Cientistas querem usar presidiários para testes como fazem com ratos de laboratório

Imagine que você quer fazer um estudo de dietas e nutrição, com milhares de participantes separados aleatoriamente para seguir planos específicos de refeições por anos enquanto a saúde deles é monitorada.

No mundo real, estudos como esse são quase impossíveis. É por isso que há tantas questões sem resposta sobre o que é melhor para as pessoas no campo da alimentação. E um dos maiores mistérios diz respeito ao sal e a sua relação com a saúde.

Agora, um grupo de pesquisadores famosos sugeriu uma maneira de resolver as chamadas guerras do sal da ciência. Os estudiosos querem conduzir um imenso teste de ingestão de sal com presidiários, cujas dietas podem ser controladas. Os pesquisadores, que recentemente propuseram a ideia ao periódico Hypertension, dizem que estão otimistas quanto às perspectivas do estudo.

Usar os presos como objetos de estudo é, no mínimo, controverso. A história é cheia de contos de terror. Nos anos 1940, os presidiários foram deliberadamente infectados com malária. Nos anos 1950, com hepatite. Uma década depois, os cientistas irradiaram os testículos de homens encarcerados.

"As prisões são um ambiente intrinsicamente coercitivo", afirmou Ruth Macklin, especialista em ética e professora de Epidemiologia e Saúde da População da Faculdade de Medicina Albert Einstein. "Isso não significa, porém, que o consentimento informado seja impossível."

O objetivo do estudo proposto é colocar um fim em décadas de desacordo científico sobre os benefícios e os perigos do sal. De um lado estão pesquisadores que dizem que os norte-americanos comem muito sódio e que isso prejudica sua saúde. Para as pessoas saudáveis a Associação Americana do Coração recomenda 2.300 miligramas por dia. Para quem tem pressão alta, no entanto, a quantidade ideal é 1.500 miligramas, ou menos da metade de uma colher de chá.

Quanto mais alta a pressão sanguínea, maior o risco de ataques cardíacos e derrames. Reduzir o teor de sal da dieta diminui a pressão arterial, então, alimentar-se com quantidades muito baixas deveria levar a menos problemas cardiovasculares e mortes.

Do outro lado, estão os dissidentes da ciência que dizem, "vocês precisam provar o que dizem". Eles se preocupam com o fato de que níveis muito baixos de sódio possam piorar a saúde, citando estudos que encontraram maiores taxas de morte, de ataques do coração e derrames em pessoas que seguem dietas com baixo teor de sódio.

E a resistência obstinada daqueles que deveriam consumir menos sal indica, segundo alguns especialistas, que os humanos desejam esse ingrediente por uma razão --ele é necessário para a saúde.

A média de consumo de sódio nos Estados Unidos e em vários outros países não se altera há décadas. São cerca de 3.200 miligramas por dia. Há anos, os médicos, entre eles um grupo que produziu um relatório para o Instituto de Medicina sobre o sódio na dieta, vêm pedindo um teste clínico aleatório sobre o assunto que examinasse os resultados como mortes e derrames, não os fatores de risco, como a pressão arterial. Esse teste, porém, nunca aconteceu, e isso transformou o tema em um campo minado para cientistas e consumidores.

O doutor Daniel W. Jones, professor de Medicina e Psicologia da Escola de Medicina da Universidade do Mississippi e ex-presidente da Associação Americana do Coração, ficou assustado ao ver as discussões amargas entre os pesquisadores que discordam sobre o sal. Então, convidou cientistas médicos dos dois lados do debate para se encontrarem em Jackson, no Mississippi, para descobrir como resolver suas diferenças.

"Eu queria um equilíbrio entre os diferentes pontos de vista", conta Jones, que acredita que as dietas com baixo teor de sal são mais saudáveis. "E queria pessoas que têm evitado a tentação de depreciar os motivos daqueles com quem elas discordam." Esses critérios, de maneira geral, "me deixaram com uma pequena lista de pessoas para convidar", conta Jones.

Os seis cientistas chamados concordaram em discutir suas diferenças. (Depois, convidou mais dois pesquisadores --o doutor Eric Peterson, especialista em testes clínicos da Universidade Duke, e o doutor Robert Califf, também da Duke, que foi chefe da Administração de Alimentos e Medicamentos-- para avaliar o trabalho final.)

Jones e o doutor David McCarron, pesquisador de Nutrição da Universidade da Califórnia, em Davis, que se preocupa que as dietas com pouco sódio sejam perigosas para a saúde, lideraram a discussão. Eles começaram expondo o relatório do Instituto de Medicina para o grupo e destacando a recomendação de que se faça um teste clínico randomizado em uma população cuja dieta possa ser controlada. Eles se perguntaram, "O que vamos fazer?"

"Não é hora de alguém tentar fazer isso?", perguntou Jones, lembrando-se da conversa. "Se a resposta for sim, qual é a população ideal?" Por dois dias, o grupo debateu e ponderou várias opções. Conduzir o estudo entre militares? Em geral são muito jovens. Em casas de saúde? Muitos moradores já estão em uma dieta com baixo nível de sódio. A melhor opção parecia ser as pessoas encarceradas. Então, suponhamos que se faça o estudo em prisões, disse Jones. A pesquisa deve beneficiar os prisioneiros ou apenas a população em geral? Se os prisioneiros não se beneficiarem, o estudo seria antiético.

As pessoas que não estão presas podem escolher quanto sódio querem consumir, mas os prisioneiros não --eles comem o que a instituição fornece. Se há uma incerteza quanto à quantidade ideal de sódio, concluíram os especialistas, os prisioneiros iriam se beneficiar de um estudo que resolvesse a questão.

O grupo consultou Marc Morjé Howard, professor de Governo e Leis da Universidade Georgetown que também dá aulas em uma prisão de segurança máxima. "É um pouco um campo minado da ética. Minha preocupação seria que a pesquisa não prejudicasse de alguma maneira a saúde dos prisioneiros e que a participação fosse voluntária", disse Howard em uma entrevista por telefone. "Mas acho que é possível se for feito de uma maneira muito, muito cuidadosa, com a cooperação total das autoridades da cadeia", afirmou.

Ele disse que várias pessoas que estão presas já superaram seus passados criminosos e têm o desejo de ajudar a sociedade. "Elas querem ser perdoadas", contou.

Em uma entrevista por telefone, Macklin afirmou que vários presidiários ficariam felizes de participar. Ela deu aulas em uma prisão de segurança máxima e estudou o lado ético se fazer pesquisas em cadeias. "Eles diriam que querem contribuir com a sociedade", disse ela.

Os administradores das cadeiras confirmaram a Jones que gostariam de considerar a proposta de um estudo aleatório de uso de sal. Jones também vai conversar com o Sindicato Americano de Liberdades Civis, que possui um projeto sobre os direitos dos presos, para explicar o estudo e por que ele aborda questões importantes para os prisioneiros.

O plano é começar com um projeto-piloto envolvendo encarcerados de 55 anos ou mais. Depois viria um teste maior, previsto para durar cerca de cinco anos, com dez mil a 20 mil prisioneiros nesse mesmo grupo de idade. Os pesquisadores planejam solicitar fundos do Instituto Nacional de Saúde.

Jones diz que o teste por enquanto é apenas uma proposta. "Há muitos passos entre hoje e o começo. Mas somos um grupo sério de pessoas, mais experientes e que discordam fortemente. Nós nos reunimos para tentar encontrar a solução", explica.

Fonte: Viva Bem/UOL (Via New York Times)

Curta nossa página no Facebook

Operadoras voltam a pressionar Anatel para limitar franquia na internet fixa

As operadoras de telefonia voltaram a pressionar a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para que caia a proibição da franquia limitada de dados na internet fixa.

Apesar das grandes empresas de telecomunicações planejarem a limitação do plano de dados em banda larga fixa, uma decisão da Anatel não permite que elas definam uma franquia para os clientes.

Oi, Vivo e NET se juntaram a Abrint, órgão que representa pequenas empresas de telecom, e ao Sindisat, sindicado de provedores via satélite, para pressionarem a Anatel para rever a proibição da franquia limitada. As companhias querem que o tema seja recolocado em discussão, e que, depois, a restrição à prática seja derrubada.

Ao UOL Tecnologia, Basílio Perez, presidente da Abrint, defendeu que as empresas devem ter permissão para limitar o plano de dados, mas com pacotes que oferecem a partir de 500 GB por mês - o que, segundo o executivo, é o suficiente para 2h30 diárias de Netflix.

O limite defendido por Perez é bem diferente do proposto pela Vivo em 2016, quando a operadora tentou implementar a prática mas acabou sendo impedida pela Anatel. A operadora planejava oferecer pacotes mensais entre 10 GB e 130 GB, e, após o consumo dos dados, a conexão poderia ser bloqueada ou teria a velocidade reduzida.

A Anatel nega que esteja sendo pressionada pelas empresas, e diz que, mesmo que fosse o caso, não há intenção de alterar a determinação que proíbe o estabelecimento de uma franquia limitada de dados na internet fixa.

Fonte: Olhar Digital

Curta nossa página no Facebook

Cientistas descobrem composto que imobiliza célula do câncer e impede metástase

O cientista Raymond Bergan e equipe em laboratório no
Instituto OHSU Knight Cancer, no estado de Óregon
(EUA) (Foto: Kristyna Wentz-Graff/OHSU)
Uma nova pesquisa publicada na revista "Nature Communications" nesta sexta-feira (22) abre novos caminhos para impedir que o câncer se espalhe para outras áreas do organismo. Em estratégia inédita, cientistas "congelaram" a célula cancerígena para que ela não se movimentasse.

Trata-se de uma mudança de perspectiva na luta contra o câncer, dizem os cientistas. Isso porque, na maior parte das pesquisas em oncologia, os esforços se concentram mais em matar o tumor.

Os testes foram feitos com a molécula KBU2046, composto que inibiu o movimento de células do câncer em quatro diferentes tipos de células do câncer humanas: câncer de mama, próstata, colorretal e pulmão.

O cientista explica que ele e a sua equipe fizeram diversos estudos na química para pensar um composto que só inibiria o movimento de células do câncer -- e não tivesse nenhum outro efeito em células saudáveis.

Substância bloqueia proteína associada ao movimento
Bergan cita ainda que o laboratório de Karl Scheidt, professor de química e farmacologia da Universidade de Northwestern, foi o responsável por pensar em novos compostos que pudessem impedir a motilidade de tumores. O desafio era encontrar substâncias com poucos efeitos colaterais.

Scheidt explica que o KBU2046 se liga a proteínas das células de forma específica para somente impedir o movimento. Não há uma outra ação sobre as estruturas celulares, o que diminui os efeitos colaterais e a toxicidade. "Levamos anos para descobrir", comemora, em nota.

Pesquisadores almejam que a droga possa ser administrada em cânceres iniciais para diminuir ao máximo que o tumor se espalhe para o resto do corpo e o paciente tenha um tumor intratável no futuro.

Cientistas estimam que serão necessários dois anos e US$ 5 milhões para que os primeiros testes sejam realizados em seres humanos.

Fonte: G1

Curta nossa página no Facebook

Copa 2018: Segundo jogo do Brasil parou comércio de Crato e Juazeiro do Norte

O segundo jogo da Seleção Brasileira, contra a Costa Rica, paralisou o centro comercial destes dois municípios, na manhã desta sexta-feira (22). As lojas fecharam as portas e as ruas ficaram desertas durante a partida.  O trânsito esteve tranquilo nas principais vias das duas cidade. Na Avenida Padre Cícero (CE-292), que liga os dois municípios, poucos veículos ocuparam as duas faixas de circulação minutos antes dos times entrarem em campo.

No Mercado Central de Crato, no tradicional dia de feira, os clientes e permissionários pararam seu comércio para acompanhar o jogo. Eles se amontoaram nos pequenos boxes de comida, outros acompanharam pelo celular e alguns, até mesmo, pelo rádio. O motorista Francisco Balbino Rocha, que deixou verduras bem cedo no equipamento público, aproveitou para assistir a partida juntos dos feirantes. “A gente continua trabalhando, mas dá uma pausa pra assistir”, pondera.

Apesar do primeiro tempo desanimado, ele mostrou esperanças no hexacampeonato. “Hoje eu aposto no Brasil, mas estou aguardando esse jogo para ter mais perspectiva de vitória no próximo jogo”, explica. Apesar disso, Francisco acredita que este ano a Copa da Rússia mobilizou menos a população. “Está menos movimentado devido a crise, o desemprego, mas tá melhorando aos poucos e a gente espera que seja assim daqui pra frente”, completa.

Já a comerciante Maria Lucia Ramos acredita que no domingo a movimentação era bem maior. Quietinha, ao lado de seu boxe, ela ficou ouvindo a narração e torcendo pelo Brasil, ansiosa, sem poder abandonar as carnes que comercializa. “Eu fico curiosa, aí fico assim. Só chego perto (da televisão) na hora que dá o gol. O Brasil pode até ser campeão, se tiver um cuidadinho”, finaliza.

ANTONIO RODRIGUES
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Lula poderá ser candidato se STF acolher recurso da defesa, diz advogado

Uma eventual vitória na Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), na próxima terça-feira (26), poderá dar ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva plenas condições de ser candidato nas eleições presidenciais de outubro deste ano, ao menos até que os recursos especial e extraordinário sejam analisados na própria corte e no Superior Tribunal de Justiça (STJ), avalia o criminalista Gustavo Badaró.

Segundo o professor de Direito Penal da Universidade de São Paulo (USP), caso a cautelar pedida pelos advogados de Lula seja concedida pelos ministros da Segunda Turma do STF, ela anula os efeitos da lei da Ficha Limpa até que o julgamento dos recursos sejam concluídos e o prazo para essa conclusão, no seu entender, pode ficar para depois da eleição.

"Se o Supremo conceder cautelar para o Lula, essa medida terá duplo efeito: do ponto de vista penal, ele estará solto, e do ponto de vista eleitoral, enquanto não for julgado recurso no Supremo, ele poderá ser candidato", disse Badaró, em entrevista ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado.

"O artigo 26-C da lei da Ficha Limpa diz que, mesmo condenado em segundo grau, o réu pode pedir a suspensão do efeito dessa condenação. Se for dada a suspensão, ela pode se candidatar enquanto o recurso não for julgado".

Na opinião de Badaró, tanto o recurso ao STF como ao STJ não devem ser analisados antes das eleições gerais de outubro, levando em conta a "tramitação normal" dos processos. É praticamente a última chance do PT. Se eles conseguirem, muda, o status de Lula de "preso não candidato" para "solto e candidato", resumiu.

A vitória da senadora Gleisi Hoffmann e do ex-ministro Paulo Bernardo nesse colegiado do STF deu novos ânimos ao PT em relação à situação do ex-presidente. Por 5 votos a 0, a Segunda Turma - a mesma que vai analisar a medida cautelar de Lula na semana que vem - absolveu, nesta semana, ambos os petistas, e o empresário Ernesto Kugler Rodrigues das acusações de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Gleisi ainda foi inocentada, por 3 votos a 2, da prática de caixa 2, o que representou uma vitória dos ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandoswki sobre o relator da Lava Jato, Edson Fachin e Celso de Mello.

Objetos diferentes
O criminalista, no entanto, não crê que o resultado do julgamento desta terça-feira (19) possa indicar uma tendência para o da semana que vem, uma vez que os objetos são diferentes. "Gleisi e seu marido foram absolvidos no mérito. Já a maior parte das teses de Lula são de vícios processuais", argumentou Badaró, lembrando ainda que, no caso da senadora, o STF teve acesso às provas do processo, o que é vedado no caso do ex-presidente, que não tem mais foro.

"No julgamento da cautelar, os ministros só poderão tratar de teses constitucionais, como a alegação de que o juiz Sergio Moro ou o Tribunal Federal da 4ª Região (TRF-4) violaram a Constituição. São hipóteses muito diferentes para que possamos traçar um paralelo."

Fonte: UOL (Com Estadão Conteúdo)

Curta nossa página no Facebook

Reencontro com povo brasileiro só não ocorrerá se a vida me faltar, diz Lula em carta

Em uma carta apresentada como "Manifesto ao povo brasileiro", o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso há dois meses e condenado pela Operação Lava Jato, declarou que será candidato do PT à Presidência da República e que um reencontro com o povo brasileiro só não ocorrerá se ele morrer.

"E assim vou me preparando, com fé em Deus e muita confiança, para o dia do reencontro com o querido povo brasileiro. E esse reencontro só não ocorrerá se a vida me faltar", escreveu Lula. Enquanto o petista está preso em Curitiba, o PT faz nesta sexta-feira, 8, um ato de lançamento oficial da pré-candidatura do ex-presidente ao Palácio do Planalto.

Lula considera uma candidatura este ano como "o compromisso da minha vida" e, na carta, acenou para a Justiça Eleitoral, que julgará eventual registro de sua candidatura. O partido pretende registrá-lo como candidato no dia 15 de agosto.

"Sou candidato porque acredito, sinceramente, que a Justiça Eleitoral manterá a coerência com seus precedentes de jurisprudência, desde 2002, não se curvando à chantagem da exceção só para ferir meu direito e o direito dos eleitores de votar em quem melhor os representa", diz o manifesto.

O petista alegou ser inocente do processo sobre o triplex do Guarujá e disse que se considera um preso político. Ele afirmou que sua candidatura representa "esperança" para o Brasil e que a manterá "até as últimas consequências".

O PT sustenta que outros candidatos já tiveram suas situações judiciais revertidas após eleições e conseguiram tomar posse. Lula alega que deveria recorrer à condenação em liberdade e que foi preso "pelo único motivo de que me chamo Luiz Inácio Lula da Silva". Ele disse ter certeza que a Justiça fará "prevalecer a verdade".

O petista afirmou ainda que os procuradores da Lava Jato, que apresentaram a denúncia contra ele, o juiz Sérgio Moro e o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que o condenaram, sempre o trataram como "inimigo". Ele ressaltou, contudo, que não cultiva "ódio ou rancor", mas duvida que seus "algozes" durmam com a consciência tranquila.

"É para acabar com o sofrimento do povo que sou novamente candidato à Presidência da República", diz o manifesto assinado por Lula.

Alianças
Em uma referência a alianças com outros partidos de esquerda, Lula disse ter certeza que forças aliadas terminarão unidas na campanha eleitoral. "Temos de unir as forças democráticas de todo o Brasil, respeitando a autonomia dos partidos e dos movimentos, mas sempre tendo como referência um projeto de País mais solidário e mais justo, que resgate a dignidade e a esperança da nossa gente sofrida. Tenho certeza de que estaremos juntos ao final da caminhada."

Fonte: UOL (Com Estadão Conteúdo)

Curta nossa página no Facebook

Antiácido, antitérmico: Conheça perigos de remédios que não exigem receita

Quatro em cada cinco adultos norte-americanos tomam remédios expostos nos balcões das farmácias e vendidos sem receita médica, mais frequentemente para tratar doenças como dores, tosse e resfriados, febres, alergias, problemas de pele, azia e outros males digestivos. É fácil entender as razões. Esses medicamentos são convenientes, estão disponíveis nas farmácias e mercados e são mais baratos do que ir ao médico e pagar, às vezes, apenas para conseguir uma receita.

De acordo com a Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) americana, existem mais de 300 mil remédios e produtos que não precisam de receita no mercado dos EUA, um número que continua a crescer. De acordo com a Associação de Produtos de Consumo de Saúde, um grupo comercial da indústria, desde 1975, mais de 100 ingredientes, indicações ou dosagens deixaram de precisar de receita nos Estados Unidos.

No ano passado, os americanos gastaram cerca de US$ 44 bilhões em medicamentos sem receita, o que, segundo a indústria, gerou uma economia de cerca de US$ 102 bilhões para o sistema de saúde em visitas médicas, exames de diagnóstico e medicamentos prescritos.

Além de economizar o tempo e o dinheiro dos consumidores, esses dão a muitas pessoas a sensação de ter controle sobre sua saúde e seu bem-estar. No entanto, um em cada cinco adultos que se automedicam admitem tomar mais do que a dose recomendada ou usar o produto com mais frequência do que a bula indica.

Poucos consultam um médico – ou mesmo o farmacêutico – sobre a segurança e a sensatez de usar um certo remédio. Uma pesquisa com consumidores feita em 2001 para o Conselho Nacional de Informação e Educação do Paciente descobriu que a maioria das pessoas lê apenas partes das bulas e rótulos e, por isso, pode perder informações essenciais para o uso correto da medicação.

Mesmo quando os remédios que não precisam de receita são usados corretamente, pode haver problemas. Algumas substâncias não devem ser tomadas por pessoas com certas condições de saúde ou combinadas com outras – prescritas ou não – por causa da possibilidade de interações adversas.

Paracetamol pode afetar o fígado
Por exemplo, o paracetamol (acetaminofeno), ingrediente ativo do Tylenol e seus vários concorrentes, é o remédio mais usado sem receita, tomado normalmente para diminuir a dor ou a febre. Mas o acetaminofeno também é utilizado frequentemente em outros medicamentos que não precisam ser indicados por um médico, como produtos para tosse, resfriados e alergias e analgésicos que exigem prescrição como o Percocet e o Vicodin. Em grandes quantidades, o acetaminofeno pode causar danos graves ao fígado.

Overdoses de acetaminofeno causam 30 mil hospitalizações todos os anos, geralmente por causa de falência aguda do fígado. Um estudo com 500 pessoas publicado em 2012 no The Journal of General Internal Medicine revelou que 24 por cento excederiam sem saber o limite seguro de quatro mil miligramas da droga em um período de 24 horas usando apenas um produto que contém a substância. Cerca de 46 por cento entrariam em overdose ao tomar ao mesmo tempo dois produtos com esse analgésico.

De acordo com o Conselho Nacional, um terço dos americanos diz que combina remédios para tratar sintomas múltiplos, mas apenas uma em dez pessoas afirma que lê a bula inteira de cada medicamento que toma. Por isso, a maioria não sabe das duplicações potencialmente tóxicas e das interações danosas.

Uso de mais de um medicamento aumenta chances de intoxicação
Atrás de vantagens de vendas, muitas empresas que produzem remédios que não precisam de receita oferecem produtos com múltiplos ingredientes para tratar vários sintomas simultaneamente. No entanto, a maioria dos consumidores não precisa de todas as substâncias ativas em um medicamento e, dessa maneira, aumentam desnecessariamente o risco de intoxicação.

Cerca de 40 por cento dos medicamentos vendidos sem receita são usados por pessoas de mais de 65 anos, com maiores chances de ter uma condição de saúde que pode contraindicar o uso de alguns desses remédios. Por causa de doenças crônicas, de mudanças relacionadas com a idade na maneira em que o corpo processa algumas substâncias e do número de remédios prescritos que os idosos normalmente tomam, eles correm mais riscos de sofrer efeitos adversos e problemas com interações.

Entre os perigos ligados aos medicamentos que os pacientes mais velhos enfrentam de maneira desproporcional estão quedas, depressão, confusão, alucinações e má nutrição.

Laxantes podem causar dependência
Só porque um produto é vendido no balcão da farmácia, não significa que seja inofensivo. Os laxantes, por exemplo, estão entre os remédios sem receita mais mal usados, e não só pelas pessoas que abusam deles na esperança de perder peso. Quando tomados com muita frequência para prevenir a constipação, os laxantes têm o poder de causar dependência. O intestino pode perder sua habilidade para funcionar bem sem eles.

Pílulas para dormir que não necessitam de prescrição e que contêm anti-histamínicos podem apresentar o problema oposto: perder sua eficiência com o tempo, o que faz com que as pessoas comecem a tomar mais do que a dose recomendada. Elas não devem ser usadas por mais de duas semanas. Mesmo quando tomadas da maneira correta, podem causar sono diurno, confusão mental e espessamento das secreções do pulmão.

Antiácido pode causar diarreia
Algumas pessoas com azia crônica tomam antiácidos para diminuir os efeitos dos ácidos do estômago. Mas eles também podem causar diarreia e constipação, e bloquear a absorção de alguns medicamentos prescritos. As melhores escolhas disponíveis são os bloqueadores de H2 (como Pepcid e Zantac) e inibidores da bomba de prótons (como Nexium, Prilosec e Prevacid) que impedem a produção de ácidos no estômago. Mas esses medicamentos também são perigosos quando tomados por muito tempo, incluindo quebras de ossos e deficiência de magnésio, que podem levar a convulsões.

Quando as substâncias anti-inflamatórias não esteroides, como a aspirina, o ibuprofeno e o naproxeno, são tomados por muito tempo, também podem causar danos, incluindo úlceras, problemas nos rins ou no fígado e um aumento do risco de ataque cardíaco ou derrame. E assim por diante.

Apesar de os remédios vendidos livremente serem normalmente seguros quando usados de vez em quando e corretamente por adultos saudáveis, esses problemas de saúde crônicos podem causar reações adversas potencialmente sérias. O site FamilyDoctor.org possui uma lista de condições médicas que talvez precisem de precauções extras: asma, sangramentos ou coágulos, dificuldades respiratórias, diabetes, próstata aumentada, epilepsia, glaucoma, gota, doenças no coração, e problemas psiquiátricos e de tiroide.

Precauções antes de tomar qualquer remédio
Pessoas que têm condições de saúde subjacentes ou que usam um ou mais medicamentos deveriam consultar seus médicos antes de tomar remédios vendidos no balcão da farmácia. No mínimo, checar com o farmacêutico. Se você compra todos os remédios prescritos na mesma farmácia, é mais fácil descobrir potenciais interações adversas das substâncias. Se isso não ocorrer, leve com você uma lista de todas as prescrições e medicamentos sem receita que toma e pergunte ao farmacêutico.

Entre outras precauções sensatas a tomar quando for comprar um remédio no balcão da farmácia estão: ler a bula inteira, incluindo ingredientes, dosagens, intervalo e tempo indicados e advertências; prestar atenção se o medicamento deve ser tomado com comida ou com o estômago vazio; não misturar remédios e álcool; evitar tomar suplementos minerais e vitamínicos ao mesmo tempo; e, se tiver qualquer reação alérgica ou problemas, anote a causa para evitar aquela substância no futuro.

Fonte: UOL (Com NYT)

Curta nossa página no Facebook

Eleitor confirma: Lula é o mais preparado para acelerar o crescimento da economia

O ex-presidente Lula é o pré-candidato ao Planalto mais preparado para acelerar o crescimento da economia do país, avalia o eleitor brasileiro. Segundo pesquisa Datafolha, 32% dos entrevistados citaram o petista como o melhor nome para desempenhar essa missão. 

O resultado da pesquisa é bastante similar ao quadro geral de intenção de voto do eleitor, com o ex-presidente sendo seguido pelo deputado Jair Bolsonaro (PSL), com 15%, e Marina Silva (Rede), 8%.    

Lula encerrou seu segundo mandato na Presidência, em 2010, com alta aprovação popular e uma taxa de crescimento do PIB de 7,6%, o maior índice desde 1985. Mas o PT depois levaria o país, no governo de Dilma Rousseff, a uma de suas mais graves recessões.

De 2014 a 2016, a produção e a renda do país encolheram 8,2%. Neste ano, o mercado estima um crescimento em torno de 1,7%. 

Para reverter esse quadro de estagnação, Lula é o favorito de eleitores de todas as faixas etárias e regiões do país. No Nordeste, onde tradicionalmente tem maior aprovação, o petista é visto como o  melhor remédio para a economia por 51% dos entrevistados, contra apenas 8% do segundo colocado, Bolsonaro. 

A vantagem do ex-presidente, porém, diminui conforme aumentam a escolaridade e a renda dos eleitores. 

No grupo que possui apenas o ensino fundamental, ele atinge 37%, contra 9% de Bolsonaro. Entre os entrevistados com nível de ensino superior, ambos estão empatados, com 20%. 

Do mesmo modo, Lula chega a 40%, versus 11% de Bolsonaro, no grupo com renda mensal de até dois salários mínimos. Entre os mais ricos, com mais de dez salários, o petista cai para terceiro (14%), atrás de Bolsonaro (22%) e do tucano Geraldo Alckmin (17%).

Nesse grupo, o ex-presidente fica tecnicamente empatado com Henrique Meirelles (MDB), —citado por 12%—, ex-ministro da Fazenda (governo Temer) e ex-presidente do  Banco Central (gestão Lula). 

Preso desde 7 de abril, Lula ainda lidera a lista de intenção de voto para o Planalto quando seu nome é incluído entre os pré-candidatos. É o preferido de 30% dos entrevistados. Condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, o petista é inelegível, de acordo com a Lei da Ficha Limpa.

Segundo o Datafolha, a maioria da população acredita que o ex-presidente não será candidato, mas o número registrou queda na última pesquisa. Passou de 62% em abril para 55% no início de junho.  

Já os que avaliam que ele participará da disputa passaram de 34% para 40%. 

A percepção de que o ex-presidente não concorrerá às eleições, no entanto, não significa que os entrevistados acreditem que ele não deveria ser candidato. Nesse caso, constata-se um empate. Para 48%, Lula deveria ser impedido de concorrer, enquanto 49% são contra vetá-lo.

Quaisquer que sejam os candidatos, o eleitor acredita que saúde (41%) e educação (20%) deveriam ser a prioridade do próximo presidente. 

A saúde também aparece, ao lado da corrupção, no topo da lista dos principais problemas do país. Foram mencionadas por 18% dos brasileiros. Em seguida foram citados o desemprego (14%) e a violência (9%). 

Reprovado por 82% dos entrevistados, o governo de Michel Temer (MDB) registrou queda em sua nota média. O número chegou agora a 1,9, com a maioria (53%) atribuindo nota 0 ao presidente. 

Em abril, a média era levemente melhor: 2,7, sendo que 41% deram nota zero.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook

Teto de escola desaba e deixa três operários feridos em Barbalha

O telhado da Escola Municipal de Ensino Integral Josefa Alves de Sousa, que passa por obras de ampliação, desabou na manhã desta quinta-feira (21). Três operários se feriram sem gravidade e foram atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Orçada em R$ 381.281,05, estão sendo construídos uma cozinha, refeitório, um depósito, nova sala de professores e banheiros.

O desabamento aconteceu por volta das 10h30, durante o intervalo das aulas. A estrutura de madeira que sustentava o telhado cedeu. No momento do acidente, haviam seis operários trabalhando. Um deles, estava em cima da estrutura e teve fratura no braço e foi levado para o Hospital São Vicente. Outro trabalhador, com ferimento no nariz foi encaminhado para o Hospital Santo Antônio. O terceiro foi atendido no Hospital Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte.

O titular da Secretaria de Infraestrutura e Obras do Município, Roberto Wagner, esteve no local acompanhando, prioritariamente, o atendimento aos operários do desabamento. O secretário explicou que a obra está em fase de acabamento e que, portanto, é responsabilidade da empresa licitada, a construtora JT. Apesar do estrondo, as atividades escolares foram mantidas, já que se trata de um prédio anexo. Ainda, segundo ele, faltava um mês e meio para a obra ser concluída.

A obra, iniciada em março deste ano, envolve cerca de 402 m². Ela inclui a construção de salas de aula e administrativas, baterias de banheiro, almoxarifado e refeitório. Finalizada, o número de alunos atendidos será ampliado para 800. Todos em ensino de tempo integral. Duas outras escolas municipais deverão também receber melhorias.

ANTONIO RODRIGUES
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

22 de junho

1633 – A Congregação para a Doutrina da Fé em Roma obriga Galileo Galilei a negar que viu o Sol no meio do Universo.
1941 – Segunda Guerra Mundial: tem início a Operação Barbarossa.
1976 – A Câmara dos Comuns do Canadá extingue a pena de morte no país.

Nasceram neste dia…
1805 – Giuseppe Mazzini, político italiano (m. 1872).
1940 – Abbas Kiarostami, cineasta, poeta e escritor iraniano.
1949 – Meryl Streep (foto), atriz norte-americana.

Morreram neste dia…
1925 – Felix Klein, matemático alemão (n. 1849).
1969 – Judy Garland, atriz e cantora norte-americana (n. 1922).
1974 – Darius Milhaud, compositor francês (n. 1892).

Fonte: Wikipédia

Em carta a jornal inglês, intelectuais defendem candidatura de Lula

Professores e intelectuais que atuam em universidades da Inglaterra publicaram uma carta no jornal inglês The Guardian criticando a prisão do ex-presidente Luíz Inácio Lula da Silva.

No texto, os intelectuais afirmam que o petista foi preso para ser mantido afastado das eleições presidenciais deste ano no Brasil.

"Há provas contundentes de sua inocência e de que ele foi julgado injustamente", dizem no texto. Os intelectuais pedem que Lula seja solto para "concorrer a eleições e permitir que os cidadãos brasileiros possam exercer seus direitos democráticos", finalizam.

Fonte: UOL (Com Estadão Conteúdo)

Curta nossa página no Facebook

Reprovação aumenta e torna Temer o presidente mais impopular da história

A crise provocada pela paralisação dos caminhoneiros e a lenta retomada da economia aumentaram a impopularidade de Michel Temer. Segundo o Datafolha, 82% dos brasileiros consideram seu governo ruim ou péssimo.

A taxa de reprovação aumentou 12 pontos percentuais desde abril, quando o presidente era rejeitado por 70%. Com isso, Temer bate seu próprio recorde como presidente mais impopular desde a redemocratização do país. Em setembro, ele atingira 73%.

Segundo o levantamento, realizado pelo Datafolha na quarta (6) e na quinta (7), após a paralisação dos caminhoneiros, apenas 3% dos brasileiros consideram o governo Temer ótimo ou bom. Outros 14% acham sua gestão regular.

A impopularidade de Temer cresceu em todas as faixas de renda e escolaridade, e nas cinco regiões do país. No Nordeste, o presidente é rejeitado por 87%. No Sul e no Sudeste, o índice é de 80%.

O presidente abriu seu governo rejeitado por 31% dos brasileiros, mas o percentual subiu já nos meses seguintes, após a adoção de uma agenda de aperto fiscal e com o envolvimento de seu grupo político em escândalos de corrupção.

Em 2017, após a delação da JBS, o presidente alcançou 69% de reprovação. O índice subiu levemente depois que Temer foi denunciado por corrupção e ficou praticamente estável até voltar a subir agora.

A pesquisa mostra também que as Forças Armadas são a instituição em que a população deposita mais confiança, embora o índice tenha apresentado uma ligeira queda.

O percentual de entrevistados que diz confiar muito nos militares passou de 43%, em abril, para 37%. Outros 41% dizem confiar um pouco na instituição e 20% não confiam.

Os índices de credibilidade mais baixos foram registrados para partidos políticos (68% não confiam), o Congresso (67%), e a Presidência (64%).

Segundo o Datafolha, 14% confiam muito e 43% confiam um pouco no Supremo Tribunal Federal. Outros 39% não confiam na corte. A imprensa tem a confiança total de 16% dos brasileiros, enquanto 45% dizem confiar um pouco e 37% não confiam na instituição.

Fonte: Folha.com 

Curta nossa página no Facebook

Polícia Federal: sai o edital do concurso para 500 vagas

A Polícia Federal divulgou edital de concurso público para o total de 500 vagas de nível superior. Os salários são de R$ 11.983,26 para agente, escrivão e papiloscopista e de R$ 22.672,48 para perito criminal e delegado.

Veja as distribuição das vagas e cargos do concurso:
  • 180 vagas para agente
  • 150 vagas de delegado
  • 80 vagas para escrivão
  • 60 vagas para perito criminal
  • 30 vagas para papiloscopista
Serão disponibilizadas vagas, preferencialmente, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins e em unidades de fronteira.

As inscrições devem ser feitas pelo site de 19 de junho a 2 de julho. As taxas são de R$ 180 para agente, escrivão e papiloscopista e R$ 250 para perito e delegado.

Requisitos
Os candidatos a escrivão, agente e papiloscopista devem ter curso superior em nível de graduação em qualquer área.

Para delegado é exigido diploma de bacharel em direito, e comprovação de 3 anos de atividade jurídica ou policial.

Para perito os candidatos devem ter curso de graduação de nível superior em ciências contábeis ou em ciências econômicas; engenharia elétrica, engenharia eletrônica, engenharia de telecomunicações ou em engenharia de redes de comunicação; análise de sistemas, ciências da computação, engenharia da computação, engenharia de redes de comunicação ou em informática; engenharia agronômica; geologia; engenharia química, química industrial ou em química; engenharia civil; engenharia florestal; medicina; e farmácia.

Etapas do concurso
A primeira etapa do concurso público destina-se à admissão à matrícula no Curso de Formação Profissional e abrangerá as seguintes fases:
  • prova objetiva para todos os cargos
  • prova discursiva para todos os cargos
  • exame de aptidão física para todos os cargos
  • prova oral, somente para o cargo de delegado
  • prova prática de digitação, somente para o cargo de escrivão
  • avaliação médica para todos os cargos
  • avaliação psicológica para todos os cargos
  • avaliação de títulos, somente para os cargos de delegado e perito criminal
A segunda etapa do concurso público consistirá de Curso de Formação Profissional, de responsabilidade da Academia Nacional de Polícia, e será realizado no Distrito Federal, podendo ser desenvolvidas atividades, a critério da administração, em qualquer unidade da Federação.

A ordem de classificação obtida no Curso de Formação Profissional será rigorosamente obedecida para efeitos de escolha de lotação para todos os candidatos.

A prova objetiva, a prova discursiva, o exame de aptidão física, a prova prática de digitação, a avaliação médica, a avaliação psicológica, a avaliação de títulos, o procedimento de heteroidentificação dos candidatos negros e a perícia médica dos candidatos que se declararam com deficiência serão realizadas em todas as capitais e no Distrito Federal.

A prova oral, aplicada apenas para o cargo de delegado de Polícia Federal, será realizada somente em Brasília.

As provas objetiva e discursiva, exceto para o cargo de delegado, terão a duração de 5 horas e serão aplicadas na data provável de 19 de agosto, no turno da tarde.

Para o cargo de delegado, a prova objetiva terá a duração de 4 horas e será aplicada na data provável de 19 de agosto, no turno da manhã. A prova discursiva terá a duração de 4 horas e será aplicada na mesma data, no turno da tarde.

Na data provável de 9 de agosto de 2018, será publicado no Diário Oficial da União e divulgado na internet, no endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/pf_18, edital que informará a disponibilização da consulta aos locais e aos horários de realização das provas.

No site da Polícia Federal, é possível ver as últimas provas e gabaritos

Restrições das eleições não devem afetar concurso
Como neste ano haverá eleições para presidente, governadores e Congresso Nacional, haverá restrição na nomeação, contratação ou admissão do servidor público federal e estadual nos três meses que antecedem o pleito, marcado para 7 de outubro, até a posse dos eleitos, ou seja, de 7 de julho a 1º de janeiro de 2019. Mas, caso a homologação do concurso (divulgação do resultado final) seja feita até três meses antes das eleições, ou seja, até 7 de julho, as nomeações podem ocorrer em qualquer período do ano.

No caso do concurso da Polícia Federal, não há restrição para divulgação do edital, apenas para as nomeações, mas como o concurso engloba várias etapas, até que os aprovados sejam contratados, a restrição não estará mais valendo.

Polícia Federal
  • Vagas: 500
  • Salários: R$ 11.983,26 para agente, escrivão e papiloscopista e de R$ 22.672,48 para perito criminal e delegado
  • Inscrições: de 19/06 a 02/07
  • Taxas: R$ 180 para agente, escrivão e papiloscopista e R$ 250 para perito e delegado
  • Prova: 19/08
Confira o edital completo

Fonte: G1 

Curta nossa página no Facebook

Banco de Leite de hospital em Juazeiro do Norte precisa de potes e de mães doadoras

Referência para Terra do Padre Cícero e municípios como Granjeiro e Caririaçu, o Hospital Maternidade São Lucas vem sofrendo para manter a alimentação dos bebês internados na UTI neonatal e, também, nos leitos do médio risco. Hoje, apenas 50% vêm do Banco de Leite deste equipamento. No sábado (16), foi lançada campanha para arrecadar potes de vidro que armazenam o leite materno. A meta é arrecadar mil recipientes. Um pote de 300ml é suficiente para alimentar até 10 bebês por dia. Mas a falta de potes não é o único problema. A carência de doações tem ocasionado escassez na Unidade. "Nosso estoque sempre está abaixo da necessidade. Hoje, trabalhamos com 50% da capacidade", garante a coordenadora do Banco de Leite, Andrezza Siqueira.

Lá, o leite doado passa por processo de pasteurização com rigoroso controle de qualidade. Além disso, o local armazena o líquido das mães com filhos internados na UTI neonatal. O local tem atendido de 25 a 30 bebês por mês, mas com captação sempre abaixo, entre 40% e 50%.

Importância
Com essa dificuldade, o Hospital São Lucas tem realizado rodas de conversa com as mães que acabaram de ter seus bebês. O leite materno é o principal alimento e deve ser o único até o bebê completar seis meses de vida. "Caso amamente seu filho e ainda produza bastante leite, esse excesso deve vir para o banco. A gente costuma falar que leite é sangue branco. É ouro. Nele, tem todas as características da mãe. Cada mãe produz um leite apropriado. Jamais ela pode alimentar filho de outra. É contraindicado pelo Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde", informa Andrezza.

Muitas mães percebem a necessidade de doar. É o caso de Maria Thaís de Souza, 21, que há um mês teve seu filho prematuro e, no tempo que ele esteve internado, procurou doar o leite que estava produzindo. "Eu estava tendo muito leite e ainda não estava amamentando. Daí procurei saber como doar. Sei que é importante para a saúde e desenvolvimento deles", exalta a mãe.

ANTONIO RODRIGUES
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Saque do fundo PIS/Pasep é liberado a todas as idades; veja se você tem direito

O presidente Michel Temer sancionou a lei que estende o saque das cotas do Fundo PIS/Pasep para cotistas de todas as idades que trabalharam entre 1971 e 1988. A medida é válida apenas até 28 de setembro. 

Até a sanção da lei, a idade mínima para sacar o dinheiro era de 70 anos, mas já estava em vigor uma medida provisória que reduz esse limite para 60 anos. O texto sancionado pelo presidente já havia sido aprovado pela Câmara e pelo Senado.

Agora, a idade deixa temporariamente de ser um dos critérios para sacar as cotas. Com isso, até 28 de setembro, cerca de 16 milhões de pessoas com menos de 60 anos que têm um total de R$ 16 bilhões no fundo também poderão sacar esses valores.

Depois dessa data, só poderá sacar quem tiver 60 anos ou mais. 

Quando sacar?

O saque das cotas para quem tem menos de 60 anos começa na próxima segunda-feira (18) e vai até 28 de setembro.

Quem puder esperar e deixar para tirar o dinheiro depois de 8 de agosto, em vez de sacar nesta segunda, pode ganhar até 10% a mais, porque ainda será feito cálculo do rendimento anual do PIS/Pasep, conforme explicou o ministro do Planejamento, Esteves Colnago. Isso atualiza e aumenta o valor a ser recebido.

Veja abaixo todas as datas para saques:
  • 18 de junho: pode sacar quem tem 57 anos ou mais (se não sacar nesse dia e esperar até agosto, pode ganhar até 10% a mais)
  • 30 de junho a 7 de agosto: saque interrompido para cálculo dos rendimentos anuais das cotas
  • 8 de agosto: liberação de saque para cotistas de todas as idades que possuem contas na Caixa (PIS) e no Banco do Brasil (Pasep). Cotistas a partir de 57 anos continuam podendo sacar (e podem ganhar até 10% a mais, por causa do reajuste anual)
  • 14 de agosto: saque liberado para cotistas de qualquer idade que tenham conta em outros bancos 
  • 28 de setembro: último dia para saque. A partir do dia seguinte, pagamento volta a ser feito apenas aos cotistas que atendem aos critérios habituais de saque (leia mais abaixo)
Como consultar o valor

Para o PIS (trabalhadores de empresas privadas)

O fundo dos trabalhadores do setor privado fica depositado na Caixa Econômica Federal.

O banco criou uma página no seu site para fornecer informações sobre o saque, como valores a receber, datas e canais disponíveis para realização do pagamento.

Nela, é possível consultar a existência ou não de saldo usando a data de nascimento e seu número de CPF ou número NIS (Número de Identificação do Trabalhador). O NIS pode ser encontrado no Cartão Cidadão, na carteira de trabalho ou no extrato do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Para saber seu saldo no fundo, é necessário o NIS e cadastrar uma senha de internet. Há casos em que o site informa automaticamente o número NIS para quem faz a busca pelo CPF.

Quem tem a senha do Cartão Cidadão:
  • Acesse esse site
  • Digite seu número do NIS
  • Clique no botão "Cadastrar Senha"
  • Leia o contrato de prestação de serviços e clique em "Aceito"
  • Informe a senha do Cartão do Cidadão e a senha de internet que quer cadastrar
Quem não tem a senha do Cartão Cidadão:
  • Acesse esse site
  • Digite seu número do NIS
  • Clique em "Cadastrar Senha"
  • Leia o contrato de prestação de serviços e clique em "Aceito"
  • Preencha os dados solicitados e clique em "Confirmar"
  • Cadastre a senha desejada e clique em "Confirmar"
  • Se tiver o Cartão do Cidadão, faça o pré-cadastramento da senha pelo telefone 0800-726-0207. Para finalizar o cadastro, é preciso ir a uma lotérica
  • Se não tiver o Cartão do Cidadão, será preciso ir a uma agência da Caixa
Outro canal disponibilizado para a consulta são os caixas eletrônicos, por meio do Cartão do Cidadão. Correntistas da Caixa também podem fazer a consulta pelo serviço de internet banking, na opção "Serviços ao Cidadão". 

Para o Pasep (servidores públicos)

O fundo dos trabalhadores do setor público fica depositado no Banco do Brasil. É possível consultar a existência ou não de saldo pelo site da instituição ou nos caias eletrônicos, informando o número de inscrição do Pasep (disponível na carteira de trabalho) ou o CPF e a data de nascimento. O valor da cota não é informado.

O material de divulgação do banco não deixava isso claro, e leitores do UOL perceberam que a página apenas informava se o trabalhador possuía ou não cota, sem mostrar o saldo.

Procurado pela reportagem, o BB confirmou que o site apenas informa os participantes do Pasep sobre a existência ou não de saldo da cota. O valor disponível não é exibido por ser uma informação protegida por sigilo bancário e a consulta é feita em ambiente aberto, segundo o banco.

Para saber o saldo disponível, o cotista terá de ir a uma agência do Banco do Brasil e apresentar um documento oficial de identificação, como RG ou carteira de motorista (CNH).

Questionado sobre o site não informar a existência de saldo para quem tem menos de 60 anos, o BB afirmou que a página só mostrará que o cotista possui saldo a partir do momento em que o recurso for liberado para saque (veja o calendário de liberação acima neste texto). "Assim, a partir da próxima segunda-feira (18), a mensagem apresentada aos cotistas com idade a partir de 57 anos será de que ele possui cota e que ela está disponível para saque."

Como é o pagamento

Caixa Econômica

O fundo dos trabalhadores do setor privado que são correntistas do banco cairá automaticamente na conta em agosto, já com o rendimento. Quem não quiser receber e preferir deixar o dinheiro no fundo precisa pedir à Caixa o cancelamento do depósito.

Para quem não é correntista, as opções de pagamento dependem dos valores.
  • Até R$ 1.500: saque no caixa eletrônico, com senha do Cartão Cidadão (o cartão não é necessário); saque em lotéricas ou lojas que sejam correspondentes bancários da Caixa (com a marca Caixa Aqui), com documento oficial com foto (RG, por exemplo), Cartão Cidadão e senha do Cartão Cidadão; transferência para a sua conta de outro banco, de graça, nos caixas localizados dentro das agências, com documento oficial com foto. 
  • Entre R$ 1.500 e R$ 3.000: saque no caixa eletrônico, com Cartão Cidadão e senha do Cartão Cidadão; saque em lotéricas ou lojas que sejam correspondentes bancários da Caixa (com a marca Caixa Aqui), com documento oficial com foto (RG, por exemplo), Cartão Cidadão e senha do Cartão Cidadão; transferência para a sua conta de outro banco, de graça, nos caixas localizados dentro das agências, com documento oficial com foto. 
  • A partir de R$ 3.000: saque apenas nos caixas localizados dentro das agências do banco, com documento oficial com foto (RG, por exemplo); transferência para a sua conta de outro banco, de graça, nos caixas localizados dentro das agências, com documento oficial com foto.
Banco do Brasil

O fundo dos trabalhadores do setor público que são correntistas do banco cairá automaticamente na conta em agosto, já com o rendimento. Quem não quiser receber e preferir deixar o dinheiro no fundo precisa pedir ao BB o cancelamento do depósito. Caso o trabalhador se enquadre nas condições de saque antes de agosto e queira receber o pagamento sem o rendimento, deve procurar o BB.

Para quem não é correntista, as opções de pagamento dependem dos valores.

Até R$ 2.500: transferência para a sua conta de outro banco, de graça, no caixa eletrônico ou pelo site www.bb.com.br/pasep, com CPF e título de eleitor; saque nos caixas localizados dentro das agências do banco, com documento oficial com foto (RG, por exemplo). 
Acima de R$ 2.500: transferência para a sua conta de outro banco, de graça, nos caixas localizados dentro das agências, com documento oficial com foto (RG, por exemplo); saque nos caixas localizados dentro das agências, com documento oficial com foto (RG, por exemplo). 

Governo prevê injeção de R$ 39,5 bi na economia

Com a medida, o governo espera beneficiar 25 milhões de pessoas e injetar R$ 34,3 bilhões na economia. 

Considerando os R$ 5 bilhões que já foram sacados desde a redução do limite de idade para 60 anos, o total injetado na economia com mudanças das regras do PIS/Pasep é de R$ 39,3 bilhões. De acordo com cálculos do governo, esse valor poderá ter um impacto de 0,55 ponto percentual no PIB (Produto Interno Bruto) deste ano. 

"[As cotas do PIS/Pasep] são contas que estão sem movimentação já há 30 anos, só com a correção, e que tinham condições de saque muito restritivas", afirmou o secretário-executivo do Ministério do Planejamento, Gleisson Rubin.

Saiba mais

O que é o Fundo PIS/Pasep?

De 1971 até 1988, as empresas e órgãos públicos depositavam dinheiro no Fundo PIS/Pasep em nome de cada um dos seus funcionários e servidores contratados. Cada trabalhador, então, era dono de uma parte (cota) no fundo.

Portanto, quem trabalhou como contratado em uma empresa ou servidor público antes de 4 de outubro de 1988 tem uma conta do PIS/Pasep.

Depois de 28 de setembro, quem poderá sacar?

Após 28 de setembro, voltam a valer os critérios habituais para o pagamento das cotas do Fundo PIS/Pasep. Quem perder o prazo só poderá sacar o dinheiro se preencher pelo menos um dos seguintes requisitos:
  • 60 anos de idade ou mais
  • estar aposentado
  • invalidez
  • câncer
  • portador do vírus HIV
  • doenças graves listadas em portaria interministerial do governo
  • idoso e/ou pessoa com deficiência que recebe o Benefício da Prestação Continuada (BPC)
  • transferência para reserva remunerada ou reforma (no caso de militar)
  • em caso de morte do trabalhador, a família pode sacar
Quem trabalhou depois de 1988 tem direito?

Não. A partir de outubro de 1988, os trabalhadores deixaram de ter contas individuais do Fundo PIS/Pasep. Desde então, o dinheiro arrecadado vai para o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), que é usado para pagar benefícios como seguro-desemprego e abono salarial.

Herdeiros podem sacar?

Para herdeiros de cotistas que morreram, o saque pode ser feito independentemente do calendário. Basta ir a qualquer agência da Caixa (se o titular tiver trabalhado em empresa privada) ou do Banco do Brasil (se for servidor) portando o documento oficial de identificação e o documento que comprove a condição de herdeiro, para realizar o saque.

Diferente do abono do PIS/Pasep

O saque do Fundo PIS/Pasep é diferente do abono salarial pago todos os anos para quem recebe até dois salários mínimos. Quem trabalhou pelo menos um mês em 2016 tem até o fim do mês para sacar o dinheiro do abono, que é de até um salário mínimo (R$ 954).

Fonte: UOL (Com agências) 

Curta nossa página no Facebook

Juazeiro do Norte está entre as 123 cidades mais violentas do Brasil

O Ceará tem quatro cidades – Fortaleza, Caucaia, Maracanaú e Juazeiro do Norte – entre as 123 com maior taxa de homicídio no Brasil. Os 123 municípios são responsáveis por 50% de todos os assassinatos ocorridos no Brasil em 2016. As informações fazem parte do Atlas da Violência, divulgado nesta sexta-feira (15) pelo Instituto de Estudos e Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea).

O estudo mostra que entre as cidades cearenses, a com maior número de homicídios por grupo de 100 mil habitantes, é Maracanaú, com 95; seguida por Caucaia, na Grande Fortaleza, com 61,1; Fortaleza, com 55; e Juazeiro do Norte, com 52,2 homicídios por 100 mil habitantes.

Maiores índices
Entre os municípios brasileiros com maiores índices, Maracanaú, na Grande Fortaleza, aparece na 10ª posição, com 95 homicídios por grupo de 100 mil habitantes. Em primeiro lugar no ranking está a cidade de Queimados, no Rio de Janeiro, com 134,9 homicídios por 100 mil habitantes.

Na sequência vem Ceará-Mirim (RN), com 129,5; Eunápolis (BA), com 124,3; Ibiapina (SE), com 118,7; São Cristovão (SE), com 118; Simões Filho (BA), 107,7; São Gonçalo do Amarante (RN), 106,3), Porto Seguro (BA), 101,7; Japeri (RJ), com 95,5; e Maracanaú, com 95,5.

Entre as 316 cidades do Brasil com mais de 100 mil habitantes, Itapipoca tem uma das menores taxas de homicídios e fica na 61ª posição. São 15,8 assassinatos por grupo de 100 mil habitantes no município, conforme o estudo.

A cidade com mais de 100 mil habitantes menos violenta é Brusque, em Santa Catariana, onde a taxa por 100 mil habitantes é 4,3; e o município com a maior taxa de assassinato é Queimados, no Rio de Janeiro, onde o índice chega a 144 mortes por 100 mil habitantes.

Fonte: G1 CE

Curta nossa página no Facebook

Apesar das chuvas, 26 municípios do CE estão em estado de emergência

Treze dias após a conclusão da quadra chuvosa no Ceará (fevereiro a maio), o governo do Estado já editou decreto que reconhece em 26 municípios a situação de emergência. Esse número deve aumentar no decorrer do segundo semestre. Publicado no último dia 15, no Diário Oficial do Estado (DOE), a medida tem por justificativa a irregularidade das chuvas e o risco desabastecimento de água para consumo humano e animal.

O Ceará enfrenta, desde 2012, problemas de desabastecimento, em particular nas áreas rurais. "Não podemos olhar apenas para as cidades, para as sedes dos distritos, mas para o município como um todo", observa Nilson Diniz, vice-presidente da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece) e prefeito de Cedro, um dos incluídos no decreto governamental. "Nas vilas rurais e localidades isoladas há sérios problemas de escassez de água", acrescenta.

O gestor de Cedro explicou que muitas pessoas imaginam que as chuvas dentro da média verificadas na quadra chuvosa deste ano melhoram a situação de abastecimento de um modo geral no Ceará. "Isso não é verdade, houve safra de feijão, a pastagem nativa nasceu bem, mas não houve acúmulo de água", pontuou. "Essa realidade varia entre os municípios, mas, pelo que vejo, o quadro é crítico em centenas de municípios".

Na manhã dessa segunda-feira, Nilson Diniz participou da reunião semanal do Comitê da Seca, no Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBM-CE), em Fortaleza.

"O prefeito de Mombaça, Ecildo Filho, e a prefeita de Boa Viagem, Aline Vieira, mostram enorme preocupação com a crise de desabastecimento, tanto na sede urbana, quanto nas áreas rurais", contou. "Outros gestores que ficaram de fora desse último decreto questionaram o fato e disseram que enviaram informações e documentos exigidos dentro do prazo legal".

Benefícios
O decreto, assinado no dia 13 de junho, pelo governador Camilo Santana, foi publicado no dia 15. Ele mostra que a necessidade de assistência às regiões castigadas pela seca já se fez presente. A medida é necessária para a garantia de apoio e liberação de recursos extras para os municípios atingidos pela irregularidade das chuvas.

Os municípios reconhecidos em situação de emergência podem receber abastecimento por meio de carros-pipa, recursos para perfuração de poços profundos, implantação de sistemas localizados de abastecimento, cisternas e outras políticas públicas de convivência com a estiagem.

A situação de emergência atende a critérios do Ministério da Integração Nacional (MI) e é decretada tendo como base o número de pessoas afetadas pela seca, a população com problemas de abastecimento de água, o volume dos reservatórios, além de prejuízos agrícolas e pecuários.

O quadro foi confirmado em parecer técnico da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), emitido no dia 11 de junho. Segundo artigo 2 do decreto, "confirma-se a mobilização do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (SINPDEC), no âmbito do Estado do Ceará, para prestar apoio complementar aos Municípios afetados, sob coordenação da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, nas ações de resposta à seca".

O decreto de situação de emergência foi bastante utilizado em 2017. Ao fim do ano, mais de 100 localidades cearenses já tinham sido classificadas nessa condição. Já em dezembro de 2016, eram 142 municípios.

Em Cedro, o abastecimento de água continua precário em pelo menos três regiões: Várzea da Conceição, Lajedo e São Miguel. Nas localidades de Pitombeira e Mundo Novo, os reservatórios estão secos e há cerca de 300 famílias que precisam de distribuição de água por meio de carros-pipa.

"Incluído no decreto de emergência, em decorrência da seca, o Município pode reivindicar e ser assistido por políticas públicas, recursos extraordinários", frisou Nilson Diniz. "Vejo que é uma medida legal e legítima". O vice-presidente da Aprece observou que a tendência é a situação se agravar no decorrer do segundo semestre.

Acopiara, Mombaça e Boa Viagem são exemplos de municípios que enfrentam problemas de abastecimento de água, tanto na sede urbana, como nas áreas rurais. "O nosso esforço é incluir o Município no rol de um novo decreto a ser publicado", observou o prefeito de Mombaça.

O secretário de Agricultura de Iguatu, Hildernando Barreto, frisou que há problemas pontuais em localidade rurais, daí a importância da inclusão do município em situação de emergência.

Por meio de nota, a Cagece informou que o órgão atende o abastecimento de áreas urbanas (cidades) e que decreto emergencial leva em consideração as situações de todo o município, onde se incluem as áreas rurais.

Quadra Chuvosa
Conforme dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), foram registrados 580,5mm entre fevereiro e maio deste ano, ficando as chuvas dentro da categoria em torno da média para o período, o melhor resultado desde 2011. Neste ano, o mês mais chuvoso foi abril, com 211,1mm, 12,3% acima da categoria normal climatológica.

Ainda de acordo com a Funceme, durante o período, o Litoral Norte foi a macrorregião mais beneficiada com as precipitações (885,3 mm), o que representa um desvio positivo de 13,8%. Apesar dos resultados de 2018, a Funceme informou, após o fim da quadra chuvosa, que o cenário ainda é de alerta, pois o Ceará sofreu anos de seca desde 2012.

HONÓRIO BARBOSA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

19 de junho

1770 - Emanuel Swedenborg anuncia o fim da sua obra sobre a segunda vinda de Cristo.
1867 - São executados em Santiago de Querétaro o Imperador do México Maximiliano I e os seus generais Tomás Mejía e Miguel Miramón, por ordem de Benito Juárez.
1961 - O Kuwait declara a independência em relação ao Reino Unido.

Nasceram neste dia…
1764 - José Gervasio Artigas, político, militar e ativista uruguaio (m. 1850).
1944 - Chico Buarque (foto), músico, cantor, compositor, letrista, arranjador, dramaturgo e escritor brasileiro.
1947 - Salman Rushdie, escritor britânico.

Morreram neste dia…
1918 - Francesco Baracca, conde e aviador italiano (n. 1888).
1937 - James Matthew Barrie, escritor britânico (n. 1860).
1956 - Thomas John Watson, empresário estado-unidense (n. 1874).

Fonte: Wikipédia

ShareThis