Temer ameaça e diz que sem reforma da Previdência salários poderão ser cortados em 2019

Michel Temer disse nesta sexta-feira (8) que, sem a aprovação da reforma da Previdência, poderá haver corte em salários em 2019 ou 2020.

— Se não a fizermos agora, em 2019 ou 2020, vamos ter uma reforma previdenciária radical, como aconteceu na Grécia e Portugal, aonde foi preciso cortar as pensões e os vencimentos dos servidores públicos em 20 % e 30%. Se fizermos agora, alongaremos o tempo para uma reforma mais radicial — disse Temer, durante almoço da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

O presidente destacou que o déficit da Previdência será de R$ 180 bilhões este ano.

— Sem a reforma, serão mais R$ 45 bilhões no ano que vem e outros R$ 50 bilhões no ano seguinte.

Temer usou os números para justificar a sua previsão de uma necessidade de cortes nos vencimentos.

— Quando chegar em 2020, talvez tenha que haver corte de salários, se não inciarmos agora a reforma da Previdência.

Em entrevista depois do evento, Temer afirmou que está confiante na aprovação da reforma agora.

— A minha chance é de votar no dia 18 ou 19.

Indagado sobre o que aconteceria se a votação ficar para o próximo ano, respondeu:

— Não vou cogitar isso.

Mais cedo, em evento da indústria química, também em São Paulo, o presidente afirmou que as pessoas que combatem a reforma da Previdência devem admitir que são a favor de privilégios.

Temer chegou a declarar que as redes sociais são "um horror" porque permitem a propagação do que chamou de mentiras sobre os efeitos da proposta. O presidente ainda fez um apelo aos empresários presentes ao encontro, pedindo que liguem para os deputados pedindo a aprovação da reforma.

Fonte: O Globo

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis