Redação do Enem: como evitar os erros mais comuns

Para muitos, fazer a redação é um dos momentos mais desafiadores de prestar o Enem. Mas nada de pânico: separamos algumas dicas de como manter a calma e se sair bem na hora de escrever o texto. Confira:

Foco!
Um dos principais erros identificados pelos professores é a fuga do tema. Dependendo do caso, se a redação não abordar o tema proposto ou o formato dissertativo-argumentativo pedido pelo exame, a redação pode ser desclassificada.

Seja específico
Não basta colocar apenas o assunto proposto no título e na introdução do texto de forma generalizada: é necessário ressaltar argumentos específicos do assunto, prestando atenção no enunciado pedido e entender o recorte proposto.

Não precisa repetir o que a questão já diz
A professora de português e redação Thaís Pio dá como exemplo o tema da redação do Enem de 2015, a persistência da violência contra a mulher no Brasil. “No caso, não cabe ao candidato fazer um histórico da violência contra a mulher ou falar sobre o problema em outras partes do mundo”, diz ela em entrevista à GALILEU. “Note que o anunciado já reconhece a situação persistente na sociedade, logo, não é preciso convencer o avaliador da existência ou da gravidade do problema.”

Apresente soluções
Ressalte como o problema apresentado pelo enunciado pode ser resolvido — sempre trazendo propostas plausíveis a curto ou médio prazo. Falar da necessidade de conscientização, por exemplo, é válido, mas não é o suficiente: especifique quais são as instituições envolvidas e como poderiam agir.

Pense por conta própria
Não dá para fazer a redação no “jeitinho”. “É fundamental que o candidato esteja bem informado”, reforça Pio. Use a norma culta do português, evitando gírias, expressões regionais, frases feitas, ditados populares e chavões.

Segundo a professora, outro erro comum dos candidatos é tentar incluir palavras difíceis e pouco utilizadas no cotidiano. Ela, que já foi corretora de redações do Enem, confessa que é comum que os estudantes tentem escrever palavras “bonitas” que não combinam com o estilo do texto e resultam em erros de regência e concordância.

Revise
Após terminar o texto, vale dar uma relida no que escreveu e checar a concordância e as vírgulas nas frases e acentos nas palavras.

Fonte: Galileu

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis