P3 Midia

P3 Midia

Mulher dada como morta reaparece em casa depois de 40 anos

O que você faria se a sua mãe, de quem você celebrou o funeral há 40 anos, reaparecesse em sua casa? Essa história de filme realmente aconteceu na vida real! Tudo começou em 1976, quando uma mulher chamada Vilasa, de 42 anos, foi picada por uma cobra. Ela morava em Bidhoo, na Índia, e havia saído para catar comida para seus animais.

Ao retornar para casa, já com o veneno fazendo efeito, Vilasa foi levada pelas filhas a um curandeiro local, que supostamente não conseguiu salvar a sua vida. Nesse país, é tradição cremar os corpos e depositá-los no rio Ganges, mas isso não aconteceu com pessoas picadas com cobras, já que a crença é de que as águas milagrosas curam as pessoas do veneno, permitindo que elas possam retornar.

Vilasa foi envolvida em um pano e colocada nas correntezas do rio. Seu corpo acabou sendo encontrado por um casal de pescadores alguns quilômetros à frente, no distrito de Kannauj. Eles notaram que a mulher não estava realmente morta e a levaram até um templo para que pudesse se recuperar.

Isso de fato aconteceu, mas Vilasa havia perdido a memória: ela não sabia o próprio nome, nem onde morava ou sequer como tinha ido parar naquela situação. Dessa maneira, acabou vivendo no tempo pelos próximos 40 anos, até qu,e no mês passado, começou a ter flashes de sua vida antes desse incidente.

Ao conversar com uma jovem moradora do templo, ela contou do que se lembrava. Essa mulher tem um tio que morava em Bidhoo e que se recordou do funeral de Vilasa, acontecido há mais de 4 décadas! Um detetive foi contrato e ele foi capaz de encontrar as filhas da senhora, hoje com 82 anos.

Ram Kumari ficou surpresa ao ver sua mãe parada no lado de fora da sua casa. Ela e a irmã reconheceram imediatamente a mulher como sendo sua progenitora devido a uma marca de nascença. A história foi noticiada no jornal The Times of India, mostrando que milagres também podem acontecer na vida real.

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis