P3 Midia

P3 Midia

Você conhece os riscos da salmonela?

Salmonelas são bacilos gram-negativos que infectam ou colonizam hospedeiros mamíferos. Elas causam infecções clínicas características, incluindo:
  • Gastroenterites
  • Bacteremia e Infecção endovascular
  • Infecções focais como osteomielites e abscessos
Muitos pacientes são portadores crônicos assintomáticos e, embora, não apresentem sintomas e sinais da doença, podem ser transmissores.

A febre entérica é causada tanto pela Salmonela typhi como pela Salmonella paratyphoid. Outros sorotipos de salmonelas são agrupados em Salmonellae não tifoide.

Contaminação
A Samonellae não tifoide é a maior causa de diarreia no mundo. Nos Estados Unidos, essa bactéria é a principal causa de doença oriunda de alimentos. Salmonellae enteritidis e Salmonela typhimurium são outros sorotipos frequentemente isolados.

A salmonela também é associada a ingestão de aves, ovos e derivados do leite. No entanto, a Simonellae não tifoide é também relacionada com a ingesta de produtos frescos, carnes e outros gêneros alimentícios.

Sintomas
Os sintomas das gastroenterites por salmonela ocorrem entre 8 a 72 horas após exposição à água ou alimentos contaminados. De outra forma, há descrições de longos períodos de incubação, como resultado de exposição a pequenas quantidades de bactérias.

As principais manifestações clínicas das salmonelose são diarreia, náuseas, vômitos, febre e dores abdominais.

A gastroenterite por Salmonellae não tifoide é usualmente auto-limitada. A febre desaparece entre 48 e 72 horas e a diarreia perdura de 4 a 10 dias. A mortalidade oscila de 0,5% a 1%.

Menos de 5% dos pacientes desenvolvem formas invasivas do tipo bacteremia, que pode culminar em manifestações extra intestinais como endocardite – infecção da válvula do coração -, aneurismas infecciosos e osteomielite.

O diagnóstico definitivo da salmonelose requer o isolamento da bactéria através de culturas de fezes ou sangue. Além da hidratação, os casos mais graves ou de risco da forma invasiva, necessitam o uso de antibióticos do tipo fluoroquinolonas.

Por: David Uip, médico infectologista

Fonte: Veja.com

Curta nossa página no Facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis