6 alimentos que são anti-inflamatórios naturais

1. Goji berry
O goji berry é o fruto da planta Lycium barbarum, uma espécie originária das montanhas do Tibete, com muitas propriedades medicinais, rica em aminoácidos e vitaminas. Contém carotenoides antioxidantes, incluindo betacaroteno e zeaxantina, que protege os olhos. O goji berry é a maior fonte de carotenoides conhecida na natureza. Apresenta em sua composição nutricional 2500 mg de vitamina C por 100 gramas da fruta, quantidade 50 vezes maior que a de uma laranja em relação à vitamina C. Conta com beta-sisterol, com função anti-inflamatória, ajuda equilibrar os níveis de colesterol, pode ser usado no tratamento de impotência sexual e atua na prevenção de doenças da próstata. Saiba mais aqui sobre o goji berry.

2. Figo
O figo é uma fruta bem docinha que você já deve conhecer. É muito usada para fazer doces caseiros, tem casca porosa de coloração verde e roxa, com uma polpa consistente, avermelhada, com várias sementes pequenas. Devido à sua forte ação antioxidante, é utilizada para prevenção do câncer, por ajudar na saúde da pele e por proteger o organismo contra os radicais livres. Além disso, suas propriedades anti-inflamatórias também são poderosas e, por isso, têm sido estudadas para o tratamento de acne, eczema, úlceras e outras dermatites, e até como anti-idade. Conheça outros benefícios do figo.

3. Manjericão
Além de deixar as comidas saborosas, o manjericão é uma erva que pode melhorar até a nossa saúde. Ele possui componentes, denominados flavonoides, que protegem as células. Além disso, foi demonstrado que o manjericão protege contra o crescimento de bactérias indesejáveis. Outro componente presente no manjericão, chamado eugenol, parte dos óleos voláteis da erva, tem sido objeto de estudo aprofundado, dado que esta substância pode bloquear a atividade de uma enzima no organismo denominada ciclooxigenase (COX). Este efeito qualifica o manjericão como um alimento anti-inflamatório que pode proporcionar importantes benefícios curativos, para além do alívio dos sintomas em indivíduos com problemas de saúde inflamatórios, como artrite reumatoide ou doenças intestinais inflamatórias. Veja mais sobre o manjericão.

4. Gengibre
O gengibre é uma raiz tuberosa usada tanto na culinária quanto na medicina. Seu consumo está associado a vários benefícios terapêuticos: tem ação bactericida, é desintoxicante e melhora o sistema digestivo, respiratório e circulatório. Também age como termogênico, acelerando o metabolismo, o que, por sua vez, aumenta a queima de gordura do corpo. Seu poder anti-inflamatório permite que seja usado para combater dores decorrentes da artrite, dores musculares, infecções do trato respiratório, tosse, asma e bronquite. A planta integra a formulação de xaropes também por causa de sua ação anti-inflamatória e antimicrobiana. Conheça outras propriedades do gengibre.

5. Salmão
Além do seu sabor marcante, o salmão ganhou espaço na alimentação de muita gente por causa dos seus benefícios à saúde. Esse peixe é rico em ômega 3, um ácido graxo chamado essencial que não sintetizado pelo organismo e, portanto, precisa ser obtido pela alimentação. O salmão é uma das maiores fontes alimentares do ômega 3, na forma denominada eicosapentaenoico (EPA) e docosaexaenoico (DHA). A ingestão destas substâncias está diretamente ligada à ação anti-inflamatória e protetora do coração e sistema circulatório, diminuindo a formação de placas obstrutivas nos vasos sanguíneos. Saiba outros benefícios do salmão para a sua saúde.

6. Linhaça
A linhaça é uma semente, considerada um alimento funcional, cheio de benefícios para o coração, intestino e até na prevenção de alguns tipos de câncer. Ela é muito conhecida por ajudar no emagrecimento, com fibras que atuam na liberação da glicose no sangue e, consequentemente, reduzem o acúmulo de gordura no corpo. A linhaça tem ainda ácido alfalinoleico, um nutriente com propriedades anti-inflamatórias, agindo no combate a reações causadas por fatores como dislipidemias, obesidade, hiperglicemia, sedentarismo, tabagismo.

Essa semente também ajuda a equilibrar as quantidades de ômega 3 e 6 no corpo. Isso porque nossa alimentação costuma ser mais rica em ômega 6 do que 3, o que pode gerar inflamações no corpo. Por isso, acredita-se que o consumo de ômega 3 possa harmonizar essa balança, mas ainda não há um consenso científico sobre isso. Veja como consumir a linhaça.

Fonte: Minha Vida

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis