P3 Midia

P3 Midia

Vencedor do Nobel da Paz diz que vai indicar Lula para receber o prêmio

O ex-presidente Lula e Adolfo Pérez Esquivel,
vencedor do Nobel da Paz em 1980
(Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)
Agraciado com o Prêmio Nobel da Paz em 1980, o ativista argentino Adolfo Pérez Esquivel disse nesta sexta-feira (2) que quer indicar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para receber a honraria. Os dois se encontraram hoje em São Paulo, na sede do Instituto Lula, que cuida do acervo histórico do petista.

Segundo declarações divulgadas em seu site após o encontro, Pérez Esquivel disse que vai sugerir o nome de Lula ao comitê norueguês do Nobel, que escolhe o agraciado pelo prêmio da paz, porque o governo do petista tirou milhões de pessoas da pobreza extrema, "diminuiu a desigualdade e aumentou o índice de desenvolvimento humano".

Ainda segundo o ativista, por causa do impeachment de Dilma Rousseff em 2016 --chamado de "golpe" por petistas e aliados--, "não há democracia no Brasil hoje". 

"Defender a candidatura de Lula [à Presidência em 2018] é defender a volta da democracia brasileira", afirmou Pérez Esquivel.

Condenado em segunda instância no chamado processo do tríplex, da Operação Lava Jato, Lula está inelegível, em tese, pelos critérios da Lei da Ficha Limpa. Além disso, de acordo com o atual entendimento do STF (Supremo Tribunal Federal), pode ser preso depois de esgotados os recursos na segunda instância, o que sua defesa contesta no próprio Supremo.

Preso e torturado pela ditadura militar argentina (1976-1983), Pérez Esquivel recebeu o Nobel da Paz por sua "corajosa luta não-violenta" contra o regime, diz o site do prêmio. 

O comitê que concede o Nobel da Paz é formado por cinco pessoas nomeadas pelo Parlamento norueguês. Pessoas que receberam o prêmio, como Pérez Esquivel, podem indicar nomes para recebê-lo. Até o momento, há 328 indicados. Os nomes dos candidatos só são revelados 50 anos depois da entrega do prêmio.

O vencedor do Nobel da Paz é anunciado em outubro. No ano passado, o prêmio foi concedido à Campanha Internacional para a Abolição de Armas Nucleares. Nomes como Nelson Mandela, Martin Luther King e Madre Teresa de Calcutá, entre outros, já receberam a honraria. Os agraciados ganham 9 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 3,5 milhões), uma medalha e um diploma. 

Fonte: UOL

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis