Centro Cultural do Cariri homenageia o legado da Beata Maria de Araújo em programação especial

Celebrando o aniversário da Beata Maria de Araújo, protagonista do “Milagre de Juazeiro”, o Centro Cultural do Cariri Sérvulo Esmeraldo, em Crato, integra a programação da 1ª Semana Maria de Araújo, que acontece de 20 a 24 de maio, junto do Instituto Beata Maria de Araújo e o Movimento Pró-memória da Beata Maria de Araújo.

Em 22 de outubro de 1930, o túmulo da Beata Maria de Araújo foi violado e até hoje não há uma resposta oficial sobre a ordem do mandato de abertura ou onde encontram-se seus restos mortais. Nessa perspectiva, no dia 23 de maio, o Centro Cultural recebe a exibição e roda de conversa: "Onde estão os restos mortais da Beata?", com Álisson Flor e a equipe da produtora Candieiros, na Sala de Formação 01, às 18h.

Apresentando o monólogo "Maria de Araújo e o milagre de Juazeiro Do Norte", Rafa Moraes confronta temas como racismo, sexismo, intolerância e perseguição religiosa e política, culminando no desfecho trágico da beata, que mesmo após sua morte, foi brutalmente violentada. A atividade acontece no dia 25, às 19h, no Bosque.

Quem foi a Beata Maria de Araújo
Maria Magdalena do Espírito Santo de Araújo nasceu na antiga Joaseiro, em 24 de maio, o ano exato de seu nascimento permanece uma incógnita para os pesquisadores. Cresceu em meio às oficinas de trabalho e salas de oração, construindo vida debaixo do silêncio da oficialidade. Artesã, costurava bonecas de pano e ensinava o ofício para outras crianças do povoado, lugar que também trabalhava como doceira, lavadeira e chegou até a contar tijolos em uma olaria.

Aos 22 anos, passou a exercer os hábitos de freira após um retiro espiritual realizado por Padre Cícero Romão Batista e Padre Vicente Sóter. Ali a mulher entregou-se à andança missionária. Em 1889, durante uma missa celebrada pelo Padre Cícero, a Beata recebeu hóstias que se transformavam em sangue na boca, tornando-se o pilar que une até hoje Juazeiro do Norte com a fé. Nas semanas que seguiram, chegaram de forma espontânea milhares de peregrinos e, em 7 de julho de 1889, o lugar era terra para um mar de fiéis, sendo o primeiro marco das romarias.

Maria de Araújo faleceu em 17 de janeiro de 1914, após 20 anos de clausura por imposição da Igreja Católica. Seu túmulo, localizado na Capela do Perpétuo Socorro em Juazeiro, foi violado e destruído, sendo que seus restos mortais foram roubados, permanecendo até hoje desconhecida a localização de seu corpo.

Memória e Patrimônio
Questionando esquecimentos como o da Beata Maria de Araújo, que foi colocada como coadjuvante do "milagre" que tornou Juazeiro do Norte em "Terra da Fé", a professora Vitória Gomes facilitará o minicurso "Por que nos querem esquecidas? Memórias de mulheres em disputas e resistências", de 14 a 17 de maio.

O curso discute noções de memória e patrimônio a partir da perspectiva de gênero e descolonização, estimulando os participantes a refletirem sobre as dimensões do território caririense, abordando desigualdades, falta de representatividade, silenciamento e invisibilização.

Vitória Gomes, professora na Universidade Federal do Cariri e pesquisadora, é doutora em Ciência da Informação, com a tese "Patrimônios e Matrimônios: Intersecções entre (de)colonialidades, raça, gênero e memória", e desenvolve pesquisas sobre culturas e patrimônios desde a graduação.

Programação

Exibição e Roda de Conversa: "Onde estão os restos mortais da Beata?" com Álisson Flor e a equipe Candieiros

Data: 23 de maio
Horário: 18h
Local: Sala de Formação 01

Monólogo "Maria de Araújo e o Milagre De Juazeiro Do Norte", com Rafa Moraes

Data: 25 de maio
Horário: 19h
Local: Bosque

Minicurso "Por que nos querem esquecidas? Memórias de mulheres em disputas e resistências" com Vitória Gomes

Data: 14 a 17 de maio
Inscrições encerradas

Serviço:

Centro Cultural do Cariri Sérvulo Esmeraldo
Endereço: Av. Joaquim Pinheiro Bezerra de Menezes, 1, Gizélia Pinheiro (Batateiras), Crato, Ceará

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário