Abastecimento dos reservatórios cearenses é 30% superior ao de 2019 e mais que o dobro de 2018

Após anos com baixas precipitações, o Ceará voltou a registrar bom volume de chuvas e, consequentemente, do acumulado nos açudes do Estado. Até a manhã desta segunda-feira (2), o nível dos 155 reservatórios monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) marcava um aporte de 16,14%, maior índice dos últimos cinco anos.

O número representa um acréscimo de 30% em relação ao ano passado (11,28%) e é mais que o dobro do registrado em 2018 (7,76%) para o período (até 2 de março dos respectivos anos).

2020: 16% (14 açudes sangrando e 8 acima de 90%);
2019: 11,28% (5 açudes sangrando e 7 acima de 90%);
2018: 7,76% (4 açudes sangrando e 3 acima de 90%);
2017: 6,56% (1 açudes sangrando e 0 acima de 90%);
2016: 11,41% (1 açudes sangrando e 4 acima de 90%). 

As precipitações fizeram com que parte dos açudes sangrassem. Até a manhã de hoje, 14 reservatórios haviam excedido a capacidade total, conforme observado no Portal Hidrológico da Cogerh. Este é o maior número desde 2011, quando haviam 18 barragens nesta situação e um acumulado de 60,72%. Além disso, oito açudes monitorados estão próximos de excederem sua capacidade - com mais de 90% de água. 

No domingo (1º), o Ceará já contabilizava 12 açudes em sangria, porém, após as precipitações do intervalo, os açudes Várzea da Volta (102,64%) e Sobral (100,25%) atingiram o limite.

Chuvas
Em fevereiro, as chuvas ficaram 64,1% acima da média, com 194,7 mm precipitados, segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). A normal climatológica observada para o mês é de 118,6 mm.

Para março, mês que historicamente recebe maior volume de chuvas, a probabilidade de precipitações se mantém, situação que deve se repetir em abril e maio. Segundo a Funceme, as chances de chuvas acima da média para o período é de 40%.

Reservatório com volume acima de 100% da capacidade:

Gameleira (102,1%)
Tucunduba (101,38%)
Quandú - (101,26%)
Itapebussu (109,59%)
Itaúna (100,99%)
Jenipapo (100,15%)
São Vicente (100,12%)
Acaraú Mirim (103,45%)
Tijuquinha (100,27%)
Acarape do Meio (100,76%)
Germinal (100,55%)
São Pedro Timbaúba (100,43%)
Várzea da Volta (102,64%)
Sobral (100,25%)

Outros seis açudes do Estado estão com a capacidade acima de 90%: 

Gangorra (94,84%)
Angicos (91,05%)
Diamantino II (91,52%)
Itapajé (94,49%)
Valério (91,61%)
Caldeirões (90,55%)
Cauhipe (91,37%)
Arrebita (91,68%)

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário