Julho Verde: campanha conscientiza sobre o câncer de cabeça e pescoço

Lançada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), a campanha Julho Verde tem o objetivo de conscientizar os brasileiros sobre a importância da prevenção contra o câncer de cabeça e pescoço. A doença, que atinge regiões como boca, língua, palato, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe, esôfago e tireoide, mata cerca de 10 mil pessoas por ano no Brasil.

Em 2021, os especialistas em oncologia consideram ainda mais importante reforçar o alerta para a prevenção, pois o isolamento social e a redução do horário de funcionamento das clínicas fizeram com que muitas pessoas deixassem esse cuidado de lado.

Câncer de cabeça e pescoço é o 5º mais diagnosticado no Brasil
De acordo com o médico Bruno Albuquerque, da Seção de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) e do Hospital Central da Aeronáutica, em declaração à Agência Brasil, o câncer de cabeça e pescoço é o quinto mais diagnosticado no país.

O INCA estima que 685 mil novos casos de câncer sejam diagnosticados entre os anos de 2020 e 2022; e o câncer de cabeça e pescoço pode representar até 10% dos casos.

Como prevenir
No início da doença, o paciente pode ser assintomático, mas é essencial que seja feito o diagnóstico das lesões. Algumas mudanças ocorrem com o desenvolvimento do problema. Tais como o surgimento de manchas brancas na boca, dor local, lesão com sangramento e nódulos no pescoço, por exemplo. Além de dificuldade para engolir e rouquidão.

O câncer de tireoide é o que mais atinge homens e mulheres, e é importante ressaltar que o consumo de álcool e tabaco aumenta em mais de 30 vezes as chances de uma pessoa desenvolver a doença na cavidade oral. Mas existem outros fatores de risco, como infecções por HPV e o excesso de exposição solar.

Contudo, quando descoberto no início, há chance de até 100% de cura. Por isso, é importante realizar o autoexame, identificando se há a presença de inchaços no pescoço e feridas na boca.

“Por essas razões, nosso objetivo é alertar sobre os fatores de risco, muito presentes entre a população brasileira, e falar da importância do diagnóstico precoce. Em 60% dos casos, a doença já está avançada quando é descoberta”, disse a presidente e fundadora da Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG Brasil), Melissa A. R. Medeiros.

O médico Bruno Albuquerque também frisou que qualquer lesão na boca que dure três semanas ou mais deve ter o cuidado de um oncologista. “São lesões suspeitas que vão necessitar da avaliação de especialista em cirurgia de cabeça e pescoço”, disse à Agência Brasil.

Riscos do câncer de cabeça e pescoço
Além de ser responsável pela morte de 10 mil pessoas por ano no Brasil, o câncer de cabeça e pescoço pode deixar danos irreversíveis, como a perda da fala, no caso de o tumor se desenvolver na laringe.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), esse câncer é o nono tipo mais comum no mundo. Por isso, o objetivo das entidades de saúde neste mês é oferecer cursos, lives, congressos e a divulgação de materiais que chamem a atenção da população e dos profissionais de saúde para a prevenção.

Atenção: Para ter o diagnóstico correto dos seus sintomas e fazer um tratamento eficaz e seguro, procure orientações de um médico.

Fonte: Seleções

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário