Em reunião, Camilo pede a Moro agentes penitenciários e Força Nacional 'sem limite de data'

Em reunião com Sérgio Moro na manhã desta quinta-feira (17) em Brasília, o governador Camilo Santana pediu reforço de agentes penitenciários e expôs ao ministro da Justiça a necessidade de manter a presença da Força Nacional no Estado por tempo indeterminado. "Eu coloquei a necessidade de manter sem limite de data a presença da Força Nacional", acrescentou.

Camilo e Moro fizeram uma avaliação da atual situação do Estado e o governador reforçou o pedido de continuar com as ações integradas das forças de segurança com a presença dos policiais nas ruas e a abertura de novas vagas em presídios federais para transferência de líderes de fações criminosas. 

Camilo também pediu o aumento da força policial nas unidades prisionais do Estado. "Pedi o reforço de agentes penitenciários para mantermos rigorosamente a aplicação da lei de execução penal, tirar regalias, fazer o controle das penitenciárias", disse.  O número de agentes penitenciários adicionais pedidos pelo governador é 90.

Apesar de já ter solicitado um aumento no número de agentes da Força Nacional, o governador informou que há uma limitação para que isso seja atendido nesse momento. Por conta disso, foi tomada uma série de medidas como aumento de hora extra e convocação da tropa reserva.

"Estamos com quase 500 agentes da Força Nacional atuando. Minha preocupação é manter o estado de alerta para evitar ao máximo as ações criminosas no Ceará e garantir o funcionamento dos serviços básicos à população", disse o chefe de estado descartando a necessidade de pedir intervenção federal no Estado. 

Ações criminosas no Ceará
Desde o dia 2 de janeiro, ocorreram mais de 200 ataques criminosos em 46 cidades. A série de atentados teve início em Fortaleza, com incêndios em ônibus, foi para a Região Metropolitana, com a explosão de um viaduto e se espalhou pelo interior, onde os alvos foram principalmente veículos e prédios públicos.

Prisões e apreensões
Chegou a 383 o número de presos ou apreendidos por fazer parte dos ataques criminosos registrados no Ceará nos últimos dias, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). O balanço feito pela SSPDS corresponde até as 17h da última quarta-feira (16). 

Pacote de medidas
No último sábado (12), parlamentares aprovaram uma série de medidas de segurança, para combater as facções criminosas no Estado. Uma delas foi a Lei da Recompensa, que paga uma quantia em dinheiro para quem fizer denúncias de ataques. O valor varia de R$ 1 mil a R$ 30 mil.

O Governo disponibilizou um número de WhatsApp para o qual as pessoas podem enviar informações, áudios, fotos e vídeos que levem à captura de criminosos. O número é (85) 98969.0182. As denúncias também podem ser feitas por meio do telefone 181, o Disque-Denúncia. 

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis