Até 100 mil microrganismos vivem em latinhas e garrafas de ambulantes, revela pesquisa

As altas temperaturas estimulam a venda de água e refrigerantes nas ruas. Mas, apesar de hidratar e refrescar quem deseja fugir do calor, esses produtos podem ser um meio de contaminação e contágio de doenças, de acordo com um novo estudo.

Realizada pelo aluno de Biomedicina Cleber da Silva da UniMetrocamp Wyden, em Campinas, sob orientação da professora e microbiologista Rosana Siqueira, a pesquisa concluiu que até até 100 mil organismos podem ser encontrados em latinhas e garrafas vendidas por ambulantes. Esse elevado número de bactérias pode causar infecções gastrointestinais como diarreia, vômitos, dores abdominais intensas e febre.

Para chegar a esses resultados, foram analisadas latinhas de refrigerantes, sucos e cervejas, bocais de garrafas de água mineral, além da própria água onde esses recipientes ficam armazenados de 15 ambulantes de diferentes cidades da região metropolitana de Campinas e da cidade de São Paulo.

Das amostras de água, 60% estavam contaminadas com coliformes totais, fecais e Escherichia coli. A infecção por E. coli pode causar diarreias, que podem ser mais leves ou mais severas, até doenças mais invasivas, como a meningite. Além disso, 26,6% das amostras de água estavam contaminadas com Pseudomonas aeruginosa, responsável por diversos tipos de infecções.

Entre as latinhas, 46% estavam com contaminação acima de mil microrganismos, 11,5% com contagem acima de 10 mil bactérias e 3,8% com contagem acima de 100 mil microrganismos. Nas garrafinhas de água, 14,28% apresentaram contagem acima de 10 mil bactérias.

Para se prevenir, use canudinhos ou lenços
“A presença desses microrganismos indica condições higiênicas sanitárias insatisfatórias podendo ocasionar nos consumidores infecções gastrointestinais como diarreia, vômitos, dores abdominais intensas além de febre”, explica a professora Rosana Siqueira.

Segundo a microbiologista, para prevenir o contato com esses microrganismos, o ideal seria usar canudos embalados individualmente, ao invés de colocar a boca direto no produto. “Na ausência de canudos, lave bem as latinhas ou utilize guardanapos de papel para higienizar o local onde colocamos a boca.”

Os comerciantes também podem ajudar higienizando as embalagens antes da comercialização e trocando a água constantemente para evitar a contaminação. Além disso, é importante lavar as mãos após o manuseio de dinheiro para evitar a contaminação das embalagens.

Fonte: Viva Bem/UOL

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis