Ex-catador de latinhas receberá título de Cidadão Juazeirense

O professor Ciswal Santos, 31, autor de um projeto que fornece energia elétrica, água e internet, de maneira sustentável e por um baixo preço, para famílias carentes, receberá o título de Cidadão Juazeirense, no próximo dia 15 de outubro. A solenidade acontece no auditório do Memorial Padre Cícero, às 18h30. Nascido em Palmares (PE), sua história ficou conhecida após ter seu trabalho aprovado na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

O reconhecimento da Câmara de Vereadores aconteceu no último dia 22 de novembro, quando o título de Cidadão Juazeirense foi aprovado por unanimidade. A autora do projeto foi a vereadora Jacqueline Gouveia (PRB). “Ficou lisonjeado com tal homenagem. Todos sabem do apreço que tenho por Juazeiro e, agora, tenho a oportunidade de me tornar filho dela”, comemorou Ciswal.

Trajetória
Ciswal se mudou para Juazeiro do Norte na adolescência quando seu pai, também professor, foi transferido para Serra Talhada (PE). Com família devota do Padre Cícero, optaram por ficar na terra do sacerdote. Com a separação dos pais, as dificuldades apareceram. Sua mãe ganhava R$ 15 por faxina. O valor era pouco para o jovem se manter na escola e sustentar a casa e, por isso, resolveu trabalhar em um mercantil entregando as feiras de bicicleta.

Quando entrou na faculdade, antes de completar os 16 anos, o professor teve que buscar no lixo a solução para seu sonho de continuar estudando. Foi aí que Ciswal resolveu catar latinhas de para reciclagem. O quilo do material custava R$ 2. Em uma semana, conseguia três quilos e meio. “Era com isso que pagava xerox, apostila, conseguia pegar um livro e imprimir”, lembrou em entrevista ao Diário do Nordeste, em outubro do ano passado.

A história se Ciswal ficou conhecida em todo o Brasil após ser aprovado, em setembro do ano passado, na Universidade de Harvard – uma das mais conceituadas no mundo. Seu projeto, que trará água, luz e internet, voltado para famílias do Semiárido nordestino, custa, aproximadamente, R$ 2 mil, mas a expectativa é diminuir para R$ 960.

Placas solares serão responsável pela energia elétrica e ajudará na captação de água através de um poço artesiano. Já a internet, seria disponibilizada por satélite.

Reconhecimento internacional
Segundo o professor, ele recebeu ligação do presidente de Angola, João Lourenço, que mostrou interesse em implantar o projeto em seu país. Outras duas nações africanas, Moçambique e Zimbábue, também podem ser contempladas através de um incentivo de uma empresa japonesa.

Em dezembro de 2018, Ciswal também foi convidado para ser embaixador de Direitos Humanos da Noble Order for Human Excellence (NOHE), organização presente em 17 países, ligada a Organização das Nações Unidas (ONU).

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Addthis