Centro Cultural Regional do Cariri, em Crato, deve ser inaugurado em 2022

A Secretaria de Cultura do Estado do Ceará já desapropriou o prédio do antigo Hospital Manuel de Abreu, no Crato, para a criação do Centro Cultural Regional do Cariri (CCRC). Erguido na década de 1940, o local serviu à Ordem da Sagrada Família e depois funcionou como hospital. O valor gasto para a aquisição foi de R$ 4 milhões. A expectativa é concluir o projeto arquitetônico neste primeiro semestre de 2019 e realizar a licitação no segundo semestre.

O início das obras deverá acontecer entre o fim deste ano e o início de 2020, com inauguração prevista para os anos de 2021 ou 2022.

O projeto do CCRC está inserido no Plano de Governo "7 Cearás" e também na lei do Plano Estadual de Cultura, que tem como uma das metas, a implantação de quatro centros culturais no interior. A ideia é que as políticas públicas culturais sejam descentralizadas de Fortaleza, já que a maioria dos equipamentos, como bibliotecas públicas, museus e teatros está concentrada na capital cearense.

Já foram inaugurados dois equipamentos culturais: A Vila da Música, no distrito de Belmonte, no próprio Crato, e a Casa de Saberes Cego Aderaldo, em Quixadá. O CCRC será o terceiro, sendo um complexo com salas de teatro, exposição, formação e o chamado "4 equinas culturais", com ambiente para o acervo, memória, formação e artes.

O Centro Cultural atenderá não só ao Crato, mas todo o Cariri. Uma das suas linhas será a interação e a conexão com a tradição popular da região, como os grupos de reisado, lapinha, maneiro-pau, coco, bacamarte. "O equipamento vem para solucionar uma questão de uma política pública de cultura integrada, já que não é um centro que pertence ao Crato, e sim regional, que vai atender às expectativas de todo o Cariri, em fomento e difusão das artes", avalia a coordenadora do Escritório Regional da Secretaria de Cultura do Estado e coordenadora da Vila da Música, Dane de Jade.

Além disso, o CCRC deverá suprir algumas carências estruturais no fomento da arte na Região. "O espaço cênico, hoje, no próprio Crato, não tem um local adequado. Em vários outros municípios também. A ideia de ser um equipamento que vai dialogar com todos os municípios do Cariri e oferecer um acesso de forma justa", completa Dane.

Valorização
"Inovador", como define Dane de Jade, o Centro trará uma ideia de "interdisciplinaridade" nas diversas linguagens artísticas. A coordenadora avalia também que o projeto demonstra que o Estado do Ceará vai na contramão das políticas culturais que acontecem no País, como o fim do Ministério da Cultura. "Enquanto há um desmonte do País das ações, o Ceará cria novas estruturas", complementa.

A Secretaria de Cultura entende que o Centro Cultural Regional do Cariri se insere nas políticas de desenvolvimento, partindo da identidade e diversidade cultural, as vocações e potencialidades e arranjos locais e regionais. A própria inserção da Chapada do Araripe no território, sua arqueologia e paleontologia, e o polo acadêmico com uma rede de universidades públicas e privadas, devem ser explorados no equipamento. No entanto, o conceito e o programa serão construídos em parceria com instituições culturais, educacionais, sociais e atores da região. Tudo isso deve ser debatido em mesas de trabalho e audiências.

O prédio que abrigará o Centro Cultural teve o tombamento municipal decretado em 2017 pela Secretaria de Cultura do Crato.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis