Crato terá uma nova Unidade de Conservação em 2020

Foto: Samuel Pinheiro/Blog Cariri
No próximo ano, a cidade do Crato, na região do Cariri, ganhará mais uma Unidade de Conservação (UC). A comunidade do Caldeirão da Santa Cruz do Deserto, a 33 quilômetros da sede do Município, teve seu georreferenciamento finalizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial (Semadt) e, agora, aguarda apenas votação na Câmara de Vereadores, tida como ato simbólico, uma vez que todos os processos para criação já foram finalizados.

“A gente também concluiu toda questão documental da propriedade do imóvel, que já está totalmente em nome da Prefeitura. Os estudos de campo e sociais já foram feitos pela Universidade Regional do Cariri”, garante o secretário da Semadt, Brito Júnior.

Geossítio
A conclusão do georreferenciamento permitirá, ainda, que técnicos do Geopark Araripe avancem na criação do novo geossítio do Caldeirão da Santa Cruz. O diretor-executivo da Instituição, Nivaldo Soares, enfatiza que o inventário geológico, social e cultural já foi concluído. “O que impedia o avanço era definir o perímetro. Será uma área menor, dentro da UC, na área central do Caldeirão”.

Entre os atrativos, além do ponto de vista histórico e geológico, já que possui depressões que formam um sistema pluvial que se concentra em poços naturais, a criação de um novo geossítio evidenciaria a importância da fauna e flora, segundo Nivaldo. “Podemos ter um observatório de aves. Lá, também é comum encontrar a umburana de cheiro e a umburana de cambão, que estão dentro do artesanato. Com elas, são feitas as xilogravuras, as esculturas, por exemplo, do Centro de Cultura Mestre Noza. O turista pode entender melhor esse processo”, acredita Nivaldo.

Relevância
As Unidades de Conservação (UCs) são áreas naturais protegidas por meio de instrumento legal, que possuem características naturais relevantes. O objetivo é conservar a diversidade biológica e outros atributos nelas contidos, com o mínimo impacto. As UCs são divididas em dois grupos: Proteção Integral e Uso Sustentável, subdividida em 12 categorias, de acordo com seus objetivos e características específicas.

No território do Crato, já existem sete unidades. Três delas são Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN), áreas privadas, reconhecidas pelas suas características naturais relevantes. Em seu território ainda está presente a Área de Proteção Ambiental (APA) Chapada do Araripe e a Floresta Nacional (Flona) Araripe, todas UC’s de âmbito nacional. O Parque Estadual do Sítio Fundão é a única unidade estadual no território do Cariri. Por último, foi criado o Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Soldadinho do Araripe, unidade municipal, para preservar a ave endêmica da região.

A Unidade de Conservação do Caldeirão da Santa Cruz será a oitava do Município. Em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Ceará, técnicos vão acompanhar o processo e ajudar na definição do melhor tipo de unidade que a área se encaixa. “Estamos pensando (no tipo) Monumento Natural”, antecipa o titular da Secretaria de Meio Ambiente. Este material viabilizará a produção de um decreto que será votado pela Câmara Municipal de Crato, garantindo a Proteção Integral.

Por Antonio Rodrigues

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Addthis