No Outubro Rosa, tudo que você precisa saber sobre câncer de mama

O câncer de mama é um dos mais comuns tipos de câncer em mulheres no mundo, sendo responsável por mais de 28% dos novos casos de câncer em mulheres, perdendo apenas para o câncer de pele não melanoma. Segundo os dados do Ministério da Saúde, em 2018 foram estimados o surgimento de 59.700 novos casos de câncer de mama no Brasil.

Apesar dos números parecerem assustadores, os médico afirmam que mais de 98% dos casos são curáveis, se diagnosticados na fase inicial, reduzindo significativamente a necessidade de realizar a retirada dos seios (mastectomia), que é tão temida pelas mulheres.

Mulheres com fatores de risco


A associação de riscos aumenta a possibilidade de ter a doença, mas essa não é uma condição absoluta. Conhecer os riscos é necessário, mas não se pode descuidar dos cuidados com a mama.

A importância do autoexame como prevenção do câncer de mama:
O principal tratamento contra qualquer tipo de doença é sempre a prevenção, e com o câncer de mama isso não é diferente. Fazer a realização do autoexame é a melhor forma de conseguir identificar os primeiros sinais do câncer na sua própria mama e ao notar qualquer anormalidade é necessário consultar um médico mastologista ou ginecologista o mais rápido possível.

Como fazer o autoexame?


Outra forma de prevenção muito importante é a realização periódica do exame de mamografia, que deve ser feito anualmente por mulheres fora da faixa de risco e com mais de 40 anos de idade.

Como reconhecer o câncer de mama - Sintomas:
Segundo o Ministério da Saúde, o sintoma mais comum é o aparecimento de nódulos no seio, geralmente indolor, duro e irregular, mas existem alguns tipos de tumores que são mais macios e flexíveis, globosos e bem definidos. Outros sintomas de câncer de mama são:

● edema cutâneo (na pele), semelhante à casca de laranja;

● retração cutânea;

● dor;

● inversão do mamilo;

● hiperemia;

● descamação ou ulceração do mamilo;

● secreção papilar, especialmente quando é unilateral e espontânea.

Todos esses sinais merecem atenção e devem ser investigados por um médico, mas também podem representar doenças benignas da mama. É preciso estar bem atento em relação à saúde das mamas, o que significa conhecer o que é normal em seu corpo e quais as alterações consideradas suspeitas de câncer de mama Ao notar qualquer anormalidade é fundamental procurar um médico para a detecção precoce dessa doença.

Tratamentos para o Câncer de mama:

Os tratamentos para esse tipo de doença podem ser clínicos ou cirúrgicos. Nos tratamentos cirúrgicos há os conservadores, que envolvem preservar a mama como as tumorectomias e as quadrantectomias, e os radicais envolvem a retirada da mama, como a mastectomia.

A maioria dos cânceres de mama podem criar metástases nas axilas, portanto a avaliação dessa região também é muito importante para a remissão da doença.

Já os tratamentos clínicos para o câncer de mama são o medicamentosos por meio das quimioterapias e hormonioterapias, e radioterapias que deve ser empregada na sequência do tratamento cirúrgico, conservador ou em casos específicos de câncer avançado.

Todos esses tratamentos são oferecidos pelo gratuitamente Sistema Único de Saúde (SUS), mas apenas o médico oncologista pode prescrever qual a melhor forma de tratamento para quem está com a doença.

Fonte: G1

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Addthis