Spaece 2019: Ensino médio público do Ceará tem melhores índices em português e matemática desde 2012

Estudantes do ensino médio público do Ceará obtiveram resultados recordes em língua portuguesa e matemática, em 2019. Resultados do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará (Spaece), divulgados nesta quarta-feira (15) pelo Governo do Estado, mostram que os alunos atingiram os melhores índices em ambas as disciplinas, desde 2012.

O maior crescimento foi em língua portuguesa: pela primeira vez entre 2012 e 2019, os estudantes cearenses alcançaram nível intermediário de proficiência, com 278,2 pontos registrados no ano passado. Em 2018, o nível era crítico, com total de 271,6 pontos. Na escala do Spaece para português, resultados até 225 são considerados de nível muito crítico; de 225 a 275, crítico; de 275 até 325, intermediário; e acima de 325, adequado.

O desempenho da maior parte dos estudantes da rede estadual no ensino médio foi intermediário (39,6%); mais 31,5% ficaram em nível crítico; 15,5%, adequado; e 13,5%, muito crítico. De acordo com a Secretaria da Educação (Seduc), 97,1% dos alunos matriculados participaram da avaliação. A única localidade com 100% de participação foi o município de Horizonte.

Melhorias
As dificuldades dos estudantes em matemática seguiram tendência histórica e se evidenciaram novamente: apesar de terem atingido o melhor índice em oito anos, a proficiência deles na disciplina ainda é crítica, com 274,3 pontos em 2019. O valor foi ligeiramente superior a 2018, quando os concludentes do ensino básico obtiveram 272,5 pontos na prova.

Mais de 70% dos matriculados que realizaram o Spaece 2019 estão nos níveis muito crítico (41%) ou crítico (31,5%), e apenas cerca de 27% deles se dividem entre os níveis intermediário (15,5%) e adequado (11,6%) de proficiência.

Na escala do Spaece para matemática, resultados até 250 são considerados de nível muito crítico; de 250 a 300, crítico; de 300 até 350, intermediário; e acima de 350, adequado.

O governador do Ceará, Camilo Santana, destacou o foco em avaliação diagnóstica, qualificação dos professores e investimento em material estruturado como o principal tripé para avanço nos resultados. Além deles, a ampliação do ensino em tempo integral e a atenção às competências socioemocionais dos estudantes são listadas como estratégias para os bons índices.

“Estudos já mostram que as escolas de tempo integral têm melhor desempenho que as regulares. Neste ano, serão mais 25 escolas destas no Ceará. A cada três instituições de ensino médio, uma já é de tempo integral”, declarou o chefe do Executivo estadual.

Apesar de comemorar os bons resultados, Camilo reconheceu que os índices dos estudantes da rede pública cearense ainda não são satisfatórios, principalmente em matemática, “que é o grande desafio”. “O que nós queremos é chegar ao nível adequado, é um desafio constante. Mas é importante ter transparência, mostrar que há uma evolução contínua, e parabenizar estudantes e professores.”

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Addthis