P3 Midia

P3 Midia

25 detalhes sobre o sexo que a ciência já descobriu

Não falta gente interessada em sexo no mundo da ciência - inclusive, como objeto de estudo. Diversas pesquisas sobre o tema já chegaram às mais variadas conclusões. Reunimos aqui uma pequena amostra delas.

Dor de cabeça
Está com dor de cabeça? Bem, um estudo da universidade de Münster com 400 pessoas que sofrem de cefaleia e enxaqueca constatou que 20% delas conseguiram interromper crises de dor de cabeça com relações sexuais. E 36% daquelas que sofrem de cefaleia sentiram uma melhora parcial nos sintomas após o ato.

Som no fundo
Bohemian Rapsody, do Queen, foi a primeira colocada em uma lista de 20 canções cuja audição é considerada mais prazerosa do que fazer sexo. O levantamento faz parte de um estudo da universidade de Londres com 2 mil britânicos entre 19 e 91 anos. De acordo com o trabalho, 40% dos entrevistados ouvem música durante relações sexuais.

Coração
Cerca de 40% dos homens que sofrem ataques cardíacos acabam interrompendo sua vida sexual, de acordo com a universidade de Chicago. Entretanto, apenas 1% de todos os ataques cardíacos acontecem durante relações sexuais. E mais: só 1% dos sobreviventes de um ataque cardíaco morrem durante o ato sexual.

Sexting
Sexting é o termo que denomina a prática de trocar mensagens com conteúdos picantes via celular. Divulgado pela publicação Pediatrics and Adolescent Medicine, um estudo com 943 estudantes com idades entre 14 e 19 anos apontou que 28% dos entrevistados já havia enviado fotos suas sem roupas para outras pessoas.

Cefaleia orgástica
A cefaleia orgástica é um distúrbio caracterizado por intensas dores de cabeça no momento do orgasmo. De acordo com o médico Abouch Krymchantowski, o fenômeno atinge três vezes mais homens que mulheres e é comum na faixa entre 20 e 25 anos - mas tem tratamento.

Exercício
A prática de exercícios físicos pode ser um poderoso afrodisíaco. Pelo menos, é o que aponta um estudo realizado com 250 pessoas pela universidade da Califórnia. Nele, foi constatado que aqueles que realizavam cerca de 40 minutos de exercício por dia tinham o dobro do desejo sexual em relação àqueles que gastavam em média 20 minutos por dia com caminhadas ou corridas.

Eletricidade
Você sabia que já existe camisinha elétrica? Ela foi criada por pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Geórgia. De acordo com os cientistas, o preservativo masculino formado por tecido condutor e preso com velcro libera impulsos elétricos de baixa intensidade que provocam maior prazer em quem usa.

Crise
A crise econômica afetou a vida sexual dos espanhóis, segundo um levantamento realizado pela Pfizer com 502 mulheres e 528 homens entre 36 e 65 anos. Nele, foi constatado que, de 2010 para 2012, o tempo médio dedicado às relações sexuais no país caiu de duas horas por semana para apenas 34 minutos a cada sete dias.

Sexo seguro
Transar com camisinha é como chupar bala com papel? Parece que os americanos não acreditam muito nisso. Uma pesquisa da Universidade Indiana com homens entre 18 e 59 anos mostrou que a maioria deles não se incomoda em usar preservativo durante a relação sexual.

Redes sociais
Um estudo da universidade de Harvard mostrou que falar sobre si mesmo no Facebook e em outras redes sociais faz com que o corpo libere dopamina. Essa substância química é a mesma que provoca no cérebro a sensação de prazer resultante de uma relação sexual.

Semelhanças
Cem homens foram submetidos por cientistas do Instituto de Ciências da Evolução de Montpellier a um experimento. Nele, os voluntários deveriam escolher entre os rostos femininos que lhe parecessem mais atraentes. No fim, constatou-se que os participantes geralmente escolheram mulheres com as quais compartilhavam alguns traços.

Satisfação
A satisfação numa relação sexual está diretamente ligada às razões que a motivam. A descoberta é da universidade de Toronto. Em um estudo com diversos casais sobre o tema, ficou constatado que os entrevistados ficavam menos satisfeitos em dias em que transavam não por prazer, mas por obrigação.

Laptop
Colocar o laptop no colo e usá-lo conectado à rede Wi-Fi piora a qualidade do sêmen. A publicação Fertility and Sterility divulgou um estudo sobre o assunto. No experimento, amostras do esperma de 29 homens foram colocadas debaixo de um notebook conectado à internet sem fio. Quatro horas depois, os espermatozóides nas amostras já não se mexiam. O fenômeno seria um efeito colateral da radiação gerada durante a comunicação sem fio.

Stress
Cansaço e estresse no trabalho são as principais causas para que portugueses, croatas e noruegueses fiquem menos animados para o sexo. A descoberta é fruto de um levantamento com 5.255 homens feito por pesquisadores do Instituto Universitário de Lisboa e das universidades de Oslo e Zagreb.

Menos que pets
Cerca de 25% das mulheres entrevistadas afirmaram que fazer sexo as torna extremamente felizes em um levantamento realizado pela cientista Catherine Hakim. O percentual é bem menor do que a quantidade de mulheres que declararam terem a mesma sensação por possuírem um animal de estimação - que chegou a 42% na mesma pesquisa.

Hidrogéis
Um novo tipo de camisinha pode estar vindo por aí. Financiado pela Fundação Bill & Melinda Gates, um projeto da universidade de Wollongong prevê o uso de hidrogéis (no lugar do látex) na fabricação de preservativos. O caráter úmido e as propriedades mecânicas parecidas justificam a escolha do material pelos cientistas.

Doenças
Impotência e ejaculação precoce estão entre as doenças sexuais mais comuns entre os homens, segundo um estudo da universidade da Carolina do Norte. De acordo com o trabalho, cerca de um terço dos homens sofre ou já sofreu com o segundo problema – que é mais comum entre indivíduos com menos de 40 anos.

Automedicação
Em São Paulo, um levantamento da Secretaria de Estado da Saúde com 300 participantes apontou que um em cada cinco homens em tratamento por conta de disfunção sexual já havia se automedicado. Os participantes da pesquisa tinham entre 20 e 35 anos. O perigo de tomar Viagra e outros medicamentos sem receita médica são os efeitos colaterais - que vão da dor de cabeça ao infarto.

Gravidez
Mais de um terço dos jovens brasileiros entre 14 e 25 anos não usa camisinha na hora de transar. O dado é de um estudo da Unifesp. Segundo o trabalho, 32% das meninas entre 14 e 20 anos já ficaram grávidas, pelo menos, uma vez na vida.

Dia seguinte
Cerca de 23% das meninas entre 10 e 15 anos já fizeram uso da pílula do dia seguinte alguma vez. O dado é de um levantamento realizado com 600 adolescentes pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Embora evite a fecundação, a pílula não evita o contágio de doenças sexualmente transmissíveis.

Pênis
Fêmeas têm pênis? Às vezes, acontece. No norte de Minas, biólogos brasileiros identificaram o fenômeno em quatro espécies de insetos. Tecnicamente, o que caracteriza macho e fêmea é o tamanho dos gametas. Eles são menores em machos e maiores em fêmeas. No caso dessas espécies, os indivíduos com pênis possuem maior gameta. Logo, são fêmeas - independente de serem responsáveis pela penetração durante o acasalamento. Um artigo sobre a descoberta foi publicado na Current Biology.

Iogurte
Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT, em inglês) descobriram que o iogurte é ótimo para a reprodução. Pelo menos, entre ratinhos. Nos experimentos realizados, camundongos machos alimentados com a substância registraram aumento dos testículos. Enquanto isso, fêmeas tiveram ninhadas maiores após ingerirem o alimento.

Vegetarianos
Michael Wasserman é cientista na universidade de Berkeley. Ele realizou um estudo com macacos em Uganda, na África. Durante o trabalho, constatou que animais que só se alimentavam da árvore chamada Milettia eram sexualmente mais ativos do que aqueles que ingeriam carne. Esses macacos apresentavam maior concentração no sangue de estradiol, o hormônio do sexo.

Anticoncepcional
Um estudo publicado na revista Cell mostrou que um remédio pensado para tentar deter o câncer interrompeu a produção de esperma em ratos. A descoberta aumentou as esperanças em relação ao desenvolvimento de uma pílula anticoncepcional para homens no futuro.

Brasil
Metade dos brasileiros afirma estar insatisfeito com sua vida sexual. O dado é da Durex Global Sex Survey, pesquisa realizada no país com 1.004 participantes entre 18 e 65 anos. Entre as mulheres, o descontentamento chega a 56% - enquanto fica na faixa de 51% entre os homens.

Fonte: Exame.com

Curta nossa página no Facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis