Ceará apresenta redução de casos de arboviroses; prevenção deve ser reforçada no período pós-chuvas

O Ceará apresentou redução 55,2% nas notificações de dengue, chikungunya e zika, nos quatro primeiro meses deste ano, em comparação com o mesmo período de 2022, conforme informado pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), nesta segunda-feira (22).

De acordo com a pasta, os dados do boletim epidemiológico mais recente, de 1º de janeiro até 14 de abril de 2023, foram notificadas 14.136 suspeitas de arboviroses. Dessas, a confirmação de uma das três doenças se deu 3.110 casos dos 14.136 notificados, representando 22%.

A dengue representou 85,3%, sendo 2.653 das ocorrências, com uma morte pela doença. Outros sete óbitos seguem em investigação da causa.

A chikungunya representou 14% dos casos de arboviroses, com 457 casos confirmados. O número é quase doze vezes menor que os casos registrados no mesmo período do ano passado, quando 5.260 foram diagnosticadas com a doença.

Até a última atualização, há apenas uma morte em investigação por suspeita de ter sido causada por chikungunya. Outras 11 já foram descartadas.

Houve ainda no primeiro quadrimestre 53 casos suspeitos de zika, porém 37 foram descartados e 16 estão sob investigação.

Sintomas
De acordo com a infectologista Lorena Mendes, atuante no Hospital São José (HSJ), os sintomas das arboviroses são bem inespecíficos.

"São comuns febre, dor de cabeça na região dos olhos, dor no corpo e nas articulações, com algum inchaço e manchas avermelhadas na pele, podendo apresentar coceira nos locais. Claro que a dengue pode ter sintomas mais graves, como sangramentos, diminuição da diurese, alteração de comportamento e sensório, dor abdominal e vômitos. Diante dessas manifestações, deve haver uma maior preocupação com o quadro", afirmou Lorena Mendes.

Ainda de acordo com a médica, a zika traz muita dor e edema nas articulações, bem como manchas vermelhas por todo o corpo, associadas à febre.

A chikungunya, ela pontua, é uma doença com muita dor articular, com duração prolongada (meses) e possibilidade de evolução para um quadro de artrite, além de problemas neurológicos.

"A dengue tem os sintomas mais conhecidos e é a doença que mais evolui para casos graves, necessitando, em algumas situações, de leito de terapia intensiva", disse a médica.

Diante da convergência de alguns sintomas, é comum a população não saber onde buscar atendimento. Mendes ressalta que os pacientes devem buscar ajuda, inicialmente, nos postos de saúde e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

“Toda pessoa com suspeita de arbovirose deve procurar atendimento na assistência primária. Após a avaliação médica, a continuidade do acompanhamento será definida”, falou Lorena.

Prevenção
As arboviroses podem ser prevenidas com cuidados simples para evitar a proliferação do aedes aegypti, transmissor das doenças.

Entre os cuidados estão limpar o quintal e vedar caixas d’água. Até mesmo recipientes pequenos como tampas de garrafas, folhas e sacolas plásticas podem acumular água suficiente, tornando-se criadouros do mosquito.

Por isso, a Sesa ressalta que a atenção deve ser redobrada, especialmente a partir de maio, quando as chuvas começam a diminuir.

Fonte: g1 CE

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário