Mais de 35 mil pessoas curtiram o Carnaval em Crato

Cerca de 35 mil pessoas curtiram o carnaval em Crato, desde o tradicional Bloco das Virgens, realizado na última sexta-feira, até os quatro dias seguintes de festa concentrados na Praça Siqueira Campos, no centro da cidade. Só no primeiro dia, 20 mil pessoas, segundo a organização, desfilaram nas ruas pelo bloco conhecido por contar com a presença de homens vestidos com roupas femininas.

No Bloco das Virgens, um palco foi preparado em frente ao Estádio Municipal Governador Virgílio Távora, o Mirandão, para dar suporte aos foliões na concentração. Dois trios elétricos seguiram o percurso com os brincantes pelas ruas do Crato.

A partir do sábado, uma diversidade de gêneros musicais animaram os foliões na Praça Siqueira Campos, que concentra o carnaval cratense desde 2017. Através do projeto Tambores do Cariri, foram oito atrações diárias, a partir das 16h, somando mais de oito horas consecutivas de festa. Frevo, maracatu, charangas, axé, pop, entre outros ritmos, atraíram um público estimado de 4 mil pessoas por dia.

De acordo com o secretário de Cultura de Crato, Wilton Dedê, a expectativa é que em 2020 o evento seja ampliado. “O ano que vem não vai caber mais aqui”, conta. Por isso, já projeta um palco montado na Rua Miguel Limaverde, como era tradicional, e DJ’s se apresentando na Praça Siqueira Campos. Outra alternativa é trazer a festa para o largo da RFFSA, onde o espaço é maior.

Além disso, outro anseio para 2020 é que haja o retorno do desfile das escolas de samba de Crato. Ao todo, são quatro agremiações desativadas. “Desde 2017, venho conversando com o pessoal. Eles relutaram um pouco, mas este ano já saiu uma escola”, narra Dedê. A Operários do Samba foi a primeira a retornar este ano. “Vamos fazer incentivo via edital. Não dá para fazer aporte direto”, justifica.

Desde 2017, a Secretaria de Cultura voltou a trabalhar no carnaval cratense. Naquele primeiro ano, o evento foi realizado através de patrocinadores. Ano passado, através de edital, conseguiu contratar músicos e bandas. Já este ano, a verba dobrou e tem tido bom resultado. “Também começamos a apoiar os polos independentes”, conta Dedê.

ANTONIO RODRIGUES
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Addthis