Governo do Ceará celebra parceria da CIPP S.A. com o Porto de Roterdã

Um dos principais polos movimentadores da economia cearense, a Companhia de Desenvolvimento do Complexo Industrial e Portuário do Pecém S/A,vai atuar junto de um dos maiores portos do mundo, impulsionando o comércio e o desenvolvimento. Nesta sexta-feira (19), em solenidade no Palácio da Abolição, o Governo do Ceará celebrou a parceria com o Porto de Roterdã, da Holanda. A participação holandesa no complexo envolve investimento de 30% nas ações da CIPP S.A., no valor de R$ 323 milhões, atuando também no conjunto das decisões estratégicas.

O governador Camilo Santana comemorou a parceria e destacou o empenho para selar o acordo. “Estou bastante otimista, me lembro quando nos reunimos pela primeira vez, em 2015, e contratamos uma consultoria para viabilizar essa parceria. As coisas precisam ser feitas por etapas para garantir segurança, viabilidade. Mas o mais importante é que estamos fechando com o maior porto da Europa, um dos maiores do mundo, que vai abrir as portas do Porto do Pecém para empresas internacionais. Não tenho dúvida que vai beneficiar o povo cearense, criando oportunidades de emprego, de renda. Quero agradecer todo o esforço das equipes técnicas que se dedicaram ao longo desses anos. Sei que será uma parceria longa e trará benefícios para ambos os lados”.

O Porto de Roterdã também terá posições na Diretoria Executiva, no Conselho Fiscal e no nível gerencial das operações, sendo o Estado do Ceará o acionista majoritário na CIPP S.A. A operação não envolve venda ativos e o Estado manterá o controle e propriedade ou posse de todos os seus ativos.

Allard Castelein, CEO do Porto de Roterdã, disse que os países têm muitas afinidades. “É um prazer estar aqui hoje. Holanda, Países Baixos, Brasil, temos muito mais em comum do que vocês pensam. Somos nações que amam comércio exterior e futebol. Agora surge uma oportunidade entre os dois portos de trazer o mundo para o Ceará. Os portos de 2018 exigem segurança, perfeita estrutura, plataformas digitais, visão de longo prazo. O Porto de Roterdã vem se desenvolvendo há 500 anos e é responsável por um PIB do nosso país de cerca de 6%. Através dessa parceria queremos aumentar o comércio e potencializar o desenvolvimento. Fiquei impressionado com a visão do governador e espero que essa parceria continue até um futuro longo”.

O embaixador dos Países Baixos no Brasil, Kees Van Rij, destacou as relações históricas do Ceará com outros países beneficiados de maneira direta ou indireta com a parceria, frisando que os laços holandeses com o Ceará vêm desde o século XVII. “O Ceará é cinco vezes maior que o nosso país. O Porto de Roterdã é o mais importante da Europa e o Porto do Pecém tem uma posição estratégica, fica próximo do México, do canal do Panamá. Contribui para o desenvolvimento e vamos celebrar o novo comércio entre o Ceará e os Países Baixos. Importante garantir boas conexões com o interior e fornecer cargas para o exterior. Essa parceria veio para coroar nossas relações comerciais de séculos”.

O presidente da CIPP S.A., Danilo Serpa, afirma que o complexo teve sua estrutura totalmente ampliada e adequada para esta nova fase. “Quero agradecer e coroar essa parceria, que vem para alavancar ainda mais nosso complexo portuário. Ele está pronto para receber qualquer indústria, qualquer empresa. O governador está entregando a sua segunda ampliação, que no total, ele mais do que dobrou de tamanho desde 2002. Essa parceria vai facilitar as relações com as maiores empresas e todo o entusiasmo do nosso governador Camilo Santana visa turbinar os nossos investimentos”.

Estiveram também na solenidade a vice-governadora Izolda Cela; o Diretor Internacional do Porto de Roterdã, René Van de Plas; o presidente do Senado, Eunício Oliveira; o secretário Chefe do Gabinete do Governador, Élcio Batista; o secretário do Desenvolvimento Econômico, César Ribeiro; o secretário do Planejamento, Maia Júnior; o vice-prefeito de Fortaleza, Moroni Torgan; o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Zezinho Albuquerque; o CEO da Angola Cables, Antonio Nunes; o diretor-geral da Air France-KLM na América do Sul, Jean-Marc Pouchol; entre outras autoridades.

Histórico
Em outubro de 2015, a Cearáportos, então administradora do Porto de Pecém, contratou um consultor estratégico – o Porto de Roterdã– com o objetivo de identificar todo o potencial do Porto do Pecém a se desenvolver como um porto industrial. Por reconhecer o grande potencial do Porto do Pecém, houve manifestação de interesse da empresa Port of Rotterdam em se tornar parceiro do Estado do Ceará para realizar o desenvolvimento da expansão e exploração do potencial comercial do complexo, identificando grandes oportunidades de negócios para o Ceará.

Após a assinatura do Memorando de Entendimento entre as duas partes, em março, de 2017, na Holanda, iniciaram as tratativas para formação do modelo de negócio envolvendo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) e Cearáportos; que posteriormente, nesse contexto, tornou-se CIPP S.A.

Nesse processo, o Estado fez adequações na sua legislação e estrutura administrativa. Modernizou a legislação referente ao Complexo Industrial e Portuário do Pecém e sua então administradora Cearáportos, ampliando seu objeto social, alterando sua vinculação administrativa e tornando a Companhia Administradora da Zona de Processamento de Exportação do Ceará (ZPE-CE) sua subsidiária.

Com isso, a denominação social da Cearáportos também foi modificada, passando a ser Complexo Industrial e Portuário do Pecém S.A (CIPP S.A) para dar maior abrangência à sua atuação e passou a atuar vinculada administrativamente à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE). Além disso, também realizou a cessão de bens imóveis de posse e propriedade do Estado à CIPP S.A.

Porto do Pecém
O Terminal Portuário do Pecém funciona nos turnos diário e noturno, empregando cerca de 1.500 pessoas na parte administrativa, logística e de transporte. O movimento de caminhões é constante, chegando a passar pelo local três mil veículos por dia. Devido ao grande tráfego, uma nova ponte, que liga o pátio de armazenagem do complexo aos píeres, está sendo construída, com previsão de conclusão ainda este ano. Atualmente, oito berços recebem os navios que carregam as mais variadas cargas. Um nono espaço está em fase de conclusão.

O primeiro píer, com dois berços, serve para receber o carvão mineral que funciona de combustível para a Termelétrica e a Companhia Siderúrgica do Pecém. Lá também é descarregado o minério de ferro utilizado na CSP. O segundo píer funciona exclusivamente para o recebimento e distribuição de gás, também com capacidade para dois navios. Logo em diante, está o maior espaço do Porto, chamado de terminal multiuso (TMUT), onde as mais variadas cargas são carregadas e descarregadas. Ele tem capacidade para receber até quatro navios ao mesmo tempo. O nono berço funcionará neste local.

Para o transporte do carvão mineral e do minério de ferro o Porto possui duas correias transportadoras, que seguem as adequações indicadas pelos órgãos ambientais para não agredir o meio ambiente. No Pátio de Armazenagem os produtos ficam separados de acordo com sua destinação final. Seis balanças fazem a pesagem de tudo que entra e sai do local. Além disso, as cargas são escaneadas.

O local é uma das saídas mais utilizadas para a exportação de frutas. Boa parte do granito enviado para fora do Brasil passou a sair pelo terminal. Antigamente, ele era transportado de caminhão para o Espírito Santo e de lá era exportado. Pás eólicas produzidas no Ceará também são enviadas para o mercado nacional e internacional via Porto do Pecém, assim como as placas de aço produzidas pela CSP.

Assessoria de Comunicação/Governo do Estado do Ceará

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis