Quem seria o anti-Trump brasileiro? Teríamos coragem de votar nele ou nela?

Não estou dizendo que Trump e Bolsonaro são iguais – muito, mas muito longe disso. Como já disse aqui, Trump é menos tosco do que parece o ''personagem'' Trump. Também não creio que o segundo tenha chances reais em 2018 e acho que, por mais que esteja se movimentando politicamente para construir sua candidatura, talvez não queira perder o foro privilegiado da reeleição certa para deputado federal.

Mas ambos ocuparam um vazio. E surfaram na insatisfação, oferecendo saídas simplistas para um público cansado da elite política, órfão dos benefícios da globalização, cansado de corrupção e que não acompanha as mudanças pelas quais o mundo passa. Um público irritado com o fato do que era ''tradição e costume'' agora ser chamado por ''preconceito, racismo, xenofobia, homofobia'', ou seja, seus nomes reais.

Ambos têm o aparente frescor da novidade – mesmo que suas narrativas estejam no poder desde que os brancos chegaram ao continente americano e passaram a réguas nos indígenas de lá e daqui. Sabem conversar com um público que quer saídas rápidas e fáceis para seus problemas e que precisam de alguém que lhes entregue uma narrativa que lhes faça sentido para poderem tocar suas vidas. Mesmo que essa narrativa seja violenta. Narrativa que os partidos tradicionais solapam em oferecer.

E pelo fato de não precisarem ganhar nada, estão livres para fazer o que for preciso para ganhar. Inclusive ir contra aquilo a dignidade humana.

O interessante, porém, é que a mesma insatisfação com a política tradicional e a mesma crise das narrativas que alçaram a candidatura de Donald Trump à viabilidade, também produziram um Bernie Sanders – praticamente um ''independente'' que correu pelo Partido Democrata. Alguém que não é vinculado à classe política de sempre.

Concordo com a opinião de vários analistas que afirmam que Sanders teria tido mais chance do que Hillary Clinton – perderia nos Estados republicanos, mas ganharia no chamado ''cinturão da ferrugem'', região que viu indústrias e empregos serem transferidos a outros países. Os eleitores desses locais deram votos a Sanders nas primárias democratas mas, depois, apoiaram Trump e não Hillary na eleição.

A esquerda no Brasil terá um representante ou uma representante, em 2018, capaz de aglutinar a insatisfação e defender a plena efetivação dos direitos humanos?

Conseguirá se reorganizar, talvez agora sob as bases dos novos movimentos sociais urbanos, com estruturas arejadas, horizontais e jovens – capazes de fazer frente ao desafio de atuar fora do Estado e, ao mesmo tempo, disputar seu significado e suas prioridades?

Poderá construir uma nova narrativa que desperte o sonho e o engajamento?

Saberá sair do binômio sindicalistas/intelectuais acadêmicos e animar os mais jovens, que foram às ruas em 2013 e, não voltando para defender ou atacar o impeachment, agora ocupam escolas?

Ou estaremos mesmo fadados a mais de uma década de um sombrio macarthismo, repaginado e adaptado, que se desenha adiante com o desmonte de um Estado social que nunca chegou a ser grande coisa e com uma esquerda que apenas derrapa?

Quem seria o Sanders brasileiro?

E teríamos coragem de nele ou preferiríamos a mesma solução da esquerda de sempre?

Por: Leonardo Sakamoto

Fonte: Blog do Sakamoto/UOL

Curta nossa página no Facebook



Quão perigosa é a radiação de celulares e como você pode se proteger

Nós acordamos com ele, nos comunicamos por meio dele e trabalhamos com ele. Às vezes, acordamos no meio da noite para consultá-lo. E se o perdemos ficamos sem saber o que fazer.

O mundo de hoje é inimaginável sem o telefone celular. Tanto é que muitos ficam obcecados pelo aparelho.

Mas, nos últimos anos, com o aumento dos casos de câncer - uma das principais causas de morte em todo o mundo - vêm crescendo as preocupaçõs sobre as possíveis ligações entre os celulares e o risco de desenvolver tumores malignos.

"Nas últimas décadas foi realizado um grande número de pesquisas para analisar se as ondas de rádio frequência (RF) colocam em risco a nossa saúde", disse à BBC Emilie van Deventer, diretora do Programa de Radiação do Departamento de Saúde Pública, Meio Ambiente e Determinantes da Saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS).

"À medida que mais ondas de RF têm aparecido em nossas vidas, a questão a ser resolvida é se existem efeitos adversos por parte de celulares, torres de telefonia ou conexões wi-fi a níveis de exposição ambiental."

Van Deventer diz que as pesquisas também tentam analisar problemas de fertilidade e hipersensibilidade.

Mas até agora, a resposta tem sido ambígua.

'Riscos Potenciais'
As ondas de RF dos celulares são "uma forma de energia eletromagnética que está entre ondas de rádio FM e as microondas. E é uma forma de radiação não-ionizante", explica em seu site a Sociedade Americana Contra o Câncer (ACS, na sigla em inglês).

De acordo com a organização, essas ondas "não são fortes o suficiente para causar câncer", porque, ao contrário dos tipos mais potentes de radiação (ionizantes), não podem quebrar ligações químicas no DNA.

Isso só aconteceria, eles explicam, em níveis "muito altos", tais como em fornos de microondas.

No entanto, a questão está sendo revista. Emilie van Deventer - autora de cerca de 50 publicações científicas sobre radiações não-ionizantes - diz que a OMS está investigando o tema novamente.

Embora faltem provas, é certo que há "potenciais riscos a longo prazo", especialmente relacionados a tumores na cabeça e pescoço, diz a especialista.

A ACS também aborda esta questão: "Quanto mais próximo estiver a antena (do celular) da cabeça, espera-se que maior seja a exposição da pessoa à energia de RF", adverte.

Taxa de absorção específica e outros sinais
Quando os tecidos do nosso organismo podem absorver essa energia, os especialistas chamam isso de "taxa de absorção específica" (ou SAR, na sigla em inglês).

Cada celular tem seu nível SAR que, em geral, pode ser encontrado no site do fabricante. Nos Estados Unidos, o nível máximo permitido é de 1,6 watts por quilograma (W/kg).

No entanto, a Comissão Federal de Comunicações (FCC) dos EUA, adverte que "comparar valores de SAR entre telefones pode causar confusão", porque essa informação é baseada no funcionamento do aparelho em sua potência mais elevada, e não o nível de exposição em uso normal.

Mas também há pesquisas que associam o uso do telefone celular com câncer de pele e câncer de testículo.

Para fazer essas análises, os pesquisadores usam dois tipos de estudos: de laboratório (com animais) e em pessoas (comparando as taxas de câncer).

O problema, explica Van Deventer, é que "muitos cânceres não são detectáveis até muitos anos após as interações que causaram o tumor, e como o uso de celular não foi popularizado até os anos 1990, estudos epidemiológicos só podem avaliar os cânceres que se fizeram evidentes em períodos de tempo mais curtos".

Até agora, o maior estudo já realizado é o Interphone, uma investigação em grande escala que foi coordenado pela OMS por meio de sua Agência Internacional para Pesquisa sobre o Câncer (IARC, na sigla em inglês), na qual os dados de 13 países, incluindo Reino Unido, Austrália, Japão e Canadá foram analisados.

O estudo analisou o uso de celular em mais de 5.000 pessoas com tumores cerebrais e em um grupo similar de pessoas sem tumores.

"Nenhuma ligação foi encontrada entre o desenvolvimento de gliomas e meningiomas (tumores cerebrais) e o uso de telefones celulares por mais de 10 anos", diz Van Deventer.

"Mas há indicações de um possível risco de gliomas entre os 10% das pessoas que disseram ter usado seus telefones com mais frequência, embora os pesquisadores concluíssem que erros retiraram força destes resultados", acrescentou o especialista.

No final, IARC classificou as radiofrequências eletromagnéticas como "possíveis cancerígenos para os seres humanos", uma categoria "utilizada quando a relação causal é considerada confiável, mas as oportunidades, distorções ou confusões não podem ser razoavelmente geridos", diz Van Deventer.

Essas limitações têm a ver com a nossa dificuldade em lembrar quantas vezes usamos o telefone durante uma década e também com a mudança de uso do celular ao longo do tempo, e as complicações no estudo de cânceres cerebrais.

Mas a questão permanece sobre a mesa (e no laboratório) de cientistas de todo o mundo.

A OMS espera publicar, até ao final de 2017, uma "avaliação de risco formal" sobre esta questão, conta Van Deventer.

Também é preocupante a vulnerabilidade especial das crianças, porque seus sistemas nervosos ainda estão em formação.

Já se realizou um estudo em grande escala sobre o assunto e há outro em curso na Austrália, cujos resultados serão publicados em breve.

Medidas de prevenção
Enquanto isso, alguns dizem que é melhor prevenir do que remediar.

Nesse sentido, Van Deventer recomenda o seguinte:
  • Usar fones de ouvido ou deixar o celular no viva-voz, para mantê-lo longe de sua cabeça
  • Limitar o número e a duração das chamadas
  • Usar o telefone em áreas de boa recepção, pois isso faz com que o celular transmita com uma potência de saída reduzida
A Sociedade Americana do Câncer recomenda enviar mais mensagens do que ligar e limitar o uso do celular. Outra opção é escolher um telefone com um valor de SAR reduzido (menos níveis de ondas de RF).

Mas nem todas as prevenções são bem-vindas pela ciência.

"O uso de protetores de celular para absorver a energia de radiofrequência não se justifica e a eficácia de muitos dispositivos comercializados para reduzir a exposição não foi comprovada", diz Van Deventer.

Fonte: BBC Brasil

Curta nossa página no Facebook



Preso custa 13 vezes mais do que estudante, diz Cármen Lúcia

A ministra Cármen Lúcia, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) e do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), afirmou nesta quinta-feira (10) que um preso no país custa 13 vezes mais do que um estudante.

"Um preso no Brasil custa R$ 2.400 por mês e um estudante do ensino médio custa R$ 2.200 por ano. Alguma coisa está errada na nossa pátria amada", disse Cármen Lúcia.

A ministra esteve de manhã em Goiânia para uma reunião com secretários estaduais de Segurança Pública e o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

"Darcy Ribeiro [cientista social, 1922-1997] fez em 1982 uma conferência dizendo que, se os governadores não construíssem escolas, em 20 anos faltaria dinheiro para construir presídios. O fato se cumpriu. Estamos aqui reunidos diante de uma situação urgente, de um descaso feito lá atrás", declarou.

Cármen Lúcia tem feito vistorias em presídios desde que assumiu o CNJ, em setembro deste ano. A mais recente foi realizada no último sábado (5), de surpresa, na Papuda, em Brasília.

"A cada nove minutos, uma pessoa é morta violentamente no Brasil. Estamos, conforme já disse o Supremo Tribunal Federal, em estado de coisas inconstitucionais. Eu falo que estamos em estado de guerra. Temos uma Constituição em vigor, instituição em funcionamento e cidadão reivindicando direitos. Precisamos superar vaidades de detentores de competências e, juntos, fazer alguma coisa", disse a ministra.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Enxaqueca não é dor de cabeça; entenda risco maior de AVC e infarto

Trinta milhões de brasileiros têm enxaqueca. E quem mais sofre são as mulheres.

Um estudo feito nos Estados Unidos mostrou que as mulheres que têm enxaqueca correm um risco muito maior de desenvolver doenças cardiovasculares, como infarto e AVC. Mais grave ainda, se elas usam anticoncepcionais.

A enxaqueca é uma doença que pode tornar a pessoa incapacitada. Ela deve ser tratada com muita seriedade e controle porque aumenta o risco de AVC e infarto, assim como a hipertensão, o colesterol alto e o tabagismo.

A enxaqueca é hereditária e, na maioria dos casos, a automedicação pode ser uma cilada.

A dica é registrar as manifestações e crises em um caderno de anotações. Fatores como duração e horários predominantes, intensidade e localização da dor, sintomas acompanhantes, situações desencadeantes, entre outros, devem ser observados.

A alimentação de quem tem enxaqueca deve ser balanceada, com intervalos regulares entre uma refeição e outra. O jejum é um importante desencadeante da cefaleia. Evitar o uso de substâncias estimulantes em excesso, como a cafeína, também é importante, assim como manter uma rotina de sono. Dormir pouco ou muito pode provocar crises.

Fonte: Bem Estar/G1

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Historiador cria banco de dados sobre genealogia de famílias do Cariri

Há doze anos, Antônio Correia Lima pesquisa as famílias do Cariri
(Foto: Ronuery Rodrigues/Ag. Miséria)
Há mais de doze anos, Antônio Correia Lima, o Toinho da Rádio, como é conhecido no distrito Ponta da Serra, que fica a 14 quilômetros da sede de Crato, tem preenchido parte do seu tempo com a pesquisa sobre a genealogia das famílias da sua localidade. O trabalho, conforme ele conta, foi influenciado por um amigo, Denir Ribeiro, que pediu que ele buscasse conhecer a história do lugar, iniciando sua trajetória de pesquisador com os mais idosos, à época, que lhe passaram informações sobre a povoação do distrito.

Os livros de registro de nascimento, casamento e óbito do cartório local; livros da cúria diocesana, serviram-lhe de matéria prima para compor um grande acervo sobre as ramificações das famílias da região. Toinho guarda em seu computador e em sua mente, a genealogia de algumas famílias que povoaram o distrito, assim, ter sobrenome Ante Portão de Souza; Pereira da Silva; Xenofonte; Pinheiro Leite, Ferreira Leite; Bernardo Vieira; Brito; Siebra; Correia; Vilar; Correia Cirilo; Brasil e Paes Barreto, e conversar um pouco com o historiador, rapidamente o cidadão obterá informações de quem foram seus ancestrais.

A atividade que também é hobby não envolve dinheiro e, conforme explica Toinho, o trabalho é amplo e exige esforço, ele geralmente dorme só após as duas da madrugada, “ mas não é no facebook não”, brinca. “É pesquisando sobre as famílias”, explica. Assim, o pesquisador é possuidor de um rico banco de dados inéditos, não só das famílias de Ponta da Serra, mas de famílias tradicionais do Cariri.

São informações desconhecidas que se perderam no tempo e conforme Toinho, as famílias não tem acesso. “ Eu acho importante que a própria família não tem, e os livros não vão sair de porta em porta. Eu levo aquilo que eles não têm acesso”, explica. E continua, “ O meu maior objetivo é repassar pra família, essas informações que ela não tem, e cada um vai fazendo sua genealogia”, finaliza.

Dos mais de oitocentos inventários disponíveis no Centro de Documentação do Cariri (CEDOC) da Urca, Toinho já teve acesso a mais de trezentos. E para o historiador, não são só famílias importantes da região, mas aquelas que ele identifica e consegue lembrar de algum dado sobre a genealogia lhe desperta interesse.

Aos 65 anos, o historiador que passou doze anos estudando o supletivo, e depois formou-se em história pela Universidade Regional do Cariri (URCA), em 2008, faz parte dos planos futuros, escrever um livro sobre esse seu trabalho. No entanto, conectado com a rede, o pesquisador busca atingir seu público em curto período de tempo, através dos seus bloggers (Clã familiar de Ponta da Serra e Algumas famílias Caririenses). “Hoje em dia, as famílias têm esse interesse de saber quem foram seus ancestrais e aproveita a internet para esse tipo de coisa”, disse.

Conforme conta Antônio Correia, foi através do seu trabalho que alguns membros de famílias de Ponta da Serra reencontraram parentes que estavam sem contato há anos. O Toinho da Rádio, mantém há mais de doze anos, uma amplificadora em sua casa que fica na Rua Monsenhor Assis Feitosa, além de bloggers e um jornal mensal do distrito, onde aborda temas referentes a genealogia de famílias da região.

Ronuery Rodrigues

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Seis meses depois, como está a economia, principal preocupação do governo Temer?

Superar a crise econômica, fator certamente decisivo para a derrubada da presidente Dilma Rousseff, é a maior prioridade do governo de Michel Temer.

O presidente adotou um plano ousado e controverso para cumprir esse objetivo - quer limitar o crescimento dos gastos do governo à inflação, com a promessa de que a retomada do equilíbrio das contas públicas trará a volta da confiança dos investidores e empresário, criando mais empregos.

A proposta deve ser facilmente aprovada em dezembro pelo Congresso. Se ela vai de fato funcionar, no entanto, é uma avaliação que divide economistas entrevistados pela BBC Brasil.

Após seis meses, os sinas dos indicadores econômicos têm sido erráticos. Segundo o IBGE, a inflação vem recuando (caiu de 10,67% no final de 2015 para 7,9% em outubro), mas o desemprego permanece alto (11,8% em setembro). Já as previsões para a atividade econômica, que havia melhorado logo após a posse de Temer, caíram um pouco nos últimos dois meses.

Segundo levantamento semanal do Banco Central com analistas de mercado, a previsão mediana para a retração do PIB deste ano passou de 3,9% no início de maio (antes da queda de Dilma) para 3,1% em setembro e agora está em 3,4%. Enquanto a projeção de crescimento para 2017 subiu de apenas 0,2% em abril para 1,4% em setembro, esta semana caiu novamente para 1,1%.

O Banco Central, por sua vez, deu início a uma tímida redução na taxa de juros em outubro (de 14,25% para 14%), no primeiro corte desde 2012.

Para completar, a eleição do polêmico Donald Trump como presidente dos Estados Unidos serviu para embaralhar ainda mais o cenário econômico.

Governabilidade melhor, mas juros ainda altos
Na avaliação do ex-diretor do Banco Central e atual economista-chefe da Confederação Nacional do Comércio, Carlos Thadeu de Freitas, cortes mais expressivos na taxa básica de juros (Selic) seriam uma boa medida para estimular o crescimento, tendo em vista as expectativas de continuidade da queda da inflação.

Ressaltando que o comércio projeta um Natal muito ruim neste ano e deve fechar 2016 com queda de 6% nas vendas, ele diz que os esforços do governo não devem se concentrar apenas "em equacionar o problema fiscal", mas também focar no "setor real da economia".

Apesar dessa ressalva, Freitas considera que Temer começou seu governo "razoavelmente bem" e deu "sinais positivos" ao buscar equilibrar as contas públicas (desde 2014 o governo tem amargado deficits bilionários).

Ele destaca principalmente a volta da "governabilidade", já que o peemedebista conseguiu costurar uma ampla base no Congresso, fazendo andar suas propostas econômicas.

"Agora você tem governabilidade no país e isso significa mais confiança (na economia). Mas como ele herdou um país cheio de problemas, com o deficit fiscal muito alto e com os Estados quebrados, a solução vai ser lenta", pondera.

A retomada da boa relação com o Congresso também é destacada pelo o economista José Luís Oreiro, professor da UFRJ. Dilma tentou enviar propostas para reverter o rombo nas contas públicas, como a recriação da CPMF (cobrança sobre transações financeiras), mas não tinha votos suficientes para sua aprovação.

"Foi um primeiro ponto muito positivo. Se o governo não voltasse a funcionar, não seria possível qualquer tipo de saída para a crise econômica", afirma.

Ambos elogiam a PEC do teto e afirmam que a medida não terá um efeito tão pesado nos primeiros anos. Como a inflação, embora em queda, ainda fechará o ano em patamar alto (perto de 7%), os gastos de 2017 poderão ter um ajuste razoável, ressaltam.

'Ajuste recessivo'
O economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito, por outro lado, tem uma avaliação bem mais pessimista da medida.

Destoando da maioria dos analistas de mercado, ele considera que há um "pânico excessivo" quanto ao deficit das contas públicas, que segue abaixo da média dos países emergentes, ressalta.

Para Perfeito, o governo deveria fazer um ajuste mais leve, para conseguir estimular mais a recuperação da economia com investimentos públicos. Sua projeção hoje é de que a economia vai ficar praticamente estagnada em 2017, crescendo apenas 0,2%.

"Você está no meio de uma recessão, faz um ajuste fiscal recessivo, não precisa ser economista para saber que vai sair mais recessão", argumenta.

Embora indicadores de confiança tenham mostrado nos últimos meses uma recuperação do otimismo de empresários e consumidores, ele aponta dois fatores que limitam o impacto disso no crescimento econômico.

De um lado, o desemprego alto e a renda em queda tendem a manter as pessoas cautelosas com seus gastos. De outro, como a indústria está com alta capacidade ociosa, ou seja, não está produzindo tudo que pode no momento, não há porque erguer novas fábricas no curto prazo.

'Efeito Trump'
E a eleição de Trump, que assume o comando dos EUA em janeiro, trouxe nova dose de incerteza para a economia.

A expectativa é que o republicano adote medidas mais fortes para estimular o crescimento americano, o que poderia elevar a inflação e consequentemente os juros em seu país.

Juros mais altos tendem a tornar investimentos em títulos americanos mais atrativos, provocando uma migração de investidores para os EUA. Isso pode levar o Banco Central brasileiro a cortar menos os juros por aqui, para evitar uma saída muito grande de dólares, explicam os economistas.

Para Oreiro, o maior erro da atual administração foi não ter cortado a taxa Selic antes, a partir de junho, e de forma mais intensa.

Ele nota que a desvalorização do real no ano passado teve um efeito importante de recuperar as exportações. No entanto, como o juros permaneceram altos mesmo com a queda da inflação, houve uma entrada de dólares no país e o real se valorizou.

"A gente esperava uma recuperação da atividade industrial no terceiro trimestre de 2016, ela não veio e agora as expectativas para o quarto trimestre são muito ruins. Esse erro custou o início da recuperação da atividade econômica", acredita o professor da UFRJ.

Fonte: BBC Brasil

Curta nossa página no Facebook



Os primeiros sinais da depressão

Há boas chances de um sintoma físico aparecer muito antes de a tristeza profunda ficar estampada na cara da vítima de depressão e ela não conseguir mais esconder sua perda de interesse pelo mundo exterior. Hoje os cientistas sabem: o quadro depressivo tende a emergir na forma dos mais diversos tipos de dor no corpo. E não confunda isso com um processo de somatização, em que distúrbios emocionais produzem mal-estar orgânico. Nada disso. Não se trata de algo como uma sugestão da mente entristecida sobre o organismo. "Trata-se, sim, de um fenômeno eminentemente bioquímico", põe os pingos nos is Renato Sabbatini, neurofisiologista da Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp, que fica no interior paulista.

"Os circuitos que a depressão ativa são íntimos de regiões do sistema nervoso, inclusive o autônomo, que comanda o funcionamento dos órgãos", explica Sabbatini. Ricardo Alberto Moreno, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, emenda: "Cerca de 60% dos casos da doença são associados a males orgânicos, a maioria deles acompanhada de dor".

De que maneira uma alteração na massa cinzenta repercute no corpo e, ao mesmo tempo, interfere na alegria de viver? Os cientistas apontam o dedo acusador para o mau funcionamento da serotonina, da noradrenalina e da dopamina. O trio de neurotransmissores, fundamental na regulação do humor, circularia com menos eficiência entre os neurônios de um deprimido e isso dificultaria a transmissão de milhares de mensagens químicas. E aí, em um efeito dominó, outras falhas de comunicação apareceriam. "A ausência dessas substâncias prejudica diversas áreas, inclusive as responsáveis por inibir dores", explica Telma Gonçalves de Andrade, especialista em psicofisiologia da Universidade Estadual Paulista, a Unesp, em Assis, também no interior de São Paulo.

O sistema imunológico é outro afetado. "Os deprimidos correm um risco três ou quatro vezes maior de adoecer", conta Sabbatini. Também pode acontecer de uma série de doenças aproveitar a brecha criada pelos neurotransmissores. Ou seja, quem de repente passa a ficar doente com muita freqüência não deve se conformar com a velha explicação: ah, isso é estresse. É preciso refletir se não existe algo mais profundo (e tristonho) por trás.

O sono é mais um que acusa prejuízos quando o cérebro está deprimido. Sabe-se que a ausência de serotonina atrapalha o adormecer, mas esse não é o único ponto. O desbalanceamento químico por trás do transtorno emocional afeta todo o ciclo circadiano, ou seja, o relógio que regula o funcionamento do organismo ao longo das 24 horas. Assim, a pessoa perde a sincronia com o meio ambiente, afetando a quantidade e, principalmente, a qualidade das horas dormidas.

Os médicos querem divulgar cada vez mais aos leigos e aos próprios colegas que nem sempre melancolia é depressão. "Tristezas fazem parte da vida", lembra Sabbatini. Ao mesmo tempo, nem sempre a depressão se enquadra no retrato da pessoa arrasada, trancafiada no quarto, muda... Ela pode estar escamoteada nos tais sintomas físicos - em casos raros, a angústia nem chega a brotar, só as dores do corpo é que afloram e ficam sem alívio até a cabeça ser tratada. Com antidepressivos ou tratamento clínico.

No mês passado, a Associação Brasileira de Familiares Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (Abrata), em parceria com o Instituto Ibope, promoveu na capital paulista a pesquisa "Investigando a Depressão". O intuito, mais do que mapear a prevalência do mal na cidade, é verificar por meio de questionários a porcentagem de indivíduos provavelmente deprimidos que relatam dores físicas. E, deles, quantos estão longe de ligar o malestar à enfermidade da mente. A depressão já ocupa o quarto lugar no ranking das causas globais de incapacidade. Até 2020 deverá ser a segunda. Por isso, a idéia é rastrear a população e descobrir onde estão suas próximas vítimas - antes que deixem de sair de casa, trabalhar, conviver com a família e os amigos.

Além de remédios, os especialistas apostam na psicoterapia - seja a cognitiva comportamental, que estimula o deprimido a deixar de lado pensamentos destrutivos, seja a interpessoal, que identifica situações de conflito para aprimorar a capacidade de o paciente interagir e aliviar o abatimento. "Estudos de neuroimagem comprovam que a eficácia desses tratamentos é similar à dos remédios", revela Helena Maria Calil, professora titular de psicofarmacologia da Universidade Federal de São Paulo e presidente da Abrata. Quando a depressão é tratada corretamente, diga-se, o ânimo volta e as dores, onde estiverem, esvaecem.

Fonte: Saúde

Curta nossa página no Facebook



17 coisas que você não pode fazer se estiver na Disneylândia

1 – Usar drones
Ainda que muita gente diga que os parques da Disney têm regras demais, faz bastante sentido proibir o uso desses aparelhos voadores que, por um segundo de descuido, podem acabar provocando um acidente.

2 – Que um adulto ande fantasiado
A ideia aqui é que nenhum visitante seja confundido com algum funcionário do parque. De novo, faz sentido.

3 – Usar cadeiras dobráveis  
Reserve sua cadeira de praia para a praia, apenas. Nada de levar cadeiras dobráveis para a Disney, hein!

4 – Fazer um discurso
Não interessa se é seu aniversário e você está curtindo tanto o seu passeio que sente vontade de subir em uma cadeirinha e gritar alguma coisa. Na Disney, isso não é legal. Reserve seu discurso para outro momento.

5 – Encher uma bexiga
Essa regra vale para lugares onde há animais – neles, nada de canudos, bexigas e afins. A ideia é evitar derrubar esses materiais, que podem facilmente ser engolidos pelos bichos.

6 – Levar seu animal de estimação
Lugares cheios de gente não são adequados para passeios com animais de estimação, e isso deveria ser óbvio. A única exceção aqui tem a ver com animais que prestam serviços, como cães-guia.

7 – Usar máscaras
Na Disney, você só pode usar máscaras se for por motivo médico. Nada de comprar uma máscara de personagem e ficar saracoteando pelo parque – até mesmo porque isso seria estranho.

8 – Usar tripés grandes
É proibido levar grandes equipamentos fotográficos e/ou de filmagem para os parques da Disney, hein! Fique esperto e evite problemas.

9 – Falar palavrões
Fiscais não ficam felizes quando encontram pessoas falando palavrões e/ou fazendo gestos impróprios. É um ambiente familiar, minha gente.

10 – Levar bebidas alcoólicas
Se sentir sede, tome água e se lembre de que a Disney é um ambiente cheio de crianças. O ideal é manter as coisas o mais sóbrias possível.

11 – Andar de skate
Até porque existem muitos outros lugares para você curtir com seu skate, não é mesmo? Nos parques da Disney, cheios de pessoas, a prática seria bastante problemática.

12 – Ficar sem sapatos ou sem camisa
Se estiver muito calor, use roupas e sapatos leves, que não esquentem tanto seu corpo. Existe hora e lugar para ficar mais à vontade.

13 – Levar carrinhos de bebê grandes demais
Nada de conduzir as crianças em carrinhos que tenham mais de 91 cm por 132 cm.

14 – Correr
A Disney vive cheia de pessoas andando, tirando fotos, olhando mapas. Se todo mundo pudesse correr, dias caóticos seriam vividos, com certeza.

15 – Exibir tatuagens inapropriadas
Hora de esconder aquela pin-up nua que você tem tatuada no braço...

16 – Levar coisas embaladas em vidro
Mesmo que seja papinha de criança, não pode. O motivo é um só: vidros, quando se quebram, se tornam materiais cortantes, e isso não seria legal.

17 – Furar fila ou se juntar a pessoas que já estavam na fila
Não é justo com quem fica para trás – ninguém quer ficar duas horas esperando em uma fila para que um engraçadinho chegue de repente e entre antes. Bom senso é sempre necessário, não se esqueça.

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook



Juazeiro do Norte (CE): Jovem foi preso com quase 1kg de maconha e mais de R$ 2 mil em dinheiro

A polícia prendeu um jovem com 980 gramas de maconha na tarde desta segunda-feira (14) após interceptar um Fiat Siena Essence de cor branca e placas ORO-9380, inscrição do Ceará. O carro era dirigido pelo jovem Josilandio Félix de Oliveira, de 22 anos, residente na Rua São José, 590 (Bairro Centro) em Juazeiro do Norte, o qual terminou preso e levado à Delegacia de Polícia Civil.

O Sargento Josué e os Soldados Tancredo, Ribeiro e Soares se encontravam numa patrulha do Policiamento Ostensivo Geral (POG) quando suspeitaram do rapaz e mandou o mesmo parar o veículo na Rua do Pau (Jardim Gonzaga). Dentro do carro, os PMs encontraram ainda dois aparelhos celulares, dois cordões de ouro, um relógio, sacolas plásticas, o documento de um veículo de placa OSC-1635 e mais R$ 2.087,00 em dinheiro.

Roubos e furtos
Ainda na tarde desta segunda-feira duas residências foram furtadas nos bairros Jardim Gonzaga e Planalto em Juazeiro. No primeiro caso, Willyam Santiago Lacerda dos Santos, de 31 anos, chegou em casa na Rua Antônio Marques da Silva quando notou o arrombamento e a falta de uma TV de 29 polegadas, dois cordões de ouro, um Playstation, 20 relógios, um notebook, dois óculos e quase R$ 7,5 mil.

Por volta das 17 horas, porém na Rua Lurdes Vitória (Planalto), Mayara Morais Alves, de 23 anos, chegou em sua residência e percebeu o corte da energia no contador desligando a cerca elétrica na parte de trás e a falta de um notebook, quatro perfumes, um relógio e R$ 150,00 em dinheiro. Antes, às 10 horas no Conjunto Minha Casa Minha Vida da Betolandia, uma menor de 15 anos, ali residente, foi abordada por um homem que colocou uma faca no seu pescoço e tomou dois celulares.

Demontier Tenório

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Japão leva 48 horas para tapar buraco de 15 m de profundidade em avenida


Um enorme buraco de 30 metros de largura que se abriu em uma importante avenida de Fukuoka, no Japão, foi consertado em 48 horas.

No dia 8, um trecho de uma avenida afundou e deu origem a uma vala de 30 metros de largura por 27 de comprimento, com 15 metros de profundidade.

Trabalhadores atuaram em turnos contínuos e terminaram o reparo em dois dias. O buraco foi preenchido com 6.200 metros cúbicos de areia e cimento.

A via foi reaberta ao tráfego de veículos e pedestres na terça (15) pela manhã, depois da realização de vários testes de segurança que postergaram a reabertura.

O reparo incluiu conserto nos encanamentos e a troca de semáforos e de postes, que foram engolidos quando a terra cedeu. O buraco se abriu no dia 8 de novembro, por volta das 5h da manhã no horário local.

O incidente gerou corte no abastecimento de água, gás e energia, além de falhas no sinal de telefonia, mas não houve feridos.


O prefeito de Fukuoka, Soichiro Takashima, disse que o asfalto no local afetado está agora 30 vezes mais resistente do que antes, e que um grupo de especialistas investiga a causa do afundamento.

De acordo com a mídia local, o buraco surgiu devido a algum erro no trabalho de construção de uma linha de metrô.

Fukuoka tem cerca de 1,5 milhão de habitantes e fica na região sul do Japão.

A experiência japonesa em reconstruir lugares rapidamente ficou clara em alguns episódios nos últimos anos. Em 2011, uma estrada destruída pelo terremoto que arrasou o país foi refeita em apenas seis dias. E cinco anos depois do temor, cidades inteiras estavam inteiramente reconstruídas.

Fonte: Folha.com

Curta nossa página no Facebook



Energético com álcool? Cuidado: efeito é semelhante ao da cocaína

Prática comum realizada principalmente por adolescentes em bares e baladas, a prejudicial mistura de energético com álcool agora aponta um novo resultado: pode provocar mudanças no cérebro.

É o que mostrou um estudo recente realizado por pesquisadores da Universidade Purdue, nos Estados Unidos. O experimento, realizado em cérebros de ratos jovens, apontou mudanças na massa encefálica dos bichos, tendo efeitos muito parecidos com os da cocaína. Os cérebros ainda apresentaram grande quantidade de uma proteína específica, semelhante ao que ocorre com quem utiliza cocaína ou morfina.

Os cientistas explicaram que é como se o centro de recompensas do cérebro fosse alterado quando a mistura é ingerida, fazendo com que um indivíduo sinta mais dificuldades em lidar com as substâncias prazerosas. Os ratos, quando adultos, se tornaram resistentes à sensação de prazer. Com o passar do tempo, a resistência a esses efeitos vai aumentando, sugerindo que o usuário dessa combinação deve querer sempre mais a substância para se sentir satisfeito. “Tudo indica que as duas substâncias misturadas causam mudanças de comportamento e na neuroquímica do cérebro. Há claramente efeitos que não existiriam quando se álcool ou o energético fossem ingeridos separadamente”, disse Richard van Rijn, um dos autores do estudo.

Não está claro se os resultados se aplicam a cérebros humanos, mas o estudo sugere que é possível que os adolescentes que bebem essas bebidas misturadas possam experimentar alterações cerebrais semelhantes.

Fonte: Veja.com

Curta nossa página no Facebook



Mostra Sesc Cariri de Culturas movimenta economia da região

Mobilizando grupos artísticos, profissionais e espectadores, há 18 anos a Mostra Sesc Cariri de Culturas gera um aumento de fluxo de visitantes nas cidades que recebem a programação realizada pelo Sistema Fecomércio-CE, por meio do Sesc. E, em tempos de instabilidade econômica, o período é visto pelos empresários do comércio de bens, serviços e turismo como uma oportunidade de incrementar as vendas.

Em 2014, por exemplo, 26% dos participantes da Mostra Sesc Cariri de Culturas eram de lugares fora da região, sendo destes 12% de outros estados. Segmentos como alimentação, hospedagem, passeios e compras são apontados pelos participantes da Mostra como os mais estimulados. É o que aponta a pesquisa “Mostra Sesc Cariri de Culturas: perfil do público”, publicada em 2015 e realizada pelos pesquisadores José Robson de Almeida e Clarissa Alexandra Semensato, da Universidade Federal do Cariri (UFCA).

A pesquisa revela ainda que o impacto da Mostra sobre a imagem do Cariri, bem como o turismo e o comércio, é considerado positivo pela maioria dos envolvidos na programação. Nitalma Mendonça, proprietária do Panorama Hotel, em Juazeiro do Norte, aponta que o período da Mostra Cariri só perde para o das romarias. “Nos dias em que a Mostra acontece, ficamos com 80% de nossa capacidade. Em dias comuns, são 50%. Nas romarias, fica tudo lotado”, enfatiza.

Dona Nem é uma das donas do Restaurante Guanabara, no Crato. Participando desde o primeiro ano da Mostra, em 1999, ela conta que seu ponto é frequentado por artistas e pelo público que acompanha a programação. “Como aqui funciona 24h, as pessoas podem vir a qualquer hora, que estaremos sempre prontos para recebê-los bem”, afirma.

Ambas sabem que a Mostra é uma porta de entrada para o retorno deste público em outras ocasiões. É Nitalma quem conta o segredo: “Nos empenhamos em atender da melhor forma possível”.

Em 2016, a Mostra Sesc Cariri de Culturas acontece de 18 a 22 de novembro, com a expectativa de que cerca de 450 mil pessoas possa conferir a programação e movimentar, mais uma vez, a economia da região. As atividades são gratuitas e podem ser conferidas no site www.mostracariri.com.br e no aplicativo de celular “Mostra Cariri”, disponível para Android e iOS.

Serviço:
18ª Mostra Sesc Cariri de Culturas
Período: 18 a 22 de novembro
Local: Região do Cariri (Cidades polo: Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Nova Olinda, Brejo Santo, Araripe e Altaneira)
Programação: www.mostracariri.com.br e no aplicativo de celular “Mostra Cariri”, disponível para Android e iOS

Curta nossa página no Facebook



10 coisas para comprar com o valor do novo iPhone

O iPhone 7 foi lançado no Brasil na última sexta-feira (11) e os modelos do smartphone da Apple variam entre R$ R$ 3.499 e R4 4.899. O de maior valor é o iPhone 7 Plus com 256GB.

Se você ficou tentado em trocar de celular, reunimos uma lista de 10 produtos que você pode comprar com o valor do celular. Confira:

1) Passagens para duas pessoas de ida e volta para o Chile, com saída de Fortaleza, em março de 2017, de 2 a 9, por R$ 1.851,49 por pessoa no site da Latam. Ainda sobra R$ 1.196 para gastar na viagem.

2) Você pode comer por 85 dias a tradicional Costela do Outback com molho barbecue e fritas por R$ 4.840. O prato custa R$ 56,95.

3) Televisão da marca Sony de 49 polegadas e resolução 4K Ultra HD por R$ 4.399.

4) O modelo de celular Moto Z Play, da Motorola, com câmera de 16 MP, memória de 32 GB + 3 GB RAM, sensor de impressão digital e até 45 horas de bateria, por R$ 2.199, e um Moto G4, por R$ 1.299.

5) Uma câmera digital da Canon modelo T5i, que custa R$ 3.699,99.

6) Um sofá na loja de decoração Tok Stok com estrutura em madeira maciça de reflorestamento. Pode ser uma ótima opção para compor a salas e até mesmo office com atmosfera retrô, por R$ 2.998.

7) Quatro ingressos para curtir o Réveillon do Marina Park Hotel, um dos mais tradicionais da cidade, com show de Ivete Sangalo, Márcia Fellipe e Caribbean Kings.

8) O modelo de bolsa clássico Speedy da Louis Vuitton por R$ 4.650.

9) Dois relógios inteligentes da Asus, o  ZenWatch 3, por R$ 3.598.

10) 140 pacotes de Trufas Língua de Gato, chocolate clássico da Kopenhagem, por R$ R$ 4.592. A unidade custa R$ 32,80.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Assaré (CE): Polícia prende vendedor de DVDs eróticos que se masturbava perante crianças

Um vendedor de CDs e DVDs piratas foi preso por volta das 11 horas desta segunda-feira praticando gestos obscenos contra crianças em Assaré. Antonio Bezerra Cavalcante tem 48 anos e mora na Rua 13 (Bairro Populares) em Antonina do Norte, mas sua prisão aconteceu na zona rural de Assaré mais precisamente no Sitio Tabuleiro dos Montes, residência do agricultor Sebastião Tomaz de Aquino.

Segundo informações chegadas ao conhecimento da Polícia Civil, Antonio chegou ao imóvel vendendo seus produtos dentre os quais DVDs de filmes pornográficos que foram oferecidos às crianças que ali se encontravam. Enquanto olhava para elas passou a se masturbar quando Aparecida Carvalho Medeiros, mãe das menores, viu e avisou ao seu esposo.

Imediatamente, Sebastião Tomaz chegou e deteve o acusado até a chegada do Sargento George e os Soldados Marcelo e J. Santos que foram acionados pela Polícia Civil. Os PMs conduziram o vendedor para autuação em flagrante na Delegacia de Policia Civil de Assaré e o mesmo vai responder, também, por crime contra os direitos autorais. Antonio foi recolhido à cadeia pública e aguarda um pronunciamento da justiça.

Demontier Tenório

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Prefeito eleito Zé Ailton Brasil participa de visita do Banco Mundial ao Cariri

Na última semana foi realizada missão técnica no Cariri entre a Secretaria das Cidades e representantes do Banco Mundial, que durante três dias, visitaram obras recém concluídas e em conclusão para avaliar o andamento e as intervenções realizadas na região.

No Crato, o secretário adjunto das Cidades, Quintino Vieira, o coordenador de operações setoriais do Banco Mundial, Paul Procee, a coordenadora da Unidade de Gerenciamento de Projetos – Cariri Central da SCidades, Marília Gouveia e técnicos da Secretaria, estiveram visitando os equipamentos e as obras realizadas pela SCidades em parceria com o Banco Mundial. Entre as intervenções foi visitado pela comitiva as ações realizadas no bairro do Seminário, que beneficiou mais de 12.500 pessoas através de um investimento total de R$ 51,7 milhões. Estiveram presentes além da comitiva técnica da SCidades e de representantes do Banco Mundial, o prefeito eleito do Crato, Zé Ailton Brasil.

As obras de urbanização foram executadas através do Projeto Cidades do Ceará – Cariri Central, da Secretaria das Cidades. Dividido inicialmente em duas etapas, a obra contemplou 14,3 hectares com serviços de contenção da encosta, terraplanagem, recomposição da vegetação, 16km de drenagem e esgotamento sanitário.

No bairro, ainda pelo projeto, também foi construída uma via paisagística com extensão de 1,2km, iluminação adequada, paisagismo, passeios acessíveis, sinalização e espaços de contemplação da paisagem, de lazer e atividades esportivas.

A equipe técnica da SCidades também esteve com o representante da Sociedade Anônima de Esgoto do Crato (SAAEC), Iarlei Brito, e o secretário de infraestrutura do Crato, José Muniz, para tratar sobre o processo de operação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), no bairro Seminário, no Crato. O equipamento integrou as obras de urbanização do bairro. Também estiveram presentes o engenheiro do Departamento de Arquitetura e Engenharia (DAE), Juvenal Barreto; Paul Procee e Paulo Frontini, técnicos do BIRD, e Igor Alencar e João Feitosa como representantes da construtora Coral.

Durante a reunião, foi foram repassadas informações sobre o aumento da utilização da ETE para o ano de 2017 e o processo de ligações intradomiciliares. A pré-operação da estação será coordenada pela empresa WPR que fará a capacitação dos funcionários e o monitoramento da ETE durante 3 meses.

Juazeiro do Norte
O secretário das Cidades, Lucio Gomes, intermediou um encontro entre o prefeito em exercício de Juazeiro do Norte, Luiz Ivan Bezerra, o vice-prefeito eleito do município, Geovanni Sampaio, e o coordenador de operações setoriais do Banco Mundial, Paul Procee. Durante o encontro foram apresentadas as ações realizadas em parceria com o Banco e a SCidades na região e discutidos futuros projetos para a cidade.

"Temos obras no Brasil inteiro, e a evolução das obras coordenadas pela Secretaria das Cidades, no Ceará, foi muito boa. São grandes investimentos voltados para a melhoria da população, pensando nas pessoas e o Ceará, hoje, é um dos melhores do Brasil", afirmou o coordenador de operações setoriais do Banco Mundial, Paul Procee.  

Resumo da Missão
A equipe de técnicos da SCidades e os representantes do BIRD visitaram as obras realizadas em parceria com o banco. Em Juazeiro do Norte, as obras da 1ª e da 2ª etapa da Avenida do Contorno. Com 5,16 km de extensão, a intervenção contempla a construção de vias e dois viadutos (um deles, pelo qual passará por baixo o Metrô do Cariri, será o viaduto mais alto do Ceará com 9 metros de altura).

O trecho II, que possui 2,8 km de extensão e o trecho III tem extensão de 2,36 km, as obras estão com 76% de execução. A 1ª etapa está concluída e contempla 3,4 km de malha viária em pista dupla, indo do município de Caririaçu até a ponte do Rio Salgadinho. O valor total do investimento da SCidades nas duas etapas é de R$ 48.803.517,29.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Secretaria das Cidades

Curta nossa página no Facebook



5 novidades que o iOS 10.2 deve trazer

A Apple liberou  na semana passada a segunda versão do beta público do iOS 10.2, o que significa que, em breve, todos os usuários devem ter acesso à atualização do sistema operacional. Listamos abaixo 5 novidades que devem chegar aos iPhones e iPads nos próximos dias:

1. Emojis
Uma das novidades mais comentadas da atualização do iOS 10.2, os 72 novos emojis trarão ícones como o facepalm, além de um redesenho de toda a coleção existente e uma série de ampliações de profissões.

2. Novo app
O app da empresa que funciona como um guia de TV estará disponível na atualização do iOS. Ele oferece programas de TV e filmes de diversos serviços em um só lugar, para que o usuário não tenha que trocar de aplicativo.

3. SOS
O recurso de emergência da Apple funcionará como um atalho que vai permitir ao usuário discar rapidamente para os serviços de emergência em seu país, 911 nos Estados Unidos e 190 no Brasil, por exemplo. Ele também vai alertar contatos selecionados pelo usuário que ele está em apuros caso o botão de liga/desliga seja pressionado cinco vezes seguidas. O sistema iniciará uma contagem regressiva de três segundos, permitindo cancelar a chamada caso o atalho tenha sido pressionado por engano.

O recurso estará disponível em 14 países: Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, China, França, Hong Kong, Índia, Itália, Japão, Rússia, Espanha, Reino Unido e os EUA. Ele pode ser ativado ou desativado em Ajustes e Geral.

4. Papeis de parede
A Apple vai liberar três novos paredes para o iPhone 7 e o iPhone 7 Plus. Quem tem modelos mais antigos também poderá baixá-los aqui.

5. Mensagens
O app de mensagens do iOS, que foi reformulado recentemente pela Apple, vai ganhar novos efeitos, incluindo o “celebration”, que enche a tela do destinatário com fogos e um feedback tátil. Para acessar as novidades, basta abrir as mensagens, digitar a mensagem e abrir a tela de efeitos.

Fonte: Olhar Digital (Via BGR)

Curta nossa página no Facebook



CCJ aprova criação de rádio educadora para a URCA

Nesta terça-feira (15), a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou, em caráter definitivo, a criação de uma rádio educadora para a Universidade Federal do Cariri (Urca), situada na cidade do Crato, na região do Cariri.

Em conversa com o deputado federal, José Guimarães, o reitor da Urca, José Patrício Pereira Melo, discutiu sobre a criação da rádio da universidade e outros projetos para o desenvolvimento da instituição. "Já temos uma emenda aprovada pela bancada que ajudará a Urca a planejar e executar vários projetos", explicou Guimarães.

Os principais projetos desenvolvem ações de mobilidade urbana, gestão dos resíduos sólidos, recursos hídricos e o reconhecimento pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE) da Região Metropolitana do Cariri. "Outro assunto debatido foi a transformação do Geopark como patrimônio da Unesco", declarou Guimarães.

Geopark Araripe
O Geopark Araripe situa-se no sul do Estado do Ceará. O Geopark Araripe envolve os municípios de Barbalha, Crato, Juazeiro do Norte, Missão Velha, Nova Olinda e Santana do Cariri, apresentando uma área aproximada de 3.441 km2 (IBGE/FUNCEME, 2001); área correspondente à porção cearense da Bacia Sedimentar do Araripe.

Este território está inserido em uma região caracterizada pelo importante registro geológico do período Cretáceo, com destaque para seu conteúdo paleontológico, com registros entre 150 e 90 milhões de anos, que apresenta um excepcional estado de preservação e revela uma enorme diversidade paleobiológica.

Curta nossa página no Facebook



Gasolina e diesel sobem nas bombas um mês após Petrobras reduzir preços

Os preços médios da gasolina vendida nos postos do Brasil tiveram uma alta de 0,74% em um mês, desde que a Petrobras colocou em prática sua nova política de cotações nas refinarias, apesar de a estatal ter reduzido os valores do combustível em duas oportunidades neste período.

No caso do diesel, o preço subiu 0,1% no mesmo período, segundo levantamento do órgão regulador (ANP), mesmo diante de reduções ainda mais expressivas nas cotações do produto nas refinarias da Petrobras.

A Petrobras anunciou em 14 de outubro sua nova política de preços de combustíveis, atendendo a uma reivindicação de mais transparência de investidores, e apontou parâmetros que serão levados em conta nas avaliações da companhia, que poderá considerar um eventual ajuste de preços pelo menos uma vez por mês.

Simultaneamente, no mês passado a Petrobras anunciou uma redução de 3,2% no preço da gasolina e de 2,7% no do diesel.

E na semana passada a estatal novamente reduziu as cotações dos produtos nas refinaria, em 3,1% para a gasolina e 10,4% para o diesel, lutando contra uma perda de participação de mercado para players que têm trabalhado com o produto importado.

Preço nos postos
A Petrobras tem destacado que o impacto do reajuste no preço final ao consumidor depende de decisões de postos de combustíveis e distribuidoras.

No primeiro ajuste, se tudo fosse repassado ao valor da bomba, o preço deveria cair R$ 0,05 por litro para os dois combustíveis, segundo a Petrobras.

No segundo ajuste, haveria o mesmo potencial de queda para o preço da gasolina na bomba, e de R$ 0,20 por litro para o diesel, se a queda na refinaria fosse repassada, afirmou a estatal.

Considerando que os ajustes não têm chegado às bombas, parte da redução tem ficado pelo caminho, sendo apropriada por agentes como distribuidores e revendedores. Distribuidores de combustível, por outro lado, têm reclamado que os preços mais altos do biodiesel e do etanol anidro, que são misturados ao diesel e à gasolina, respectivamente, estariam interferindo nos repasses para o consumidor final.

Etanol subiu
O etanol anidro subiu 3,95% nas usinas do Estado de São Paulo (principal produtor brasileiro), desde que a Petrobras anunciou a primeira redução de preços da gasolina, segundo levantamento do Cepea, órgão da Universidade de São Paulo.

A União da Indústria de Cana-de-acúcar (Unica), que representa produtores de açúcar e álcool, afirmou que não se deve atribuir ao valor do etanol anidro a culpa pela gasolina não cair.

Segundo a Unica, a composição do preço do combustível fóssil depende de diversas variáveis, entre elas o preço do produto na refinaria (em São Paulo, por exemplo, o preço de venda da refinaria varia dependendo do local da entrega), da margem da distribuidora, da margem da revenda, do valor do PMPF (preço atualizado a cada quinze dias para recolhimento do ICMS), além do preço do etanol anidro.

Além disso, como a gasolina é composta com uma mistura de 27% de anidro, isso significa que apenas uma parte menor da composição do preço da gasolina sofre interferência do valor do combustível renovável, segundo a associação de produtores. No caso do biodiesel, a mistura é de 7% no diesel.

Fonte: UOL (Com Reuters)

Curta nossa página no Facebook



Crato (CE): Polícia encontra 1,5 Kg de maconha abandonada e o dono pode ir apanhá-la na delegacia

Mais uma vez a polícia de Crato encontrou boa quantidade de maconha enterrada num imóvel sem conseguir descobrir o seu proprietário o que está sendo investigado. Foi numa operação conjunta de militares da companhia local e do Batalhão de Divisas na Rua Joscelir Pinheiro situada no Parque Recreio em Crato. Os PMs já vinham monitorando denúncias anônimas apontando o local como suposto espaço para armazenamento e comercialização de substâncias entorpecentes.

Nas vistorias ao imóvel foi encontrado 1,5 Kg de maconha enterrado na cozinha, mas ninguém foi preso. A droga foi levada para delegacia pelos Tenentes Lindemberg e Suassuna, o Sargento Ferreira e os Soldados Aquino e Paulo Cezar. Vizinhos não souberam informar quem mora naquela residência. Se por acaso o proprietário sentir a falta da “mercadoria” e tiver a Nota Fiscal poderá ir apanhá-la na Delegacia Regional de Polícia Civil de Crato.

Quase no mesmo horário, porém na Rua São Damião, 36 (Bairro Santa Tereza) em Juazeiro do Norte, 35 pedras de crack foram apreendidas no contador desse imóvel. Da mesma forma ninguém foi preso, mas, certamente, o dono já está sabendo que a polícia “furtou” as substâncias entorpecentes as quais poderão ser readquiridas na delegacia. Na operação de combate ao tráfico de drogas desencadeada no bairro participaram vários policiais e viaturas com o apoio do Helicóptero da CIOPAER.

Demontier Tenório

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Como a vitória de Trump pode afetar o Brasil?

Em um triunfo inesperado, o republicano Donald Trump foi eleito o novo presidente dos Estados Unidos. Trump conquistou vários Estados-pêndulo, onde os resultados eram imprevisíveis - podiam favorecer tanto um quanto o outro partido -, como Flórida, Ohio e Carolina do Norte, garantindo vantagem sobre Hillary Clinton.

Como o êxito do republicano pode afetar o Brasil? Leia a seguir expectativas sobre os principais temas da agenda bilateral.

Economia e comércio
O Brasil se beneficiaria de uma maior abertura dos EUA a produtos brasileiros. Hoje, os EUA são o segundo maior parceiro comercial do Brasil, atrás da China.

Historicamente, o Partido Republicano, de Trump, defende o livre comércio e se opõe a medidas protecionistas que ajudassem empresas americanas a competir com estrangeiras.

Assim, um candidato republicano tenderia a ser melhor para os interesses econômicos do Brasil do que um candidato democrata, que tende a ser mais protecionistas para defender indústrias e empregos locais.

Mas Trump inverteu essa lógica ao propor renegociar os acordos comerciais firmados pelos EUA para preservar empregos no país e reduzir o déficit americano nas transações com o resto do mundo.

Se o empresário colocar essas ações em prática, o Brasil poderia ser prejudicado.

A professora de Relações Internacionais da ESPM Denilde Holzhacker afirma que as consequências seriam imediatas e negativas, e causariam o que muitos economistas estão chamado de "efeito Trump".

"Como ele fez propostas muito amplas e populistas, o efeito econômico dessas medidas podem ter impacto grande e gerar um caos na economia - principalmente porque ele é contrário ao livre comércio, se mostrou protecionista."

Mas Holzhacker faz uma ressalva sobre a aplicação dessa medidas.

"Agora, para saber o quanto ele vai conseguir implementar disso, vamos ter que esperar. Ele é tão imprevisível e tudo fica tão indefinido que prejudica muito o cenário econômico."

Imigração e vistos
Estima-se que um milhão de brasileiros vivam nos EUA, boa parte em situação migratória irregular.

Ele diz que protegerá o "bem-estar econômico de imigrantes legais" e que a admissão de novos imigrantes levará em conta suas chances de obter sucesso nos EUA, o que em tese favoreceria brasileiros com alta escolaridade e habilidades específicas que queiram migrar para o país.

Outro tema de interesse dos brasileiros é a facilidade para obter vistos americanos. Trump fez poucas menções ao sistema de concessão de vistos do país.

Hoje, Brasil e EUA negociam a adesão brasileira a um programa que reduziria a burocracia para viajantes frequentes brasileiros, como executivos. A eliminação dos vistos, porém, ainda parece distante.

Para que a isenção possa ser negociada, precisaria haver uma redução no índice de vistos rejeitados em consulados americanos no Brasil, uma exigência da legislação dos EUA.

Tanto Barack Obama quanto Hillary Clinton apoiavam reformas no sistema de imigração americano, que dariam cidadania a imigrantes ilegais que hoje vivem nos Estados Unidos.

Já Trump fez declarações polêmicas durante a campanha, ameaçando deportar 11 milhões de imigrantes ilegais. Sua promessa de construir um muro na fronteira com o México gerou revolta entre parte da comunidade hispânica no país.

Ao final da campanha, Trump não mudou o tom prometendo, por exemplo, "veto extremo" à imigração. Mas deu menos detalhes sobre quais políticas irá realmente adotar. No entanto, é praticamente certo que as medidas propagadas pelos democratas não serão implementadas.

Relação com o Brasil
O Brasil e a América Latina não foram tratados como temas prioritários nas campanhas dos dois candidatos.

Em 2015, Trump citou o Brasil ao listar países que, segundo ele, tiram vantagem dos Estados Unidos através de práticas comerciais que ele considera injustas. A balança comercial entre os dois países, porém, é favorável aos EUA.

Como empresário, Trump é sócio de um hotel no Rio de Janeiro e licenciou sua marca para ser usada por um complexo de edifícios na zona portuária da cidade. Anunciada em 2012, a obra ainda nem começou.

Para a professora de Relações Internacionais da Unifesp Cristina Pecequilo, como Trump não falou nada sobre o país, após a rápida menção de 2015, e se distanciou de temas ligados à América Latina, não deve haver muitas mudanças para os brasileiros. No entanto, diferentemente de Hillary, o republicano tem o elemento de imprevisibilidade.

"A situação do governo Hillary para  o Brasil teria sido mais tranquila porque era mais previsível por qual caminho ela iria. Seria a continuidade do governo Obama, de uma dimensão política que tem o reconhecimento do Brasil como relevante, sem muitas mudanças."

Pecequilo afirma que o país deve perder relevância na visão dos Estados Unidos dado o conturbado cenário interno.

"Eles estão com tanto problema dentro de casa, que o Brasil não é uma preocupação."

Questão de química
Especialistas nas relações Brasil-EUA costumam dizer que os laços entre os dois países dependem em grande medida da química entre seus líderes, independentemente de seus partidos ou ideologias.

Eles afirmam que, embora seguissem tradições políticas bastante distintas, os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2011) e George W. Bush (2001-2009) tinham uma relação tão boa quanto a mantida entre FHC (1995-2002) e Bill Clinton (1993-2001), que tinham maior afinidade ideológica.

Já a relação entre Barack Obama e Dilma Rousseff nunca foi tão próxima e sofreu com a revelação de que o governo americano havia espionado a presidente brasileira.

Analistas afirmam ainda que Brasil e EUA têm relações bastante diversificadas e que os laços devem ser mantidos qualquer que seja o resultado da eleição em novembro, já que os dois governos dialogam dentro de estruturas burocráticas.

Do lado brasileiro, há interesse em se aproximar mais dos EUA, vença quem vencer. Em entrevista à BBC Brasil em julho, o embaixador brasileiro em Washington, Sérgio Amaral, disse que o governo Temer investiria nas relações com as cinco principais potências globais (EUA, China, Rússia, França e Reino Unido).

Amaral afirmou ainda que, na Embaixada, priorizaria áreas em que Brasil e EUA têm maior convergência, como direitos humanos e meio ambiente.

Fonte: BBC Brasil

Curta nossa página no Facebook



Addthis