Mandato de Bolsonaro pode ser curto, diz revista britânica

A última edição da revista britânica “The Economist”, publicada nesta quinta-feira, 28, voltou a fazer duras críticas ao governo brasileiro. Com a chamada “Jair Bolsonaro, aprendiz de presidente do Brasil, o veículo defende que seu mandato pode ser curto “a menos que ele pare de provocar e aprenda a governar”.

De acordo com a “Economist”, “muitos supunham que a chegada do governo de Bolsonaro por si só daria vida à economia. Mas, três meses depois, ela continua tão moribunda quanto sempre”.

Os investidores estão começando a perceber que o ministro da Economia, Paulo Guedes, “enfrenta uma tarefa difícil” para fazer com que o Congresso aprove a reforma da Previdência e enfatizou que “o próprio Bolsonaro não está ajudando”.

Por mais que reconheça que a aprovação da proposta não seja suficiente para fazer com que o País apresente um grande crescimento econômico, a revista aponta que é preciso uma “liderança do topo”.

“Bolsonaro ainda não mostrou que entende seu novo emprego. Ele dissipou o capital político em seus preconceitos, por exemplo, pedindo que as Forças Armadas comemorassem o aniversário, em 31 de março, do golpe militar de 1964”, diz a reportagem.

O texto ainda trouxe a recente tensão entre Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. “Por mais que odeiem Bolsonaro, os democratas não devem desejar que ele não chegue ao fim do seu mandato. Ainda é o início. Mas sua Presidência já enfrenta um teste crucial”, diz a matéria.

Fonte: Yahoo!

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Addthis