Slime com bórax pode provocar queimaduras e intoxicação; entenda riscos da ingestão e do contato

A utilização do produto químico bórax na confecção do slime pode comprometer a saúde das crianças. O slime é a massa colorida, de aspecto gosmento, que pode ser comprada em lojas ou produzida em casa. O bórax é um dos ingredientes usados, mas ele tem ácido bórico em sua composição e pode causar inchaço, vermelhidão e queimaduras no contato com a pele.

Se ingerido ou inalado em grandes quantidades, o bórax pode provocar ainda dor abdominal, náuseas, vômito e até hemorragia no sistema digestivo. O contato constante com as mãos pode levar a dermatites e desgaste das digitais, com potencial de provocar lesões.

A água boricada, que pode ser usada no lugar do bórax para dar consistência gelatinosa à massa, também contém ácido bórico, mas em concentração mais baixa e considerada opção mais segura por pediatras.

A toxicidade do bórax no slime pode aumentar se o produto for combinado com outras substâncias químicas, como as presentes em corantes, amaciantes e cremes de barbear - ingredientes que também são usados em algumas receitas de slime.

Riscos do slime
"O grande problema do slime é ter o bórax na composição", explica a pediatra Ana Escobar, colunista do G1. A médica indica que os pais não comprem slimes que tenham bórax na lista de ingredientes. Escobar recomenda ainda que os adultos não permitam que a substância seja usada na confecção de slimes caseiros.

Para Werther Brunow de Carvalho, coordenador de pediatra do Hospital Santa Catarina, as brincadeiras com slime devem ser sempre supervisionadas pelos pais ou responsáveis das crianças.

"Quando a brincadeira é com um slime feito em casa a gente tem que ter ainda mais precaução", alerta Carvalho. "Quando a criança vai fazendo a mistura, pode acabar colocando uma quantidade de ácido bórico muito maior do que a encontrada em produtos industrializados."

Como brincar de slime com segurança?
Os pediatras Ana Escobar e Werther Brunow de Carvalho dão dicas de como crianças e adultos podem manusear o slime de maneira segura:
  • Prefira os slimes vendidos prontos em lojas de brinquedos, considerados mais seguros por pediatras.
  • Escolha produtos que não contenham bórax na lista de ingredientes.
  • Se optar pelo slime caseiro, um adulto precisa estar responsável pela confecção do brinquedo.
  • Opte por receitas de slime que não contenham bórax e que levem pequenas quantidades de água boricada.
  • Utilize avental e luvas na hora de misturar os ingredientes do slime.
  • Faça a mistura sempre em locais abertos e bem arejados.
  • Evite acrescentar amaciante ou espuma de barbear, produtos que podem reagir com o ácido bórico.
  • Guarde os produtos utilizados na confecção do slime em locais de difícil acesso para crianças.
  • Limite o tempo de contato da criança com o slime a até 30 minutos por período.
  • Lave as mãos das crianças com bastante água corrente depois da brincadeira.
  • Para evitar a sensibilização da pele, aplique produtos hidratantes nas mãos depois de limpas.
Efeitos do bórax na saúde
A intoxicação causada pelo bórax pode ocorrer pelo contato da substância com a pele ou pela ingestão e inalação do composto.

"O mais perigoso é ingerir o bórax, colocando a mão suja de slime na boca, por exemplo", explica Escobar. Nesses casos os sintomas da intoxicação são dor abdominal, náuseas, vômito e até hemorragia.

Já o contato da pele com a substância pode ocasionar sintomas locais, como inchaço, vermelhidão e queimaduras. As lesões podem ser ainda mais graves se ocorrerem em áreas de mucosas, como lábios e olhos.

Como ainda não existe no Brasil um exame laboratorial que comprove a intoxicação por bórax, o diagnóstico é feito por exclusão, com exames que descartem outras doenças.

Não há antídoto para o bórax, por isso o tratamento é paliativo e focado em aliviar os sintomas da contaminação. Desde a suspeita de contaminação a criança deve se afastada imediatamente dos produtos que contêm a substância.

O que é bórax?
Também conhecido como borato de sódio, o bórax é um mineral derivado da mistura de um tipo de sal com ácido bórico.

O ácido bórico é um ingrediente comum em diversos produtos cujo consumo e manuseio é seguro para humanos. A água boricada, usada em várias receitas de slime e também no tratamento de doenças oftalmológicas, é feita com ácido bórico em baixa dosagem e diluído em água.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) classifica o bórax como uma substância altamente tóxica e determina que ela esteja presente em concentrações de no máximo 20% nos produtos comercializados no país.

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), dos Estados Unidos, o boráx é uma substância perigosa que pode causar irritações na pele, olhos, nariz e garganta.

Alguns órgãos de saúde pelo mundo já alertaram para os riscos que a exposição contínua ao bórax pode trazer.

Em 2016 a agência de saúde do Canadá emitiu um parecer recomendando que os pais evitem o bórax na confecção de slimes caseiros. Um estudo conduzido pelo órgão canadense mostrou que a exposição excessiva a grandes concentrações de ácido bórico teria potencial para causar problemas na saúde reprodutiva e no desenvolvimento de crianças e fetos.

A Comissão Europeia também alerta que o contato com grandes quantidades de ácido bórico pode afetar a fertilidade. A instituição recomenda que o contato com produtos que contêm bórax seja feito dentro dos limites indicados pela comissão.

Fonte: G1

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis