Candidata sem expressão no Ceará recebe R$ 150 mil do partido de Bolsonaro e levanta suspeita

As denúncias de candidaturas suspeitas de serem "laranjas" do PSL chegaram ao Ceará. Segundo informações do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a candidata a deputada estadual Gislani Maia, que teve votação inexpressiva de 3,5 mil votos, recebeu do partido o valor de R$ 150 mil em recursos públicos do fundo eleitoral no dia 5 de outubro, dois dias antes da eleição. No mesmo dia, a candidata pagou cerca de R$ 143 mil a três gráficas que seriam para impressão de materiais de campanha. 

Em reportagem publicada na edição desta sexta-feira (22), o Jornal O Globo revela que a candidata foi a única entre 18 mulheres do partido a receber recursos na campanha. Além dela, apenas o presidente estadual e deputado federal eleito pelo partido, Heitor Freire, teria recebido recursos da direção nacional - Freire recebeu cerca de R$ 50 mil. Em toda a campanha, Heitor declarou gastos de R$ 64 mil, menos da metade da quantia recebida por Gislani.

A dois dias da eleição, a candidata pagou pelo fornecimento de 4,8 milhões de santinhos, panfletos e botons, além de 20 mil adesivos para carros. A gráfica M C Holanda Carvalho recebeu R$ 103,2 mil às vésperas da eleição para impressão dos materiais.

Respostas
Procurada por telefone, a ex-candidata Gislani Maia disse que não poderia falar, porque estava no trabalho e disse que retornaria depois para a reportagem. 

O presidente do PSL no Ceará, deputado federal Heitor Freire, também disse ao ser procurado por telefone que não podia falar "no momento", porque estava em uma reunião. Ele disse que falaria depois.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis