de Abreu e Chico Buarque

Em seu programa desta quarta (27), Jô Soares se emocionou ao falar "do ambiente impaciente que o Brasil está vivendo" e defendeu José de Abreu, que na última semana cuspiu em um casal durante uma discussão num restaurante de São Paulo.

O apresentador classificou como "constrangedor" o episódio envolvendo Abreu. "Um cidadão não pode sair com sua mulher para jantar que é obrigado a ouvir insultos terríveis. A reação dele foi levantar e dar uma cusparada no casal, que também é uma reação movida por um 'não aguentar mais'", afirmou.

Na ocasião, segundo relato do ator, o casal da mesa ao lado o teria xingado de ladrão e dito que sua mulher, Priscila Petit, é "vagabunda".

Para Jô, o comportamento das pessoas está ficando "igual ao de alguns deputados no Congresso, lamentável". Ele disse que os indivíduos não podem mais assumir uma opinião ou tendência política sem serem condenados.

Durante o "desabafo", Jô ainda falou que o cantor Chico Buarque tem sido agredido de "forma mesquinha" por ter declarado apoio à presidente Dilma Rousseff: "Chico não pode sair de casa sem ser agredido ou ofendido. O Chico é um patrimônio deste país. Fico comovido e com vergonha. Feliz o país que tem um Chico Buarque."

Ao comentar o caso de José de Abreu, o apresentador afirmou ser "maldade e ignorância" acusar o ator de "viver às custas" da Lei Rouanet.

"É um total desconhecimento da lei. Quem tem a possibilidade de levantar verba por meio da lei é o produtor. E digo isso com total isenção porque não sou produtor de nada na área artística,  sou diretor de espetáculos", defendeu.

Fonte: F5/Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Trabalhos desenvolvidos pelo SIM são iniciados

O Governo do Crato, através da Secretaria Municipal de Agricultura, realizou na manhã da última segunda-feira, 25, no local, reunião com a equipe do Serviço de Inspeção Municipal (SIM), juntamente com agricultores familiares do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e com os agricultores que vão entregar os produtos de origem animal e os derivados. Segundo a coordenadora do PAA Jéssica Tayane, foram iniciadas, no Crato, as atividades de planejamento para o SIM. A primeira etapa foi composta pela reunião da equipe do SIM, juntamente com a veterinária Ana Socorro, nomeada para ser inspetora, e com a tecnóloga em alimentos Denise, da Vigilância Sanitária do município, e com o biólogo da Secretaria de Agricultura.

A primeira etapa das execuções do SIM foi iniciada, onde foram convocados os agricultores representantes de cada comunidade. Durante a reunião, a Coordenadora Estadual do Programa de Aquisição de Alimentos, a nutricionista Mônica Macêdo, falou sobre o trabalho, onde a mesma explicou que este será um trabalho de fiscalização e orientação.

Na ocasião, foi orientado o processo de criação dos animais, de abate, de como tem que ser o lugar apropriado para este serviço, a rotulagem, a embalagem desses produtos até chegar aos locais e aos programas governamentais, e juntamente com as orientações da vigilância sanitária, bem como transporte desses produtos.

Também foi apresentado o processo de registro do Serviço de Inspeção Municipal, onde, durante as visitas, será emitido um alvará sanitário para dar a liberação do laudo. Nesta semana, a equipe do SIM estará visitando os agricultores da cidade do Crato, e orientando estes em relação aos cuidados com os produtos de origem animal e também derivados.

Assessoria de Imprensa/PMC

Curta nossa página no Facebook



Faltam medicamentos nas unidades de saúde do Interior do CE

Abril está acabando e ainda não foi concluído o processo da primeira compra centralizada de medicamentos da atenção básica e secundária entre os municípios e o governo estadual, por meio da Coordenadoria de Assistência Farmacêutica (Coasf), da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), referente à programação de 2016. Resultado: nas cidades do Interior, a população sofre com a escassez dos remédios que são distribuídos gratuitamente.

Os gestores municipais reclamam do atraso na entrega dos medicamentos por parte da Sesa. O que não falta é queixa de ambos os lados. No fim da manhã de ontem, cinco moradores voltaram da farmácia municipal sem remédios prescritos por médicos das unidades de Saúde.

Sofrimento
A população pobre é a que mais sofre. Francisco Noé de Souza, agricultor, não conseguiu antibiótico e anti-inflamatório para um irmão que sofreu um acidente. Marcone de Souza, comerciário, buscava um remédio em falta há vários meses para a mulher, que sofre de diabetes.

Esses são exemplos que se repetem diariamente em Iguatu e na maioria dos municípios do Interior. Segundo o secretário de Saúde do município de Crateús, Ângelo Nóbrega, a irregularidade na distribuição dos medicamentos foi agravada nos últimos três anos. "Antes, o Estado era modelo, mas desde 2013 que o programa vem desandando e há muito atraso", disse.

Ângelo Nóbrega observa que o desabastecimento é constante, ocasionando problemas para os gestores. "A população joga a culpa nos municípios e em alguns casos há exploração política, mas a responsabilidade é do Estado", frisou. "O elenco de medicamentos, a cobertura médica e a demanda cresceram, mas o Estado não se equipou de forma técnica e administrativa para acompanhar essa evolução".

Sem receber ainda a primeira cota referente a 2016, os estoques estão chegando ao fim. Muitas cidades ainda têm crédito referente ao último trimestre de 2015 de medicamentos para receber. Em Iguatu, por exemplo, havia cerca de R$ 130 mil. Na semana passada, liberaram um reparte no valor de R$ 100.

O atraso aumenta o custo dos municípios, que são os responsáveis pelo envio de um carro para receber os lotes liberados. "Em vez de vir de uma vez, há liberação mensal", observa o coordenador de Assistência Farmacêutica de Iguatu, Adriano Saraiva. "A programação trimestral somente é atendida parcialmente, por isso, os atrasos se acumulam ao longo do ano".

Ângelo Nóbrega observa outro problema: "além do atraso, os medicamentos geralmente enviados são aqueles que já existem no estoque e os outros continuam em falta", frisou. A secretária de Saúde de Iguatu, Vanderlúcia Felipe Lobo, questionou que a falta e o atraso no envio de determinados medicamentos podem custar a vida do paciente.

O pagamento na compra centralizada é automático e adiantado, pois a Sesa faz o desconto segundo programação pactuada com os municípios. Em Iguatu e outras cidades, colírios para glaucoma, insulina para diabéticos e medicamentos de uso controlado para pacientes com distúrbios mentais e para convulsão estão em falta há vários meses. Até da atenção básica - diabetes e hipertensão - e xaropes com frequência faltam.

Sorte
Em Quixadá, no Sertão Central, encontrar remédios de atenção básica nos postos de distribuição é questão de sorte. A secretária de Saúde alega que o repasse é feito a cada três meses. Mas, neste ano, nenhum lote de medicamento chegou ao município. A população vive a incerteza de encontrar remédio. É o caso da aposentada Maria Jucilene Alves. Hipertensa, ela alega que já teve que comprar do próprio bolso os remédios que usa para controlar a pressão arterial e que deveriam ser distribuídos pela rede pública. "Nem toda vez que venho buscar tem remédio", diz.

Devido ao atraso no repasse trimestral dos medicamentos, faltam remédios para hipertensão, diabetes, anti-inflamatórios e até soro oral. A informação foi confirmada pela assessora da Secretaria da Saúde, Bruna Bezerra. Ela disse que a pasta se reuniu com a comissão da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) para tentar solucionar o problema. "Nós sabemos que esse é um problema grave e, por isso, fomos cobrar uma solução. A equipe tem conseguido com o restante dos medicamentos que sobrou do último repasse, feito ainda em 2015, contornar alguns casos, mas nem sempre isso é possível.

Em Crato, na região do Cariri, a realidade é a mesma. Segundo secretário da Saúde do Município, Alexandre Almino de Alencar, o atraso de alguns medicamentos pode ultrapassar doze meses. O titular da pasta explica que a Prefeitura "se vê de mãos atadas" frente a esse problema que prejudica, sobretudo, pacientes que precisam de remédios de uso contínuo, como da diabetes e antidepressivos.

Compra
Das 184 cidades cearenses, 181 fazem parte da pactuação. A compra é feita em grande quantidade o que garante o poder de barganha do Estado. No entanto, devido às licitações, problemas de logística e outros entraves à remessa dos remédios esta atrasa bastante. "Quando a gente espera que cheguem 80% dos remédios, chegam apenas 50%", disse Alencar.

A Sesa informou que, no último dia 12 deste mês de abril, foram repassados diferentes medicamentos a Iguatu. Informou, ainda, que a insulina já foi adquirida e no início da próxima semana será liberada aos municípios.

No dia 14 de abril, a Câmara Técnica da Assistência Farmacêutica, formada por gestores e técnicos da assistência farmacêutica do Estado e por representantes das secretarias de saúde dos municípios, reuniu-se para programar a liberação de medicamentos. Ontem, houve nova reunião para definir o programa.

Mais informações
Secretaria da Saúde do Estado (Sesa)
Telefone: (85) 3101-5220

HONÓRIO BARBOSA
COLABORADOR/SUCURSAIS

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Temer cogita corte de gastos e pente-fino em programas sociais do governo

Nos primeiros dois meses à frente da Presidência da República, caso a presidente Dilma Rousseff seja afastada temporariamente do cargo, o vice-presidente Michel Temer pretende adotar medidas econômicas de curto prazo para tentar recuperar o desempenho da economia e a credibilidade do governo junto ao mercado.

Em um esforço de corte de custos, o peemedebista quer reduzir de 32 para 25 o número de ministérios e avalia um pente-fino geral nos gastos governamentais para avaliação de suas demandas e impactos, incluindo programas sociais como o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida.

Como previsto no programa governamental "Ponte para o Futuro", elaborado pelo vice-presidente, a ideia é constatar se as atuais iniciativas e medidas estão atendendo seus objetivos iniciais e o público alvo para os quais foram criadas. O pente-fino deverá se estender também para alugueis, fornecedores e pessoal.

Além disso, a equipe do peemedebista quer fixar um teto para as despesas de custeio, mas não foi definido ainda o critério para o limite. No "Ponte para o Futuro", há previsão de que ele seja estabelecido por meio de lei e seja inferior ao crescimento do PIB (Produto Interno Bruto).

No período, a ideia é também iniciar no Congresso Nacional uma discussão sobre a realização de reformas previdenciária e trabalhista, que deverão ser efetuadas, contudo, em um segundo momento da gestão interina.

O comando peemedebista defende a necessidade de fixação de uma idade mínima para aposentadoria, proposta que enfrenta resistência entre as centrais sindicais.

Para evitar um desgaste de partida, Temer defende que a questão seja melhor discutida antes do envio de uma proposta ao Congresso Nacional.

O peemedebista também pretende criar um programa de concessões e privatizações, que será gerido pelo ex-ministro Moreira Franco, que deverá ocupar cargo de assessor especial.

Nas palavras de um aliado do peemedebista, o vice-presidente precisará logo de cara mostrar que fará mudanças efetivas e que fará uma gestão superior a de Dilma. Além disso, terá de aproveitar uma espécie de "lua de mel" com o Congresso Nacional.

Nos cálculos do grupo do peemedebista, nos primeiros 60 dias, será possível contar com uma base aliada de cerca de 400 deputados federais e 56 senadores, quantidade que poderá ser reduzida caso o governo não consiga estabilizar a economia.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Acusado de matar mulher com facada no coração foi preso

A polícia prendeu por volta das 19 horas desta terça-feira (26), o jovem Francisco Edilon de Sousa, de 26 anos, para responder por um crime de homicídio. Ele mora na Rua Antonio Carlos Jobim (Bairro Mutirão) em Crato e foi abordado por policiais militares os quais apresentaram ao mesmo um Mandado de Prisão Preventiva expedido pelo Juiz de Direito Titular da 1ª Vara Criminal da Comarca de Crato, Renato Belo Vianna Velloso.

Edilon é acusado de ter assassinado a jovem Damiana Caetana Pereira, de 28 anos, no interior do Bar de Zé de Rosinha que funciona no próprio bairro Mutirão. Ela morava na Avenida Carlos Cruz, 354 (Salesianos) em Juazeiro do Norte e foi morta com uma facada no coração por volta das 23 horas do dia 15 de setembro de 2012. O acusado trabalha como servente de pedreiro e discutiu com a garota naquela noite.

Damiana ainda foi socorrida por populares ao Hospital São Francisco, mas já chegou sem vida. Enquanto isso, Edilon fugiu não sendo localizado pela equipe da FTA (Força Tática de Apoio) que esteve no local. Horas depois, o acusado foi preso por populares quando chegava em sua casa e entregue à polícia. Posteriormente, foi solto para responder pelo crime em liberdade e desapareceu. Edilon foi novamente recolhido à Cadeia Pública e vai aguardar a definição de data para ser submetido a Júri Popular.

Demontier Tenório

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Campanha de Anastasia recebeu doações de 5 empreiteiras e 1 banco citados na Lava Jato

Escolhido para ser o relator do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) no Senado, Antonio Anastasia (PSDB-MG) recebeu, na eleição de 2014, doações de empreiteiras e de um banco citados na Operação Lava Jato.

Governador de Minas Gerais entre 2010 e 2014, Anastasia foi o dono da campanha mais cara do país entre todos os candidatos ao Senado no ano retrasado.

Ele recebeu R$ 18,1 milhões em doações, contra R$ 15,2 milhões do segundo colocado, o ex-ministro Gilberto Kassab (PSD-SP), de acordo com informações do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Em Minas, Anastasia arrecadou mais que o dobro do que a soma recebida por todos os outros sete candidatos a senador.

Com as empreiteiras Andrade Gutierrez, UTC, OAS, Odebrecht e Queiroz Galvão e o banco BTG Pactual, todos citados na Lava Jato, a campanha do tucano arrecadou R$ 2 milhões, o que representa 11,1% do total recebido pelo então candidato. Dirigentes das seis empresas foram presos na operação --alguns já foram condenados. A Lava Jato investiga um grande esquema de corrupção na Petrobras envolvendo políticos e empreiteiras, como o pagamento de propinas por meio de doações ilegais para campanhas eleitorais.

A maior parte das contribuições das construtoras foi repassada à campanha de Anastasia pelo PSDB e por outras candidaturas do partido. O banco doou R$ 1 milhão diretamente ao seu comitê.

Senador diz que doações foram legais
Por meio de sua assessoria de imprensa, o senador disse que as doações foram legais, "segundo as regras eleitorais à época, registradas e aprovadas pelo próprio Tribunal Eleitoral". Também afirmou que os altos custos de sua campanha em 2014 se deveram ao fato de Minas ser um "um Estado grande e populoso" e "com o maior número de municípios no Brasil".

Quatro das empreiteiras citadas acima participaram de consórcios que construíram a Cidade Administrativa do governo de Minas Gerais. Ao custo de mais de R$ 1 bilhão, o conjunto foi inaugurado em 2010.

Em novembro de 2014, logo após as eleições, a Lava Jato avançou na investigação de empreiteiras suspeitas de participar de desvios na Petrobras. Um ano depois, veio à tona a investigação de André Esteves, que controlava o BTG Pactual e foi preso por suspeita de tentar obstruir as investigações da operação -- sua prisão domiciliar foi revogada na segunda-feira (25).

Investigação arquivada
Por suspeita de lavagem de dinheiro, Anastasia chegou a ser incluído em um dos inquéritos da operação. A investigação foi aberta em março de 2015 porque o policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho havia dito em depoimento que entregara, em 2010, a mando do doleiro Alberto Youssef, R$ 1 milhão a uma pessoa que parecia ser o senador.

Sete meses depois, o inquérito foi arquivado pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki. O magistrado acolheu pedido da Procuradoria Geral da República, que avaliou não haver elementos suficientes para manter a investigação.

Dois meses atrás, Zavascki manteve o arquivamento do inquérito, acolhendo novamente um pedido da Procuradoria. A Polícia Federal pedia a reabertura da investigação com base em documentos que poderiam envolver Anastasia em supostos pagamentos feitos pelo governo de Minas Gerais às construtoras OAS e UTC.

"Dilmasia"
Advogado, o atual senador elegeu-se vice-governador de Minas em 2006, com Aécio Neves na cabeça de chapa. Assumiu a administração estadual em março de 2010, quando Aécio renunciou para disputar uma vaga no Senado. Cinco meses depois, Anastasia foi eleito governador para um novo mandato.

Curiosamente, na época, ganhou força em Minas o voto "Dilmasia", ou seja, a combinação de votos em Dilma para presidente e Anastasia para governador, deixando em segundo plano o então candidato do PSDB à Presidência, José Serra.

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook



Addthis