Cariri: UFCA e URCA têm atos por Marielle Franco

O assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL), na noite da última quarta-feira (14), mobilizou atos em todo País. Na região do Cariri, os estudantes, professores e servidores da Universidade Regional do Cariri (URCA) e da Universidade Federal do Cariri (UFCA) organizaram ato nos pátios de cada uma de suas instituições, na noite de ontem (15).

Na Urca, a manifestação aconteceu no campus do Pimenta, em Crato, e mobilizou cerca de 30 estudantes portando velas, cartazes e faixas lembrando a morte da ativistas. “Marielle presente!”, “Contra o genocídio da juventude negra” foram algumas das frases carregadas pelos alunos.

Na UFCA, estudantes, professores e servidores usaram o pátio do campus de Juazeiro do Norte para projetar imagens de Marielle Franco em vídeos. O microfone ficou aberto para cada um se manifestar. Segundo a estudante Pâmela Queiroz, marcar o espaço da universidade é necessário. “Não podemos deixar que essas situações passem despercebidas”, pontua.

Para Pâmela, a morte da vereadora e ativista dos Direitos Humanos  mostra a gravidade da situação política que o País se encontra. “Ataram nossas mãos. Tudo que levou a essa execução se deu justamente pela atuação política dela. Foi um crime político. O que fica pra nós é a força que Marielle se dispôs de transformar a dor, as adversidades em uma luta”, completa a estudante.

O crime
A vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Pedro Gomes foram mortos a tiros dentro de um carro, na noite da última quarta-feira (14). Sua assessora, que também vinha no veículo, foi atingida por estilhaços das balas e sofreu ferimentos leves. A Polícia Civil investiga o caso, mas acredita que o carro da parlamentar vinha sendo seguido há 4 km.

Marielle era ativista dos Direitos Humanos, movimento negro e de mulheres. Antes do seu assassinato, denunciou violência policial nas comunidades do Rio de Janeiro e, há duas semanas, assumiu a relatoria da Comissão que acompanha a intervenção militar na cidade.
Nascida e criada no Complexo da Maré, uma das regiões mais violentas da cidade, Marielle foi a quinta vereadora mais votada do Rio nas eleições de 2016 com 46.502 votos. Na Câmara, presidia a Comissão da Mulher. Na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), assessorou o deputado estadual Marcelo Freixo na coordenação da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos. Ela era Socióloga e mestre em Administração Pública.

ANTONIO RODRIGUES
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis