P3 Midia

P3 Midia

Forte chuva causa transtorno nas cidades e esperança ao campo

Foi em Icapuí, município do Litoral Leste, que aconteceu a maior chuva do Ceará em 2017 até aqui. A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) registrou, das 7 horas da manhã desse sábado até o mesmo horário de ontem, 216 milímetros de precipitações. Com menos intensidade, é bem verdade, as chuvas banharam quase todo o Ceará, inclusive a Capital, no fim de semana, trazendo alívio e esperança para quem mora no campo e muitos transtornos para os habitantes das cidades. Foram contabilizadas chuvas em 91 municípios.

Os prejuízos em Icapuí foram grandes. A erosão provocada pela correnteza causou o desmonte de muitas dunas. O município sofre com o problema ocasionado pelo avanço do mar, que já fez desaparecer alguns pontos de praia. Algumas ruas de Icapuí ficaram impraticáveis para o tráfego de veículos automotores durante o fim de semana, principalmente ontem. Para os comerciantes, as chuvas afugentaram os visitantes.

Antes dessa chuva, a que caiu em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, liderava o ranking das maiores com 168 milímetros ocorridas entre a sexta-feira (10) e o sábado (11). Na quinta-feira (9), essa liderança esteve com o município de Porteiras, no Sul do Estado, com 128 milímetros.

Além de Icapuí, as maiores precipitações desse domingo ocorreram em Hidrolândia (98mm); Poranga (85 mm); Itaiçaba (80,4 mm); Crateús (79 mm); Várzea Alegre (68 mm); Iracema (67 mm), Pires Ferreira (62 mm), além de Morada Nova, com (61 mm).

Em Tauá, na região dos Inhamuns, as chuvas do fim de semana provocaram cheias de riachos e rios. Um deles, foi o Rio Carrapateiras, um dos principais afluentes do Rio Jaguaribe.

No município, a Funceme registrou 152 milímetros (sábado) e 29mm (domingo). Os distritos de Carrapateiras e Barra Nova foram os mais favorecidos. O Rio Carrapateiras ficou cheio na barragem do Poço da Onça, nas proximidades da estrada que liga a BR 020 à localidade de Cipó, próximo ao distrito de Caiçara.

Neste ponto, o rio que estava seco ficou com um nível de água na altura de um metro. Com precipitações acima de 120mm em várias localidades que formam a nascente do Carrapateiras, os pequenos reservatórios transbordaram e muita água está escorrendo em direção a Barragem da Vila de Santo Antônio. Se o reservatório vier a sangrar, a água segue para o Açude Várzea do Boi, que está seco há mais de três anos. Até sexta-feira, 10, a preocupação dos criadores era enorme com a escassez de água e pastagem para o gado.

Agora o cenário mudou. Os agricultores esperam começar na próxima semana o plantio de sementes para a safra de grãos de sequeiro (aquele que depende exclusivamente das chuvas). "Antes a terra estava seca, mas agora é preciso esperar um pouco porque o solo ficou encharcado", disse o agricultor, Francisco Ribeiro, antigo colono no Perímetro Várzea do Boi. "A gente reza e espera que as chuvas continuem". Em janeiro de 2016, municípios da região dos Inhamuns (Quiterianópolis, Tauá, Parambu, Arneiroz, Aiuaba e Novo Oriente foram beneficiados por intensas chuvas que encheram açudes e asseguram o abastecimento dos moradores e das comunidades rurais ao longo do ano. "Foi uma bênção. Esperamos que isso corra novamente", disse o agricultor Luís Feitosa.

Cariri
O fim de semana também foi de chuva para a região do Cariri, que por três dias consecutivos banhou várias cidades. Apesar do volume não ter sido tão intenso como o de outras regiões do Estado, a chuva mudou a paisagem no campo, trouxe alívio e esperança aos sertanejos, mas também transtornos em algumas localidades.

Em Juazeiro do Norte, maior cidade do Interior cearense, a chuva dos últimos dois dias cedeu ruas no bairro Limoeiro. As crateras abertas nas vias chegaram a alcançar cerca de três metros de diâmetro. De sábado para domingo, a Funceme registrou pluviosidade em 10 cidades caririenses, com destaque para Várzea Alegre (68 mm); Granjeiro (37.2 mm), Lavras da Mangabeira (35 mm), Farias Brito (23 mm) e Umari (22.4 mm), mas sem novos relatos de transtornos nas localidades.

Sertão Central
Os dados coletados ainda no sábado, pela Funceme, apontaram precipitações na maioria dos municípios do Sertão Central, com chuvas acima dos 100 milímetros em Quixeramobim e outros 82 mm, em Quixadá.

No Assentamento Novo Canaã, a 24Km do Centro da cidade, choveu 62mm, a maior precipitação do ano. No domingo, os registros mais intensos foram em Pedra Branca, mais ao sul (46mm), na localidade de Capitão Mor e no distrito de Mineirolândia (37mm).

Já no Maciço de Baturité, o Posto Furnas registrou 116mm. Em Ocara 90mm, Acarape, 88mm, redenção 80, Itapiúna, 76.4 e Palmácia, 51.6mm.

Recorde do ano
91 municípios cearenses receberam chuvas nesse domingo. Icapuí, no Litoral Leste do Estado, registrou a maior precipitação do ano até aqui, 216 milímetros

Chuva no CE

Juazeiro do Norte
No maior município do Interior cearense, as precipitações causaram grandes prejuízos principalmente no Bairro Limoeiro, onde muitas ruas foram afetadas pela força das águas e ficaram parcialmente destruídas Icapuí Foi o município que recebeu a maior carga hídrica da atual estação chuvosa, iniciada no dia 1º de fevereiro. Os 216 milímetros que caíram nesta cidade do Litoral Leste deixaram estradas como essa inviável para o trânsito fotos: VC Repórter Icapuí II Outro problema recorrente em Icapuí foi o desmonte de muitas dunas por causa da erosão ocasionada pela correnteza. Muitos pontos das praias de Icapuí cederam com a grande chuva deste domingo

Uruoca
As chuvas provocadas no município de Uruoca, situado na região Noroeste do Estado, banharam as ruas e causaram muita esperança nos seus moradores, que ficaram em casa contemplando o cenário. Ao contrário de outros locais, as precipitações não ocasionaram prejuízos significantes na cidade. Foto: Marcelino Júnior

Icapuí
Foi o município que recebeu a maior carga hídrica da atual estação chuvosa, iniciada no dia 1º de fevereiro. Os 216 milímetros que caíram nesta cidade do Litoral Leste deixaram estradas como essa inviável para o trânsito. Foto: VC Repórter

Icapuí II
Outro problema recorrente em Icapuí foi o desmonte de muitas dunas por causa da erosão ocasionada pela correnteza. Muitos pontos das praias de Icapuí cederam com a grande chuva deste domingo

MARCELINO JÚNIOR
COLABORADOR E SUCURSAIS

Fonte: Diário do Nordeste 

Curta nossa página no Facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis