Pesquisa aponta que caririenses estão gastando mais com alimentação durante a pandemia

Uma pesquisa realizada na Região do Cariri apontou que 66,2% dos seus moradores estão gastando mais dinheiro com alimentação, durante o período de isolamento social por causa da pandemia da Covid-19. Ao todo, foram entrevistadas 860 pessoas, através de formulário digital, no período de 4 a 10 de maio. O trabalho também aborda outras formas de consumo, como medicamentos, cosméticos, eletrodomésticos, entre outros.  

A pesquisa foi feita pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação de Juazeiro do Norte (Sedeci), que considerou a transformação no comportamento do consumidor diante da pandemia. A ideia é que, partir do resultado, os negócios locais possam se reinventar, repensar seu formato, produtos e processos para atender ao novo mercado. 

Os 860 entrevistados têm de 18 a mais de 50 anos e moram em cidades do Cariri, predominantemente em Juazeiro do Norte (62%). 75% deles têm ensino superior, 22% ensino médio e 3% ensino fundamental. Do total, 57% são mulheres e 43% são homens. 

"O nosso objetivo é direcionar melhor o empresariado a driblar os desafios impostos pela Covid-19, visando que a economia se desenvolva. Para isso, temos intensificado os diálogos com a iniciativa privada e acreditamos no nosso potencial de reinvenção", ressalta o Secretário de Desenvolvimento Econômico de Juazeiro do Norte, Michel Araújo. 

Destaca-se que 10% dos entrevistados tiveram o contrato de trabalho suspenso e estão recebendo auxílio do governo, 10% estão com carga horária e salário reduzidos e outros 10% encontraram uma nova fonte de renda.  

Consumo 
A pesquisa apontou que a compra de medicamentos aumentou 31,7% dos caririenses, enquanto 64,1% mantêm o mesmo gasto. A maioria, 75,3%, também não está gastando mais com cursos ou conteúdos pagos para ler. No entanto, 14,5% das pessoas entrevistadas estão investindo mais nesse tipo de serviço. 

Home office  
No quesito eletrodomésticos, 25,8% dos entrevistados revelaram que estão comprando mais. Os destaques são aparelhos de ar-condicionado e TVs. Mas, 20,3% diminuíram o consumo dos produtos. Equipamentos, móveis e itens de papelaria estão sendo mais procurados por 26,4% dos caririenses. O titular da Sedeci, Michel Araújo, acredita que isso se deve pela incrementação nos trabalhos ‘home office’.  

No segmento da beleza e cosméticos, 24,2% dos entrevistados seguem comprando, enquanto 75,8% deixaram de lado esses gastos. No campo dos artigos esportivos, a queda foi maior. 91,5% pararam de comprar. 

Ainda segundo a pesquisa, 62,3% dos consumidores têm preferido comprar de supermercados, embora pequenos negócios de bairros venham ganhando mais espaço. Foram escolhidos por 24,4% das pessoas, à frente de grandes redes. 

Compras on-line 
Quando o assunto foi comprar pela internet, 38% dos entrevistados declararam que ainda não fizeram essa adesão e 62% estão comprando de forma digital. Majoritariamente, as compras são feitas em empresas locais, onde já existia a prática de compras físicas. Questionados sobre qual meio digital estão usando para comprar, 42,4% apontaram o WhatsApp, 38,6%, Instagram, e 19%, aplicativos e sites. 

Futuro 
Após o confinamento, 64% dos entrevistados não têm pretensão de gastar com supérfluos. A prioridade será o essencial. Outros vão investir em viagens, festas, cinema e eventos de esporte, focando no lazer e entretenimento. No comércio, a maior parte das compras tende a ser de vestuário e calçados. Ainda são opções os eletrônicos e utensílios domésticos. A pesquisa completa está disponível aqui.

Por Antonio Rodrigues

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário