Manifestantes protestam contra morte de Silvany, assassinada por seu ex-companheiro em Crato

“Chega de violência!”, “Basta!”, “Silvany presente!”, foram algumas das frases gritadas por dezenas de mulheres que se reuniram, na noite desta segunda-feira (20), em manifestação contra o assassinato de Silvany Inácio de Sousa, de 26 anos, morta pelo seu ex-companheiro, Elson Siebra, 47, na noite anterior, na Praça da Sé. Aproximadamente 600 pessoas participaram do ato.

Organizada pela Frente de Mulheres do Cariri, a manifestação, que teve início às 18h, foi marcada por muita emoção. O grupo levou cartazes, flores e velas para o banco da praça onde Silvany foi assassinada com três tiros, na frente de seu filho. Em vigília, as pessoas rezaram um terço e, em seguida, utilizaram o microfone para gritar palavras de ordem pedindo o fim do feminicídio.

Mais tarde, os manifestantes ocuparam um dos palanques que estão sendo utilizados durante a festa de Nossa Senhora da Penha, padroeira do Crato, ocupando a Rua Dom Quintino, em frente a Igreja Matriz. O ato teve fim às 20h.

Além da manifestação, o Colégio Pequeno Príncipe, onde Silvany trabalhava como cuidadora de crianças, decretou luto e cancelou as aulas nesta segunda-feira em homenagem a sua funcionária.

O crime
Segundo testemunhas, Silvany foi morta enquanto estava sentada na Praça da Sé, ao lado de seu filho. O acusado efetuou três disparos a queima-roupa, fugindo em seguida para uma casa próxima ao local do crime. Minutos depois, Elson Siebra de Deus foi preso em flagrante pelo Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), na posse de três armas de fogo – sendo duas espingardas e um revólver – e munições.

Ao ser questionado sobre a motivação do crime, ele teria dito aos policiais militares que não aceitava o fim do relacionamento, que ocorreu há cerca de três meses.

ANTONIO RODRIGUES
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis