Metade dos brasileiros vê chance de uma nova ditadura no Brasil, diz pesquisa

Uma pesquisa Datafolha divulgada ontem mostrou que, para 50% dos eleitores brasileiros, há “muita chance” (31%) ou “pouca chance” (19%) de haver uma ditadura no país . É um número 11 pontos percentuais maior do que o do levantamento anterior sobre o tema, feito em fevereiro de 2014, quando a soma entre os que viam muita chance (15%) e pouca chance (24%) era de 39%. Por outro lado, 42% afirmaram “não haver chance nenhuma” de um regime autoritário ser implantado.

A pesquisa apurou ainda a opinião dos brasileiros sobre as realizações do governo no período do regime militar, entre 1964 a 1985 e em relação aos limites de atuação do Estado. Foram feitas ainda perguntas sobre os direitos do governo em relação a temas como a relação com o Congresso, com os partidos políticos, a prisão de suspeitos e a censura a meios de imprensa e redes sociais.

Em todas as perguntas sobre o os limites de atuação do Poder Executivo, foram majoritárias as respostas que dizem discordar da possibilidade de o governo ter permissão para práticas não autorizadas pela Constituição, como censurar a imprensa ou proibir a atuação de partidos políticos. 

Repúdio a tortura
Neste último caso, foram 61% os que se disseram contrário à proibição da existência das siglas, contra 33% que afirmaram concordar. Vinte e um por cento dos entrevistados disseram que o Executivo deve ter o poder de fechar o Congresso Nacional, contra 71% dos que discordaram.

A censura estatal a jornais, rádios e TV também foi um dos temas pesquisados. Em 2014, 13% dos brasileiros concordavam com a possibilidade, hoje são 23%. A maioria dos pesquisados continua contra a censura: 72% discordam (eram 80%).

Em meio a uma eleição marcada pelo uso das redes sociais, o Datafolha questionou se o governo deve poder controlar o conteúdo nas redes. A maioria, 52%, diz discordar. Outros 43% dizem admitir uma intervenção.

O índice dos que concordavam era de 19% em 2014. Sobre um eventual direito do governo de proibir greves, foram72% contra e 24% a favor. Sobre possíveis intervenções do estado em sindicatos, 41%concordaram e outros 51% discordam.

O Datafolha também pesquisou a opinião dos brasileiros sobre os limites de atuação do Estado na investigação e punição de crimes.

Quanto à prisão de suspeitos de crimes sem a autorização da Justiça, 32% dos entrevistados concordam e 65% discordam. Ao questionar se o Estado poderia torturar suspeitos para tentar obter confissões ou informações, foi atingido o maior número da pesquisa: 80% se posicionaram contra qualquer possibilidade de avalizar a prática da tortura, contra 16% que concordaram. Na pesquisa anterior, eram 78% e 14%.

Na pergunta sobre a possibilidade de haver uma ditadura, o Datafolha cruzou os dados com a preferência do eleitor pesquisado no segundo turno da eleição presidencial. A percepção de “alguma chance” de uma nova ditadura é mais alta entre os eleitores de Fernando Haddad (PT). São 75% contra 65% entre os eleitores de Jair Bolsonaro (PSL).

O instituto também perguntou o que os brasileiros acham das realizações dos governos militares durante os 21 anos em que ficaram no poder, entre 1964 e 1985. Trinta e dois por cento disseram que os militares deixaram “mais realizações positivas do que realizações negativas”. Os que responderam que foram mais realizações negativas do que positivas são 51%. Outros 17% não souberam responder.

A pesquisa foi feita entre quinta e sexta-feira com 9.137 eleitores, em 314 cidades brasileiras. A margem de erro é dois pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento foi contratado pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”. 

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis